Home
1.Tempos Modernos (1936)   2.Luzes da Cidade (1931) 3.O Garoto (1921) 4.Em Busca do Ouro (1925)   5.O Grande Ditador (1940) 6.Luzes da Ribalta (1952)     7.O Circo (1928)       8.Monsieur Verdoux (1947)     9.O Imigrante (1917)   10.Idílio no Campo (1919)  
| 62938 ace
Sim, o cinema brasileiro tem história!      O grande resgate do cinema brasileiro ocorreu no início da década de 90, com as leis de incentivos fiscais. Foi nesse período que começaram a ressurgir bons filmes como Carlota Joaquina, Princesa do Brasil (1995), de Carla Camutari, Cidade de Deus (2002), Carandiru (2003), Central do Brasil, Carandiru (2003), Tropa de Elite  (2007), Meu Nome não é Johnny e o estrondoso sucesso da série comercial E Se Fosse Você. Mas antes disso o cinema nacional há tempos estava sem moral alguma. Estagnado. O mercado exigia cada vez mais filmes norte americanos, as salas de exibição não destinavam lugar para nossos filmes e o público estava cada vez mais distante das produções notoriamente defasadas com relação ao cinema produzido em outros países. Fácil era ouvir o jargão: “Pagar para ver filme nacional? Nunca.” Sim, o cinema brasileiro tem história!      O grande resgate do cinema brasileiro ocorreu no início da década de 90, com as leis de incentivos fiscais. Foi nesse período que começaram a ressurgir bons filmes como Carlota Joaquina, Princesa do Brasil (1995), de Carla Camutari, Cidade de Deus (2002), Carandiru (2003), Central do Brasil, Carandiru (2003), Tropa de Elite  (2007), Meu Nome não é Johnny e o estrondoso sucesso da série comercial E Se Fosse Você. Mas antes disso o cinema nacional há tempos estava sem moral alguma. Estagnado. O mercado exigia cada vez mais filmes norte americanos, as salas de exibição não destinavam lugar para nossos filmes e o público estava cada vez mais distante das produções notoriamente defasadas com relação ao cinema produzido em outros países. Fácil era ouvir o jargão: “Pagar para ver filme nacional? Nunca.” Mas o cinema brasileiro tem história sim. O primeiro cinema inaugurado aqui foi na Rua do Ouvidor, no Rio de Janeiro, com a exibição de gala de um filme que exibia algumas cenas do Rio de Janeiro, dentre elas a baía da Guanabara. Mas há registros de que em 1902 já havia pelo menos um cinema, o “Cine –Phone” em São Paulo, onde eram exibidos filmes não nacionais.     A partir de 1907, com o aumento do fornecimento de energia no país, abrem-se dezenas de salas no Rio e em São Paulo. Os filmes estrangeiros então quase que dominam todo o espaço, mas começam a surgir obras essencialmente brasileiras. Alguns filmes traziam músicos populares, que dublavam sua própria voz assim que o filme era exibido, dando início aos curtas “filmes cantantes” que traziam óperas e revistas musicais. Ou seja, cinema propriamente mudo não existia, já que havia sempre o acompanhamento, seja instrumental ou cantados. Os cantores postavam-se atrás da tela para garantir a magia.      A partir daí vários gêneros foram surgindo, como dramas históricos, histórias do nosso carnaval e comédias. Mas como a entrada e aceitação dos filmes estrangeiros sempre foi maior que o cinema brasileiro (sim, desde aquela época), o nosso cinema acabava sendo feito mais por encomenda, com manifestações isoladas (ninguém queria se arriscar em algo que provavelmente não seria visto mesmo). Houve um boom de filmes que exploravam a história recente do país, como "Os Estranguladores" (1906), "O Crime da mala" (1908) e "Noivado de Sangue (1909). Todos infelizmente perdidos.     A partir de 1915 nossa literatura passou a ser o assunto principal dos filmes: Iracema, Inocência, O Guarani. Surgiam as primeiras revistas de cinema, como a “Selecta”, “Para Todos” e “Cinearte”, divulgando suas estrelas, muitas das quais os filmes nem tinham passado por aqui. Não era raro ver em nossas terrinhas garotas ao estilo Clara Bow ou imitando trejeitos de Gloria Swanson. O Brasil passou a criar suas próprias estrelas, espécies de filiais, que lindamente se apresentavam como a Greta Garbo ou a Clara Bow nacional. Carmen      Até que surgiu uma portuguezinha criada no Brasil e chamada Carmen. Não a Miranda, mas a Carmen Santos. As notícias davam conta que ela além de atriz era também produtora, diretora, realizadora. Só havia um grande problema: de que? Ninguém via os resultados de seus projetos. Ou eles não passavam de especulação, eram roubados, incendiados ou rodados sem filme na máquina. Como explicar que ela, mesmo assim tenha se tornado uma grande estrela? Simples, através das revistas.     Nosso primeiro filme com cenas sonorizadas foi “Acabaram-se os Otários” (1929), de Luiz de Barros. O país vivia um momento em que o rádio era o grande sucesso. E muitos desses teatros de revistas foram levados às telas, com roteiro vazio e com o único intuito de mostrar suas músicas.     Com a década de 30, chegava a época dos grandes estúdios. O primeiro foi a Cinédia de Adhemar Gonzaga (que viajara para os Estados Unidos para aprender mais sobre as técnicas de produção dos filmes falados). Surgiram filmes como Lábios sem beijos (1930) de Humberto Mauro e Mulher (1931) de Otávio Gabus Mendes. Houve um aumento de custos, que se refletem no fechamento de pequenas salas exibidoras e aumentando a dependência com relação aos Estados Unidos, que detinham as melhores técnicas e equipamentos. O grande realizador foi o americano Wallace Downey, que uniu-se a Adhemar Gonzaga e trouxe uma série retratando o nosso carnaval em “Coisas Nossas” (1931),  A voz do carnaval (1933)   e “Alô, alô Brasil”, que trouxe a primeira participação de Carmen Miranda no cinema, além de cantores do rádio de sucesso como Almirante, Alzirinha Camargo, Francisco Alves, Mario Reis, Aurora Miranda, dentre outros. A imprensa, de início, foi totalmente contra os “talkies”, que consideravam uma afronta à essência do cinema, que agora ficava mais parecido com o teatro. Surgem outros estúdios como a Brasil Vita Filmes de Carmen Santos e, posteriormente, a Atlântica.     Com a Atlântida o cinema tornou-se mais popular ainda, unindo música, rádio e comédia, ficando famosa pelas chanchadas e filmes baratos, e tendo como estrelas Dercy Gonçalves, Zé Trindade, Grande Otelo, Anselmo Duarte, José Lewgoy e Oscarito. Vieram filmes como “Banana da Terra” (1938), seguido das frutas “Laranja-da-China” (1939) e “Abacaxi Azul (1944). “Aviso aos Navegantes” (1950) e “Carnaval Atlântida” (1952). A chanchada reinou absoluta durante o período que vai da década de 30 a 50.     No final da década de 40 surgiu a Vera Cruz, de Franco Zampari e Assis Chateaubriant, que almejava criar produções que competissem como o cinema Hollywoodiano. O cangaceiro (1953), de Lima Barreto, chegou a fazer sucesso lá fora. Outros sucessos da Companhia foram “Tico-Tico no fubá” (1951) de Adolfo Celi.     Mazzaropi foi um dos grandes sucessos da Vera Cruz. Radialista e artista de circo, foi o responsável pela criação do matuto Jeca Tatu, baseado na obra de Monteiro Lobato. Sua caricatura do homem simples do interior porém esperto deu início a uma série de filmes como Sai da Frente” (1951), “Chico Fumaça” (1956) dentre outros, e fez tanto sucesso que abriu a Pam Filmes (Produções Amácio Mazzaropi), sua própria empresa, onde interpretou, dirigiu, produziu e distribuiu seus filmes. O Cinema Novo      A década de 60, o surgimento do “Cinema novo” trouxe status para o nosso cinema nacional, com filmes marcantes como “O Pagador de Promessas” de Anselmo Duarte, que foi premiado com a Palma de Ouro do Festival de Cannes. O grande lema era “uma câmera na mão e uma idéia na cabeça”, e lá vinham nossos cineastas mostrando nosso lado mais obscuro, como a pobreza e os problemas sociais que podem ser visto em filmes como “Deus e o Diabo na Terra do Sol” e “Terra em Transe”, de Glauber Rocha. Um dos grandes nomes deste período foi Nelson Pereira dos Santos. Outros filmes de destaque foram “Barravento”, “Os Cafajestes” (1961) e “Vidas Secas” (1964).     Infelizmente com a chegada da década de 70 a crise nas artes atingiram o cinema, que já não podia abordar questões sociais e tão somente passou a registrar filmes de consumo fácil: as chamadas pornochanchadas. Larga escala de filmes pífios começaram a ser produzidos, e foi aí que surgiu a idéia de que filme nacional não valia o ingresso, que só começou a redesenhar-se com qualidade a partir de meados da década de 90, com o ressurgimento do nosso cinema.
| 60756 ace
1. Camille Claudel (em Paris de 1885, a jovem escultora torna-se aprendiz e amante do grande Rodin, o que a torna mal vista pela sociedade. rompe com o escultor e entra numa espiral de loucura. grandes interpretações de Isabelle Adjani e Gerard Depardieu) 2. A Moça do Brinco de Pérola (na Holanda do século, uma jovem camponesa vai trabalhar na casa do grande pintor expressionista Johannes Vermeer, e acaba tornando-se sua modelo para seu quadro mais famoso. linda fotografia, linda Scarlett Johansson) 3. Basquiat (o jovem artista negro Jean Michel Basquiat vive na mendicância pelas ruas de Nova York, até ser descoberto por Andy Warhol - vivido por David Bowie - e virar uma estrela no mundo das artes. mas o sucesso não é tão fácil de lidar) 4. Pollock (Ed Harris está fenomenal na pele de Jackson Pollock, o primeiro grande artista plástico norte-americano, que de querido da imprensa cai em depressão e num comportamento auto-destrutivo) 5. Caravaggio (lindo exercício estético de Derek Jarman, nesta biografia de um dos maiores pintores do renascimento. sua sexualidade, sua relação com o poder e com seus modelos são suplantados pela beleza estética do filme, que remete às cores e texturas de suas obras) 6. Os Amores de Picasso (aos 60 anos, o artista no auge de sua carreira convida uma jovem de 23 para morar com ele. vivem 10 anos juntos, têm 2 filhos, mas a infidelidade explícita dele acaba por destruir a relação. Anthony Hopkins, ótimo como sempre é Pablo Picasso) 7. Agonia e Êxtase (biografia de Michelângelo, dirigida por Carol Reed em 65. apesar de esquemático e da canastrice de Charlton Heston, mostra bem as divergências entre o artista e o papa Julio II durante a longa construção da capela Sistina) 8. Van Gogh (dentre as biografias do mestre impressionista, esta versão de Maurice Pialat é a melhor. o filme mostra os últimos 67 dias de vida do mestre. em 1890 muda-se para os arredores de Paris para tratar-se, mas acaba se matando) 9. Frida (não foi por acaso que a mexicana Frida Kahlo tornou-se um mito. além de sua arte genial, seus relacionamentos amorosos, com homens e mulheres, entre eles o pintor Diego Rivera e Leon Trotski, sua personalidade forte e sua saúde sempre debilitada, pela polio na infância e por um grave acidente aos 20. o grande papel de Salma Hayek) 10. Moulin Rouge (dirigido por John Huston em 1952, este filme conta a história do pintor Henri de Toulouse-Lautrec, filho de família rica, mas pequenino e com os pés defeituosos, era presença constante no famoso cabaret, onde desenhava as dançarinas, que tornaram-se o grande tema de sua obra. ótima interpretação de Jose Ferrer) 11. O filme Goya (Goya en Burdeos, 1999), de Carlos Saura, consegue realizar plasticamente aquilo que As sombras de Goya(Goya’s ghosts, 2006) tentou fazer na temática: reproduzir os elementos mais importantes da obra do pintor espanhol Francisco Goya. 12. Little Ashes [Little Ashes ] (2008). Em 1922, Madri (Espanha) se vê em plena revolução cultural por conta das mudanças de valores provocadas pelo jazz, as ideias de Freud e a avant-garde. Nesse mesmo ano, aos 18 anos, Salvador Dalí (Robert Pattinson) entra para a faculdade determinado em se tornar um grande artista. 13. Seraphine. Narra a extraordinária vida da francesa Séraphine de Senlis, uma mulher nascida em 1864 que foi pastora e dona de casa antes de se transformar em pintora e submergir-se na loucura. 14. Vincent e Theo. A intensa relação de amor e ódio, entre o pintor holandês Vincent Van Gogh e seu irmão mais novo, Theo, até o suicídio do artista.. Conheça a solidão, a euforia e a poesia de Van Gogh, pintada em cores fortes e intensas, assim como suas relações afetivas e sua obra. 15. Sede de Viver. O filme retrata fielmente a vida do mestre da pintura: Van Gogh. Dividido entre a genialidade e sua mente atormentada, Van Gogh é interpretado pelo aclamado ator Kirk Douglas. Sede de Viver captura todo o êxtase da arte e a agonia da vida de um gênio da pintura. 16. Rembrandt. No ano de 1642, em Amsterdan, o grande pintor Rembrandt Van Rijin (Charles Laughton) desfruta de uma vida cheia de fama e fortuna, mas com a morte de sua esposa/musa, seu trabalho encontra a escuridão. Falido e desolado, ele encontra consolo nos braços de uma bela jovem, Hendrickje (Elsa Lanchester), uma empregada de sua casa. 17. Modigliani. Andy Garcia personifica o doce e boêmio pintor italiano Amedeo Modigliani, quando este habitava numa espelunca em Paris. Seus casos, seus quadros, suas brigas com Picasso. Tudo retratado com muita poesia. Com muita singeleza e autenticidade. Dá vontade mesmo de subir nas mesas e declamar poemas quando termina. 18. Klimt. Paris, 1900. Gustav Klimt é homenageado na Exposição Universal enquanto em Viena é condenado como provocador. Vive a vida como a pinta, os seus modelos são as suas musas. Klimt está à frente do seu tempo. 19. Sombras de Goya. Nos primeiros anos do século XIX, em meio ao radicalismo da Inquisição e à iminente invasão da Espanha pelas tropas de Napoleão Bonaparte (Craig Stevenson), o gênio artístico do pintor espanhol Francisco Goya (Stellan Skarsgard) é reconhecido na corte do Rei Carlos IV (Randy Quaid). Inés (Natalie Portman), a jovem modelo e musa do pintor, é presa sob a falsa acusação de heresia. 20. A Vida de Leonardo da Vinci. A Vida de Leonardo da Vinci é considerado o melhor e mais completo filme sobre esse grande mestre. Uma superprodução milionária da RAI filmada nas locações reais nas quais viveu o artista, e baseada numa meticulosa pesquisa histórica. 21. O Mestre da Vida. John Talia Jr. é um talentoso e problemático estudante de artes. Ao conhecer Nicoli Seroff, um genial pintor, ele insiste para que o velho mestre o ensine a pintar. Mas Seroff não só desistiu da arte, mas também da vida e quer ficar em paz. Post original retirado do blog Arte em Ação
| 42138 ace
10. Cary Grant: Há controvérsias:   9. Randolph Scott (ao lado de Cary Grant, seu suposto namorado). 8. Errol Flynn: há controvérsias.   7. Gary Cooper: há controvérsias. 6.  Alain Delon: assumidamente bissexual. 5. James Dean: autor da célebre frase a respeito do assunto: se temos duas mãos, para que usar só uma? 4. Marlon Brando: fanfarrão.   3. Montgomey Clift: gay assumido. 2. Ramon Novarro: gay assumido. 1. Rock Hudson: gay assumido. Poderá também gostar de:
| 40927 ace
Ficha Título original: The Great Dictator Ano/País/Gênero/Duração: 1940/EUA/comédia/93min Direção, produção, roteiro e música: Charles Chaplin Assistentes de direção: Henry Bergman, Dan James, Wheeler Dryden e Bob Meltzer. Distribuição: United Artists Fotografia: Rollie Totheroh   Elenco: Charles Chaplin .... Adenoid Hynkel Tomania/e o barbeiro Paulette Goddard .... Hannah Jack Oakie.... Benzini Napaloni Reginald Gardiner .... Commander Schultz Henry Daniell .... Garbitsch Billy Gilbert .... Field Marshal Herring Grace Hayle .... Madame Napaloni Carter DeHaven .... Spook Maurice Moscovitch .... Mr. Jaeckel Emma Dunn .... Mrs. Jaeckel Bernard Gorcey .... Mr. Mann Paul Weigel .... Mr. Agar Chester Conklin.... Barber's Customer Esther Michelson .... Jewish Woman Hank Mann .... Storm Trooper   Sinopse Chaplin faz dessa vez dois personagens: o judeu e o ditador. Que são idênticos. O judeu é um ex combatente da primeira guerra, elo tempo à sua vida normal depois de ficar um belo tempo internado em um hospital. Enquanto ele estava internado, muitos acontecimentos mudaram os rumos do mundo: o partido de Adenoide Hynkel toma o poder e faz discursos inflamados, assustando a multidão. Nas ruas, os soldados invadem as casas dos judeus, agredindo-os, saqueando lojas e exaltando que os arianos são a raça superior. O pobre judeu sofre também por isso. Uma jovem pobre, Hannah, é maltratada, mas acaba socorrendo o judeu que acaba de chegar do hospital, onde esteve internado. A cena em que ela bate uma frigideira na cabeça de Chaplin tornou-se um bailado perfeito: tonto pelo golpe, ele sai "dançando" entre a calçada e a pista, com passos perfeitos. A defesa acaba não adiantando muito, pois os soldados conseguem pega-lo e tentam inforca-lo. Ele só é salvo porque um dos chefes o conhece da guerra, pois foram colegas. Em outro plano, Hynkel prepara o grande golpe. Depois de uma grande discussão, Hynkel condena os judeus, e as pessoas começam a se esconder. Hannah e seus amigos fogem para Austerlich, onde encontram uma paz transitória. Hynkel tenta acordo com Napaloni (outro ditador). A competição entre os dois torna-se outro ponto chave para o filme, com um sempre querendo ser melhor que o outro. A guerra continua, e enquanto isso Hynkel vai caçar patos. Acaba sendo confundido com um judeu e é preso, depois de levar uns tapas. O pequeno barbeiro, por sua vez, é confundido com o ditador, e caminha para fazer o seu discurso. ao invés de ouvirem o discurso inflamado do antigo ditador, o que houve é uma exaltação à paz. Curiosidades - Esse foi o primeiro filme totalmente falado de Chaplin. - O discurso dura 6 minutos ininterruptos. - O filme foi um problema para Chaplin do início ao fim. Se sua relação com os Estados Unidos já estavam abaladas, com o filme ficaram insuportáveis. Ele foi proibido em diversos locais. Hitler também proibiu em seu país (embora dizem que ele chegou a assistir e a gostar do filme). - Chaplin também foi acusado de plágio, por Konrad Bercovici, que dizia que o filme era seu. Entrou na justiça exigindo muito dinheiro. No final, Chaplin pagou 95.000 dólares para que fosse tirada a queixa, embora negasse até o final que não tinha copiado nada de ninguém. - Segundo Chaplin, em suas memórias, o acordo foi proposto pelo próprio juiz, que solicitou às partes que entrassem em um acordo pois ele não poderia demorar-se. Será verdade de Chaplin? Isso fortalece a crença de que Bercovici realmente tenha algo a ver com as idéias do filme. - Recentemente foram encontradas cópias de um filme caseiro feito pelo irmão de Chaplin, Sydney. Nas cópias aparecem vislumbres de cenas, bastidores e testes. Tudo colorido. Estava em malas velhas, no porão da mansão da Suiça. - Esse filme foi indicado para Melhor Ator, Melhor Música, Melhor Filme, Melhor Ator Coadjuvante e Melhor Roteiro Original. Associação dos Críticos de Nova York 1940 - Vencedor de Melhor Ator. - Chaplin arrependeu-se de ter feito O grande ditador. Ele falou que se soubesse o que tinha acontecido de verdade nos campos de concentração, não teria brincado com um tema tão sério. - Hannah foi uma homenagem à sua mãe, que tinha o mesmo nome. Era uma apologia à mulher lutadora.   Assista Online     Imagens     Cartazes
| 38582 ace
Título Original: Bad Day at Black Rock Ano/País/Gênero/Duração: 1955 / EUA / Drama Suspense Faroeste / 81min Direção: John Sturges Produção: Dore Schary Roteiro: Howard Breslin, Don McGuire, Millard Kaufman Fotografia: William C. Mellor Música: André Previn Elenco Spencer Tracy ...     John J. Macreedy Robert Ryan    ...     Reno Smith Anne Francis    ...     Liz Wirth Dean Jagger    ...     Tim Horn Walter Brennan    ...     Doc Velie John Ericson    ...     Pete Wirth Ernest Borgnine    ...     Coley Trimble Lee Marvin    ...     Hector David Russell Collins    ...     Mr. Hastings Walter Sande    ...     Sam Sinopse John MacReedy (Spencer Tracy), um idoso que possui somente um braço, chega à pequena cidade de Balck Rock, alguns meses depois do término da Segunda Guerra Mundial. Por estranharem visitantes, os moradores se incomodam com sua presença, e parecem ocultar algum secredo. Curiosidades - Primeiro filme da MGM rodado em Cinemaescope. ASSISTA ONLINE
| 37296 ace
 The Life and Passion of Jesus Christ (1905)   I.N.R.I.” (1923) (Gregori Chmara) Rei dos Reis (1927) (H. B. Warner) Rei dos Reis (1962) (Jeffrey Hunter) O Evangelho Segundo São Mateus (1964) (Enrique Irazoqui) A Maior História de Todos os Tempos (1965) (Max von Sydow) Jesus Christ Superstar (1973) (Teddy Neely) Jesus de Nazaré (1974) (Robert Powell) O Messias (1975) (Pier Maria Rossi) A Última Tentação de Cristo (1988) (Willem Dafoe) Jesus - A Maior História de Todos os Tempos (1999) (TV) (Christian Bale) A Paixão de Cristo (2004) (Jim Caviezel)
| 37236 ace
Eu nasci com uma enorme necessidade de carinho, de dar e receber. Fui convidada para atuar quando não podia; a cantar quando não sabia e a dançar com Fred Astaire quando eu não estava preparada. Tentei como louca lidar com essas dificuldades. Minha própria vida tem sido mais do que um conto de fadas. Eu passei por muitos momentos difíceis, mas consegui vencer todas. Para mim as únicas coisas que interessam são aquelas ligadas ao coração. Eu nunca penso em mim como um ícone. O que está na mente das pessoas não está na minha. As pessoas podem ser uma Audrey Hepburn usando meus vestidos, óculos e mudando seus cabelos. Aconteça o que acontecer, a coisa mais importante é envelhecer graciosamente. E você não pode fazer isso na capa de uma revista de fãs. Acho que sexo é supervalorizado. Eu não tenho sex appeal e sei disso. Eu sou muito esquisita: meus dentes são engraçados e eu não tenho nenhum dos atributos exigidos para uma atriz sexy.  Eu entendi o desespero de pessoas que tinham visto Julie em Broadway. Ela fez o papel dela, e por essa razão eu não queria fazer o filme quando me ofereceram. O problema era que comigo ou não, Jack Warner jamais colocaria Julie Andrews no filme. Não sei o motivo. (sobre seu papel em My Fair Lady).
| 36063 ace
  "Lá estava o meu nome iluminado. Eu disse `Deus, alguém cometeu um erro`. Mas lá estava, todo iluminado. E eu sentei e disse, `Lembre-se você não é uma estrela`. Porém, lá estava todo iluminado." "Eu não estou interessada em dinheiro. Eu só quero ser maravilhosa." "Ninguém nunca disse que eu era bonita quando pequena. Toda menina deveria ser chamada de bonita, mesmo se elas não são." "O corpo é para ser visto, não para ser coberto." "Eu tenho fantasias demais para ser uma dona de casa. Acredito que eu sou uma fantasia." "Uma atriz não é uma máquina, mas eles te tratam como se fosse. Uma máquina de fazer dinheiro" "Ser um símbolo sexual é muita responsabilidade, especialmente quando se está cansada, magoada e vulnerável." "Nunca gostei do nome Marilyn. Frequentemente desejei que devia ter permanecido com o nome Jean Monroe. Mas suponho que agora está tarde demais para fazer isso." "Apenas duas gotinhas de Chanel nº5." "...todo mundo está sempre pegando no seu pé. Todos querem uma parte sua. É como se eles tirassem pedaços de você. Acho que eles nem percebem, mas é 'faça isso, faça aquilo..' mas você quer ficar intacta - intacta e sobre dois pés." "Os homens que pensam que uma mulher com um passado amoroso diminui o seu amor por eles, geralmente são estúpidos e fracos. Uma mulher pode trazer um novo amor a cada homem que ama, desde que não existam muitos. " "Algumas pessoas têm sido cruéis. Se eu disser que eu quero crescer como uma atriz, eles olham para a minha figura. Se eu disser que gostaria de desenvolver, a aprender a minha embarcação, eles riem. De alguma forma eles não esperam-me para ser levada a sério sobre o meu trabalho". "Se eu interpretar uma garota estúpida, e perguntar questões estúpidas, então tenho que seguir isso. O que eu posso fazer para parecer inteligente?" "Fama é inconstante e eu sei disso. Tem as suas compensações, mas também tem suas desvantagens, e eu tenho experimentado as duas." "Com a fama, você sabe, você pode ler sobre você, alguém da idéias sobre você, mas o que é importante é como você se sente sobre si mesmo, de sobrevivência e de vida do dia a dia com o que surge. " "Mulheres comportadas raramente fizeram história" "Eu não entendo porque as pessoas não são um pouco mais generosas com os outros." "Quero envelhecer sem rugas ... Eu quero ter a coragem de ser leal à face que tenho feito. Às vezes eu penso que seria mais fácil evitar a velhice, morrer jovem, mas depois que você nunca completa a sua vida, pois não? Você nunca sabe totalmente." "Não, Monroe não faria assim" "Eu sempre digo um beijo na mão pode fazer você se sentir muito boa, mas uma tiara de diamantes dura para sempre." "Não importa o que eu seja, o fato é que o nome do filme é 'Os homens preferem as loiras', e eu sou a loira."
| 33157 ace
Título Original: The Blue Bird Ano/País/Gênero/Duração: 1940 / EUA / Infantil / 88min Direção: Walter Lang Produção: Gene Markey e Darryl F. Zanuck Roteiro: Walter Bullock, Maurice Maeterlinck Fotografia: Arthur C. Miller Música: Alfred Newman Elenco Shirley Temple ... Mytyl Spring Byington ... Mummy Tyl Nigel Bruce ... Sr. Luxury Gale Sondergaard ... Tylette (the cat) Eddie Collins ... Tylo (the dog) Sybil Jason ... Angela Berlingot Jessie Ralph ... Fairy Berylune Helen Ericson ... Light Johnny Russell ... Tyltyl Laura Hope Crews ... Sra. Luxury Russell Hicks ... Daddy Tyl Cecilia Loftus ... Granny Tyl Al Shean ... Grandpa Tyl Leona Roberts ... Sra. Berlingot Gene Reynolds ... Studious Boy Sinopse Mytyl (Shirley Temple) é uma menina mal humorada e que não dá valor à família que tem e aos amigos. Ela captura um pássaro e o prende em uma gaiola. Até que ela e seu irmão Tytyl (Johnny Russell) recebem com pesar a notícia de que o pai irá para a guerra e ficam tristes. Até então seu mundo é preto e branco. Até que ela recebe a visita de Luz (Sybil Jason), uma fada, que irá lhe guiar e ao seu irmão, juntamente com a gata e o cachorro agora transformados em gente, em busca do pássaro azul da felicidade, que poderá estar no passado, presente ou no futuro. No passado eles reencontram os avós já falecidos, no presente eles são adotados por uma família rica porém egoísta, e no futuro eles veem a irmã que ainda terão. Ao retornar da viagem, ela descobre que a felicidade sempre esteve em sua casa, na figura do pássaro, agora azul, preso em sua gaiola. Curiosidades - Shirley Temple era à essa época a criança mais famosa de Hollywood. - O filme veio após ela ter sido negada a participar do filme O Mágico de Oz, estrelado por Judy Garland, pois seu estúdio negou-se a empresta-la a MGM. - O filme foi inspirado na peça homônima de Maurice Maeterlinck. - Esta foi a primeira vez que Shirley deixou de interpretar uma menina doce, pois Mytyl era na verdade uma garota impetuosa. - Infelizmente esta mudança não agradou ao público, que não se acostumou com a nova imagem de Shirley. - A atriz Gale Sondergaard que fez a gata Tylette, havia sido escada para ser a Bruxa Má de O Mágico de Oz, mas como o papel exigia feiúra, ela foi dispensada. - Duas outras versões: 1918 e 1976, com o mesmo título. - A pequena atriz Caryll Ann Ekelund, que participa da sequencia do futuro, morreu pouco após as filmagens, em decorrências de queimaduras em uma festa do Dia das Bruxas. Prêmios - Indicado ao Oscar de Melhor Fotografia Colorida e Efeitos Especiais. ASSISTA ONLINE Imagens
| 32361 ace
Ficha Título original: Wizard of Oz Ano/País/Gênero/Duração: 1939/EUA/musical/101min Produção: Mervyn LeRoy Direção: Victor Fleming Screen Play: Noel Langley, Florence Ryerson e Edgar Allan Woolf Adaptação: Noel Langley (do livro de L. Frank Baum) Adaptação musical: Herbert Stothart Músicas: Harold Arlen Arranjos musicais: George Bassman, Murray Cutter, Paul Marquardt e Ken Darby Números musicais: Bobby Connolly Direção de gravação: Douglas Shearer Direção de arte: Cedric Gibbons Efeitos especiais: Arnold Gillespie Elenco Judy Garland - Dorothy Gale Frank Morgan – O mágico de oz Ray Bolger - Hunk/O espantalho Bert Lahr - Zeke/Leão covarde Jack Haley - Hickory/o homem de lata Margaret Hamilton - Miss Almira Gulch/Bruxa má do Oeste Billie Burke - Glinda, Bruxa boa do norte Charley Grapewin - Uncle Henry Clara Blandick - Auntie Em Pat Walshe - Nikko The Singer Midgets - The Munchkins Terry - Toto   Sinopse Dorothy é uma jovem que mora no Kansas, sonhadora, que acha que não é feliz. Um dia, depois de tentar fugir, é pega por um tornado, e através dele vai parar numa terra estranha chamada Oz. A partir daí, ela vai buscar o caminho de volta para casa, e para isso conta com a ajuda de seus companheiros: O homem de lata, o espantalho e o Leão covarde. Curiosidades: * O livro saiu pela primeira vez em 1900, sob o título de "O maravilhoso mágico de Oz". Três anos depois ganhou várias continuações. * Cinco estúdios lutaram pelos direitos de O mágico de Oz, livro escrito por L. Frank Baum. Não havia muitas dúvidas que a MGM levaria a melhor na disputa. * Essa não foi a primeira filmagem. Em 1925 foi realizado um longa metragem dirigido por Larry semon (fazendo o Espantalho), e que tinha Dorothy Dwan como a Dotothy e Oliver Hardy (O futuro Gordo da dupla O gordo e o magro) no papel do Homem de Lata. * Para os papéis dos habitantes da cidade de Munchkinland foram contratados 350 anões, que foram encontrados por um especialista. * O papel da bruxa inicialmente iria para Galé Sondergaard, que fez diversos testes, mas quem acabou faturando foi a desconhecida Margaret Hamilton. * Foi discutida a possibilidade de contratar Shirley Temple para o papel, mas ela sairia muito cara para o papel. Deanna Durbin também foi sondada, mas como estava em outro estúdio (Universal), a MGM desistiu, pois não queria divulgar uma estrela de outro estúdio. Coube a Judy o papel principal. * O Mágico de Oz foi produzido com o que havia de mais moderno na época: tecnicolor. Mas para não ficar tão caro, foi decidido que as partes do Kansas seriam feitas em P&B. * Nos primeiros testes de roupas, Dorothy aparecia de cachinhos dourados. Quando o diretor a viu, arrancou a peruca, tirou a maquiagem dela, escolheu também um vestido mais simples. Estava pronta. * O ambiente era bem hostil para Judy, uma atriz iniciante, que ganhava o papel principal: Bolger e Haley gostavam dela, mas tinham medo que ela ofuscasse suas aparições. Mas ela estava sempre gentil e educada, tratando a todos por senhor. * Judy tinha 16 anos quando o filme foi realizado, e usou um espartilho bem apertado, que tentava esconder os sinais de uma adolescência, afinal a Dorothy deveria ter 10 anos. * Custo final da produção: U$ 2.777.080,00. Tornou-se o terceiro filme mais caro da MGM, ficando só atrás de Bem Hur e Terra dos deuses. * A pré-estréia ocorreu em junho, em San Bernadino. Foi lá que foi decidido que duas canções seriam cortadas: “The jitterbug” e “Over the rainbow”. Na última hora foi decidido que “Over the rainbow” ficaria. Com relação a “The jitterbug”, ainda restam fragmentos gravados numa câmera caseira, e quem viu diz que ela não se encaixava direito no filme. * Judy ganhou um Oscar especial por seu trabalho no filme, concedido às estrelas jovens.   Prêmios Oscar de 1940: Melhor Trilha Sonora, Atriz Juvenil (Judy Garland) e Canção Original (Over the Rainbow) Indicações ao Oscar: Melhor Filme, Melhor Direção de Arte, Efeitos Especiais, Fotografia Colorida.     Assista Online             Download: Este filme é de domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria.   Legendas Pesquisar este filme no SUBMARINO   Imagens   Trailler VNugTWHnSfw  
| 31777 ace
Título Original: A Streetcar Named Desire Ano/País/Gênero/Duração: 1951 / EUA / 125min Direção: Elia Kazan Produção: Charles K. Feldman Roteiro: Oscar Saul Fotografia: Harry Stradling Jr. Música: Alex North Elenco • Vivien Leigh ... Blanche DuBois • Marlon Brando ... Stanley Kowalski • Kim Hunter ... Stella Kowalski • Karl Malden ... Harold 'Mitch' Mitchell • Rudy Bond ... Steve • Nick Dennis ... Pablo Gonzales • Peg Hillias ... Eunice • Wright King ... colecionador • Richard Garrick ... médico • Ann Dere ... a matrona • Edna Thomas ... a mexicana • Mickey Kuhn ... alfaiate Sinopse Blanche DuBois (Vivien Leigh) muda-se para a casa de sua irmã Stella (Kim Hunter) e o cunhado Stanley (Marlon Brando). É uma mulher frágil, e que possui um passado de sofrimentos, que oculta sob histórias fantasiosas sobre um homem que a ama. A convivência com o cunhado Stanley a abala moral e espiritualmente, fazendo com que ela tenha um ataque e nervos. Stanley, um homem rude, que não respeita nem mesmo a esposa a julga ser uma mentirosa. Ele descobre que ela não deixou o trabalho como professora por causa da doença de nervos, e sim porque se envolveu com um rapaz de 17 anos, fazendo com que seu marido se suicidasse, e passa a atormenta-la por causa disso. Um dos amigos de Stanley, Mitch (Karl Malden) se interessa por Blanche, e Stanley lhe conta a verdade sobre a cunhada, fazendo com que ele se afaste. Curiosidades - Na peça, o marido de Blanche se suicidava por ter um caso homossexual, fato abortado na versão cinematográfica, e só recentemente adicionada com uma cena excluída. - Jéssica Tandy fazia o papel de Blanche na Broadway, mas não foi aprovada para a versão cinematográfica. - Olivia de Havilland foi cogitada para o papel de Blanche, mas recusou o papel. - A única que não interpretou o respectivo papel na Broadway foi Vivien Leigh, escolhida por questões de bilheteria para interpreta-lo no cinema. - Os Simpsons fizeram uma versão para o filme, chamado "A Streetcar Named Marge" na 4ª temporada. - Desejo é o nome do bonde que Blanche pega para chegar à casa de sua irmã. - A primeira montagem da pela foi em 1947. - Vivien Leigh chegou a interpretar a peça em Londres, ao lado de seu marido Laurence Olivier. - Título paralelo: Uma Rua Chamada Pecado. - MarlonBrando ganhou o papel de Tennesse no teatro ao ir pessoamente em sua casa fazer o teste. Prêmios - Oscar de Melhor Atriz (Vivien Leigh), Atriz Coadjuvante (Kim Hunter), Ator Coadjuvante (Karl Malden) e Direção de Arte. - Indicação ao Oscar de Melhor Filme, Diretor, Ator (Marlon Brando), Fotografia em Preto e Branco, Figurino em Preto e Branco, Trilha Sonora, Som e Melhor Roteiro. - Globo de Ouro de Melhor Atriz Coadjuvante (Kim Hunter). Imagens
| 31382 ace
Nome:  Joseph Levitch Nascimento e local: 16/03/1926, Newark, NJ Ocupação: ator e cômico Nacionalidade: Americana Casamentos: A Patti  Lewis e SanDee Lewis Filhos: Gary Lewis, Ronald Lewis, Scott Lewis, Christopher Lewis, Anthony Lewis e Danielle Lewis   Biografia Jerry Lewis (Joseph Levitch) já cantava nos palcos, junto com os pais aos 5 anos. Seus pais cantavam e tocavam em bares. Já crescido, passou a atuar em clubes noturnos. Aos 18 anos já era um profissional, e teve sua carreira impulsionada quando conheceu Dean Martin, com quem passou a formar uma dupla cômica. Tornaram-se populares, com números de dança e comédia. Duplas de contrastes sempre fizeram sucesso, podemos citar Charles Chaplin e Eric Campbell, O gordo e o magro. No caso de Dean e Jerry, tínhamos o cara boa praça e o descoordenado, desatento, desajeitado da dupla. Em 1949 os dois estreariam no cinema em "My friend Irma". Seguiram-se vários filmes em seqüência, até que em 1956 a dupla se desfez, quando Jerry resolve atuar sozinho. Com o controle, ele passou a dirigir e a produzir alguns dos seus filmes, e seguiu com grande popularidade durante os anos 60, com filmes como "O professor aloprado" (1963), em que interpreta um professor feíssimo, mas que descobre uma fórmula para se tornar um homem atrativo. A segunda versão deste filme, protagonizada por Eddy Murphy teve a produção do comediante. A partir do final da década, sua carreira começou a minguar. Durante os anos 60 e 70 Lewis começou a trabalhar em causas beneficentes e escreveu sua biografia "Jerry Lewis". Nos anos 80 começou a ter problemas de saúde, com um ataque de coração, chegando a ter sido diagnosticado morto. Salvou-se milagrosamente. Em 1983 foi chamado por Martin Scorsese para fazer "O rei da comédia", ao lado de Robert de Niro. O resultado foi um show de interpretação, no papel do ansioso e suado anfritião de um programa de entrevistas. Na década de 90 trabalhou na Broadway em "Damn yankees", e começou a se dedicar à UNICEF. Em 1998 recebeu um prêmio pela sua trajetória da Associação americana de comediantes.   Filmes Funny Bones (1995) Arizona Dream (1993) Mr. Saturday Night (1992) Cookie (1989) The King of Comedy - O Rei da comédia (1983) Cracking Up (1983) Slapstick (of Another Kind) (1982) Hardly Working (1980) The Day the Clown Cried (1972) Which Way to the Front? - Qual é o caminho para a guerra? (1970) One More Time - Uma dupla em sinuca (1970)Hook, Line & Sinker- De caniço a samburá (1969) Don't Raise the Bridge, Lower the River - Um Golpe das arábias (1968) The Big Mouth - O Fofoqueiro (1967) Way... Way Out - Um biruta em órbita (1966) Three on a Couch - Três em um sofá (1966) Boeing Boeing (1965) The Family Jewels - A família fuleira (1965) The Disorderly Orderly - O bagunceiro arrumadinho (1964) The Patsy - O Otário (1964) Who's Minding the Store? - Errando pra cachorro (1963) The Nutty Professor - O Professor aloprado (1963) It's a Mad Mad Mad Mad World - Deu a louca no mundo (1963) It's Only Money - Detetive mixuruca (1962) The Errand Boy - Mocinho encrenqueiro (1961) The Ladies' Man - O Terror das mulheres (1961) Cinderfella - Cinderelo sem sapato (1960) The Bellboy - O Mensageiro trapalhão (1960) Visit to a Small Planet - Rabo de foguete (1960) Li'l Abner - As Aventuras de Ferdinando (1959) Don't Give Up the Ship - A canoa virou (1959) The Geisha Boy - O rei dos mágicos (1958) Rock-a-Bye Baby - Bancando a ama seca (1958) The Sad Sack - O Bamba do regimento (1957) The Delicate Delinquent - O delinquente delicado (1957) Hollywood or Bust - Ou vai ou racha (1956) Pardners - O Rei do Laço (1956) Artists and Models - Artistas e Modelos (1955) You're Never Too Young - O Meninão (1955) 3 Ring Circus - O Rei do Circo (1954) Living It Up - A farra dos malandros (1954) Money From Home - A barbada do biruta (1953) The Caddy - Sofrendo da bola (1953) Scared Stiff - Morrendo de medo (1953) The Stooge - O Biruta e o folgado (1953) Jumping Jacks - Malucos no Ar (1952) Sailor Beware - O Marujo foi na onda (1952) Road to Bali - De Tanga e Sarongue (1952) DOWNLOAD That's My Boy - O Filhinho do papai (1951) At War with the Army - O Palhaço do batalhão (1950) My Friend Irma Goes West - Minha amiga maluca (1950) My Friend Irma - O Amigo da onça (1949)  Mais Melhores Comediantes de Todos os tempos  As duplas mais populares do cinema  Imagens        
| 31377 ace
1. O Poderoso Chefão 1 (1972)   2. O Poderoso Chefão 2 (1974)   3. Taxi Driver (1976)   4. Chinatown (1974)   5. Um Estranho no Ninho (1975)   6. O Conformista (1970)   7. A Laranja Mecânica (1971)   8. Noivo Neurótico, Noiva Nervosa (1977) 9. O Franco-Atirador (1978)   10.  Morte em Veneza (1971)   Outros Destaques: Alien – O Oitavo Passageiro (1979) Apocalypse Now (1979) Star Wars: Episódio IV – Uma Nova Esperança (1977) Carrie – A Estranha (1976) Barry Lyndon (1975) Manhattan (Woody Allen, 1979) Prelúdio Para Matar (1975) A Primeira Noite de Tranquilidade (1972) Superman – O Filme (1978)  
| 30248 ace
  " Eu sempre adorei homens jovens. Só porque eu estou mais velha, meu gosto não mudou. Então, se eu ainda posso tê-los, porque não?" "É triste envelhecer, mas é bom amadurecer." "Tenho sido muito rica, muito bonita, muito adulada, muito famosa e muito infeliz." "Os homens são bestas, e até mesmo os animais não se comportam como eles." "Pior do que ser infiel é ser fiel sem o querer". “Eu dei minha beleza e minha juventude aos homens. Agora dou minha sabedoria e minha experiência aos animais.” “Protegendo os macacos, estaremos protegendo a nós mesmos, porque eles são os animais mais próximos do homem.” “Tive êxito na vida. Agora tento fazer da minha vida um êxito.” “Ao negar a responsabilidade dos seres humanos no aquecimento global, ao militar em favor do porte de armas e com falas de uma desconcertante estupidez, você envergonha as mulheres e representa uma terrível ameaça.” “Qualquer idade pode ser encantadora desde que você a viva.” “Se eu aparentasse 30 anos, alguma coisa estaria errada. Eu tenho rugas, sim. E daí?” “Detesto uma grande parte da espécie humana.” “Falo muito bem o “cachorrês” e o “gates” , línguas que aprendi melhor que o inglês.”  
| 28721 ace
    Um filme para quem gosta de dramas de tribunais, e para quem ama história. Sob a direção de Stanley Kramer, é um filme pesado. Pesado como seu próprio enredo indica. Prepare-se para sentar e esperar defesas magistrais de ambas as partes. Prepare-se para a dúvida: seria um homem condenado pelas atrocidades que fez em nome do amor à pátria?     O filme retrata o ano de 1948, quando o juiz americano Dan Haywood terá que julgar quatro juízes por crimes cometidos durante o nazismo. Ouvindo testemunhas do caso, como Rudoph Petersen (Montgomery Clift), que foi esterilizado por ser considerado uma pessoa mentalmente incapaz; Irene Hoffman (Judy Garland), testemunha de um caso anterior, em que seu amigo e mentor judeu foi condenado a morte, por supostamente ter tido relações sexuais com a própria. O advogado de defesa, Has Rolfe (Maximilian Schell) retruca cada uma delas com uma defesa brilhante, calcada na lógica dos acontecimentos. Para ele, a condenação dos juízes seria uma injustiça, pois os mesmos somente cumpriam o que a lei determinasse, e traidor seria aquele que naquele momento, fugiria às suas obrigações com o povo alemão. Tad Lawson (Richard Widmark), o advogado de acusação, basea-se na emoção que os efeitos do nazismo traziam para o mundo: mostra cenas de um filme (reais), chama a atenção para as atrocidades cometidas não a um povo, mas ao mundo, relata que cada um deverá responder por seus atos. Uma situação difícil para o juiz Haywood, que fez amizade com Madame Bertholt (Marlene Dietrich), uma viúva de um condenado.     As interpretações são algo assombrosas, o que não seria surpresa com o elenco trazido: Spencer Tracy, Burt Lancaster, Richard Widmark, Marlene Dietrich, Maximilian Schell, Judy Garland, Montgomery Clift. Basta lembrar que três deles concorreram ao Oscar (Spencer Tracy, Montgomery Clift e Judy Garland), e um deles ganhou. Dizer que Spencer Tracy traz uma das suas melhores performances seria tão certo quanto falar que Maximilian Schell, que abocanhou o Oscar de melhor ator pelo filme, está perfeito como o advogado que quase prova por A + B que o nazismo não era tão mal como se propagavam, e que a condenação dos juízes seria também a do povo alemão. Schell, ator australiano, já participara de ''Os Deuses Vencidos''. Lembrando que Julgamento em Nuremberg foi apenas seu segundo filme. Montgomery Clift, tentando ressuscitar depois problemas pessoais (sofrera um acidente que deformou seu rosto e deixou-o paralizado), faria uma participação emocionante: mãos tremendo, a ativez de sua face, talhada pelo acidente, ajudando sobretudo nas maneiras de seu personagem. Suas falas foram repetidas diversas vezes, devido a sua dificuldade de decorar os textos, também consequência do que sofrera. Isso não impediu que ele, com sua curta participação no filme de 186 min fosse indicado ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante daquele ano. Marlene Dietrich não se sentiu muito a vontade, ao relembrar fatos de sua própria história, já que ela mesma trabalhava contra os nazistas, que no filme ela defende. Judy Garland fazia mais um de seus constantes retornos, sete anos após perder o Oscar em "Nasce uma Estrela".     Mas o maior ponto do filme não são suas interpretações ou a direção sublime de Stanley Kramer. É o roteiro de Abby Mann, que desenrola-se tão perfeito que nós, espectadores, assistimos a tudo passíveis a emoções de ambas as defesas. Quando nos convencemos do que uma parte diz, logo chega a outra e toma-nos a razão, deixando-nos em dúvida. Isso não é comum. Não nos filmes americanos, tão acostumados com o radicalismo impresso em vilões e mocinhos. Um caso raro em um país tão conscio de poder e tão patriótico a ponto de achar que é o único dono da verdade. Tudo bem que o final não surpreende, mas já é uma grande tirada. Abby Mann levou o prêmio da Academia por seu roteiro. Nós ganhamos um filme espetacular, testemunha de uma época, e sobretudo retrato muito bem adaptado de uma parte sombria de nossa história. Carla Marinho
| 28048 ace
 FICHA   BIOGRAFIA   FILMES  MAIS   PRÊMIOS  IMAGENS   VÍDEOS   COMPRAR  Ficha Nome:  Alain Delon Nascimento e local: 08/11/1935, Sceaux, Hauts de Seine, França Ocupação: ator Nacionalidade: francesa Casamentos:  Nathalie Delon, Mireille Darc, Rosalie Van Bremen, Romy Schneider (namorada) Filhos: Christian Aaron Boulogne, Anthony Delon, Alain-Fabien Delon e Anouchka Biografia Nascido em 8 de novembro de 1935, este ator francês nascido em Sceaux, chamava a atenção com seus olhos azuis e elegância, que perdura até hoje, em sua velhice. Representante, sobretudo dos films noir, ele emprestou graça também a diversos tipos, indo dos romances aos faroestes, sempre com a mesma classe. Em 1957 David Selznick ofereceu-lhe um contrato de 7 anos para ele trabalhar em Hollywood. Alain não aceitou, e ficou na Europa mesmo, estreando em Quand la femme s’en mèle , de Yves Allégret. Em Christine, conheceu Romy Schneider, com quem teve um conturbado romance que durou mais de cinco anos. O sol por Testemunha (1959) foi seu primeiro grande sucesso, e também fonte de boatos sobre sua sexualidade, graças a sua amizade extrema com o diretor Clément, que iria dirigi-lo em Que Alegria de Viver (1961), Jaula Amorosa (1963) e Paris está em Chamas? (1966). Dentre seus filmes de destaque, podemos citar:),Gângsters de Casaca (1963), O Samurai (1967), Cidadão Klein (1976), A Piscina (1978), Três Homens para Matar (1980), Pour la Peau d’un Flic (1981), Um Amor de Swann (1983), Quartos separados (1984), O Retorno de Casanova (1992),.           Filmes The Red Circle (2009) Astérix aux jeux olympiques (2008) Lion, Le (2003) Une chance sur deux (1998) Jour et la nuit, Le (1997) Cent et une nuits de Simon Cinéma, Les (1995) Ours en peluche, L' (1994) Un crime (1993) Le Retour de Casanova - O Regresso de Casanova (1992) Dancing Machine (1990) Nouvelle vague (1990) Ne réveillez pas un flic qui dort (1988) Le Passage - A Passagem (1986) Parole de flic - Olhos de tigre (1985) Notre histoire - Quartos separados (1984) Un amour de Swann (1984) Battant, Le (1983) Choc, Le (1982) Pour la peau d'un flic (1981) Tegeran-43 (1981) 3 hommes à abattre - Três homens para matar (1980) Toubib, Le (1979) The Concorde ... Airport '79 - Aeroporto 79 (1979) Attention, les enfants regardent (1978) Mort d'un pourri (1977) L'Homme pressé - Um Homem sem escrúpulos (1977) Armaguedon (1977) Gang, Le (1977) Comme un boomerang - Boomerang (1976) Mr. Klein - Um homem na sombra (1976) Gitan, Le (1975) Flic Story (1975) Zorro - A Marca do Zorro (1975) Borsalino and Co. (1974) Les Seins de glace  (1974) La Race des 'seigneurs' - O Político charmoso (1974) Deux hommes dans la ville - Dois Homens contra uma cidade (1973) Tony Arzenta (1973) Les Granges brulées  (1973) Scorpio (1973) Traitement de choc (1973) Un flic - Expresso para Bordeaux (1972) The Assassination of Trotsky - O assassinato de Trotsky (1972) La Prima notte di quiete - A primeira noite de tranquilidade (1972) Veuve Couderc, La - A viúva Couderc (1971) Soleil rouge - Sol vermelho (1971) Doucement les basses - Eu te amo (1971) Fantasia chez les ploucs (1971) Il était une fois un flic (1971) Madly (1970) Le Cercle rouge - O círculo do medo (1970) Borsalino (1970) Le Clan des Siciliens - Os Sicilianos (1969) DOWNLOAD Jeff (1969) Piscine, La - A piscina (1969) Ho! - A face de um criminoso (1968) Adieu l'ami - Adeus amigo! (1968) The Girl on a Motorcycle - A garota da motocicleta (1968) Histoires extraordinaires - Histórias extraordinárias (1968) Diaboliquement vôtre - Diabolicamente tua (1967) Samouraï, Le - O Samurai (1967) Les Aventuriers - Os Aventureiros (1967) Texas Across the River - Dois Contra o Oeste (1966) Paris brûle-t-il? - Paris está em chamas? (1966) Lost Command - A Patrulha da Esperança (1966) Once a Thief - A Marca de um erro (1965) The Yellow Rolls-Royce - O Rolls-Royce amarelo (1964) L'Insoumis (1964) Les Félins - Jaula amorosa (1964) Tulipe noire, La - A tulipa negra (1964) Carambolages (1963) Gattopardo, Il - O Leopardo (1963) Mélodie en sous-sol - Gangsters de casaca (1963) L'Amour à la mer (1963) Le Diable et les dix commandements - O Diabo e os dez mandamentos (1962) Eclisse, L' - O Eclipse (1962) Chien, Le (1962) Amours célèbres - Amores célebres (1961) Che gioia vivere - Que alegria viver (1961) Rocco e i suoi fratelli - Rocco e seus irmãos (1960) Plein soleil - O Sol por Testemunha (1960) Le Chemin des écoliers - Mercado negro (1959) Faibles femmes - O Ponto fraco das mulheres (1959) Christine (1958) Sois belle et tais-toi - Basta ser bonita (1958) Quand la femme s'en mêle - Uma tal condessa (1957) Mais Frases de Alain Delon  Prêmios     * Ganhou o Urso de Ouro honorário em 1995, no Festival de Berlim.     * Ganhou o Prêmio César de Melhor Ator, por Quartos Separados (1984).     * Recebeu duas indicações ao Prêmio César de Melhor Ator, por Cidadão Klein (1976) e Mort D'un Porri (1977).     * Recebeu uma indicação ao Globo de Ouro de Melhor Revelação Masculina, por O Leopardo (1963).   Imagens       Vídeos     
| 27742 ace
20. Doris Day
  Ficha Nome: Doris Mary Ann von Kappelhoff Nascimento e local: 03/04/1924, Cincinnati, EUA Ocupação: atriz e cantora Nacionalidade: Americana Casamentos: Al Jorden, George Weidler, Marty Melcher e Barry Comden Filho: Terry Melcher Biografia Doris Day, a virgem mais famosa do cinema nasceu no estado do Ohio. Desde cedo estudou balet e até quis tornar-se uma profissional, mas teve que aposentar cedinho o sonho, por conta de um acidente. Devido a isso, dedicou-se ao canto, e acabou sendo contratada por uma emissora de rádio. Em 1947 Doris estreou no cinema com o filme Romance on the High Seas (1948), de Michael Curtiz. Nesse filme ela cantou “It’s Magic” e recebeu sua primeira indicação ao Oscar. Depois disso, mais um punhado de filmes inocentes, mocinhas e boas esposas, e a fama de virginal e doce estava feita. Em 1959 recebeu uma indicação ao Oscar de melhor atriz, mas acabou perdendo para Simone Signoret. Depois da morte do seu terceiro marido, Marty, Doris retirou-se do cinema, e passou a apresentar seu próprio show na TV. Atualmente a atriz vive sozinha, e é defensora dos direitos dos animais. Seu único filho, Terry, morreu em 2003, aos 62 anos, vitimado pelo câncer, e deixando para Doris um único neto. Filmes With Six You Get Eggroll - Onde estavas quando as luzes se apagaram? (1968) Where Were You When the Lights Went Out? - Tem um Homem na cama de mamãe (1968) Caprice - Capricho (1967) The Ballad of Josie - A Indomável (1967) The Glass Bottom Boat - A espiã de calcinha de renda (1966) Do Not Disturb - Favor não incomodar (1965) Send Me No Flowers - Não me mandem flores (1964) Move Over, Darling - Eu, ela e a outra (1963) The Thrill of It All - Tempero do Amor (1963) Billy Rose's Jumbo - A Mais Querida do Mundo (1962) That Touch of Mink - Carícias de Luxo (1962) Lover Come Back - Volta meu amor (1961) Midnight Lace - A Teia de renda negra (1960) Please Don't Eat the Daisies - Já fomos tão felizes (1960) Pillow Talk - Confidências à meia noite (1959) It Happened to Jane - A Viuvinha Indomável (1959) The Tunnel of Love - Túnel do Amor (1958) Teacher's Pet - Um amor de professora (1958) The Pajama Game - Um Pijama para Dois (1957) Julie (1956) The Man Who Knew Too Much - O Homem que sabia demais (1956) Love Me or Leave Me - Ama-me ou Esquece-me (1955) Young at Heart - Corações Enamorados (1954) Lucky Me - Com o céu no coração (1954) Calamity Jane - Ardida como pimenta (1953) By the Light of the Silvery Moon - Lua Prateada (1953) April in Paris - Abril em Paris (1952) The Winning Team - Combinação invencível (1952) Starlift - Estrelas em Desfile (1951) I'll See You in My Dreams - Sonharei com você (1951) On Moonlight Bay - Meus Braços te esperam (1951) Lullaby of Broadway - Rouxinol da Broadway (1951) Storm Warning - Dilema de uma consciência (1951) The West Point Story - Conquistando West Point (1950) Tea for Two - No, No, Nanette (1950) Young Man with a Horn - Exito Fugaz (1950) It's a Great Feeling - Mademoiselle Fifi (1949) My Dream is Yours - Meus sonhos te pertencem (1949) Romance on the High Seas - Romance em Alto Mar (1948) Mais Doris Day e a Cientologia Frases de Doris Day   Prêmios Indicação ao Oscar por sua atuação em "Confidências à Meia-Noite" (1959). Em 1989 - Ganhou o Prêmio Cecil B. deMille.   Imagens   Galeria (Clique na imagem) Vídeos   xZbKHDPPrrc   j7bfudsfZjw   31ifejRMVvg
| 27425 ace
    "O ator se torna um atleta emocional. O processo é doloroso -- a minha vida pessoal sofre." "O problema é comigo, eu acho. Do jeito como eu me expresso, você tem que ficar comigo 50 anos para começar a ter noção do que estou falando," "Se eu sou gentil? Acho que sim. Espero que sim." "Sou solteiro e particularmente não gosto. É bom ter alguém em sua vida. Isso é uma coisa que passei a vida toda esperando." "Sabia que eu comecei fazendo comédia stand-up? Tá vendo? Eu falo e as pessoas não acreditam." "Eu vou dizer uma coisa. E isso é um fato. Quando eu estava fazendo Scarface (1983), lembro-me estar apaixonado na época. Uma das poucas vezes em minha vida. E eu estava tão feliz naquele tempo... Eu chegava em casa e ela me contava sobre sua vida naquele dia e todos os seus problemas e eu me lembro de dizer a ela: 'Olha, você realmente me pegou falando isso, porque eu iria verter tudo quando eu cheguei em casa."     "Espero ter a percepção de que sou apenas um ator, e nunca destinado a ser uma estrela de cinema." "Eu estou constantemente a tentar romper a algo novo. Você tenta manter uma abordagem neutra para o seu trabalho, e não ser demasiado duro consigo mesmo." "Eu fui um homem de sorte. Francis Ford Coppola me deu a maior oportunidade de minha vida" (em O Poderoso Chefão). "Eu ainda sonho em interpretar Shakespeare em algum teatro. Mas meu tempo está se esgotando." "Eu sempre fui tímido. Ter sido empurrado para a ribalta fez com que eu aprendesse a lidar com isso." "Não entendo o medo que as pessoas tem dos gays, bissexuais e lésbicas. É um conceito que sinceramente não consigo entender. Para mim não é o que você ama, mas quem você ama."   “Tinha 20 anos, vivia na Sicília vendendo a minha única mais-valia: o meu corpo. Uma mulher mais velha trocava casa e comida por sexo. Em certas manhãs, ao acordar, não gostava muito de mim”.   "Na América todo mundo é meio italiano. Exceto eu. Eu sou totalmente italiano." "Você sabe qual foi o problema de O Poderoso Chefão 3? Ninguém queria saber de Michael Corleone arrependido do que fez. Nos outros ele nunca pensado em si mesmo como um bandido, e de repente, neste, ele é um." "Julie Christie é a mais poética das atrizes". "Você tem alguma idéia do que era fazer um filme com Marlon Brando? Eu tinha assistido ele quando criança, e de repente estávamos juntos no mesmo filme! Eu morria de vergonha e tinha ímpetos de fugir. Ele era o homem."
| 26309 ace
Bette Davis numa comédia inglesa     Ano após ano, a família Taggart se reúne para celebrar o aniversário de casamento da matriarca com o falecido pai. Sorte do patriarca estar ausente, pois o aniversário se torna o momento perfeito para a mãe cuspir todo o seu veneno como uma metralhadora automática, em todos os convidados: filhos e noras.     O casal tivera três filhos: Terry (Jack Hedley) chega acompanhado por sua esposa e cinco filhos. Os dois pretendem “fugir” da mammy, indo morar no Canadá. Sua esposa desafia constantemente a sogra, deixando Terry em estado de pânico. Henry (James Cossins) já fugiu há tempos: apresenta problemas psicológicos ao não aceitar sua homossexualidade, e a oculta roubando roupas íntimas dos varais dos vizinhos. Para apaziguar seu sentimento de culpa, pendura dinheiro nos varais em troca dos lingeries. O mais novo e rebelde, Tom (Christian Roberts) traz sua noiva grávida (Elaine Taylor) para apresentar e constranger a mãe e, desta forma, arruinar de vez a celebração.     Assim, estando todos reunidos e tensos, veem descer a Sra. Taggart pelas escadas, ao som de The Anniversary Song, na voz de Al Jolson. Seus filhos observam-lhe num misto de medo e admiração. Suas noras preparam-se para o pior. Provavelmente não a amam, nutrindo por ela um sentimento mais próximo ao do cárcere para com o carcereiro.     Segundo de Bette em terras européias (o primeiro foi The Nanny), o filme foi praticamente ignorado e colocado de lado desde sua estréia. Mas é um dos momentos mais bizarros da carreira da grande atriz. Há aquelas que nasceram para interpretar princesas e outras, bruxas. Poucas conseguem o mesmo nível em ambos, como Bette Davis, mas ela sempre ficará melhor, bem melhor, em papéis de vilã. Dentre as piores, ela é a melhor. E com a idade, sua veia para a maldade e a loucura foi ficando mais apurada, em papéis como a babá esquizofrênica de The nanny e em O que terá acontecido a Baby Jane, em que interpreta a infantilizada Jane. E neste não é diferente. A Sra. Taggart é tão maldosa, que é capaz de sugerir que os netos sofreram um acidente tão somente para que a nora sinta o quão é “triste” perder um filho. Ou então colocar seu olho de vidro em sua cama, para que a outra nora perca o bebê que espera.     Eu gostaria muito de falar que “The Anniversary” é ruim, que os três únicos cenários são pobres, que as interpretações são extremamente caricatas e os atores horrendos. Mas não posso. Tudo isso acaba em segundo plano, quando nos deparamos com diálogos ágeis, escritos por Jimmy Sangster numa adaptação da peça homônima de Bill MacIwraith. Sheila Hancock, no papel da nora detestável, chega a fazer dupla com a atriz principal em diversos momentos, enquanto James Cossins não precisa se preocupar em ser um homem perturbado: seu rosto ajuda muito.     Esqueça o preconceito e prepare-se para uma visão bizarra de nossa vilã favorita, Bette Davis, nesse filme que é considerado um dos piores de sua carreira. Na verdade, The Anniversary (O Aniversário), de 1968 é tão kitsch que chega a cumprir com a sua meta: fazer-nos rir. (The Anniversary, Inglaterra, 1968)  
| 25543 ace
Por Ricardo Steil Autógrafo: Tão logo passou a ser conhecida no meio artístico, algo impressionante acontecia nos estúdios, toda a roupa íntima de Monroe desaparecia. Resultado: Marilyn passou a autografar cada peça sua para que ninguém mais a roubasse. Bilhetinhos: A atriz era apaixonadíssima pelo seu primeiro marido — nisto, todos os seus biógrafos concordam —, apesar de ter-se levantado a tese de que ela casara simplesmente para não ter que ir embora com seus pais adotivos para outra cidade. Bem, mas se ela não o amasse realmente, porque colocava sempre bilhetinhos apaixonados com marcas de batom na lancheira de Jimmy? Charlie Chaplin Jr.: No início de carreira — quando ainda fazia somente pontas — Marilyn conheceu Charles Chaplin Jr. Eles namoraram por algum tempo. O romance terminou quando o jovem Charles pegou-a na cama com seu irmão Sidney. Datas: 19/06/42: Casa-se pela primeira vez 27/05/49: O fotógrafo Tom Kelly faz as famosas fotos da atriz nua que futuramente estampariam um calendário 14/01/54: Casa-se com Joe Dimaggio na cidade de São Francisco 17/12/58: Sofre um aborto por excesso de trabalho. Estava esperando um filho de Arthur Miller Ensaiadora: Para tornar-se uma estrela realmente, Marilyn teve como ensaiadora uma das melhores de Hollywood: Natasha Lytess. A jovem passou maus bocados na mão da mestra que fazia-a repetir gestos, treinar a voz e olhares. No final tudo deu certo, Natasha conseguiu fazer emergir de dentro da novata uma diva. Farpas: Joan Crawford e Marilyn trocaram farpas uma com a outra. Segundo a lenda, Crawford desejava “algo a mais” com a loira — que jamais gostou de meninas. Ao dizer não a toda poderosa atriz, Joan ficou furiosa, mas, como Monroe já tinha conseguido sucesso em Hollywood não podia fazer nada contra a atriz. Nada, a não ser atacá-la na primeira oportunidade, o que ocorreu quando Marilyn recebeu o título de “A Mais Promissora Estrela de 1952” e, surgiu trajando um belíssimo vestido vermelho, que mais parecia estar colado ao corpo — deixando pouco para a imaginação do público. Em uma entrevista dias após o episódio, o jornalista Bob Thomas pergunta a Crawford o que ela achou de Monroe ter recebido o prêmio. Resposta: “Não tenho do que me queixar dos meus seios, mas não saio por aí jogando-os na cara das pessoas”. Marilyn detonou: “Sempre a admirei por ser uma mãe maravilhosa, adotando quatro crianças e levando-as para viver em uma bela casa. Quem melhor do que eu para reconhecer o que isto significa para um órfão”. Segundo comentários, Joan destruiu um belíssimo jogo de copos de cristal furiosa. Todos sabiam que, para poder trazer seus amantes a qualquer hora em casa, a atriz tinha enviado os filhos para bem longe dela. Gentlemen Prefer Blondes (Os Homens Preferem As Loiras): Para muitos, o momento máximo de Monroe como cantora acontece nesse filme, no qual ela canta “Diamond Are a Girl’s Best Friend” no palco do Café Chez Louis em Paris. How Stanislavsky Directs: Este livro do autor Michael Gorchanov era o preferido da atriz. Segundo fontes: o mesmo estava na cabeceira da diva quando ocorreu o sinistro que tirou sua vida. Inveja: Mesmo na época em que era apenas Norma Jean, a futura diva causava inveja entre as outras mulheres. Segundo sua primeira cunhada: “Ela era bonita demais. Nada podia fazer se as mulheres ficavam morrendo de inveja a ponto de querer estraçalhá-la!” Jean Harlow: Marilyn amava de paixão Jean Harlow — a primeira loira platinada do cinema — assistiu a todos os seus filmes e, tinha no camarim uma foto da saudosa atriz junto ao espelho. Para Marilyn não houve outra atriz mais talentosa e elegante na tela. Sempre sonhou em ser ao menos uma atriz próxima do que Harlow fora um dia. Ironicamente, nos Estados Unidos, os autores contemporâneos tem o costume de referirem-se a Jean como “a percussora de Monroe” ou “um protótipo de Marilyn”. Loiríssima: Todos sabem, a divã não era uma loira original. Mas quem teve a idéia de que ela alterasse a cor dos seus cabelos foi sua primeira agente chamada Emmeline Snively. Malvada: O clássico A Malvada (All About Eve, 1950) — que recebeu catorze indicações ao Oscar —, tem um brinde a mais: a presença de Monroe. Neste filme, ela interpreta Claudia Caswell. Você pode vê-la sendo levada para uma festa pelo ator George Sanders (que interpreta Addison De Witt), aqui é a primeira vez que a atriz aparece usando cabelos loiros. Nigel Cawthorne: Escritor do polêmico A Vida Sexual dos Ídolos de Hollywood, dedica um capítulo todo para Marilyn Monroe chamado de A Mais Desejada de Todas: “...ela talvez tenha sido a mais desejada de todas. Se não foi,chegou perto. Marilyn Monroe morreu há quarenta anos, mas ainda povoa a imaginação masculina e intriga as mulheres”. A Vida Sexual dos Ídolos de Hollywood é item obrigatório de todo cinéfilo. O Pecado Mora Ao Lado (The Seven Year Itch, 1955): Neste filme, Marilyn eternizou-se para todo o sempre. Mesmo, aqueles que não conhecem o trabalho da atriz, já viram a sacra imagem do seu vestido sendo levantado pela ventilação do metrô. O Pecado Mora Ao Lado, também marca outro fato importante na vida da atriz, o fim do seu casamento — durante as filmagens — com o jogador de baseball Joe DiMaggio. Papéis: Marilyn guardava com carinho a recordação de duas personagens que interpretou, a saber: Angela Phinlay em Segredo das Jóias (The Asphalt Jungle, 1950) e Nell Forbes em Almas Desesperadas (Don’t Brother To Knock, 1952). Também confessou que se pudesse voltar no tempo, jamais teria interpretado Amanda Dell em Adorável Pecadora (Let’s Make Love, 1960) Quarenta e sete: Devido ao bloqueio emocional, Marilyn se viu em maus lençóis enquanto gravava Quanto Mais Quente Melhor (Some Like It Hot, 1959). Sua personagem Sugar Kane, vocalista da banda de Sweet Sue (Joan Shawlee), precisava dizer: “It’s Sugar, me”, todavia, nervosa ela confundia direto a frase, geralmente “Sugar, it’s me” ou gaguejava. Depois de trinta tomadas, o diretor Billy Wilder estava furiosíssimo com a atriz. Levantou e escreveu em uma lousa a sentença correta. No fim, quarenta e sete tomadas depois, Marilyn disse a frase correta. Recorde: Mas o recorde de tomadas feitas por Marilyn no mesmo filme (Quanto Mais Quente Melhor) é de cinqüenta e nove vezes. Isto ocorre quando ela abre diversas gavetas e diz “Where’s the bourbon”. O quadro negro não resolveu desta vez. O diretor então utilizou outra estratégia, colocou dentro da gaveta exata a frase que precisava ser dita. Nervosa, Marilyn não acertava a gaveta. Furioso Billy Wilder colocou em cada gaveta um papel escrito “Where’s the Bourbon”. No fim tudo deu certo. Sexo: Conforme Nigel Cawthorne a vida sexual de Monroe iniciou-se muito cedo: “ela disse sem maiores explicações, que sua primeira experiência havia sido aos sete anos. Aos nove, foi molestada no orfanato. O marido de sua mãe adotiva, Grace Goddard, tentou violentá-la durante uma bebedeira. Um policial a teria estuprado na adolescência. Marilyn disse à sua empregada, Lena Pepitone, ter tido um bebê que Grace entregara para adoção”.   Telefone: O modo que Marilyn foi encontrada até hoje é discutido. Existem inúmeras versões, documentos sumiram do caso e, muitos amigos da atriz — morreram em circunstâncias suspeitas. Essas mortes até hoje também não foram muito explicadas. Na versão oficial: Monroe foi encontrada na sua cama, deitada nua e com o fone do aparelho telefônico em uma de suas mãos, na tentativa de pedir socorro. Um Lugar Inesquecível: Quando indagada sobre tal, Marilyn sempre afirmava ser a Coréia. Virgindade: Apesar de em inúmeras entrevistas ao longo da sua carreira, Marilyn insistir que sofrera violência sexual quando menina, seu primeiro marido (Jimmy Dougherty) mais de uma vez, disse que ela chegara ao casamento — isto com 16 anos — virgem e, que tudo teria sido apenas um golpe de publicidade, visto Monroe passar uma imagem lasciva que vendia e muito. Xis: Marilyn tinha o costume de fazer com o batom um “xis” nas fotos que ela não considerava boas. Estes deram um toque todo especial nas mesmas, quando foram expostas tempo atrás. Zsa Zsa Gabor: Lendária atriz húngara esposa de Jonhy Hyde que, ao descobrir que seu esposo estava apaixonado por Monroe disse-lhe com todas as letras: “Você está proibido de ver esta mulher”.
| 25279 ace
Nome: Shirley Jane Temple Nascimento e local: 23/04/1928, Santa Monica, EUA Ocupação: atriz e diplomata Nacionalidade: Americana Casamentos: John Agar e Charles Black Filhos: Linda Susa, Charlie Black, Jr. e Lori Alden Black Biografia Shirley Temple foi a mais jovem atriz a ganhar um Oscar: aos 6 anos de idade. Foi uma verdadeira campeã de bilheteria (salvando a Fox) e encantando a todos com seu incansável otimismo. Nunca uma estrela infantil fez tanto sucesso. os três anos ela já sapateava e começou a carreira numa paródia a estrelas e astros adultos. Aos 6 anos, contratada pela Fox, cantou “Baby take a Box” em Stand Up and cheer (1934). Em Little Miss Marker, no mesmo ano, solidificou sua carreira. Tornou-se objeto de consumo na América, com produtos que levavam seu nome e rosto, como bonecas e livros. Por esses anos atuou em diversos filmes de sucesso, dentre os quais “Little Miss Marker”, “Change of Heart”, “Now I’ll Tell”, “Now and Forever” e “Olhos Encantados” (no qual cantou seu mais popular sucesso “On The Good Ship Lollipop”). A entrada da adolescência fez com que os papéis rareassem até que ela se aposentasse precocemente, em 1949. Tentou ainda apresentar alguns programas populares (o Shirley Temple’s storybook), mas não deu certo. Em idade adulta começou a trabalhar na área política, e na década de 60 tornou-se membro do partido republicano, sendo embaixadora de Washington em Ghana e na Tchecoslováquia (de 1089 a 1992). Filmes A Kiss for Corliss - O Eco de um beijo (1949) The Story of Seabiscuit - Têmpera de um Vencedor (1949) Adventure in Baltimore - Aventura em Baltimore (1949) Mr. Belvedere Goes to College - O Gênio do Colégio (1949) Fort Apache- Sangue de Herói (1948) That Hagen Girl - Marcado pela calúnia (1947) The Bachelor and the Bobby-Soxer - O Solteirão cobiçado (1947) Honeymoon - Lua de mel à três (1947) American Creed (1946) Kiss and Tell (1945) I'll Be Seeing You - Ver-te-ei outra vez (1944) Since You Went Away - Desde que você foi embora (1944) Miss Annie Rooney (1942) Kathleen (1941) Young People - Mocidade (1940) The Blue Bird - O Pássaro Azul (1940) Susannah of the Mounties - Susana (1939) The Little Princess - A Pequena princesa (1939) Just Around the Corner - Anjo de Felicidade (1938) Little Miss Broadway - Miss Broadway (1938) Rebecca of Sunnybrook Farm - Sonho de Moça (1938) Heidi (1937) Wee Willie Winkie - Shiley, Soldado da Índia (1937) Stowaway - A pequena clandestina (1936) Dimples - Princesinha das ruas (1936) Poor Little Rich Girl - A pobre menina rica (1936) Captain January - O anjo do farol (1936) The Littlest Rebel - A Pequena Rebelde (1935) Curly Top - A Pequena Órfã (1935) Our Little Girl (1935) The Little Colonel - O Mascote do Regimento (1935) Bright Eyes - Olhos Encantados (1934) Now and Forever - Agora e Sempre (1934) Baby Take a Bow (1934) Now I'll Tell (1934) Little Miss Marker - A Pequena Miss Marker (1934) Change of Heart (1934) Stand Up and Cheer! - Alegria de Viver (1934) Managed Money (1934) As the Earth Turns (1934) Carolina (1934) Pardon My Pups (1934) What's to Do? (1933) Merrily Yours (1933) Kid 'in' Africa (1933) . To the Last Man (1933) Dora's Dunking Doughnuts (1933) Polly Tix in Washington (1933) The Kid's Last Fight (1933) Out All Night (1933) Kid in Hollywood (1933) Glad Rags to Riches (1933) New Deal Rhythm (1933) The Pie-Covered Wagon (1932) The Red-Haired Alibi (1932) War Babies (1932) Runt Page (1932) Kid's Last Stand (1932) Prêmios 1935 Oscar Juvenil Mais: Shirley Temple de A a Z Imagens         Galeria (Clique na imagem)
| 25186 ace
1 1898         Richard Arlen 1901         Harry Stradling Sr. 1904         Johnny Mack Brown 1922         Yvonne de Carlo 1922         Vittorio Gassman 2 1919         Marge Champion 1921         Buddy Gorman 3 1897         Sally Benson 1910         Kitty Carlisle 1913         Alan Ladd 1926         Mary Grace Canfield 1929         Irene Papas 4 1908         Edward Dmytryk 1928         Richard 'Dick' York 1931         Mitzi Gaynor 5 1865         Harold Entwistle 1902        Darryl F. Zanuck 1921         Jack Valenti 1929         Bob Newhart 1940         Raquel Welch 1956         Debbie Turner 6 1885         Otto Kruger 1888         Joseph P. Kennedy 1890         Clara Kimball Young 1893         Irving Bacon 1919         John Mitchum 7 1891         Roscoe Karns 1899         Billy Rose 1908         Merna Kennedy 1909         Elia Kazan 1913         Anthony Quayle 1923         Peter Lawford 1926         Samuel Goldwyn Jr. 8 1899         May McAvoy 1905         Henry Wilcoxon 1910         Mary Doran 1914         Hillary Brooke 1925         Denise Darcel 1925         Peter Sellers 9 1925         Cliff Robertson 1934         Sylvia Miles 1935         Topol 1952         Angela Cartwright 10 1914         Robert Wise 11 1883         Giovanni Pastrone 1923         Betsy Drake 12 1888          Maurice Chevalier 1925         Dickie Moore 13 1903         Claudette Colbert 14 1899         Hal Wallis 1933         Harve Presnell 15 1889         Robert Benchley 1894         Jean Renoir 1907         Fay Wray 1908         Penny Singleton 1916         Margaret Lockwood 1922         Jackie Cooper 16 1893         Alexander Korda 1922         Janis Paige 1924         Lauren Bacall 17 1903         Dolores Costello 1928         Roddy McDowall 1931         Anne Bancroft 18 1905         Agnes de Mille 1905         Greta Garbo 1907         Leon Askin 1916         Rossano Brazzi 1920         Jack Warden 1933         Robert Blake 1940         Frankie Avalon 19 1933         David McCallum 20 1892         Patricia Collinge 1924         Gogi Grant 1934         Sophia Loren 21 1918         Rand Brooks 22 1885         Erich von Stroheim 1895         Paul Muni 1902         John Houseman 1914         Martha Scott 23 1897         Walter Pidgeon 1920         Mickey Rooney 1945         Paul Peterson 24 1896         F. Scott Fitzgerald 1952         Christopher Reeve 25 1897         William Faulkner 1900         Ernst Laemmle 1900         Robert Wyler 1905         Harriet Hoctor 1926         Aldo Ray 26 1875         Edmund Gwenn 1893         Fay Holden 1898         George Gershwin 27 1920         William Conrad 1922         Arthur Penn 1934         Claude Jarman, Jr. 28 1923         William Windom 1924         Marcello Mastroianni 1925         Arnold Stang 1934         Brigitte Bardot 29 1904         Greer Garson 1907         Gene Autry 1916         Trevor Howard 1922         Gene AutryScott 1924         Steve Forrest 1931         Anita Ekberg 1922         Lizabeth Scott 30 1898         Renée Adorée 1912         Kenny Baker 1921         Deborah Kerr 1931         Angie Dickinson  
| 25160 ace
A história de dois amantes separados pelo tempo. Deitado em minha cama, eu repito, eterna e sempre, o nome dela. Ellise McKenna. Vejo seu rosto, estou ao seu lado, numa noite de julho de 1912. Preciso acreditar que é possível. Preciso acreditar que vejo e sinto-a junto a mim. (Diálogo imaginário de Richard Collier) Eu tenho uma mania estranha. Guardo fotos antigas. Não importa de quem. Não me importa também a idade. Jovens, velhos, bonitos, feios, parentes, famosos, nem tão... Guardo-os. Gosto de visualizar o intocável de um sentimento preso em uma foto, em um papel em tons de sépia envelhecido. Talvez por isso, temáticas de volta ao passado me atraem tanto. Assim ocorre todas as vezes que revejo ou leio “Em algum lugar do passado”. A história é teoricamente simples: ao ensaiar sua primeira peça, Richard recebe um relógio de uma senhora idosa, que lhe pede que retorne para ela. Anos se passam, e o escritor teatral está com 36 anos, descobriu recentemente um tumor no cérebro e anda deprimido, sem criatividade para escrever uma nova peça. Decide largar tudo durante um tempo. Em seu caminho está o Grande Hotel, que com sua suntuosidade, chama-lhe a atenção. Lá decide ficar por uma noite. Visita uma exposição de peças antigas do hotel, e se depara com uma imagem que o fascina. Ellise McKenna. Uma atriz que apresentara neste mesmo hotel uma peça. Richard descobre que se passaram quase 70 anos desde que a foto fora tirada. Seria possível apaixonar-se por uma imagem de alguém que não mais existe a não ser em fotos e memórias? Ele se apaixona, e vai contra todas as regras absolutas ou imaginárias, para viajar no tempo e ter aquela que ama pelo menos uma vez. Em suas pesquisas, descobre que realmente esteve no passado, e que a mulher que lhe dera o relógio era a própria Ellise McKenna. Estamos falando do livro de Richard Matheson, narrado em primeira pessoa por Robert Collier, irmão de Richard que encontrara seu diário, e pelo próprio Richard, que contara suas últimas experiências. Em algum lugar do passado conta a trágica história de dois amantes separados pelo mais comovente dos inimigos: o tempo. Sob a direção do fraco Jeannot Szwarc, e sob o roteiro do mesmo Richard Matheson, o filme foi levado às telas em 1980, tendo nos papéis principais Christopher Reeve (Superman) e Jane Seymour. Belos e promissores atores. Na adaptação para as telas, algumas mudanças foram verificadas. A doença fatal de Richard foi sublimada. No livro, isto traz uma opção ao leitor de decidir se Richard, abalado com a morte eminente, teria imaginado uma história de amor que nunca vivera para si mesmo. Já na versão cinematográfica, tal fato importante retirado tirou dos espectadores a possibilidade de decidir ser ilusão ou não, dando, ao mesmo tempo algo de trágico à ocasião, já que vemos um jovem bonito e com um futuro imenso pela frente definhar em depressão por causa de um amor, jogando sua vida fora por causa dele. Personagens foram acrescentados, como Arthur, o simpático senhor do Hotel, que reconhece Richard (pois o teria vista aos 5 anos), e que acaba formando um elo entre o passado e o presente. Ótica claramente utilizada para comprovar que realmente, e não imaginativamente, Richard esteve no passado. Outros foram retirados, como o narrados Robert, que nem ao menos é citado. Um dos vazios deixados pelo roteiro é sobre o relógio entregue por Ellise a Richard e posteriormente entregue por ela a ele. De onde, afinal, teria vindo? O relógio é, pois, um artigo de época, que fica claro no momento em que ele viaja no tempo para encontrar sua amada. Mas ao mesmo tempo atemporal, já que ela recebe o mesmo das mãos de Richard. Tendo seguido o livro, ficaria claro que Ellise o teria dado duas vezes para o amado, que em seu retorno para o futuro, o teria deixado em suas mãos. Proposital ou não, tal fato culmina numa pergunta jamais respondida: no filme, de onde vem, afinal, o relógio? Dentre as boas surpresas da película está a trilha sonora de John Barry, com a bela música “Rhapsody on a theme of Paganini, solado ao piano de Chet Swiathowsky (Rachmaninoff) atravessando nossos miolos constantemente durante todo o período. Apesar do público cair de boca na história romântica, os críticos foram quase unânimes  em massacrá-lo. Se é verdade que toda massa é burra, creio estarmos em um impasse neste caso, já que tanto a massa que assiste a um filme por prazer, quanto a crítica mantiveram posições opostas. O fato é que, Em algum lugar do Passado teve uma produção estimada em US$ 5 milhões, fraca para os padrões da época, não agradando a gregos e troianos, mas tornando-se, ao longo dos anos, um dos maiores clássicos românticos.  E para alguém que, como eu, viaja em memórias nunca vividas, um bom momento de reflexão sobre os poucos momentos vividos, e que valeriam uma vida inteira.
| 25120 ace
Daniel Brühl e August Diehl criam o clube dos suicidas. "Paul Krantz e Günther Scheller vêm por meio deste, descrever os eventos, para que não haja nenhum mal entendido. Esta noite nos vingaremos... Vingaremos daqueles que amamos e que traíram o nosso amor. E então nós, Günther e eu, deixaremos esta vida com um sorriso. Essa é toda a verdade."   Quando inicia-se o filme, a primeira coisa que vemos é Paul subir as escadas, e o som crescente de sua respiração denotar o pânico que sente. O déjà vu se manifestou e lembrei-me de uma cena do filme Salvador, protagonizado pelo mesmo Daniel Brühl, em que ele caminha, com o mesmo olhar penoso, para a morte. Desta vez é diferente. Paul é um sobrevivente, e conta a história dos acontecimentos do final de semana, aparentemente tranqüilo, que resultou na morte de dois jovens. Ele acompanhara seu amigo Günther à sua casa, onde acabou conhecendo a irmã deste, Hilde. Romântico, Paul acaba por se apaixonar platonicamente pela bela jovem. Nem tudo parece tão calmo como aparenta, na verdade Günther e Hilde, irmãos, dividem o mesmo homem. Günther incentiva a irmã a flertar e ficar com Paul, numa última esperança de que sua irmã por ele se apaixone e deixe o caminho aberto para ele e Hans (seu ex-amante e agora amante de Hilde). Hilde seduz Paul, pois faz parte de sua natureza a sedução, para mais tarde desiludi-lo: para ela o amor não existe e, se existe, deve ser vivido momentaneamente. Para Günther, existem apenas dois tipos de pessoas: as que nasceram para amar, como ele e Paul, e os que nasceram para ser amados, como Hilde e Hans. Durante uma festa, ao ser preterido por Hans, Günther planeja o assassinato do ex-amante e o seu próprio. Percebemos desde sempre que a palavra é mediadora, mas o gestual terá força predominante no filme. A festa transcorreu com muita loucura, bebidas, drogas, música. Paul afasta-se com Elli (que nutre por ele a mesma paixão que ele possui por Hilde). Ele retorna ao grupo pela manhã e encontra todos os envolvidos sentados na grama, cansados e ainda inebriados com o que passaram. Hilde lança-lhe um olhar de desafio e reprovação, Günther, sangrando por fora e por dentro, derrama algumas lágrimas e sangue, e Hans, o causador de toda a tristeza dos irmãos, sorri cinicamente. É o bastante para que Paul se dê conta de que ele magoara seu amigo, e parte para cima dele, despejando todo o desespero de todos ali presentes. Apesar do texto poético, não precisamos deles para perceber as diferenças e as igualdades daqueles jovens em busca do amor. Para Que Serve o Amor Só em Pensamentos? foi a estréia de Achim von Borries na direção. A história é baseada de um fato verídico, ocorrido em Berlim, no final da década de 20, mas ao invés de seguir fielmente o contexto em que ocorreu o diretor acaba por desenvolver sua narrativa de forma atemporal, utilizando a trilha sonora sem grandes efeitos sofisticados. Esta surge em alguns momentos para situar a época abordada (década de 20) e também para situar o silêncio que permeia todo o ambiente, evocando sempre que algo terrível está para acontecer. Como as palavras, o som também parece surgir só nos momentos necessários, quando a imagem não mais possa transmitir sua mensagem. Parece não ter sido por acaso, que um roteiro tão pesado como este, fosse fotografado com a luz sempre direta, e as cores predominantes fossem, em ordem, o branco, o verde e o amarelo. O verde aparece nos tons das roupas de Hilde, na natureza que norteia a casa onde eles se juntam e até mesmo na bebida (Absinto), o amarelo forma o contraste, em tons dourados dos ambientes. O branco é o reflexo que surge pelas janelas quando estão em ambientes fechados, na forte iluminação dos rostos e nas roupas, quase sempre claras, quase sempre brancas. Nas cenas dos tribunais, o negro predomina, como forma de luto, mas no pescoço de Hilde há um lenço branco criando um ponto, mostrando-se presente. Quanto aos atores, as interpretações impressionam, levando-se em conta a intensidade passada em alguns momentos apenas pelo olhar. Daniel Brühl domina o filme, mas é a performance de August Diehl, ator ainda com pouca experiência, que nos atrai. Ele consegue transmitir todo o sofrimento e desesperança causados pela depressão e o desespero causado pela rejeição do amante. Se a pergunta título do filme, "Para que serve o amor só em pensamentos?" fosse feita aos personagens, teríamos as respostas prontas. Tão somente para sofrer. Bem ou mal, sempre para sofrer. Enquanto uns são amados, belos porém maus, outros nasceram para a dor de serem desprezados e excluídos, para servirem de pano de fundo para que outros vivam intensamente suas paixões, distantes do amor real. Esses demônios do amor não nos largam durante um bom período, depois que assistimos a este filme.
| 24836 ace
Nome:  Spencer Bonaventure Tracy Nascimento e local: 05/04/1900, Milwaukee, WI Morte e local: 10/06/1967, Hollywood Hills, Hollywood, CA, problemas cardíacos Ocupação: ator Nacionalidade: Estados Unidos Casamentos: Louise Treadwell e Katharine Hepburn (amante) Filhos: John Tracy, Susanna Biografia A família de Spencer é de origem irlandesa. Sua educação foi em colégios católicos, porém, seu espírito rebelde, desde cedo lhe trouxe problemas: foi expulso de 15 escolas. Depois da 1ª guerra mundial (ele foi do exército) começou a perceber seu verdadeiro dom. matriculou-se na Academia de Artes Dramáticas de NY, em 1922 e não parou mais. Seu primeiro papel na Broadway veio nesse mesmo ano. No cinema estréia em 1930, em “Up the river” graças ao convite feito por John Ford. Daí para a frente começou a ser considerado um dos grandes trunfos da MGM. “Captans courageous” de 1937 e “Boys town”, de 38 tornaram-no a principal estrela do estúdio e lhe deram dois Oscars de melhor ator consecutivos. Teve no total 10 indicações ao Oscar. Katherine Hepburn é considerada sua melhor parceira, tanto no lado de dentro, quanto de fora das telas. Juntos protagonizaram varios filmes de sucesso, como  “O fogo sagrado” (1942), “A costela de Adão” (1949) e “A mulher absoluta”, dentre outros. No filme ” Boom Town”, de 1940, contracenou com o grande Clark Gable e em O pai da noiva, brilha ao lado da ainda jovem Elizabeth Taylor. Spencer é considerado um dos maiores dos atores americanos, pois soube, como poucos explorar os mais diversos tipos de gêneros. pencer morreu em 1967, depois de um longo período em que esteve doente. Hepburn esteve com ele até o último momento, cuidando e tratando dele. Filmes Guess Who's Coming to Dinner - Adivinhe quem vem para o jantar (1967) It's a Mad Mad Mad Mad World - Deu a louca no mundo (1963) How the West Was Won (1962) [voz] Judgment at Nuremberg - Julgamento em Nuremberg (1961) The Devil at 4 O'Clock (-1961) Inherit the Wind - O vento será tua herança (1960) The Last Hurrah (1958) The Old Man and the Sea (1958) Desk Set - Amor eletrônico (1957) The Mountain (1956) Bad Day at Black Rock - Conspiração do Silêncio (1955) Broken Lance (1954) The Actress - Papai não quer (1953) Plymouth Adventure (1952) Pat and Mike - A mulher absoluta (1952) The People Against O'Hara (1951) Father's Little Dividend - O netinho do papai (-1951) Father of the Bride - O pai da noiva (1950) Malaya (1949) Adam's Rib - A costela de Adão (1949) Edward, My Son (1949) State of the Union - Sua Esposa e o Mundo (1948) Cass Timberlane - Eterno conflito (1947) The Sea of Grass - Mar Verde (1947) Without Love - Sem Amor (1945) Thirty Seconds Over Tokyo (1944) The Seventh Cross (1944) A Guy Named Joe - Dois no céu (1943) Keeper of the Flame - Fogo Sagrado (1942) Tortilla Flat (1942) Woman of the Year - A mulher do ano (1942) Dr. Jekyll and Mr. Hyde - O médico e o monstro (1941) Men of Boys Town (1941) Boom Town - Fruto proibido (1940) Edison, the Man (1940) DOWNLOAD Northwest Passage (1940) I Take This Woman (1940) Stanley and Livingstone - As Aventuras de Stanley e Livingstone (1939) Boys Town - De braços abertos (1938) Test Pilot - Piloto de Provas (1938) Mannequin - Manequim (1937) Captains Courageous - Marujo intrépido (1937) Libeled Lady - Casado com minha noiva (1936) San Francisco - São Francisco, cidade do pecado  (1936) Fury - Fúria (1936) Riffraff (1936) Dante's Inferno - A Nave de Satã (1935) The Murder Man (1935) Now I'll Tell (1934) Man's Castle - O Paraíso de um homem (1933) The Power and the Glory - Glória e poder (1933) 20,000 Years in Sing Sing - Vinte Mil anos em Sing Sing (1932) Up the River (1930)
| 24690 ace
      Sharon Marie Tate nasceu em 24 de janeiro de 1943 em Dallas (Texas, EUA), além de ser uma das mulheres mais bonitas de Hollywood da década de 60, foi uma atriz de muitas participações em filmes e de três trabalhos notáveis no cinema: Não Faça Onda (1967), O Vale das Bonecas (1967) e A Dança dos Vampiros (1968). Ela era a filha mais velha do coronel Paul Tate e da dona de casa, Doris Tate. Com apenas 6 meses (esse prodígio todo), baby Sharon ganhou seu primeiro concurso de beleza sendo coroada Miss Tiny Tot de Dallas. Mas a beleza era algo que tinha de mais notório, claro, além do seu talento para interpretar, que infelizmente não pode ser mais explorado nem elogiado devido ao seu brutal assassinato em 1969. Antes de brilhar na grande tela, havia sido modelo, presença marcante em comerciais, editoriais de moda e capas de revista (tornando-se muito conhecida em seu país). 1967 foi o ano de sucesso da atriz no cinema, onde trabalhou ao lado de Tony Curtis e Claudia Cardinale na comédia Não faça onda. Sua beleza estonteante e seu corpo escultural chamaram a atenção do diretor polonês Roman Polanski, que a convidou para atuar na comédia de humor negro A dança dos vampiros (1968). É neste mesmo ano que Roman e Sharon se casam, ela passa então a ser a senhora Sharon Marie Tate Polanski. A felicidade do promissor casal hollywoodiano daquela época é interrompida pela morte prematura de Sharon aos 26 anos, então grávida do seu primeiro filho. Então a data de 9 de agosto de 1969 marca para sempre a tão festejada Era de Aquarius com uma série de assassinatos mais chocantes da história americana, tornando-se conhecidos como “O Caso Tate – La Bianca”. Na foto, Sharon exibia sorridente as roupinhas do bebê Sharon Tate foi vítima de Charles Manson, fundador de uma seita conhecida como Família Manson. A casa 10050 onde a atriz morava em Cielo Drive (Califórnia) fora invadida por quatro hippies. Ela foi assassinada for Charles Watson, que anos mais tarde contou em sua biografia que a esfaqueou 16 vezes, enquanto ela implorava para que ao menos deixasse ter seu filho. As últimas palavras que balbuciou antes de morrer foram: “Mãe... mãe...” O caso que fechou de negro a década “paz e amor” No dia 9 de agosto de 1969, quase madrugada, um homem e quatro mulheres subiram no poste telefônico e cortaram a linha da 10050 Cielo Drive. O motivo era macabro: todos estavam ali a mando de Charles Manson, mentor espiritual do grupo. E quem eram aqueles jovens? Charles “Tex” Watson (23), Susan Atkins (21), Linda Kasabian (20) e Patricia Krenwinkel (21). Eles estavam lá para cometer um crime hediondo, a ordem era para destruir a casa do músico Terry Melcher (o real desafeto de Manson e proprietário do imóvel) e matar todos que estivessem por lá. E isso foi feito. A origem de tudo estava na obsessão que Manson tinha por Melcher, pois na época em que se conheceram, Charles Manson era um compositor de Rock iniciante e queria lançar seu trabalho, o que não foi aceito pelo empresário. Em 1969, Mason descobre que Terry já não residia em Cielo Drive, e ao constatar quem são os reais moradores (o casal Polanski) planeja a destruição do lugar e de quem estiver por lá. No dia do brutal assassinato de sua esposa, Roman Polanski estava rodando um filme em Londres. Segundo relatos o primeiro a morrer no sangrento 9 de agosto de 1969, foi o amigo do caseiro da mansão Steven Parent, que só perguntou o que aquelas pessoas estranhas faziam ali (assim que viu os quatro jovens hippies se aproximando) e foi recebido com cinco tiros à queima-roupa. As próximas vítimas do grupo foram: a herdeira milionária de uma empresa de café, Abigail Folger, seu namorado, o polonês Wojciech Frykowski, o cabeleireiro Jay Sebring e a atriz e sex-simbol Sharon Tate, grávida de oito meses, que naquele dia recebia em sua residência pessoas de seu círculo de amizades. Os jovens quando concluem a macabra tarefa empapam uma toalha com o sangue dos mortos e escrevem a palavra PIG (“porco”) na porta de entrada principal e depois voltam para o rancho onde residiam com o mentor Manson, lá eles contam o que fizeram. E segundo relatos policiais da época Manson teria dito ao seu grupo que aquilo ainda não foi do jeito que ele queria, pois esperava algo “mais caprichado”. No dia seguinte, mais uma série de assassinatos é planejada e executada friamente por Charles Manson, pois tudo o que ele desejava era “o máximo de crueldade”, por isso, não estando muito satisfeito envia o mesmo grupo para a mansão do casal de empresários Leno e Rosemary La Bianca, daquelas pessoas que estiveram na propriedade de Terry Melcher ele só substitui Linda Kasabian por uma outra bad-girl, a Leslie Van Houten de 19 anos. E realmente os La Bianca são mortos a facadas e mutilados, o grupo repete a mesma ação de Cielo drive escrevendo nas paredes com o sangue das vítimas. A polícia levou meses investigando os assassinatos e chegou aos verdadeiros autores dos crimes. Eles são condenados à pena de morte, mas depois conseguiram comutação para prisão perpétua, devido à abolição da pena de morte no Estado da Califórnia naquele ano. A mãe de Sharon Tate cria uma fundação para ajudar a todas as pessoas que tiveram parentes vítimas de crimes bárbaros. Doris Tate ao descobrir-se doente passa a administração da fundação para a sua filha mais nova Patrícia Tate, mesmo nos últimos dias de sua vida, a mãe de Sharon se dedicava à causa, morrendo em 1992. Patrícia Tate morre em 2000, vítima de câncer de mama e a atual responsável pela fundação e memória da atriz assassinada é a irmã do meio Debra Tate. Charles Manson hoje com 76 anos ainda é vivo e cumpre pena assim como todos envolvidos no “Caso Tate - La Bianca”. O pior castigo ficou para Susan Atkins, que mesmo tendo obtido 16 pedidos para liberdade condicional (todos negados), teve que amputar uma perna e tem câncer de cérebro, atualmente ela padece na prisão, acreditam que ela possa morrer ainda na penitenciária. Ninguém até hoje foi solto. Por Magda Miranda
| 24392 ace
O filme que tinha tudo para ser um fiasco.  A verdade é que hoje é difícil imaginar, mas O Poderoso Chefão (título horrivelmente traduzido de The Godfather / O Padrinho) poderia ter sido um fiasco.  A Paramount tinha problemas financeiros e não queria de forma alguma correr riscos desnecessários. Mario Puzo havia lançado há pouco tempo um livro, The Grandfather, que fazia relativo sucesso, e um roteiro começou a ser esboçado por ele e por um jovem cineasta, ainda desconhecido, chamado Francis Ford Coppola. Recém saído da universidade, Coppola era o protótipo de um jovem que desejava fazer cinema bom, tinha boas idéias e para isso inspirava-se no velho cinema europeu, fazendo curtas e filmes de baixo orçamento. Participar de uma obra como essa significava entrar num mundo para poucos e uma ótima experiência. O roteiro havia sido negado por Elia Kazan, que não queria se arriscar com filmes de gângsters, que tinham um histórico tão malfadado em Hollywood. Decidiram por escolher o jovem Coppola, pois isso significava economia nos gastos e, sobretudo, alguém que eles pudessem moldar. Estavam redondamente enganados. Ainda na fase de pré-produção eles perceberam que o jovem diretor não seria assim tão maleável. Coppola, por sua vez, agarrava-se e se apaixonava cada vez mais pela obra, contribuindo com idéias para o roteiro, escrito a quatro mãos. Para o papel de Vito Corleone, o Padrinho, ele pensara nos grandes atores do momento, Laurence Olivier ou Marlon Brando. Olivier encontrava-se doente, não poderia assumir, restando convencer os estúdios e Marlon Brando a aceitarem o papel. Resolvido o problema do protagonista, havia a escolha dos demais. Testes e mais testes foram feitos e Al Pacino, até então um ilustre desconhecido, foi escolhido para aquele que seria considerado o papel de sua vida: Michael Corleone. No livro de Puzo, Michael era louro, o que fez com que surgissem nomes como o de Robert Redford para o papel. Apesar de um mal-estar inicial, Pacino, para o bem do nosso cinema atual, permaneceu. Logo na primeira semana de filmagens, os rumores de que o diretor seria demitido chegaram aos seus ouvidos. Coppola sentia-se encurralado, cobrado e desacreditado, mas prosseguiu. Confiava em seu elenco, alguns novatos, outros vindos do teatro, alguns familiares e seguiu em frente. O casamento de Connie (Talia Shire - Rocky), a filha mais nova do Padrinho, deveria abrir o filme. As cenas levaram dois dias inteiros para serem feitas, apresentando os filhos Sonny (James Caan), Fredo (John Cazale) e Michael, além dos demais membros do clã. Muitos figurantes haviam sido escalados, assim como boa parte da família do próprio diretor (seu pai ficara responsável pela orquestra que tocaria ao vivo e sua mãe aparecia cantando). Coppola também utilizaria reminiscências de sua própria infância, ao caracterizar uma festa tipicamente ítalo-americana. Mas ele achava que faltava alguma coisa para preencher a primeira parte. Decidiu justificar o título, apresentando inicialmente um dos "afilhados", pedindo favores ao padrinho, algo que veríamos ao longo de todo o filme. Contando a história da família Corleone, O Poderoso Chefão desmistificava a forma como os chefões da máfia eram apresentados, humanizando-os ao estabelecer os crimes e justificá-los como sendo "apenas negócios", sem deixar, com isso, de adotar uma abordagem realista. Numa das cenas, Kay (Diane Keaton) afirma para Michael que ele é inocente ao afirmar que o pai dele faz "apenas" negócios, pois um trabalhador normal, justifica Kay, como um presidente ou empresário, por exemplo, não mataria por este motivo. Michael lhe encara e afirma que a inocente é ela por acreditar nisso. Muitas seqüências do filme tiveram que ser feitas sem os atores principais, para preencher espaços que pareceram vazios, como na seqüência do hospital, em que Michael verifica que os corredores estão vazios e seu pai correndo perigo de vida. Revendo as cenas, Coppola verificou que precisava fazer novas filmagens dos corredores, aumentando, com isso, a sensação de que o Don Corleone corria perigo. Na parte técnica, a direção de fotografia e câmeras ficou por conta de Gordon Willis, que, tradicionalista como era, preferia filmar tomadas paradas e que não desviassem a atenção do público. Somente em alguns momentos, e poucos, veremos tomadas por cima sobre o eixo horizontal (na cena em que Corleone é atingido e as laranjas se espalham pelo chão e quando Michael se reúne com Sollozzo e o policial corrupto no restaurante para mata-los) ou em close up (quando Michael destila o seu plano para matar Sollozzo e a câmera vai se aproximando de seu rosto, para frisar o momento de decisão). As locações são bem exploradas, aferindo um tom elegante e sombrio, enfatizado pela negritude das roupas e luz escassa em algumas cenas, colorizadas apenas por alguns tons laranjas quase sempre presentes em todo o filme, em forma de frutas, roupas e cenários. Sobre o tom laranja, algumas pessoas afirmam se tratar de um prenúncio claro de que novas tragédias ocorrerão a seguir. Não consegui ver essa relação subliminar, pois percebo uma constância da cor, em quase todos os momentos. O elenco de peso, incluindo a ainda promessa Al Pacino, e os já consagrados Marlon Brando e Robert Duvall, oferece atuações competentes, fazendo-nos esquecer de atuações patéticas como a de Al Martino como o cantor Johnny Fontane (inspirado claramente na figura do cantor Frank Sinatra), tão sem inspiração que nas cenas em que se exige uma emoção maior são suas costas que vemos, sendo a câmera focalizada em Marlon Brando, que está à sua frente. Os diálogos inteligentes acabaram tornando o filme uma espécie de manual de vida, sendo parodiados e usados à exaustão. É interessante verificar também que, de tão batidas, frases e cenas se tornaram conhecidas até mesmo por quem não viu o filme: "Apenas negócios", "nunca deixe alguém perceber o que você está pensando", "eu vou fazer uma oferta que ele não poderá recusar" são apenas algumas delas. E a trilha sonora de Nino Rota? A música não era inédita, já tinha sido usada em alguns filmes antes deste, mas Nino a refez para o filme, deixando-a mais lenta. Afinal, plagiar a si mesmo não é plágio, não é mesmo? O filme dura quase três horas, na maior parte de diálogos, com poucas movimentações: um filme basicamente de homens sentados discutindo sobre negócios e mais homens. Don Corleone e companhia traduzem tão bem uma simples família italiana que por vezes sentimos a tentação de fazer parte dela. Bom... pelo menos nos bons momentos de espaguete e festas. Seja para cumprir com suas obrigações como cinéfilo ou para constatar a genialidade de uma obra, O Poderoso Chefão torna-se item obrigatório para quem ama o cinema ou para quem somente deseja aproveitar o tempo vendo um bom filme. Ou seja, para todos.
| 24202 ace
Ficha Título Original: The circus Ano/País/Gênero/Duração: 1928/EUA/Comédia/71min Direção: Charles Chaplin Produção: Charles Chaplin Roteiro: Charles Chaplin Fotografia: Rollie Totheroh Música: Charles Chaplin Elenco: Charles Chaplin........... o vagabundo Allan Garcia ............... proprietário do circo Merna Kennedy .......... amazona Harry Crocker ............. equilibrista George Davis .............. mágico Henry Bergman ........... palhaço John Rand .................. palhaço Steve Murphy ............. pipoqueiro Sinopse O vagabundo perambula pela feirinha do circo. Rouba doces de criança, diverte-se olhando os passantes, até que um assaltante rouba uma carteira e esconde-a no bolso de Carlitos. Este acaba sendo perseguido por policiais, que o julgam criminoso. E é fugindo do perigo, que ele adentra no circo e o público, julgando tratar-se de mais uma apresentação, aplaude euforicamente. Torna-se sucesso imediato. O dono do circo, de olho em seu sucesso, decide contrata-lo e explora-lo ao máximo. O vagabundo, contente por ganhar algum dinheiro, nem entende a verdadeira intenção do dono. Ele está mais preocupado com Merna, filha do proprietário, por quem se apaixona. Paixão impossível, já que ela ama Rex, o equilibrista. Carlitos decide, então, treinar o bastante para tornar-se também ele um equilibrista. Não tem jeito. Fica triste. E triste, não consegue fazer o publico rir da mesma forma. Seu “número” começa a ficar sem graça. O final traz uma das cenas mais lembradas do cinema mundial: sozinho, no meio da arena do circo, um close no rosto do vagabundo, e logo em seguida ele pega a estrela, dá um chute e segue seu caminho novamente. Notas - Com tantos problemas, o circo ficou montado durante um ano, esperando a oportunidade de ser filmado. Ele ficava muito tempo sem inspiração e não comparecia durante semanas. - Chaplin e Merna treinaram durante meses seus papéis. Não foram usados dublês. - Merna foi indicada ao papel pela então esposa de Chaplin, Lita Grey. As duas tinham estudado juntas. Isto não impediu que Chaplin e Merna tivessem um breve caso durante as filmagens. Lita descobriu, supostamente, quando viu em Merna uma pulseira caríssima, dada por seu marido. - Um grande incêndio queimou o cenário, que teve que ser refeito. Além disso, as carroças do circo foram roubadas. - Foram filmadas algumas cenas descartadas por Chaplin: o encontro com um pugilista, a saída do vagabundo com Merna e Rex. Essas cenas podem ser conferidas no dvd lançado recentemente. - Por causa de tantos impecílios, que rondaram as filmagens, Chaplin quase não fala do filme em sua biografia “Minha vida”. - Merna ainda seguiu fazendo carreira no cinema até 1934. Não conseguiu fazer muito sucesso, e faleceu aos 36 anos. The Circus foi seu primeiro filme.   ASSISTA ONLINE:         Imagens Cartazes  
| 23999 ace
Título Original: Seven Brides for Seven Brothers Ano/País/Gênero/Duração: 1954 / EUA / Musical / 102min Direção: Stanley Donen Produção: Jack Cummings Roteiro:  Albert Hackett, Frances Goodrich, Dorothy Kingsley Fotografia: George Folsey Música: Gene de Paul Elenco Howard Keel ... Adam Pontipee Jeff Richards ... Benjamin Pontipee Russ Tamblyn ... Gideon Pontipee Tommy Rall ... Frankincense (Frank) Pontipee Marc Platt ... Daniel (Dan) Pontipee Matt Mattox ... Caleb Pontipee Jacques d'Amboise ... Ephraim Pontipee Jane Powell ... Milly Pontipee Julie Newmar ... Dorcas Gailen Nancy Kilgas ... Alice Elcott Betty Carr ... Sarah Kine Virginia Gibson ... Liza Ruta Lee ... Ruth Jebson Norma Doggett ... Martha Ian Wolfe ... Sinopse Adam (Howard Kell), um caipirão de Oregon, volta para sua fazenda, onde mora com seis irmãos, com uma esposa (Jane Powell). Milly se assusta com os modos dos cunhados e decide transforma-los em homens educados. Os jovens Benjamin, Caleb, Daniel, Ephraim, Frank e Gideon decidem também ir para a cidade para conseguirem noivas para eles. Eles acabam raptando jovens moças já comprometidas, para que possam se casar com elas. Curiosidades -    6º musical de Stanley Donen. -    Coreografado por Michael Kidd. -    Versão musical do conto “O Rapto das Sabinas”, de Stephen Vincent Benet. -    Matt Mattox foi dublado por Bill Lee. -    O filme foi rodado em widescreen e normal. -    Michael Kidd inicialmente recusou o projeto, pois queria descansar após um espetáculo na Broadway. -    Os ensaios duraram 3 semanas. -    Filmado em apenas 48 dias. -    Apenas quatro dos irmãos estam bailarinos. ASSISTA ONLINE Imagens
| 23882 ace
Título Original: Lolita Ano/País/Gênero/Duração: 1962 / EUA / Drama / 152min Direção: Stanley Kubrick Produção: James B. Harris Roteiro: Vladimir Nabokov / Stanley Kubrick / James B. Harris Fotografia: Oswald Morris Música: Nelson Riddle Elenco James Mason ... Prof. Humbert Humbert Shelley Winters ... Charlotte Haze Sue Lyon ... Lolita Gary Cockrell ... Richard T. Schiller Jerry Stovin ... John Farlow Diana Decker ... Jean Farlow Lois Maxwell ... Nurse Mary Lore Cec Linder ... Dr. Keegee Bill Greene ... George Swine Shirley Douglas ... Mrs. Starch Marianne Stone ... Vivian Darkbloom Marion Mathie ... Miss Lebone James Dyrenforth ... Frederick Beale Sr. Maxine Holden ... Miss Fromkiss John Harrison ... Tom Sinopse Humbert Humbert (James Mason) é um homem abalado pelas lembranças. Professor de literatura francesa, instala-se em uma pensão e se vê como alvo de interesse da dona, Charlotte Haze (Shelley Winters), uma viúva que lá mora com a filha mais nova, Lolita (Sue Lyon). Ele acaba se sentindo atraído pela pequena jovem, que, apesar de ter apenas 12 anos, se insinua para ele, assim como sua mãe. Enquanto isso, Humbert escreve em seu diário tudo o que lhe acontece. Durante a viagem da filha, Charlotte se declara e Humbert aceita se casar com ela, com o único intuito de continuar próximo da garota, planejando tão logo possa, matar a mãe e ficar com a filha. Charlotte descobre o diário de Humbert, e suas perversões, ficando transtornada e sendo atropelada e morta. Humbert agora pode realizar seu maior sonho, quando busca Lolita e a leva em uma grande viagem. Curiosidades - Laurence Olivier, Noel Coward e David Nivem foram considerados para o papel de Humbert. - Tuesday Weld foi considerada para o papel título. - Errol Flynn também foi considerado para o papel de Humbert, mas acabou morrendo antes. - Sue Lyon foi considerada para o papel em parte devido ao tamanho de seus seios, já que os censores não permitiriam uma garota tão infantilizada. - A Lolita do livro tinha 12 anos, no filme tem 14. - Quase 800 garotas fizeram o teste para seleção da personagem Lolita. - Cary Grant ficou indignado com o convite para o filme. - Este foi o primeiro filme de Stanley Kubrick produzido de forma independente, na Inglaterra. - Primeiro filme de Ed Bishop. - No romance, Lolita é uma morena, no filme loira. - Rumores indicam que o livro de Vladimir Nabokov foi baseado na história real de Charles Chaplin e sua segunda esposa, Lita Grey, mais conhecida como Lolita. Prêmios - Indicação ao Oscar de Roteiro Adaptado. Assista Online Imagens
| 23870 ace
Bram Stoker's Dracula (Drácula de Bram Stocker), de Francis Ford Coppola, estreou nas telas de todo mundo em 1992, adaptação do livro de Bram Stoker, tendo no elenco Gary Oldman no papel principal e Winona Ryder, como sua amada Mina. O filme contou ainda com as participações de Anthony Hopkins, Monica Bellucci e Keanu Reeves (eterno Neo). O nome de Bram Stoker (escritor irlandês que escreveu a obra em 1897) teve que ser incluído porque outro estúdio possuía os direitos do título. Drácula, o livro, tornou-se um clássico do terror, apesar de ter demorado algum tempo a ser reconhecido pelo grande público. Ele inspirara-se na história real de Vlad Tepes III, conhecido como o empalador, um príncipe que vivera na Transilvânia lembrado por todos por seus atos de crueldade para com os inimigos. Para Stoker a história de Vlad ultrapassara o limite da vida, estendendo-se para a eternidade, na figura do vampiro com poderes sobrenaturais. E é vivendo em seu castelo que Vlad recebe a visita de um jovem, Jonathan Harker, que acaba se transformando em prisioneiro do príncipe, quando este descobre ser ele noivo da reencarnação de sua amada e aprisionado por belas vampiras, que sugam-lhe o sangue, deixando-o indefeso para a fuga. Bastante fiel ao livro, a versão cinematográfica de Coppola, a história do filme é baseada na vida real do príncipe Vlad da Romênia, que provavelmente sofria de vampirismo e que teria matado seus inimigos, bebendo seu sangue e algumas vezes empalando-os. No seu livro, Stoker lança mão de argumentos românticos para embelezar uma história tão trágica e mórbida, e Coppola segue o ritmo, embalando-nos os feitios sombrios do príncipe das trevas com a beleza e pureza de Mina, aqui tão bem interpretada pela jovem atriz Winona Ryder. Em seu filme Coppola no traz Vlad, um guerreiro da Sagrada Ordem de Dracul, combatendo infiéis turcos que lutam contra os cristãos. Como vingança, seus inimigos turcos enviam uma mensagem para a sua terra, informando que Vlad estava morto. Elisabetha, sua noiva, desespera-se com a notícia e se joga a um rio, ao pensar que o seu amado morrera em batalha. Este, o Príncipe Vlad, ao chegar à sua terra, depara-se com a jovem morta e deseja enterrá-la em solo sagrado. Como ela cometera suicídio, a igreja nega-lhe o pedido. É o que basta para que o príncipe renegue a Deus, prometendo vingança e jurando beber somente sangue a partir de então. Torna-se Drácula, o príncipe das trevas, um morto-vivo condenado a viver sua eterna dor. Depois de quatro séculos, em 1897, ele descobre que a sua amada reencarnara em Londres, e parte para encontrá-la, mas para isso terá que deter novamente as forças da igreja e o marido de Mina, Jonathan Harker.   O filme ganhou 3 Oscars (efeito sonoro, figurino e maquiagem), sendo ainda indicado como melhor direção de arte. Para mim o Drácula definitivo. Gary Oldman encarna o coisa ruim de uma forma tão fascinante, que fica-nos claro o porquê de Mina, ainda sabendo que ele matara Lucy, ainda quer ficar com ele. Antes dele já vimos muitos, muitas vezes retratados como fascinantes, mas que na verdade só passavam a imagem macabra de feias criaturas que matavam por sangue. Assim foi com Nosferatu (1922), de F.W. Murnau. Este nosso Drácula é revestido desde o princípio com um erotismo tanto nas falas quanto nas atitudes. Seu lado monstruoso é apresentado quando seduz e mata Lucy (Sadie Frost), melhor amiga de Mina, mas surpreende ao vacilar no momento em que sua amada decide por virar uma vampira para segui-lo para sempre: "Não, não posso condená-la! Você é carne da minha carne, sangue do meu sangue", diz. Gary Oldman bem que poderia ter sido indicado a um Oscar, pois trouxe a melhor interpretação que já tenha existido do vampiro, com seus traços de sadismo ou romântico, seja envelhecido ou disfarçado de jovem (quando está próximo a Mina). A Academia, mais uma vez, errou feio. Por alguns momentos até chegamos a torcer por um final feliz do vampiro, ao lado de Mina, e torcer contra o marido sem sal, aqui tão amargamente interpretado por um fraquíssimo Keanu Reeves. Perdoem-me o exagero da minha definição sobre a interpretação do eterno Neo (Matrix), mas sua atuação só não foi pior porque sempre teremos "Bill & Ted's Excellent Adventures" em seu currículo. Alguns poderão dizer que foi um dos seus primeiros filmes, ao que eu rebato que quase nada mudou desde então... A fotografia é outro destaque, além do figurino e efeitos sonoros, especiais e maquiagem. Enfim, um filme bom numa fase tão amarga para Francis Ford Coppola, que amargava fortes críticas e insucessos, após produzir filmes como O Poderoso Chefão e Apocalypse Now), mostrando que o monstro podia estar adormecido, mas não morto. Bram Stoker's Dracula,americano, 1992, Francis Ford Coppola Por Carla Marinho
| 23787 ace
Ficha Título original: Das Cabinet des Dr. Caligari. Ano/País/Gênero/Duração: 1919/ALE/Terror/78min Produção: Rudolf Meinert e Erich Pommer Direção: Robert Wiene Roteiro: Hans Janowitz e Carl Mayer Fotografia: Willy Hameister Música: Alfredo Antonini Elenco: Werner Krauss ... Dr. Caligari Conrad Veidt ... Cesare Friedrich Feher ... Francis Lil Dagover ... Jane Olsen Hans Heinrich ... Alan Rudolf Lettinger ... Dr. Olsen   Sinopse Dr. Caligari é um médico, e consegue um aval em uma prefeitura de uma pequena cidade holandesa para apresentar um espetáculo na feira local. No espetáculo ele hipnotiza um rapaz chamado Cesare, que faz previsões sinistras para os moradores locais. A partir deste momento, o jovem é induzido a se tornar um assassino. Notas Um dos primeiros filmes do Expressionismo alemão, juntamente com Nosferatu (1922) e Fausto (1926), são considerados os melhores filmes do expressionismo alemão na categoria terror. O filme privilegia efeitos de luz e sombra que traduzem estados mentais e psicológicos de um louco, além de cenários desfigurados, lembrando o sobrenatural. Os cenários originais de Hermann Warm estão hoje em dia no Museu do Cinema Henri Langlois, em Paris.   Assista Online   uxRgrlS2NLA Canal:http://www.youtube.com/user/CinemaClassico3 Download: Este filme é de domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria. Comprar no SUBMARINO Imagens  
| 23604 ace
Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro
| 23594 ace
“Eu sou uma mulher que é infiel a um milhão de homens.” “Amor? É o começo e o fim de uma mulher da educação.” “Nunca disse, "Eu quero ficar sozinha." Eu apenas disse, "Eu quero ser deixada em paz." Existe toda uma diferença.” “Qualquer pessoa que tenha um contínuo sorriso em seu rosto esconde uma tenacidade que é quase assustadora.” "A vida seria tão maravilhosa se nós soubéssemos o que fazer com ela.” “Cada um de nós vive a sua vida apenas uma vez, se formos honestos, viver uma vez é suficiente.” “Parece haver uma lei que rege todas as nossas ações, então eu nunca faço planos.” “Se você é abençoado, você é abençoado, não importa se você é casada ou solteira.” “Existem alguns que querem se casar, e outros que não. Nunca tive um impulso para ir para o altar. Eu sou uma pessoa difícil de conduzir.” "Há muitas coisas em seu coração que você nunca deve contar a ninguém. Seria baratear o seu íntimo sair espalhando-as por aí."
| 23060 ace
Título Original: Wuthering Heighs Ano/País/Gênero/Duração: 1939 / EUA / Drama / 164min Direção: William Wyler Produção: Samuel Goldwyn Roteiro: Charles MacArthur e Ben Hecht Fotografia: Gregg Toland Música: Alfred Newman Elenco: • Merle Oberon (Cathy Linton) • Laurence Olivier (Heathcliff) • David Niven (Edgar Linton) • Flora Robson (Ellen Dean) • Donald Crisp (Dr. Kenneth) • Geraldine Fitzgerald (Isabella Linton) • Hugh Williams (Hindley) • Leo G. Carroll (Joseph Earnshaw) • Miles Mander (Sr. Lockwood) • Cecil Kellaway (Earnshaw) • Cecil Humphreys (Juiz Linton) Sinopse Sr. Lockwood (Miles Mander) é o novo morador da Fazenda Thrush Cross, na área rural da Inglaterra, e começa a ouvir a história de vida de Heathcliff (Laurence Olivier). Heathcliff foi humilhado por seu irmão de criação e acaba se tornando um homem vingativo. Heathcliff ainda é apaixonado por Cathy (Merle Oberon), irmã de seu inimigo e casada com Edgar (David Niven). Curiosidades - Primeira de 4 adaptações do livro de Emily Bronte para o cinema. ASSISTA ONLINE Imagens
| 22881 ace
FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha   Nome: Joseph Frank Keaton VI Nascimento e local: 0/10/1895, Piqua, KS Morte e local: 01/02/1966, Los Angeles, câncer no pulmão Ocupação: ator, diretor Nacionalidade: Estados Unidos Casamentos: Natalie Talmadge, Mae Scriven, Eleanor Norris Filhos: Louise Keaton e Buster Keaton, Jr. Biografia     Buster Keaton era mais conhecido como o palhaço que não ri. Ficou famoso por sua agilidade acrobática, dispensando dublês nas cenas mais perigosas. Quebrou dedos, machucou braços e pernas. Numa época em que era necessária a criatividade num cinema que ainda engatinhava, ele coreografava suas cenas milimetricamente, escrevia-as, dirigia e criava até mesmo os cenários. O ator nasceu em outubro de 1895, no Kansas (EUA), filho de pais que trabalhavam no teatro de Variedades (Vaudeville) com o mágico Houdini. O apelido "Buster", inclusive, foi dado a ele pelo famoso mágico. A família apresentava-se como os "The three Keatons", mas o grupo acabou e o jovem ator resolveu procurar emprego em teatros e, como muitos estavam fazendo naquela época, também no cinema. Em um dos testes, em 1917, conheceu Roscoe "Fatty" Arbuckle, ator da Keystone (aqui no Brasil conhecido como Chico Bóia), que lhe ajudou a conseguir uma ponta em "The butcher boy", no mesmo ano. Depois de pequenas participações, Buster começou a ganhar destaque. Seu primeiro grande sucesso em longas foi "The saphead" , de 1921. Pouco menos de 3 anos, e 16 películas depois, ele já dirigia seus próprios filmes. Dentre os mais famosos, destacam-se "The Three Ages" (1923), "Our Hospitality" (1923), "The Navigator" (1924), "Sherlock Jr." (1924), "Seven Chances" (1925), "Battling Butler" (1926), "College" (1927) e "Steamboat Bill Jr" (1928). "The General’ foi um dos mais caros, e também um dos menos reconhecidos na época. Keaton preocupou-s com os mínimos detalhes, roupas, cenários, figurantes, minúcias nas batalhas e efeitos de sobreposição e edição de imagem; embora tivesse todo esse cuidado, as platéias não deram o devido valor ao filme, que acabou lhe causando prejuízos. Hoje em dia o filme é considerado uma das obras primas do cinema mudo e não raro constando nas listas dos melhores já realizados. Embora tenha ganhado uma boa quantia em dinheiro ainda jovem, Buster permanecia como empregado da MGM, e tinha que seguir as regras de Louis B. Mayer, o que, inevitavelmente, limitou sua criatividade. Após perder quase tudo para sua ex-esposa Natalie, tornou-se alcoólatra e teve sua carreira abalada. Depois disso, a chegada do cinema sonoro, e poucos eram os produtores que estavam dispostos a investir em suas comédias. Era um gênio, e apesar disso, teve que se contentar com obras ruins e de mal gosto, para sobreviver. Fracassado nas telas e mal compreendido, Buster foi demitido da MGM por causa do alcoolismo. Seguiu fazendo pontas em alguns filmes. Em "A noiva desconhecida" (In the Good Old Summertime), de 1949, faz um empregado atrapalhado numa loja de instrumentos musicais. Dois anos depois aparece jogando cartas com Anna Nilson e Gloria Swanson, companheiras do cinema mudo, no clássico Crepúsculo dos Deuses (Sunset Boulevard). Os três formam uma espécie de melancólicos sobreviventes de uma era onde eram reconhecidos. Em 1957 sua vida foi levada às telas no filme "O palhaço que não ri", com Donald O'Connor, no papel título. Em 1952, Chaplin preparava um filme sobre um palhaço envelhecido (ele próprio?), Luzes da Ribalta (Limelight), e lembrou-se daquele que fora seu maior "rival" de público, durante a década de 20. Em suas memórias, a filha de Chaplin chega a dizer que o mesmo morria de ciúmes de Keaton, por reconhecer-lhe a genialidade. Mesmo assim o procurou e presenteou-nos não com uma cena, mas com uma "mágica" do cinema: os dois dividem o mesmo palco, tocando cada qual seu instrumento. Lado a lado. Idosos já. Chaplin de um lado, rico e reconhecido, e Buster do outro, esquecido e pobre. Mas lado a lado. Podemos visualizar dois dos maiores talentos já surgidos. Keaton morreu em 1966, de câncer, deixando um legado de criatividade que até hoje é difícil encontrar. Mais ainda vive, em seus filmes mais atuais do que na época em que foram lançados.   Mais DVDs Filmes   A Funny Thing Happened on the Way to the Forum (1966) How to Stuff a Wild Bikini (1965) Beach Blanket Bingo (1965) Pajama Party (1964) It's a Mad Mad Mad Mad World - Deu a louca no mundo (1963) The Adventures of Huckleberry Finn (1960) Around the World in Eighty Days (1956) Limelight - Luzes da Ribalta (1952) Sunset Blvd. - Crepúsculo dos Deuses (1950) In the Good Old Summertime - A Noiva Desconhecida (1949) Forever and a Day (1943) Li'l Abner - A família Buscapé (1940) DOWNLOAD Hollywood Cavalcade - Hollywood em Desfile (1939) DOWNLOAD La Fiesta de Santa Barbara (1935) Speak Easily (1932) DOWNLOAD The Slippery Pearls (1931) DOWNLOAD The Stolen Jools (1931) DOWNLOAD Sidewalks of New York (1931) Parlor, Bedroom and Bath (-1931). Free and Easy (1930) The Hollywood Revue of 1929 (1929) Spite Marriage (1929) DOWNLOAD The Cameraman (1928) DOWNLOAD Steamboat Bill, Jr. - Capitão Bill Jr (1928) DOWNLOAD College (1927) DOWNLOAD The General (1927) DOWNLOAD Battling Butler - Boxe por amor (1926) DOWNLOAD Go West / O Vaqueiro (1925) DOWNLOAD Seven Chances (1925) DOWNLOAD The Navigator (1924) DOWNLOAD Sherlock Jr. (1924) DOWNLOAD The Balloonatic (1923) DOWNLOAD Our Hospitality - Nossa Hospitalidade (1923) DOWNLOAD The Three Ages - As três eras (1923) DOWNLOAD The Love Nest (1923) DOWNLOAD Daydreams - Sonho e realidade (1922) DOWNLOAD The Blacksmith - Ferraduras modernas (1922) DOWNLOAD My Wife's Relations - A Parentela da esposa (1922) DOWNLOAD The Electric House - A Casa Elétrica (1922) DOWNLOAD Cops (1922) DOWNLOAD The Frozen North (1922) DOWNLOAD The Paleface - A Prova de Fogo (1922) DOWNLOAD The Boat - Um grande navegante (1921) DOWNLOAD The 'High Sign' (1921) DOWNLOAD The Goat / A Cabra (1921) DOWNLOAD Hard Luck (1921) DOWNLOAD The Playhouse (1921) DOWNLOAD The Haunted House (1921) DOWNLOAD The Saphead (1920) Neighbors / Vizinhos Vigilantes (1920) DOWNLOAD The Scarecrow (1920) DOWNLOAD O Condenado nº 13 / Convict 13 (1920) DOWNLOAD One Week (1920) DOWNLOAD The Garage (1919) DOWNLOAD The Hayseed (1919) DOWNLOAD Back Stage (1919) DOWNLOAD Good Night, Nurse! (1918) DOWNLOAD Moonshine (1918) DOWNLOAD The Bell Boy (1918) DOWNLOAD Out West (1918) DOWNLOAD The Cook (1918) DOWNLOAD Coney Island (1917) DOWNLOAD Oh Doctor! (1917) DOWNLOAD The Butcher Boy (1917) DOWNLOAD His Wedding Night (1917) DOWNLOAD The Rough House (1917) DOWNLOAD   Mais Comediantes do cinema mudo... 10 Melhores Musicais de Judy Garland São José dos Campos: curtas de Buster Keaton Buster Keaton   Prêmios Oscar Honorário em 1960   Imagens     Vídeos LWEo4M8nZQQ   gKhjimfIQQg
| 22747 ace
FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR Ficha Nome:  Charles Spencer Chaplin Nascimento e local: 16/04/1889, Londres, Inglaterra Morte: 25/12/1977, Vevey, Suíça, causas naturais Ocupação: ator e diretor Nacionalidade: Inglesa Casamentos:  Mildred Harris, Lita Grey, Paulette Goddard, Oona Chaplin Filhos: Norman Spencer Chaplin, Charlie Chaplin, Jr., Sydney Chaplin, Geraldine Chaplin, Michael Chaplin, Josephine Chaplin, Victoria Chaplin, Eugene, Jane, Annette-Emilie and Christopher Chaplin. Biografia Charles Spencer Chaplin nasceu em 16 de abril de 1889, em Londres, filho de Hannah Lili Harley e Charles Chaplin, artistas de teatro. Quando Charlie ainda era um bebê, seu pai abandonou a família e foi viver com outra mulher. Sua mãe começou a sofrer com a depressão nervosa, parte por histórico de família, parte por efeito da fome que passava. Hannah tinha mais dois filhos: Sydney e Wheller. Existem alguns boatos acerca de que Charles teria nascido na França. O próprio Chaplin, em conversas, chegava a afirmar isso. Mas não existe nenhuma fonte confiável que afirme isso. Há também boatos de que Charles não fosse filho de Charles Chaplin (Pai). Um dos motivos que fortalecem isso seria a própria aparência de Chas: o pai era forte e alto, Chas, ao contrário, pequeno, com grandes olhos azuis. Esta também é um boato difícil de se provar. Charlie teve sua estréia nos palcos aos 5 anos, substituindo sua mãe num musical. A partir daí o estado de Hannah só piorou. Os garotos foram colocados em orfanatos diferentes, devido a diferença de idade. Charlie, com tendências depressivas, desde criança, sofreu bastante e ficou traumatizado por separar-se da mãe e do irmão. Durante um período, Chas foi entregue ao seu pai, indo morar com sua madrasta e um irmão por parte de pai. Como o casal bebia muito e sua madrasta (quando bêbada) tentava lhe bater, ele começou a dormir na rua enquanto seu irmão Sydney não chegava em casa. Foi o pai de Charles quem conseguiu um teste para Charlie na companhia de bailarinos “Eight Lancashire Lads”. Em 1901, Charles Chaplin Pai, morreu vitimado pela cirrose. Hannah, que estava parcialmente recuperada, providenciou o enterro junto aos colegas de teatro, que ainda respeitavam o ex-astro. Chaplin tentou vários ramos. Foi vendedor de barcos, flores, soprador de vidros (desmaiou no primeiro sopro), vendedor de lojinha (foi demitido após descobrir como conseguir chicletes de graça na máquina) e mordomo (o emprego que mais gostou). Foi interpretando um pequeno cockney e a peça Sherlock Holmes que ganhou algum dinheiro. Foi contratado pelo Circo Casey, onde aprendeu truques de comédia que utilizaria por toda a vida. Sydney, que tambem tentava a vida como ator, conseguiu um papel na Companhia de Fred Karno, considerado o Rei do Music Hall londrino. Depois de muito insistir, conseguiu um teste para Charles, que foi contratado sem muito intusiasmo por Fred Karno. Em 1909 Chaplin fez sua primeira viagem internacional. Destino: Paris. Depois de ganhar papéis medíocres, foi ganhando a amizade de todos e teve uma oportunidade de fazer um bêbado. Foi um sucesso. No ano seguinte, seguiu em turnê por Londres. Em pouco tempo passou a ser considerado o ator principal da companhia, tudo isso graças ao bêbado. Cada centavo que ganhava, ele juntava para comprar uma fazenda. Foi para os Estados Unidos em turnê, e dois anos após recebeu um telegrama de Mack Sennett, dono da Keystone, que desejava conhece-lo. Depois de um ataque de pânico que durou 3 dias, finalmente ele se apresenta para o teste. Seu primeiro salário na Keystone: 150 dólares por semana.   A Keystone quase que monopolizava o cinema de comédias até então. Ford Sterling era o astro principal, e ficava cada vez mais exigente. Por causa disso, Mack Sennett procurava por um astro que o desbancasse na bilheteria e, consequentemente, na companhia. Sennett não conhecia o trabalho de Chaplin direito, mas, digamos, ele estava no lugar certo, na hora exata, e acabou sendo contratado. Lá Chaplin conheceu astros como Ford Sterling (que lhe olhava por cima dos ombros), Roscoe Arbuckle, com quem faria dupla em alguns curtas e Mabel Normand, que dividiu com ele a maioria dos curtas desse seu período. Em fevereiro de 1914 ele estreou seu primeiro filme na casa: Making a Living (Carlitos repórter). Neste filme, o vemos como um vilão. No seu segundo filme, Kid auto races at venice (Corrida de automóveis para menino) aparece uma personagem que o público passaria identificar. Segundo Chaplin: “Pensei que poderia usar umas calças muito grandes e uns sapatos enormes, além de uma bengala e um chapéu coco. Queria que tudo fosse contraditório: as calças folgadas, o paleta apertado, o chapéu pequeno e os sapatos enormes. Não sabia se deveria parecer velho ou jovem, mas quando me lembrei que Sennett tinha pensado que eu era bem mais velho, coloquei um bigodinho que me daria alguns anos sem esconder a minha expressão”. Claro que não foi tão fácil. Ele pegou as calças emprestadas de Arbuckle, o chapéu de outro, os sapatos velhos e a calça apertada, cada um de uma pessoa diferente, para fazer o contraste. Nasceu o Charlie, no Brasil conhecido por Carlitos. Foram ao todo 35 curtas metragens ao longo do ano. Muito trabalho, e ele estava exausto. Em 1915 sua sorte tinha mudado, e o sucesso de sua personagem junto a platéia chamava a atenção de produtores, e foi assim que a Essanay, produtora de Gilbert M. Anderson (o famoso Bronco Billy) o contratou. Ganhou 10.000 dólares de bonificação e 1.250 por semana. Ainda teria o direito de escolher uma equipe. E assim ele o fez. Foram 14 filmes, que contaram com a colaboração de Edna Purviance (par), Charlotte Mineau, Leo White. Atrás das câmeras, Rollie Totheroh, que iria acompanha-lo durante sua carreira nos Estados Unidos. Ele confiou em Rollie como um segundo olho. Na Essanay, Chaplin teve mais liberdade e pôde enfim dirigir seus filmes. Lá ele também começou a desenvolver suas técnicas de filmagens. Em 1916 a Mutual o procurou e foi fechado um contrato que envolvia 10.000 dólares semanais e uma bonificação de 150.000 dólares em troca de 12 curtas. As primeiras obras primas surgiram na Mutual. Eric Campbell, Henry Bergman (que lhe ajudaria muito na criação), Albert Austin, Leo White e Edna Purviance foram chamados para acompanha-lo, e surgiram filmes como “The fireman” (O bombeiro), “The Vagabond” (O vagabundo), “Easy Street” (Rua da Paz) e The Immigrant“ (O imigrante), dentre outros. Dessa etapa, Campbell foi o destaque, fazendo a contradição entre o forte alto e o fracote baixinho (Carlitos), que tanto agrada o público. Eles formaram, antes mesmo de O gordo e o magro, a primeira dupla de contrastes. Em 1917, já muito famoso, o ator participou da campanha para vender bônus de Guerra, durante a Primeira Guerra Mundial. Juntamente com Douglas Fairbanks e Mary Pickford, viajou o país vendendo os bônus. Com o final do contrato com a Mutual, Charles não renovou. Partiu para a First National, onde faria mais 8 filmes no período entre 1918 e 1921. Na nova companhia, que era basicamente uma produtora, ele pôde desenvolver-se também nesta área, promovendo totalmente os seus filmes. A partir dos filmes realizados na First National, ele pôde ser o proprietário de seus negativos. Erick Campbell havia morrido em um acidente de carro, e a posição e vilão necessitava de um substituto. Mack Swain é contratado. Os irmãos de Chaplin são chamados para trabalhar com ele, e Syd chega a estrelar alguns filmes. São desse período filmes como “A dog’s Life” (Vida de Cachorro) e “The Kid” (O garoto). Mas ele queria mais. Mary Pickford e Douglas Fairbanks também. A United Artists foi inicialmente chamada de The Big Four, inspirado, obviamente, nos quatro nomes dos fundadores. Eram os big four: Mary Pickford, Douglas Fairbanks, Charles Chaplin e o produtor D. W. Griffith. Willian Hart também participava do grupo. Recebendo ajuda de profissionais que vinham de concorrentes, pouco a pouco a United artists começou a ganhar espaço comercial. Na verdade, a participação de Charles acabou sendo apenas simbólica, pois ele não participava das reuniões, e os sócios começavam a ficar bravos com ele, pois todos já tinham estrelado filmes para a nova companhia, mas ele não. Em 1923 ele entregou o filme “A Woman in Paris” (Casamento ou Luxo), estrelado por Edna Purviance. O filme foi um sucesso de crítica, mas o público não queria ver um filme de Chaplin sem Chaplin. Foi o seu primeiro fracasso. Dois anos mais tarde surgiu, The Gold Rush, considerado por muitos, sua maior obra. Os executivos ainda não estavam satisfeitos, poisum único filme a cada dois anos não era suficiente para que a companhia precisava para conseguir se erguer. Ele reclamava que era um artista, e que dependia de sua inspiração, mas de pouco valiam seus argumentos. A amizade com Mary Pickford, que já era complicada (os dois brigavam constantemente) tornou-se insuportável, e os dois já não se falavam. Em 1927, Joseph M. schenk assumiu a presidência. No ano seguinte começaram as filmagens de City Lights (Luzes da Cidade). O cinema falado surgia com tudo. Ele se opôs freneticamente a isso, pois achava que o vagabundo não podia falar. De qualquer forma, as filmagens foram interrompidas por um bom tempo, e ele reagiu com crises de depressão e falta de criatividade. Em uma entrevista para a revista Motion Pictures Herald, declarou: “Detesto os talkies. Eles chegaram para destruir a arte mais antiga do mundo, a arte da mímica. Derrubam o edifício atual do cinema. A beleza plástica continua sendo a coisa mais importante do cinema. O cinema é uma arte pictórica”. Em City Lights, no lugar da fala, ele decidiu fazer uma trilha sonora, que foi baseada em La Violetera. Radical ao extremo, a fala somente insinua-se no filme, logo no inicio, no discurso do prefeito. Mas, contrariando todas as expectativas, os filme lotou todas as salas e foi exibido por mais de 2 semanas consecutivas, tornando-se seu maior sucesso. Nesse período ele retornou à Europa, onde conheceu muita gente importante. Ele, nessa altura, já podia ir e vir sem ser convidado, e dispensar a visita até mesmo de um rei. Lá conheceu Winston Churchill, Mahatma Gandhi, John Maynard Keynes, George Bernard Shaw, H.G. Wells, Aristide Briand, a condessa de Noailles, Albert Einsten, Camil. Na Europa ele seguiu fazendo declarações que os jornais publicavam e faziam conhecidas as suas idéias sobre o homem e sobre a vida. Nessa etapa ele chegou mesmo a cogitar viver como escritor de temas sociais. Mas esse era um assunto que o fascinava, mas também o deixavam profundamente deprimido. Certa vez, Somerset Maugham disse sobre a obra chapliniana: “Tenho a impressão de que sente saudade dos subúrbios (...). Acho que se lembra, com nostalgia, da liberdade da sua juventude difícil, com a pobreza e as amargas privações, e sabe que nunca estará satisfeito”. Não poderia ser mais errado, para o Chaplin. Ele costumava dizer que não conhecia um pobre, que tendo ficado rico, sentisse saudade da época em que passava fome. Na década de 30, o cineasta começou a fazer sua próxima obra: Modern Times, uma crítica a máquina, que tomava cada vez mais o lugar do homem. E foi com uma gag do filme (a que o vagabundo, tendo visto a bandeira cair, começa a agitar e é confundido com um agitador), que seu nome começa a constar na lista de personas non gratas no país. The Great Dictator deixaria os americanos ainda mais constrangidos, por criticar abertamente Adolph Hitler. Os americanos queriam neutros com relação a guerra. Franklin Roosevelt recebeu Charles na Casa Blanca, e disse para ele: “Sente-se Charlie, o seu filme nos está dando muitas dores de cabeça”. O ator começou a ser chamado de comunista, sendo incluído na lista de personalidades hostis, pelo Comitê de Atividades Antiamericanas. Ele ficou na lista conhecida como “Os 10 de Hollywood”. Na verdade ele se auto rotulava um humanista. A situação começou a ficar insustentável. Cada palavra sua era examinada, e cada cena de filme analisada, antes de ser liberada. Ele falou: “Para a sua conveniência, direi o que eu acho que desejam saber. Não sou comunista e nunca fiz parte de nenhum partido ou organização política na minha vida. Sou o que vocês chamam de traficante da paz. Espero que não se sintam ofendidos por isso”. Falta de patriotismo, militância comunista, suspeita de adultério eram algumas das acusações feitas a ele. Em 1952 ele partiu no Queen Elizabeh, com sua esposa Oona e seus filhos, embarcando para Londres. Durante a viagem ele recebeu a informação que não poderia mais voltar. Oona renunciou a sua cidadania americana e Chaplin devolveu seu visto de regresso. Dizia que estava velho para tantas bobagens. Na Europa ainda fez dois filmes: Um Rei em Nova York (uma sátira ao país que lhe expulsou) e A Condessa de Honk Kong (em que dirigiu Sophia Loren e Marlon Brando). Foi viver em Vevey, na Suíça, onde teve mais filhos. Em 1971 recebeu uma homenagem da Academia de Hollywood, que lhe deu um Oscar especial “pela incalculável contribuição à arte do século: o cinema”. Foi aplaudido de pé durante muitos minutos. Em 1974 foi nomeado cavaleiro do Império Britânico. Chaplin morreu na madrugada do dia 25 de dezembro, cercado por Oona, filhos e netos. Mais... Leia a biografia de Chaplin completa!! Leia sobre os casamentos de Chaplin Frases de Chaplin Chaplin: Um vagabundo ou a evolução de uma personagem, por Carla Marinho A História de The Kid, por Carla Marinho Fotos Charles Chaplin de A a Z O reencontro: como foi o reencontro entre Chaplin e Jackie Coogan, o garoto Viajante do tempo em premiere do filme de Chaplin Quem era a atriz misteriosa de Chaplin? Chaplin: Lembranças que amargam A história de Chaplin e Paulette Goddard 10 Melhores Filmes de Charles Chaplin Tragédia e arte em Chaplin Lançamento: livro "Chaplin, Uma Vida" Chaplin teria planejado filme falado em 1932 Filmes A Countess from Hong Kong - A Condessa de Hong Kong (1967) A King in New York - Um Rei em Nova York (1957) Limelight - Luzes da Ribalta (1952) Monsieur Verdoux (1947) The Great Dictator - O Grande Ditador (1940) DOWNLOAD Modern Times - Tempos Modernos (1936) DOWNLOAD City Lights - Luzes da Cidade (1931) DOWNLOAD The Circus - O Circo (1928) DOWNLOAD Camille (1926/II) The Gold Rush - Em busca do ouro (1925) DOWNLOAD A Woman of Paris: A Drama of Fate - Casamento ou luxo (1923) DOWNLOAD The Pilgrim - O Pastor de almas (1923) DOWNLOAD Pay Day - Dia de Pagamento (1922) DOWNLOAD Nice and Friendly (1922) The Idle Class - Os Clássicos Vadios (1921) DOWNLOAD The Nut - O Excêntrico (1921) DOWNLOAD The Kid - O Garoto (1921) DOWNLOAD A Day's Pleasure - Dia de Prazer (1919) DOWNLOAD Sunnyside - Idílio no Campo (1919) DOWNLOAD The Professor (1919) Shoulder Arms - Carlitos nas trincheiras (1918) DOWNLOAD The Bond (1918) DOWNLOAD Triple Trouble - Três vezes em apuros (1918) DOWNLOAD A Dog's Life - Vida de Cachorro (1918) DOWNLOAD The Adventurer - O Aventureiro (1917) DOWNLOAD The Immigrant - O Imigrante (1917) DOWNLOAD The Cure - O Balneário (1917) DOWNLOAD Easy Street - Rua da Paz (1917)  DOWNLOAD The Rink - Carlitos sobre rodas (1916) DOWNLOAD Behind the Screen - Carlitos no estúdio (1916)  DOWNLOAD The Pawnshop - Casa de Penhores (1916) DOWNLOAD The Count - O Conde (1916) DOWNLOAD One A.M. - A Uma da madrugada (1916) DOWNLOAD The Vagabond - O Vagabundo (1916) DOWNLOAD The Fireman - O Bombeiro (1916) DOWNLOAD The Floorwalker - O Falso gerente (1916) DOWNLOAD Burlesque on Carmen - Carmen às avessas (1916) DOWNLOAD Police - Carlitos Policial (1916) DOWNLOAD Burlesque on Carmen - Carmen (1915) DOWNLOAD A Night in the Show - O Teatro (1915) DOWNLOAD Shanghaied - Carlitos marinheiro (1915) DOWNLOAD The Bank - O Banco (1915) DOWNLOAD A Woman - Senhorita Carlitos (1915) DOWNLOAD Work - Carlitos na Atividade (1915) DOWNLOAD His Regeneration (1915) By the Sea - Carlitos à beira mar (1915) DOWNLOAD The Tramp - O Vagabundo (1915) DOWNLOAD A Jitney Elopement - Carlitos quer casar (1915) DOWNLOAD In the Park - Carlitos no parque (1915) DOWNLOAD The Champion - Campeão de Boxe (1915) DOWNLOAD A Night Out - Uma noite fora (1915) DOWNLOAD His New Job - Seu Novo Trabalho (1915) DOWNLOAD His Prehistoric Past - O passado pré-histórico (1914) DOWNLOAD Getting Acquainted - Carlitos e Mabel em passeio (1914) DOWNLOAD Tillie's Punctured Romance - Idílio Desfeito (1914) DOWNLOAD His Trysting Place - O Engano (1914) DOWNLOAD His Musical Career - Músicos vagabundos (1914) DOWNLOAD Gentlemen of Nerve - Isabel e Carlitos nas corridas (1914) DOWNLOAD Dough and Dynamite - Dinamite e Pastel (1914) DOWNLOAD Those Love Pangs - Carlitos Rival do Amor (1914) DOWNLOAD The New Janitor - Carlitos porteiro (1914) DOWNLOAD The Rounders - Carlitos na Farra (1914) DOWNLOAD His New Profession - Nova colocação de Carlitos (1914) DOWNLOAD The Masquerader - Carlitos Coquete (1914) DOWNLOAD Recreation - Divertimento (1914) DOWNLOAD The Face on the Bar Room Floor - O sobrado mal assombrado (1914) DOWNLOAD The Property Man - Carlitos na contra regra (1914) DOWNLOAD Laughing Gas - Carlitos dentista (1914) DOWNLOAD Mabel's Married Life - Dois casais encrencados (1914) DOWNLOAD Mabel's Busy Day - Carlitos e as salsichas (1914) DOWNLOAD The Knockout - Dois heróis encrencados (1914) DOWNLOAD Her Friend the Bandit - Carlitos, o ladrão elegante (1914) DOWNLOAD The Fatal Mallet - O malho de Carlitos (1914) DOWNLOAD A Busy Day - Carlitos ciumento (1914) DOWNLOAD Caught in the Rain - Carlitos e a ciumenta (1914) DOWNLOAD Caught in a Cabaret - Bobote em apuros (1914) DOWNLOAD Twenty Minutes of Love - Vinte minutos de amor (1914) DOWNLOAD Mabel at the Wheel - Carlitos banca o tirano (1914) DOWNLOAD The Star Boarder - Carlitos e a patroa (1914) DOWNLOAD Cruel, Cruel Love - O Marquês (1914) DOWNLOAD His Favorite Pastime - Carlitos entre o bar e o amor (1914) DOWNLOAD Tango Tangles - Carlitos dançarino (1914) DOWNLOAD A Film Johnnie - Joãozinho na película (1914) DOWNLOAD Between Showers - Dia Chuvoso (1914) DOWNLOAD Mabel's Strange Predicament - Carlitos no hotel (1914) DOWNLOAD Kid Auto Races at Venice - Corrida de automóveis para meninos (1914) DOWNLOAD Making a Living - Carlitos Reporter (1914) DOWNLOAD   Imagens   Vídeos    
| 22642 ace
10. Os Dez Mandamentos (1956) 09. Reds (1981) 08. O Resgate do Soldado Ryan (1998) 07. Sem Novidades no Front (1930) 06. Titanic (1997) 05. Spartacus (1960) 04. E o Vento Levou (1939) 03. A Lista de Schindler (1993) 02. Ben-Hur (1959) 01.  Laurence da Arábia (1962)
| 22421 ace
  Aborto: Quando filmava “Cesar e Cleopatra”, a atriz caiu no set e sofreu um aborto. Foi também durante esse período começaram a surgir os primeiros sintomas de sua doença emocional. Blanche Dubois: personagem de Tennesse Williams, interpretada na versão cinematográfica por Vivien, em 1951, ao lado de Marlon Brando. Várias cenas foram censuradas, sobretudo as que envolviam uma maior tensão sexual entre Leigh e Brando. Carreira: 30 anos, 19 filmes e 2 Oscars. Darjeeling, na Índia: local onde Vivien nasceu em 5 de novembro de 1913. Faleceu em 7 de julho de 1967, de tuberculose, em Londres. Tinha apenas 53 anos. Escorpião: seu signo no horóscopo. Fire Over England: Primeiro filme em que atuou ao lado de Laurence Olivier, seu segundo marido. Grave doença: Em 1964 Vivien viveu seu último papel no cinema,  “A nau dos Insensatos”, onde interpretava uma mulher de idade avançada, com dificuldades para aceitar a sua idade. Durante as filmagens a atriz teve novos problemas de saúde, passando por mais tratamentos de choque, sendo obrigada a ausentar-se dos sets por estar tremendo em algumas cenas. Herbert Leigh Holman: advogado com 12 anos a mais que Vivien, se tornaria seu primeiro marido quando ela tinha 19 anos, e pai de sua única filha. Mesmo após a separação, ela conservou o sobrenome. Incontrolável: a atriz fumava quatro carteiras de cigarro por di. Jovem: Olivier, depois de anos de vida em comum, trocou Vivien por uma mulher mais jovem. Segundo ele, a pressão tornava-se quase insuportável, e ele dizia que Vivien havia lhe dado alguns dos melhores momentos de sua vida, e também alguns dos piores. Karenina: Anna Karenina, ao  lado de Ralph Richardson, acabou sendo um de seus maiores freacassos no cinema. Lester: seu papel preferido foi o de Myra Lester, no filme Waterloo Bridge (1940). Maníaco-depressiva: Nas clínicas, a atriz passava por tratamentos de choque, que se tornavam ineficientes. Nervos: a atriz, diagnosticada como maníaca depressiva, sofreu durante anos com ataques que se tornavam cada vez mais difíceis de esconder. Suas mudanças de humor fazia com que em momentos de fúria quebrasse janelas, atacasse pessoas, fizesse cenas para depois se desculpar quando se acalmava. . Para esquecer os problemas emocionais, ela passaria a trabalhar cada vez mais e mais. Olivier: segundo marido, que ela conheceu durante as filmagens de “The mask of Virtue”. Os dois iniciaram um romance, apesar de ela ainda ser casada com Holman. Foi um relacionamento problemático no início, pois ambos eram casados e com filhos. Primeira performance: foi aos 3 anos, recitando poesias para o pai. Aos 6, sua mãe achou que ela deveria ter uma educação inglesa, e a garota foi mandada para um convento, onde permaneceu longe da família. ela fazia pequenas peças, tornando-se uma das garotas mais populares da escola. Queridos bichinhos: Vivien era apaixonada por gatos, principalmente siameses. Romance inesquecível: Mesmo depois de ter se separado de Olivier, a atriz mantia em sua penteadeira a foto do ator. Até sua morte foi tratada como Lady Olivier. Suzanne Farrington: sua única filha. Vivien abriu mão da guarda da filha para se casar com Laurence Olivier. Suzanne lhe deu três netos. Things Are Looking Up (1935): Primeiro filme em que fez uma participação. Uma coitada: foi o comentário dito por Olivier ao saber da morte de Vivien. O ator referia-se aos sofrimentos que ele presenciara por causa da depressão da ex-esposa. Verdadeiro nome: Vivian Mary Hartley. O nome foi mudado por sugestão do produtor de The Mask of Virtue (1935). Vivling era seu apelido. Wizard Gone One: Considerado um dos melhores filmes de todos os tempos, de autoria de Margaret Mitchell. Em 1939 foi levado às telas com Vivien Leigh no papel de Scarlett, depois de uma disputa com milhares de atrizes conhecidas e desconhecidas. A atriz ganhou o Oscar de Melhor Atriz. Xi: Segundo Olivier, em biografia, seus romances extra-conjugais começaram quando Vivien declarou a ele que não o amava mais como um homem, e sim como um irmão. Ele afirmou ainda que andava sempre ao seu lado para evitar que ela se metesse em alguma encrenca, por causa de seus problemas emocionais. Y: O filme “The V.I.P.s” (1963) foi baseado em um incidente seu com Olivier, quando ela estava prestes a abandonar o marido pelo ator Peter Finch. Z: Suas medidas em 1939 eram 32A-23-33.  
| 22238 ace
Título Original: Gone With The Wind Ano/País/Gênero/Duração: 1939 / EUA / Drama Guerra Romance / 238min Direção: Victor Fleming Produção: David O. Selznick Roteiro: Margaret Mitchell, Sidney Howard Fotografia: Ernest Haller Música: Max Steiner Elenco Thomas Mitchell ... Gerald O'Hara Barbara O'Neil ... Ellen O'Hara Vivien Leigh ... Scarlett O'Hara Evelyn Keyes ... Suellen O'Hara - Ann Rutherford ... Carreen O'Hara George Reeves ... Brent Tarleton Fred Crane ... Stuart Tarleton Hattie McDaniel ... Mammy Oscar Polk ... Pork Butterfly McQueen ... Prissy Victor Jory ... Jonas Wilkerson Everett Brown ... Big Sam Howard C. Hickman ... John Wilkes Alicia Rhett ... India Wilkes Leslie Howard ... Ashley Wilkes Olivia de Havilland ... Melanie Hamilton Rand Brooks ... Charles Hamilton Carroll Nye ... Frank Kennedy Clark Gable ... Rhett Butler Laura Hope Crews ... 'Pittypat' Hamilton Eddie 'Rochester' Anderson ... Peter Harry Davenport ... Dr. Meade Leona Roberts ... Sra. Meade Jane Darwell ... Sra. Dolly Merriwether Ona Munson ... Belle Watling Sinopse Gerald O’Hara (Thomas Mitchell) é um imigrante irlandês que mora em uma grande propriedade em Tara, com sua família. Sua filha mais velha, Scarlett (Vivien Leigh) é uma teimosa, bela e arrogante jovem, que tem noção das qualidades que possui e as usa em seu favor. Durante um churrasco, Scarlett flerta com todos os rapazes da região, mas ama Ashley (Leslie Howard). Ao descobrir que ele está noivo de sua amiga Melanie Hamilton (Olivia de Haviland) ela se revolta e acha que Tara é uma terra monótona. Ela decide conquistar Ashley a todo custo, colocando seu melhor vestido. Tudo em vão, ele ama realmente a Melanie, com quem escolhe casar. Irritada com a rejeição, se tranca na biblioteca e acaba conhecendo Rhett Buttler (Clark Gable), um homem charmoso, aventureiro e que, como ela, também não mede palavras para dizer o que sente. Scarlett não gosta dele. Explode a guerra, e ela é pedida em casamento por Charles (Rand Brooks), um dos jovens que lhe cortejam, que deseja ir para a guerra já casado com ela. Movida pela raiva que sente por Ashley ela aceita. Durante a guerra civil, a família perde tudo, e ela tem que aprender a se erguer das cinzas. Para isso ela contará com sua perseverança e também com a ajuda de Rhett, que lhe pede em casamento após ela ficar viúva. Curiosidades - Bilheterias: EUA (US$ 198,676,459); restante do mundo (US$ 201,500,000) - As roupas usadas por Scarlett vão empobrecendo ao passo que ela também fica pobre. Porém, a elegância é mantida, graças ao figurinista Walter Plunkett. - Primeiro filme colorido a ganhar o Oscar de Melhor Filme. - Victor Fleming dirigiu cerca de 45% do filme. O outro restante foi dirigido por George Cukor, Sam Wood, William Cameron Menzies e Sidney Franklin. - A intenção de Margaret Mitchell, autora do livro em que se baseou o filme, era dar o nome de Pansy O’Hara a protagonista. - Os direitos sobre o livro foram comprados apenas um mês após seu lançamento. David O. Selznick pagou cinqüenta mil dólares a Mitchell. - Foram mais de 1400 atrizes testadas para o papel de Scarlett. - O diretor Fleming sofreu um colapso nervoso, graças ao esgotamento mental e aos problemas tidos com Vivien Leigh e Olivia de Havilland (que insistiam em ensaiar em sigilo com o ex-diretor George Cukor). - Quem escolheu Vivien Leigh foi o produtor David O. Selznick. - Dentre as atrizes testadas estavam Bette Davis, Paulette Goddard. - Durante a cena do incêndio em Atlanta foram utilizados os sets de filmes antigos, o de King Kong, para ser mais preciso. - Mais de mil extras e bonecos de cera foram utilizados na cena em que Scarlett caminha entre os corpos de sobreviventes da batalha de Gettysburg. - Vivien Leigh recebeu vinte cinco mil dólares. Clark Gable recebeu cento e vinte mil. - Foram filmados 60.000 metros de filme, o que davam 28 horas de projeção. - A atriz Hattie McDaniel não compareceu à premiere do filme por ser negra. - Custo da produção: cinco milhões de dólares. Prêmios - Oscar de Melhor Filme, Direção, Roteiro, Atriz (Vivien Leigh), Atriz Coadjuvante (Hattie McDaniel), Fotografia, Direção de Arte, Edição, Realização Técnica. - Indicações ao Oscar de Melhor Ator (Clark Gable), Atriz Coadjuvante (Olivia de Havilland), Efeitos Especiais, Trilha Sonora e Efeitos Sonoros. ASSISTA ONLINE PARTE 1 PARTE 2 Imagens
| 21985 ace
Ficha Título Original: The Kid Ano/País/Gênero/Duração: 1921 / EUA / Comédia / 68min Direção: Charles Chaplin Produção: Charles Chaplin Roteiro: Charles Chaplin Fotografia: Rollie Totheroh Música: Charles Chaplin     Elenco: Charles Chaplin .......... Vagabundo Edna Purviance ........... Mãe do garoto Jackie Coogan ............. o garoto (Jack Coogan) Baby Hathaway ........... o garoto quando bebê Carl Miller ................... pintor, o pai Granville Redmond ..... amigo Tom Wilson ……….... policial Nelly Bly Baker ……...vizinha Charles Reisner ……... Bully Raymond Lee .............. outro garoto Lita Grey ..................... anjo que flerta com o vagabundo (Lillita McMurray) Lançamento: 06 de fevereiro de 1921.   Sinopse Uma mãe pobre e sozinha (Edna) abandona seu filho em um carro que pertence a uma família de posses. Depois de ver uma babá com uma criança, ela se arrepende, porém já é tarde, pois dois ladrões já levaram a criança; Estes, sem saber o que fazer com o garoto, deixam-no em uma rua qualquer. O vagabundo vai passando e percebe um pequeno “pacote”, que julga ter caído de algum lugar. Vai em busca do “dono”, porém não encontra. Acaba levando o garoto para casa e, por falta de opção, decide cuidar dele. O garoto cresce, e torna-se seu companheiro, partilhando a pobreza e a comida. A mãe do garoto se transforma em uma mulher rica, porém amargurada por não ter seu filho. Ela reencontra o pintor, pai do garoto, e conta o que aconteceu em sua vida. É fazendo doações às crianças pobres, que ela chega ao local onde seu filho vive. E sem que o saiba, encontra-se com ele. O garoto fica doente, e o vagabundo chama o médico. Este, achando que a criança não vive em um local apropriado, chama a polícia, para que encaminhe o garoto para um albergue para menores. Levam o garoto, e a mãe finalmente, ao ler o bilhete que deixara na cesta junto ao bebê, tem certeza de que se trata do seu filho abandonado. Sem dúvida alguma, o filme em que Chaplin conseguiu unir a comédia e o drama em sua maior perfeição. O momento em que o garoto é levado para o orfanato, e o vagabundo é preso por dois homens, enquanto escuta os gritos, é de uma comoção inatingível até então. Ele conseguiu passar sem nenhuma palavra, todo o sentimento embutido naquele momento tão triste.   Notas   - Chaplin levou quase um ano fazendo este filme, seu primeiro longa metragem. - O filme custou 300.000 dólares, mas acabou rendendo 2.500,00 dólares, líquidos.   - Esse foi também, o primeiro filme em que ele permite dividir os créditos por um sucesso. Jackie Coogan foi, juntamente com Charles, o astro principal. - Com este filme, entra em sua vida Lita Grey, que viria a se transformar na segunda Sra. Chaplin. Ao começar esse filme, ele estava se divorciando de Mildred Harris, que abortara seu primeiro filho. - Este filme teve inspiração na própria infância de Chaplin, na Inglaterra. Ele também, como o garoto, foi para um orfanato, e sofreu a ausência de amor. - Este filme foi sonorizado em 1937, com música de Henry Verdun. Em 1971 Chaplin compôs uma nova trilha. - A imagem do garoto e do vagabundo sentados numa soleira de porta é a mais reproduzida em todo o mundo, até hoje. - Segundo Jackie Coogan, os métodos de Chaplin para colher uma interpretação dele eram no mínimo curiosos: para a cena em que ele precisou que o garoto chorasse (ao ser levado para o orfanato), Chaplin o levou para um canto e contou que seus pais lhe levariam realmente para um orfanato. O garoto começou a chorar. Pronto, estava preparado. - Jackie Coogan, depois do filme, transformou-se em um ator requisitadíssimo. Uma das primeiras estrelas mirins do cinema. Casou-se com Betty Grable e afastou-se das telas. Depois do sucesso, já mais velho e careca, ele fez o Tio Fester, da Família Adams. ASSISTA ONLINE     Fotos  
| 21816 ace
Título Original: Camille Ano/País/Gênero/Duração: 1936 / EUA / Drama / 108min Direção: George Cukor Produção: Bernard H. Hyman Roteiro: Zoe Akins, Frances Marion e James Hilton Fotografia: William H. Daniels e Karl Freund Música: Herbert Stothart Elenco Greta Garbo .... Marguerite Gautier Robert Taylor .... Armand Duval Lionel Barrymore .... Monsieur Duval Elizabeth Allan .... Nichette Jessie Ralph .... Nanine Henry Daniell .... Barão de Varville Leonore Ulric .... Olympe Laura Hope Crews .... Prudence Duvernoy Rex O'Malley .... Gaston Joan Leslie Sinopse Marguerite Guatier (Greta Garbo) é uma bela cortesã que acaba se apaixonando por Armand Duval (Robert Taylor), filho de um antigo amante seu. É humilhada por ele, que lhe diz que ela não é boa companhia para seu filho, e que arruinará o futuro dele. Mesmo apaixonada, Marguerite decide separar-se dele, dizendo que irá voltar para um antigo amante. Curiosidades - Orçamento de $ 1,4 milhão de dólares. - Filme de estréia de Joan Leslie. - Dentre seus filmes, este era o preferido de Greta Garbo. ASSISTA ONLINE Imagens
| 21724 ace
“Quem me criou foi o tempo, foi o ar. Ninguém me criou. Aprendi como as galinhas, ciscando, o que não me fazia sofrer eu achava bom”. “Tudo que passou, acabou. Eu sobrevivi”. “O ontem acabou. Não tenho mágoa de nada e nem saudade de nada. Vivo o hoje. Tenho alegria de viver, adoro a vida". - Dercy Gonçalves, falando sobre a vida. “Eu já fui acusada de tudo. Eu era "negrinha" (sua avó era negra), menina de rua, mas nada disso me atingiu porque eu não sabia o que era o mundo. Não tinha nem amigos. Passeava na rua e era perseguida com 7, 10 anos, porque o negro é perseguido há séculos”. - Dercy Gonçalves sobre a infância. “Não acredito em santo nenhum. Minha religião é a natureza. Deus é um apelido. Ele pra mim não existe. O que existe é a natureza. Deus é fantasma, mas a natureza é a verdade”. “Não podia levantar o braço na passarela. Arriei e fui dançando e cantando. Tinha os seios lindos naquela ocasião. Mostrei. Houve gritaria, escândalo, mas por quê? Os seios são a coisa mais linda na mulher". - Dercy Gonçalves, sobre ter mostrado os seios durante desfile em sua homenagem no carnaval carioca, aos 84 anos. “Todas as manhãs, a solidão me deixa deprimida. Moro sozinha, tem três pessoas que se revezam para me acompanhar. Minha filha não mora comigo. Filho não gosta de mãe; é a mãe que gosta do filho. Eles crescem, ganham independência e passam a ter prioridades. Eu me animo no cair da tarde, às 16h mais ou menos. Luto para ter forças para sair. Aí me arrumo, vou pro bingo. Lá, sou muito bem tratada, ganho cartelas e me distraio. À noite, vou a festas, jantares, adoro comer. E volto pra casa, durmo feliz. Assim são meus dias, sem expectativa”. — Dercy, em um desabafo “Eu fiz 94 anos, mas me digo que estou com 95 para me energizar e chegar lá. Escrevem o que eu digo: eu só vou morrer quando eu quiser! Não programo morte, eu programo vida!” — Ao completar 94 anos “A morte é linda...mas a vida também é muito boa!” — Em cena pela última vez no espetáculo Pout-PourRir “Eu vou sentir falta de vocês. Mas vocês também vão sentir a minha” — Para uma platéia lotada no espetáculo Pout-PourRir
| 21151 ace
FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha   Nome:  George Peppard Jr. Nascimento e local:01/10/1928 – Detroit, Michigan EUA Morte e local: 08/05/1994, Los Angeles, Califórnia, câncer no pulmão Ocupação: ator Nacionalidade: Americana Casamentos:  Helen Davies, Elizabeth Ashley, Sherry Bouche, Alexis Adam, Laura Taylor Filhos: Bradford, Julie, Christian Peppard Biografia     George Peppard Jr nasceu em Detroit, Michigan em 01 de outubro de 1928. Antes da fama foi fuzileiro naval e sargento, chegando a estudar engenharia civil. Mas, interessado por teatro, chegou ao famoso Actor’s Studios. Sua estréia no cinema foi em 1957, no filme “The Strange One” de Jack Garfein. Dentre seus papéis marcantes, citamos o escritor Paul “Fred” Varjak em Bonequinha de Luxo (Breakfast as Tiffany’s), O Coronel John “Hannibal” Smith da série Esquadrão Classe A (The A-Team) e Jonas Cord Jr. em Os Insaciáveis (The carpetbaggers). Ele faria o papel de Blake Carrington na série Dinastia, da década de 80, mas por problemas com o diretor foi substituído por John Forsythe. Em 1982 fez o teste para o papel do coronel John Hannibal Smith na série televisiva The A-Team. A série ficou no ar por cinco temporadas, entre 1983 a 1987. Peppard superou seu problema com o alcool em 1978 e posteriormente se envolveu com associações de combate ao vício. Contudo, jamais conseguiu largar o fumo, e chegava a fumar dois maços de cigarros por dia. Acabou morrendo em 1992, em decorrência de um câncer de pulmão. Filmes   The Tigress (1992) Ultra Warrior (1990) The A-Team (1983-1987) Hit Man (1982) Race for the Yankee Zephyr (1981) Your Ticket Is No Longer Valid (1981) Battle Beyond the Stars (1980) From Hell to Victory (1979) Days from Home (1979) Damnation Alley (1977) Doctors’ Hospital (1975-76) Mid-Air Crash (TV) (1975) Newman’s Law (1974) The Groundstar Conspiracy (1972) One More Train to Rob (1971) Cannon for Cordoba (1970) The Executioner (1970) Pendulum (1969) House of Cards (1968) What’s So Bad About Feeling Good? (1968) P.J. (1968) Rough Night in Jericho (1967) Tobruk (1967) The Blue Max (1966) The Third Day (1965) Operation Crossbow (1965) The Carpetbaggers - Os Insaciáveis (1964) Victors (1963) How the West Was Won - A Conquista do Oeste (1962) Breakfast at Tiffany’s - Bonequinha de Luxo (1961) The Subterraneans (1960) Home From the Hill - A casa da colina (1960) Pork Chop Hill (1959) The Strange One (1957)   Mais Melhores beijos, segundo o The Sun Os Insaciáveis e O aviador       Imagens     Vídeos     k5rBv2ctT5E  
| 21079 ace
  Ficha Título original: The Birth of a Nation Ano/País/Gênero/Duração: 1915/EUA/Drama/180min Produção: D.W. Grifffth Direção: D.W. Grifffth Roteiro: Thomas F. Dixon Jr. Fotografia: G.W. Bitzer Música: Joseph Carl Breil Elenco Lillian Gish ... Elsie Stoneman Mae Marsh ... Flora Cameron Henry B. Walthall ... Col. Ben Cameron Miriam Cooper ... Margaret Cameron Mary Alden ... Lydia Brown Ralph Lewis ... Austin Stoneman George Siegmann ... Silas Lynch Walter Long ... Gus Robert Harron ... Tod Stoneman Wallace Reid ... Jeff Joseph Henabery ... Abraham Lincoln Elmer Clifton ... Phil Stoneman Josephine Crowell ... Mrs. Cameron Spottiswoode Aitken Dr. Cameron George Beranger ... Wade Cameron   Sinopse Levando em conta vários acontecimentos históricos da história dos EUA, durante a guerra civil. Conta a história dos irmãos Stoneman, que se separam para defenderem exércitos diferentes e suas experiências durante este período tão difícil da história americana, que contou com o assassinato do presidente Lincoln e o surgimento da Ku Klux Klan. Notas Inovações técnicas: planos abertos, cenas coreografadas, trilha sonora. Apesar de inovar tecnicamente, e ser um marco do cinema mudo, o filme é racista até mesmo para os padrões da época, mostrando cenas de linchamento de negros, provocando protestos. O título original era The Clansman, com o qual chegou a estrear em Nova York. O filme lucrou mais de 10 milhões de dólares. ASSISTA ONLINE       Imagens
| 21003 ace
  Título original: Blood and Sand Ano/País/Gênero/Duração: 1941/EUA/Drama/125min Produção: Jesse L. Lasky e Fred Niblo Direção: Rouben Mamoulian Roteiro: Vicente Blasco Ibáñez e Jo Swerling Fotografia: Alvin Wyckoff Música: Vicente Gómez Elenco Tyrone Power ... Juan Gallardo Linda Darnell ... Carmen Espinosa Rita Hayworth ... Doña Sol des Muire Alla Nazimova ... Señora Augustias Gallardo Anthony Quinn ... Manola de Palma J. Carrol Naish ... Garabato John Carradine ... Nacional Lynn Bari ... Encarnacíon Laird Cregar ... Natalio Curro Monty Banks ... Antonio López Vicente Gómez ... Guitarist George Reeves ... Captain Pierre Lauren Pedro de Cordoba... Don Jóse Álvarez Fortunio Bonanova ... Pedro Espinosa Victor Kilian ... padre Sinopse Juan Gallardo (Tyrone Power), um menino pobre sonha em seguir os passos de seu pai que foi um toureiro, mas que infelizmente morreu abatido pelo touro. Para tanto, abandona a família e muda-se para a Espanha, onde acredita que poderá aprender todas as técnicas. De lá volta 10 anos depois, com relativo sucesso, para casar-se com sua namorada de infância. Sua carreira deslancha e ele se torna o maior toureiro da Espanha. Com o dinheiro, chama a atenção de uma vamp (Rita) que consegue sua atenção e coração. Sua esposa e amigos tentam em vão afasta-lo dela, mas não conseguem. Curiosidades: Baseado na obra homônima de Vicente Blasco Ibanez. Esse filme é a refilmagem da versão de 1922, que trazia Rodolfo Valentino, Lila Lee e Nita Naldi nos papéis principais. Um dos pontos altos do filme, além de Rita Hayworth (em seu primeiro filme colorido), é a presença de Alla Nazimova, conhecida atriz do cinema mudo, no papel da mãe de Juan. ASSISTA ONLINE
| 20594 ace
1. E O Vento Levou (1939)   2. O Mágico de Oz (1939)   3. Luzes da Cidade (1931)   4. Aconteceu Naquela Noite (1934)     5. Scarface, a Vergonha de Uma Nação (1932)   6. O Atalante (1934)   7. No Tempo das Diligências (1939)   8. A Idade do Ouro (1930) 9. Anjos de Cara Suja (1938)   10. Do Mundo Nada se Leva (1938)     Outros destaques: A Mulher Faz o Homem (1939) M - O Vampiro de Dusseldorf (1931) Tempos Modernos (1936) A Grande Ilusão (1937) Fogo de Outono (1936) O Anjo Azul (1930) 39 Degraus (1935) Cupido é Moleque Teimoso (1937) Rua da Vaidade (1937) Nasce Uma Estrela (1937) A Rua da Vaidade (1937) Vitória Amarga (1939) Cavalgada (1939) Ninotchcka (1939)  
| 20476 ace
  "Tudo o que fazemos está ligado ao dinheiro. Eu sou uma mercadoria e tenho plena consciência disso." "Não importa com quem você se case, sempre acorda casado com outra pessoa." “Um ator é um cara que se você não está falando sobre ele, ele não está ouvindo.” “Bertolucci é extraordinário em sua capacidade de perceber, ele é um poeta ... ele é muito fácil para se trabalhar.” - Sobre o diretor Bernardo Bertolucci. “Chaplin é um homem cujos talentos são tão grandes que você tem que apostar. Em primeiro lugar a comédia é o seu quintal. Ele é um gênio, um gênio cinematográfico. Um comediante de talento sem igual.” “Kazan é um diretor intérprete, o melhor diretor que eu já trabalhei ... A maioria dos atores não recebem nenhuma ajuda de diretores. Emocionalmente ajuda, se você estiver trabalhando uma parte emocional. Kazan é o único que eu sei que realmente dá-lhe ajuda.” - Sobre o diretor Elia Kazan. “Acho que não fui construído para ser monogâmico. Eu não acho que é a natureza de qualquer homem ser monogâmico. Os homens são movidos por impulsos geneticamente ordenados sobre os quais eles não têm controle para distribuir as suas sementes.” “ Ninguém me diz o que fazer”. Isso é exatamente como me senti a vida toda.” “Se um estúdio me oferecesse tanto dinheiro para eu varrer o chão quanto oferece para eu atuar, eu varreria. Quem se preocupa com o os aplausos? Preciso aplausos para se sentir bem sobre mim mesmo?” “O close-up diz tudo, é então que um ator mostra o que tem aprendido, ensaiado. O comportamento se torna mais evidente para a platéia. Em um close-up, o público está a centímetros de distância, e seu rosto se transforma no palco.” “Suponho que a história da minha vida é uma busca de amor, mas mais do que isso, fui à procura de um caminho próprio para a reparação dos danos que sofri desde o início, bem como definir a minha obrigação, se eu tivesse alguma, para mim e para minha espécie.” “Atuar é a expressão de um impulso neurótico. É uma vida vagabunda. O principal benefício que atuar tem me oferecido é o dinheiro para pagar o meu psicanalista.” “Eu não importo se eu estou gordo. Se você ainda ganhar o mesmo dinheiro.” “Não quero espalhar a manteiga de amendoim da minha personalidade sobre o pão bolorento da imprensa comercial.” “Se há algo inquietante para o estômago, é assistir a atores na televisão falando sobre suas vidas pessoais.” “Privacidade não é algo que eu mereça, é um requisito absoluto.” “A única razão pela qual estou em Hollywood é que eu não tenho a coragem moral de se recusar o dinheiro.” “Será que as pessoas me aplaudiriam se eu fosse um bom encanador.” “Você pode sentar lá e ter uma experiência universal, de medo, de raiva, de lágrimas, de amor, e eu descobri que o seu público, realmente, está te fazendo atuar.”  
| 20449 ace
Título Original: Tarzan Finds a Son Ano/País/Gênero/Duração: 1939 /EUA / Aventura / 82min Direção: Richard Thorpe Produção: Sam Zimbalist Roteiro:  Cyril Hume Fotografia: Leonard Smith Música: William Axt, Sol Levy Elenco Johnny Weissmuller... Tarzan Maureen O’Sullivan ... Jane Parker Johnny Sheffield ... Boy Ian Hunter ... Sr. Austin Lancing Henry Stephenson ... Sir Thomas Lancing Frieda Inescort ... Sra. Lancing Henry Wilcoxon ... Sr. 'Sandee' Sande Laraine Day ... Sra. Richard Lancing Morton Lowry ... Sr. Richard Lancing Gavin Muir ... Pilot Sinopse Os chimpanzés encontram um bebê no meio de destroços de um avião que ia para a cidade do Cabo e caiu na selva. Chita leva o bebê e o mostra a Tarzan (Johnny Weissmuller) e Jane (Maureen O'Sullivan), que ao saberem que ele é um órfão,  adotam-no como filho. Dão-lhe o nome de Boy (Johnny Sheffield ). Após cinco anos, uma expedição é mandada para investigar se há sobreviventes da tragédia, pois somente com isso poderão receber a fortuna deixada pelo casal morto. Curiosidades - As cenas aquáticas foram realizadas na Flórida. - Pelo roteiro original, Jane morreria neste filme, mas teve que ser alterado devido ao apelo popular que não queria que ela morresse. - O garoto teve que ser adotado, pois o código da época não permitia que um casal que vivesse sem ser casados tivessem filhos. - No livro, Tarzan é que era o herdeiro Greystoke. - Quarto filme da série estrelada por Johnny Weissmuller e Maureen O'Sullivan. - John Sheffield tinha 8 anos durante as filmagens. Ele foi escolhido por Johnny Weissmuller, após diversos testes com centenas de candidatos. Weissmuller também o ensinou a nadar para o filme. ASSISTA ONLINE: Imagens
| 20063 ace
Título Original: The Hunchback of Notre Dame Ano/País/Gênero/Duração: 1939 / EUA / Drama / 115min Direção: William Dieterle Produção: Pandro S. Berman Roteiro: Sonya Levien Fotografia: Joseph H. August Música: Alfred Newman Elenco Charles Laughton ... Quasimodo Cedric Hardwicke ... Frollo Thomas Mitchell ... Clopin Maureen O'Hara ... Esmeralda Edmond O'Brien ... Gringoire Alan Marshal ... Phoebus Walter Hampden ... Archdeacon Harry Davenport ... King Louis XI Katharine Alexander ... Madame de Lys George Zucco ... Procurator Fritz Leiber ... Old Nobleman Etienne Girardot ... Doctor Helene Whitney ... Fleur de Lys Minna Gombell ... Queen of Beggars Arthur Hohl ... Olivier Sinopse Quasimodo (Charles Laughton) é o solitário sineiro da Catedral de Notre Dame, e perambula em Paris durante as noites. As pessoas tem medo dele, pois é corcunda e feio. O chefe de segurança do castelo se apaixona por Esmeralda (Maureen O’Hara), uma bela cigana e manda Quasimodo seqüestra-la. Os dois acabam sendo presos por Phoebus, um capitão. Ele é sentenciado injustamente e Esmeralda cuida do corcunda, preso na masmorra. Quasimodo se apaixona perdidamente por ela. E quando Esmeralda é acusada de assassinato e ele resolve protegê-la. Curiosidades - Esta é a versão mais fiel do clássico de Victor Hugo para o cinema. - A Disney fez uma versão animada do clássico. - A primeira versão do clássico foi ainda no cinema mudo, com Lon Chaney no papel principal, em 1923. - O filme marcou a estréia de Edmond O’Brien no cinema. - Charles Laughton insistiu para que Maureen O’Hara fizesse o papel de Esmeralda. - A maquiagem de Laughton durava duas horas. - Orçamento: Um milhão e oitocentos mil dólares. Prêmios - Indicação ao Oscar de Melhor Trilha Sonora e Arranjos.   Assista Online     Download: Este filme é de domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria. Legendas Imagens
| 19815 ace
Título Original: The Grapes of Wrath Ano/País/Gênero/Duração: 1940 / EUA / Drama / 128min Direção: John Ford Produção: Darryl F. Zanuck Roteiro:  John Steinbeck, Nunnally Johnson Fotografia: Greg Toland Elenco Henry Fonda .... Tom Joad Jane Darwell .... Ma Joad John Carradine .... Casy Charley Grapewin .... Avô Dorris Bowdon .... Rosasharn Russell Simpson .... Pa Joad O.Z. Whitehead .... Al John Qualen .... Muley Eddie Quillan .... Connie Zeffrie Tilbury .... Avó Frank Sully .... Noah Frank Darien .... Tio John Darryl Hickman .... Winfield Shirley Mills .... Ruth Joad Sinopse Durante a Grande Depressão de 1929, uma família de trabalhadores rurais luta para ter melhores condições de vida. Tom Joad (Henry Fonda) esteve preso por homicídio e após cumprir sua pena muda-se com a família de Oklahoma para a Califórnia, que dizem ser uma terra onde os empregos são melhores. Mas durante a viagem, eles verificam que a realidade é outra, e que o local para onde eles estão indo pode não ser tão bom quanto eles esperam. Curiosidades - Baseado no romance homônimo de John Steinback. - Foi refilmado em 1991, sob o título The Grapes os Wrath. Prêmios - Oscar de Melhor Diretor e Atriz Coadjuvante (Jane Darwell). - Indicação ao Oscar de Melhor Filme, Ator (Henry Fonda), Roteiro, Edição e Som. ASSISTA ONLINE Imagens
| 19797 ace
Título Original: The Adventures of Tom Sawyer Ano/País/Gênero/Duração: 1938 / EUA / Infantil Aventura / 77min Direção: Norman Taurog Produção: David O. Selznick Roteiro: John V.A. Weaver Fotografia: James Wong Howe Música: Max Steiner Elenco May Robson ... Aunt Polly Walter Brennan ... Muff Potter Victor Jory ... Injun Joe David Holt ... Sid Sawyer Victor Kilian ... Sheriff Nana Bryant ... Mrs. Thatcher Olin Howland ... Mr. Dobbins - Schoolmaster Donald Meek ... Sunday School Superintendent Charles Richman ... Judge Thatcher Margaret Hamilton ... Mrs. Harper Marcia Mae Jones ... Mary Sawyer Mickey Rentschler ... Joe Harper Cora Sue Collins ... Amy Lawrence Philip Hurlic ... Little Jim Ann Gillis ... Becky Thatcher Sinopse Tom, um órfão, vive com sua tia Polly e adora cabular aulas, quando sai com seus amigos para inúmeras aventuras. Numa dessas, acabam testemunhando um assassinato e são caçados pelo assassino vingativo. Curiosidades - Adaptação do clássico de Mark Twain, publicado originalmente em 1876. Assista Online Imagens
| 19773 ace
    Segue lista da AFI (American Film Institute) dos melhores filmes americanos do século, divididos por categoria: DESENHOS ANIMADOS: 1. "Branca de Neve e os Sete Anões" (1938) 2. "Pinóquio" (1940) 3. "Bambi" (1942) 4. "O rei Leão" (1994) 5. "Fantasia" (1942) 6. "Toy Story" (1995) 7. "A Bela e a Fera" (1991) 8. "Shrek" (2001) 9. "Cinderela" (1950) 10. "Procurando Nemo" (2003) COMÉDIA ROMÂNTICA: 1. "Luzes da cidade" (1931), de Charles Chaplin 2. "Noivo neurótico, noiva nervosa" (1977), de Woody Allen 3. "Aconteceu naquela noite" (1934), de Frank Capra 4. "A princesa e o plebeu" (1953), de William Wyler 5. "Núpcias de escândalo" (1941), de George Cukor 6. "Harry e Sally" (1989), de Rob Reiner 7. "A costela de Adão" (1949), de George Cukor 8. "Feitiço da lua" (1987), de Norman Jewison 9. "Ensina-me a viver" (1971), de Hal Ashby 10. "Algo para recordar" (1993), de Nora Ephron FAROESTE: 1. "Rastros de ódio" (1956), de John Ford 2. "Matar ou morrer" (1952), de Fred Zinnemann 3. "Os brutos também amam" (1953), de George Stevens 4. "Os imperdoáveis" (1992), de Clint Eastwood 5. "Rio vermelho" (1948), de Howard Hawks 6. "Meu ódio será sua herança" (1969), de Sam Peckinpah 7. "Butch Cassidy" (1969), de George Roy Hill 8. "Jogos e trapaças - Quando os homens são homens" (1971), de Robert Altman 9. "No tempo das diligências" (1939), de John Ford 10. "Dívida de sangue" (1965), de Elliot Silverstein ESPORTIVOS: 1. "Touro indomável" (1980), de Martin Scorsese 2. "Rocky" (1976), de John G. Avildsen 3. "Ídolo, amante e herói" (1942), de Sam Wood 4. "Momentos decisivos" (1986), de David Anspaugh 5. "Sorte no amor" (1988), de Ron Shelton 6. "Desafio à corrupção" (1961), de Robert Rossen 7. "Clube dos pilantras" (1980), de Harold Ramis 8. "Correndo pela vitória" (1979), de Peter Yates 9. "A mocidade é assim mesmo" (1944), de Clarence Brown 10. "Jerry Maguire - A grande virada" (1996), de Cameron Crowe MISTÉRIO: 1. "Um corpo que cai" (1958), de Alfred Hitchcock 2. "Chinatown" (1974), de Roman Polanski 3. "Janela indiscreta" (1954), de Alfred Hitchcock 4. "Laura" (1944), de Otto Preminger 5. "O terceiro homem" (1949), de Carol Reed 6. "O falcão maltês" (1941), de John Huston 7. "Intriga internacional" (1959), de Alfred Hitchcock 8. "Veludo azul" (1986), de David Lynch 9. "Disque M para matar" (1954), de Alfred Hitchcock 10. "Os suspeitos" (1995), de Bryan Singer FANTASIA: 1. "O mágico de Oz" (1939), de Victor Fleming e King Vidor 2. "O senhor dos anéis: A sociedade do anel" (2001), de Peter Jackson 3. "A felicidade não se compra" (1947), de Frank Capra 4. "King Kong" (1933), de Merian C. Cooper e Ernest B. Schoedsack 5. "Milagre na Rua 34" (1947), de George Seaton 6. "Campo dos sonhos" (1989), de Phil Alden Robinson 7. "Harvey" (1950), de Henry Koster 8. "Feitiço do tempo" (1993), de Harold Ramis 9. "O ladrão de Bagdá" (1924), de Raoul Walsh 10. "Quero ser grande" (1988), de Penny Marshall FICÇÃO CIENTÍFICA: 1. "2001: Uma odisséia no espaço" (1968), de Stanley Kubrick 2. "Guerra nas estrelas" (1977), de George Lucas 3. "E.T. - O Extraterrestre" (1982), de Steven Spielberg 4. "Laranja mecânica" (1971), de Stanley Kubrick 5. "O dia em que a Terra parou" (1951), de Robert Wise 6. "Blade Runner - O caçador de andróide" (1982), de Ridley Scott 7. "Alien - O oitavo passageiro" (1979), de Ridley Scott 8. "O exterminador do futuro 2: O julgamento final" (1991), de James Cameron 9. "Vampiros de almas" (1956), de Don Siegel 10. "De volta para o futuro" (1985), de Robert Zemeckis GÂNGSTERES: 1. "O poderoso chefão" (1972), de Francis Ford Coppola 2. "Os bons companheiros" (1990), de Martin Scorsese 3. "O poderoso chefão 2" (1974), de Francis Ford Coppola 4. "Fúria sanguinária" (1949), de Raoul Walsh 5. "Bonnie e Clyde" (1967), de Arthur Penn 6. "Scarface: A vergonha de uma nação" (1932), de Howard Hawks 7. "Pulp Fiction - Tempo de violência" (1994), de Quentin Tarantino 8. "O inimigo público" (1931), de William A. Wellman 9. "Alma no lodo" (1931), de Mervyn Leroy 10. "Scarface" (1983), de Brian de Palma TRIBUNAIS: 1. "O sol é para todos" (1962), de Robert Mulligan 2. "12 homens e uma sentença" (1957), de Sydney Lumet 3. "Kramer vs. Kramer" (1979), de Robert Benton 4. "O veredicto" (1982), de Sydney Lumet 5. "Questão de honra" (1992), de Rob Reiner 6. "Testemunha de acusação" (1957), de Billy Wilder 7. "Anatomia de um crime" (1959), de Otto Preminger 8. "A sangue frio" (1967), de Richard Brooks 9. "Um grito no escuro" (1988), de Fred Schepisi 10. "Julgamento em Nuremberg" (1961), de Stanley Kramer ÉPICO: 1. "Lawrence da Arábia" (1962), de David Lean 2. "Ben-Hur" (1959), de William Wyler 3. "A lista de Schindler" (1993), de Steven Spielberg 4. "...E o vento levou" (1939), de Victor Fleming 5. "Spartacus" (1960), de Stanley Kubrick 6. "Titanic" (1997), de James Cameron 7. "Nada de novo no front" (1930), de Lewis Milestone 8. "O resgate do soldado Ryan" (1998), de Steven Spielberg 9. "Reds" (1981), de Warren Beatty 10. "Os dez mandamentos" (1956), de Cecil B. DeMille  
| 19590 ace
    "Eu não teria chegado aonde cheguei se não fosse com a ajuda de Deus, pois eu sei que ele guia cada passo meu" "Cuidem bem dos vossos fãs e podem ter a certeza que eles cuidarão bem de vocês." [carece de fontes?] "O dinheiro existe para ser espalhado, quanto mais felicidade ajudar a criar, mais valor tem." [carece de fontes?] "Quando não se está apaixonado, não se está vivo." [carece de fontes?] "Tudo o que os jovens precisam é de esperança e do sentimento de que pertencem a algo. Se eu pudesse fazer ou dizer alguma coisa que desse a eles este sentimento, eu acredito ter contribuído em algo para o mundo" [carece de fontes?] "Sempre soube que deveria haver um propósito em minha vida. Senti sempre alguém me guiando. Quero dizer, deve haver uma razão. Por que eu fui escolhido? Entre milhares de pessoas, por que eu? Por que eu fui escolhido para ser Elvis Presley. Tem que ter uma razão." [carece de fontes?] "As pessoas acham que estou sozinho. Eu amo minha vida. Não desistiria dela por nada nem ninguém. Eu a consegui. É o que sempre quis". [carece de fontes?] "Eu era incompreendido até mesmo quando ainda era um menino em Tupelo" [carece de fontes?] "Apenas sou um cara que procura respostas" [carece de fontes?] "Como é que pode várias pessoas batizarem seus filhos de Elvis? Deve ter existido um Elvis e uma razão para este nome" [carece de fontes?] "Acho que agora eu sei qual é minha missão, levar alegria a vida de outras pessoas. As pessoas sofrem em todo lugar e a cada dia isso piora. Não sou um pregador, sou um cantor. É meu papel e eu adoro. Agradeço a Deus por ser o que sou. E quem sabe? Talvez exista algo mais para mim. Talvez Deus queira me usar para fazer grandes coisas. Sinto isso, espero que seja verdade" [carece de fontes?] "Acho que o único problema é que as pessoas não me compreendem" [carece de fontes?] "A imagem é uma coisa o ser humano é outra. É difícil manter uma imagem" [carece de fontes?] "Agora compreendo algo sobre mim mesmo. Tenho a força do céu e do inferno em mim. Preciso aprender a equilibrá-las porque são perigosas. Tenho que saber me controlar" [carece de fontes?]       "Fofocas são apenas palavras pequenas vindas de mentes pequenas." " Eu li gibis e me tornei o herói dos gibis, eu assisti filmes e me tornei o herói nos filmes. Assim, cada sonho que eu sonhei se tornou realidade centenas de vezes.Esses senhores aqui, são o tipo de pessoas que se importam. Eles são dedicados. Eles devem estar construindo o reino dos céus, aqui mesmo. Não é tão difícil de acreditar nisso. Eu gostaria de dizer que eu aprendi, muito cedo na vida, que sem uma música o dia nunca terminaria, sem uma música, o homem não tem amigos, sem uma música, a estrada nunca teria uma curva, sem uma música, então eu continuarei cantando a música."     - Recebendo o prêmio de 'Ten Outstanding Young Men of America' no dia 16 janeiro de 1971. " Eu não sou Rei. Cristo é o Rei. Eu sou apenas um cantor" [carece de fontes?] "Cara, tudo o que eu fazia era natural. Acho que se você tem uma mente suja vê sujeira nos outros". [carece de fontes?] "Meus pais sacrificaram toda a vida por mim. Nunca vou esquecer isso. Minha mãe era tão boa, e à noite quando fecho os olhos posso sentir a presença dela. E quando volto para casa, Graceland, sei que ela está lá. Posso sentir" [carece de fontes?] "Eu era apenas uma criança muito protegida e mimada por ser filho único" [carece de fontes?] "Coincidência é coisa que não existe. Há significado para tudo. Sempre soube que existe uma vida espiritual mas não da forma como as igrejas impõem, causando medo. Se os rapazes me ouvirem falando essas coisas vão achar que estou louco" [carece de fontes?] "Eu acho que é mais importante acreditar em Deus do que ir a Igreja" [carece de fontes?] "Deve haver alguma coisa em comum entre medicamentos e meditação, eles tem o mesmo efeito" [carece de fontes?] "A única coisa boa em ter dinheiro é que você não precisa se preocupar com ele. Se eu gastar tudo hoje amanhã ganho mais. Isso não importa. O que importa são as pessoas que temos a nossa volta" [carece de fontes?] "Eu acho que a coisa mais importante na vida de uma pessoa é felicidade. Não coisas materiais como carro, dinheiro, casa, você pode ter tudo. Se você não for feliz, o que você tem? Então eu acho que se eu puder apenas continuar fazendo a vida das pessoas agradável e fazer minha própria vida feliz, então e tudo o que eu poderia esperar da vida." [carece de fontes?] "Se você odeia um outro ser humano por causa de sua raça, esta odiando parte de você mesmo" [carece de fontes?] "Fofocas são apenas palavras pequenas vindas de mentes pequenas." [carece de fontes?] "Eu não quero acabar com o trabalho de ninguém, repórteres tem que escrever algo e se eles não tem nada real para escrever eles inventam." [carece de fontes?] "Eu fiz bons filmes nos anos 50. Sei que posso ser um bom ator, tudo o que eles tem quer fazer é me dar uma chance!" [carece de fontes?] "Todos em Hollywood tem medo de ser eles mesmos. Quando vim pra cá pela primeira vez fui a uma festa. Cara, todos agiam como se fossem meus melhores amigos. Sabe, todo lugar parece um set de filmagens e todos representam. Por isso que quando termino um filme caio fora logo. Volto pra Memphis, ao menos é verdadeiro. Sempre lembro das palavras de minha mãe Elvis não esqueça o lugar de onde veio. Quando for famoso, todos o amarão, todos vão querer algo, mas se fugir disso eles não te aborrecerão'. Juro por Deus, ninguém sabe como me sinto só, como me sinto vazio" [carece de fontes?] Fonte: Wikiquote
| 19544 ace
Título Original: Tarzan Escapes Ano/País/Gênero/Duração: 1936 / EUA / Aventura / 89min Direção: Richard Thorpe Produção: Sam Zimbalist Roteiro: Cyril Hume Fotografia: Leonard Smith Música: William Axt, Sol Levy Elenco Johnny Weissmuller ... Tarzan Maureen O’Sullivan ... Jane Parker John Buckler ... Captain Fry Benita Hume ... Rita William Henry ... Eric Herbert Mundin ... Rawlins E.E. Clive ... Masters Darby Jones ... Bomba Sinopse Parentes de Jane (Maureen O'Sullivan ) retornam à África e tentam induzi-la a voltar para a civilização. ao salvar o grupo de selvagens, Tarzan (Johnny Weissmuller) é perseguido e capturado por um caçador ingles que quer expo-lo como uma atração da África. O Homem das selvas consegue fugir com a ajuda dos animais e salva Jane de seus primos, que retornam à civilização sem conseguir leva-la. Curiosidades - Algumas cenas violentas foram cortadas do filme, causando buracos no roteiro e deixando-o um pouco confuso. - Devido à censura, os trajes de Tarzan e Jane foram aumentados. - O diretor James C. McKay foi substituído no meio das filmagens. ASSISTA ONLINE: Imagens
| 19452 ace
    Ficha   Nome: Lucille Fey LeSueur Nascimento e local: 23/03/1905, San Antonio, EUA Morte: 10/05/1977, Nova York, câncer Ocupação: atriz Nacionalidade: Americana Casamentos: James Welton, Douglas Fairbanks, Jr., Franchot Tone, Phillip Terry, Alfred Steele Filhos: Christina Crawford, Christophe, Cynthia e Kathy (todos adotados). Biografia   Antes de ser atriz, Lucille Fay Lê Suer foi dançarina em boates de Detroit e Chigago, chegando a trabalhar também como garçonete e (talvez) atriz pornô no filme The casting couch. Enquanto trabalhava em um bar, foi levada por um conhecido para fazer um teste na MGM, onde conseguiu um contrato de 5 anos. Seu nome, Joan Crawford, foi escolhido em um concurso realizado pela MGM através da revista Movie weekly. Sua estréia no cinema foi em 1925, no filme Pretty Ladies, em que fazia o papel de uma corista. Seus maiores sucessos acabaram sendo A mulher que perdeu a Alma (1930), Possuída (1931), Pecado da carne (1932), Grande Hotel (1932), O que aconteceu com Baby Jane? (1962), em que atuou com Bette Davis. Apesar de ser conhecida como uma das maiores atrizes do seu tempo, ganhou apenas um Oscar, com o filme Almas em suplício (1945), apesar de ter sido indicada mais duas vezes com Sudden Fear e Possessed. Após a morte de Joan, sua filha adotiva Christina lançou um livro em que relatava a crueldade da sua mãe. Livro este que acabou sendo levado às telas no filme de nome homônimo “Mommie Dearest”, tendo Faye Dunaway no papel principal.   Filmes   Beyond the Water's Edge TV (1972) Trog (1970) Berserk! (1967) Journey to the Unknown (1969) (TV) I Saw What You Did - Eu vi que foi você (1965) Strait-Jacket - Almas mortas (1964) Della (1964) What Ever Happened to Baby Jane? - O Que Terá Acontecido a Baby Jane? (1962) The Best of Everything - Sob o signo do sexo (1959) The Story of Esther Costello - A donzela de ouro (1957) Autumn Leaves - Folhas Mortas (1956) Queen Bee - Os amores secretos de Eva (1955) Female on the Beach - Frenesi de Paixões (1955) Johnny Guitar (1954) Torch Song - Se eu soubesse amar (1953) This Woman Is Dangerous - A tragédia do meu amor (1952) Sudden Fear - Precipícios da Alma (1952) Goodbye, My Fancy - Adeus meu amor (1951) Harriet Craig - A Dominadora (1950) The Damned Don't Cry - Os desgraçados não choram (1950) Flamingo Road - Caminho da redenção (1949) Daisy Kenyon - Êxtase de amor (1947) Possessed - Fogueira da Paixão (1947) Humoresque - Acordes do coração (1946) Mildred Pierce - Almas em Suplício (1945) Above Suspicion - Os Insuspeitos (1943) Reunion in France - Uma aventura em Paris (1942) They All Kissed the Bride - Eles beijaram a noiva (1942) When Ladies Meet - De Mulher para mulher (1941) A Woman's Face - Um Rosto de Mulher (1941) Susan and God - Uma mulher original (1940) Strange Cargo - Almas rebeldes (1940) The Women - As mulheres (1939) The Ice Follies of 1939 - Folias no gelo (1939) The Shining Hour - A Mulher Proibida (1938) Mannequin - Manequim (1937) The Bride Wore Red - Felicidade de Mentira (1937) The Last of Mrs. Cheyney - A última conquista (1937) Love on the Run - Do amor ninguém foge (1936) The Gorgeous Hussy - Mulher Sublime (1936) I Live My Life - Só assim quero viver (1935) No More Ladies - Adeus Mulheres (1935) Forsaking All Others - Quando o diabo atiça (1934) Chained - Acorrentada (1934) Sadie McKee - Três amores (1934) Dancing Lady - Amor de dançarina (1933) Today We Live - Vivamos hoje (1933) Rain - O pecado da carne (1932) Letty Lynton - Redimida (1932) Grand Hotel - Grande Hotel (1932) Possessed - Possuída (1931) This Modern Age - Neste século XX (1931) Laughing Sinners - Almas Pecadoras (1931) Dance, Fools, Dance - Quando o mundo dança (1931) Paid - A Mulher que Perdeu a Alma (1930) Our Blushing Brides - Noivas ingênuas (1930) Montana Moon - Mulher... e nada mais (1930) Great Day (1930) Untamed - A indomável (1929) Our Modern Maidens - Donzelas de hoje (1929) Tide of Empire (1929) The Duke Steps Out (1929) Dream of Love - Sonho de Amor (1928) Our Dancing Daughters - Garotas modernas (1928) Four Walls (1928) Across to Singapore (1928) Rose-Marie (1928) The Law of the Range (1928) West Point - Academia de cadetes (1927) Spring Fever - Prestígio social (1927) Twelve Miles Out - O Pirata amoroso (1927) The Unknown - O Monstro do circo (1927) The Understanding Heart (1927) The Taxi Dancer (1927) Winners of the Wilderness - Espadas e corações (1927) Paris (1926) The Boob - O Cavaleiro Pirata (1926) Tramp, Tramp, Tramp (1926) Ben-Hur: A Tale of the Christ - Ben-Hur (1925) Sally, Irene and Mary (1925) The Only Thing (1925) Old Clothes (1925) The Circle (1925) The Merry Widow - A viúva alegre (1925) A Slave of Fashion (1925) Pretty Ladies - A Mosca negra (1925)     Mais   Joan Crawford - The Hollywood Collection (ASSISTA ONLINE) Cabides na Christina!!! Nos Passos de Joan Crawford   Prêmios   1953 Concorreu Oscar Melhor Atriz: Sudden Fear (1952) 1948 Concorreu Oscar Melhor Atriz: Possessed (1947) 1946 Venceu Oscar Melhor Atriz: Mildred Pierce (1945) 1953 Nominated Globo de Ouro Melhor Atriz: Sudden Fear (1952)   Imagens   Galeria (Clique para ver)   Vídeos
| 19408 ace
  Ficha Título original: Die Büchse der Pandora Ano/País/Gênero/Duração:  1929/ALE/Drama/131min Produção:  Heinz Landsmann e Seymour Nebenzal Direção: Georg Wilhelm Pabst Roteiro:  Frank Wedekind e Ladislaus Vajda Fotografia: Günther Krampf Música: Stuart Oderman e William P. Perry Elenco Louise Brooks ...     Lulu Fritz Kortner    ...     Dr. Ludwig Schön Francis Lederer    ...     Alwa Schön Carl Goetz    ...     Schigolch Krafft-Raschig    ...     Rodrigo Quast Alice Roberts    ...     Gräfin Geschwitz - Countess Anna Geschwitz Daisy D'Ora    ...     Charlotte Marie Adelaide v. Zarnikow Sinopse Lulu é uma dançarina, que, sendo explorada por um velho (seu primeiro "chefe"), envolve-se com um rico dono de jornal, que lhe informa que se casará em breve. Os dois acabam sendo flagrados pela noiva, que rompe o compromisso. E para que sua honra não seja definitivamente jogada na lama, o homem resolve casar-se com a dançarina. Após uma cena de ciúme, o marido tenta matá-la, mas Lulu escapa, e acaba por matá-lo em legítima defesa. Acusada de assassinato, foge com o filho da vítima, e acaba também por envolvê-lo num jogo de sedução, fugas e exploração sexual.   Curiosidades O filme chegou a ser censurado durante várias décadas na América, e em alguns outros países, devido às cenas fortes, e quando liberado teve cenas cortadas.   Assista online (legendado) uxq3J4D1IqM   Canal: http://www.youtube.com/user/CinemaClassico3   Imagens  
| 19325 ace
"Pensamos em demasia e sentimos bem pouco. mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido." "Se tivesse acreditado na minha brincadeira de dizer verdades teria ouvido verdades que teimo em dizer brincando, F alei muitas vezes como um palhaço, mas jamais duvidei da sinceridade da platéia que sorria." "A beleza é a única coisa preciosa na vida. É difícil encontrá-la, Mas quem consegue, descobre tudo." "Num filme o que importa não é arelaidade, mas o que dela possa extrair a imaginação." "Reconhecço que o tempo e as circunstâncias me têm favorecido. O mundo cumulou-se de afeições, inspirei amor e também ódio. Deu-me a vida o que havia de melhor e um pouco do pior". "Não sou político. Sou principalmente um individualista. Creio na liberdade, nisto se resume a minha política." "A obra cômica, se realizada com vida, pode ser tão grandiosa quanto uma tragédia grega". "Conhecer o homem. Esta é a base de todo o sucesso." "Fui e sou apenas um palhaço. Isso me coloca numa categoria muito acima de qualquer político". "Um dia vou interpretar Jesus. Fui feito para o papel. Pareço-me com Ele, sou judeu e comediante, o que me permite ver o personagem com objetividade". "Sou um poeta. Um anarquista espiritual. Não sou um patriota. Sou amoral, sou artista." "Para fazer comédia, só preciso de um parque, um policial e uma garota bonita." "Se soubesse os horrores que se passavam nos campos de concentração, não teria feito O grande ditador". "A coisa mais triste que posso imaginar é me ver habituado ao luxo." "Que eu seja um comediante. Mas um comediante que pensa." "A finalidade do cinema é a de nos transportar ao reino da beleza." "Não sou judeu. Não tenho essa honra." "A beleza é a única coisa preciosa da vida. É difícil encontrá-la, mas quem consegue, descobre tudo." "Não sou panfletário: escrevo o que considero vital, cômico e dramático. Se consigo isso no filme, então eu o considero bom." "A arte é uma emoção adiciional justaposta a uma técnica apurada". "Na verdade, o personagem Carlitos, é para mim uma terrível responsabilidade." "Fiquei muito honrado, mas devo admitir que comecei a fazer cinema por dinheiro. A arte veio depois, naturalmente. Nada posso fazer se as pessoas se decepcionam com essa afirmação. É a pura verdade." " Quem está distante sempre nos causa maior impressão ". " Estudei o homem, porque se assim não o fizesse, não conseguiria realizar nada em meu ofício ." " Num filme o que importa não é a realidade, mas o que dela possa extrair a imaginação ". " Amo a tragédia porque ela é bela. A única comédia que vale a pena é aquela que contém a beleza ". " Uma das coisas que sempre procuro evitar é não exagerar ou insistir demasiadamente num ponto determinado. Quando se exagera na comicidade, a cena deixa de produzir risos e nada acrescenta ao filme." " Muita gente me pergunta onde foi que me inspirei para criar a minha personagem. Na verdade, Carlitos aparece como sendo a síntese de muitos ingleses que eu via em Londres quando era jovem: tipos de pequena estatura, de bigodinhos pretos, roupas bem justas, e sempre portando uma bengala de bambu. A idéia da bengalinha foi a mais feliz de todas, pois foi ela que caracterizou a personagem e a tornou conhecida mais rapidamente. Desenvolvi o seu uso ao ponto de torná-la cômica por si só _ por exemplo quando ela se enroscava no pé de alguém ou puxava uma pessoa pelo ombro. Muitas dessas cenas acabavam por se tornar, inesperadamente, muito engraçadas." " Um dos prazeres que sinto ao produzir um filme é constatar que muitas vezes uma cena inesperada _ ou até mesmo errada _ acaba dando certo ." " Toda vez que assisto a um dos meus filmes, quando ele é apresentado pela primeira vez ao público, eu presto mais atenção na reação das pessoas do que na própria película _ nas situações que causam o riso e nas que não causam. " " Não creio que a arte de representar possa ser ensinada. Já vi pessoas inteligentes fracassarem e pessoas estúpidas se saírem muito bem. O que a " Com o uso da palavra não há mais lugar para a imaginação." " Não creio na técnica, no passeio da câmera em volta das narinas e das orelhas das vedetes. Creio na mímica. Creio no estilo." " Uma pessoa pode ter uma infância triste e mesmo assim chegar a ser muito feliz na maturidade. Da mesma forma, pode nascer num berço de ouro e sentir-se enjaulada pelo resto da vida." " Durante a infância, a fome e o medo do amanhã eram duas constantes em minha existência. Por mais rico que possa vir a ser, jamais conseguirei me libertar desse medo. Sinto-me como um homem perseguido por um fantasma _ o fantasma da pobreza." " Sem minha mãe, acho que jamais teria me saído bem na pantomima. Ela possuía a mímica mais notável que já vi. As vezes, ficava durante horas à janela olhando para a rua e reproduzindo com as mãos, os olhos e a expressão de sua fisionomia tudo o que se passava lá em baixo. E foi observando-a assim que eu aprendi não somente a traduzir as emoções com as minhas mãos e meu rosto, mas sobretudo a estudar o homem.." " Quando comecei a fazer filmes cômicos, fazia-os só pelo dinheiro _ a arte apareceu por acaso. Se isso decepcionar alguém, nada posso fazer. É a verdade." " Todas as minhas aspirações secretas, contidas, são satisfeitas quando escrevo e realizo um filme como O Grande Ditador. Entre o ditador e eu, não consigo distinguir qual é o verdadeiro Chaplin." " Que eu seja um comediante - mas um comediante que pensa." " Quando cheguei a Hollywood pela primeira vez, logo percebi que seia muito mais fácil para um judeu seguir carreira cinematográfica do que para um outro qualquer. O primeiro produtor que me contratou julgou que certamente eu também fosse judeu ... e eu nunca o contradisse. Nascido na classe mais pobre da Inglaterra, sem passado nem castelos, nem ancestrais a defender, eu não era dos que se embaraçaram com esse tipo de precedente: judeu eles me queriam, judeu então eu seria." " Faço parte do mundo _ e no entanto ele me torna perplexo." " Em toda a minha carreira cinematográfica sempre me guiei em grande parte, pela opinião pública. Essa opinião chegava a mim através de cartas que recebia, em conversas pessoais, mas sobretudo por intermédio da imprensa. DO mesmo modo, também me convenci de que a contribuição que estou prestando com a realização de meus filmes é bem maior do que aquela que poderia oferecer se estivesse nas trincheiras servindo à causa da guerra." " Não sou político; sou principalmente um individualista. Creio na liberdade; nisso se resume a minha política ... Sou pelos homens; essa é a minha natureza." " As duas personalidades que eu mais desejaria recriar em um filme seriam Napoleão e Jesus Cristo ... Não representaria Napoleão como um general poderoso, mas como um ser fraco, taciturno, quase melancólico e sempre importunado pelos membros de sua família. Quanto ao Cristo, gostaria também de modificá-lo no espírito das massas. Acho que a personagem mais forte, mais dinâmica e mais importante que já existiu, acabou por ser terrivelmente deformada pela tradição. Mostra-lo-ía, então, acolhido em delírio por homens, mulheres e crianças. As pessoas iriam ao seu encontro para sentir o seu magnetismo. Não mais seria um homem piedoso, triste e distanciado; um solitário que acabou por ser o maio incompreendido de todos os tempos." " O amor é ajudado pela força. A doçura do perdão traz a esperança e a paz." " Estou sempre alegre _ essa é a minha maneira de resolver os problemas da vida. Tenho a impressão de que os homens estão perdendo o dom do riso." " Não posso crer que nossa existência não tenha sentido, que seja mero acidente, como nos querem convencer alguns cientistas. A vida e a morte são determinadas demais, por demais implacáveis, para que sejam puramente acidentais." " Nunca achei a pobreza atrativa nem edificante. O que ela me ensinou foi só uma distorção de valores." " O silêncio _ algo que não pode ser comprado _ quantos de nós saberíamos defrontá-lo ? Os ricos compram o barulho. No entanto, nosso espírito se realiza quando estamos mergulhados no silêncio natural _ esse silêncio que jamais recusa aqueles que o procuram ... " " A solidão é repelente. Tem um aura de tristeza, uma inadequação para atrair ou interessar, a tal ponto que nos sentimos ligeiramente envergonhados quando ela nos rodeia. Mas, num grau maior ou menor, atinge a todos."
| 19284 ace
  De beleza singela e um carisma insuperável, Audrey Hepburn também conseguiu ganhar todos os grandes prêmios de cada Arte:  Tony (teatro), Oscar (cinema), Grammy (música) e Emmy (televisão). Mas sua maior vitória foram as causas humanitárias.   Ava Gardner chegou a ser chamada de "O animal mais belo do mundo". A música "Outra Vez" de Roberto Carlos , foi inspirada no romance da bela morena com o cantor Frank Sinatra.   A italiana Claudia Cardinale não se interessou em seguir uma carreira internacional, pois sempre amou viver na Europa. Até hoje a atriz é envolvida com causas políticas e humanitárias.   Adepta de uma alimentação saudável, aos 70 anos Dolores Del Rio ainda não tinha rugas. Segundo a mesma, o segredo era dormir 12 horas por dia, não beber álcool e evitar gorduras.   Elizabeth Taylor foi considerada uma das mais belas do mundo e ficou conhecida tanto por seus inúmeros casamentos quanto por sua luta humanitária a favor das vítimas de AIDS. Liz também era uma das maiores colecionadoras de jóias do mundo.   Belíssima e de família rica, Gene Tierney logo começou uma carreira como atriz, mas sofreu durante toda a vida de depressão crônica. O nascimento de uma filha deficiente mental aumentou consideravelmente suas crises.   A italiana Gina Lollobrigida ficou conhecida por seus papéis sensuais e ganhou a alcunha de "A mulher mais bela do mundo".   Além de bela, Hedy Lamarr também foi uma inventora de um sistema que deu origem aos telefones celulares.   Considerada uma das atrizes mais belas de todos os tempos pela revista Newsweek, Jacqueline Bisset trabalhou com diretores consagrados e é madrinha da também bela Angelina Jolie.   Jane Russell causou frisson quando seus seios apareceram sensualmente delineados em O Proscrito, de Howard Hughes. A atriz também dedicou-se a obras de caridade.   Linda Darnell tinha uma das pele mais perfeitas do cinema. Desapontada com a carreira, morreu devido às queimaduras que sofreu em um incêndio em sua casa.   Louise Brooks estrelou a Caixa de Pandora e eternizou seu nome no cinema. Discriminada pelos estúdios americanos, foi afastada das telas, mas nunca perdeu o glamour.   Com a chegada dos filmes falados, Lupe Velez acabou se afastando aos poucos da carreira cinematográfica. Os escândalos de Lupe Vélez tornaram-se maiores que sua obra e ela acabou se suicidando em 1944.   Descendente de espanhóis, Maria Montez aprendeu inglês sozinha, através de revistas. Chegou a ser considerada a rainha do tecnicolor.   A atriz mexicana Maria Felix ganhou status de mito por papéis em que interpretava mulheres fortes. Colecionadora de objetos antigos e jóias, foi homenageada pela Cartier que lançou em 2006 a coleção "La Dona Cartier".   Natalie Wood começou a carreira ainda criança e se tornou uma bela mulher. Morreu afogada em circunstâncias misteriosas. Seu caso foi reaberto recentemente.   Terceira esposa de Charles Chaplin, Paulette Goddard foi sua parceira em dois filmes. Chegou a ser cogitada para o papel de Scarlet O'Hara em O Vento Levou.   Pier Angeli é outra italianinha nessa lista. Namorada de James Dean, foi separada pela mãe que não concordava com o namoro com um rapaz não católico.   Sophia Loren é até hoje uma das mulheres mais belas do mundo, mesmo aos setenta anos.  A viúva de Carlo Ponti atribui a sua boa forma física ao sexo praticado diariamente.   A inglesa Vivien Leigh foi imortalizada por grandes papéis como Scarlett O'Hara em O Vento Levou e Blanche DuBois em Um Bonde Chamado Desejo. Vivien era bipolar e sofreu durante toda a sua vida com as crises. Mas isso não a impediu de se tornar uma das atrizes mais completas que já existiu.
| 19260 ace
  Ficha Nome: Julia Jean Mildred Frances Turner Nascimento e local: 08/02/1920, Wallace, EUA Morte: 29/06/1995, Century City, EUA, câncer na garganta Ocupação: atriz Nacionalidade: Americana Casamentos: Artie Shaw, Steve Crane, Henry J. Topping, Lex Barker, Fred May, Robert Eaton, Ronald Dante Filha: Cheryl Crane   Biografia Lana Turner, uma das maiores estrelas de Holywood, iniciou a carreira em 1937, quando um olheiro do “Hollywood report” lhe encontrou em uma lanchonete. Tinha apenas 15 anos. Mervyn LeRoy a contratou neste mesmo ano para uma participação em “They won’t forget”, quando foi lançada como a garota suéter. Após várias participações, dentre elas na como extra no filme A star is Born, e com uma pequena participação no filme Love finds Andy Hardy, ela seguiu como uma pin-up em filmes populares como Ziegfeld Girl e Johnny Eager. Conseguiu alcançar status de grande atriz em “O destino bate à sua porta”, sendo indicada ao Oscar por “Peyton Place” (1957). Outros filmes de sucesso foram Os três mosqueteiros (1948), A life of her own (1950) e Madame X (1966), dentre outros. Com a vida repleta de escândalos, dentre eles o do assassinato de seu amante pela sua filha, Lana morreu de câncer em 1995.   Filmes   Thwarted (1991) Witches' Brew - A poção mágica (1980) Bittersweet Love - Amargo amor (1976) Persecution (1974) The Big Cube - A droga que alucina (1969) Madame X (1966) Love Has Many Faces - As duas faces da felicidade (1965) Who's Got the Action? - Ela Topou a Parada (1962) Bachelor in Paradise - Solteiro no paraíso (1961) By Love Possessed - O Amor tudo vence (1961) Portrait in Black - Retrato negro (1960) Imitation of Life - Imitação da vida (1959) Another Time, Another Place - Vítima de uma Paixão (1958) The Lady Takes a Flyer - A força do amor (1958) Peyton Place - A Caldeira do diabo (1957) Diane (1956) The Rains of Ranchipur - As chuvas de Ranchipur (1955) The Sea Chase - Mares violentos (1955) The Prodigal - O filho pródigo (1955) Betrayed - Atraiçoado (1954) Flame and the Flesh (1954) Latin Lovers - Meu amor brasileiro (1953) The Bad and the Beautiful - Assim Estava escrito (1952) The Merry Widow - A viúva alegre (1952) Mr. Imperium - É proibido amar (1951) A Life of Her Own - Perdidamente tua (1950) The Three Musketeers - Os três mosqueteiros (1948) Homecoming - O Amor que me deste (1948) Cass Timberlane - Eterno conflito (1947) Green Dolphin Street - Rua do Delfin Verde (1947) The Postman Always Rings Twice - O destino bate à sua porta (1946) Week-End at the Waldorf - Aqui começa a vida (1945) Keep Your Powder Dry - Eram três mulheres (1945) Marriage Is a Private Affair - Felicidade vem depois (1944) Du Barry Was a Lady - Du Barry era um pedaço (1943) Slightly Dangerous (1943) Somewhere I'll Find You - Ainda serás minha (1942) Johnny Eager - Estrada proibida (1942) Honky Tonk - Quero-te como és (1941) Dr. Jekyll and Mr. Hyde - O Médico e o Monstro (1941) Ziegfeld Girl (1941) We Who Are Young (1940) Two Girls on Broadway - Duas garotas na Broadway (1940) Dancing Co-Ed (1939) These Glamour Girls - Estas granfinas de hoje (1939) Calling Dr. Kildare (1939) Dramatic School - Escola dramática (1938) Rich Man, Poor Girl - Muito custa casar (1938) Four's a Crowd - Amando sem saber (1938) Love Finds Andy Hardy (1938) The Adventures of Marco Polo - As aventuras de Marco Polo (1938) The Great Garrick (1937) Topper - Uma Dupla de Outro Mundo (1937) They Won't Forget - Esquecer nunca (1937) A Star Is Born (1937)     Mais   Lana Turner: Assassinato em Família Lana Turner - Mistérios e Escândalos (ASSISTA ONLINE)     Prêmios 1958 Concorreu Oscar Melhor Atriz: Peyton Place (1957)     Imagens Galeria (Clique na imagem para ver)   Vídeos
| 19256 ace
"Envelhecer não é para mocinhas." "Sou a melhor dama que já existiu." "Casamento gay? Não sou contra, apenas não é um assunto no qual eu tenha algum interesse." "Havia muito melhores interpretações nas festas de Hollywood do que jamais houve nas telas de cinema." "Realizar um sonho; poder suar em um trabalho individual; ter a chance de criar são a carne com batatas da vida. O dinheiro é o molho." "Eu me casaria de novo se encontrasse um homem que tivesse uns US$ 15 milhões, dividisse metade comigo e me desse a garantia de que estaria morto em um ano." "É claro que susbtituí meu pai. Eu me tornei meu próprio pai e todo mundo ao mesmo tempo." (sobre o pai que se divorciou da mãe quando ela tinha sete anos) "Eu nunca estarei abaixo do título." "Hoje em dia todo mundo é estrela. São sempre creditados como 'estrelando' ou 'também estrelando'. Na minha época esse título era algo a se conquistar." "Eu queria ter ganhado três Oscar, mas miss Hepburn conseguiu primeiro. Na verdade ela não conseguiu, ela só ganhou meio Oscar. Se eles me dessem meio Oscar eu jogaria na cara deles. Sabe como é... Eu sou de Áries, eu nunca perco." (sobre o fato de Katharine Hepburn ter dividido o Oscar de melhor atriz com Barbra Streisand em 1968) "Gary era um macho man, mas nenhum de meus maridos foi macho suficiente para se tornar o mr. Bette Davis." "Eu tive de ser o monstro por nós duas." (sobre a mãe, que foi aspirante a atriz) sobre Joan Crawford "Ela já dormiu com todos os astros da MGM, exceto a Lassie." "Por que sou tão boa intepretando vilãs? Talvez porque eu não seja uma vilã. Talvez por isso a Joan Crawford sempre interprete mocinhas." "Nunca se deve falar coisas ruins sobre alguém que está morto. Apenas coisas boas. Joan Crawford está morta. Ótimo!" (quando sua inimiga morreu em 1977) "Não é porque alguém está morto que se tornou uma pessoa melhor!" (idem) "Joan Crawford e eu nunca fomos amigas calorosas. Nunca fomos simpáticas. Eu a admiro e, ao mesmo tempo, sinto-me desconfortável com ela. Para mim, ela é a personificação de uma estrela de cinema. Eu sempre tive a impressão de que sua melhor performance era Crawford interpretando Crawford." "Eu não mijaria nela nem se ela estivesse em chamas." citações tiradas deste site
| 19233 ace
  FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha   Nome:  Frank James Cooper Nascimento e local: 07/05/1901, Helena MT Morte e local: 14/05/1961, Beverly Hills, CA, câncer na próstrata Ocupação: ator Nacionalidade: Americana Casamento: Sandra Shaw, supostas Namoradas (Clara Bow, Lupe Velez, Marlene Dietrich, Carole Lombard, Ingrid Berfman, Patricia Neal, Grace Kelly, Evelyn Brent). Filho: Maria Cooper Biografia   Um dos maiores símbolos de todo o cinema americano. Representava o ideal de milhares de mulheres. Arrancou aplausos e suspiros no filme Adorável Vagabundo, de 1936. Gary Cooper nasceu em Montana, em 1901, filho de ingleses, tendo estudado agronomia e trabalhado na fazenda antes de estrear como figurante em diversos filmes mudos. Num desse filmes conheceu Clara Bow, de quem virou amante. Além dela, namorou ainda com outras atrizes, como Lupe Velez, Marlene Dietrich e Evely Brient. Brilhou em filmes como “Os virginianos”, de 1929 (sua estréia no cinema falado) e “Marrocos” (1930), onde atuou com a Marlene Dietrich. Na década de 30 ele já era uma das maiores estrelas do cinema americano. Em 1950 casou-se com Verônica Balfe. Juntos tiveram uma filha, Maria. Apesar disso tudo, correram rumores de que seu casamento seria para esconder seu homossexualismo. Sua interpretação em Matar ou morrer, de 1952, ao lado de Grace Kelly ficou famosa. Fez no total 95 filmes, sendo o último The naked edge, de 1961, ao lado de Deborah Kerr. Morreu de câncer, em 1960, pouco tempo depois de ganhar um Oscar especial da Academia. Tinha 60 anos. Filmes   Mais DVDs e Livros The Naked Edge - A tortura da suspeita (1961) The Wreck of the Mary Deare - O Navio condenado (1959) They Came to Cordura - Heróis de Barro (1959) The Hanging Tree - Árvore dos enforcados (1959) Man of the West - O Homem do Oeste (1958) Ten North Frederick - A Casa das amarguras (1958) Love in the Afternoon - Amor na Tarde (1957) Friendly Persuasion - Sublime Tentação (1956) The Court-Martial of Billy Mitchell - A Corte marcial de Billy Mitchell (1955) Vera Cruz (1954) Garden of Evil - Jardim do Pecado (1954) Blowing Wild - Sangue da Terra (1953) Return to Paradise - Volta ao paraíso (1953) Springfield Rifle - Renegado Heróico (1952) High Noon - Matar ou morrer  (1952) Distant Drums - Tambores Distantes (1951) Starlift - Estrelas em Desfile (1951) You're in the Navy Now - Agora estamos na Marinha (1951) Dallas (1950) Bright Leaf - Cinzas ao Vento (1950) Task Force - A última batalha (1949) The Fountainhead - Vontade Indômita (1949) Good Sam - A Felicidade bate à sua porta (1948) Unconquered - Os inconquistáveis (1947) Cloak and Dagger - O Grande Segredo (1946) Saratoga Trunk - Mulher exótica (1945) Along Came Jones - Tudo por uma mulher (1945) The Story of Dr. Wassell - Pelo vale das sombras (1944) Casanova Brown - Casanova Junior (1944) For Whom the Bell Tolls - Por quem os sinos dobram (1943) The Pride of the Yankees - Ídolo, amante e herói (1942) Ball of Fire - Bola de Fogo (1941) Sergeant York - Sargento York (1941) Meet John Doe - Meu Adorável vagabundo (1941) DOWNLOAD North West Mounted Police - Legião de Heróis (1940) DOWNLOAD The Westerner - A última fronteira (1940) DOWNLOAD The Real Glory - A verdadeira Glória (1939) DOWNLOAD Beau Geste (1939) DOWNLOAD The Cowboy and the Lady - O Cowboy e a grã-fina (1938) DOWNLOAD The Adventures of Marco Polo - As aventuras de Marco Polo (1938) DOWNLOAD Bluebeard's Eighth Wife - A Oitava esposa (1938) DOWNLOAD Souls at Sea - Almas no mar (1937) DOWNLOAD The Plainsman - Uma aventura de Buffalo Bill (1936) DOWNLOAD The General Died at Dawn - O General morreu ao amanhecer (1936) DOWNLOAD Mr. Deeds Goes to Town - O Galante Mr. Deeds (1936) DOWNLOAD Desire - Desejo (1936) DOWNLOAD Peter Ibbetson - Amor sem fim (1935) DOWNLOAD The Wedding Night - A Noite Nupcial (1935) DOWNLOAD La Fiesta de Santa Barbara (1935) The Lives of a Bengal Lancer - Lanceiros da Índia (1935) DOWNLOAD Now and Forever - Agora e Sempre (1934) DOWNLOAD Operator 13 - Espiã 13 (1934) DOWNLOAD Design for Living - Sócios no amor (1933) DOWNLOAD Alice in Wonderland - Alice no país das maravilhas (1933) DOWNLOAD Today We Live - Vivamos hoje (1933) DOWNLOAD One Sunday Afternoon (1933) DOWNLOAD A Farewell to Arms - Adeus às armas (1932) DOWNLOAD If I Had a Million - Se eu tivesse um milhão (1932) DOWNLOAD Devil and the Deep - Entre duas águias (1932) DOWNLOAD His Woman - Sua Esposa Perante Deus (1931) DOWNLOAD The Stolen Jools (1931) DOWNLOAD The Slippery Pearls (1931) DOWNLOAD Morocco - Marrocos (1930) DOWNLOAD Paramount on Parade - Paramount em grande gala (1930) DOWNLOAD The Virginian - Agora ou nunca (1929) DOWNLOAD Lilac Time - Céu de Glória (1928) DOWNLOAD Wings - Asas (1927) DOWNLOAD It (1927)  DOWNLOAD The Johnstown Flood - A Inundação (1926) North Star - A Estrela do Norte (1925) Ben-Hur: A Tale of the Christ - Ben-Hur (1925) DOWNLOAD   Mais Vestido de Marilyn é vendido por 5,6 milhões de dólares em leilão E O Vento Levou de A a Z Alice: várias versões da mesma história Maiores vencedores do Oscar (homens)   Prêmios Indicações ao Oscar por: Mr. Deeds Goes to Town (1936), The Pride of the Yankees(1942), For Whom the Bell Tolls (1943). Venceu o Oscar por: Sergeant York (1941) e High Noon (1952) Recebeu Óscar Honorário pelo conjunto da obra (1961). Imagens   Vídeos   oLwRn73My6g   MpABJHwsZG0
| 19227 ace
Anthony, ora vejam, Samantha acorda no dia que seria um dos mais importantes de sua vida: completa 16 anos. Mas, oh coitada da Sam! Calhou de seu aniversário cair justamente na véspera do casamento de sua irmã - perfeita - com o filho de um mafioso e sua família estar tão envolvida com os acontecimentos. Seus pais, claro, não se lembram da data tão importante para a doce e sem peitos garota, e no lugar do homem de seus sonhos, um tal de Jake Ryan (Michael Schoeffling naquele que seria seu único grande sucesso), aparentemente ela só consegue a atenção do irritante de um bom coração pré-adolescente geek. Sixteen Candles (aqui, com o ridículo título de Gatinhas e Gatões) trazia a fórmula simples da comédia despretenciosa que imperava nos anos 80, a comédia escolar, recheada de casos de landas garotas populares porém vazias por dentro, adolescentes das turmas menos adiantadas querendo um lugar ao sol e muito, muito bullying de quem estivesse por fora do sistema. Esse foi o filme de estréia de John Hughes, que mais tarde faria mais alguns clássicos da sessão da tarde oitenteana, como "Clube dos Cinco" (1985), "Mulher Nota 1000" (1985) e "Curtindo a Vida Adoidado" (1986) e daria voz e vez aos geeks, que naquelas épocas eram tão menosprezados - Ah, quem diria que o tempo alguns daqueles se tornariam tão ricos e até com uma certa dose de charme - justamente por serem excêntricos. O curioso é que Jim Carrey chegou a fazer um teste pra fazer o papel do jovem geek, mas Anthony Michael Hall ( The Dead Zone) acabou levando e fazendo mais três filmes sob a direção de John Hughes, nos quais ele acaba interpretando mais a si mesmo do que a um personagem em si. Aliás, o trio principal trazia no papel de Sam a Molly Ringwald. Molly Ringwald, que estaria em 9 de 10 filmes sobre essa espécie de garota desajeitada mas gente fina, era a esperança em forma de cabelos ruivos, já que no final sempre conseguia com seu jeito de boa moça, o coração do pretentido, já que, como o seu pai diz no filme "ela era uma garota certinha", ok? Garotas que namoravam sério e se guardavam para seu homem teriam no final a sua glorificação, ok? Interessante também é ver Joan Cusack fazendo uma participação como uma garota que usa um aparelho nas costas. Futuramente ela seria a noiva abandonada e por Kevin Kline na comédia "Será Que Ele É?" (1997). John Cusack (Os Queridinhos da América e O Júri), e irmão de Joan é um dos garotinhos que sonham em serem populares.   Well, claro que no filme há algumas descrepâncias justificadas, como Sam achar que não tem peitos quando os dela eram maiores do que a da maioria das garotas que morriam assistindo na sessão da tarde. Claro que a vida não é tão cor de rosa shocking (aliás, título do segundo filme de maior sucesso da Molly, que hoje faz a mãe de uma adolescente na série The Secret Life of the American Teenage). Mas quem resiste a uma olhada em como na década de 80 uma jovem de 16 anos ainda podia ser inocente e estar vivendo o seu primeiro amor?   Por Carla Marinho
| 19045 ace
A carregar... Nome:  Mario Moreno Reyes Nascimento e local:12/08/1911, Cidade do México, México Morte e local:20/04/1993, Cidade do México, México, câncer no pulmão Ocupação: ator Nacionalidade: Mexicano Casamentos:  Valentina Ivanova Filhos: não   Biografia   Mário Morenno Reis, mais conhecido por Cantiflas foi considerado por Charles Chaplin um dos melhores comediantes do mundo. Houve até conversações para se fazer um filme juntos, o que acabou não dando certo. Acabou se tornando o mais popular da América Latina. eve infância pobre, o que suspendeu seus estudos. Foi engraxate, pugilista, toureiro, motorista de taxi, palhaço de circo, dentre outras profissões. Até tornar-se artista ambulante, dançando e cantando cantigas populares fazendo paródias. Dois chumaços ralos eram seus bigodes, calças enormes, lenço no pescoço e um falar estranho formavam sua figura. eu primeiros filmes foram “La mujer ân puerto (33) e Não te enganes, coração, em 1936. Depois desse vieram mais de 50 trabalhos. Desses, somente dois foram rodados nos Estados Unidos (A volta ao mundo em 80 dias e Pepe). rincipais filmes: Os três mosqueteiros (42). Logo logo criaria sua própria produtora, a Rosa Filmes, que lhe rendeu grandes sucessos dirigidos por Miguel Delgado. Alguns destes foram O circo (42), Romeu e Julieta (43), O porteiro (49), O patrilheiro 777 (77). Cantinflas também foi memebro do Sindicato dos Atores, fundando uma Casa de amparo aos artistas.   Filmes   Barrendero, El (1982) Patrullero 777, El (1978) Ministro y yo, El (1976) Conserje en condominio (1974) Don Quijote cabalga de nuevo Profe, El (1971) Quijote sin mancha, Un (1969) The Great Sex War (1969) Por mis pistolas (1968) Su excelencia (1967) Señor doctor, El (1965) Padrecito, El (1964) Agente XU 777 Extra, El (1962) Analfabeto, El (1961) Pepe (1960) Sube y baja (1959) Ama a tu prójimo (1958) Bolero de Raquel, El (1957) Around the World in Eighty Days - A volta ao mundo em 80 dias (1956) Abajo el telón (1955) Caballero a la medida (1954) Señor fotógrafo, El (1953) Bombero atómico, El (1952) Si yo fuera diputado (1952) Siete machos, El (1951) Portero, El (1950) Mago, El (1949) Supersabio, El ¡A volar joven! (1947) Soy un prófugo (1946) Día con el diablo, Un (1945) Gran Hotel (1944) Romeo y Julieta (1943) .... Romeo Circo, El (1943) Tres mosqueteros, Los Carnaval en el trópico (1942) Gendarme desconocido, El (1941) Ni sangre, ni arena (1941) Ahí está el detalle (1940) Cantinflas boxeador (1940) Cantinflas ruletero (1940) Cantinflas torero (1940) Cantinflas y los censos (1940) Cantinflas y su prima (1940) Signo de la muerte, El (1939) Cantinflas jengibre contra dinamita (1939) Siempre listo en las tinieblas (1939) Águila o sol (1938) ¡Así es mi tierra! (1937) No te engañes corazón (1937) Imagens    
| 19011 ace
  O cineasta Edward D. Wood conseguiu a unanimidade de criar o pior filme de todos os tempos.   O pior já começa pelo título: Plano 9 do Espaço Sideral. Segundo o Adoro cinema, a sinopse é essa: “Uma dupla de alienígenas que estava irritada com as "estúpidas mentes" do planeta Terra faz sua base em um cemitério da Califórnia, pois planejavam através do "Plano 9", que se refere a um eletrodo de longa distância que é colocado nas glândulas pineal e pituitária dos mortos, criar um exército de zumbis que marchassem para conquistar as capitais do mundo. O fato de ressuscitarem só três mortos não os desencoraja. Jeff Trent (Gregory Walcott), um piloto de uma linha aérea que vive perto do cemitério precisa salvar Paula (Mona McKinnon), sua mulher, destes seres.” O Bela Lugosi morreu durante as filmagens. E o bonito do Edward não se fez de rogado, e tacou-lhe um substituto: Como dissimular isso? Simples! Colocando um pano na cara do sujeito. (Nossa, nem senti diferença!) Além disso era um filme de baixo orçamento, e dá para perceber, como na foto abaixo, um fiozinho amarrado nos super potentes discos voadores: uau! E o título original seria “Ladrões de túmulos do espaço sideral”, mas a congregação batista que estava financiando não gostou. (Será que gostaram do resultado final?) Essa aí é a “assustadora” Vampira. Cenários caindo aos pedaços, erros risíveis de  continuação, efeitos especiais que uma criança de 8 anos seria capaz de fazer. Não diga. Com um orçamento de US$ 60 mil foi tudo o que o diretor pode fazer. E não foi esquecido. Ganhou o título de O pior filme do mundo! E ele é tão ruim, mas tão ruim, que de repente virou um bom filme!  
| 18998 ace
A carregar... Nome:  Tyrone Edmund Power, Jr. Nascimento e local:05/005/1913, Cincinnati, OH Morte e local:15/11/1957, Madrid, Espanha, ataque cardíaco Ocupação: ator Nacionalidade: Estados Unidos Casamentos:  Annabella, Linda Christian e Debbie Ann Minardos Namoros:  Judy Garland e Cesar Romero Filhos: Romina Power e Taryn Power   Biografia Ainda criança Tyrone gostava de representar, mas até conseguir algum trabalho em Hollywood penou bastante, fazendo pequenos papéis e trabalhando principalmente no teatro. inalmente em 1936 estreou na 20th Century Fox na comédia “Ladies in Love”, e em menos de um ano depois já era considerado um dos principais atores da companhia. Dentre seus filmes de maior destaque, podemos citar “The mark of Zorro”, “Blood and sand”, Witness for the prosecution”. Sua carreira foi interrompida durante a 2a guerra, onde serviu na Marinha. Na vida pessoal, embora tenham havidos rumores de uma possível homossexualidade, ele casou-se três vezes: A primeira com a atriz francesa Annabela (1939 a 1948), com a atriz Linda Christian (1949 a 1956), com quem teve duas filhas e por último com Debbie Ann Minardos (durante seu último ano de vida), com quem teve um filho. Teve ainda romances com Judy Garland, Lana Turner, Linda Christian. Filmes           Witness for the Prosecution - Testemunha de acusação (1957) The Sun Also Rises - E agora Brilha o Sol (1957) Seven Waves Away - Mar de sete ondas (1957) The Eddy Duchin Story - Melodia imortal (1956) The Long Gray Line - A Paixão de uma vida (1955) Untamed - Duelo de Paixões (1955) King of the Khyber Rifles - Rebelião na Índia (1953) The Mississippi Gambler - O aventureiro do Mississipi (1953) Pony Soldier - O soldado da rainha (1952) Diplomatic Courier - Missão perigosa em Trieste (1952) Rawhide - Correio do Inferno (1951) American Guerrilla in the Philippines - Guerrilheiros nas Filipinas (1950) The Black Rose - A Rosa Negra (1950) Prince of Foxes - O Favorito dos Borgias (1949) The Luck of the Irish - O Toque mágico (1948) Captain from Castile - Capitão de Castela (1947) Nightmare Alley - O beco das ilusões perdidas (1947) The Razor's Edge - O fio da navalha (1946) Crash Dive - Mergulho no Inferno (1943) The Black Swan - O Cisne negro (1942) Son of Fury - Ódio no Coração (1942) A Yank in the R.A.F. - Um Ianque em R.A.F (1941) Blood and Sand - Sangue e areia (1941) The Mark of Zorro - A marca do Zorro (1940) Brigham Young: Frontiersman - O Filho dos Deuses (1940) Johnny Apollo (1940) Day-Time Wife (1939) The Rains Came - E as chuvas chegaram (1939) Second Fiddle - Dúvidas de um coração (1939) Rose of Washington Square - O Meu amado (1939) Jesse James (1939) Suez (1938) Marie Antoinette - Maria Antonieta (1938) Alexander's Ragtime Band - A epopéia do jazz (1938) In Old Chicago - No velho Chicago (1937) Café Metropole (1937) DOWNLOAD Thin Ice - Ela e o Príncipe (1937) Lloyd's of London - Lloyds de Londres (1936) Ladies in Love - Mulheres enamoradas (1936)  Girls' Dormitory  (1936) Northern Frontier  (1935) Flirtation Walk - Miss Generala(1934) Tom Brown of Culver  - Cadetes de Honra (1932) School for Wives  (1925)
| 18946 ace
Título Original: Metropolis Ano/País/Gênero/Duração: 1927 / EUA / Ficção Cientifica / 140min Direção: Fritz Lang Produção: Erich Pommer Roteiro: Fritz Lang e Thea Von Harbou Fotografia: Karl Freund e Gunther Rittau Música: Gottfried Huppertz. Elenco Alfred Abel ... Joh Fredersen Gustav Fröhlich ... Freder Rudolf Klein-Rogge ... C. A. Rotwang Fritz Rasp ... The Thin Man Theodor Loos ... Josaphat Erwin Biswanger ... 11811 Heinrich George ... Grot Brigitte Helm ... Maria Sinopse Em 2026 o mundo está dividido em duas classes sociais. A elite vive na superfície, em enormes prédios e cercada de luxo que inclui carros voadores. Os operários que fazem tudo funcionar vivem no subsolo como escravos. Maria (Brigitte Helm), que vive no subsolo, prega a paz entre as classes sociais, em reuniões que mantém com a massa trabalhadora. Ela pede que eles tenham paciência, e que alguém surgirá para mediar as relações entre eles. Freder (Gustav Frohlich), filho de um dos homens mais ricos da metrópole, vê Maria e se apaixona por ela, descendo até o subsolo e vendo pela primeira vez a forma absurda como eles vivem. O pai de Freder prepara com um cientista, um andróide que pareça com Maria e se infiltre entre os trabalhadores, para que ela possa modificar seu discurso de paz. Curiosidades - Foram necessários mais de um ano e meio de filmagens para finalizar Metropolis. - O filme resultou numa prejuízo financeiro para a Universum Film. - O filme serviu de base para a produção de ficção científica que viria depois. - Orçamento de $ 400 mil. - Foram utilizados 620.000 metros de negativo, 1 milhão e 300 mil metros de película positiva, 750 actores secundários, 25.000 figurantes masculinos, 11.000 figurantes femininos, 1.000 carecas, 750 crianças, 100 negros, 25 chineses, 3.500 pares de sapatos, 75 cabeleiras postiças, 50 automóveis de modelo especial. - Uma das principais obras do impressionismo alemão, ao lado de Fausto (Murnau). - O filme se passa exatamente 100 anos após sua criação (1926). - O cientista que vive na zona intermediária é uma alusão a Albert Einstein. - Alusão à Torre de Babel, com homens que querem tocar o céu e recebem o castigo de Deus.   ASSISTA ONLINE Imagens
| 18826 ace
1. A Aventura (1960)   2. Psicose (1960)   3. O Leopardo (1963)   4. A Doce Vida (1960)   5. Rocco e Seus Irmãos (1960)   6. A Noviça Rebelde (1965)   7. O Que Terá Acontecido a Baby Jane? (1962)     8. Butch Cassidy e Sundance Kid (1969)   9. O Bebê de Rosemary (1968)   10. Julgamento em Nuremberg (1961)     Outros destaques: A Primeira Noite de um Homem (1967) Era Uma Vez no Oeste (1968) Três Homens em Conflito (1966) 2001, Uma Odisséia no Espaço (1968) Bonnie e Clyde (1967) O Homem que Matou o Fascinora (1962) Lawrence da Arábia (1962) Repulsa ao Sexo (1965) O Anjo Exterminador (Luis Buñuel) Quem Tem Medo de Virginia Woolf? (1966) Persona (1966)  
| 18819 ace
  Ficha Título original:. Nosferatu, eine Symphonie des Grauens Ano/País/Gênero/Duração: 1922/ALE/Terror/94min Produção: Enrico Dieckmann e Albin Grau Direção: F.W. Murnau Roteiro: Henrik Galeen Fotografia: Fritz Arno Wagner e Günther Krampf Elenco: Max Schreck ... Graf Orlok Gustav von Wangenheim ... Hutter Greta Schröder ... Ellen Hutter Alexander Granach ... Knock Georg H. Schnell ... Westenra Ruth Landshoff ... Lucy, Westenras Frau John Gottowt ... Professor Bulwer Gustav Botz ... Professor Sievers Max Nemetz ... Käpitän der Demeter   Sinopse O Conde Orlok vive na Transilvânia e é um obcecado por Lucy, que teria sido sua esposa em encarnação anterior. O marido de Lucy, Hutter, vai ao encontra do vampiro para comprar um imóvel, mas é surpreendido ao se ver preso por Orlok. Este, parte para conquistar sua amada. Curiosidades   - Este foi o primeiro filme sobre vampiros, e foi baseado na obra de Bram Stoker, com o título homonimo. - A viúva de Bram Stoker a princípio não autorizou a exibição do filme, movendo um processo para que as cópias fossem destruídas. ASSISTA ONLINE:   Imagens Trailer Veja filme online:
| 18797 ace
Nome: Rosemarie Magdelena Albach-Retty Nascimento e local: 23/09/1938, Vienna, Austria Morte e local: 26/05/1982, Paris, FRA, ataque cardíaco Ocupação: atriz Nacionalidade: austríaca Casamentos: Alain Delon (noivo), Harry Meyen e Daniel Biasini Filhos: Sarah Biasini and David Haubenstock Biografia Filha de atores, sempre chamou muita atenção por sua beleza, e sua estreia no cinema foi aos 14 anos no filme "Quando voltam a florescer os lilases" (When the White Lilacs Bloom Again), onde trabalhou com sua mãe. Aos 17 anos ganhou o papel que iria marcar sua carreira: Sissi, a imperatriz da Áustria. Seu sucesso não ficou só em seu país, ganhando o mundo logo, e acabou tendo duas continuações: "Sissi, a Imperatriz" e "Sissi e seu destino". Mas a atriz estava cansada de viver papel de adolescentes, e em 1958 estrelou "Senhoritas de uniforme", de temática GLS. Em "Christine", teve enorme dificuldade no início, pois não sabia falar inglês ou francês. Em 1962 estrela "O processo" (The trial), de Orson Welles. "Boccaccio 70", de Luciano Visconti trouxe uma mudança significativa em sua carreira. O sucesso seguiu durante a década de 70. Romy trabalhou com os melhores diretores, como Claude Chabrol, Claude Sautet, Joseph Losey, Costa-Gavras. Andrzej Zulawski e Bertrand Tavernier, e teve como pares, além de Alain Delon, Yves Montad, Jack Lemmon, Michel Piccoli, Peter O'toole, Antony Quinn, Jean Claude Brialy, Jean-Louis Trintignant, dentre outros. Seu último filme foi "O bar da última esperança", de 1981. Ganhou o César (Prêmio do cinema francês) como melhor atriz em 1975 (O importante é amar) e em 1978 (Une histoire simple). Filmes Passante du Sans-Souci, La (1982) Garde à vue - Cidadão sob custódia (1981) Fantasma d'amore (1981) Banquière, La (1980) Mort en direct, La (1980) Clair de femme (1979) Bloodline (1979) Une histoire simple (1978) Gruppenbild mit Dame (1977) Tausend Lieder ohne Ton (1977) Une femme à sa fenêtre (1976) Mado (1976) Vieux fusil, Le - O velho fuzil (1975) Innocents aux mains sales, Les (1975) Important c'est d'aimer, L' (1975) Trio infernal, Le (1974) Un amour de pluie (1974) Mouton enragé, Le - Escalada ao Poder (1974) Train, Le (1973) Ludwig - A Paixão de um Rei (1972) César et Rosalie - Cesar e Rosalie (1972) The Assassination of Trotsky - O assassinato de Trotsky (1972) Bloomfield (1971) Max et les ferrailleurs - Max e os duelistas (1971) Qui? (1970) My Lover My Son (1970) Choses de la vie, Les - As coisas da vida (1970) Califfa, La (1970) Piscine, La - A piscina (1969) Otley (1968) Triple Cross (1966) 10:30 P.M. Summer (1966) Voleuse, La (1966) What's New Pussycat - O Que é Que há Gatinha? (1965) Good Neighbor Sam (1964) Enfer, L' (1964) The Cardinal (1963) The Victors (1963) Amour à la mer, L' (1963) Procès, Le - O Processo (1962) Combat dans l'île, Le (1962) Forever My Love (1962) Boccacio'70 (1962) Die Sendung der Lysistrata (1961) Plein soleil (1960) Katia (1959) Die Schöne Lügnerin - A bela mentirosa (1959) Ein Engel auf Erden (1959) Christine (1958) Mädchen in Uniform (1958) Scampolo (1958) Die Halbzarte (1958) Sissi - Schicksalsjahre einer Kaiserin - Sissi e o seu destino (1957) Monpti (1957) Robinson soll nicht sterben (1957) Sissi - Die junge Kaiserin - Sissi, a Imperatriz (1956) Kitty und die große Welt (1956) Sissi (1955) Der Letzte Mann (1955) Die Deutschmeister (1955) Mädchenjahre einer Königin - Os jovens anos de uma rainha (1954) Wenn der weiße Flieder wieder blüht (1953) Mais... Romy Schneider de A a Z   Imagens     Galeria (Clique na imagem)
| 18786 ace
Título Original: The Hound of the Baskervilles Ano/País/Gênero/Duração: 1939 / Inglaterra / 87min Direção: Terence Fisher Produção: Anthony Hinds Roteiro:  Peter Bryan Fotografia: Jack Asher Música: James Bernard Elenco Richard Greene     ...     Sir Henry Baskerville Basil Rathbone    ...     Sherlock Holmes Wendy Barrie    ...     Beryl Stapleton Nigel Bruce ...     Dr. Watson Lionel Atwill    ...     James Mortimer, M.D. John Carradine    ...     Barryman Barlowe Borland    ...     Frankland Beryl Mercer    ...     Mrs. Jenifer Mortimer Morton Lowry    ...     John Stapleton Ralph Forbes    ...     Sir Hugo Baskerville E.E. Clive    ...     Cabby Eily Malyon    ...     Mrs. Barryman Lionel Pape    ...     Coroner Nigel De Brulier    ...     Convict Mary Gordon    ...     Mrs. Hudson Sinopse Há quinhentos anos o Solar dos Baskerville abriga a família. E desde a época da morte de Hugo Baskerville por um cão, que prossegue a lenda sobre esse ser diabólico, negro e que assombra todo aquele da família que se atreva a chegar perto.O mesmo acontece com Charles Baskerville, que morreu de susto ao ver o cão. Qual será sua próxima vítima? Mais um mistério para Sherlock Holmes (Peter Cushing) e seu ajudante Watson (Andre Morell) desvendar. Curiosidades - Este foi o primeiro filme do personagem Sherlock Holmes filmado em cores. - Os produtores queriam fazer uma série de filmes com Peter Cushing no papel de Holmes, mas o projeto não vingou, pois a recepção do público foi desfavorável. - Esse é um dos poucos filmes em que Christopher Lee não aparece como vilão.   ASSISTA ONLINE: Imagens
| 18652 ace
Título Original: Tarzan, the Ape Man Ano/País/Gênero/Duração: 1932 / EUA / Aventura / 99min Direção: W.S. Van Dyke Produção: Irving Thalberg e Bernard H. Hyman Roteiro: Cyril Hume Fotografia: Clyde De Vinna e Harold Rosson Elenco: Tarzan - Johnny Weissmuller Harry Holt - Neil Hamilton Jane Parker - Maureen O'Sullivan James Parker - C. Aubrey Smith Mrs. Cutten - Doris Lloyd Beamish - Forrester Harvey Riano - Ivory Williams Sinopse James Parker (C. Aubrey Smith) e Harry Holt (Neil Hamilton) estão numa expedição na África, onde buscam um cemitério de elefantes de onde retirarão marfim. Jane (Maureen O'Sullivan), filha do líder, junta-se ao grupo e Harry se apaixona por ela. Depois de uma emboscada por conta de nativos, Jane, é seqüestrada por um homem estranho, Tarzan (Johnny Weissmuller), que a leva para sua morada em cima de uma árvore. Aos poucos eles vão se apaixonando. Jane decide ficar ao lado de Tarzan, formando uma nova família. Curiosidades - Este foi o primeiro filme da série MGM sobre o homem das selvas. - Johnny Weissmuller foi campeão olímpico de natação antes de se aventurar nas telas. - Adaptação da obra de Edgar Rice Burroughs, que deu início a uma série de filmes. - Clarc Gable, Joel McCrea, Johnny Mack Brown e Herman Brix foram testados para o papel. - O filme foi rodado em cinco meses no lago Toluca, nos arredores de Hollywood. ASSISTA ONLINE: Imagens
| 18640 ace
Título Original: The Phantom of the Opera Ano/País/Gênero/Duração: 1925 / EUA / Drama Terror / 93min Direção: Rupert Julian Produção: Carl Laemmle Roteiro: Gaston Leroux, Elliott J. Clawson, Raymond L. Schrock Fotografia: Milton Bridenbecker Música: Sam Perry Elenco Lon Chaney ... ... O Fantasma Mary Philbin ... ... Christine Daae Norman Kerry ... ... Vicomte Raoul de Chagny Arthur Edmund Carewe ... ... Ledoux Gibson Gowland ... ... Simon Buquet John St. Polis ... ... Comte Philip de Chagny Snitz Edwards ... ... Florine Papillon Mary Fabian ... ... Carlotta Virginia ... ... Chester Conklin Sinopse Depois de um acidente, Erik (Lon Chaney) um compositor tem seu rosto desfigurado. Traumatizado ele passa a viver se escondendo nos subsolos de Paris, assustando as pessoas. Ele conhece Christine (Mary Philbin), uma jovem cantora lírica, por quem se apaixona e seqüestra. O desfecho se dá quando o noivo de Christine vai ao seu encontro, juntamente com a polícia. Curiosidades - Esta foi a primeira adaptação para o cinema da obra de Gaston Leroux. - Considerado por muitos como primeiro grande filme de terror. - Conta-se que muitas pessoas ficaram em choque com o filme, tendo inclusive algumas infartado ao ver a maquiagem de Chaney. ASSISTA ONLINE   Imagens
| 18415 ace
Nome:  Amácio Mazzaropi Nascimento e local: 09/04/1912, São Paulo, Brasil Morte e local: 13/06/1981, São Paulo, Brasil, Ocupação: ator, produtor, diretor Nacionalidade: brasileira Casamentos: não Filhos: Péricles Moreira (adotado) Biografia Mazzaropi nasceu em 1912. Iniciou-se na vida artística aos 15 anos.Ele era fã de Genésio e Sebastião de Arruda, atores de teatro que faziam sucesso na época. Mazzaropi no início imitava Sebastião. Mas decidiu que era hora de ter seu próprio estilo, e partiu para fazer um caboclo inocente, com que ficaria conhecido. Ele preferiu não dar um nome específico ao personagem. Alguns diziam que Mazzaropi, um sobrenome italiano, em nada lembrava um caipira. Ele não ligou.Mazzaropi passou a fazer sucesso no teatro, e algum tempo depois parte para o cinema. Foi Abilio Pereira de Almeida e Franco Zampari quem lhe fizeram o convite. E o ator partiu para a Vera Cruz, onde fez seus dois primeiros filmes. Pensando em algo maior, o ator vendeu sua casa para conseguir dinheiro e fundou a PAM Filmes (Produções Amácio Mazzaropi), que passou a assinar seus filmes. Surgiram seus filmes mais famosos, Jeca Tatu (uma adaptação do famoso livro de Monteiro Lobato), dentre outros.Uma fazenda foi comprada e lá ele construiu o seu estúdio de gravação. Além de ator, produtor e roteirista, Mazzaropi era também um grande empresário. Seu filme O Corintiano (1972) foi recorde de bilheteria do cinema nacional. Como astro que era, chegou a ser recebido pelo então presidente do Brasil, Emílio Médici. Pediu apoio ao cinema nacional. Construiu em Taubaté um estúdio maior, com oficina de cenografia e um hotel, utilizado por atores e técnicos (hoje em dia o hotel está aberto ao público que deseje conhecer mais a história do ator). Mazzaropi ainda fazia um filme, quando foi internado. Chamaria-se “Maria Tomba Homem”. Não chegou a finaliza-lo. Morreu aos 69 anoa, em 13 de junho de 1981, vitimado pelo câncer na medula óssea. O ator, que era homossexual, nunca se casou, mas deixou um filho adotivo. Filmes •  O Jeca e a Égua Milagrosa (1980) •  A Banda das Velhas Virgens (1979) •  O Jeca e Seu Filho Preto (1978) •  Jecão... Um Fofoqueiro no Céu (1977) •  O Jeca Contra o Capeta (1976) •  O Jeca Macumbeiro (1975) •  Portugal... Minha Saudade (1974) •  Um Caipira em Bariloche (1973) •  O Grande Xerife (1972) •  Betão Ronca Ferro (1970) •  No Paraíso das Solteironas (1969) •  Uma Pistola para Djeca (1969) •  O Jeca e a Freira (1968) •  O Corintiano (1967) •  Meu Japão Brasileiro (1965) •  O Puritano da Rua Augusta (1965) •  O Lamparina (1964) •  Casinha Pequenina (1963) •  O Vendedor de Lingüiças (1962) •  Tristeza do Jeca (1961) •  As Aventuras de Pedro Malazartes (1960) •  Jeca Tatu (1960) •  Zé do Periquito (1960) •  Chofer de Praça (1959) •  O Noivo da Girafa (1958) •  O Gato de Madame (1957) •  Fuzileiro do Amor (1956) •  Chico Fumaça (1956) •  A Carrocinha (1955) •  Candinho (1954) •  Nadando em Dinheiro (1952) •  Sai da Frente (1952)
| 18400 ace
Segundo a AFI (American Film Institute): 10. Scarface (1983) 09. O Pequeno César (1931) 08. Inimigo Público (1931) 07. Pulp Fiction - Tempo de Violência (1994) 06. Scarface, a Vergonha da Nação 05. Bonnie e Clyde – Uma Rajada de Balas (1969) 04. Fúria Sanguinária (1949) 03. O Poderoso Chefão 2 (1974) 02. Os Bons Companheiros (1990) 01. O Poderoso Chefão 1 (1972)
| 18063 ace
Título Original: Orphans of the Storm Ano/País/Gênero/Duração: 1921 / EUA / Drama / 150min Direção: D.W. Griffith Produção: D.W. Griffith Roteiro: Eugène Cormon Fotografia: Paul H. Allen, G.W. Bitzer e Hendrik Sartov Música: John Lanchbery Elenco Lillian Gish ... Henriette Girard Dorothy Gish ... Louise Girard Joseph Schildkraut ... Chevalier de Vaudrey Frank Losee ... Count de Linieres Katherine Emmet ... Countess de Linieres Morgan Wallace ... Marquis de Praille Lucille La Verne ... Mother Frochard Sheldon Lewis ... Jacques Frochard Frank Puglia ... Pierre Frochard Creighton Hale ... Picard Leslie King ... Jacques-Forget-Not Monte Blue ... Danton Sidney Herbert ... Robespierre Lee Kohlmar ... King Louis XVI Marcia Harris ... Henriette's landlady Sinopse Na França do século 18, Louise (Dorothy Gish) e Henriette (Lilian Gish) são criadas como irmãs, depois que o pai de uma delas encontra a outra em uma igreja, abandonada. Os seus pais morrem de peste e Louise fica cega. As duas partem para Paris em busca da cura. Acabam se distanciando e reencontrando durante a revolução. Curiosidades - Considerada a melhor performance de Lilian Gish no cinema. - Este foi o último filme de sucesso de D. W. Griffith. - Griffth ficou preocupado com a hipótese dos comunistas abraçarem o filme, assim como aconteceu com o Nascimento de Uma Nação, que agradou ao grupo Ky Klux Klan.   Assista Online Download: Este filme é de domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria. Legenda     Imagens
| 18052 ace
Ficha Título original:. Nanook of the North Ano/País/Gênero/Duração: 1922/EUA/FRA/Documentário/79min Produção: Robert J. Flaherty e John Révillon Direção: Robert J. Flaherty Roteiro: Frances H. Flaherty e Robert J. Flaherty Fotografia: Robert J. Flaherty Música: Rudolf Schramm Elenco Allakariallak ... Nanook Nyla Cunayou Sinopse O filme documenta a vida de Nanook, um esquimó que vive com sua família em Hudson Bay, no Canadá. Para sobreviver ele caça e pesca e todos comem-na crua. Curiosidades: - Este foi o primeiro documentário antropológico de longa metragem do cinema. O filme, apesar disto, não pode ser totalmente considerado um documentário, já que muitas cenas foram ensaiadas antes. - Nanook morreu de fome pouco tempo depois do término das filmagens. ASSISTA ONLINE: Imagens
| 18038 ace
Título Original: Eine Deutsche Volkssage Ano/País/Gênero/Duração: 1926 / Alemanha / Drama Terror / 116min Direção: F.W. Murnau Produção: Erich Pommer Roteiro:  Hans Kyser Fotografia: Carl Hoffmann Elenco Gösta Ekman .... Fausto Emil Jannings .... Mefisto Camilla Horn .... Gretchen Frida Richard .... Mãe de Gretchen William Dieterle .... Valentin: irmão de Gretchen Yvette Guilbert .... Marthe Schwerdtlein: tia de Gretchen Eric Barclay .... Duque de Parma Hanna Ralph .... Duquesa de Parma Werner Fuetterer .... Arcanjo Sinopse Fausto (Gösta Ekman) é um velho alquimista que testemunha a cidade sendo tomada pela peste negra. Diante da morte dos demais, começa a pensar em sua própria, envocando Mefistófeles (Emil Janings) para que lhe dê a vida eterna e a juventude. Ele a consegue em troca de sua alma. O rumo das coisas começa a mudar quando ele se apaixona por uma jovem. Curiosidades - Baseada na peça de Goethe. - O primeiro filme sobre Fausto foi realizado em 1904. - O filme foi ignorado pela crítica e público à época do seu lançamento. ASSISTA ONLINE   Imagens
| 17905 ace
Por Ricardo Steil Howard Hughes — Um Capítulo de 20 Anos Howard surgiu na vida de Ava durante seu processo de divórcio. Por vinte anos foram bons amigos — até que Hughes desligou-se do mundo por completo, trancafiando-se dentro de seu apartamento. Em sua biografia, Howard surge como um homem gentil, que protegia seus amigos (a sua maneira, obviamente): quando soube que Elizabeth estava sofrendo de câncer, deslocou os melhores médicos da área para irem consultá-la. Também era um péssimo dançarino, um ciumento incorrigível — chegou a deixar a atriz com um olho roxo — e ao contrário do que mostrado é em O Aviador, não tomava banho com freqüência. Muito se especulou se o caso entre os dois foi além da amizade. Biógrafos, afirmam que ela era uma das seis amantes do milionário! Ava, desmente. O máximo que Hughes conseguiu foi um beijo no rosto. Se existiu algo entre eles, foi platonicamente. Não nega, no entanto, que ele foi apaixonado por ela — culpá-lo, qual homem não seria? —, a ponto de chorar pedindo-a em casamento. Recebendo um não, partiu para uma tática mais persuasiva: levou numa viagem de sete dias, onde pelo café da manhã lhe dava um diamante, ao meio dia: outro diamante, na hora do chá: mais um, no jantar: outro e claro, deixava sobre sua cama antes de dormir: um diamante. Bappie (apaixonada por jóias) quase teve um treco quando Ava mandou Hughes enfiar cada um daqueles diamantes — inclusive o maior que na época valia nada mais nada menos que um milhão de dólares — onde o sol nunca toca! Ora essa, ela não se vendia, seu amor não era uma mercadoria e seu corpo muito menos! Outra coisa que a incomodava muito eram os espiões. Hughes os colocava atrás dela no intuito de descobrir se a atriz estava saindo com alguém. Houve uma noite que a atriz estava pronta para sair — Rooney estava a esperando num restaurante —, quando abriu a porta, um brutamontes apenas lhe disse: — Miss Gardner, o senhor Hughes a espera. — Sinto muito, mas, tenho compromisso. — Ele não vai gostar nada disso. Gardner fechou a porta do apartamento, olhou nos olhos do capanga e respondeu: — Fazer o que. Problema dele. Gardner se divertiu com Rooney — como marido, ele fora péssimo. Mas, como amigo, ele era formidável. Sempre a fazia rir e, ao seu lado, esquecia das horas exaustivas no estúdio e dos problemas que todos tem no dia a dia. Quando voltou para casa, tomou um banho e foi dormir. Durante seu sono acordou. Hughes estava ao seu lado na cama. Fitando-a. Percebeu nos olhos dele que estava possesso: ora, ninguém no mundo dizia não a Howard Hughes. Mas quem era Hughes. Uma pessoa comum como ela, como qualquer outro. Desceram até a sala de estar. Hughes perdeu a cabeça e começou a bater em Ava. Um, dois, três socos! O olho da atriz ficou roxo. Gardner furiosa com aquilo, partiu para cima do safado. Ele a esmurrou contra uma parede. Sabia que ele iria matá-la. Não pensou duas vezes: antes ele, do que ela. Viu um enorme sino de bronze, uniu forças — o rosto estava tão inchado, que sobrara a diva apenas um dos olhos para enxergar — e lançou contra o rosto de Hughes. O troço era tão pesado que abriu um rasgo da testa à boca, arrancou na hora dois dentes do cara, e afrouxou outros que caíram dias depois. Mas Howard ainda estava vivo. E ela, possessa: queria matar o cara que teve a ousadia de machucá-la. Pegou o sino pesado, subiu sobre o milionário, ergueu-o para o alto mirando sua cabeça. Pensou consigo: “Com três acabo com o filho da mãe”. Um grito da sua empregada é que a impediu. Bappie e seu novo cunhado de nome Charlie — que era empregado de Hughes, surgiram. Os dois é que permitiram a entrada do milionário. Ficaram apavorados. Bappie apenas dizia: — Meu Deus Ava, meu Deus! Pobre Howard! Pobre Howard! E ela ali, vendo tudo com um olho, trêmula — sendo trocada pela irmã que parecia importar-se mais com o milionário do que com ela — e tendo apenas uma empregada velha, socorrendo-a, gritou: — O pobre Howard que se ferre! Uma ambulância veio, levou Howard, Bappie e Charlie ao hospital. No banheiro, Gardner chorou e muito. Pelas dores no corpo, pelas dores na alma, pelo trauma que sofrera. *** Tempos depois Hughes ligou como se nada tivesse acontecido. Gardner o perdoou. Continuaram bons amigos — apesar da mania absurda dele em viver colocando espiões no seu encalço — e por muitos anos, fora ela que o milionário procurara para desabafar e contar seus medos, anseios, neuroses. Depois de Ava, somente Cary Grant teve um lugar de confiança no coração de Hughes, que reapareceria e muito ao longo dos próximos vinte anos. Nasce Uma Estrela Estando há cinco anos em Hollywood, Gardner já havia filmado nada mais, nada menos que dezessete filmes. E, excetuando uma ou outra nota — bem como, o caso do luminoso e, de ter sido esposa de Rooney — não passava de um rosto bonitinho nos cartazes e fotos promocionais. Mas, sua vida iria mudar para todo o sempre, quando sua amiga Francês Helfim, lhe fez um convite irrecusável: ir ao Mocambo Club para ouvir jazz e dançar um pouco. Que Deus a abençoe — quer onde esteja —, pois, ela apresentou a Ava ao diretor alemão Seymour Nedenzal — trabalhava este para a United States —, e há muito notara o talento da futura diva — que estava ao seu ver, sendo desperdiçado com fotografias e pontas. Ofereceu-lhe um papel no seu novo filme chamado Whistle Stop — do qual comprara os direitos do livro, por sinal, proibido na sua antiga pátria: tratava de prostituição, incesto e coisa e tal. Gardner ergueu as sobrancelhas. Mas, antes que pudesse dizer qualquer coisa, Nedenzal foi taxativo: utilizaria somente o título do livro, já que, estavam reescrevendo todo o texto. Não haveria irmão algum. Gardner disse que só tinha um problema: era contratada da MGM e só com a liberação do todo poderoso Louis B. Mayer é que poderia fazer este filme. Seymour sabia disso, tanto que tinha obtido já a autorização, faltava apenas um sim da atriz. Em suas memórias, confessa que nunca apreciou o filme. Mas, foi a oportunidade de trabalhar com um ator que ela admirava desde os oito anos de idade: George Raft. Os dois se deram bem desde o início — além de tudo, Raft era um ótimo dançarino. Sendo o amante de Mary (Gardner) no filme, dividiram muitas e muitas cenas. Tempos depois, os jornais acusaram George de ser testa de ferro da Máfia. Gardner rasgou todos os jornais, aquilo era um absurdo — absurdo que atrapalhou (e muito) a carreira de Raft. Em sua biografia Ava é taxativa: George Raft fez com que Whistle Stop valesse a pena. Só que Whistle foi além, fez com que Gardner ganhasse certo respeito e deixasse enfim de ser uma starlet para alçar novos vôos — com a permissão da MGM, agora na Universal, interpretaria a emblemática Kitty, no mais, que clássico: The Killers (Os Assassinos) — e na humilde opinião deste articulista, o maior filme noir de todos os tempos. Não à toa que, foi sobre o mesmo, meu primeiro artigo para o Purviance. Os Assassinos (The Killers, 1949) adaptado é de um conto homônimo escrito por ninguém menos que Ernest Hemingway — referência obrigatória para todo escritor que queira aprender a escrever diálogos —, onde um boxeador que atende pela alcunha de: o sueco, desiste de fugir dos seus assassinos e espera a morte. Pode até parecer banal o filme, mas, não é. Riordan — um investigador de uma companhia de seguros —, é responsável em levantar o passado do sueco. Através de flashbacks é que o filme começa a pegar fogo. E pega mesmo, a partir do momento que surgi Kitty (Ava Gardner) a femme famale que irá destruir pouco a pouco a vida do ex-boxeador (no papel Burt Lancaster, que nunca fizera um filme antes!). É nesta película que encontramos a célebre frase que seria marca da atriz por toda a vida: “Escute, sou um veneno para mim e qualquer um que esteja à minha volta”. Também neste, consta àquela que considero uma das dez maiores cenas da história do cinema: quando Kitty Collins (Gardner), segurando uma taça e um cigarro acesso, aproxima-se do piano — ficando de costas para o sueco —, e tendo um jogo de luzes e sombras sobre seus olhos semicerrados — vindos de uma vela acesa —, começa cantar quase num sussurro lentamente a sentença: “quanto mais sei do amor, menos eu sei”. E mais, quando ele se aproxima, ergue lentamente os lábios num sorriso, fecha as pálpebras e começa a fazer “hum-hum, hum-hum”, quase um ronronar, inserindo outros “di-dan-dan-dan” e “dum-de-dum-dum”. Depois, retorna a mesma frase, ao pressentir que o sueco está engolindo o uísque quase que transtornado e movimenta os olhos lentamente em sua direção, fugindo deste em seguida. Mark Hellinger foi o produtor do filme. Gardner comenta sobre ele em sua biografia: “Logo simpatizei com Mark Hellinger, porque via que ele me considerava uma atriz, não um objeto sexual. Confiou em mim desde o início e eu confiei nele. Inclusive me convenceu a relaxar o suficiente para cantar aquela canção sensual com minha própria voz. E me deu uma noção da responsabilidade de uma estrela de cinema que eu nunca tinha percebido antes. Até fazer Kitty Collins, jamais tinha trabalhado duro no cinema, nunca tinha levado minha carreira muito a sério. Não sentia ambição alguma em me transformar numa atriz de verdade. Era apenas uma garota que tinha tido a sorte de conseguir um emprego no cinema. Fazer Kitty mudou tudo, me mostrou o que significava ser atriz e me fez sentir que afinal eu até tinha um pouco de talento”. The Killers foi o passaporte para o estrelato. Jornais e revistas voltaram-se para a atriz reconhecendo-a como merecia. Hemingway cansou de dizer que fora esta a melhor adaptação de um trabalho seu. Burt Lancaster também seria lançado ao estrelado. E o produtor e diretor alçariam vôos mais altos no futuro. Mas Gardner voltou seus olhos para outro lado. Ela desejava um futuro diferente. Ela estava perdidamente apaixonada de novo. Outrora assim não fora. Antes Só Que Mal Casada Ava conheceu Artie Shaw enquanto filmava The Killers. Francês Helfim fez as apresentações: — Este é Artie Shaw. Recém voltou da guerra. Você já ouviu sua música. Acho que vão se dar muito bem. — Ah, meu Deus, pensei, que homem mais bonito — confessou em sua biografia. Além de bonito, Shaw era um ótimo músico/compositor e um intelectual de mão cheia. Discursava sobre qualquer assunto. A inteligência de Artie fez Gardner apaixonar-se de imediato. Logo estavam saindo. Foram longos oito meses de namoro. A atriz foi taxativa: “nada de cama até casarem”. Artie havia se divorciado tinha pouco tempo. Ele a levava aos lugares mais chiques, apresentava os homens mais sábios. E ela ali na mesa, vendo-o discutir música, política, esporte, guerra, fosse o que fosse. Rooney era engraçado — Artie, não —, mas, ela não se importava. Estava ciente de que com ele encontraria seu par ideal. Estava disposta a largar tudo, a largar o cinema e ser uma boa dona de casa. Shaw a pediu em casamento. Em 17 de outubro de 1945, usando um conjunto azul e um buquê de orquídeas, ela entrou de cabeça no seu sonho. Mas, ao abrir seus olhos, percebera ter caído em um pesadelo. Artie era possessivo, e, vivia a espezinhando por não conseguir acompanhá-lo intelectualmente. Insistia para que ela estudasse isso e aquilo: artes, música, política, psicologia. Era muita informação para uma menina que nascera no campo. Aquele mundo — o mundo social de Shaw —, onde tudo era sério, até as piadas, vinha a ser uma camisa-de-força. Como não notara antes? Sim, o amor é cego. Pena não ter comprado uma bengala antes. Quando seu cônjuge sentava no sofá — no sofá dele —, ela tinha que ficar sentada no chão — tal como uma serviçal, uma cadelinha — aos seus pés! Certa vez, olhando-a, disse: — Acho que não teria me apaixonado por você, se não fosse a sua beleza. Qualquer mulher teria dado um chute na bunda do cara, mas, ela que perdidamente apaixonada estava — e pronta a salvar aquele casamento —, matriculou-se em um curso de extensão inglesa e de economia por correspondência. E mais, engoliu página por página A Montanha Mágica de Thomas Mann — claro, é um livro maravilhoso, mas, para quem não gosta muito de ler, novecentas e vinte páginas são um sacrifício. Em Chicago ela vê o best-seller Entre O Amor e O Pecado, que todas as atrizes estavam lendo e comentando. Ficara entusiasmada com livro. Chegou em casa, sentou pronta para lê-lo. Enfim algo que lhe daria prazer. Artie chegou, arrancou o livro de frente dos seus olhos. Leu a capa. Abriu a lixeira, jogou-o dentro dizendo: “Se sou eu que tomo conta da sua educação, não vou deixá-la ler esse lixo”. Obrigada então era a ler a Interpretação dos Sonhos de Freud, afinal, ele insistia que a psicanálise era a cura para tudo o que existia no mundo. Na noite de Natal, levou-a numa festa — toda de psiquiatras —, e a abandonou em um canto. Envergonhada, sentou num canto da casa com medo de falar qualquer besteira na frente daqueles homens e mulheres cultos. Os cigarros, a música ao fundo, milhões de palavras chatas. Um baixinho sentou ao seu lado, foi atencioso. Ora ele era psicanalista e achou-a um caso interessante. Começou a freqüentar sessões com este, mas, insistia em fazer um teste de QI. E ele em querer que ela falasse de todos os seus problemas — principalmente, da infância, na procura insana de algo que a destruíra por completo psicologicamente. Certa noite, Artie que era um grande jogador de xadrez lhe disse: “Sabe Ava, se soubesses jogar xadrez, poderíamos fazer algo juntos”. Ela se dispôs na hora. Mas, Artie não estava disposto a ensiná-la. Contratou um profissional. Foram meses e meses de táticas de ataque-defesa. Quando o professor disse que ela estava pronta, Artie se sentou diante dela, com um sorriso escarninho. Em resumo: miss Gardner deu um xeque-mate com algumas jogadinhas em Shaw, que guardou o tabuleiro e depois de um: “sorte de principiante”, nunca mais jogou com ela. O teste de QI a surpreendeu: “Você tem um QI elevadíssimo, apenas não usou todo o seu potencial”, disse o psicanalista. É de se imaginar o que ocorreu com os nervos de Ava com o passar do tempo. — Se ficava quieta quando havias amigos à volta, ele dizia: Por que você não diz alguma coisa? Será que você não tem nada a dizer? E se eu tentava falar, ele dizia apenas: Cale a boca. O seu desprezo ostensivo diante dos nossos amigos era particularmente doloroso. Ele desprezava os meus desejos e me humilhava sempre que podia, até que quase nem pudesse segurar as lágrimas. Eu o adorava, mas aquele foi um dos piores momentos que já suportei — confessou. Claro que o divórcio veio. Mas, a última punhalada ainda seria dado no coração da atriz. Artie a chamou um dia até seu escritório. Ela estava esperançosa de que um milagre houvesse ocorrido, ele mudado, que tudo enfim desse certo, pois o amava ainda. Mandou-a sentar, mostrou-lhe uns papéis perguntando friamente: “Você se importaria se eu fosse ao México para conseguir um divórcio rápido?”. Ela apenas disse: “Não... claro que não”. Assinou os papéis, sabendo tempos depois que ele se casara com Kathleen Windsor — a autora do ‘lixo’ Entre o Amor e o Pecado. Vinte e Quatro Anos: No Lugar de Velinhas... Clark Gable “Vinte e quatro anos de idade. Não é uma idade em que, com tantas outras coisas acontecendo, a gente pára e faz um longo e cuidadoso exame de consciência. Mas, assim por cima, eu tinha passado por dois casamentos e cada um deles tinha durado pouco mais de uma ano... trabalhava duro, a MGM cuidava disso. Estava saindo com vários homens, mas não ia para cama com nenhum. Não bebia a sério — só uns drinques à noite...” (Ava Gardner: Minha História. L&PM Editora, p. 97) E mesmo assim, a vida prosseguia. Howard Hughes ao saber que a diva estava novamente só, voltou a procurá-la. Queria casar com ela de qualquer jeito. Todavia, Gardner, estava mais ocupada em sair com outro Howard — Howard Duff —, um rápido relacionamento — que certa vez, fez a atriz ir em um bordel certa noite, enquanto passeavam por São Francisco. Mas, seus vinte e quatro anos ficariam marcados por outro acontecimento. Certo dia — após o sucesso de Whistle Stop e The Killers —, batem na porta do seu apartamento — a esta altura já não morava mais junto com a irmã Bappie —, estava despenteada, em trajes comum — oh sim, não possuía olho mágico —, e abre a porta, acreditando ser algum conhecido. Era Clark Gable. Sim, Clark Gable, o ator ao qual ela admirou desde a infância e que em sua biografia escreve: “Podia-se dizer que ele não era o maior dos atores mas, Deus do céu, era mais do que isso. Era um astro”. E que há dezoito meses, devido ao falecimento de Carole, estava afastado das telas. Ele estendeu sua mão com um sorriso apresentando-se: — Senhorita Gardner. Desculpe por importuná-la, não sei se a senhorita me conhece, me chamo Clark Gable e queria pedir alguns minutos da sua atenção, se fosse possível. Não sei até hoje porque ele se apresentou. Creio que Ava também, não. Educadamente ele entrou, após a permissão da moça. Esperou ser indicado um lugar no sofá ao qual pudesse sentar e soltou: — Bem, estou voltando depois de uma temporada de férias, acho que a senhorita deve ter tido conhecimento do falecimento da minha amada esposa... E, estamos dando início a um novo projeto, chamado: Mercador de Ilusões. Vi sua atuação em Whisle e Killers — oh, ele havia visto os dois filmes —, e adoraria, e também seria uma honra, se a senhorita aceitasse trabalhar ao meu lado neste novo projeto. Adoraria... seria uma honra... não precisasse dizer que Ava ficou de queixo caído. Ora, era Gable pedindo humildemente: oi quer trabalhar comigo. Claro que a MGM, que detinha todos os passos de Gardner, queria unir os dois no filme. Afinal, ela tornara-se numa das mulheres mais desejadas dos últimos tempos graças às películas anteriores. E o filme ainda tinha Deborah Kerr — fazendo sua estréia no cinema americano. O que incomodava Gardner — no fundo —, era que novamente ela seria uma femme famale. Mas, qual o problema, afinal teria que beijar Clark Gable — apenas... algumas vezes. E o beijo... o beijo era um problema. Devido aos códigos de ética do cinema, tinham quer ser curtos — tinham prazo para terminar. E tinha a posição da luz, tinha o melhor ângulo, o cuidado para não borrar o batom. Às vezes tudo dava certo, mas de repente: “me vinha um pensamento à cabeça, quando estava nos braços de Clark, fazendo uma cena: ‘Este é Clark Gable. Este é Clark Gable!’ Aí eu perdia completamente o controle. Qualquer texto, qualquer pequena nuance sugerida pelo diretor... entrava por um motivo e saía por outro. Mas, de uma maneira mágica Clark compreendia tudo, Deus o abençoe. Se curvava um pouco, as rugas bem visíveis em torno dos olhos, sorria e SUSSURRAVA: ‘Oi, garota, onde está você? Deu branco? Deixa eu te ajudar’...” O filme rendeu inúmeros elogios a atriz. Inclusive, houve um crítico que chegou a dizer que o filme “valia por Ava Gardner”. Clark e ela viraram ótimos amigos. Mas, nunca houve nada entre eles — no mais “ele era Clark Gable, e eu, quem era eu?”  Segundo a atriz: muito da vontade de viver se fora com a morte de Lombard. E mais, segundo Ava, Gable não correu para os braços de Joan Crawford — como certos livros afirmam —, ele entrou em desespero completo e, voltou para a casa deles, não querendo falar com ninguém, desejando que sua vida findasse também. As luzes todas apagadas. Abriu uma garrafa de uísque, tomou um gole. Lançou-a contra a parede. Embriagar-se não a traria de volta. Seu amor morrera, de um jeito estúpido. Estúpido demais. Todas as palavras, todas as que nunca foram ditas, todas que deveriam ter sido repetidas... Ela estava morta, e ele só. Entrou no quarto. Viu um corpo sobre a cama de casal. Não podia ser: era Carole. Ela estava ali. Não era alucinação. Seria o álcool. Levou a mão direita sobre o cobertor — luzes acesas. Era sólido — se não era, estava enlouquecendo. Acariciou o corpo por sob o coberto. Os cabelos — sim eram os cabelos dela. A roupa íntima: o pouco que parecia era o mesmo que Lombard usava. Era ela, só poderia. Tudo não passara de um pesadelo. Ao descobrir o corpo, descobrira ser uma cópia da atriz, um manequim. Sua amada antes de viajar, quis fazer-lhe uma brincadeira. Falou com responsáveis pelo departamento de maquiagem, criaram a réplica, e ao sair de casa, o colocou no quarto de ambos. O choque quase acabou com os nervos já em frangalhos do ator. Gardner — extremamente tímida: tinha vergonha de comer diante de muitas pessoas. Isto para ela era um pesadelo. Escondia-se no camarim em companhia de sua amiga Arlene Dahl para almoçarem. Lavava três vezes a mão durante o almoço. Gable achava aquilo estranho, e resolvia fazer companhia a diva — quando, esta não estava acompanhada de Arlene ou outra garota. Gostava de conversar sobre muitas coisas, mas, adorava estar com Gardner, porque ela tinha paciência de ouvir ele falar constantemente sobre Lombard. Os seus vinte e quatro anos, também tiveram outra marca: por pouco não sofrera um estupro, certa noite, ao ser levada a mansão de John Huston — um dos adaptadores de The Killers. Embriagado, ele invadiu o quarto no qual a atriz estava dormindo. Gardner, depois de ver-se livre das mãos do maluco, correu para fora da mansão, seguida por ele. Por fim, restou-lhe apenas um lugar onde o bêbado não poderia alcançar. Subiu em um enorme trampolim. Ele seguindo atrás. Ela pulou direto na piscina. O babaca, que tinha medo de altura — se tocou onde estava e paralisou. Ensopada, voltou para casa, com sua ‘amiga’ Jules Buck dizendo: “Pobre John. Sabe, ele está realmente muito só”. Na manhã seguinte, ele estava se casando com aquela que seria a “oitava” esposa de Artie Shaw. Em resumo: o solitário queria era uma despedida de solteiro. Jean Ogilvie — sua personagem em Mercador de Ilusões —, ficaria no inconsciente do público, tanto quanto Kitty Collins. Ambas deusas do amor — que por sinal, tornou-se o “apelido” de Gardner entre os críticos, assim como, “namoradinha da América” fora para Pickford. Nigel Cawford — décadas depois —, preferiu denominá-la de: A Caçadora de Paixões. Ser vista como uma mulher sexy — somente isso — incomodava muito Gardner, pois, o público em si, confundia-a com seus personagens. One Thouch of Vênus (Vênus, A Deus do Amor — no Brasil), veio apenas contribuir para esta visão distorcida da figura da atriz. No filme, uma estátua da deusa do amor, ganha vida após um beijo. Começam-se as especulações de que a atriz sai com cada um dos artistas que contracena, o que, ela desmente em sua biografia. Logo a seguir vem The Bribe (Lábios Que Escravizam), The Great Sinner (O Grande Pecador), East Side, West Side (Mundos Opostos), e aquele que com toda a certeza, é um dos filmes mais fracos da sua carreira My Forbiden Past (Orgulho e Ódio, 1951). Howard Hughes, comandava a RKO — há algum tempo. Um dos seus atores preferidos — estrela da sua companhia — era Robert Mitchum — um talentosíssimo ator que, havia sido preso por porte de maconha. Hughes após ver o sucesso do filme que produzira: O Cais da Maldição (The Big Steal, 1949), no qual, Mitchum protagonizara, resolveu criar “outro clássico”. Para tanto, precisava de uma nova estrela — Ann Sheriedan, ao qual cogitara o papel principal, estava processando o empresário. Resolveu falar com a MGM, para ter então Ava Gardner no filme — obviamente, soltando uma graninha para Mister Louis B. Mayer. Nesta, triste película, Gardner é Barbara Reynolds, uma dama da sociedade, que possui uma avó que é capaz de fazer qualquer coisa por dinheiro. Barbara é perdidamente apaixonada por um professor de medicina casado (Robert Mitchum). De repente, a garota graças a uma herança, fica riquíssima. A avó fica de olho no dinheiro da menina. Barbara procura o médico que tanto ama, querendo-o a todo custo. A esposa do rapaz morre, e, ele é acusado de assassinato. Gardner (Barbara) então vai até o tribunal e conta todos os podres da avó que, por sinal, é a culpada pela morte da esposa do médico. Um péssimo filme. Obviamente, todos os jornais noticiaram que havia um romance entre Mitchum e Ava. Em sua biografia, Gardner desmente. Diz que, Robert era um homem belíssimo — que tal como ela, muitas atrizes o achavam charmoso —, mas, além de bom profissional, ele era fidelíssimo a esposa. No mais, mesmo que Mitchum quisesse, nada ocorreria entre eles, Gardner estava apaixonada pela terceira vez. Uma nova história de amor surgia no horizonte. Frank Sinatra Gardner conheceu Frank em um nightclub da Sunset Club, nos tempos em que ainda era esposa de Rooney: — Porque não te conheci antes do Mickey? Certamente, teria me casado com você antes dele — foi esta a primeira sentença que viu sair dos lábios de “The Voice”. Passado alguns anos, os dois encontrar-se-iam novamente. Agora, como vizinhos. Sinatra vivia a chamar a atriz junto com outros amigos do seu apartamento, que ficava em frente ao de Ava e Bappie. Mas, o relacionamento teve início realmente — deixando o simples: apenas amigos —, no início de 1949, quando ao contrário da carreira da diva, a carreira de Sinatra decaía dia após dia. O mesmo ainda era casado com Nancy. Lana Turner — amiga de Gardner —, tentou preveni-la, quando numa festa ficaram a sós no banheiro, usando o velho pretexto de “me acompanha, preciso retocar a maquilagem”. Turner fora por dois anos amante de Frank, e por mais promessas que o cantor lhe fizesse, jamais deixou à senhora Sinatra para ficarem definitivamente juntos. — Não se iluda, amiga. No fim, ele sempre volta para Nancy. Foi o que Nancy Sinatra afirmou aos jornalistas quando o caso tornou-se público — por meio da impressa —, no início de 1950. Pior para Ava, que não queria ser apenas mais um “caso” na vida do cantor. Tal como Lana, exigia ser a oficial. Como o relacionamento de Nancy e Sinatra estava ruindo desde o surgimento de Gardner, ela resolveu no dia dos namorados fazer uma declaração, no intuito, de usar a impressa para mexer com os nervos do marido: — Infelizmente, minha vida matrimonial com Frank tornou-se muito infeliz e quase insuportável. Por isso, nos separamos. Pedi ao meu advogado que tente chegar a um acordo de separação, mas não prevejo que um processo de divórcio ocorra a médio prazo. A declaração de Nancy era tudo o que a impressa precisava. Sim, Gardner era realmente uma femme famale, uma destruidora de lares — tal como suas personagens. Ava sempre recebeu centenas de cartas por semana. Gente pedindo fotos, um autógrafo, fios de cabelo, etc. Mas agora, a correspondência mudara por completo. Eram ameaças, pedidos para que deixasse Sinatra, e inclusive houve uma carta endereçada A/C da Meretriz—Jezebel—Gardner. Os jornais mostravam o povo americano indignado. Orações eram feitas pela alma da atriz e pela reconciliação do casal Sinatra. Não importava onde resolvessem se esconder — Ava e Frank — sempre eram descobertos por fotógrafos e repórteres de plantão. Além do divórcio que não saía, dos paparazzi, os “briguentos Sinatras” — como foram apelidados —, tinham um problema maior para resolver: o ciúme e gênios fortes. Gardner queria estrangular qualquer garota que olhasse para Frank — afinal, sua fama de infiel corria longe. Da parte dele, se pudesse aniquilaria Artie Shaw — engolia este, por ser um excelente músico —, mas seu ódio realmente pendia para Howard Hughes — o milionário apaixonado por Gardner. Durante as gravações de Pandora And The Flying (Pandora, no Brasil), após inúmeras doses, Gardner acorda em meio aos braços do toureiro Mario Cabre — que por sinal, desejava ser uma celebridade a todo custo, já que, na arena, era um toureiro mediano. De modo que, aproveitando-se do fato, soltou aos quatro ventos que estava apaixonado por Ava — e ela por ele! E mais, para mostrar o seu amor latino, leu meia dúzia de poemas que fizera em homenagem a atriz — imitando Rodolfo Valentino. Ameaçou Sinatra, se este aparecesse na Espanha. Frank ficou furioso. Obviamente, a “transa casual” ocasionou uma briga — das muitas. O que incomodava os amigos — no geral —, era que as brigas eram violentas, chegavam ao cúmulo de assustar os espectadores. E depois do escarcéu, os dois sorriam um para o outro e acabavam se beijando. Enfim, os que acompanhavam, viviam com os nervos a flor da pele. Em sua biografia a atriz desmente que tenha obrigado Frank a deixar de cantar a lendária Nancy With Laughing Face — que fora escrita para sua filha e não sua mulher —, todavia depois de um show, no qual, o cantor abriu com esta canção — e todos riram achando ser uma brincadeira —, enquanto estiveram juntos, Sinatra nunca mais cantou a mesma. No ano em decurso, Gardner interpreta Julia Laverne em O Barco Das Ilusões (Show Boat), musical no qual, sua amiga — e ex-de Artie Shaw — Lena Horne cantou as duas músicas que eram interpretas por Ava, já que, o responsável musical Arthur Freed, não considerava a diva uma cantora. Mesmo, sem a voz da atriz, O Barco Das Ilusões fez um enorme sucesso — o que surpreendeu muitos, em vista que, a televisão tinha roubado, e muito, o público que freqüentava as salas de cinema. Os advogados procuram Frank no dia 29 de maio de 1951, anunciando que finalmente Nancy concordara com o divórcio. Feliz, Ava insiste em conhecer os pais de Sinatra — era uma tradição, do qual, ela não iria abrir mão. O cantor que estava há dois anos brigado com os progenitores, por fim, cede. Marty — a mãe —, torna-se amiga de Gardner, chamando-a de “aquela que devolveu meu filho para mim”. No final de agosto, no entanto, o divórcio ainda não fora concedido. Desesperados, fogem para o México, na esperança de obterem um pouco de paz. Ledo engano: os jornalistas mexicanos unem-se aos americanos, não os deixando sossegados um minuto sequer. Continuam as brigas graças ao ciúme de ambos. Sinatra estava mal financeira, musical e psicologicamente, de modo que, descontava em Gardner, inventando pretextos para discutirem. Geralmente, “esses pretextos” tinham nome e sobrenome: Howard Hughes. O músico não conseguia acreditar que ela houvesse resistido às investidas do milionário. Para piorar, os espiões do mesmo, viviam para baixo e para cima seguindo o passo de ambos. Em outubro de 1951, o divórcio é declarado. Nancy destruiu por definitivo o pouco que restava da fortuna de Sinatra. Escreve a atriz em sua autobiografia: “Uma semana depois, estávamos prontos para subir ao altar. Então uma sombra caiu sobre nossa felicidade. O seu nome era, como podem adivinhar, Howard Hughes”. Mesmo Ava não tendo nada com Hughes, Frank tinha seus motivos para ter um pé atrás com a figura, pois, Howard estava mais do que obcecado pela atriz — mesmo tendo outros casos com seis mulheres! Gardner, no entanto, insistia em repetir a ele que desde que conhecera Sinatra “os outros homens do mundo morreram”, ou seja, nada além de amigos. Um dos motivos de sua preferência pela diva, era que Hughes não estava acostumado a ouvir ninguém lhe dando um não. E Ava, dizia-lhe não o tempo inteiro. Quando deram divórcio para o cantor, o milionário pirou de vez. Ora, eles iam casar. De modo que, volte e meia, tentava dissuadir a atriz “daquela loucura”. Numa dessas vezes, convenceu a mesma que o futuro esposo estava tendo um caso com uma das coristas da sua banda de apoio — uma garota muitíssimo jovem, que tinha rosto infestado por acnes! Miss Gardner, ciumenta que só, entrou em pânico. A briga entre Frank e ela foi tamanha que o mesmo teve de apresentar a suposta amante a diva. Possessa, ofendeu a garota: “Virgem? Virgem o cassete!” — só para se ter uma idéia. No fim, tudo foi resolvido. Ava então prometeu a si mesma, nunca mais ouvir Hughes. Incansável, porém, Howard deu sua última cartada — ou pelo menos a atriz suspeitava que fosse ele o causador do fato —, bem no dia do casamento da atriz. Tudo pronto para o enlace. Bappie — a irmã — estava auxiliando a diva a colocar um belíssimo vestido marquisette rosa-escuro, um colar de pérolas, brincos idem com detalhes em diamantes, quando uma carta encaminhada “aos cuidados” veio a ser entregue a noiva. Conforme relata em sua biografia: “Abri, li e quase nem consegui continuar respirando. Era de uma mulher que admitia ser meretriz e afirmava estar tendo um caso com Frank. Era uma sujeira, dava detalhes que achei convincentes e fiquei com nojo. Como é que eu poderia manter o casamento diante de uma carta como aquela?” Ela voltou-se para a irmã dizendo que estava tudo terminado, trancando-se noutro quarto em prantos! Foi um Deus-nos-acuda, todos tentando convencê-la do absurdo: ora haviam os convidados, o buffet, fotográfo, etc e tal. Abriu porta do quarto, encarou a todos e perguntou: — Vocês esqueceram da parte mais importante de tudo isso, não acham? — Qual? — todos em uníssono. — Da noiva! — e bateu a porta. Conversa vai, conversa vem. Enquanto isso, Sinatra com os nervos a flor da pele jurava que iria matar o “filho da mãe do Howard Hughes. Tenho certeza que foi ele”. Alguém lembrou de falar da figura para a diva. Sim, só poderia ter sido o cara. Em resumo: a sete de novembro de mil novecentos e cinqüenta e um, na residência de Lester Sachs — amigo de ambos, na Filadélfia —, a diva tornava-se enfim: Ava Gardner Sinatra. Apesar de toda descrição, do esforço mútuo de todos para encobrir o local do casamento — tentando assim, obter um pouco de privacidade do casal —, a imprensa que conseguira infiltrar “um dos seus” em meio à equipe do buffet, surgiu em peso. Flashes e mais flashes, braços sobre braços, vozes e mais vozes, tornaram-se numa muralha ao qual Frank e Ava tiveram que transpor até chegar ao carro. Pouco antes de entrar, Gardner voltou seu olhar e encontrou entre as pessoas um dos conhecidos espiões de Howard Hughes. Sorriu, entrando definitivamente no automóvel. Senhor e Senhora Sinatra Desesperados para se livrarem dos abutres da imprensa, pegaram um avião rumo a Miami. Todavia, a noiva esquecera da sua mala. Resultado: uma das mais conhecidas fotos do casal, onde Gardner aparece usando as roupas do dia anterior, pés descalços, coberta pelo casaco de Sinatra, caminhando pela praia. O fotografo vendeu a película para todos os jornais e revistas mais importantes da época. Resolveram ir para Havana. Em Cuba, conseguiram passar como meros turistas, como um “casalzinho qualquer”. Foram estes os melhores momentos da vida de ambos, sem brigas, sem perturbações paralelas. Mas, o retorno aos Estados Unidos era inevitável. Frank tinha shows agendados — e ele precisava e muito fazer shows. Como boa esposa, ela o acompanhava em cada um deles. Na cidade de Nova York, porém, o ciúme tomou conta da bela ao vislumbrar entre as fãs de plantão, próximas ao gargarejo, Marilyn Maxwell, uma antiga paixão do atual esposo. Ciumenta, via Frank cantar — e mais flertar! — só com a garota. Quanto as outras que debruçavam-se desesperadas por Sinatra, bem, elas não existiam — ao menos aos seus olhos. No hotel, logo após o show, sem perder tempo, a diva começou uma série de acusações. Frank reagiu: tudo aquilo era um absurdo. Fora de si, Gardner sai aos prantos do hotel, descalça e ainda vestindo o belo traje do show. Chovia muito. Tinha uns poucos trocados na bolsa. Corre para o metrô, entra no primeiro trem, partindo sem rumo lógico. Quando este chega ao ponto final, salta. Encontrava-se num bairro em ruínas, na periferia de Nova York. Vê-se caminhando em baixo de fina chuva. O dia começando a nascer. Um táxi cruza seu caminho. Faz sinal. — Hampshire House Hotel. O taxista olha-a da cabeça aos pés. Vestida daquele jeito, com o rosto demonstrando choro intenso, àquela hora, naquele lugar, querendo ir para o hotel mais luxuoso de Nova York... Ora, só poderia ser uma profissional que algum milionário pervertido tinha chamado àquela hora. Em sua biografia, Ava comenta que o motorista ficou lhe dando conselhos do tipo: “Faz ele pagar por isso. Joga o preço lá em cima, benzinho. Se ele tá afim de ti à uma hora dessas, é porque tem muita grana”. E o que ela poderia dizer: “Desculpe, mas sou a sra. Sinatra”? Resolveu ficar calada, no mais, estava exausta. O taxista estava tão indignado com “aquilo” — uma bela moça, com os olhos inchados de tanto chorar — que se o cliente surgisse em frente do hotel, era capaz de esmurrar o mesmo. Todavia, quem surgiu foi o porteiro do hotel, que reconhecendo a atriz, abriu de imediato a porta do automóvel dizendo: — Bom dia, senhora Sinatra. O homem quase desmaiou. Deus, aquela era Ava Gardner atual esposa de Frank Sinatra! Gaguejava, pedia desculpas e mais desculpas. Ava disse que não era preciso dizer nada, agradeceu os conselhos, depois, sussurrou no ouvido do porteiro: “Dava para pagar a corrida e dar dez dólares de gorjeta para o taxista”. O porteiro fez continência e atendeu a ordem. No quarto, um Frank desesperado aguardava-a. Enquanto, ela comia um sanduíche com ovo — preparado por ele —, “The Voice” confessou: — Estou feliz que tenhas voltado sã e salva para casa. E ela com a boca cheia respondeu: — Eu também. A Pior Briga do Casal Entre os shows de Sinatra, a vida de casada e a gravação de As Neves do Kilimanjaro (1952) — onde interpreta Cynthia, uma das personagens que mais adorou protagonizar —, Gardner passa a viver com Sinatra na mansão deste em Palm Springs. Numa manhã longínqua — enquanto Frank estava em turnê —, o telefone toca. Gardner estava em casa com sua irmã Bappie. Era Minna Wallis. — Ava, aqui é Minna, tudo bem? — Oi Minna, tudo, tudo. E como estás? — Ótima, benzinho. Escute, gostaria de pedir um favor. Poderia passar o fim-de-semana com você aí em Palm Springs? — Claro, seria ótimo. — Mas é que estou acompanhada de uma amiga, ela poderia ir junto? — Sem problemas. — Que bom, então daqui a pouquinho eu e a senhoria Garbo estaremos chegando. — Garbo? — Sim, Greta Garbo. — Adoraremos tê-la aqui — respondeu. — Quando ela chega? — Dentro de cinco minutos. Gardner quase teve uma pane. Bappie, também. Não sabiam se gritavam, o que faziam, afinal era Greta Garbo. Greta Garbo que as duas tanto admiravam! Corriam para baixo e para cima: “O que faremos? O que faremos?”, perguntavam-se atônitas. Por fim, colocaram flores no quarto reservado a grande estrela. Ligaram o ar condicionado. E tentaram segurar à vontade de ficar gritando sem parar ao vê-la descer — naquele verão quentíssimo —, usando óculos escuros, um maravilhoso chapéu de abas largas e...um suéter de lã de gola redonda, com uma echarpe de lã envolta em seu pescoço e um casaco pesado por cima de tudo! Em sua biografia Gardner conta o que ocorreu imediatamente: — Olá, miss Garbo — disse, ainda me portando como uma polida senhora sulina. — Sou Ava Gardner. Retribuiu o cumprimento? Ganhei um aperto de mão? O menor sinal de reconhecimento? Qual nada. Apenas um movimento rápido em direção a casa e um ressonante “onde é o meu quarto?”... Logo, ela e Mina instalaram-se em seus respectivos quartos. Depois, mandaram nos avisar que, em primeiro: Greta detestava ar-condicionado. E... se havia algo que detestasse mais ainda que ar-condicionado, eram flores! Bappie e Ava sentaram no sofá da sala de queixo caído. Pressentiram que “aquele fim-de-semana dos sonhos”, tornar-se-ia em um pesadelo. Foram para a piscina. O que fazer? Deus, admiravam Greta — ambas. E a primeira impressão não fora das melhores. Eis que Garbo surge num belo maiô, acompanhada de Minna. Agora é somente sorrisos. Convida-as para nadar. Depois, agradece uma vodka oferecida. E o primeiro momento é esquecido. Riem, conversam sobre diversas coisas. São agora quatro amigas aproveitando o fim de semana. Claro que, uma dessas amigas era: Garbo. E Garbo estava ali, sentada na mesma mesa que elas, no mesmo sofá que elas, fumando com elas a mesma marca de cigarro! Por fim, a grande atriz abriu seu coração para com as meninas: amara em toda sua vida um único homem — e ainda o amava — era John Gilbert. Mas, não poderia perdoa-lo, afinal fora traída com... Todas esperavam que ela dissesse: com Marlene Dietrich. Mas, os queixos caíram quando completou: fui traída com uma figurante! “Ele me traiu com uma figurante! Uma figurantezinha qualquer ao qual trabalharam por um dia! John pisou na bola, pisou mesmo!” Contudo, não seria esta a cena mais impressionante que a casa de Palm Springs presenciaria. Houve um momento, na vida do casal Sinatra, que Frank emprestara a casa para Lana Turner. Gardner adorava Turner — eram muito amigas. No mais, para Ava, Lana era a personificação em pessoa do que era ser uma estrela. “A estrela em pessoa”, costumava dizer. Certa noite, o casal Sinatra foi a uma festa de amigos. Obviamente, beberam muito — e a bebida nunca foi boa para ninguém, principalmente para os dois. Em meio a uma conversa e outra, eles se exasperaram. Quando voltaram para sua atual casa — na Pacific Palisades —, Gardner trancou-se no banheiro. Não queria ouvir um “a” dos lábios do esposo. Entrou na banheira. Obviamente, estava nua. Quando o cônjuge abriu a porta, ela entrou em pânico. Explico: Gardner tinha uma vergonha absurda de ficar nua na frente de outras pessoas, inclusive para seus maridos. Ela jamais se deixava ver despida. E se rolou, ela estava muito, mas muito, alcoolizada. — Saía daqui, agora! — gritou. — O que é isso, sou seu marido! — Vá embora! Vá embora! — gritava sem parar. Sinatra que estava também fora de si, respondeu: — Tudo bem, se é isso que você quer, eu vou” — Vá embora! Vá embora! — repetida em desespero. E antes de sair: — E se quiseres saber onde vou estar, querida. Vou para Palm Spring, pegar Lana Turner — obviamente, ele utilizou um tabuísmo no lugar de “pegar”, mas, não convém utilizar a palavra exata aqui. Bateu a porta. Gardner começou a meditar. Caramba, ele... ele... droga, eles foram amantes no passado. Claro, claro, ele... Entrou em pânico. O casal tinha apenas um carro, e , Frank saíra justamente com aquele. Ligou para Bappie — já era tarde da noite. Explicou o caso: “Quero pegar o filha da mãe, com Lana”. Enfim, Bappie conseguiu um táxi. Partiram. Chegando lá, não viram o automóvel de Frank. Não havia como entrar na casa. Mas, Gardner encontrara um meio: subiria em uma árvore, até chegar as janelas do quarto, pegando o esposo! E quem convence Gardner de que era loucura? Lá foi ela. O problema que quando chegou próximo a janela do quarto, as cortinas estavam fechadas. Ficou tão furiosa, fez tanto barulho que abriram a janela. E quem era? Ben Coler, empresário de Turner que estava acompanhando a estrela. — Ava? — indagou espantado. — Oi, Coler. Como vai? — perguntou com aquele sorriso que só Gardner sabia dar. — Eu-eu.. eu vou bem. E... e... — olhava para aquela cena, uma das maiores atrizes do cinema pendurada feito macaco numa árvore — e você? — Tudo bem, tudo bem, obrigada. — Hã... — Hã... — Hã... — novamente, da parte de Coler. — Coler, querido, antes que me esqueça: poderias abrir o portão para que Bappie e eu possamos entrar. — Oh sim, claro, claro. Respondeu. — Mas, uma coisa — pediu, antes que ele se fosse. Poderia arranjar uma escada para mim. É que não estou conseguindo mais descer daqui. — Sim —, respondeu o empresário. Obviamente, Turner que adorava Gardner, ficou felicíssima de vê-la. Foram, tomar uns drinques. Não poderia ter feito sugestão pior, pois, Ava estava alta, mas bem alta, e mais, ainda corroída pelo ciúme. Procurava em todos os cantos — com os olhos — os pés, braços, qualquer sinal da presença de Frank. Então, Lana abriu o coração. Estava esperando uma pessoa, ao qual há muito estava apaixonada. — Oh! — fez Ava, imaginando uma forma de matar lentamente Sinatra e a amiga. — Ele está vindo de Los Angeles para cá — em sua biografia, Gardner não revela o nome do namorado de Turner. — Sabe, ele é gerente de um nightclub lá. É adorável. Realmente estou apaixonada Ava. Acho que desta vez tudo vai dar certo. Mereço ser feliz uma vez na vida, não? — Mas, é claro, mas é claro. Gardner começou a rir. Que ótimo, seria adorável que Sinatra aparecesse e pegasse Turner na cama com o cara. Teria perdido a loira e ela, numa noite apenas. Turner continuou falando. Comprara um frango, preparara para o namorado e um vinho que ele adorava. Bappie também ria — saíram para dar um flagra, e estavam prestes a se tornarem “duas velinhas” para o casal. E dá-lhe bebida. E dá-lhe histórias. No ponto alto da conversa. Os risos altos. A porta atrás deles abre-se: era Sinatra! Todos ficam espantados. Ora, será que Frank tinha vindo atrás da esposa? Ava mostrou-lhe uma taça e com um sorriso no rosto — e a mente alta — soltou uma frase infeliz: — Ora, ora, senhor Sinatra, pensei que estivestes aqui “pegando” a Lana! — Eu não “pegaria” esta perua, nem que você me pagasse! — respondeu o cantor furioso. E dá-lhe um ofender o outro — e as ofensas iam e vinham sobre Lana, que pôs-se a chorar. Bappie ficou muda. Coler paralisado. — Vou embora! Vou embora! — gritava Turner, chorando. — Vá mesmo, perua! — retrucou Sinatra. — E falando nisso: todos fora da minha casa! — Fora da sua casa? Queres dizer, da nossa casa, benzinho — ironizou Gardner. — Sua “coisa” nenhuma. — Ah é, deixe-me pegar então as minhas coisas — respondeu Ava, que arranjou uma escada e começou a tirar da estante livros e mais livros, discos e mais discos, arremessando-os no tapete da sala. Frank falando sem parar. Ela respondendo sem parar. E no meio da guerra, dos pedaços de discos — incluindo um de Artie. “Oh sim, este pertence a você”, lascou o cantor —, Turner com as malas feitas, o orgulho ferido, tentou passar por sobre tudo. Escorregou, machucando-se. Depois, erguendo-se dos destroços, foi desejando ainda uma “boa noite”. As coisas continuaram feias. Enfim, Frank chamou a polícia. O delegado que apareceu era amigo do cantor, e viu algo inacreditável: Gardner agarrada na maçaneta da porta, Sinatra puxando-a ora pela cintura, ora pelos pés. Gritos e mais gritos. Palavras ofensivas. Não tinha muito que fazer: estavam caindo de bêbados. No mais, como estavam em uma propriedade particular, não era lá “um crime grave”. E para piorar, Ben Coler, apareceu. — Boa noite — cumprimentou o delegado. — Boa noite — respondeu. — Frank, Ava, desculpe estar importunando — iniciou, vendo a luta dos dois ainda porta. — Mas, é que esqueci de levar o frango e o vinho que a senhorita Turner comprou... vocês se importariam se eu... Fitaram-no por um segundo: claro que não. E voltaram as favas. Enfim, o delegado separou os dois. E os dois se separaram, por um breve momento — afinal, amavam-se — retornando durante a campanha Adlai Stevenson.
| 17844 ace
Nome:  George Randolph Scott Nascimento e local: 23/01/1898, Orange County, VA Morte e local: 02/03/1987, Beverly Hills, CA Ocupação: ator Nacionalidade: americano Casamentos: Marion duPont Somerville, Marie Patricia Stillman Namorado: Cary Grant Filhos: Christopher, Sandra   Biografia Vindo de uma família abastada e filho de um rico engenheiro, Randolph Scott foi um dos principais astros de Hollywood. Durante uma visita a Charlotte, na Carolina do Norte, seus pais decidiram enraizar-se no local com o jovem Randolph. Logo depois, Randolph estudou no Instituto Universitário de Tecnologia da Georgia, graças a uma bolsa de estudos ganha por suas performances como jogador de futebol americano. Ferido em uma partida, Scott transferiu-se para a Universidade de Carolina, onde se formou em Engenharia, e logo começou a trabalhar na manufaturação de produtos têxteis. Descoberto por um agente hollywoodiano, que procurava um dublê para Gary Cooper, Scott largou seu emprego e foi para a Califórnia, onde se encontrou com Howard Hughes, que conseguiu para ele uma audiência com Cecil B. DeMille, com a finalidade de fazer um teste. Aprovado, foi logo empregado para treinar com o próprio astro Gary Cooper o sotaque virginiano para seu filme de 1929, Agora ou Nunca (The Virginian), além de ter feito uma ponta como ator no filme. Enquanto não surgiam propostas de trabalho em Hollywood, Randy (como era conhecido) voltou a jogar (e desta vez profissionalmente) em um time de futebol americano da Califórnia. Alguns agentes da Paramount viram-no em um jogo e lhe ofereceram um contrato. Abandonando de vez o futebol, tornou-se definitivamente ator. Rapidamente, avançou para os papéis principais, graças a sua boa dicção e voz (não fazia tanto tempo que o cinema sonoro havia se firmado em Hollywood, e os chefões dos estúdios estavam dispostos a contratar somente atores e atrizes que tivesse uma boa voz), além de seu porte altivo de 1m94cm, embora seu encanto de "homem calmo" não fosse o bastante para indicar o tremendo sucesso que viria mais tarde. Apesar de suas qualidades, Randy foi um ator mediano em comédias, dramas, e em aventuras ocasionais, até se projetar nos westerns, onde decididamente se consagrou como um dos maiores ícones americanos, entre 1940 até 1962, quando se despediu das telas. Sua personalidade artística alterou-se da figura calma para uma figura estóica, de homem resistente, imponente, e duro como uma rocha. Transformou-se em um dos grandes campeões de bilheteria no genêro western, tendo ganhado muito dinheiro. Sua prosperidade aumentou ainda mais a partir dos anos 1950, quando se aliou ao diretor Budd Boetticher, com quem fez uma série de faroestes. Já nesta época, Scott havia se associado ao produtor Harry Joe Brown, e juntos fundaram a Randbrow Enterprises, uma produtora que realizou muitas películas do astro, tanto para a Warner Brothers quanto para a Columbia Pictures. Randolph Scott casou-se duas vezes; a primeira em 1936 com Mariana Du Pont Somerville, de quem se divorciou em 1939; voltou a se casar em 1944,com uma senhora da alta sociedade de Los Angeles, Patricia Stillman (que já havia feito alguns trabalhos como atriz), com quem teve dois filhos, Sandra e Christopher. A união durou até o fim de sua vida, em 1987. Depois de pequenos papéis em vários filmes, alguns inclusive sem receber créditos, Scott fez para a Paramount, entre 1932 e 1935, uma série de dez faroestes B baseados em histórias de Zane Grey, que serviram para consolidar sua imagem, não só na indústria cinematográfica, mas principalmente entre a massa de espectadores. Sete desses filmes foram dirigidos por Henry Hathaway, que estava começando sua carreira. Até 1945, Scott esteve em fitas de diversos gêneros, como aventuras (Ela, a Feiticeira/She, 1935), comédias (Minha Esposa Favorita/My Favoriter Wife, 1940) e dramas de guerra (A Batalha Final/Gung Ho!, 1943), ao mesmo tempo em que se firmava em faroestes coestrelados, entre outros, por Tyrone Power e Henry Fonda (Jesse James/Jesse James, 1939), Errol Flynn e Humphrey Bogart (A Caravana do Ouro/Virginia City, 1940) e Gene Tierney (Formosa Bandida/Belle Starr, 1941). No entanto, a partir de 1945, todos os seus filmes são faroestes, com exceção de dois: a comédia Lar, Doce Tortura (Home, Sweet Homicide, 1946) e o drama Véspera de Natal (Christmas Eve, 1947). Entre fitas de rotina e outras com atrativos diversos, Scott trabalhou com os diretores Ray Enright, Andre de Toth, Gordon Douglas, Lesley Selander, John Sturges etc. Porém, sua parceria mais importante foi aquela iniciada em 1956 com Budd Boetticher, com quem fez sete faroestes, hoje todos considerados clássicos: Sete Homens Sem Destino (Seven Men from Now, 1956), O Resgate do Bandoleiro (The Tall T, 1956), Entardecer Sangrento (Decision at Sundown, 1957), Fibra de Herói (Buchanan Rides Alone, 1958), O Homem Que Luta Só (Ride Lonesome, 1959), Um Homem de Coragem (Westbound, 1959) e Cavalgada Trágica (Comanche Station, 1960). Pistoleiros do Entardecer (Ride the High Country, 1962) encerrou de forma brilhante a extraordinária carreira de Scott, que fez mais westerns que outros grandes nomes do gênero, como John Wayne e Gary Cooper.   Filmes •  Ride the High Country (1962) •  Comanche Station (1960) •  Ride Lonesome (1959) •  Westbound (1959) •  Buchanan Rides Alone (1958) •  Decision at Sundown (1957) •  Shoot-Out at Medicine Bend (1957) •  The Tall T- O Resgate de um Bandoleiro (1957) •  7th Cavalry (1956) •  Seven Men from Now (1956) •  A Lawless Street (1955) •  Tall Man Riding (1955) •  Rage at Dawn (1955) •  Ten Wanted Men (1955) •  The Bounty Hunter (1954) •  Riding Shotgun (1954) •  Thunder Over the Plains (1953) •  The Stranger Wore a Gun (1953) •  The Man Behind the Gun (1953) •  Three Lives (1953) •  Hangman's Knot (1952) •  Carson City (1952) •  Man in the Saddle (1951) •  Screen Snapshots: Hollywood Goes Western (1951 •  Fort Worth (1951) •  Santa Fe (1951) •  Sugarfoot (1951) •  The Cariboo Trail (1950) •  Colt .45 (1950) •  The Nevadan (1950) •  Fighting Man of the Plains (1949) •  The Doolins of Oklahoma (1949) •  Canadian Pacific (1949) •  The Walking Hills (1949) •  Return of the Bad Men (1948) •  Coroner Creek (1948) •  Albuquerque (1948) •  Christmas Eve (1947) •  Gunfighters (1947) •  Trail Street (1947) •  Home, Sweet Homicide (1946) •  Badman's Territory (1946) •  Abilene Town (1946) •  Captain Kidd (1945) •  China Sky (1945) •  Belle of the Yukon (1944) •  'Gung Ho!': The Story of Carlson's Makin Island Raiders (1943) •  Corvette K-225 (1943) •  The Desperadoes (1943) •  Bombardier (1943) •  Pittsburgh (1942) •  The Spoilers (1942) •  To the Shores of Tripoli (1942) •  Paris Calling (1941) •  Belle Starr (1941) •  Western Union (1941) •  When the Daltons Rode (1940) •  My Favorite Wife - Minha esposa favorita (1940) •  Virginia City - Caravana de Ouro (1940) •  20,000 Men a Year (1939) •  Coast Guard (1939) •  Frontier Marshal - A Lei da Fronteira (1939) DOWNLOAD •  Susannah of the Mounties - Susana (1939) •  Jesse James (1939) •  The Road to Reno (1938) •  The Texans (1938) •  Rebecca of Sunnybrook Farm - Sonho de Moça (1938) •  High, Wide, and Handsome (1937) •  Go West Young Man (1936) •  The Last of the Mohicans (1936) •  And Sudden Death (1936) •  Follow the Fleet - Nas Águas da Esquadra (1936) •  So Red the Rose (1935) •  She (1935) •  Village Tale (1935) •  Roberta (1935) •  Rocky Mountain Mystery (1935) •  Home on the Range (1935) •  Wagon Wheels (1934) •  The Last Round-Up (1934) •  Broken Dreams (1933) •  To the Last Man (1933) •  Man of the Forest (1933) •  Cocktail Hour (1933) •  Sunset Pass (1933) •  Supernatural - Anjo e Demônio (1933) DOWNLOAD •  Murders in the Zoo (1933) •  The Thundering Herd (1933) •  Hello, Everybody! (1933) •  Wild Horse Mesa (1932) •  Hot Saturday - Sábado alegre (1932) •  Heritage of the Desert (1932) •  A Successful Calamity (1932) •  Women Men Marry (1931) •  The Far Call (1929)
| 17821 ace
Título Original: Le voyage dans la lune Ano/País/Gênero/Duração: 1902 / França / Curta / 14 min Direção: Georges Méliès Produção: Georges Méliès Roteiro: Jules Verne e Georges Méliès Fotografia: Michaut Elenco Victor André ... Bleuette Bernon ... Lady in the Moon Brunnet ... Astronomer Jeanne d'Alcy ... Henri Delannoy ... Captain of the Rocket Depierre ... Farjaut ... Astronomer Kelm ... Astronomer Georges Méliès ... Prof. Barbenfouillis Sinopse   Filme baseado na novela “From the Earth to the Moon” de Julio Verne e “The First Men in the Moon” de H. G. Wells que mostra a visão fantasiosa que os homens tinham do satélite da Terra no inicio do séc XX. O filme mostra um grupo de astrónomos que vai à Lua numa cápsula lançada por um canhão gigante. Uma vez na lua são capturados pelos seres que lá habitam, conseguido posteriormente fugir e regressar ao planeta Terra.   ASSISTA ONLINE Curiosidades - Filme mudo. - Méliès também desenhou o guarda-roupa, criou os efeitos especiais e cenários. - Primeiro filme da história a utilizar efeitos especiais. - Primeiro filme da história a falar de seres extra-terrestres.  
| 17667 ace
  FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha   Nome:  Marion Michael Morrison Nascimento e local: 26/05/1907, Winterset, IA Morte e local: 11/06/1979, Los Angeles, CA, câncer Ocupação: ator Nacionalidade: americano Casamentos: Josephine Alicia Saenz, Esperanza Baur, Pilar Wayne Filhos: Michael Wayne, Patrick Wayne, Toni Wayne, Melinda Wayne, Aissa Wayne, John Ethan Wayne, Marisa Wayne   Biografia   Marion Michael Morrison nasceu em 26 de maio de 1907. Como detestava seu nome, mudou assim que entrou para o cinema. Com 1,92 m de altura e campeão de futebol, pela University of Southern California, começou a se destacar no cinema em "A grande jornada" (1930), estrelando diversos filmes tipo B até se consagrar no papel de Ringo Kid no clássico "Nos tempos das Diligências" (1939). A carreira de Wayne foi assim agraciada com esse divisor de águas inestimável que o lançou ao estrelato. Esse filme se tornou a obra que definirá todas as principais características do cinema de faroeste clássico norte-americano. A parceria entre Wayne e Ford continuou e realizaram juntos ainda uma série de grandes sucessos e filmes inesquecíveis (foram 22 no total), como "Rio Grande" (1950), "Depois do Vendaval" (1952), "Rastros de Ódio" (1956), "O Homem Que Matou o Facínora" (1962), "Sangue de Herói", "Legião Invencível" e "Rio Grande" - trilogia sobre a Cavalaria -; "O céu mandou alguém", "Asas de Águia", "Marcha de Heróis", entre outros. Outro diretor renomado com quem trabalhou foi Howard Hawks, um dos maiores realizadores do período clássico hollywoodiano, com o qual fez vários dos maiores sucessos não apenas de suas carreiras, mas sim de todo o gênero do faroeste. Como bons exemplos temos: "Rio Vermelho" (1948), "El Dorado" (1967) e, o principal, e um dos mais irretocáveis exemplares do gênero, "Onde Começa o Inferno" (1959). Além de John Ford e Howard Hawks, outros grandes diretores da época igualmente dirigiram Wayne. É o caso de Henry Hathaway, com o qual fez, entre outros, o filme que lhe concedeu o prêmio Oscar na categoria de melhor ator, "Bravura Indômita" (1969); Otto Preminger, que o dirigiu no ótimo drama de guerra "A Primeira Vitória" (1965); Don Siegel, com o qual fez seu último trabalho, "O Último Pistoleiro" (1976); Michael Curtiz, em "Os Comancheiros" (1961); e John Huston, com o qual trabalhou junto em "O Bárbaro e a Gueixa" (1958) Além dos diretores já mencionados podemos citar: William Wellman, Mark Rydell e John Farrow. Havendo, também, trabalhado ao lado de vários astros de sua época: Henry Fonda, Katharine Hepburn, James Stewart, Maureen O'Hara, Sophia Loren, Elsa Martinelli, Kirk Douglas, William Holden, Marlene Dietrich, Rock Hudson, Robert Mitchum, Lee Marvin, Richard Widmark, dentre outros, em seus 50 anos de cinema. Se casou três vezes. A primeira em 1932 com Josephine Saenz que lhe deu quatro filhos. Em 1946 o segundo casamento com a atriz mexicana Esperanza Baur, de quem se divorciou sete anos depois para se casar com Pilar Palette com quem teve mais dois filhos. Dirigiu os filme "The Alamo" e "Os boina verdes". Este último, de 1968, lhe causou grandes problemas. Tinha um roteiro pró-Guerra do Vietnã, o que causou a fúria dos opositores a essa intervenção militar estadunidense, que realizaram vários protestos contra a exibição do filme. Fumante inveterado desde a juventude, Wayne foi diagnosticado em 1964 com câncer de pulmão, passando por uma cirurgia para remoção de todo o pulmão esquerdo e quatro costelas. Apesar dos esforços de seus agentes em evitar que ele tornasse a doença pública, o ator anunciou à imprensa que estava com câncer e fez um apelo para que a população fizesse mais exames preventivos. Cinco anos depois determinou-se que ele estava livre da doença, e apesar da diminuição da capacidade pulmonar, pouco depois Wayne voltou a mascar tabaco e a fumar.[2] No final da década de 1970, Wayne envolveu-se como voluntário nos estudos de uma vacina para a cura do câncer, vindo a morrer em 11 de junho de 1979 em decorrência de um câncer de estômago.[2] Encontra-se sepultado em Pacific View Memorial Park, Corona del Mar, Condado de Orange, Califórnia nos Estados Unidos.   Filmes   •  The Shootist (1976) •  Rooster Cogburn (1975) •  Brannigan (1975) •  McQ (1974) •  Cahill U.S. Marshal (1973) •  The Train Robbers (1973) •  The Cowboys (1972) •  Big Jake (1971) •  Rio Lobo (1970) •  Chisum (1970) •  The Undefeated (1969) •  True Grit - Bravura Indômita  (1969) •  Hellfighters (1968) •  The Green Berets (1968) •  The War Wagon (1967) •  El Dorado (1966) •  Cast a Giant Shadow (1966) •  The Sons of Katie Elder (1965) •  In Harm's Way (1965) •  The Greatest Story Ever Told (1965) •  Circus World - O Mundo do Circo (1964) •  McLintock! (1963) •  Donovan's Reef (1963) •  How the West Was Won - A Conquista do Oeste (1962) •  The Longest Day (1962) •  Hatari! (1962) •  The Man Who Shot Liberty Valance - O homem que matou o facínora  (1962) •  The Comancheros (1961) •  North to Alaska (1960) •  The Alamo (1960) •  The Horse Soldiers (1959) •  Rio Bravo (1959) •  They Came to Cordura - Heróis de Guerra (1959) •  Legend of the Lost (1957) •  Jet Pilot (1957) •  The Wings of Eagles (1957) •  The Searchers - Rastros de ódio (1956) •  The Conqueror (1956) •  Blood Alley (1955) •  The Sea Chase - Mares violentos (1955) •  The High and the Mighty (1954) •  Hondo (1953) •  Island in the Sky (1953) •  Trouble Along the Way (1953) •  Three Lives (1953)   •  Big Jim McLain (1952) •  The Quiet Man - Depois do Vendaval (1952) •  Flying Leathernecks (1951) •  Operation Pacific (1951) •  Rio Grande (1950) •  Sands of Iwo Jima (1949) •  She Wore a Yellow Ribbon - Legião invencível (1949) •  The Fighting Kentuckian (1949) •  Wake of the Red Witch (1948) •  3 Godfathers - O céu mandou alguém (1948) •  Red River - Rio vermelho (1948) •  Fort Apache- Sangue de Herói  (1948) •  Tycoon (1947) •  Angel and the Badman (1947) •  Without Reservations (1946) •  Dakota (1945) •  They Were Expendable (1945) •  Back to Bataan (1945) •  Flame of Barbary Coast (1945) •  Tall in the Saddle (1944) •  The Fighting Seabees (1944) •  In Old Oklahoma (1943) •  A Lady Takes a Chance (1943) • Reunion in France - Uma aventura em Paris (1942) •  Pittsburgh (1942) •  Flying Tigers (1942) •  In Old California (1942) •  The Spoilers (1942) •  Reap the Wild Wind - Vendaval de Paixões (1942) •  Lady for a Night (1942) •  The Shepherd of the Hills (1941) •  Lady from Louisiana (1941) •  A Man Betrayed (1941) • Seven Sinners (1940) DOWNLOAD •  The Long Voyage Home (1940) DOWNLOAD •  Three Faces West- Fugitivos do Terror (1940) DOWNLOAD •  Dark Command - Comando Negro (1940) DOWNLOAD •  Allegheny Uprising - O Primeiro Rebelde (1939) DOWNLOAD •  New Frontier (1939) •  Wyoming Outlaw (1939) •  Three Texas Steers (1939) •  The Night Riders (1939) •  Stagecoach - No tempo das diligências (1939) DOWNLOAD •  Red River Range (1938) •  Santa Fe Stampede (1938) •  Overland Stage Raiders (1938) •  Pals of the Saddle (1938) •  Born to the West (1937) •  Adventure's End (1937) •  Idol of the Crowds (1937) •  I Cover the War (1937) DOWNLOAD •  California Straight Ahead! (1937) •  Conflict (1936) •  Sea Spoilers (1936) •  Winds of the Wasteland (1936) DOWNLOAD •  The Lonely Trail (1936) •  King of the Pecos (1936) •  The Lawless Nineties (1936) •  The Oregon Trail (1936) •  Lawless Range (1935) •  The New Frontier (1935) •  Westward Ho (1935) •  Paradise Canyon (1935) •  The Dawn Rider (1935) •  The Desert Trail (1935) •  Rainbow Valley (1935) •  Texas Terror (1935) •  'Neath the Arizona Skies (1934) •  The Lawless Frontier (1934) •  The Trail Beyond (1934) DOWNLOAD •  The Star Packer - O Caçador de Xerifes (1934) DOWNLOAD •  Randy Rides Alone /  O Cavaleiro Solitário (1934) DOWNLOAD •  The Man from Utah - O Homem de Utah (1934) DOWNLOAD •  Blue Steel (1934) •  West of the Divide - O Cavaleiro da Justiça (1934) DOWNLOAD •  The Lucky Texan (1934) •  Sagebrush Trail (1933) . •  Riders of Destiny (1933) •  The Man from Monterey (1933) •  Baby Face - Serpentes de Luxo (1933) DOWNLOAD •  His Private Secretary (1933) •  The Life of Jimmy Dolan - Viver na Morte (1933) DOWNLOAD •  Somewhere in Sonora (1933) •  The Three Musketeers - Os Três Mosqueteiros (1933) DOWNLOAD •  The Telegraph Trail (1933) •  Haunted Gold (1932) •  The Big Stampede (1932) DOWNLOAD •  Ride Him, Cowboy (1932) •  The Hurricane Express (1932) •  Lady and Gent (1932) •  Two-Fisted Law (1932) •  Texas Cyclone (1932) DOWNLOAD •  The Shadow of the Eagle (1932) •  Maker of Men (1931) •  Range Feud (1931) •  The Deceiver (1931) •  Arizona (1931) •  Three Girls Lost (1931) •  Girls Demand Excitement (1931) •  The Big Trail - A Grande jornada (1930) DOWNLOAD •  Words and Music (1929) •  Bardelys the Magnificent - O Cavaleiro do Amor (1926) DOWNLOAD   Mais 13 escândalos que abalaram a Babilônia da celulóide 10 parcerias de Diretores e Atores As duplas mais populares do cinema 30 anos sem John Wayne   Prêmios Oscar por: Bravura Indômita (1969). Globo de Ouro por: Bravura Indômita (1969).   Imagens   Vídeos ZwiXLgRITx4   MHVSCribt3U
| 17662 ace
  Ficha Nome: Kerstin Anita Marianne Ekberg Nascimento e local: 29/09/1931, Malmo, Suécia Ocupação: atriz Nacionalidade: Sueca Casamentos: Anthony Steel e Rik Van Nutter Filho: -     Biografia Nascida em 1931, Ekberg trabalhou como modelo durante a adolescência, ganhando o Concurso de Miss Suécia em 1950, tendo concorrido ao título de Miss Universo. Ficou entre as seis finalistas, mas não levou o prêmio. Em contrapartida, conseguiu um contrato com a Universal Studius, unindo-se a Howard Hughes. Ele sugeriu que ela fizesse algumas plásticas no o nariz e dentes, e também a mudança de nome, pois ele acreditava que Ekberg era difícil de ser pronunciado. O nome não foi mudado, e ela começou a ser moldada para ser uma atriz, fazendo aulas de dança, expressão e teatro. Vieram filmes como Hollywood ou Bust (1956) e Artists and Models (1955), ao lado de Dean Martin e Jerry Lewis e Abbott and Costello Go to Mars (1953). Mas seu maior sucesso foi La Dolce Vita (1960), de Federico Fellini. A cena em que ela toma banho é uma das mais célebres do cinema. Seguiram-se I clowns ( 1972 ), Intervista ( 1987 ), dentre outros. Filmes Nain rouge, Le (1998) Bámbola (1996) Signora della città, La (1996) Ambrogio (1992) Cattive ragazze (1992) Conte Max, Il (1991) Intervista (1987) Dolce pelle di Angela (1986) Cicciabomba (1982) S+H+E: Security Hazards Expert (1980) Gold of the Amazon Women (1979) Suor Omicidi (1978) Anno Schmidt (1974) Casa d'appuntamento (1972) Northeast of Seoul (1972) .... Katherine Lunga cavalcata della vendetta, La (1972) I clowns - Os Palhaços (TV) (1970) Debito coniugale, Il (1970) Divorzio, Il (1970) Quella chiara notte d'ottobre (1970) Blonde Köder für den Mörder (1969) Malenka (1969) If It's Tuesday, This Must Be Belgium (1969) Sudario a la medida, Un (1969) Crónica de un atraco (1968) Way... Way out - Um Biruta em órbita (1968) Woman Times Seven (1967) Cobra, Il (1967) Scusi, lei è favorevole o contrario? (1967) Sfinge d'oro, La (1967) Das Gewisse Etwas der Frauen (1966) Way... Way Out (1966) Das Liebeskarussell (1965) The Alphabet Murders (1965) Bianco, rosso, giallo, rosa (1964) 4 for Texas (1963) Call Me Bwana (1963) Boccacio'70 (1962) Mongoli, I (1961) A porte chiuse (1961) Anonima cocottes (1960) Tre eccetera del colonnello, Le (1960) Apocalisse sul fiume giallo (1960) Dolce vita, La - A doce vida (1960) Nel segno di Roma (1959) The Man Inside (1958) Screaming Mimi (1958) Paris Holiday (1958) Valerie (1957) Interpol (1957) Zarak (1956) Man in the Vault (1956) Hollywood or Bust - Ou vai ou racha (1956) Back from Eternity (1956) War and Peace - Guerra e Paz (1956) Artists and Models (1955) Blood Alley (1955) The Golden Blade (1953) Abbott and Costello Go to Mars (1953) The Mississippi Gambler - O aventureiro do Mississipi (1953)       Mais Anita Ekberg, atriz de La Dolce Vita, internada       Prêmios   Golden Globe de Atriz promissora em 1956.       Imagens
| 17659 ace
Título Original: Kramer X Kramer Ano/País/Gênero/Duração: 1979 / EUA / Drama / 105min Direção: Robert Benton Produção: Stanley R. Jaffe Roteiro:  Avery Corman Fotografia: Néstor Almendros Música: Arthur Bloom Elenco Dustin Hoffman (Ted Kramer) Meryl Streep (Joanna Kramer) Jane Alexander (Margaret Phelps) Justin Henry (Billy Kramer) Howard Duff (John Shaunessy) George Coe (Jim O'Connor) JoBeth Williams (Phyllis Bernard) Bill Moor (Gressen) Sinopse Ted Kramer (Dustin Hoffman) é ocupado demais no trabalho para dar atenção à esposa Joanna (Meryl Streep) e filho (Justin Henry). Contrariada, Joanna decide abandonar a ele e ao filho. Ted terá que educar e dar amor ao filho, sozinho. Após alguns meses Joanna retorna e vai lutar na justiça para ficar com o filho. Curiosidades - Al Pacino foi cogitado para o papel de Ted Kramer, mas não aceitou. - Jane Fonda foi cogitada para o papel de Joanna, mas não aceitou. - Justin Henry foi o mais jovem ator a concorrer a um Oscar, com apenas oito anos. - Dustin Hoffman pensou em não aceitar o papel, pois também acabara de sair de um divórcio complicado. - Meryl Streep era tão desconhecida na época, que a imprensa nem sabia escrever seu nome. - Meryl e Dustin tiveram problemas durante as filmagens, por serem ambos perfeccionistas. - O final causou espanto geral na platéia. ASSISTA ONLINE Imagens
| 17432 ace
"Sonhe como se fosse viver para sempre , viva como se fosse morrer hoje." "Viver o mais intensamente, arriscar sempre. Se tivesse 100 anos para viver, eu ainda não teria tempo para fazer tudo o que quero fazer." “Um ator deve interpretar vida, e para isso deve estar disposto a aceitar todas as experiências que a vida tem para oferecer. Na verdade, ele deve procurar saber mais da vida do que a vida coloca aos seus pés. No curto espaço de sua vida, um ator tem de aprender tudo o que há para saber, a experiência tudo o que há a experiência, ou abordagem desse estado tão perto quanto possível.” “Acho que o principal motivo para a vida neste mundo é descoberta.” “Apenas os gentis são realmente fortes.” "Se um homem conseguir vencer as diferenças entre a vida e a morte, se ele conseguir continuar a viver depois da morte, então talvez ele tenha sido um grande homem." "Também me tornei próximo à natureza, e agora sou capaz de apreciar a beleza com a qual este mundo é agraciado." "Ser um ator é a coisa mais solitária no mundo. Você fica sozinho com sua concentração e imaginação, e isso é tudo o que você tem." "Ser um ator não é fácil. Ser um homem é ainda mais difícil. Quero ser os dois antes de morrer." "Quero ser um texano 24 horas por dia." "Estudar vacas, porcos e galinhas pode ajudar um ator a desenvolver seu personagem. Tem um monte de coisas que aprendi dos animais. Uma delas foi que eles não podem vaiar nem assobiar para mim." "Não tem jeito de ser verdadeiramente notável neste mundo. Estamos todos impalados nas curvas da condição." "Sem espaço, um ator é nada mais que um robô insignificante com um tórax repleto de botões." "Quando um ator interpreta uma cena exatamente da forma como o diretor manda, isso não é atuar. É seguir instruções. Qualquer pessoa com as qualificações físicas pode fazer isso." "Confiança e fé são as suas coisas principais. Você não deve se permitir ser teimoso." "Na minha forma de pensar, o destino de um ator está decidido antes mesmo de ele sair do berço." "Para mim, atuar é a forma mais lógica para as neuroses das pessoas se manifestarem, nesta grande necessidade que todos temos de nos expressar." "Ele tem que estar nos vendo." - Foram as últimas palavras de James Dean, ditas ao carona no banco ao lado - o mecânico Rolf W'terich - antes da colisão de seu Porsche com um carro dirigido pelo estudante universitário Donald Turnupseed, quase cego pelo sol que batia direto no para-brisa. "É próprio do homem ser prisioneiro de miragens que estão fora de seu alcance."  
| 17426 ace
Título Original: Around the World in Eighty Days Ano/País/Gênero/Duração: 1956 / EUA / Comédia Aventura / 170min Direção: Michael Anderson, Kevin McClory e Sidney Smith Produção: Michael Todd Roteiro:  John Farrow, S.J. Perelman e James Poe Fotografia: Lionel Lindon Música: Victor Young Elenco Cantinflas ...     Passepartout Finlay Currie    ...     Andrew Stuart Robert Morley    ...     Gauthier Ralph Ronald Squire    ...     Reform Club Member Basil Sydney    ...     Reform Club Member Noel Coward    ...     Hesketh-Baggott John Gielgud    ...     Fosdyke Trevor Howard    ...     Denis Fallentin Harcourt Williams    ...     Hinshaw David Niven ...     Phileas Fogg Martine Carol    ...     Tourist Fernandel    ...     French Coachman Charles Boyer ...     Monsieur Gasse Evelyn Keyes    ...     The Flirt Jose Greco and Troupe    ...     Flamenco Dancers Shirley MacLaine Sinopse No final do século XIX, Phileas Fogg (David Niven) um nobre inglês, recebe uma aposta milionária de rodar o mundo em 80 dias. Suas manias, como a de exigir pontualidade de todos, afasta os empregados, que não conseguem ficar muito tempo trabalhando ao seu lado. Consegue que Passepartour (Cantiflas) o siga, mesmo conhecendo a fama do patrão. Ele parte em sua viagem que tem como roteiros Espanha, Índia, Japão e Estados Unidos. Curiosidades - Refilmado em 2004. - Baseado na obra de Julio Verne. - O filme conta com participações especiais de Frank Sinatra, Buster Keaton e John Carradine. ASSISTA ONLINE Imagens
| 17418 ace
FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha   Nome:  Errol Leslie Thomson Flynn Nascimento e local: 20/06/1909, Hobart, Tasmania, Australia Morte:  14/10/1959, Vancouver, British Columbia, Canada, ataque cardíaco Ocupação: ator Nacionalidade:  Australiana Casamentos:  Lili Damita, Nora Eddington, Patrice Wymore Filhos: Sean Flynn, Deirdre, Arnella Flynn Biografia   Flynn sempre foi controverso, até mesmo na infância, sendo expulso de várias escolas na Austrália e Inglaterra. Seu primeiro emprego foi numa companhia de navegação em Sydney. PUblicou um livro em 1937, que falava sobre a aventura de sete meses que fez em um barco para Nova Guiné. Começou a plantar tabaco em Laioki enquanto escrevia artigos para o Sydney Bulletin. Foi através do diretor e produtor australiano Charles Chauvel que ele começou sua carreia. Ele viu algumas fotos de Errol e lhe chamou para fazer "In the wake of the Bounty" (1933). Flynn trabalhou nesse filme por 3 semanas, mas não houve o lançamento comercial do mesmo, apenas a MGM compraria os direitos ao realizar “The Bounty” (O Grande Motim) em 1935, e aproveitou alguns trechos da filmagem anterior em curta-metragens: “Primitive Pitcairn” e “Pitcairn Island Today”, como propaganda de sua produção. Flynn partiu para o Reino Unido, chegando lá na primavera de 1933. Entrou para a “Northampton Repertory Company”, no Royal Theatre, onde trabalhou por sete meses, adquirindo experiência teatral. Ele também se apresentou no Malvern Festival de 1934 e em Glasgow e London's West End[12]. Em Teddington, foi admitido pela Warner Brothers, atuando em “Murder at Monte Carlo”, de 1935, de Ralph Ince. A Warner lhe ofereceu um contrato e Flynn partiu para os Estados Unidos. A primeira oportunidade de Flynn foi em “The Case of Curious Bride” (A Noiva Curiosa), de 1935, dirigida por Michael Curtiz, sendo o 2º de quatro filmes de mistério com o advogado-detetive Perry Mason, interpretado por Warren William. Flynn apareceu apenas em 2 cenas, sem pronunciar uma única palavra. Terminado o filme, iniciou um romance com Lili Damita, casando-se em 1935. Surgiu num outro filme desse mesmo ano, “Don't Bet On Blondes”, de Robert Florey, ao lado de Warren William e Claire Dodd. Com o advento dos filmes de aventura, a Warner Brothers comprou os direitos de “Captain Blood”. A Warner conseguiu tais direitos ao comprar a Vitagraph, que fizera em 1923 uma primeira versão da história. Foi escolhido para o papel título Robert Donat, mas quando esse abandonou o projeto por razões contratuais, Michael Curtiz resolveu fazer um teste com Flynn, que acabou ganhando o papel. Ao seu lado, uma outra novata, Olivia de Havilland, que assumiu o lugar que seria de Jean Muir. O filme marcou o início da colaboração Curtiz-Flynn, que se estenderia por 10 filmes, até 1941. O Capitão Blood de 1935 aproveitou cenas do “Capitão Blood” anterior, cenas da 1ª versão de “O Gavião do Mar”, de 1924, e apresentava miniaturas da cidade de Port-Royal e de navios. Após Capitão Blood, Flynn trabalhou em um curta-metragem da MGM, “Pirate Party on Catalina Island”, ao lado de Lili Damita, Marion Davies, Cary Grant, John Gilbert e outros. Flynn atuou depois em “The Charge of the Light Brigade” (A Carga da Brigada Ligeira), de 1936, também ao lado de Olivia de Havilland; “Green Light” (Luz de Esperança), “The Prince and the Pauper” (O Príncipe e o Mendigo), “Another Day” (Outra Aurora) e “The Perfect Specimen” (O Homem Perfeito), todos de 1937. Em 1938, veio “The Adventures of Robin Hood” (As Aventuras de Robin Hood), que tornaria a interpretação de Errol Flynn inesquecível, marcando de maneira indelével sua carreira. Em 1939, Flynn fez o primeiro Western, “Dodge City” (Uma Cidade que Surge), dirigido por Michael Curtiz, seguindo-se mais 7 westerns, entre eles “Santa Fe Trail” (A Estrada de Santa Fé), de 1940. Após uma carreira aventuresca, com mais de 30 filmes e muitos sucessos, nos anos 50 teve início o declínio artístico de Flynn. Ficou um tempo na Europa, atuando para a Warner Brothers, na Inglaterra, onde fez “The Master of the Ballantrae” (Minha Espada, Minha Lei), em 1953. Em 1954, fez “Crossed Swords” (Ousadia de Valentes), produção italiana. Após alguns filmes, Flynn retornou a Hollywood, onde fez alguns papéis menores, porém ressurgindo artisticamente ao viver três alcoólatras, em “The Sun Also Rises” (E Agora Brilha o Sol), de 1957; “Too Much, Too Soon” (O Gosto Amargo da Glória), de 1958 e “The Roots of Heaven” (Raízes do Céu), de 1958. Após “The Roots of Heaven”, fez apenas um semidocumentário, Cuban Rebel Girls”, em 1959, falecendo em outubro desse ano, aos 50 anos, vítima de ataque cardíaco e problemas relacionados ao alcoolismo. Seus pais sobreviveram a ele. Errol Flynn foi sepultado no Forest Lawn Memorial Park Cemetery, em Glendale, Califórnia. Boêmio, Flynn teve três casamentos, várias namoradas e quatro filhos. Foi acusado de estupro em 1942, e foi levado a julgamento, sem ter sido condenado por isso, o que abalou sua popularidade[13]. Flynn casou-se três vezes, sendo que os dois primeiros casamentos terminaram em divórcio e o último com sua morte. Em ordem cronológica, foram suas esposas: a atriz Lili Damita (1931 - 1942), com quem teve seu filho Sean Flynn (1941-1970); a atriz Nora Eddington (1943 - 1948), com quem teve os filhos Deirdre (1945) e Rory (1947); e a atriz Patrice Wymore (1950 - 1959), com quem teve a filha Arnella Roma (1953-1998). Seu filho Sean, um fotojornalista, desapareceu com outros jornalistas durante a guerra do Vietnã. Presume-se que tenha sido capturado e morto pelas forças do Khmer Vermelho, quando da invasão do Camboja A filha Rory Flynn teve um filho, chamado Sean Flynn Rio em homenagem a seu meio-irmão. Ele é um ator[14]. Rory Flynn escreveu um livro sobre seu pai, intitulado “The Baron of Mulholland: A Daughter Remembers Errol Flynn”. Em 1942, Flynn tornou-se cidadão dos Estados Unidos da América.   Filmes   Cuban Rebel Girls (1959) The Roots of Heaven (1958) Too Much, Too Soon (1958) The Sun Also Rises - E agora Brilha o Sol (1957) The Big Boodle (1957) Istanbul (1957) King's Rhapsody (1955) The Dark Avenger (1955) Lilacs in the Spring (1954) Maestro di Don Giovanni, Il (1954) The Master of Ballantrae (1953) The Story of William Tell (1953) Against All Flags (1952) Mara Maru (1952) Adventures of Captain Fabian (1951) Hello God (1951) Kim (1950) Rocky Mountain (1950) Montana (1950) That Forsyte Woman - A glória de amar (1949) It's a Great Feeling (1949) Adventures of Don Juan (1948) Silver River (1948) The Lady from Shanghai (1947) Escape Me Never (1947 Cry Wolf (1947) Never Say Goodbye (1946) San Antonio (1945) Objective, Burma! - Um Punhado de Bravos (1945) Uncertain Glory (1944) Northern Pursuit (1943) Edge of Darkness - Revolta (1943) Gentleman Jim - O ídolo do público (1942) Desperate Journey - Fugitivos do inferno (1942) They Died with Their Boots On - O intrépito General Custer (1941) Dive Bomber - Demônios do céu (1941) Footsteps in the Dark - Caminhando nas sombras (1941) Santa Fe Trail - A caminho de Santa Fé (1940) DOWNLOAD The Sea Hawk - O Gavião do Mar (1940) DOWNLOAD Virginia City - Caravana de Ouro (1940) DOWNLOAD The Private Lives of Elizabeth and Essex - Meu Reino por um amor (1939) DOWNLOAD Dodge City - Vida Nova (1939) DOWNLOAD The Dawn Patrol - Patrulha da Madrugada (1938) DOWNLOAD The Sisters - As Irmãs (1938) DOWNLOAD Four's a Crowd - Amando sem saber (1938) DOWNLOAD The Adventures of Robin Hood - As Aventuras de Robin Hood (1938) DOWNLOAD The Perfect Specimen - Um homem perfeito (1937) DOWNLOAD Another Dawn - Outra Aurora (1937) DOWNLOAD The Prince and the Pauper - O Príncipe e o mendigo (1937) DOWNLOAD Green Light - Luz da Esperança (1937) DOWNLOAD The Charge of the Light Brigade - Carga da Brigada Ligeira (1936) DOWNLOAD Captain Blood - Capitão Blood (1935) DOWNLOAD Don't Bet on Blondes (1935) DOWNLOAD The Case of the Curious Bride - Noiva Curiosa (1935) DOWNLOAD Murder at Monte Carlo (1934) I Adore You (1933) In the Wake of the Bounty (1933) DOWNLOAD     Mais Lili Damita 13 escândalos que abalaram a Babilônia da celulóide E O Vento Levou de A a Z 15 atores que interpretaram Robin Wood Atores gays, ou quase ou bissexuais que amamos Lolita (1962) Mais escândalos (e boatos) em Hollywood 20 de junho - Centenário de Errol Flynn Olivia de Havilland era apaixonada por Errol Flynn     Imagens   Vídeos Evof-iVDOwQ   Ist_bZLP9u4
| 17397 ace
  As pessoas boas dormem muito melhor à noite do que as pessoas más. Claro, durante o dia as pessoas más se divertem muito mais. Mais do que em qualquer outra época, a humanidade está numa encruzilhada. Um caminho leva ao desespero absoluto. O outro, à total extinção. Vamos rezar para que tenhamos a sabedoria de saber escolher. Eu era muito jovem para ter um carro, então transava com as moças no banco de trás de minha bicicleta. Não é que eu tenha medo de morrer. É que eu não quero estar lá na hora que isso acontecer. Não despreze a masturbação - é fazer sexo com a pessoa que você mais ama. Não quero atingir a imortalidade com meu trabalho, mas sim não morrendo. Quando eu era pequeno, meus pais descobriram que eu tinha tendências masoquistas. Aí me passaram a me bater todo dia, para ver se eu parava com aquilo. O cérebro é o meu segundo órgão favorito. O homem explora o homem e por vezes é o contrário. Se Deus existe, por que Ele não me dá um sinal de Sua existência? Como por exemplo, abrir uma bela conta em meu nome num banco suíço? Não é só Deus que não existe, tente chamar o bombeiro nos finais de semana. Mais do que nunca na história, a humanidade está numa encruzilhada. Um caminho leva ao desespero e à absoluta falta de esperança. O outro, à total extinção. Vamos rezar para escolhermos corretamente. Eu caminhava pela floresta pensando em Cristo. Se ele era carpinteiro, quanto será que cobrava pelas prateleiras? E se tudo for uma ilusão e nada existe? Nesse caso, definitivamente eu paguei caro demais pelo meu carpete. Por que nossos dias são numerados e não, digamos, letrados? Meu único arrependimento da vida é o de não ser outra pessoa. Na maior parte do tempo eu não me divirto muito. O resto do tempo eu não me divirto nada. A vida se divide entre o asqueroso e o miserável. Minha forma de rir disto tudo é através da verdade. É a brincadeira mais divertida. Odeio a realidade, mas é o único lugar onde se pode comer um bom filé. 80% do sucesso vem de nos expormos.
| 17389 ace
A carregar... Marcas Famosas Descontos de até 70% nas Melhores Marcas www.Privalia.com CD Musica Classica Pesquise CD Musica Classica antes de de Comprar. Preço Baixo é no iG! iGshopping.iG.com.br Home Theater? Home Theater com Frete Grátis Você só Encontra Aqui Compare! HomeTheater.Ask.com Limpe seu nome: R$40,00 Sem pagar suas dívidas. Em 15 dias Sistema 100% dentro da lei. www.semrestricao.site.br.com Nome: Margarita Carmen Dolores Cansino Nascimento: 17/10/1918, Brooklyn, NY Morte: 14/05/1987, mal de alzheimer Ocupação: atriz Nacionalidade: Americana Casamentos: Edward C. Judson, Orson Welles, Prince Aly Khan, James Hill Filhos: Rebecca Welle e Yasmin Khan Biografia: Rita Hayworth nasceu em 1918, em Nova York, descendente de espanhóis. Estreou como dançarina aos 12 anos, em um night club. Durante toda a sua adolescência, apresentou-se em diversos bares e cassinos na fronteira dos Estados Unidos com o México. Em 1935 ela assinou contrato com a FOX, onde fez inicialmente pequenos papéis atuando em mais de 25 filmes. “Paraíso Infernal” (1939) foi seu primeiro grande sucesso. Fez ainda “Sangue e areia”, refilmagem do clássico de Rodolfo Valentino, “Ao compasso do amor”, de 1941. Em seguida, partiu para a Columbia, trocando seu nome de Rita Mansino para Rita Hayworth. Lá estrelou filmes como Only Angels have Wings, The Strawberry Blonde (com James Cagney) e Blood and Sand (com Tyrone Power), todos realizados entre 1939 e 1941. Dançou com os dois maiores dançarinos de Hollywood, Gene Kelly e Fred Astaire. Sua imagem de mulher fatal consolidou-se no filme Gilda (1946), onde aparece sensualmente dançando e cantando (dublada). A ruiva Rita mudou radicalmente sua imagem ao se transformar em uma loira e cortar os cabelos curtinhos para o filme “A dama de shangai”, de Orson Welles (seu segundo marido). Seu ultimo filme foi A cólera de Deus, de 1972. Faleceu em decorrência do Mal de Alzheimer, em 1987, pouco antes de fazer 69 anos. Filmes The Wrath of God - A divina ira (1972) Poppies Are Also Flowers - O ópio também é uma flor (1966) The Money Trap - Dinheiro é armadilha (1965) Circus World - O Mundo do Circo (1964) The Story on Page One - Drama na primeira pagina (1960) They Came to Cordura - Heróis de Guerra (1959) Separate Tables- Vidas separadas (1958) Pal Joey - Meus dois carinhos (1957) Fire Down Below - Lábios de Fogo (1957) Miss Sadie Thompson - A mulher de Satã (1953) Salome (1953) Affair in Trinidad - Uma viúva em Trinidad (1952) The Loves of Carmen - Os Amores de Carmen (1948) The Lady from Shanghai - A Dama de Xangai (1947) Down to Earth - Quando os deuses amam (1947) Gilda (1946) Tonight and Every Night - Coração de uma cidade (1945) Cover Girl - Modelos (1944) You Were Never Lovelier - Bonita como nunca (1942) Tales of Manhattan - Seis destinos (1942) My Gal Sal - Minha namorada favorita (1942) You'll Never Get Rich - Ao Compasso do Amor (1941) Blood and Sand - Sangue e Areia (1941) Affectionately Yours - Volta para mim (1941) The Strawberry Blonde - Uma Loura com açúcar (1941) Susan and God - Uma mulher original (1940) The Lady in Question - Protegida do Papai (1940) Only Angels Have Wings - Paraíso infernal (1939) Juvenile Court - Filhos do Desprezo (1938) Trouble in Texas - Barulho no Texas (1937) Hit the Saddle - Soberanos da Sela (1937) Old Louisiana - A Rainha da Louisiana (1937) Rebellion - A Tentadora (1936) Meet Nero Wolfe - A Astúcia de Wolfe (1936) Human Cargo - Carga Humana (1936) Charlie Chan in Egypt - Charlie Chan no Egito (1935) Under the Pampas Moon - Sob o Luar dos Pampas (1935) Dante's Inferno - A Nave de Satã (1935) Paddy O'Day - Perdida na Metrópole (1935) Prêmios Indicação ao Globo de Ouro 1965 Melhor Atriz – Drama por Circus World (1964) Galeria (Clique para ver)
| 17302 ace
Título original: Charade Ano/País/Gênero/Duração: 1963 / EUA / Suspense / 114min Direção: Stanley Donen e Marc Behm Produção: Stanley Donen Roteiro: Peter Stone Fotografia: Charles Lang Música: Henry Mancini Elenco Cary Grant ... Peter Joshua Audrey Hepburn ... Regina Lampert Walter Matthau ... Hamilton Bartholemew James Coburn ... Tex Panthollow George Kennedy ... Herman Scobie Dominique Minot ... Sylvie Gaudet Ned Glass ... Leopold W. Gideon Jacques Marin ... Insp. Edouard Grandpierre Paul Bonifas ... Mr. Felix Thomas Chelimsky Jean-Louis Gaudet Sinopse Regina (Audrey Hepburn) viaja planejando separar-se do marido. Ao voltar para casa descobre que ele foi assassinado e começa a ser perseguida: eles estão atrás de dinheiro que seu marido possuía. Ela conhece Grant, um homem misterioso, que passa a protegê-la. Curiosidades: O filme foi inteiramente rodado em Paris. Warren Beatty e Natalie Wood foram cotados para serem protagonistas. Cary Grant não gostou do envolvimento do personagem dele com Audrey Hepburn, que nesta altura tinha idade de ser sua filha. Ele exigiu que no roteiro, Regina é que se insinuasse a ele e não o contrário. “O Segredo de Charlie”, de 2002 é uma refilmagem. Prêmios Indicação ao Oscar (Melhor canção original) Indicações ao Globo de Ouro: Melhor Ator (Cary Grant) e Melhor Atriz (Audrey Hepburn) BAFTA de Melhor Atriz (Audrey Hepburn) e Indicação a Melhor Ator Estrangeiro (Cary Grant)   Assista Online           Download: Este filme é de domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria.   Legendas Pesquisar este filme no SUBMARINO Imagens    
| 17300 ace
  Título Original: Annie Hall Ano/País/Gênero/Duração: 1977 / EUA / Comédia / 93min Direção: Woody Allen Produção: Fred T. Gallo, Robert Greenhut, Charles H. Joffe, Jack Rollins Roteiro:  Woody Allen, Marshall Brickman Fotografia: Gordon Willis Elenco •    Woody Allen .... Alvy Singer •    Diane Keaton .... Annie Hall •    Tony Roberts .... Rob •    Carol Kane .... Allison •    Paul Simon .... Tony Lacey •    Shelley Duvall .... Pam •    Janet Margolin .... Robin •    Colleen Dewhurst .... mãe de Annie Hall •    Donald Symington .... pai de Annie Hall •    Helen Ludlam .... avó de Annie Hall •    Christopher Walken .... Duane Hall •    Mordecai Lawner .... pai de Alvy Singer •    Joan Newman .... mãe de Alvy Singer •    Jonathan Munk .... Alvy Singer aos 9 anos de idade Sinopse Alvy Singer (Woody Allen) é um humorista que faz análise há muito tempo, pois é desequilibrado hemocionalmente. Acaba se apaixonando pela cantora Annie Hall (Diane Keaton). Os dois são imensamente complicados, mas mesma assim vão morar juntos e com isso começam as crises.   Curiosidades - O nome da personagem Annie Hall foi baseado no nome real de Diane Keaton, cujo apelido é Annie. - Filme de estréia da atriz Sigourney Weaver. - As roupas da personagem Annie eram da própria atriz Diane Keaton.   Prêmios   - Oscar de Melhor Filme, Diretor, Atriz (Diane Keaton) e Roteiro Original. - Indicação ao Oscar de Melhor Ator (Wood Allen). - Globo de Ouro de Melhor Atriz (Diane Keaton). - Indicação ao Globo de Ouro de Melhor Filme, Diretor, Ator (Woody Allen) e roteiro. ASSISTA ONLINE   Imagens  
| 17300 ace
Título Original: Funny Girl Ano/País/Gênero/Duração: 1968 / EUA / Biográfico Musical / 151min Direção: William Wyler Produção: Ray Stark Roteiro:  Isobel Lennart Fotografia: Harry Stradling Sr. Música: Jule Styne Elenco •    Barbra Streisand .... Fanny Brice •    Omar Sharif .... Nick Arnstein •    Kay Medford .... Rose Brice •    Anne Francis .... Georgia James •    Walter Pidgeon .... Florenz Ziegfeld • Sinopse Fanny Brice (Barbra Streisand) tem talento, mas é negada por não ser bonita. Ela não desiste até conseguir uma vaga de patinadora em um espetáculo. Atrapalhada nas coreografias, arranca risadas da platéia, tornando-se  um grande sucesso. Após um tempo é convidada a participar do grupo de Sr. Florenz Ziegfeld, que possui o grupo teatral de maior sucesso da época, o Ziegfeld Follies. Curiosidades - Continuação: Funny Lady (1975). - Neste ano o prêmio de Melhor Atriz no Oscar foi dividido entre Barbra Streisand e Katharine Hepburn. - Frank Sinatra foi cogitado para o papel de Nicky Arnstein. - Shirley MacLaine foi cogitada para o papel de Fanny. - Este filme está na 16ª colocação entre os 25 maiores musicais americanos, feita pela AFI (American Film Institute). - Baseado na peça homônima de Isobel Lennart. Prêmios - Oscar de Melhor Atriz (Barbra Streisand). - Indicado ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Kay Medford), Fotografia, Edição, Canção Original, Trilha Sonora, Filme e Som. - Globo de Ouro  de Melhor Atriz (Barbra Streisand). - Indicado ao Globo de Ouro de Melhor Filme Comédia, Diretor e Canção Original. ASSISTA ONLINE Imagens
| 17288 ace
  Ficha   Nome: Audrey Kathreen van Heemstra Ruston Nascimento e local: 04/05/1929, Bruxelas, Belgica Morte: 20/01/1993, Tolochenaz, Suiça, câncer no colo do útero Ocupação: atriz Nacionalidade: Belga Casamentos: Mel Ferrer, Andrea Dotti Filhos: Sean H. Ferrer, Luca Dotti Biografia   Audrey nasceu em maio de 1929, em Bruxelas, na Bélgica. Desde pequena já tinha um porte de modelo. Sua família, de origem judia, teve muitos problemas durante a guerra, tendo que se refugiar. Depois da guerra, começou a trabalhar como modelo, fazendo comerciais, e fazendo pontas em filmes na Grã-Bretanha. Fez Gigi na Broadway, da romancista francesa Colette. A partir daí ganhou o estrelato. Tinha um curioso sotaque anglo-europeu, e não era o tipo que poderia ser considerado como ideal: era magra, tinha pés enormes, mas tinha classe. E muita. Em 1953, fez “A princesa e o plebeu”, com Gregory Peck, filme que lhe rendeu um Oscar. No ano seguinte viria Sabrina, onde contracenou com William Holden e Humphrey Bogart. Suas roupas, no clássico”Bonequinha de Luxo”, de 1961, tornaram-se exemplo de sofisticação clássica, com seus vestidos pretos e formas limpas, feitos pelo estilista Givenchy. Retornou às telas, após um período afastada, em “Robin e Marian”, de 1976. Nesse filme interpretou Marian, a companheira de Robin Hood, que roubava dos ricos para dar aos pobres. Audrey concorreu 5 vezes à estatueta. Em 1988 tornou-se embaixadora da UNICEF, dedicando-se às questões humanitárias. Pouco tempo depois, descobriu-se com um câncer de colo, que acabou por tirar-lhe a vida, em 1993. Filmes Always - Além da eternidade (1989) Love Among Thieves - Amor entre ladrões TV (1987) They All Laughed - Muito Riso e Muita Alegria (1981) Bloodline - A Herdeira (1979) Robin and Marian - Robin e Marian (1976) Wait Until Dark- Um clarão nas trevas (1967) Two for the Road - Um caminho para dois (1967) How to Steal a Million - Como roubar um milhão de dólares (1966) My Fair Lady - Minha Bela Dama (1964) Paris - When It Sizzles - Quando Paris alucina (1964) Charade - Charada (1963) DOWNLOAD The Children's Hour - Infâmia (1961) Breakfast at Tiffany's - Bonequinha de luxo (1961) The Unforgiven - O Passado não perdoa (1960) The Nun's Story - Uma cruz à beira do abismo (1959) Green Mansions - A flor que não morreu (1959) Love in the Afternoon - Amor no fim da tarde (1957) Funny Face - Cinderela em Paris (1957) War and Peace - Guerra e Paz (1956) Sabrina (1954) Roman Holiday - A Princesa e o Plebeu (1953) The Secret People (1952) Nous irons à Monte Carlo (1951) Young Wives' Tale (1951) The Silent Village (1951) The Lavender Hill Mob - O mistério da torre (1951) Laughter in Paradise (1951) One Wild Oat (1951) Monte Carlo Baby (1951)   Mais A Vida de Audrey Hepburn (2000) ASSISTA ONLINE Curiosidades sobre Audrey Hepburn Filmografia em Fotos: Audrey Hepburn Audrey Hepburn: da Guerra à Paz   Prêmios Oscar 1993 - Prêmio Humanitário Jean Hersholt (póstumo) 1954 - Melhor Atriz (principal) por A princesa e o plebeu Tony 1954 - Melhor Atriz por Ondine 1968 - Prêmio especial por sua carreira Grammy 1993 - Melhor álbum de histórias para crianças por Audrey Hepburn's Enchanted Tales (póstumo). Emmy 1993 - Melhor performance individual num programa informativo por Gardens of the World (póstumo). BAFTA 1965 - Melhor Atriz por Charada 1960 - Melhor Atriz por Uma cruz à beira do abismo 1954 - Melhor Atriz por A princesa e o plebeu Globo de Ouro 1990 - Prêmio Cecil B. DeMille pelo conjunto de sua obra 1955 - Atriz favorita do mundo 1954 - Melhor Atriz (filme dramático) por A princesa e o plebeu SAG 1993 - Prêmio pelo conjunto de sua obra   Imagens   Galeria (Clique na imagem ser direcionado para a galeria):   Vídeos   BOByH_iOn88   BOIZ3RSU1MM  
| 17253 ace
Ficha Título original: Cleopatra Ano/País/Gênero/Duração:  1963/EUA/Drama/242min Produção: Walter Wanger  e  Peter Levathes Direção: Joseph L. Mankiewicz Roteiro:  Joseph L. Mankiewicz e Ranald MacDougall Fotografia: Leon Shamroy e Jack Hildyard Música: Alex North Elenco Elizabeth Taylor Cleopatra Richard Burton ...     Antony Rex Harrison ...     Caesar Pamela Brown    ...     High Priestess George Cole    ...     Flavius Hume Cronyn    ...     Sosigenes Cesare Danova    ...     Apollodorus Kenneth Haigh    ...     Brutus Andrew Keir    ...     Agrippa Martin Landau    ...     Rufio Roddy McDowall Octavian - Caesar Augustus Sinopse O filme narra a vida de Cleópatra, rainha do Egito, junto aos seu primeiro marido Júlio César e ao segundo, Marco Antonio, com quem conhece a morte. Curiosidades: Esse épico marcou o fim dos grandes épicos de Hollywood, sendo um dos maiores fracassos já conhecidos. Deixou a Fox totalmente endividada, tendo que demitir mais de dois mil funcionários, sendo ainda forçada a vender parte do estúdio. Após a década de 60 o filme tornou-se um sucesso. Inicialmente, Joan Collins faria Cleópatra, mas devido aos atrasos no filme, ela acabou ficando indisponível. Audrey Hepburn era a segunda opção, mas não pôde. Liz Taylor foi a terceira opção. Marco Antonio inicialmente seria feito por Stephen Boyd e Peter Finch seria Julio César. Devido também aos atrasos, não puderam ficar com os papéis. Com esse filme, Liz ganhou US$ 1 milhão, dando início aos mega cachês. Foi proposto que o filme fosse separado em duas partes: “César e Cleópatra” e “Marco Antonio e Cleópatra”, com 3 horas de duração cada um. A Fox não concordou, e lançou uma só versão, com 4 horas de duração. Foram cortados mais de 120 minutos da edição final. 65 roupas foram usadas por Liz neste filme. Um recorde até hoje. ASSISTA ONLINE Primeira Parte Segunda Parte
| 17253 ace
Título Original: The Jazz Singer Ano/País/Gênero/Duração: 1927 / EUA / Musical / 88min Direção: Alan Crosland Roteiro:  Samson Raphaelson, Alfred A. Cohn Fotografia: Hal Mohr Música: Louis Silvers Elenco Al Jolson ...     Jakie Rabinowitz May McAvoy    ...     Mary Dale Warner Oland    ...     Cantor Rabinowitz Eugenie Besserer    ...     Sara Rabinowitz Otto Lederer    ...     Moisha Yudelson Robert Gordon    ...     Jakie Rabinowitz Richard Tucker    ...     Harry Lee Cantor Joseff Rosenblatt    ...     ele mesmo Sinopse Jake Rabinowitz (Al Jolson) é um jovem que vive a desafiar as tradições de sua família, que é judia. Para tanto ele canta em uma casa de shows. Seu pai, um homem rígido e que deseja que ele siga a religião, descobre tudo e Jake termina fugindo de casa. Torna-se um cantor de sucesso, mas os problemas com a família permanecem. Curiosidades - Considerado o primeiro longa falado (o primeiro filme falado foi Don Juan, de 1926). - Ele foi feito em sincronia com um disco de acetato. - Produzido no sistema sonoro Vitaphone. - Al Jolson era um importante cantor de jazz. - Baseado na peça de mesmo nome de Samson Raphaelson. - Eddie Cantor foi cogitado para o papel, mas cobrou muito caro por sua participação. - Orçamento de 422.000 dólares. - Arrecadou 3.5 milhões de dólares. - Remake em 1952 com Danny Thomas e Peggy Lee. - Remake em 1980 com Neil Diamond. Prêmios - Oscar Especial pela produção de filmes falados. Download: Este filme é de  domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria. Legendas Imagens
| 17245 ace
Título Original: The Snows of Kilimanjaro Ano/País/Gênero/Duração: 1952 / EUA / Drama / 113min Direção: Henry King Produção: Darryl F. Zanuck Roteiro: Ernest Hemingway, Casey Robinson Fotografia: Leon Shamroy Música: Bernard Herrmann Elenco Gregory Peck ... Harry Street Susan Hayward ... Helen Ava Gardner ... Cynthia Green Hildegard Knef ... Countess Liz Leo G. Carroll ... Uncle Bill Torin Thatcher ... Johnson Ava Norring ... Beatrice Helene Stanley ... Connie Marcel Dalio ... Emile Vicente Gómez ... Guitarist Richard Allan ... Spanish dancer Sinopse Harry Street (Gregory Peck) é um frustrado escritor e caçador que está face a face com a morte próximo ao Monte Kilimanjaro. Ele começa a relembrar fatos de sua vida enquanto delira, como o seu amor por Cynthia Green (Ava Gardner), que acabou perdendo. Curiosidades - Baseado no livro homônimo de Esnest Hamingway. - Locações na França, Espanha e África. - Ava Gardner se acidentou durante uma das cenas. - Gene Tierney e Anne Francis foram considerados para o papel de Ava Gardner. ASSISTA ONLINE:   Imagens
| 17224 ace
100. Alan Ladd
A carregar... Marcas Famosas Descontos de até 70% nas Melhores Marcas www.Privalia.com CD Musica Classica Pesquise CD Musica Classica antes de de Comprar. Preço Baixo é no iG! iGshopping.iG.com.br Home Theater? Home Theater com Frete Grátis Você só Encontra Aqui Compare! HomeTheater.Ask.com Limpe seu nome: R$40,00 Sem pagar suas dívidas. Em 15 dias Sistema 100% dentro da lei. www.semrestricao.site.br.com FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha Nome:  Alan Ladd Nascimento e local: 03/09/1913, HoT Springs, AR, EUA Morte: 29/01/1962, Palm Springs, CA, EUA, overdose acidental (?) Ocupação: ator Nacionalidade: Americano Casamentos:  Marjorie Jane Harrold, Sue Carol Filhos: David Ladd, Alan Ladd, Jr. e Alana Ladd Biografia   Após a morte de seu pai, Alan e sua mãe mudaram-se para Califórnia. Antes da carreira no cinema, ele foi vendedor de hot dog e guarda-costas. Sua carreira artística iniciou com pequenas participações em programas de rádio e fazendo figuração na Warner, em filmes como Cidadão Kane. Seu primeiro grande papel foi no filme This Gun for Hire, ao lado de Veronica Lake, que a partir de então seria uma parceira constante nos filmes. Seguiu-se o sucesso com The Blue Dahlia,  Captain Carrey U.S.A (com a trilha sonora “Mona Lisa”, de Nat King Cole) e Shane (um dos seus papéis mais famosos). Alan ainda formou uma companhia para produção de filmes e programas de rádio. Problemas de saúde, agravados pelo alcoolismo, levariam-no a abandonar as telas. Em 1963 ele realizou seu último filme, The Carpetbaggers. O ator morreu com 50 anos, de problemas ocasionados pelo álcool ministrado com calmantes. Filmes Mais DVDs e Livros The Carpetbaggers - Os Insaciáveis (1964) 13 West Street (1962) Orazi e curiazi (1961) One Foot in Hell (1960) All the Young Men (1960) Guns of the Timberland (1960) The Man in the Net (1959) The Badlanders (1958) The Proud Rebel (1958) The Deep Six (1958) Boy on a Dolphin (1957) The Big Land (1957) A Cry in the Night (1956) Santiago (1956) Hell on Frisco Bay (1955) The McConnell Story (1955) Drum Beat (1954) The Black Knight (1954/I) Saskatchewan (1954) Hell Below Zero (1954) The Red Beret (1953) Shane - Os Brutos também amam (1953) Desert Legion (1953) Botany Bay (1953) Thunder in the East (1952) The Iron Mistress (1952) Red Mountain (1951) Appointment with Danger (1951) Branded (1950) Captain Carey, U.S.A. (1950) Chicago Deadline (1949) The Great Gatsby (1949) Eyes of Hollywood (1949) Whispering Smith (1948) Beyond Glory (1948) Saigon (1948) Wild Harvest (1947) Calcutta (1947) My Favorite Brunette - Morena e perigosa (1947) DOWNLOAD O.S.S. (1946) The Blue Dahlia - Dália Azul (1946) Two Years Before the Mast (1946) Salty O'Rourke (1945) And Now Tomorrow (1944) Skirmish on the Home Front (1944) China (1943) Letter from a Friend (1943) Lucky Jordan (1942) The Glass Key - A Chave de Vidro (1942) This Gun for Hire - Alma Torturada (1942) Joan of Paris (1942) Cadet Girl (1941) They Met in Bombay - Uma Aventura no Oriente (1941) Great Guns - Bucha Para Canhão (1941) They Met in Bombay (1941) The Reluctant Dragon (1941) Paper Bullets (1941) The Black Cat (1941) Citizen Kane - Cidadão Kane (1941) Petticoat Politics (1941) I Look at You (1941) Her First Romance (1940) Victory - Fugidos do Mundo (1940) DOWNLOAD Meet the Missus / Flama da Liberdade (1940) The Howards of Virginia (1940) Captain Caution (1940) Those Were the Days! (1940) Cross-Country Romance (1940) Gangs of Chicago (1940) The Light of Western Stars (1940) In Old Missouri (1940) Brother Rat and a Baby (1940) The Green Hornet (1940) Blame It on Love (1940) Unfinished Rainbows (1940) Meat and Romance (1940) American Portrait (1940) Rulers of the Sea (1939) Hitler - Beast of Berlin (1939) The Mysterious Miss X (1939) Freshman Year (1938) Come On, Leathernecks! (1938) The Goldwyn Follies (1938) DOWNLOAD Hold 'Em Navy (1937) All Over Town (1937) The Last Train from Madrid (1937) DOWNLOAD Pigskin Parade - Loucuras de estudantes (1936) DOWNLOAD Saturday's Millions (1933) Island of Lost Souls (1932) Once in a Lifetime (1932) Tom Brown of Culver  - Cadetes de Honra (1932)     Imagens  
| 17100 ace
"Nunca deixo de ter em mente que o simples fato de existir já é divertido." "O que você vê diante de si é o resultado de uma vida de chocolates." "Se você obedece todas as regras, acaba perdendo toda a diversão." "Alguém perguntou a uma mulher de minha idade se ela ia bem. A resposta foi: ótima! Se você não pedir detalhes." "Nunca deixo de ter em mente que o simples fato de existir já é divertido". "O que você vê diante de si é o resultado de uma vida de chocolates." "É impossível mudar a música de sua alma." "Se você obedece a todas as regras, acaba perdendo toda a diversão" "A vida é dura. Depois de tudo, ainda lhe mata." “Quanto a mim, os prêmios não são nada. Meu prêmio é o meu trabalho.” “Ser dona de casa e uma mãe é o trabalho mais importante no mundo, mas se ele não lhe interessa, não faça isso - eu teria sido uma péssima mãe.” “A morte será um grande alívio. Não haverá mais entrevistas.” “Os inimigos são tão estimulantes.” “Lembro-me de andar como uma criança. Não era costume dizer que você estava cansado. Era costume de completar o objetivo da expedição.” “Se você sempre faz o que lhe interessa pelo menos uma pessoa estará satisfeita.” “Se você deseja sacrificar a admiração de muitos homens para a crítica de um, vá em frente, se case.” “Viver não foi fácil para você, foi? Você não pode inserir sua própria vida, mas você poderia ser alguém. Você não foi você; você se segura.” “Amor não tem nada a ver com o que você está espera - apenas com o que você está esperando para dar - que é tudo”. “Nunca reclamar. Nunca explicar.” “A ambição média das estrelas de Hollywood é ser admirada por um americano, cortejada por um italiano, casada com um inglês e tem um namorado francês.” “Ser amado é muito desanimador.” “Nós somos ensinados que devemos culpar seu pai, seus irmãos, suas irmãs, a escola, os professores -, mas nunca te culpar. Nunca é sua culpa. Mas é sempre sua culpa, porque se você quiser mudar você é o único que pode fazer isso.” “Quando eu comecei, eu não tinha nenhum desejo de ser atriz ou saber como atuar. Eu só queria ser famosa.” “Sem disciplina, não há vida em tudo”. “Sou uma personalidade bem como uma atriz. Mostre-me uma atriz que não é uma personalidade, e você vai me mostrar uma mulher que não é uma estrela.” “Não seria ótimo se as pessoas pudessem começar a viver de repente com a freqüência que eles morrem de repente”? “Eu não lamento nada que eu já tenha feito”. “Eu tenho sido amada, e eu tenho amado. Há uma grande diferença.” “Nem toda a gente tem sorte o suficiente para perceber como é delicioso sofrer.” “Não há louros na vida... Só novos desafios.” "Eu uso o meu tipo de roupa para salvar-me da dificuldade de decidir qual roupa para vestir". “Eu não temo a morte, deve ser como um longo sono”. “Meu pai, um cirurgião e urologista, estudou sexo durante toda a sua vida profissional. Antes de morrer aos 82, ele me disse que ele não tinha chegado a quaisquer conclusões sobre tudo isso.” “Com todas as oportunidades que tive, eu poderia ter feito mais. E se eu tivesse feito mais, eu poderia ter sido notável.” “Só quando uma mulher decide não ter filhos, uma mulher pode viver como um homem. Isso é o que eu tenho feito.” “A vida é cheia de censura. Não posso cuspir no seu olho.” “A falta de trabalho destrói pessoas.” “A vida é o que é importante. Andar a pé, casas, família. Nascimento, dor e alegria. Atuar apenas à espera de uma torta de creme. É tudo.” “A vida pode ser trágica às vezes, e eu tive a minha parte. Mas após tudo que acontece com você, você tem que manter uma atitude um pouco cômica. Na análise final, você não pode esquecer de rir.” “Se você sobreviver tempo suficiente, você é venerado - e não como um antigo edifício”. “Eu sou aquilo que é conhecido como desintegração gradual. Eu não temo o outro mundo, nem nada. Eu não temo inferno, e não estou ansiosa para o céu.” “Ouça a canção da vida”. “Eu sempre quis ser uma atriz de cinema. Eu pensava que era muito romântico. E foi.” “É tanto uma espécie de eletricidade ou algum tipo de energia. Eu não sei o que é, mas seja o que for eu tenho isso.” “Eu não acho que ele é um ator limitado - eu acho que ele é um ator muito talentoso. Embora, eu temo que ele possa ser uma pessoa limitada.”      “Quem é Katharine Hepburn?
| 16867 ace
Título Original: Tarzan's Magic Fountain Ano/País/Gênero/Duração: 1949 / EUA / Aventura / 73min Direção: Lee Sholem Produção: Sol Lesser Roteiro:  Edgar Rice, Burroughs, Harry ChandleeCurt Siodmak Fotografia: Karl Struss Música: Alex Laszlo Elenco •    Lex Barker...Tarzan •    Brenda Joyce...Jane •    Albert Dekker...Senhor Trask •    Evelyn Ankers...Glória James Jessup •    Charles Drake...Senhor Dodd •    Alan Napier...Douglas Jessup •    Ted Hecht...Pasco •    Henry Brandon...Siko Sinopse Tarzan (Lex Barker) e Jane (Brenda Joyce) estão em um vale no meio das montanhas, que é paradisíaco mas repleto de mistérios. Eles vão parar lá depois que Chita encontra nos destroços de um avião, um diário de uma pilota britânica desaparecida há mais de 20 anos. Tarzan envia-o para a Inglaterra e vai para o Vale Azul, onde habita uma tribo que bebe a água da juventude, e onde ele encontra a pilota desaparecida. Curiosidades - Primeiro filme de cinco, estrelado por Lex Barker como Tarzan. - O filme traz a participação do primeiro Tarzan do cinema, o ator Elmo Lincoln. - Último filme de Brenda Joyce como Jane. - Único filme de Brenda Joyce com Lex Barker. - Foram testados mais de 1000 atores para substituir Johnny Weissmuller no papel de Tarzan. - Leo Barker raspou o tórax cabeludo par ao filme. Imagens
| 16845 ace
A carregar... Marcas FamosasDescontos de até 70% nas Melhores Marcas www.Privalia.com CD Musica ClassicaPesquise CD Musica Classica antes de de Comprar. Preço Baixo é no iG! iGshopping.iG.com.br Home Theater?Home Theater com Frete Grátis Você só Encontra Aqui Compare! HomeTheater.Ask.com Limpe seu nome: R$40,00Sem pagar suas dívidas. Em 15 dias Sistema 100% dentro da lei. www.semrestricao.site.br.com Nome:  Marlon Brando, Jr. Nascimento e local: 03/04/1924, Omaha, NE Morte e local: 01/07/2004, Los Angeles, CA, problemas respiratórios Ocupação: ator e diretor Nacionalidade: Americana Casamentos: Anna Kashfi, Tarita Teriipia Filhos: Christian Devi Brando, Miko Castaneda Brando, Rebecca Brando, Simon Teihotu Brando, Cheyenne Brando Biografia Brando estudou no famoso Actors Studio, escola de arte de Nova York. Trabalhou nos palcos da Broadway, na famosa peça “Um bonde chamado desejo”, de Tennessee Williams, na montagem de 1947. Sempre chamou a atenção com o seu comportamento rebelde, e sua beleza acabou por favorecer o estrelato. Sua estréia no cinema foi com “Espíritos indômitos”, de 1950. Em 1951 já tinha sua primeira indicação ao Oscar, com “Um bonde chamado desejo”, filme adaptado da peça que ele fizera anos antes. Na década de 50 não parava de trabalhar, fazendo ainda sucessos como “Viva Zapata” e na adaptação da peça de Shakespeare, “Júlio César”. as 1953 e 54 podem ser considerados os melhores de sua vida artística. Nesses anos ele fez “O selvagem”, “Sindicato dos ladrões” (que lhe deu o primeiro Oscar) e “Desiree, a Amante de Napoleão”. Na década seguinte estreou como diretor em “A face oculta”. Nessa época, durante as filmagens do longa “O grande motim”, conheceu a dançarina Talita, no Taiti, com quem acabou casando e tendo dois filhos. O segundo Oscar veio com “O poderoso chefão”, de 1972, de Francis Coppola. Para receber o Oscar ele enviou uma índia, em protesto aos problemas com os índios americanos. Outro grande sucesso foi “O ultimo tango em Paris”, do mesmo ano. Na década de 70 ele comprou uma ilha no Taiti, onde ficou recluso, ainda atuando em algumas produções hollywoodianas, tais quais “Superman” (1978) e “Apocalypse now” (1979). Na década de 90 ele voltou em “Dom Juan de Marco”, atuando com Johnny Depp. Já estava gordo, não lembrando em quase nada o galã que um dia fora, a não ser pelo olhar. Já então um homem marcado pela vida. Filmes como diretor  Mais DVDs e Livros One-Eyed Jacks (30-Mar-1961) Filmes como ator The Score (2001) Free Money (1998) The Brave (1997) The Island of Dr. Moreau (1996) Don Juan DeMarco (1995) Christopher Columbus: The Discovery (1992) Hearts of Darkness: A Filmmaker's Apocalypse (1991) The Freshman - Um Novato na máfia (1990) A Dry White Season (1989) The Formula (1980) Apocalypse Now (1979) Superman (1978) The Missouri Breaks - Duelo de gigantes (1976) Last Tango in Paris - Último tango em Paris (1972) The Godfather - O Poderoso Chefão (1972) The Nightcomers - Os que chegam com a noite (1972) Burn! - Queimada (1969) The Night of the Following Day (1968) Candy (1968) Reflections in a Golden Eye - O Pecado de Todos nós (1967) A Countess from Hong Kong - A condessa de Hong Kong (1967) The Appaloosa - Sangue em Sonora (1966) The Chase - Caçada Humana (1966) Morituri (1965) Bedtime Story - Dois Farristas Irresistíveis (1964) The Ugly American - Sua excelência, o embaixador (1963) Mutiny on the Bounty - O Grande Motim (1962) One-Eyed Jacks - A Face Oculta (1961) The Fugitive Kind - Vidas em Fuga (1959) The Young Lions - Os Deuses Vencidos (1958) Sayonara (1957) The Teahouse of the August Moon - Casa de Chá do Luar de Agosto (1956) Guys and Dolls - Eles e Elas (1955) Desirée - Desirée, o Amor de Napoleão (1954) On the Waterfront - Sindicato dos Ladrões (1954) The Wild One - O Selvagem (1953) Julius Caesar (1953) Viva Zapata! (1952) A Streetcar Named Desire - Um Bonde Chamado Desejo (1951) The Men - Espíritos indômitos (1950) Fotos Clique na imagem para ser direcionado para a galeria:  
| 16800 ace
  Título Original: The Four Horsemen of the Apocalypse Ano/País/Gênero/Duração: 1921 / EUA / Drama / 1934 Direção: Rex Ingram Produção: Kevin Brownlow Roteiro: June Mathis Fotografia: John F. Seitz Música: Carl Davis   Elenco Pomeroy Cannon ... Madariaga Josef Swickard ... Marcelo Desnoyers Bridgetta Clark ... Doña Luisa Rodolfo Valentino ... Julio Desnoyers Virginia Warwick ... Chichí Alan Hale ... Karl von Hartrott Mabel Van Buren ... Elena Stuart Holmes ... Otto von Hartrott John St. Polis ... Etienne Laurier Alice Terry ... Marguerite Laurier Mark Fenton ... Senator Lacour Derek Ghent ... René Lacour Nigel De Brulier ... Tchernoff Bowditch M. Turner ... Argensola Edward Connelly ... Lodgekeeper   Sinopse Marcel Desnoeyers (Josef Swickard) e Karl Hartrot (Alan Hale) são casados com duas irmãs argentinas, e tem visões diferenciadas sobre o mundo. Após a morte do pai das mulheres, Madariaga (Pomeroy Cannon), explode a guerra mundial e os homens vão para as trincheiras.   Curiosidades   - Baseado no livro de Vicente Blasco Ibanez. - Refilmagem em 1962, com Glenn Ford no papel principal. - Filme silencioso.   Assista Online       Download: Este filme é de domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria.   Imagens
| 16768 ace
Título Original: The Taming of the Shrew Ano/País/Gênero/Duração: 1967 / Itália EUA / 122min Direção: Franco Zeffirelli Produção: Richard McWhorter Roteiro:  William Shakespeare, Franco Zeffirelli, Suso Cecchi d'Amico, Paul Dehn Fotografia: Oswald Morris Música: Nino Rota Elenco Elizabeth Taylor .... Catarina Richard Burton .... Petrúquio Cyril Cusack .... Grumio Michael Hordern .... Baptista Alfred Lynch .... Tranio Alan Webb .... Gremio Ken Parry .... Tailor Anthony Gardner .... Haberdasher Natasha Pyne .... Bianca Michael York .... Lucentio Sinopse Bianca (Natasha Pyne) está apaixonada por Lucentio (Michael York), mas só poderá se casar com ele se sua irmã mais velha, Catarina (Elizabeth Taylor) casar-se antes. O problema é que Catarina é conhecida por seu péssimo humorr. O jovem Petrúcio (Richard Burton), atraído pelo grande dote oferecido pelo pai desta, resolve se aventurar neste casamento e tentar domar o gênio de Catarina. Curiosidades - Baseado na peça de William Shakespeare. - Sophia Loren e Marcello Mastroianni eram as primeiras opções para os papéis principais. - O filme foi co-produzido por Richard Burton e Elizbeth Taylor. - Antes deste filme, Elizabeth Taylor nunca tinha interpretado uma obra shakespeareana. - A participação de Elizabeth Taylor e Richard Burton no filme esteve abalada devido ao insucesso anterior da dupla, o filme Cleópatra, que esvaziou os cofres da companhia. - Em seus diários, Franco Zeffirelli disse que esse foi o filme mais divertido que ele fez. - Refilmagem de filme de 1929, trazendoo casal Mary Pickford e Douglas Fairbanks nos papéis principais. ASSISTA ONLINE Imagens
| 16609 ace
Título original: The Barefoot Contessa Ano/País/Gênero/Duração: 1954/EUA/Drama/130min Produção: Robert Haggiag e Angelo Rizzoli Direção: Joseph L. Mankiewicz Roteiro: Joseph L. Mankiewicz Fotografia: Jack Cardiff Música: Mario Nascimbene Elenco Humphrey Bogart ... Harry Dawes Ava Gardner ... Maria Vargas Edmond O'Brien ... Oscar Muldoon Marius Goring ... Alberto Bravano Valentina Cortese ... Eleanora Torlato-Favrini (as Valentina Cortesa) Rossano Brazzi ... Count Vincenzo Torlato-Favrini Elizabeth Sellars ... Jerry Warren Stevens ... Kirk Edwards Franco Interlenghi ... Pedro Vargas Mari Aldon ... Myrna Bessie Love ... Mrs. Eubanks Diana Decker ... Drunken blonde Bill Fraser ... J. Montague Brown Alberto Rabagliati ... Nightclub proprietor Enzo Staiola ... Busboy Sinopse O filme inicia-se com o funeral de Maria Vargas (Ava Gardner), atriz belíssima e de carreira rápida. Harry Davie (Humphrey Bogart), que a dirigiu em seus filmes, assiste a tudo e relembra como a conheceu em um cabaré em Madrid. Ele estava à procura de uma nova estrela, e ao saber que havia uma dançarina, resolve conhecê-la. Maria, que não gosta de usar sapatos porque eles incomodam e a deixam insegura, é escolhida para protagonizar um filme e chega a Hollywood, e aos inconvenientes da fama, transformando-se primeiro em Maria D’Amata e depois na Condessa Torlato Fabrini. Notas O filme levou o Oscar de melhor ator e o Globo de Ouro para Edmond O’Brien. A estátua que aparece na entrada do filme foi dada a Frank Sinatra, que a colocou em seus jardins e lá deixou, mesmo depois da separação de Ava. Assista Online Imagens
| 16608 ace
Título Original: Romeo and Juliet Ano/País/Gênero/Duração: 1968 / Itália / Drama Romance / 113min Direção: Franco Zeffirelli Produção: John Brabourne e Anthony Havelock-Allan Roteiro: Franco Brusati / Masolino D'Amico / Franco Zeffirelli Fotografia: Pasqualino De Santis Música: Nino Rota Elenco Leonard Whiting .... Romeu Olivia Hussey .... Julieta John McEnery .... Mercutio Milo O'Shea .... Frei Laurence Pat Heywood .... Aia Robert Stephens .... Príncipe Michael York .... Tybalt Bruce Robinson .... Benvolio Paul Hardwick .... Lorde Capuleto Natasha Perry .... Lady Capuleto Antonio Pierfederici .... Lorde Montague Esmeralda Ruspoli .... Lady Montague Laurence Olivier .... Prólogo e epílogo - voz Sinopse Romeu (Leonard Whiting), um jovem romântico e que vive em Verona, apaixona-se e é correspondido, por Julieta (Olivia Hussey). Porém, os dois pertencem a duas famílias inimigas de Verona, e o amor deles chegará a consequencias trágicas. Curiosidades - Baseado na famosa peça de William Shakespeare. - O filme foi considerado ousado para os padrões da época, por mostrar o ator Leonard Whiting nu (de costas). - As cenas foram realizadas em Toscana, Gubbio e Pienza, na Itália. - Foram escolhidos dois atores adolescentes para interpretarem os jovens amantes. Prêmios - Oscar de Melhor Fotografia e Figurino. - Indicado ao Oscar de Melhor Filme e Diretor. - Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiiro em língua inglesa e Revelação Masculina (Leonard Whiting) e Revelação Feminina (Olivia Hussey). - Indicado ao Globo de Ouro de Melhor Diretor e Trilha sonora. Assista Online Imagens
| 16553 ace
"Ama o teu próximo - se ele for alto,moreno e bonitão, será muito mais fácil." "Uma mulher só precisa de quarto animais na vida:uma raposa no armário, um tigre na cama, um Jaguar na garagem e um burro para pagar tudo isso." "O amor vence tudo exceto pobreza e dor de dente". "Eu mesma escrevi a história. É sobre uma menina que perdeu a reputação e jamais sentiu falta". "Entre dois pecados, eu escolho um que eu ainda não cometi" "O que conta não são os homens em minha vida, mas a vida em meus homens" "Claro que meu amante pode confiar em mim. Eu disse a ele que centenas já confiaram." "Subtração aritmética é deixar com 2 dólares um homem que tem uma nota de 100." "O casamento é uma grande instituição, mas eu não estou preparada para as instituições". "Quando sou boa, sou muito boa, mas quando sou má, sou melhor ainda". "Entre dois males, escolho sempre aquele que nunca experimentei". "Quando as mulheres erram, os homens vão atrás". "Errar é humano, mas faz você se sentir divino". "Você nunca será muito velho para ficar mais novo". "Garotas boas vão para o céu, as más vão para todo lugar" “Nunca amei ninguém do jeito que amo a mim mesma.”
| 16508 ace
FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha Nome:  William Clark Gable Nascimento e local: 01/02/1901, Cadiz, OH Morte e local: 16/11/1960, Los Angeles, CA, ataque cardíaco Ocupação: ator Nacionalidade: americano Casamentos: Josephine Dillon, Maria "Ria" , Carole Lombard, Sylvia Ashley, Kay Spreckles Filhos: Judy Lewis, John Clark Gable   Biografia   William Clark Gable nasceu em 1 de fevereiro de 1901 em Ohio. Logo cedo perdeu sua mãe, que morreu quando ele contava sete meses de idade. Seu pai mandou-o para que sua tia o criasse até os dois anos. Clark nunca foi um bom estudante, e aos 16 anos já tinha abandonado a escola, trabalhando em empregos esporádicos. Foi assistindo a uma peça chamada “The Bird of Paradise” que ele decidiu que queria ser ator. Entrou para uma companhia de teatro, não obtendo muito sucesso. Foi na companhia que ele conheceu Josephine Dillon, que o ajudou a compor a imagem que mais tarde iria consagra-lo, de homem másculo. Em agradecimento, ele casou-se com ela, que era 17 anos mais velha que ele. O casamento durou até que ele conseguisse um contrato com a MGM. Após alguns extras, veio o sucesso com o faroeste “The Painted Desert” (1931) e o segundo casamento, desta vez com Maria Langham, 15 anos mais velha. Não durou muito e logo ele estava casado com Carole Lombard, também atriz. O Oscar de Melhor Ator viria com “It Happened Onde Night” (1934). Mas seu papel mais inesquecível foi Rhett Butler, do clássico “Gone With the Wind”, ao lado de Vivien Leigh. O grande amor de sua vida foi Carole Lombard, de quem tragicamente se separou após um acidente aéreo que a vitimou. Após sua morte ele se alistou no exército, mas retornou alguns anos depois para a carreira artística. Nunca mais voltou a ser o mesmo.  Após um breve casamento com Silvia Ashley, casou-se com Kathleen Williams Spreckles, que teria um filho dele. Mas Clark não o conheceria: morreu de ataque cardíaco pouco tempo depois de finalizar as gravações de “The Misfits”, em 1960. foi enterrado ao lado de Carole Lombard e de sua mãe.   Filmes • The Misfits - Os Desajustados (1961) •  It Started in Naples - Começou em Nápoles (1960) •  But Not for Me - Beijos que não se esquecem (1959) •  Teacher's Pet - Um amor de professora (1958) •  Run Silent Run Deep - O Mar é nosso túmulo (1958) •  Band of Angels - Meu pecado foi nascer (1957) •  The King and Four Queens - Este Homem é Meu (1956) •  The Tall Men - Nas Garras da Ambição (1955) •  Soldier of Fortune - O Aventureiro de Hong Kong (1955) •  Betrayed - Atraiçoado (1954) •  Mogambo (1953) •  Never Let Me Go - Nunca me deixes ir (1953) •  Lone Star - A Estrela Solitária (1952) •  Across the Wide Missouri - Assim são os fortes (1951) •  To Please a Lady - Agora Sou tua (1950) •  Key to the City - Mulher, A Quanto me Obrigas! (1950) •  Any Number Can Play - Quando morre uma ilusão (1949) •  Command Decision - Trágica decisão (1948) •  Homecoming - O Amor que me deste (1948) •  The Hucksters - O mercador de ilusões (1947) •  Adventure - Aventura (1945) •  Somewhere I'll Find You - Ainda serás minha (1942) •  Honky Tonk - Quero-te como és (1941) •  They Met in Bombay - Uma Aventura no Oriente (1941) •  Comrade X - Inimigo X (1940) •  Boom Town - Fruto Proibido (1940) DOWNLOAD •  Strange Cargo - Almas rebeldes (1940) DOWNLOAD • Gone with the Wind - E o Vento Levou (1939) DOWNLOAD •  Idiot's Delight - Este Mundo Louco (1939) DOWNLOAD •  Too Hot to Handle- Sob o céu dos trópicos (1938) DOWNLOAD •  Test Pilot - Piloto de Provas (1938) DOWNLOAD •  Saratoga (1937) DOWNLOAD •  Parnell - O Rei sem Coroa (1937) DOWNLOAD •  Love on the Run - Do amor ninguém foge (1936) DOWNLOAD •  Cain and Mabel - Caim e Mabel (1936) DOWNLOAD •  San Francisco - São Francisco, Cidade do Pecado (1936) DOWNLOAD •  Wife vs. Secretary - Ciúmes (1936) DOWNLOAD •  Mutiny on the Bounty - O Grande Motim (1935) DOWNLOAD •  China Seas - Mares da China (1935) DOWNLOAD •  The Call of the Wild - O Grito das Selvas (1935) DOWNLOAD •  After Office Hours - Tudo Pode Acontecer (1935) DOWNLOAD •  Forsaking All Others - Quando o diabo atiça (1934) DOWNLOAD •  Chained - Acorrentada  (1934) DOWNLOAD •  Manhattan Melodrama - Vencido pela Lei (1934) DOWNLOAD •  Men in White - Alma de Médico (1934) DOWNLOAD •  It Happened One Night - Aconteceu Aquela Noite (1934) DOWNLOAD •  Dancing Lady - Amor de dançarina (1933) DOWNLOAD •  Night Flight - Asas da Noite (1933) DOWNLOAD •  Hold Your Man - Amar e Ser Amada (1933) DOWNLOAD •  The White Sister - A Irmã branca (1933) DOWNLOAD •  Strange Interlude - Mentiras da vida (1932) DOWNLOAD •  No Man of Her Own - Casar por Azar (1932) DOWNLOAD •  Red Dust - Terra de Paixões (1932) DOWNLOAD •  Polly of the Circus - A Atriz de Circo (1932) DOWNLOAD •  Possessed - Possuída (1931) DOWNLOAD •  The Front Page (1931) DOWNLOAD •  Susan Lenox (1931) DOWNLOAD •  Sporting Blood - Lealdade (1931) •  Night Nurse - Triunfos de Mulher (1931) DOWNLOAD •  A Free Soul - Uma Alma Livre (1931) DOWNLOAD •  Laughing Sinners - Almas pecadoras (1931) DOWNLOAD •  The Secret Six - A Guarda Secreta (1931) DOWNLOAD •  The Finger Points - Vendido (1931) DOWNLOAD •  Dance, Fools, Dance - Quando o mundo dança (1931) DOWNLOAD •  The Easiest Way - Tentação de Luxo (1931) DOWNLOAD •  The Painted Desert - O Deserto Pintado (1931) DOWNLOAD • The Johnstown Flood - A Inundação (1926) •  North Star - A Estrela do Norte (1925) •  The Plastic Age - Dias de Colegial (1925) DOWNLOAD •  The Merry Kiddo - A Viúva Alegre •  Forbidden Paradise - Paraíso Proibido (1924) DOWNLOAD   Mais 13 escândalos que abalaram a Babilônia da celulóide A Vida e os amores de Clark Gable 10 Melhores Musicais de Judy Garland E O Vento Levou de A a Z 10 Filmes de astros que morreram durante as filmagens Melhores beijos, segundo o The Sun 11 Curiosidades sobre os artistas clássicos Grace Kelly: Um vulcão coberto de neve Clark Gable de A a Z Clark Gable: curiosidades Filha bastarda de Clark Gable?   Prêmios Oscar por Aconteceu Aquela noite (1934) 1958 Laurel Awards Um Amor de Professora (melhor ator comédia) 2001 - ''Golden Boot Awards' (prêmio centenário(póstumo))   Imagens   Vídeos   OMHQdBCauOo   480Cwzo0-Hg
| 16503 ace
Título Original: The Taming Of The Shrew Ano/País/Gênero/Duração: 1929 / EUA / Comédia / 63min Direção: Sam Taylor Produção: Mary Pickford Roteiro: Sam Taylor e William Shakespeare Fotografia: Karl Struss Música: Hugo Riesenfeld Elenco Mary Pickford ... Katherine Douglas Fairbanks ... Petruchio Edwin Maxwell ... Baptista Joseph Cawthorn ... Gremio Clyde Cook ... Grumio Geoffrey Wardwell ... Hortensio Dorothy Jordan ... Bianca Curiosidades Adaptação da obra de Shakespeare. Minola Baptista, um rico morador de Pádua, é o pai de Catarina e Bianca. Bianca, a mais nova, é romantica e tem muitos pretendentes. Ao passo que Catarina é temperamental, afastando todos ao seu redor. O pai dela não permitirá que Bianca se case, a não ser que a mais velha case antes. Quando Petricuio sabe desta situação, decide tomar a megera Catarina por sua esposa. Curiosidades - Único filme em que Douglas Fairbanks e Mary Pickford, então casados, atuaram juntos. - O filme foi um fracasso. - Refilmado em 1967, trazendo Richard Burton e Elizabeth Taylor nos papéis principais.   Assista Online         Imagens
| 16502 ace
É preciso ter dúvidas. Só os estúpidos têm uma confiança absoluta em si mesmos. Qualquer carreira no mundo artístico é uma montanha-russa, e muitos sucessos resultam da combinação de várias circunstâncias felizes. Mas deve existir algo mais também. É impossível fazer um bom filme sem uma câmera que seja como um olho no coração de um poeta Com relação aos meus filmes, creio que não se baseiam tanto na procura como numa pesquisa . Se estivermos procurando por algo, o labirinto é o local mais adequado para a investigação." Não devemos ser malcriados, devemos ser umas pestes. Muitas pessoas são bastante educadas para não falar com a boca cheia, porém não se preocupam em fazê-lo com a cabeça oca. Se não fosse as mulheres, o homem ainda estaria agachado em uma caverna comendo carne crua. Nós só construímos a civilização com fim de impressionar nossas namoradas. A única coisa verdadeira é o sonho. Comecei em cima e trabalhei duro até chegar embaixo. A incompetência deixa-me completamente fora de mim. Nunca repito nada e quero tudo para ontem. É preciso ter dúvidas. Só os estúpidos têm uma confiança absoluta em si mesmos. Qualquer carreira no mundo artístico é uma montanha-russa, e muitos sucessos resultam da combinação de várias circunstâncias felizes. Mas deve existir algo mais também. Nós nascemos sozinhos, vivemos sozinhos e morremos sozinhos. Somente através do amor e das amizades é que podemos criar a ilusão, durante um momento, de que não estamos sozinhos. Mesmo quando não havia nenhuma esperança, sempre procurei dar o melhor de mim. Quando os deuses querem nos punir, eles atendem nossas orações. Eu odeio a televisão. Eu odeio tanto quanto odeio amendoins. Mas eu não consigo parar de comer amendoins. O que o alho é para a comida, a insanidade é para a arte. Verdadeiras ou falsas, nossas obras estão condenadas a desaparecer. Que significa, então, o nome do autor? Eu sou uma figura sombria. Sou um experimentalista por natureza. Não acredito muito em proezas. Tive Hollywood na palma da minha mão e na minha garupa. Eu não proibiria nada. Sou bastante contrário à censura de qualquer tipo. Trabalho demais e vivo muito perigosamente para que minha vida seja agradável. Considero as mulheres a coisa mais importante do mundo, mas não tenho a menor idéia do que é importante para uma mulher. Nunca pretendi entender as mulheres. Um filme não é nunca um relatório sobre a vida. Um filme é um sonho. Um sonho pode ser vulgar e informe; é talvez um pesadelo. Mas um sonho não é nunca uma mentira. pub-3749661759678929
| 16489 ace
Nome: Vivian Mary Hartley Nascimento e local: 05/11/1913, India (filha de ingleses) Morte: 08/07/1967, Londres, Tuberculose Ocupação: atriz Nacionalidade: Inglesa Casamentos: Herbert Leigh Holman e Laurence Olivier Filha: Suzanne Biografia Vivian Mary Hartley nasceu em 1913, na Índia. Após casar-se e ter sua filha, Vivian foi estudar na Royal Academy of Dramatic Arts, conseguindo pouco tempo depois algumas pontas em filmes. Foi então que mudou seu nome de Vivian para Vivien, acrescentando o sobrenome do marido, Leigh. “Look up and laugh” de 1935 foi um dos seus primeiros filmes. Sua voz fina e seu rosto rechonchudo levavam a crer que não teria muito futuro, mas ela seguiu no teatro, e fez um enorme sucesso com “The mask of Virtue”, chamando a atenção do ator Laurence Olivier. Em 1937 estrelaria seu primeiro filme ao lado de Olivier, “Fogo sobre a Inglaterra”. Em “Tempestade num copo dágua”, ao lado de Rex Harrison, ela provou que podia fazer comédias. No mesmo ano ela faria sucesso ao lado de Charles Laughton, como uma artista de rua em “St. Martin’s Lane”. Já nos Estados Unidos, foi escolhida para fazer a heroína sulista Scarlett O’Hara de E o vento Levou. Com o filme ganhou o seu primeiro Oscar. Sua carreira seguiu-se com grandes sucessos como “Um bonde chamado desejo”, que lhe rendeu o seu 2º Oscar. Seu último papel no cinema foi em 1964 no filme “A nau dos Insensatos”. Morreu de tuberculose, em 1967, aos 53 anos. Filmes Ship of Fools - A Nau dos Insensatos (1965) The Roman Spring of Mrs. Stone - Em Roma na Primavera (1961) The Deep Blue Sea - Profundo como o Mar (1955) A Streetcar Named Desire - Um Bonde Chamado Desejo (1951) Anna Karenina (1948) Caesar and Cleopatra - César e Cleópatra (1945) That Hamilton Woman - Lady Hamilton, a Divina Dama (1941) Waterloo Bridge - A Ponte de Waterloo (1940) 21 Days - Três semanas de loucura (1940) Gone with the Wind - E o Vento Levou (1939) Sidewalks of London (1938) A Yank at Oxford - Um ianque em Oxford (1938) Storm in a Teacup - Tempestade em copo d'água (1937) Dark Journey (1937) Fire Over England - Fogo sobre a Inglaterra (1937) The Village Squire (1935) Gentlemen's Agreement (1935) Things Are Looking Up (1935) Look Up and Laugh (1935)   Mais Sobre Blanche Dubois, Um Bonde Chamando Desejo Vivien Leigh - Scarlett e Muito Mais... Vivien Leigh, a Atriz que se Entregava à Personagem       Prêmios 1952 Venceu Oscar Melhor Atriz: A Streetcar Named Desire (1951) 1940 Venceu Oscar Melhor Atriz: Gone with the Wind (1939) 1952 Concorreu Golden Globe Melhor Atriz: A Streetcar Named Desire (1951)   Galeria (Clique para ver)
| 16449 ace
10 - A Reconquista (2000 ) Conta com John Travolta no elenco. No ano 3000, a Terra, é denominada pelos psychlos, uma espécie de alienígena. O filme teria uma continuação, mas devido ao fracasso, não teve. O diretor do longa Roger Christian, nunca mais trabalhou para um grande estúdio. Orçamento : US$ 70 milhões Bilheteria : US$ 21,5 milhões Perda : 71 % 9- Planeta do Tesouro ( 2002 ) Versão em animação do romance "A Ilha do Tesouro" do século 19. Jim Hawkins, é um adolescente que descobre um mapa de um tesouro, escondido tempos atrás por um pirata intergalactico. A Bilheteria, nem foi tão ruim, mais comparando com seus gastos absurdos, foi uma grande perda, afinal apenas para divulgar o filme foram gastos US$ 40 milhões. O filme acabou com a carreira do diretor Ron Clements ( o mesmo de " A pequena Sereia" e " Alladin" ). Orçamento : US$ 140 milhões Bilheteria : US$ 37 milhões Perda :US$ 73% 8- Hudson Hawk, O Falcão está a solta ( 1991 ) Após Duro de Matar 1, que tinha rendido US$ 277 milhões, Bruce Willis escreveu um roteiro, e resolveu "produzir" o filme, que é cheio de cenas eletrizantes e onde o bandido engenhoso e certinho, que paga o pedágio com moedas, isso tudo depois de uma cena eletrizante. O filme foi um verdadeiro fracasso, não afetou a vida de Bruce Willis, que nunca mais, escreveu um roteiro. O diretor do longa Michael Lehmann, hoje apenas dirige séries de tv. Orçamento : US$ 65 milhões Bilheteria : US$ 17 milhões Perda : US$ 74% 7 - 3000 milhas para o Inferno ( 2001 ) Um bando resolve rouba o cassino Rivera em Las Vegas, aproveitando uma convenção de Elvis Presley. O, filme que tenta ser no estilo de Tarantino, com alguma comédia, ação e muito sangue, mas não se deu bem. Foi dirigido ( e produzido ) pelo inexperiente Demian Lichtenstein teve também as interferidas de Kevin Costner e Kurt Russell (!!!!!!), que também atuaram no longa, que por si só já era um prenuncio de fracasso. Orçamento : US$ 62 milhões Bilheteria : US$ 15,7 milhões Perda : US$ 75% 6 - O Resgate do Titanic (1980 ) Historiadores americanos tentam chegar ao navio Titanic, e querem tirar um minério de lá, que é necessário para o Governo. Para o filme, foi construído um modelo idêntico ao Titanic original, que foi gasto US$ 350 mil dólares, mais houve um problema, é réplica era grande demais para o tanque onde iriam filmar. O que o diretor resolveu fazer ? Bem, isso foi simples, ele mandou construirem um outro tanque maior, que foi um verdadeiro arrombo no orçamento, que custou US$ 6 milhões. O longa tinha bons atores veteranos da época, como Jason Robards e Alec Guiness, que não garantiu sucesso algum. Orçamento : US$ 36 milhões Bilheteria : US$ 7 milhões Perda : US$ 81% 5 - A Ilha da Garganta Cortada ( 1995 ) Esse já constou no Guiness Book como o maior fracasso em números absolutos. Tanto que levou á falência a produtora Carolco Pictures. Dá uma olhada no povo que não quis fazer: Michael Douglas, Keanu Reaves, Liam Neeson, Jeff Bridges, Ralph Fiennes, Charlie Sheen e Michael Keaton , recusaram o papel protagonista, que acabou com o Mattew Modine. O filme, acabou com a carreira de Geena Davis, que depois desse só fez o longa Despertar de um Pesadelo, também dirigido pela marido da atriz. Hoje, o diretor não é mais casado com a atriz, e ainda é diretor e produtor, mais só faz filmes pequenos de baixo orçamento. Orçamento : US$ 92 milhões Bilheteria : US$ 11 milhões Perda : US$ 88% 4- Ricos, Bonitos e Infiéis ( 2001 ) Filme que mostra casais em crise e conta com um elenco de feras, como Waren Beattly, Goldie Hawn, Andie MacDowell, Charlton Heston e Natasia Kinski, mas acabou se tornando um fracasso para a produtora. O filme demorou 3 anos para ser concluído. O diretor Peter Chelson, até deu a volta por cima, e fez os bem sucedidos : Escrito nas Estrelas (2001) e Dança Comigo (2004). Orçamento : US$ 90 milhões Bilheteria : US$ 6,7 milhões Perda : US$ 92% 3- Monkeybone - No Limite da Imaginação (2001) Esse plágio de Os Fantasmas se divertem e Mundo Proibido, não agradou o público, mais arrancou alguns elogios de críticos de cinema. O filme que mistura realidade com animação. O orçamento do filme, foi todo gasto com as animações. Mas o filme, poderia ter sido um sucesso, se não tivesse sido tachado de filme infantil, pois boa parte das sacadas do filme, são para adultos. Foi o último longa do diretor Henry Selic, que hoje em dia só comanda animações, foi responsável pelos efeitos visuais do filme "A Vida Aquática" de Steve Zissou de 2004. Orçamento : US$ 75 milhões Bilheteria : US$ 5,4 milhões Perda : US$ 93% 2- Pluto Nash ( 2002 ) Roteiro ruim, mas ótimos efeitos especiais que acabaram custando caro: US$ 100 milhões. Péssimas piadas e a crítica bombardeando. Resultado: geladeira durante 2 anos e fiasco total. Orçamento : US$ 100 milhões Bilheteria : US$ 4,4 milhões Perda : US$ 96% 1 - O Portal do Paraíso ( 1980 ) Logo no começo das filmagens o diretor, achou o espaçamento entre as casas cinematográficas muito estreito e como solução, mandou reconstruir tudo de novo, para ganhar uns centímetros a mais, e com isso foram gastos milhões. Pessoas eram demitidas a toda hora, ou seja, dinheiro voando a torto e a direita. Com isso, não deu outra o filme que estava orçado em US$ 2 milhões pulou para US$ 44 milhões ( US$ 111 milhões em valores de hoje ). No final, as 4h30min do filme foram reduzidas para 3h30min e quando foi lançado, foi um verdadeiro fiasco, as salas do cinema ficaram totalmente vazias. A produtora United Artists, depois disso, faliu. Cimino, depois desse fiasco ainda fez 5 longas, todos com orçamento baixo e claro nenhum vingou. Há quase 10 anos, Cimino não pisa em um Set de Filmagem. Orçamento : US$ 44 milhões Bilheteria : US$ 1,5 milhões Perda : US$ 97%
| 16449 ace
Título original: East Of Eden Ano/País/Gênero/Duração: 1955 / EUA / Drama / 115min Direção: Elia Kazan Produção: Elia Kazan Roteiro: Paul Osborn Fotografia: Ted D. McCord Música: Leonard Rosenman Elenco Julie Harris ... Abra James Dean ... Caleb 'Cal' Trask Raymond Massey Adam Trask Burl Ives ... Sam the Sheriff Richard Davalos Aron Trask Jo Van Fleet ... Kate Albert Dekker ... Will Hamilton Lois Smith ... Anne Harold Gordon ... Gustav Albrecht Nick Dennis ... Rantani Sinopse Cal (James Dean) sai de sua cidade, Salinas, e descobre que sua mãe não morrera em seu parto, como lhe dissera seu pai, Adam (Raymond Massey), um homem correto e que criara os filhos conforme os preceitos bíblicos. Cal passa a acreditar que sua maldade foi passada por sua mãe, Kate (Jo Van Fleet), que vive em Monterrey e é cafetina em um bar. Ao contrário dele, seu irmão gêmeo Aron (Richard Davalos) é o preferido do pai, e está noivo da doce Abra (julie Harris). Cal tenta, de sua maneira, chamar sempre a atenção do pai, que lhe despreza ao passo que apóia o filho Aron, por acha-lo um homem justo e correto. Com a chegada da guerra, Adam, que investira erroneamente, perde toda sua colheita e Cal investe em feijões, que foi valorizado com a guerra. Cal oferece todo o dinheiro ganho ao seu pai, que mais uma vez o rejeita, causando no filho uma revolta que o leva a se vingar de seu irmão. Curiosidades: - O filme foi baseado nos últimos capítulos do romance A Leste do Eden, de John Steinbeck. - Este foi o único filme que James Dean viu estrear. Morto prematuramente aos 24 anos, não chegou a ver as estréias de seus dois filmes seguintes, que o alçaram a posição de astro. Prêmios Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Jo Van Fleet). Indicação ao Oscar de Melhor Ator (James Dean), Diretor (Elia Kazan), Roteiro. Globo de Ouro de Melhor Filme – Drama. Festival de Cannes – Melhor Filme. Assista Online Imagens
| 16425 ace
    Ficha     Nome: Greta Lovisa Gustafsson Nascimento e local: 18/09/1905, Smaland, Suécia Morte e local: 15/04/1990, Nova York, EUA, pneumonia Ocupação: atriz Nacionalidade: Sueca Namoros: Mauritz Stiller, John Gilbert, Leopold Stokowsky, Rouben Mamoulien, Mercedes de Acost, Lilyan Tashman, Fifi D'Orsay, George Schlee Filhos: não Biografia   Greta Garbo nasceu em setembro de 1905, em Estocolmo na Suécia. Teve uma infância tremedamente infeliz, com um pai alcoólatra e uma mãe infeliz. Fez cursos de teatro, que pagava com o salário da loja de roupas onde trabalhava. Iniciou a carreira fazendo uma série comerciais. Em 1924 foi escalada por Mauritz Stiller (diretor finlandês) para fazer Gösta Berling’s Saga. No ano seguinte mudou-se para Hollywood, foi contratada pela MGM e fez ainda 10 filmes mudos, em Hollywood, antes de estrear no cinema falado. Seu primeiro filme falado foi “Anna Christie, rodado em 1930. Ela ainda fez clássicos como “Mata hari” (1932), “Rainha Christina” (1933), “The painted veil” (1934), “Anna Karenina” (1935), “Ninotchka (1939) e “Two faced woman” (1941). Definitivamente, o filme que mais lhe marcou a carreira foi “A dama das camélias”, de 1937, em cenas marcantes como a que morria de tuberculose. Perfazendo um total de 27 filmes. Garbo construiu uma imagem marcante, em parte ajudada por seu iluminador William Daniels, que sabia enquadrar a luz de forma que seus traços angulosos (quase masculinos) ficassem em destaque. Para os homens, essa mistura de mulher forte e olhos azuis penetrantes dava-lhe um ar de mistério. Bissexual, teve muitos amantes, numa lista que inclui provalvemente, Aristóteles Onassis, Cecil B. Mille, Mimi Pollak. Mas na verdade, Greta era uma mulher delicada e tímida. Além disso, não gostava da fama. Abandonou o cinema em 1942 e tentou viver anonimamente, adotando, inclusive um novo nome: Harriet Brown. Em parte conseguiu isso, mas nunca foi esquecida. Filmes     Two-Faced Woman - Duas Vezes meu (1941) Ninotchka (1939) DOWNLOAD Conquest - Marie Walewsca (1937) Camille - A dama das camélias (1936) Anna Karenina (1935) The Painted Veil - O Despertar de uma paixão (1934) Queen Christina - Rainha Cristina (1933) As You Desire Me - Como me queres (1932) Grand Hotel - Grande Hotel (1932) Mata Hari (1931) Susan Lenox (1931) Anna Christie (1931) Inspiration (1931) Romance (1930) Anna Christie (1930) The Kiss - O Beijo (1929) The Single Standard - Uma mulher singular (1929) Wild Orchids - Orquídeas silvestres (1929) A Woman of Affairs - Mulher de Brio (1928) The Mysterious Lady - A Dama misteriosa (1928) Love (1927) Flesh and the Devil - A carne e o diabo (1926) The Temptress - Terra de Todos (1926) Torrent - Os Proscritos (1926) The Saga of Gosta Berling - A lenda de Gosta Berling (1924)   Mais Como Cary Grant Conheceu Greta Garbo... Greta Garbo - Grandes Nomes (ASSISTA ONLINE) Greta Garbo - Documentário sobre sua vida (ASSISTA ONLINE)     Prêmios Indicações ao Oscar 1955 – Honorário por suas performances. 1940 - Melhor Atriz por Ninotchka (1939) 1938 Melhor Atriz por Camille (1936) 1930 Melhor Atriz por Anna Christie (1930) 1930 - Melhor Atriz por Romance (1930)   Imagens     Vídeos _8Rvqm5XR7E     W44y_HbT9ys
| 16359 ace
Título Original: The Tramp Ano/País/Gênero/Duração: 1915 / EUA / Comédia / 33min Direção: Charles Chaplin Produção: Jess Robbins Roteiro: Charles Chaplin Fotografia: Harry Ensign Elenco Charles Chaplin ...     Tramp Edna Purviance ...     Farmer's Daughter Ernest Van Pelt    ...     Farmer Paddy McGuire    ...     Farmhand Lloyd Bacon ...     Edna's Fiancé / Second Thief Leo White    ...     First Thief Bud Jamison    ...     Third Thief Billy Armstrong    ...     Minister Sinopse: Chaplin salva uma moça (Edna), que está sendo assaltada numa estrada, e acaba se apaixonando por ela. Agradecida, ela o leva para o sítio onde mora e o convida a morar lá. Ele acaba ajudando no sítio e o salva de um novo assalto. Quando ele pensa que finalmente terá o amor de Edna, surpreende-se com o fato dela se apaixonar por outro. Carlitos, magoado, escreve uma carta e se despede da moça. Curiosidades Considerado o primeiro clássico da obra chapliniana. A estrada surge como elemento final da caminhada do vagabundo (que ele utilizaria desse filme para frente como o final preferido). Aqui, pela primeira vez, rimos e sentimos pena do vagabundo.       Assista Online F-Y45rcGX3s   Canal: http://www.youtube.com/channel/UCiNxWoOJDqZAzp1yhGg8nJg         Download: Este filme é de  domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria. Sem Legendas   Imagens  
| 16342 ace
117. Gene Kelly
FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha   Nome:  Eugene Curran Kelly Nascimento e local: 23/08/1912, Pittsburgh, PA Morte e local: 02/02/1996, Beverly Hills, CA, AVC Ocupação: ator, dançarino, cantor, diretor, produtor e coreógrafo Nacionalidade: Americano Casamentos: Betsy Blair, Jeanne Coyne e Patricia Ward Filhos: Kerry, Bridget, Tim Biografia   Ator, diretor, cantor e um dos dois maiores coreógrafos que o mundo das artes já conheceu. Nasceu em 1912 em Pittsburgh, tendo estudado Economia antes de começar a dançar em 1937, com seu irmão Fred. Em 1937 ele estreava na Broadway com a peça “Leave It To me”. Poucos anos depois foi visto pelo produtor David O. Selzinick, e convidado a estrelar um musical ao lado de Judy Garland. Foi em 1942, no filme “For me and my gal”. Em seguida vieram sucessos como Pilot n. 5, Du Barry Was a Lady e Thousands Cheer. Em 1945 Gene recebeu sua primeira indicação ao Oscar de melhor ator, por seu papel em Marujos do Amor,  Ziegfeld Follies, Living in a Big Way, Pirate, Três Mosqueteiros, Summer Stock, e outros. Em 1951, uniu-se a Vincent Minelli para fazer Sinfonia de Paris, um filme “desenhado” nos mínimos detalhes, e que acabou levando 7 Oscars no ano. Gene ganhou um prêmio especial por sua versatilidade como ator, cantor e dançarino. Seu maior sucesso sem dúvida alguma é Singin in the rain, a história baseada na passagem do cinema mudo para o falado, com altas doses de comédia e romance. A imagem do cantor sapateando no meio da chuva é sem dúvida alguma uma das mais famosas da história do cinema. Depois do sucesso estrondoso de Singin in the rain, Gene mudou-se para a Alemanha e depois para a Inglaterra. Quando voltou aos Estados Unidos sua carreira já não era a mesma: fez alguns filmes como Brigadoon, dirigiu It’s always fair weather e também The Happy Road. Em 1957 foi dispensado pela MGM, que não tinha mais planos de fazer musicais. Suas aparições nas telas ficariam cada vez mais escassas, mesmo dirigindo ou atuando em alguns filmes. 1980 trouxe seu último filme, Xanadu, ao lado de Olívia Newton John. Dentre as estrelas e astros que dançaram com ele estão Cyd Charisse, Judy Garland, Rita Hayworth, The Nicholas Brothers, Frank Sinatra, Natalie Wood, Fred Astaire, Debbie Reynolds, Vera Ellen e Donald O’Connor. Na década de 90 chegou a ser consultor de dança da cantora Madonna, em sua turnê Girl Show. Filmes That's Entertainment, Part II (1976) The Cheyenne Social Club (1970) Hello, Dolly! - Alô Dolly (1969) A Guide for the Married Man - Diário de um Homem casado (1967) Gigot (1962) The Tunnel of Love - Túnel do Amor (1958) The Happy Road - Todos a Paris (1957) Invitation to the Dance - Convite para Dançar (1956) It's Always Fair Weather - Dançando nas nuvens (1955) Singin' in the Rain - Cantando na Chuva (1952) On the Town - Um dia em Nova York (8-Dec-1949) Filmes como ator That's Entertainment! III (1994) North and South (1985) That's Dancing! (1985) Xanadu (1980) Viva Knievel! (1977) That's Entertainment, Part II (1976) That's Entertainment I (1974) 40 Carats - 40 quilates (1973) The Young Girls of Rochefort - Duas Garotas românticas (1967) What a Way to Go! - A senhora e seus três maridos (1964) Home From the Hill - A casa da colina (1960) Inherit the Wind - O vento será tua herança (1960) Marjorie Morningstar - Até o último alento (1958) Les Girls (1957) Invitation to the Dance - Convite para Dançar (1956) It's Always Fair Weather - Dançando nas nuvens (1955) Deep in My Heart - Para sempre em meu coração (1954) Brigadoon - A lenda dos beijos perdidos (1954) Singin' in the Rain - Cantando na Chuva (1952) An American in Paris - Sinfonia em Paris (1951) Summer Stock- Casa, comida e carinho (1950) Black Hand - A mão negra (1950) On the Town - Um dia em Nova York (8-Dec-1949) Take Me Out to the Ball Game - A bela ditadora (1949) Words and Music - Minha vida é uma canção (1948) The Three Musketeers - Os três mosqueteiros (1948) The Pirate - O Pirata (1948) Living in a Big Way - Vida à larga (1947) Ziegfeld Follies (1946) Anchors Aweigh - Marujos do amor (1945) Christmas Holiday - Férias de Natal (1944) Cover Girl - Modelos  (1944) The Cross of Lorraine - A Cruz de Lorena (1943) Thousands Cheer (1943) Du Barry Was a Lady - Du Barry era um pedaço (1943) For Me and My Gal - Idílio em Do re mi (1942)   Mais 10 danças com Fred Astaire 10 Melhores Musicais de Judy Garland 10 Melhores Filmes de Gene Kelly As 50 maiores lendas do cinema, segundo a AFI Get Happy e Mr. Monotony Os 10 Melhores parceiros de Gene Kelly   Prêmios   Ganhou um Oscar Honorário da Academia de Artes (1952) Indicado ao Oscar de Melhor ator por Marujos do amor (1945) Ganhou o prêmio Cecil B. DeMille do Globo de OUro (1981) Indicado ao Globo de Ouro de Melhor diretor por Alô Dolly (1969). Indicado ao Globo de Ouro de Melhor ator por Sinfonia de Paris (1951)   Imagens Vídeos   rmCpOKtN8ME   p3YWWfnWBJM   NOsCYEGHnME   12qoDtocOP0
| 16315 ace
Título Original: The Prince and the Pauper Ano/País/Gênero/Duração: 1937 / EUA / 118min Direção: William Keighley e William Dieterle Produção: Robert Lord, Hal B. Wallis, Jack L. Warner Roteiro: Laird Doyle Fotografia: Sol Polito Música: Erich Wolfgang Korngold Elenco Errol Flynn ...     Miles Hendon Claude Rains    ...     Earl of Hertford Henry Stephenson    ...     Duke of Norfolk Barton MacLane    ...     John Canty Billy Mauch    ...     Tom Canty Robert J. Mauch    ...     Prince Edward Alan Hale    ...     Captain of the Guard Eric Portman    ...     First Lord Lionel Pape    ...     Second Lord Leonard Willey    ...     Third Lord Murray Kinnell    ...     Hugo Halliwell Hobbes    ...     Archbishop Phyllis Barry    ...     Barmaid Ivan F. Simpson    ...     Clemens Montagu Love    ...     Henry VIII Sinopse Tom Canty (Billy Mauch) é um mendigo que ao brincar com o príncipe herdeiro percebe suas semelhanças. Os dois decidem trocarem de roupas e de vidas durante algum tempo, passando por várias experiências. Curiosidades - Freddie Bartholomew foi inicialmente considerado para o papel central dupla. Em vez disso, os gêmeos da vida real Billy Mauch e Robert J. Mauch foram contratados. - A cena da coroação levou sete dias para ser finalizada. ASSISTA ONLINE:   Imagens
| 16257 ace
Ficha Título original: Judgment at Nuremberg Ano/País/Gênero/Duração:1961/EUA/Drama/186min Produção e direção: Stanley Kramer Assistente de direção: Philip Langner Direção de arte: Rudolph Sternad, George Milo Fotografia: Ernest Laszlo Música: Ernest Gold Elenco Spencer Tracy (Juiz Dan Haywood) Burt Lancaster - Ernst Janning Richard Widmark - Colonel Tad Lawson Marlene Dietrich - Madame Bertholt Maximilian Schell - Hans Rolfe Judy Garland - Irene Hoffman Wallner Montgomery Clift - Rudolph Petersen Ed Binns - Senator Burkette Werner Klemperer - Emil Hahn Torben Meyer - Werner Lammpe Martin Brandt - Friedrich Hofstetter William Shatner - Capt.Harrison Byers Kenneth MacKenna - Judge Kenneth Norris Alan Baxter - Brig. Gen. Matt Merrin Ray Teal - Judge Curtiss Ives Virginia Christine - Mrs. Halbestadt   Sinopse O filme retrata o ano de 1948, quando o juiz americano Dan Haywood terá que julgar quatro juízes por crimes cometidos durante o nazismo. Ouvindo testemunhas do caso, como Rudoph Petersen (Montgomery Clift), que foi esterilizado por ser considerado uma pessoa mentalmente incapaz; Irene Hoffman (Judy Garland), testemunha de um caso anterior, em que seu amigo e mentor judeu foi condenado a morte, por supostamente ter tido relações sexuais com a própria. O advogado de defesa, Has Rolfe (Maximilian Schell) retruca cada uma delas com uma defesa brilhante, calcada na lógica dos acontecimentos. Para ele, a condenação dos juízes seria uma injustiça, pois os mesmos somente cumpriam o que a lei determinasse, e traidor seria aquele que naquele momento, fugiria às suas obrigações com o povo alemão. Tad Lawson (Richard Widmark), o advogado de acusação, basea-se na emoção que os efeitos do nazismo traziam para o mundo: mostra cenas de um filme (reais), chama a atenção para as atrocidades cometidas não a um povo, mas ao mundo, relata que cada um deverá responder por seus atos. Uma situação difícil para o juiz Haywood, que fez amizade com Madame Bertholt (Marlene Dietrich), uma viúva de um condenado. Curiosidades * Originalmente a história tinha sido apresentada em 1959, na forma de novela, interpretada por Claude Rains e Paul Lukas. * O diretor conseguiu reunir um time de atores para fazerem participações no filme, dentre os quais o grande Spencer Tracy, Burt Lancaster e Marlene Dietrich. ASSISTA ONLINE   Imagens    
| 16224 ace
Título Original: The Lady Vanishes Ano/País/Gênero/Duração: 1938 / Inglaterra / Suspense / 97min Direção: Alfred Hitchcock Produção: Edward Black Roteiro: Sidney Gilliat, Frank Launder Fotografia: Jack E. Cox Música: Louis Levy e Cecil Milner Elenco Margaret Lockwood - Iris Matilda Henderson Michael Redgrave - Gilbert Redman Paul Lukas - Dr. Hartz de Prague May Whitty - Srta. Fross Cecil Parker - Eric Todhunter Linden Travers - Margaret Todhunter Naunton Wayne - Caldicott Basil Radford - Charters Mary Clare - Baronesa Isabel Nisatona Emile Boreo - Boris Googie Withers - Blanche Sally Stewart – Julie Sinopse Iris (Margaret Lockwood) fica retida em uma cidade, devido à forte nevasca que a assola. Pernoita em uma estalagem, onde conhece uma fovernanta. Tendo combinado de se encontrar com ela no dia seguinte na plataforma de trem, quando lá chega não a encontra. Ela pergunta às pessoas e ninguém nunca ouviu falar da governanta. Iris passa a investigar o caso. Curiosidades – Alfred Hitchcock aparece nas cenas finais, fumando um cigarro. ASSISTA ONLINE:   Imagens
| 16186 ace
Título Original: Un chien andalou Ano/País/Gênero/Duração: 1929 / França / Drama Fantasia / 17min Direção: Luis Buñuel Produção: Luis Buñuel Roteiro:  Luis Buñuel e Salvador Dalí Elenco Simone Mareuil..... Jovem garota Pierre Batcheff .....Homem Sinopse O filme mostra uma sequencia surreal do inconsciente humano, com cenas oníricas e sem aparente ligação, incluindo a de um homem cortando o olho de uma mulher com uma navalha. Curiosidades - Filme de estréia de Luis Buñuel. - Considerado um dos filmes mudos mais chocantes de todos os tempos. - O filme gerou protestos e indignação onde foi exibido. - Buñuel temia tanto a platéia que chegou a levar pedras nos bolsos para se defender. -  Em uma sonorização realizada em 1960 foram incluídas músicas de Wagner, Beethoven e tangos.   Download: Este filme é de  domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria.     Legendas Imagens
| 16165 ace
Nome:  Roger George Moore Nascimento e local: 14/10/1927, Londres, Inglaterra Ocupação: ator Nacionalidade: inglesa Biografia Roger Moore nasceu em 1927 em Londres, e tornou-se mundialmente famoso ao interpretar o lendário agente secreto James Bonde (por sete vezes) Ele assumiu o papel no lugar de Sean Connery. Desde 1991, atua como embaixador do UNICEF, e por suas ações humanitárias foi condecorado, em 1999, Cavaleiro do Império Britânico pela Rainha Elizabeth II, recebendo o título de Sir. Moore havia sido cogitado pelos produtores da série de 007 para encarnar o papel do agente secreto antes de Connery. Contudo, por questões contratuais com uma série de tv, não pôde assumir o papel, adiando sua entrada na série alguns anos. Posteriormente, mesmo sendo mais velho do que Connery, após a saída de cena do actor escocês do universo oficial de Bond - embora este viesse, mais tarde, a regressar em 007 Nunca Diga Nunca Outra Vez/Nunca Mais Outra Vez -, foi o escolhido para o substituir. Roger Moore trouxe à série um tom mais leve e humorístico, embora, por isso mesmo, algumas das suas interpretações ficassem mais marcadas pelos exageros dos anos 70, como em 007 contra o Foguete da Morte ou 007 contra O Homem da Pistola De Ouro . No final da sua participação na série Bond, regressou a horizontes mais sóbrios e ponderados como em 007 contra Octopussy. De fato, em termos gerais, o humor sarcástico, a ironia e a sempre elegante pose marcaram a sua versão de Bond, que foi um grande sucesso de bilheteria. Moore abandonou o papel aos 57 anos, em 1985, com o filme 007 Na Mira Dos Assassinos. Além de 007, Moore ficou famoso também com o papel de Simon Templar na série de tv britânica O Santo, entre 1962 e 1969, e como Brett Sinclair, em The Persuaders, fazendo dupla com Tony Curtis, série da tv norte-americana exibida mundialmente no início dos anos 70, além de vários outros papéis no cinema. Atualmente, Sir Roger Moore se dedica mais à sua carreira de embaixador do UNICEF, usando a enorme fama adquirida durante todos os seus anos de carreira para ajudar de alguma forma aqueles que necessitam. Esta faceta surgiu na sua vida depois do contato que teve, em 1983, durante as filmagens de 007 contra Octopussy, com a extrema pobreza da população indiana. Filmografia 2008 - Agent Crush (voz) 2005 - Here comes Peter Cottontail: The movie 2005 - Folley & McColl: This way up (TV) 2004 - Fly who loved me, The (voz) (curta-metragem) 2003 - Cruzeiro das loucas (Boat trip) 2001 - O inimigo (Enemy, The) 2000 - Victoria Wood with all the trimmings (TV) 1999 - D.R.E.A.M. Team (TV) 1997 - Spice World - O mundo das Spice Girls (SpiceWorld) 1997 - O santo (Saint, The) (voz) 1996 - Desafio mortal (Quest, The) 1995 - O homem que brincava com a morte (Man who wouldn't die, The) (TV) 1992 - Um ilustre desconhecido (Bed & breakfast) 1990 - Ladrão de ladrão (Bullseye!) 1990 - O desafio dos milhões (Feuer, eis & dynamit) 1988 - Magic snowman, The (voz) 1985 - 007 na mira dos assassinos (View to a kill, A) 1984 - A outra face (Naked face, The) 1983 - A maldição da Pantera Cor-de-rosa (Curse of the Pink Panther) 1983 - 007 contra Octopussy (Octopussy) 1981 - Quem não corre, voa (Cannonball run, The) 1981 - 007 - Somente para seus olhos (For your eyes only) 1980 - Amantes sensuais (Sunday lovers) 1980 - Espionagem em Goa (Sea wolves: The last charge of the Calcutta light horse, The) 1980 - Resgate suicida (North sea hijack) 1979 - 007 contra o foguete da morte (Moonraker) 1979 - A volta dos selvagens cães de guerra (Escape to Athena) 1978 - Os selvagens cães de guerra (Wild geese, The) 1977 - 007 - O espião que me amava (Spy who loved me, The) 1976 - Sporting chance 1976 - Sherlock Holmes in New York (TV) 1976 - A batalha da vingança (Shout at the devil) 1976 - A cruz dos executores (Esecutori, Gli) 1975 - That lucky touch 1974 - Gold 1974 - Mission: Monte Carlo 1974 - 007 contra o homem com a pistola de ouro (Man with the golden gun, The) 1973 - Com 007 viva e deixe morrer (Live and let die) 1970 - O homem que não era (Man who haunted himself, The) 1969 - Crossplot 1969 - Vendetta (Vendetta for the Saint) 1967 - Da ficção à realidade (Fiction makers, The) 1962 - Branco di vigliacchi, Un 1961 - Ratto delle Sabine, Il 1961 - Ouro que o destino carrega (Gold of the seven saints) 1961 - Um raio em céu sereno (Sins of Rachel Cade, The) 1959 - O milagre (Miracle, The) 1956 - Diane (1956) 1956 - This happy breed (TV) 1955 - O ladrão do rei (King's thief, The) 1955 - Melodia interrompida (Interrupted melody) 1954 -The Last Time I Saw Paris - A última vez que vi Paris (1954) 1952 - World by the tail (TV) 1951 - One wild oat 1951 - Rica, bonita e solteira (Rich, young and pretty) 1949 - Paper orchid 1949 - Trottie true 1946 - César e Cleópatra (Caesar and Cleopatra) 1946 - Gaiety George 1945 - Perfect Strangers Curiosidades: — Recebeu uma indicação ao Framboesa de Ouro de Pior Ator Coadjuvante, por "Spice World - O Mundo das Spice Girls" (1997). — Roger Moore, Ian Fleming e Sean Connery foram todos agraciados com o título de Sir pela Rainha Elizabeth II, uma grande fã dos livros e filmes do agente 007.
| 16163 ace
Título Original: Modern Times Ano/País/Gênero/Duração: 1936 / EUA / Comédia / 87min Direção: Charles Chaplin Produção: Charles Chaplin Roteiro: Charles Chaplin Fotografia: Rollie Totheroh e Ira Morgan Música: Charles Chaplin, arranjos de Aldred Newman Elenco Charles Chaplin ..............(Trabalhador) Paulette Goddard............ (Ellen Peterson) Henry Bergman ...............(Proprietário da cafeteria) Tiny Sandford.................. (Big Bill) Chester Conklin............... (Mecânico) Hank Mann..................... (Ladrão) Stanley Blystone .............(Pai de Ellen) Al Ernest Garcia ..............(Presidente da Electro Steel Corp.) Cecil Reynolds ................(Ministro) Mira McKinney................ (Esposa do ministro) Murdock McQuarrie .........(J. Widdecombe Billows) Richard Alexander Sinopse Nesse filme não há meio termo, Chaplin realmente quis passar uma mensagem social. Cada cena é trabalhada para que a mensagem chegue verdadeiramente tal qual seja. E nada parece escapar: máquina tomando o lugar dos homens, as facilidades que levam a criminalidade, a escravização. O amor também surge, mas surge quase paternal: o de um vagabundo por uma menina de rua. Um trabalhador de uma fábrica (Chaplin) tem um colapso nervoso por trabalhar de forma quase escrava. É levado para um hospital, e quando retorna para a “vida normal”, para o barulho da cidade, encontra a fábrica já fechada. Vai em busca de outro destino, mas acaba se envolvendo numa confusão: ao ver uma jovem (Paulette) roubar um pão para comer, decide se entregar em seu lugar. Não dá certo, pois uma grã-fina tinha visto o que houve e entrega tudo. A prisão para ele parece ser o melhor local para se viver: tranqüilo, seguro e entre amigos. Mesmo assim, os dois acabam escapando e vão tentar a vida de outra maneira. A amizade que surge entre os dois é bela, porém não os alimenta. Ele tem que arrumar um emprego rapidamente. Consegue um emprego numa outra fábrica, mas logo os operários entram em greve e ele mete-se novamente em perigo. No meio da confusão, encontra uma bandeira (vermelha), que julga ter caído de um caminhão e chama pelo dono, enquanto acena com ela. Um grupo de militantes surge atrás dele, e “junta-se” ao vagabundo. A polícia chega e o toma como líder. Vai preso ao jogar sem querer uma pedra na cabeça de um policial. Paulette consegue trabalho como dançarina num music Hall e emprega seu amigo como garçom. Também não dá certo, e os dois seguem, numa estrada, rumo a mais aventuras. Curiosidades - o título pensado por Chaplin: “The Mass” (As massas). - Ele foi apresentado a Paulette Goddard enquanto escrevia a história, por volta de 1932. Resolveu usa-la no filme, que foi terminado de ser escrito em 1934. - Foram criados, nos seus estúdios, vários cenários, como a fábrica, o porto e o bairro operário. - A estréia foi no Rivoli Theatre, em Nova York. O filme foi considerado comunista, e recebido friamente na América. Além disso, foi proibido em alguns países da Europa, como Itália e Alemanha. - Esta é a última vez em que o vagabundo aparece. - Custo final: 1 milhão e meio de dólares, dos quais 500.000 somente para a construção da máquina que engole Chaplin. - Esse foi o primeiro filme em que ele usou totalmente um sistema de som (embora em City Lights tenha testado). Em Modern Times, o vagabundo permanece mudo, mas as vozes podem ser ouvidas nas cenas em que o chefe da fábrica dá as ordens e na cena de canto, com o próprio Chaplin. - E foi assim que sua voz foi ouvida pela primeira vez na tela: cantando em uma língua criada especialmente por ele. - Chaplin compôs todas as músicas desse filme. - Alguns símbolos do filme: o relógio (tempo é dinheiro), gado (o povo correndo para o abatedouro-trabalho). Assista Online   Imagens
| 16118 ace
FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha     Nome: Harold Clayton Lloyd Nascimento e local: 20/04/1893, Burchard, NE Morte e local: 08/03/1971, Beverly Hills, CA, câncer na próstrata Ocupação: ator Nacionalidade: Americana Casamentos: Mildred Davis Filhos: Gloria e Harold Lloyd Jr. Biografia     Harold Lloyd, juntamente com Charles Chaplin e Buster Keaton forma a tríade do que há de melhor na entre os cômicos produzidos pelo cinema mudo. Seu personagem era um homem elegante, bem vestido, nada patético. Ele era o americano esperto, que conseguia vencer todas as dificuldades. Desde criança Lloydgostava de teatro, tendo trabalhado como ajudante em um. E foi fazendo amizade com os atores que ele entrou para o ramo. Em 1907 ele fazia sua primeira peça, “Tess of the D’Urbevilles”. Estudou arte dramática na Escola de arte dramática de San Diego. Depois de interpretar várias obras, chegou à conclusão que o que ele gostava de fazer mesmo era comédia. eu primeiro filme veio em 1912, ainda como figurante. Em 1914 foi contratado para fazer um personagem que se chamava Willie Work. Depois disso Mack Sennett chegou a contrata-lo, mas o resultado foi tão ruim que ele foi demitido logo em seguida. Ele voltou para o seu emprego anterior e interpretou um personagem que lembrava muito o vagabundo de Chaplin. Mas o sucesso veio mesmo com o almofadinha esperto: Lloyd incorporou os óculos, o chapéu de pallha e o colete alinhado. Nas suas cenas, ele dispensava os dublês e fazia ele mesmo as mais perigosas. Inclusive, durante as filmagens de “Safety Last” (1923) , ele ficou pendurado nos ponterios de um relógio no alto de um prédio (de muitos andares). Além disso já havia perdido um dedo numa cena de explosão de um filme anterior. om o advento do cinema mudo, sua popularidade foi diminuindo e Lloyd acabou por se aposentar. Rico. Muito rico. iveu tranqüilamente até sua morte em 1971. Filmes The Sin of Harold Diddlebock - As trapalhadas do Harold (1947) DOWNLOAD Professor Beware (1938) The Milky Way - Harold tapa olho (1936) DOWNLOAD The Cat's-Paw - As garras do felino (1934) Movie Crazy - O cinemaníaco (1932) DOWNLOAD Feet First - As loucuras de Harold (1930) DOWNLOAD Welcome Danger - Harold Encravado (1929) DOWNLOAD Speedy - O às da velocidade (1928) DOWNLOAD The Kid Brother - O Caçula (1927) DOWNLOAD For Heaven's Sake - Milionário Gaiato (1926) DOWNLOAD Ben-Hur: A Tale of the Christ - Ben-Hur (1925) DOWNLOAD The Freshman - O calouro (1925) DOWNLOAD Hot Water - Sogra fantasma (1924) DOWNLOAD Girl Shy (1924) DOWNLOAD Why Worry? - Engula a pílula (1923) DOWNLOAD Safety Last! - O Homem Mosca (1923) DOWNLOAD Dr. Jack (1922) Grandma's Boy - Harold, neto mimado (1922) DOWNLOAD A Sailor-Made Man (1921) DOWNLOAD Never Weaken (1921) DOWNLOAD I Do - Sim, aceito! (1921) DOWNLOAD Among Those Present (1921) DOWNLOAD Now or Never - Agora... ou nunca (1921) DOWNLOAD Number, Please? (1920) DOWNLOAD Get Out and Get Under (1920) DOWNLOAD High and Dizzy (1920) DOWNLOAD An Eastern Westerner (1920) DOWNLOAD Haunted Spooks (1920) DOWNLOAD His Royal Slyness (1920) DOWNLOAD From Hand to Mouth (1919) DOWNLOAD Captain Kidd's Kids (1919) DOWNLOAD Bumping Into Broadway - Harold na Broadway (1919) DOWNLOAD His Only Father (1919) Pay Your Dues (1919) Count the Votes (1919) Soft Money (1919) He Leads, Others Follow (1919) The Rajah (1919) Be My Wife (1919) Don't Shove (1919) DOWNLOAD Heap Big Chief (1919) Chop Suey & Co. (1919) DOWNLOAD Count Your Change (1919) A Jazzed Honeymoon (1919) DOWNLOAD Never Touched Me (1919) DOWNLOAD At the Old Stage Door (1919) Just Neighbors (1919) DOWNLOAD Billy Blazes, Esq. (1919) DOWNLOAD Spring Fever (1919) DOWNLOAD Off the Trolley (1919) Swat the Crook (1919) Pistols for Breakfast (1919) The Marathon (1919) Before Breakfast (1919/I) Si, Senor (1919) Ring Up the Curtain (1919) DOWNLOAD Crack Your Heels (1919) Young Mr. Jazz (1919) Just Dropped In (1919) A Sammy in Siberia (1919) DOWNLOAD Next Aisle Over (1919) DOWNLOAD The Dutiful Dub (1919) Look Out Below (1919) I'm on My Way (1919) On the Fire (1919) DOWNLOAD Ask Father (1919) DOWNLOAD Going! Going! Gone! (1919) Wanted - $5,000 (1919) She Loves Me Not (1918) Take a Chance (1918) Hear 'Em Rave (1918) Back to the Woods (1918) Nothing But Trouble (1918) Why Pick on Me? (1918) Swing Your Partners (1918) Bees in His Bonnet (1918) Two Scrambled (1918) Bride and Gloom (1918) That's Him (1918) Kicking the Germ Out of Germany (1918) An Ozark Romance (1918) Are Crooks Dishonest? (1918) DOWNLOAD Somewhere in Turkey (1918) Sic 'Em, Towser (1918) The City Slicker (1918) DOWNLOAD Fireman Save My Child (1918) Two-Gun Gussie (1918) DOWNLOAD The Non-Stop Kid (1918) DOWNLOAD Kicked Out (1918) Hey There! (1918) DOWNLOAD It's a Wild Life (1918) Pipe the Whiskers (1918) Follow the Crowd (1918) On the Jump (1918) Let's Go (1918) Here Come the Girls (1918) Look Pleasant, Please (1918) A Gasoline Wedding (1918) Beat It (1918) Hit Him Again (1918) The Lamb (1918) The Tip (1918) The Big Idea (1917) Step Lively (1917) DOWNLOAD Bashful (1917) Move On (1917) We Never Sleep (1917) All Aboard (1917) DOWNLOAD Clubs Are Trump (1917) The Flirt (1917) DOWNLOAD Love, Laughs and Lather (1917) Rainbow Island (1917) From Laramie to London (1917) Bliss (1917) Birds of a Feather (1917) By the Sad Sea Waves (1917) Pinched (1917) Lonesome Luke Loses Patients (1917) Over the Fence (1917) Lonesome Luke's Wild Women (1917) Lonesome Luke, Mechanic (1917) Lonesome Luke, Messenger (1917) Stop! Luke! Listen! (1917) Lonesome Luke, Plumber (1917) Lonesome Luke's Honeymoon (1917) Lonesome Luke on Tin Can Alley (1917) Lonesome Luke's Lively Life (1917) Luke Wins Ye Ladye Faire (1917) Lonesome Luke, Lawyer (1917) Luke's Trolley Troubles (1917) Luke's Busy Day (1917) Luke's Lost Liberty (1917) Lonesome Luke's Lovely Rifle (1917) Luke's Shattered Sleep (1916) Luke Locates the Loot (1916) Luke's Fireworks Fizzle (1916) Luke, Rank Impersonator (1916) Luke's Movie Muddle (1916) Luke's Newsie Knockout (1916) Luke, Patient Provider (1916) Luke, the Gladiator (1916) Luke's Preparedness Preparations (1916) Luke, the Chauffeur (1916) Luke and the Bang-Tails (1916) Luke's Speedy Club Life (1916) Luke and the Mermaids (1916) Luke Joins the Navy (1916) Luke Does the Midway (1916) Luke's Lost Lamb (1916) Luke, Crystal Gazer (1916) Luke Rides Roughshod (1916) Luke's Washful Waiting (1916) Luke's Society Mixup (1916) Luke's Fatal Flivver (1916) Luke Laughs Last (1916) Luke's Late Lunchers (1916) Luke and the Bomb Throwers (1916) Them Was the Happy Days! (1916) Luke's Double (1916)  Lonesome Luke, Circus King (1916) Luke Pipes the Pippins (1916) Luke and the Rural Roughnecks (1916) Luke Foils the Villain (1916) Luke, the Candy Cut-Up (1916) Lonesome Luke Lolls in Luxury (1916) Luke Lugs Luggage (1916) Lonesome Luke Leans to the Literary (1916) Lonesome Luke, Social Gangster (1915) Peculiar Patients' Pranks (1915) Ruses, Rhymes and Roughnecks (1915) A Foozle at the Tee Party (1915) Ragtime Snap Shots (1915) Great While It Lasted (1915) Tinkering with Trouble (1915) A Submarine Pirate (1915) Bughouse Bellhops (1915) Giving Them Fits (1915) The Greater Courage (1915) Fresh from the Farm (1915) Some Baby (1915) A Mixup for Mazie (1915) Terribly Stuck Up (1915) Spit-Ball Sadie (1915) Court House Crooks (1915) The Hungry Actors (1915) Miss Fatty's Seaside Lovers (1915) Their Social Splash (1915) Love, Loot and Crash (1915) Just Nuts (1915) Willie Runs the Park (1915) Hogan's Romance Upset (1915) Beyond His Fondest Hopes (1915) Close-Cropped Clippings (1915) Pete, the Pedal Polisher (1915) The Patchwork Girl of Oz (1914) The Sandhill Lovers (1914) Samson (1914) Sealed Orders (1914) Twixt Love and Fire (1914) Rory o' the Bogs (1913) A Little Hero (1913) His Chum the Baron (1913) Cupid in a Dental Parlor (1913) Hulda of Holland (1913) The Twelfth Juror (1913) The Old Monk's Tale (1913)   Mais Assista online: Comédias Comediantes do cinema mudo... Melhores Comediantes de Todos os tempos Estúdios Keystone   Prêmios Oscar honorário em 1953.   Imagens     Vídeos Zkryy5eru6k   QEcTjhUN_7U   dQmmds1QNFY
| 16088 ace
    Ficha   Nome: Mary Frances Reynolds Nascimento e local: 01/04/1932, El Paso, EUA Ocupação: atriz, cantora e dançarina Nacionalidade: Americana Casamentos: Eddie Fisher, Harry Karl, Richard Hamlett Filhos: Carrie Fisher, Todd Fisher   Biografia     Mary Francês Reynolds nasceu no Texas, em 1 de abril de 1932. Debbie Reynolds começou sua carreira quando ganhou um concurso de beleza aos 16 anos. Em 1948 obteve uma participação no filme June Bride, que foi o seu de estréia.Ela nunca tinha dançado, até que foi escolhida por Gene Kelly para protagonizar ao seu lado "Sing' In the Rain" (1952). O filme se tornou um dos maiores sucessos de todos os tempos e Debbie seguiu fazendo musicais e comédias românticas. 1955 esteve em Armadilha Amorosa, ao lado de Frank Sinatra. A atriz chegou a visitar o Brasil em companhia de Píer Angeli em 1953. Foi casada com Eddie Fisher, com quem teve dois filhos. Dentre eles, a atriz Carrie Fisher, mais conhecida como a Princesa Leia de Stars Wars. Seu segundo marido foi o magnata Harry Karl. Com a decadência de sua carreira, seguiu se apresentando nos palcos.Comprou um cassino em Las Vegas e atualmente junta itens de sua coleção para seu próprio Museu, onde constam artigos de filmes, roupas usadas por outros atores, como Judy Garland e memórias. Foi indicada ao Oscar por seu papel em A Inconquistável Molly Brown.     Filmes   Return to Halloweentown (2006) "Will & Grace" Lolo's Cafe (2006) Halloweentown High (2004) Generation Gap (2002) Halloweentown II: Kalabar's Revenge (2001) These Old Broads (2001) Rugrats in Paris: The Movie - Rugrats II Virtual Mom (2000) A Gift of Love: The Daniel Huffman Story (1999 The Christmas Wish (1998) Halloweentown (1998) Rudolph the Red-Nosed Reindeer: The Movie (1998) Zack and Reba (1998) In & Out (1997) Mother (1996) Heaven & Earth (1993) The Bodyguard (1992) Battling for Baby (1992) Majo no takkyûbin (1989) Perry Mason: The Case of the Musical Murder (1989) Sadie and Son (1987) Charlotte's Web (1973) What's the Matter with Helen? (1971) How Sweet It Is! (1968) Divorce American Style (1967) The Singing Nun - Dominique (1966) Goodbye Charlie (1964) The Unsinkable Molly Brown - A Inconquistável Molly Brown (1964) My Six Loves - Meus seis amores (1963) Mary, Mary (1963) How the West Was Won - A Conquista do Oeste (1962) The Second Time Around (1961) The Pleasure of His Company - O papai playboy (1961) The Rat Race (1960) The Gazebo (1959) It Started with a Kiss (1959) Say One for Me (1959) The Mating Game - Como fisgar um marido (1959) This Happy Feeling - Tudo pelo Teu Amor (1958) Tammy and the Bachelor (1957) Bundle of Joy (1956) The Catered Affair - A Festa de Casamento (1956) The Tender Trap (1955) Hit the Deck (1955) Athena (1954) Susan Slept Here (1954) Give a Girl a Break - Procura-se uma estrela (1953) The Affairs of Dobie Gillis (1953) I Love Melvin (1953) Singin' in the Rain - Cantando na chuva (1952) Mr. Imperium - É proibido amar (1951) Two Weeks with Love (1950) Three Little Words - Três palavrinhas (1950) The Daughter of Rosie O'Grady (1950) June Bride - A Noiva da Primavera (1948)   Mais   Prêmios Indicada ao Oscar por A Inconquistável Molly Brown (1964).   Imagens       Vídeos
| 16047 ace
FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha   Nome:  Frederick Austerlitz, Jr. Nascimento e local: 10/05/1899, Omaha, NE Morte e local: 22/06/1987, Los Angeles, CA, Pneumonia Ocupação: ator, dançarino e cantor Nacionalidade: Americana Casamentos: Phyllis Livingston Potter, Robyn Smith Filhos: Fred, Jr., Ava Biografia   Aos cinco anos Fred já dava seus primeiros passos na dança. Com sete, o pequeno Frederick já dançava na vaudeville com a irmã Adele. Aos poucos ganharam fama no teatro, estreando grandes espetáculos, como “Over the top”. Por volta de 1917 começaram a conquistar a Broadway, com comédias musicais. A carreira dessa dupla acabou quando Adele se casou. Astaire, que amava a dança, continuou e fez um teste para o cinema em 1923. Daí o famoso  resultado do estúdio para sua não aprovação: “não representa. Ligeiramente calvo. Dança um pouco”. Pois é, mas esse “pouco” ele consolidou ao lado de parceiras como Ginger Rogers, que fez com ele mais de dez filmes. Dizem que os dois não se davam bem atrás das telas. Estreou no cinema em 1933 num filme de Robert Z. Leonard. Mas o sucesso só veio mesmo quando se juntou a Ginger, no filme Flying down to Rio. Essa dupla, na década de 30 era das mais espetaculares. Trabalhou também com Rita Hayworth, Judy Garland, Eleanor Powell, Cyd Charisse e Leslie Caron. Era tremendamente perfeccionista, e tinha uma interpretação intuitiva de muitas canções. Filmes que ficaram imortalizadas com sua presença: “Amor de dançarina” (1933), A hora final (1959), O caminho do arco-iris (1968), dentre outros. “Inferno na torre” de 1974 lhe rendeu uma indicação ao Oscar de ator coadjuvante. Mas ele já havia ganho um Oscar especial em 1949, pela sua contribuição ao cineam. Durante os anos 60 fez alguns papéis dramáticos. Em 1981 recebeu o Life Achievement Award do American Film Institute. Filmes   Mais DVDs Ghost Story - O Fantasma do passado (1981) The Amazing Dobermans - Os Incríveis Dobermans (1976) That's Entertainment, Part II (1976) The Towering Inferno - Inferno na Torre (1974) That's Entertainment! (1974) Santa Claus Is Comin' to Town - TV (1970) Finian's Rainbow - O Caminho do Arco-Iris (1968) The Notorious Landlady - Aconteceu num apartamento (1962) The Pleasure of His Company - O papai playboy (1961) On the Beach - A hora final (1959) Silk Stockings - Meias de Seda (1957) Funny Face - Cinderela em Paris (1957) Daddy Long Legs - Papai pernilongo (1955) The Band Wagon - A Roda da Fortuna (1953) The Belle of New York - Ver, gostar e amar (1952) Royal Wedding - Núpcias Reais (1951) DOWNLOAD Let's Dance - Nasci para bailar (1950) Three Little Words - Três palavrinhas (1950) The Barkleys of Broadway - Ciúme, sinal de amor (1949) Easter Parade - Desfile de Páscoa (1948) Blue Skies - Romance Inacabado (1946) Ziegfeld Follies - A Vida é um Teatro (1946) Yolanda and the Thief - Yolanda e o vigarista (1945) The Sky's the Limit - Bailado do amor (1943) You Were Never Lovelier - Bonita como nunca (1942) Holiday Inn - Duas Semanas de Prazer (1942) You'll Never Get Rich - Ao compasso do amor (1941) Second Chorus - Amor da minha vida (1940) DOWNLOAD Broadway Melody of 1940 - Melodia da Broadway 1940  (1940) DOWNLOAD The Story of Vernon and Irene Castle - A história de Irene Castle (1939) DOWNLOAD Carefree - Dance comigo (1938) DOWNLOAD A Damsel in Distress - Cativa e cativante (1937) DOWNLOAD Shall We Dance - Vamos Dançar? (1937) DOWNLOAD Swing Time - Ritmo Louco (1936) DOWNLOAD Follow the Fleet - Nas Águas da Esquadra (1936) DOWNLOAD Top Hat - O Picolino (1935) DOWNLOAD Roberta (1935) DOWNLOAD The Gay Divorcee - Alegre Divorciada (1934) DOWNLOAD Flying Down to Rio - Voando para o Rio (1933) DOWNLOAD Dancing Lady - Amor de dançarina (1933) DOWNLOAD   Mais Musicais 10 danças com Fred Astaire 10 Melhores Musicais de Judy Garland Fred Astaire: curiosidades 111 anos de Fred Astaire E eles nunca ganharam o Oscar... Melhores Músicas, segundo a AFI As duplas mais populares do cinema Ginger Rogers     Prêmios Indicado ao Oscar por Inferno na Torre (1974). Ganhou o Oscar Honorário (1950). Ganhou o Globo de Ouro de Melhor ator por Inferno na Torre (1974).     Imagens   Vídeos   IFabjc6mFk4   lMKbGRCbsaw
| 16042 ace
Título Original: Rock-A-Bye Baby Ano/País/Gênero/Duração: 1958 / EUA / Comédia / 103min Direção: Frank Tashlin Produção: Jerry Lewis e Ernest D. Glucksman Roteiro: Preston Sturges, Frank Tashlin, Frank Tashlin Fotografia: Haskell B. Boggs Música:Walter Scharf Elenco Jerry Lewis - Clayton Poole Marilyn Maxwell - Carla Naples Connie Stevens - Sandy Naples Salvatore Baccalone - Gigi "Papa" Naples Reginald Gardiner - Harold Hermann Hans Conried - Sr. Whight Isobel Elsom - Sra. Van Cleeve James Gleason - Dr. Simpkins Ida Moore - Sta. Bessie Polk Hope Emerson - Sr. Rogers Alex Gerry - Juiz Jenkins Mary Treen - Enfermeira Judy Franklin - Jovem Carla Naples Gary Lewis - Jovem Clayton Poole Sinopse Carla Naples (Marilyn Maxwell), uma atriz, é escalada para fazer um filme em Hollywood, que lhe trará sucesso. Mas ela logo tem três bebês e terá que deixa-los com alguém, para filmar. A solução é contratrar uma babá. Carla chama seu amigo de infância Clayton (Jerry Lewis), e ele, apaixonado por ela, não nega o pedido, e logo se vê em apuros. Curiosidades - Gary, filho de Jerry Lewis, fez uma ponta no filme. O pai de Jerry também fez uma participação. - George Sanders fez uma ponta, mas suas cenas foram deletadas. - A foto do toureiro marido de Carla é a do ator Jack Benny. Assista Online (dublado) Imagens
| 16028 ace
Título Original: A Midsummer Night's Dream Ano/País/Gênero/Duração: 1935 / EUA / Comédia / 133min Direção: William Dieterle, Max Reinhardt Produção: Henry Blanke Roteiro: William Shakespeare e Charles Kenyon Fotografia: Hal Mohr Música: Leo F. Forbstein Elenco James Cagney .... Bottom Joe E. Brown .... Flute Dick Powell .... Lysander Mickey Rooney .... Puck Victor Jory .... Oberon Ian Hunter .... Theseus Verree Teasdale .... Hippolyta Hobart Cavanaugh .... Philostrate Ross Alexander .... Demetrius Olivia de Havilland .... Hermia Sinopse O duque Theseus está para se casar com Hippolyta, mas antes precisa resolver um problema: de acordo com uma lei, sua filha Hermia tem que se casar com Demétrius, e caso não concorde terá que virar freira. Mas Hermia ama Lysander, e prefere ir para um convento a casar-se com quem não ama. Os duendes resolvem mexer na situação, colocando filtros mágicos nos olhos de todos, para que eles vejam as coisas de outra forma, o que só faz piorar a situação. Curiosidades - Baseado na obra de Shakespeare. - Por causa de seu alto custo, o filme foi um fracasso de bilheteria. - Mickey Rooney quebrou a perna durante as filmagens. - Filme de estréia de Olivia de Havilland. - O filme foi proibido na Alemanha porque o diretor era judeu. ASSISTA ONLINE:
| 15974 ace
    Ficha   Nome: Elizabeth Victoria Montgomery Nascimento e local: 15/04/1933, Hollywood, CA, EUA Morte: 18/05/1995, Los Angeles, CA, EUA, câncer de útero Ocupação: atriz Nacionalidade: Americana Pai: Robert Montgomery Casamentos: Fred Gallatin Cammann, Gig Young, William Asher, Robert Foxworth Filha: Rebecca Asher   Biografia   Elizabeth Montgomery nasceu em 15 de Abril de 1933 e já nos anos 50 começou a atuar em TV. Sua primeira aparição foi no programa do pai, "Robert Montgomery Presents". Filha do ator Robert Montgomery e da atriz Elizabeth Allen. Ela e seu irmão mais novo, apelidado carinhosamente de Skip (Robert Montgomery Jr. - nascido em 1936) tiveram uma infância privilegiada, por serem ricos e filhos de famosos atores de Hollywood. Ela era uma mulher jovem, viva e bonita. Ele era uma figura enérgica e forte. Ela teve três crianças, Robert, William e Rebecca. Por duas vezes, a gravidez de Elizabeth, em meio as filmagens da série, justificaram o surgimento dos personagens Tabitha e Adam. Juntos eles foram responsáveis pela criação de Samantha Stephens, uma feiticeira que se casa com um mortal. A feiticeira teve oito temporadas apresentadas pela rede ABC. O elenco recebeu várias indicações ao Emmy e outros prêmios. A magia da série A Feiticeira terminou em 1972. Com 22 anos, ela fez seu primeiro filme, "The Court Martiall of Billy Mitchell", em 1955. Seu primeiro casamento foi em 1954 com Frederick Gallatin Gamman. Em 1957 casou-se com o ator Gig Young. Em 1963 casou-se com William Asher, mais tarde trabalhariam juntos no filme "Johnny Cool". Foi quando decidiram desenvolver um programa em que ele seria o produtor e ela, a estrela. A série, de nome "A Feiticeira" (Bewitched), durou oito anos e foi um sucesso, sendo exibida e reapresentada até hoje em diversos países do mundo. Foi um trabalho tão marcante na carreira da atriz que, após o fim do programa, não mais conseguiu se livrar da imagem de Samantha, a bruxinha boa que tinha uma família com poderes incomuns que atormentava sua relação com seu marido mortal. Além de Samantha, Elizabeth também interpretava Serena, a prima louca de Samantha, que volta e meia aparecia com sua guitarra na casa de Sam. A serie foi cancelada sem nenhum. Um ex-ator que protagonizou com Elizabeth, afirmou antes de morrer, que o seriado acabou porque Elizabeth realmente era uma feiticeira. Mas nada disso foi confirmado. Após o término da série Elizabeth fez mais alguns filmes, entre eles: "A Case of Rape" - 1974 "The Legend of Lizzie Borden" - 1975 "Act of Violence" - 1979 "Amos" - 1985. Em vários filmes feitos depois do seriado, Elizabeth (Liz), só fez papéis dramáticos, entre eles, uma mulher vítima de dois estupros (no qual ela foi indicada ao Emmy como melhor atriz), Lizzie Borden, a mulher que mata a família a machadadas (outra indicação ao Emmy). Em 1995, ela faleceu vítima de câncer no colo-retal, em casa, às 8:27 da manhã. Ela foi casada 4 vezes, e teve 3 filhos, Robert, Bill e Rebecca. Notícias da época dão conta de que a atriz ignorou os sintomas da doença, permitindo, assim, que o quadro ficasse avançado demais para a eficácia de qualquer tratamento. Ela foi cremada. Biografia retirada do blog http://docesromances.blogspot.com/   Filmes   With Murder in Mind (1992) Sins of the Mother (1991) Face to Face (1990) (TV) Between the Darkness and the Dawn (1985) Amos (1985) Second Sight: A Love Story (1984) Missing Pieces (1983) The Rules of Marriage (1982 When the Circus Came to Town (1981) Belle Starr (1980) Act of Violence (1979) Jennifer: A Woman's Story (1979) A Killing Affair (1977) Dark Victory (1976) The Legend of Lizzie Borden (1975) A Case of Rape (1974 Mrs. Sundance (1974) The Victim (1972) (TV) "Bewitched" (1964-1972) Who's Been Sleeping in My Bed? (1963) Johnny Cool (1963) Boston Terrier (1963) The Spiral Staircase (1961) Bitter Heritage (1958) The Court-Martial of Billy Mitchell - A Corte marcial de Billy Mitchell (1955)   Mais       Imagens   Galeria (Clique para ver mais   Vídeos
| 15972 ace
Título Original: Napoleon Ano/País/Gênero/Duração: 1927 / França /  Drama Guerra / 235min Direção: Abel Gance Produção: Robert A. Harris Roteiro:  Abel Gance Fotografia: Léonce-Henri Burel, Jules Kruger, Joseph-Louis Mundwiller, Nikolai Toporkoff Elenco: •    Albert Dieudonné ... Napoléon Bonaparte •    Vladimir Roudenko ... Napoléon Bonaparte (criança) •    Edmond Van Daële ... Maximilien Robespierre •    Alexandre Koubitzky ... Georges Danton •    Antonin Artaud ... Jean-Paul Marat •    Abel Gance ... Louis de Saint-Just •    Gina Manès ... Joséphine de Beauharnais •    Suzanne Bianchetti ... Marie Antoinette •    Marguerite Gance ... Charlotte Corday •    Yvette Dieudonné ... Élisa Bonaparte •    Philippe Hériat ... Antonio Salicetti •    Annabella ... Violine Fleuri Sinopse O filme mostra a história de Napoleão Bonaparte (Albert Dieudonné), líder francês, desde sua infância até a invasão da Itália e subida ao poder. Curiosidades - O filme teria mais cinco sequencias, que acabaram não sendo realizadas por falta de dinheiro. - Nos últimos 20 minutos, o diretor alterna sequencias panorâmicas em widescreen com imagens múltiplas. Download: Este filme é de  domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria.   Legendas Imagens
| 15953 ace
Nome: Natalia Nikolaevna Zakharenko Nascimento e local: 20/07/1938, San Francisco, EUA Morte: 29/11/1981, CAlifornia, EUA, afogamento Ocupação: atriz Nacionalidade: Americana Casamentos: Robert Wagner, Richard Gregson, Courtney Brooke Wagner Filho: Natasha Gregson Wagner, Robert Wagner Biografia Natalie Wood nasceu na América, filha de pais russos. Quando tinha apenas 04 anos estreou nas telas em Happy land. Em 1947 estrelou seu primeiro grande sucesso e até hoje considerado um dos grandes clássicos do natal, Milagre na rua 34. Foram no total 18 filmes, até que ela chegasse à adolescência, estrelando ao lado de James Dean como a a sua amiga problemática em Juventude Transviada. Tinha então 17 anos. Seguiram-se outros sucessos como Rastros de ódio, Clamor do sexo, Amor sublime amor, se afastando em 1966 das telas após as filmagens de Esta mulher é proibida. Natalie decidira que era hora de parar e repensar se seguiria atuando. Retornou três anos mais tarde, num ritmo mais calmo, fazendo poucos filmes e aparições nas TVs, preferindo a companhia de sua família. Natalie morreu afogada em circunstâncias misteriosas, em 1981, pouco depois de filmar O último casal casado. Filmes: Brainstorm - Projeto Brainstorm (1983) The Last Married Couple in America - O último casal casado (1980) Meteor - Meteoro (1979) The Candidate - O Candidato (1972) Bob & Carol & Ted & Alice (1969) Inside Daisy Clover - À procura do destino (1966) Penelope - Os prazeres de Penélope (1966) This Property Is Condemned - Esta mulher é proibida (1966) The Great Race - A Corrida do século (1965) Sex and the Single Girl - Médica, Bonita e solteira (1964) Love with the Proper Stranger - O preço do prazer (1963) Gypsy (1962) Splendor in the Grass - O clamor do sexo (1961) West Side Story - Amor sublime amor (1961) All the Fine Young Cannibals (1960) Cash McCall (1960) Kings Go Forth (1958) Marjorie Morningstar (1958) The Searchers - Rastros de ódio (1956) Rebel Without a Cause - Juventude Transviada (1955) The Silver Chalice (1954) The Star - Lágrimas Amargas (1952) The Blue Veil - Ainda Há Sol para todos (1951) Our Very Own (1950) The Jackpot (1950) Father Was a Fullback (1949) Scudda Hoo! Scudda Hay! (1948) Driftwood (1947) Miracle on 34th Street - Milagre na Rua 34 (1947) The Ghost and Mrs. Muir - O fantasma apaixonado (1947) Tomorrow Is Forever - O amanhã é eterno (1946) Prêmios 1964 Concorreu Oscar Melhor Atriz por Love with the Proper Stranger (1963) 1962 Concorreu Oscar Melhor Atriz por: Splendor in the Grass (1961) 1956 Concorreu Oscar Melhor Atriz Coadjuvante por: Rebel Without a Cause (1955) 1980 Venceu Globo de Ouro Melhor Atriz Drama: "From Here to Eternity" (1979) 1967 Concorreu Globo de Ouro Melhor Atriz Drama: This Property Is Condemned (1966) 1966 Venceu Globo de Ouro Destaque Feminino Concorreu Globo de Ouro Melhor Atriz Comédia: Inside Daisy Clover (1965) 1964 Concorreu Globo de Ouro Melhor Atriz Drama: Love with the Proper Stranger (1963) 1963 Concorreu Globo de Ouro Melhor Atriz Comédia: Gypsy (1962) 1962 Concorreu Globo de Ouro Melhor Atriz Drama: Splendor in the Grass (1961) 1957 Venceu Globo de Ouro Atriz Promissora Galeria (Clique na imagem para ver)
| 15942 ace
Título original: Some Like It Hot Ano/País/Gênero/Duração: 1959 / EUA / Comédia / 122min Direção: Billy Wilder Produção: Billy Wilder Roteiro: .A.L. Diamond e Billy Wilder Fotografia: Charles Lang Música: Adolph Deutsch Elenco Marilyn Monroe ... Sugar Kane Kowalczyk Tony Curtis ... Joe - 'Josephine' / Jack Lemmon ... Jerry - 'Daphne' George Raft ... Spats Colombo Pat O'Brien ... Det. Mulligan Joe E. Brown ... Osgood Fielding III Nehemiah Persoff ... Little Bonaparte Joan Shawlee ... Sweet Sue Billy Gray ... Sig Poliakoff George E. Stone ... Toothpick Charlie Dave Barry ... Beinstock Mike Mazurki ... Spats' henchman Harry Wilson ... Spats' henchman Beverly Wills ... Dolores Sinopse: Dois músicos desempregados buscam desesperados um novo emprego. Acabam testemunhando um massacre e começam a ser perseguidos por uma gangue. Para fugir da cidade e dos bandidos, começam a tocar, disfarçados de mulher, numa banda de garotas. Joe (Tony Curtis) acaba virando Josephine e Jerry (Jack Lemmon) se transforma em Daphne. Ao ver Sugar (Marilyn Monroe), a corista, Joe se apaixona perdidamente, resolvendo se passar por um milionário para conseguir conquistá-la. Curiosidades: Frank Sinatra foi cotado para o papel de Jerry e Mitzi Gaynor para o de Sugar. O filme seria rodado em cores, mas a maquiagem de Jack Lemmon, como mulher, não ficou esteticamente boa. Marilyn Monroe teve enormes dificuldades em finalizar algumas cenas, pois trocava as frases. Como por exemplo na cena em que diz “It's me, Sugar”, onde foram necessárias 47 tomadas. Outra foi quando ela precisava dizer a frase “Where's the bourbon”, que teve que ser refeita 59 vezes. Para que ela se lembrasse das falas, o diretor colava-as no cenário. Segundo Tony Curtis, beijar Marilyn Monroe seria o mesmo que beijar Adolph Hitler. Prêmios Oscar de Melhor Figurino – Preto e Branco. Indicações aos Oscares de Melhor Diretor, Ator (Jack Lemmon), Direção de Arte, Fotografia e Roteiro Adaptado. Globo de Ouro de Melhor Filme, Melhor Ator (Jack Lemmon) e Atriz (Marilyn Monroe). Assista Online Imagens
| 15837 ace
Título Original: Safety Last! Ano/País/Gênero/Duração: 1923 / EUA / Comédia / 73min Direção: Fred C. Newmeyer, Sam Taylor Produção: Jeffrey Vance, Suzanne Lloyd Hayes . Roteiro: Hal Roach, Sam Taylor, Tim Whelan Fotografia: Walter Lundin Elenco Harold Lloyd ... homem Mildred Davis ... garota Bill Strother ... Westcott Clarke ... Sinopse Um homem (Harold Lloyd) sai de sua cidade em busca de uma vida melhor na cidade grande somente para agradar sua namorada (Mildred Davis). Lá ele começa a trabalhar com balconista em uma loja de departamentos. Para ganhar 1000 dólares, ele organiza um concurso para escalar o alto de um edifício, mas acaba correndo perigo de vida. Curiosidades - Lloyd dispensou dublês na cena em que escala o prédio. - Considerada uma das melhores comédias do cinema mudo. - Foi construído um falso paredão em cima do terraço do prédio e colocado um colchão para aliviar a queda, caso esta ocorresse. - Lloyd teve a idéia de fazer o filme quando viu o Bill Stronher escalando um edifício e andando de bicicleta em pleno ar. - As cenas à distância foram feitas de Bill Stronher. - Lloyd usou luvas na cena em que escala o prédio, para ocultar a falta de dois dedos, que ele tinha perdido em um filme anterior. - Último filme de Anna Townsend. - Está na lista das 50 maiores comédias de todos os tempos. ASSISTA ONLINE:     Imagens
| 15778 ace
    Ficha   Nome: Elizabeth Rosemond Taylor Nascimento e local: 27/02/1932,Londres, Inglaterra Morte: 23/03/2011, Estados Unidos, Insuficiência cardíaca. Ocupação: atriz Nacionalidade: Inglesa Casamentos: Nicholas Conrad Hilton Jr., Michael Wilding, Michael Todd, Eddie Fisher, Richard Burton, John Warner, Larry Fortensky Filhos: Christopher Edward Wilding, Michael Wilding Jr, Liza Todd Burton, Maria Burton Biografia     Nascida em Londres, em 1932, Liz Taylor desde cedo teve aulas de balé e etiqueta. Em 1939 a família toda foi morar em Beverly Hills. A garota sempre chamava a atenção por onde passava, por causa da sua beleza. E, por conta disso, foi descoberta aos 10 anos por caçadores de talentos. Estreou no cinema em There’s one Born every minute (1942). Na MGM fez filmes como Lassie (1943), A mocidade é assim mesmo (1944) e Nossa vida com papai (1947). De criança prodígio passou a mulherão, em filmes como O papai da noiva (1950). Seu primeiro Oscar veio com Disque butterfield (1960), o seu segundo foi com “Quem tem medo de Virginia Wolf?” (1966). Com uma carreira longa, sua ultima aparição foi no filme These Old Broads, para a TV, em 2001. Nos últimos tempos Liz tem se dedicou a levantar recursos para pesquisas, como contra a AIDS, além de sua linha de perfumes. A atriz Elizabeth Taylor faleceu vítima de complicações cardíacas depois de dois meses internada no Hospital Cedars-Sinai. A comunicação foi feita pela sua família atravpes do comunicado que informava que no momento ela estava cercada de seus filhos Michael Wilding, Christopher Wilding, Liza Todd e Maria Burton. Liz, também tinha 10 netos e quatro bisnetos. Filmes   These Old Broads (2001) (TV) The Flintstones (1994) Giovane Toscanini, Il (1988) Poker Alice (1987) There Must Be a Pony (1986) (TV) Malice in Wonderland (1985) Between Friends (1983) The Mirror Crack'd (1980) Winter Kills (1979) Return Engagement (1978) A Little Night Music (1977) Victory at Entebbe (1976) (TV) The Blue Bird - O Pássaro Azul (1976) Identikit (1974) Ash Wednesday - Meu corpo em suas mãos (1973) Night Watch - Vigília nas sombras (1973) Divorce His - Divorce Hers - Divórcio dele, divórcio dela (1973) (TV) Hammersmith Is Out - Unidos pelo mal (1972) Under Milk Wood (1972) Zee and Co. - Z, Y e Z (1972) The Only Game in Town - Jogo de Paixões (1970) Anne of the Thousand Days - Ana dos mil dias (1969) Secret Ceremony - Cerimônia secreta (1968) Boom - O Homem que veio de longe (1968) The Comedians - Os farsantes (1967) Reflections in a Golden Eye - O Pecado de Todos Nós (1967) Doctor Faustus - Doutor Fausto (1967) The Taming of the Shrew - A megera domada (1967) Who's Afraid of Virginia Woolf? - Quem tem medo de Virginia Woolf? (1966) The Sandpiper - Adeus às ilusões (1965) The V.I.P.s - Gente muito importante (1963) Cleopatra (1963) Butterfield 8 - Disque Butterfield 8 (1960) Scent of Mystery (1960) Suddenly, Last Summer - De repente o último verão (1959) Cat on a Hot Tin Roof - Gata em Teto de Zinco Quente (1958) Raintree County - A Árvore da Vida (1957) Giant - Assim Caminha a Humanidade (1956) The Last Time I Saw Paris - A última vez que vi Paris (1954) Beau Brummell - O belo Brummell (1954) Elephant Walk - No caminho dos elefantes (1954) Rhapsody - Rapsódia (1954) The Girl Who Had Everything - A jovem que tinha tudo (1953) Ivanhoe (1952) Love Is Better Than Ever - O melhor é casar (1952) Quo Vadis (1951) A Place in the Sun - Um lugar ao sol (1951) Father's Little Dividend - O Netinho do Papai (1951) Father of the Bride - O pai da noiva (1950) The Big Hangover - A Verdade não se diz (1950) Conspirator - Traidor (1949) Little Women - Quatro Destinos (1949) Julia Misbehaves - Travessuras de Julia (1948) A Date with Judy - O Príncipe Encantado (1948) Cynthia - As delícias da vida (1947) Life with Father - Nossa vida com papai (1947) Courage of Lassie - A coragem de Lassie (1946) National Velvet - A Mocidade é Assim Mesmo (1944) The White Cliffs of Dover (1944) Jane Eyre (1944) Lassie Come Home - A Força do Coração (1943) There's One Born Every Minute (1942)   Mais Os Casamentos de Elizabeth Taylor Algumas Curiosidades Sobre o Oscar Elizabeth Taylor: 25 Coisas que Você não Sabe sobre mim Elizabeth Taylor década a década   Prêmios Oscar Prêmio Humanitário Jean Hersholt (1993) Melhor Atriz (principal) por Quem tem medo de Virginia Woolf? (1967) Melhor Atriz (principal) por Disque Butterfield 8 (1961) Globo de Ouro Prémio Cecil B. DeMille em 1985 Henrietta Award World Film Favorite - Female (1974) Melhor Atriz (filme dramático) por Suddenly, Last Summer (1960) Prêmio Especial Para o desempenho consistente (1957) BAFTA Melhor Atriz por Quem Tem Medo de Virginia Woolf? (1967)   Imagens           (Clique na imagem para ser redirecionado para a galeria)   Vídeos   ZUXNME8A0FI   QSWxzFSAoko   ucOXUmd1rtE
| 15752 ace
Nome:  Alfred Arnold Cocozza Nascimento e local: 31/01/1921, Philadelphia, PA Morte e local: 07/10/1959,  Roma, Italia, ataque cardíaco Ocupação: cantor, ator Nacionalidade: americano Casamento: Betty Hicks Filhos: Colleen, Elisa, Damon, Marc Biografia Alfred Arnold Cocozza, mais conhecido como Mario Lanza, nasceu naFiladélfia, em 31 de janeiro de 1921. Sua família tinha ascendência italiana. Estreou no festival da Escola de Música de Berkshire, aos 21 anos de idade, e já chamou a atenção da crítica, que chegou a compará-lo a Caruso.  Após a guerra ele seguiu a carreira artística. Durante uma apresentação no teatro, foi visto por um representante da MGM, que o levou para o estúdio.  A estréia no cinema veio em 1949 no filme Aquele Beijo à Meia-Noite (That Midnight Kiss). Mas seu sucesso maior viria com O Grande Caruso (The Great Caruso), em que ele interpretava o papel título. O ator enfrentava problemas constantes de aumento de peso, vício em alcool e barbitúricos e veio a morrer  inesperadamente de ataque cardíaco aos 38 anos. Filmes •  For the First Time (1959) •  Arrivederci Roma (1958) •  Serenade - Serenata (1956) •  The Student Prince (1954) •  Because You're Mine - Tu és minha paixão (1952) •  The Great Caruso - O Grande Caruso (1951) •  The Toast of New Orleans (1950) •  That Midnight Kiss - Aquele beijo da meia noite (1949)
| 15744 ace
      Ficha   Nome: Ava Lavinia Gardner Nascimento e local: 24/12/1922, Brodgen, EUA Morte: 25/01/1990, Londres, EN, pneumonia Ocupação: atriz Nacionalidade: Americana Casamentos: Mickey Rooney, Artie Shaw , Frank Sinatra Filhos: não Biografia   De família humilde, Ava Gardner, “o animal mais lindo do mundo”, foi descoberta por Barney Duhan, um caçador de talentos da MGM, que concluiu que, apesar dela ser uma péssima atriz, fotografava muito bem. Começou ganhando 50 dólares por semana, tirando fotos e estreando em “We were dancing”, de 1942, seguido de várias aparições sem crédito. Seu primeiro marido, Mickey Rooney, conseguiu alguns papéis para ela, com o vasto conhecimento que ele tinha na MGM. Foram mais de sessenta filmes ao longo da carreira, trabalhando ao lado de grandes diretores como John Ford e George Cukor. Apesar de inicialmente não ter sido considerada uma boa atriz, moldada por aulas de dicção e interpretação, Ava conseguiu desenvolver-se e chegou a ser indicada para o Oscar por Mogambo. Morreu na Europa, onde morou por duas décadas. Filmes Harem (1986) (TV) The Long Hot Summer (1985) (TV) "A.D." (1985) TV Priest of Love (1981) The Kidnapping of the President (1980) City on Fire (1979) The Sentinel - A Sentinela dos malditos (1977) The Cassandra Crossing - A Travessia de Cassandra (1976) The Blue Bird - O Pássaro Azul (1976) Permission to Kill - Permissão para matar (1975) Earthquake - Terremoto (1974) The Life and Times of Judge Roy Bean - O Homem da lei (1972) Tam Lin (1970) Mayerling (1968) The Bible: In the Beginning... - A Bíblia , o Início (1966) The Night of the Iguana - Noite no Iguana (1964) Seven Days in May - Sete dias de maio (1964) 55 Days at Peking - 55 dias em Pequim (1963) The Angel Wore Red - Tentação (1960) On the Beach - A hora final (1959) The Naked Maja (1958) The Sun Also Rises - E agora Brilha o Sol (1957) The Little Hut - Dois Amores e uma cabana (1957) Bhowani Junction - A Encruzilhada dos Destinos (1956) The Barefoot Contessa - A Condessa Descalça (1954) Knights of the Round Table - Os cavaleiros da távola redonda (1953) Mogambo (1953) Ride, Vaquero! (1953) The Snows of Kilimanjaro - As Neves do Kilimanjaro (1952) Lone Star - A Estrela Solitária (1952) Show Boat - O Barco das ilusões (1951) My Forbidden Past (1951) Pandora and the Flying Dutchman - Os amores de Pandora (1951) East Side, West Side - Mundos Opostos (1949) The Great Sinner - O Grande pecador (1949) The Bribe (1949) One Touch of Venus - Vênus, Deusa do Amor (1948) Singapore - Singapura (1947) The Hucksters - O Mercador de Ilusões (1947) The Killers - Os assassinos (1946) Whistle Stop - O Que Matou Por Amor (1946) She Went to the Races (1945) Blonde Fever (1944) Maisie Goes to Reno (1944) Three Men in White (1944) Two Girls and a Sailor (1944) Lost Angel (1943) Swing Fever (1943) Young Ideas (1943) Ghosts on the Loose - Os Fantasmas Enlouqueceram (1943) Hitler's Madman (1943) Du Barry Was a Lady (1943) Reunion in France - Uma aventura em Paris (1942) Mighty Lak a Goat (1942) Calling Dr. Gillespie (1942) Sunday Punch (1942) Kid Glove Killer (1942) This Time for Keeps (1942) Joe Smith, American (1942) We Do It Because- (1942) Babes on Broadway (1941) H.M. Pulham, Esq. (1941) Shadow of the Thin Man (1941) Fancy Answers (1941)   Mais 90 anos de Mickey Rooney Responda-me rápido Museu Ava Gardner Mickey Rooney de A a Z Ava Gardner, a Primeira Impressão Ava Gardner e Frank Sinatra Ava Gardner antes e depois Povo fino é esse aí As mais elegantes Campeões de casamentos Top 10 Atrizes Tudo sobre Ava Gardner - Primeiros Tempos Tudo Sobre Ava Gardner - Nasce uma Estrela Tudo sobre Ava Gardner - Melhores anos Futuras estrelas As 50 maiores lendas do cinema, segundo a AFI   Prêmios   Academy Awards Indicação 1954 Melhor Atriz, Mogambo BAFTA Awards Indicações 1957 Melhor Atriz Estrangeira, Bhowani Junction 1960 Melhor Atriz Estrangeira, On the Beach 1965 Melhor Atriz Estrangeira, The Night of the Iguana Golden Globes Indicação 1965 Best Motion Picture Actress - Drama, The Night of the Iguana Laurel Awards Indicação 1958 Top Estrela Feminina - sétimo lugar San Sebastián International Film Festival 1964 Melhor Atriz, The Night of the Iguana   Imagens   Galeria (Clique na imagem para ser redirecionado) Outras Imagens:     Vídeos     rGOyycNqiWA
| 15731 ace
Título Original: The General Ano/País/Gênero/Duração: 1927 / EUA / Comédia / 95min Direção: Buster Keaton, Clyde Bruckman Produção: Joseph M. Schenck e Buster Keaton Roteiro: Al Boasberg, Clyde Bruckman, Buster Keaton Fotografia: Bert Haines e Devereaux Jennings Música: Carl Davis, Robert Israel, Joe Hisaishi Elenco Buster Keaton ... Johnny Gray Marion Mack ... Annabelle Lee Glen Cavender ... Captain Anderson Jim Farley ... General Thatcher Frederick Vroom ... A Southern General Charles Henry Smith ... Annabelle's Father (as Charles Smith) Frank Barnes ... Annabelle's Brother Joe Keaton ... Union General Mike Donlin ... Union General Tom Nawn ... Union General Sinopse Durante a guerra da Secessão, Johnnie Gray (Buster Keaton) captura a locomotiva “The General”, e se transforma em um grande hotel. Ele acaba se dividindo entre o amor pela locomotiva e por e sua namorada Annabelle Lee (Marion Mack). Começa a guerra e ele não é recrutado pois é considerado um importante engenheiro. Curiosidades - Considerado por muitos como a obra prima do diretor e ator Buster Keaton, na época de sua estréia foi considerado um fiasco. - Inspirado em um caso real da guerra, com um mecânico chamado Johnny Gray. - Em 1955 a Disney fez uma refilmagem sob o título de “Tempera de Bravos” (The Great Locomotive Chase). - Baseado no livro “Great Locomotive Chase” escrito em 1862 por William Pittenger. - Este era o filme preferido de Buster Keaton. - Considerada uma das 50 maiores comédias de todos os tempos. - Está em 18° lugar entre os 100 maiores filmes de todos os tempos segundo a AFI.   Assista Online (filme silencioso) hpOQI2_pZ_0   Canal:http://www.youtube.com/user/CinemaClassico3 Download: Este filme é de domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria. Filme silencioso Imagens
| 15720 ace
Título Original: Intolerance: Love's Struggle Throughout the Ages Ano/País/Gênero/Duração: 1916 / EUA / Drama / 163min Direção: D.W. Griffith Produção: D.W. Griffith Roteiro:  D.W. Griffith, Anita Loos, Hettie Grey Baker, Mary H. O'Connor , Walt Whitman Frank E. Woods, Tod Browning Fotografia: G.W. Bitzer Elenco Mae Marsh     ...     The Dear One (história moderna) Robert Harron    ...     The Boy (história moderna) F.A. Turner    ...     The Girl's Father (história moderna) Sam De Grasse    ...     Arthur Jenkins (história moderna) Vera Lewis    ...     Mary T. Jenkins (história moderna) Mary Alden    ...     Self-Styled Uplifter (história moderna) Eleanor Washington    ...     Self-Styled Uplifter (história moderna) Pearl Elmore    ...     Self-Styled Uplifter (história moderna) Lucille Browne    ...     Self-Styled Uplifter (história moderna) Julia Mackley    ...     Self-Styled Uplifter (história moderna) Miriam Cooper    ...     The Friendless One (história moderna) Walter Long    ...     The Musketeer of the Slums (história moderna) Tom Wilson    ...     The Kindly Policeman (história moderna) Ralph Lewis    ...     Governor (história moderna) Lloyd Ingraham    ...     Judge of the Court (história moderna) Sinopse Através de quatro histórias que são mostradas paralelamente, surge o problema da intolerância através dos tempos. Duas histórias falam sobre o amor entre dois jovens durante uma greve e durante a queda da Babilônia. A terceira história fala do massacre dos protestantes em Paris, em 1572. Na Judéia, com os hipócritas que condenam Jesus Cristo é a quarta. Curiosidades - É considerado um marco na história do cinema mundial. - Foram usados milhares de figurantes nas cenas da batalha da Babilônia. - D.W. Grifth produziu mais de 300 filmes e foi co-fundados da United Artists. - Foram cem mil dólares de orçamento. - O filme foi rodado em 16 semanas. - Apesar de falar em intolerância, o filme peca profundamente no quesito preconceito, pois é racista quando coloca os negros sempre como os vilões da história. Assista Online (filme silencioso) dfxYgDTp29s   Canal:http://www.youtube.com/user/CinemaClassico3 Download: Este filme é de  domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria. Legenda Imagens
| 15691 ace
Título Original: Belle de jour Ano/País/Gênero/Duração: 1967 / França / 1Drama / 01min Direção: Luis Buñuel Produção: Henri Baum, Raymond Hakim e Robert Hakim Roteiro: Luis Buñuel, Jean-Claude Carrière, Joseph Kessel Fotografia: Sacha Vierny Elenco Catherine Deneuve .... Séverine Serizy Jean Sorel .... Pierre Serizy Michel Piccoli .... Henri Husson Geniviève Page .... Madame Anais Pierre Clémenti .... Marcel Françoise Fabian .... Charlotte Macha Méril .... Renee Muni .... Pallas Maria Latour .... Mathilde Francisco Rabal Sinopse Sèverine (Catherine Deneuve) é uma mulher casada com um cirurgião, porém infeliz, que busca movimentar sua vida de um modo incomum: durante a tarde ela frequenta um bordel, realizando suas fantasias, algo que o seu marido não lhe fornece. As coisas se complicam quando surge Marcel (Pierre Clémenti ) que se apaixona por ela. Curiosidades - Adaptação do livro de Joseph Kessel. - O vestido de Catherine foi feito com velcro, para facilitar na cena do estupro. - Nem Buñuel sabia ao certo explicar o final. - Buñuel aparece sentado na mesa de um café. - Belle de jour é um lírio de dia em francês, uma flor que floresce apenas durante o dia. - Belle de jour também é uma espécie de trocadilho, um eufemismo para prostituta. ASSISTA ONLINE Imagens
| 15648 ace
Título Original: From Here to Eternity Ano/País/Gênero/Duração: 1953 / EUA / Drama Romance / 118min Direção: Fred Zinnemann Produção: Buddy Adler Roteiro:  James Jones (peça), Daniel Taradash (roteiro) Fotografia: Burnett Guffey Música: George Duning Elenco Burt Lancaster .... Sargento Milton Warden Montgomery Cliff .... Robert E. Lee "Prew" Prewitt Deborah Kerr .... Karen Holmes Donna Reed .... Alma Burke Frank Sinatra .... Angelo Maggio Philip Ober .... Capitão Dana Holmes Mickey Shaughnessy .... Leva Harry Bellaver .... Mazzioli Ernest Borgnine .... Sargento "Fatso" Judson Jack Warden .... Cabo Buckley John Dennis .... Sargento Ike Galovitch Merle Travis .... Sal Anderson Tim Ryan .... Sargento Pete Karelsen George Reeves .... Sargento Maylon Stark Sinopse Segunda Guerra Mundial. Prewitt (Montgomery Clift) é um recruta na base militar de Schofield, no Havaí. Ele é obrigado a lutar boxe, mas já está aposentado dos ringues e é perseguido pelos outros recrutas por este motivo. O sargento Warden (Burt Lancaster) o apóia, mas ele próprio tem seus próprios problemas, ao se envolver com Karen Holmes (Deborah Kerr) a mulher de seu superior. Após o ataque de Pearl Harbor, a vida de todos é alterada. Curiosidades - O filme possui uma das cenas de beijo mais famosas de toda a história do cinema. O mesmo chegou a ser considerado ousado na época. - Foi o primeiro filme a igualar a marca de E o Vento Levou (1939) ganhando 8 Oscars. - Este filme marcou o retorno de Frank Sinatra aos cinemas, coroado com um Oscar. Comenta-se que a participação dele na película foi comprada pela máfia. - Joan Crawford recusou-se a participar por detestar os figurinos. ASSISTA ONLINE Imagens
| 15551 ace
Neste duelo entre irmãs, quem é a má?   Duas irmãs, inimigas, ex-estrelas de cinema, frustradas em suas vidas íntimas e públicas, convivem com seus medos e angústias no mesmo ambiente. Não só convivem: lutam entre si, rivalizam em suas derrotas, num jogo distante da briga do bem contra o mal. Jane Hudson (Bette) brilhou antes que Blanche (Crawford), sua irmã mais velha. Baby Jane é insuportável, mas as pessoas não parecem perceber: ela é amada, doce, mas fora dos palcos destila o veneno de uma criança birrenta e mal educada. Os pais a mimavam demais da conta, deixando a irmã mais velha entregue ao seu ciúme e raiva, assistindo ao estrelato e a queda de sua irmãzinha. Graças à complacência de pais que não lhe davam limites, a jovem estrela acabou não crescendo emocionalmente: torna-se uma criança cruel e sádica. Chega então a vez de Blanche, que se torna uma atriz de sucesso no cinema, tentando ajudar de alguma forma sua irmãzinha a voltar ao estrelato. A relação das irmãs não melhora, já que Jane não se conforma de um dia ter sido a estrela, e agora ser apenas a irmã dela. A vida das irmãs sofre mais um revés, quando ao voltar de uma festa, Blanche acaba sofrendo um terrível acidente que a deixa paraplégica. Sua odiosa (e odiada) irmã é a única que pode cuidar dela. A vida das duas torna-se então uma grande tormenta. Jane tornara-se uma velha feia, mal amada e alcoólatra. Talvez não mais responsável por seus atos de crueldade: amarrar a irmã e chutá-la, tirar-lhe o direito de receber o carinho de seu público através de cartas ou flores (que ela rasga ou joga fora). Por não ser mais a criança que cantava e era idolatrada por seu publico, tranca-se em um mundo em que todos um dia irão acordar e perceber que ainda é uma grande estrela mirim. Veste-se como Baby Jane e age como se o tempo tivesse sido aprisionado em suas mãos. O terror de Blanche renova-se a cada dia: medo de morrer envenenada, de apanhar, de não conseguir sair viva daquela casa que é sua. Com as forças que lhe restam ela desce a escada e puxa o telefone para si: tentativa de conseguir socorro. Nada feito. Seu destino está nas mãos de Jane. Tudo acontece de certa forma rápida. O filme conta com uma salto no tempo: a infância das duas, um breve momento que mostra o sucesso de Blanche já adulta, culminando com o acidente. E a semana fatídica, em que Jane enlouquece de vez. Jane canta desafinadamente a música "I’ve weitten a letter to daddy", como se fosse ainda uma criança, com suas roupas cheia de laços e cabelos de cachichos. Um dos pontos mais altos do filme. Uma disputa de titãs. De Jane e Blanche. De Bette Davis e Joan Crawford, que tão bem carregaram nos seus papéis e sem exageros, o que seria de se esperar de atrizes sem carga dramática, em papéis tão caricatos. Com este filme, Bette foi indicada para o Oscar de melhor atriz, e ainda disputou com Joan o prêmio da BAFTA. Tão famosos quanto os filmes, foram os seus bastidores: a imprensa era bombardeada com notícias que reforçavam a rivalidade das duas atrizes (a coca-cola que Bette insistia em tomar, sabendo que Joan era casada com o dono da Pepsi, por exemplo). Fato ou não, o que importa é que jamais se viu tamanha disputa em papéis tão distintos. O que terá acontecido a Baby Jane tornou-se um daqueles filmes em que não há possibilidade de refilmagem digna, posto que não existem mais atrizes com o peso e estrutura de Bette Davis e Joan Crawford. Um filme nada familiar.
| 15416 ace
Voando para o Rio Título Original: Flying Down to Rio Ano/País/Gênero/Duração: 1933 / EUA / Musical / 109min Direção: Thotnon Freeland Produção: Merian C. Cooper e Lou Brock Roteiro: Erwin S. Gelsey, H.W. Hanemann e Cyril Hume Fotografia: J. Roy Hunt Música: Max Steiner Elenco • Dolores del Rio .... Belinha de Rezende • Gene Raymond .... Roger Bond • Raul Roulien .... Júlio Ribeiro • Ginger Rogers .... Honey Hale • Fred Astaire .... Fred Ayres Sinopse Típica comédia musical de um rapaz que ama uma moça. Um grupo de dança faz enorme sucesso se apresentando no Hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. Um dos momentos mais admiráveis é a apresentação do número “The Carioca”, que conta com a presença de Turunas e Etta Motten. Curiosidades - Este foi o filme de estréia da dupla Ginger Rogers e Fred Astaire. - Neste período, o brasileiro Raul Roulien fez relativo sucesso em Hollywood. ASSISTA ONLINE: Imagens
| 15410 ace
Título Original: Fire Over England Ano/País/Gênero/Duração: 1937 / Inglaterra / Aventura | Histórico | Romance | Guerra / 92 min Direção: William K. Howard Produção: Erich Pommer Roteiro: Clemence Dane Fotografia: James Wong Howe Música: Richard Addinsell Elenco Flora Robson ... Queen Elizabeth I of England Raymond Massey ... King Philip II of Spain Leslie Banks ... Robert Dudley, Earl of Leicester Laurence Olivier ... Michael Ingolby Vivien Leigh ... Cynthia Morton Selten ... Lord Burleigh Tamara Desni ... Elena Lyn Harding ... Sir Richard Ingolby George Thirlwell ... Mr. Lawrence Gregory Henry Oscar ... Spanish Ambassador Robert Rendel ... Don Miguel Robert Newton ... Don Pedro Donald Calthrop ... Don Escobal Charles Carson ... Adm. Valdez James Mason ... Hillary Vane Sinopse A poderosa armada espanhola tenta destruir a marinha real da sua majestade, a rainha Elizabeth, em 1588. "Narrativa célebre da luta entre Isabel da Inglaterra e Philippe II. Uma defensora do protestantismo, o outro patrono do catolicismo. É de lamentar que não tenham aproveitado a figura do conde de Essex, favorito de Isabel da Inglaterra. A vida dessa soberana, quase que se pode dizer, teve sua razão de ser no seu favorito. Um ponto curioso do filme é que se fala muito em Drake, mas o famoso nauta não aparece em cena. As sequências focalizando as atividades bélicas são de ótimo efeito. Flora Robson oferece uma interpretação soberba, vivendo a grande figura feminina de Isabel da Inglaterra. Curiosidades - Primeiro dos três filmes que Laurence Olivier fez ao lado de Vivien Leigh. - Foi durante as filmagens deste filme que o agente Myron Selznick viu que Vivien Leigh poderia ser a Scarlett O'Hara.
| 15350 ace
Título Original: Frankenstein Ano/País/Gênero/Duração: 1931 / EUA / Terror Ficção Científica / Direção: James Whale Produção: E.M. Asher, Carl Laemmle Jr Roteiro:  Mary Shelley, John L. Balderston Fotografia: Arthur Edeson Música: Bernhard Kaun   Elenco •    Colin Clive .... Henry Frankenstein •    Mae Clarke .... Elizabeth •    John Boles .... Victor Moritz •    Boris Karloff .... Monstro •    Edward Van Sloan .... Dr. Waldman •    Frederick Kerr .... Barão Frankenstein •    Dwight Frye .... Fritz •    Lionel Belmore .... Herr Vogel   Sinopse Frankenstein (Colin Clive) é um cientista que faz experiências com mortos, costurando corpos para que eles revivam. Para tal, ele precisa de um cérebro e manda seu assistente Fritz (Dwght Frye) para tentar conseguir um na Universidade. Ele consegue um cérebro de um criminoso e o leva para seu chefe, que durante uma noite de tempestade, consegue reaviva-lo, apesar dos protestos de sua noiva Elizabeth (Mãe Clarke) e do Dr. Waldman (Edward Van Sloan). As conseqüências serão trágicas ao criar o monstro (Boris Karloff).   Curiosidades - O papel do médico Frankestein foi oferecido a Bela Lugosi, que o recusou. - Sequencias: A Noiva de Frankenstein e O Filho de Frankenstein. - O filme foi influenciado visualmente pelo expressionismo alemão. - O monstro não lembra em nada o personagem criado por Mary Shelley.   Assista Online     Imagens
| 15335 ace
Ficha Título original: Anna Karenina Ano/País/Gênero/Duração: 1935/EUA/Drama/95min Produção: David O. Selznick Direção: Clarence Brown Roteiro: Clemence Dane Fotografia: William H. Daniels Música: Herbert Stothart Elenco Greta Garbo ... Anna Karenina Fredric March ... Vronsky Freddie Bartholomew Sergei Maureen O'Sullivan Kitty May Robson ... Condessa Vronsky Basil Rathbone ... Karenin Reginald Owen ... Stiva Phoebe Foster ... Dolly Reginald Denny Yashvin Gyles Isham ... Levin Joan Marsh ... Lili Ethel Griffies ... Mme. Kartasoff Harry Beresford Matve Sarah Padden ... governanta Cora Sue Collins Tania Sinopse Greta Garbo interpreta Anna Karenina, uma mulher casada, com um filho, e que, durante uma viagem conhece Alexey (Fredrich March), por quem acaba se apaixonando. Essa é uma adaptação de uma novela de Leon Tolstoi, produzido pela primeira vez por David O. Selznick, e tendo como diretor Clarence Brown. O adultério e a paixão são o tempero dessa tragédia envolvente, cercada de um misto amor, medo, pecado e aventura, que culminam num grand finale. Curiosidades: A versão de 1998 foi interpretada por Sophie Marceau também vale a pena ser vista. Conta ainda com Sean Bean eAlfred Molina. ASSISTA ONLINE: Imagens
| 15312 ace
  Ficha Nome: Luigina Lollobrigida Nascimento e local: 04/07/1927, Subiaco, Italia Ocupação: atriz e modelo Nacionalidade: italiana Casamentos: Drago Milko Skofic Namorados: Yul Brynner, Frank Sinatra, Fidel Castro Filho: Milko Skofic Jr. Biografia Nascida em 4 de julho de 1927, tornou-se um dos maiores símbolos sexuais dos anos 50. Estudou no Instituto de Belas Artes em Roma, e enquanto esperava um trabalho no cinema, trabalhou como modelo. Ficou em terceiro lugar no concurso de Miss Itália. No cinema começou com pequenas participações em filmes após a guerra. Casou-se em 1949 com o médico Milko Skofic, que acabou se tornando seu empresário. Em 1957 nasceu seu filho Milko Jr. Dentre alguns de seus sucessos, "Campane a martello", de Luigi Zampa, em 1949 e "Achtung Banditi" (1951), de Carlo Lizzani. La Lollo - sua alcunha - interpretava papéis sensuais, e foi considerada "A mulher mais bela do mundo". Interpretou a cantora lírica Lina Cavalieri no filme "La donna più bella del mondo", em 1955. Atuou ao lado de grandes atores, como Humphrey Bogart, Jennifer Jones, Vittorio Gassman, Anthony Quinn, Rock Hudson, e diretores como John Huston. Recebeu o Golden Globe em 1961. Divorciou-se em 1971 e, em 2006 anunciou seu casamento com o espanhol, Javier Rigau y Rafols, com quem vive desde 1984. A diferença de idade entre eles é de 34 anos.   Filmes   • XXL (1997) • Una donna in fuga (1996) • Les cent et une nuits de Simon Cinéma (1995) • La romana (1988) • Deceptions (1985) • No encontré rosas para mi madre (1973) • King, Queen, Knave (1972) • Bad Man's River (1971) • Un bellissimo novembre (1969) • Buona Sera, Mrs. Campbell (1968) • The Private Navy of Sgt. O'Farrell (1968) • La morte ha fatto l'uovo (1968) • Stuntman (1968) • Cervantes (1967) • Les Sultans (1966) • Hotel Paradiso (1966) • Io, io, io... e gli altri (1966) • Le piacevoli notti (1966) • Strange Bedfellows (1965) • Le bambole (1965) • Woman of Straw (1964) • Venere imperiale (1963) • Mare matto (1963) • La bellezza di Ippolita (1962) • Come September - Quando Setembro Chegar (1961) • Go Naked in the World (1961) • Never So Few (1959) • Solomon and Sheba (1959) • La legge (1959) • Anna di Brooklyn (1958) • Notre Dame de Paris (1956) • Trapeze - Trapézio (1956) • La donna più bella del mondo (1956) • Pane, amore e gelosia (1954) • La romana (1954) • Il maestro di Don Giovanni (1954) • Le grand jeu (1954) • Pane, amore e fantasia (1953) • Beat the Devil - O Diabo riu por último (1953) • La provinciale (1953) • Le infedeli (1953) • Les belles de nuit (1952) • Altri tempi (1952) • Moglie per una notte (1952) • Fanfan la Tulipe (1952) • Achtung! Banditi! (1951) • La città si difende (1951) • A Tale of Five Cities (1951) • Enrico Caruso: leggenda di una voce (1951) • Amor non ho... però... però (1951) • Vita da cani (1950) • Cuori senza frontiere (1950) • Alina (1950) • Miss Italia (1950) • La sposa non può attendere (1949) • Follie per l'opera (1949) • Campane a martello (1949) • Pagliacci (1948) • A Man About the House (1947) • Il delitto di Giovanni Episcopo (1947) • Aquila nera (1946) • L'Elisir d'amore (1946) Mais Prêmios Globo de Ouro em 1961. Imagens   Vídeos
| 15263 ace
Nome: Gladys Louise Smith Nascimento e local: 08/04/1892, Toronto, CAN Morte: 29/05/1979, Santa Monica, EUA, hemorragia cerebral Ocupação: atriz Nacionalidade: canadense Casamentos: Owen Moore, Douglas Fairbanks, Sr. E Buddy Rogers Filhos: Ronald "Ronnie" Charles e Roxanne Biografia Com 5 anos, Mary Pickford já encenava pequenos papéis. Aos 8, tornou-se a única provedora da família, quando a mãe ficou viúva. Adolescente, com seus cabelos cacheados e cara de boneca, foi para a Broadway e surpreendeu os diretores ao pedir trabalho dizendo que era “o pai da família”. Logo começou a pegar papéis maiores e, com seu talento natural para a comédia, transformou-se numa das estrelas mais amadas do cinema mudo. Dona de olhos expressivos, Mary também tinha um aguçado tino comercial. A jovial Mary Pickford tinha 16 anos quando conheceu D.W. Griffith que lhe deu seu primeiro papel. Ela atuou no filme Pippa Passes (1909), baseado em um drama de Browning. As personagens de Mary inevitavelmente eram crianças ou adolescentes e a atriz logo transformou-se na Namoradinha da América, uma estrela que escolhia seus roteiristas e dava palpites até na direção e produção. Seu porte mignon possibilitou-a de fazer o filme Pollyanna (adolescente de 12) aos 27 anos de idade. Com muito tino para negócios, fundou a United Artists Corporation com Charlie Chaplin, D. W. Griffith e seu marido, Douglas Fairbanks. O negócio começou a dar dinheiro, a tal ponto que Mary deixou as telas aos 40 anos, em 1933, como uma das mais bem-sucedidas empreendedoras do cinema, embora a United tenha sido vendida posteriormente. Filmes Secrets (1933) Kiki (1931) Forever Yours (1930) The Taming of the Shrew - A megera domada (1929) Coquette - Coquete (1929) The Gaucho - O Gaucho (1927) My Best Girl - Meu único amor (1927) Sparrows - Aves sem Ninho (1926) The Black Pirate - O Pirata Negro (1926) Ben-Hur: A Tale of the Christ - Ben-Hur (1925) Little Annie Rooney - A Jovem Annie Rooney (1925) Dorothy Vernon of Haddon Hall (1924) Rosita - A Cantora das Ruas (1923) Tess of the Storm Country (1922) Little Lord Fauntleroy - O Pequeno Lord Fauntleroy (1921) Through the Back Door (1921) The Nut - O Excêntrico (1921) The Love Light - A Luz do Amor (1921) Suds (1920) Pollyanna (1920) Heart o' the Hills (1919) The Hoodlum (1919) Daddy-Long-Legs (1919) Captain Kidd, Jr. (1919) One Hundred Percent American (1918) Johanna Enlists (1918) How Could You, Jean? (1918) Amarilly of Clothes-Line Alley (1918) Stella Maris - Stella Maris ou Desditoso Amor (1918) The Little Princess (1917) Rebecca of Sunnybrook Farm (1917) The Little American - A Pequena Americana (1917) A Romance of the Redwoods (1917) The Poor Little Rich Girl - A pobre menina rica (1917) The Pride of the Clan (1917) All-Star Production of Patriotic Episodes for the Second Liberty Loan (1917) Less Than the Dust - Menos que o pó (1916) Hulda from Holland (1916) The Eternal Grind (1916) Poor Little Peppina (1916) The Foundling (1916) Madame Butterfly (1915) A Girl of Yesterday (1915) Esmeralda (1915) Rags (1915) Little Pal (1915) The Dawn of a Tomorrow (1915) Fanchon, the Cricket (1915/I) Mistress Nell (1915) Broken Hearts (1915) The Foundling (1915) Cinderella - A gata borralheira (1914) Behind the Scenes (1914) Such a Little Queen (1914) The Eagle's Mate (1914) Tess of the Storm Country (1914) A Good Little Devil (1914) Hearts Adrift (1914) Caprice (1913) In the Bishop's Carriage (1913) Fate (1913) The Unwelcome Guest (1913) The New York Hat (1912) The Informer (1912) My Baby (1912) The One She Loved (1912) A Feud in the Kentucky Hills (1912) So Near, Yet So Far (1912) Friends (1912) A Pueblo Legend (1912) A Pueblo Romance (1912) With the Enemy's Help (1912) The Inner Circle (1912) A Child's Remorse (1912) The Narrow Road (1912) An Indian Summer (1912) The School Teacher and the Waif (1912) Lena and the Geese (1912) Home Folks (1912) A Beast at Bay (1912) A Lodging for the Night (1912) The Old Actor (1912) Won by a Fish (1912) Just Like a Woman (1912) The Female of the Species (1912) Fate's Interception (1912) Iola's Promise (1912) A Timely Repentance (1912) A Siren of Impulse (1912) The Mender of Nets (1912) Honor Thy Father (1912) Grannie (1912) The Caddy's Dream (1911) The Portrait (1911) Little Red Riding Hood (1911) Love Heeds Not Showers (1911) The Courting of Mary (1911) From the Bottom of the Sea (1911) His Dress Shirt (1911) The Aggressor (1911) The Better Way (1911) The Sentinel Asleep (1911) 'Tween Two Loves (1911) By the House That Jack Built (1911) The Toss of a Coin (1911) The Call of the Song (1911) The Skating Bug (1911) At a Quarter of Two (1911) A Gasoline Engagement (1911) For the Queen's Honor (1911) In the Sultan's Garden (1911) Behind the Stockade (1911) Back to the Soil (1911) The Lighthouse Keeper (1911) The Master and the Man (1911) For Her Brother's Sake (1911) The Fair Dentist (1911) The Temptress (1911) Second Sight (1911) As a Boy Dreams (1911) The Stampede (1911) Sweet Memories (1911) In Old Madrid (1911) The Fisher-Maid (1911) Conscience (1911) The Message in the Bottle (1911) A Decree of Destiny (1911) A Manly Man (1911) Artful Kate (1911) Pictureland (1911) The Convert (1911) Her Darkest Hour (1911) The Mirror (1911) When the Cat's Away (1911) At the Duke's Command (1911) Three Sisters (1911) Maid or Man (1911) The Dream (1911) The Italian Barber (1911) Their First Misunderstanding (1911) When a Man Loves (1911) The Daddy's Dream (1911) A Dog's Tale (1911) How Mary Fixed It (1911) Science (1911) Little Nell's Tobacco (1910) White Roses (1910) A Child's Stratagem (1910) A Plain Song (1910) The Song of the Wildwood Flute (1910) Sunshine Sue (1910) Simple Charity (1910) Waiter No. 5 (1910) A Lucky Toothache (1910) The Masher (1910) That Chink at Golden Gulch (1910) A Gold Necklace (1910) The Iconoclast (1910) Examination Day at School (1910) A Summer Tragedy (1910) Little Angels of Luck (1910) Muggsy Becomes a Hero (1910) Wilful Peggy (1910) The Sorrows of the Unfaithful (1910) When We Were in Our Teens (1910) The Usurer (1910) An Arcadian Maid (1910) The Call to Arms (1910) Serious Sixteen (1910) A Flash of Light (1910) What the Daisy Said (1910) Muggsy's First Sweetheart (1910) A Child's Impulse (1910) May and December (1910) Never Again (1910/I) The Face at the Window (1910) A Victim of Jealousy (1910) In the Season of Buds (1910) Ramona (1910) An Affair of Hearts (1910) Love Among the Roses (1910) The Unchanging Sea (1910) The Kid (1910) A Romance of the Western Hills (1910) A Rich Revenge (1910) As It Is in Life (1910) The Two Brothers (1910) His Last Dollar (1910) The Smoker (1910) The Twisted Trail (1910) The Thread of Destiny (1910) The Newlyweds (1910) The Englishman and the Girl (1910) The Woman from Mellon's (1910) The Call (1910) All on Account of the Milk (1910) To Save Her Soul (1909) The Test (1909) The Trick That Failed (1909) The Mountaineer's Honor (1909) A Midnight Adventure (1909) A Sweet Revenge (1909) The Light That Came (1909) The Restoration (1909) The Gibson Goddess (1909) What's Your Hurry? (1909) Lines of White on a Sullen Sea (1909) In the Watches of the Night (1909) His Lost Love (1909) The Little Teacher (1909) The Awakening (1909) Wanted, a Child (1909) In Old Kentucky (1909) The Broken Locket (1909) The Children's Friend (1909) Getting Even (1909) The Hessian Renegades (1909) The Little Darling (1909) The Sealed Room (1909) Oh, Uncle! (1909) The Seventh Day (1909) The Indian Runner's Romance (1909) His Wife's Visitor (1909) They Would Elope (1909) A Strange Meeting (1909) The Slave (1909) Sweet and Twenty (1909) The Renunciation (1909) Tender Hearts (1909) The Cardinal's Conspiracy (1909) The Country Doctor (1909) The Necklace (1909) The Way of Man (1909) The Mexican Sweethearts (1909) The Peachbasket Hat (1909) The Faded Lilies (1909) Her First Biscuits (1909) The Son's Return (1909) The Lonely Villa (1909) The Violin Maker of Cremona (1909) What Drink Did (1909) His Duty (1909) Two Memories (1909) The Drive for a Life (1909) The Deception (1909) The Fascinating Mrs. Francis (1909) Mrs. Jones Entertains (1909) The Heart of an Outlaw (1909)   Mais As Doces e Esquecidas Atrizes do Cinema Silencioso Mary Pickford e Joan Crawford Mary Pickford - A Life On Film (ASSISTA ONLINE)
| 15220 ace
Lupe Velez (mexicana) Se tornou uma estrela do cinema mudo com o filme “The Gaucho”. Originalmente uma dançarina mexicana, foi descoberta por Fanny Brice. Maria Montez (dominicana) Descendene de espanhol, aprendeu inglês sozinha através das revistas. Iniciou a carreira como modelo e passou a ser conhecida como a rainha do technicolor. Maria Felix (mexicana) Ícone do cinema mexicano, ficou conhecida pelo título de "La Doña". Sua beleza e personalidade marcantes a levaram ao sucesso internacional e ao status de ícone Penelope Cruz (espanhola) De musa de Almodovar para a carreira em Hollywood foi um passo. Hoje em dia é uma das atrizes mais conhecida do mundo, tendo ganhado um Oscar de Melhor atriz Coadjuvante por Vicky Cristina Barcelona (2009). Sara Montiel (espanhola) Cantora e atriz espanhola, teve destaque em Hollywood, chegando a atuar ao lado de Paul Newman.   Rita Moreno (porto riquenha) A atriz recebeu quatro dos maiores prêmios concedidos a atores: Emmy, Globo de Ouro, Tony e Oscar.   Carmen Miranda (brasileira) Conhecida como Brazilian Bombshell, invadiu os Estados Unidos depois de uma sólida carreira no Brasil e até hoje é conhecida como um dos símbolos brasileiros. Rita Hayworth (Americana) Embora americana, era de origem espanhola. Margarita Carmen Cansino iniciou a carreira como dançarina, ao lado do pai e ficou imensamente conhecida por seu papel homônimo em Gilda.   Dolores del Rio (mexicana) Começou sua carreira nos Estados Unidos ainda no cinema mudo. Misteriosa e exótica, era considerada uma espécie de Rodolfo Valentino de saias. Era a grande rival de Maria Félix. Katy Jurado (mexicana) Foi a primeira atriz hispânica que disputou um Oscar da Academia. Isso em 1954. Katy era neta de ciganos.
| 15140 ace
  FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha   Nome:  Burton Stephen Lancaster Nascimento e local: 02/11/1913, New York. EUA Morte: 20/10//1994, Century City, CA, ataque cardíaco Ocupação: ator e produtor Nacionalidade: Americana Casamentos:  June Ernst,  Norma Anderson, Susan Martin Filhos: Bill Lancaster, James Stephen "Jimmy, Wlliam "Billy", Susan Elizabeth, Joanna Mari e Sighle   Biografia   Filho de um funcionário dos Correios, Burt passou a infância em Harlem, um bairro pobre de Nova York, tornando-se jogador de basquete na Universidade de Nova York. Começou a se apresentar em circos como acrobata. Depois da 2ª Guerra, iniciou no teatro com a peça “The Sound of Hunting”, na Broadway, sendo convidado a fazer o filme “Os Assassinos”, de Robert Siodmak, em 1946. Seguiram-se: "Brutalidade", "A Filha da Pecadora" e "Estranha Fascinação".  Tinha preferência por filmes de ação e westers. Nos anos 50 sua popularidade era grande, com sucessos como “A um passo da Eternidade” (que tem uma das mais lembradas cenas de beijo do cinema) e “Trapézio”. Produziu “Marty”, que ganou o Oscar de Melhor filme em 1955. O ator ganhou o Oscar em “Entre Deus e o Pecado”, no papel de um caixeiro viajante, recebendo mais três indicações por "A Um Passo da Eternidade", "O Homem de Alcatraz" e "Atlantic City". Em 1962 recebeu o de Melhor Ator no Festival de Veneza, por seu papel em “O Homem Alcatraz”.   Filmes   Mais DVDs e Livros Separate But Equal (1991) Voyage of Terror: The Achille Lauro Affair (1990) The Phantom of the Opera (1990) (TV) Bottega dell'orefice, La (1989) Field of Dreams (1989) Rocket Gibraltar (1988) Giorno prima, Il (1987) Tough Guys (1986) Barnum (1986) (TV) Little Treasure (1985) Scandal Sheet (1985) The Osterman Weekend (1983) Local Hero (1983) Pelle, La (1981) Cattle Annie and Little Britches (1981) Atlantic City (1980) Zulu Dawn (1979) Go Tell the Spartans (1978) The Island of Dr. Moreau (1977) Twilight's Last Gleaming (1977) The Cassandra Crossing - A Travessia de Cassandra (1976) Victory at Entebbe (1976) Novecento - 1900 (1976) Buffalo Bill and the Indians, or Sitting Bull's History Lesson (1976) Gruppo di famiglia in un interno (1974) The Midnight Man (1974) Executive Action (1973) Scorpio (1973) Ulzana's Raid - A Vingança de Ulzana  (1972) Valdez Is Coming (1971) Lawman (1971) Airport (1970) The Gypsy Moths (1969) Castle Keep (1969) The Swimmer (1968) The Scalphunters (1968) All About People (1967) The Professionals - Os Profissionais (1966) The Hallelujah Trail (1965) The Train (1964) Seven Days in May - Sete dias de maio (1964) The List of Adrian Messenger (1963) Gattopardo, Il - O Leopardo (1963) A Child Is Waiting - Minha Esperança é você (1963) Birdman of Alcatraz - O Homem de Alcatraz (1962) Judgment at Nuremberg - Julgamento em Nuremberg (1961) The Young Savages (1961) Elmer Gantry - Entre Deus e o Pecado (1960) The Unforgiven - O Passado Não Perdoa (1960) The Devil's Disciple (1959) Separate Tables - Vidas Separadas (1958) Run Silent Run Deep - O Mar é nosso túmulo (1958) Sweet Smell of Success - A Embriaguez do sucesso (1957) Gunfight at the O.K. Corral - Sem Lei e sem alma (1957) The Rainmaker - Lágrimas do céu (1956) Trapeze - Trapézio (1956) The Rose Tattoo (1955) The Kentuckian (1955) Vera Cruz (1954) Apache (1954) His Majesty O'Keefe (1954) Three Sailors and a Girl (1953) From Here to Eternity - A Um Passo da Eternidade (1953) South Sea Woman (1953) Come Back, Little Sheba (1952) The Crimson Pirate (1952) Ten Tall Men (1951) Jim Thorpe -- All-American (1951) Vengeance Valley (1951) . Mister 880 (1950) The Flame and the Arrow - O Gavião e a Flecha (1950) Rope of Sand (1949) Criss Cross (1949) Kiss the Blood Off My Hands (1948) . Sorry, Wrong Number (1948) All My Sons (1948) I Walk Alone (1948) Desert Fury (1947) Brute Force (1947) The Killers - Os assassinos (1946)   Mais Julgamento em Nuremberg As 50 maiores lendas do cinema, segundo a AFI   Prêmios Indicação ao Oscar de ator[2] em From Here to Eternity ("A Um Passo da Eternidade"), em 1953. Oscar de ator em Elmer Gantry ("Entre Deus e o Pecado"), em 1960. Indicação ao Oscar de ator em The Birdman of Alcatraz ("O Homem de Alcatraz"), em 1962. Indicação ao Oscar de ator em Atlantic City ("Atlantic City"), em 1981. Imagens   Vídeos   Vgm47U_TVwk
| 15129 ace
Título Original: Snow White and the Seven Dwarfs Ano/País/Gênero/Duração: 1935 / EUA / Animação / 83min Direção: David Hand Produção: Walt Disney Roteiro:  Ted Sears, Richard Creedon, Otto Englander, Dorothy Ann Blank, Dick Rickard, Earl Hurd, Merrill De Maris Sinopse Branca de neve era uma princesa, que desde cedo chamava a atenção com sua beleza. Após a morte de sua mãe, seu pai casou-se novamente. Desta vez com uma mulher má, que usava o espelho para saber se continuava a ser a mulher mais linda do mundo. Branca de Neve cresce e se transforma em uma das mulheres mais lindas do reino, causando a ira da madrasta, que, com raiva dela, manda assassina-la. Com pena de Branca de Neve, o caçador retira o coração de um animal e leva para a madrasta, e esta pensa que a garota está morta. Branca de Neve foge e vai morar no bosque, ao lado de 7 anões - Mestre, Feliz, Zangado, Soneca, Dengoso e Dunga. A madrasta descobre que ela está viva e vai atrás para lhe entregar uma maçã envenenada. Os anões acham que ela morreu, e a colocam em um caixão de vidro, onde ela é vista por um príncipe que a beija, trazendo-a de volta à vida. Curiosidades - Baseado na fábula dos irmãos Grimm. - Orçamento de US$ 1,5 milhão de dólares. - Foram necessários três anos para terminar a animação. - Foram utilizados 32 animadores, 102 assistentes, 107 in-betweeners, 20 artistas de layout, 25 artistas de cenários, 65 animadores de efeitos especiais  e 158 profissionais incumbidos da colorização dos personagens animados nas chapas de acetato transparente. - Modelos vivos foram fotografados para que os movimentos da animação ficassem mais realísticos. - O filme é composto por 250.000 desenhos. - A trilha sonora foi gravada por uma orquestra de 80 músicos. - Inicialmente, os nomes dos 7 anões eram: Flick, Glick, Blick, Snick, Plick, Whick e Queen. - O anão Atchim foi inspirado no ator Billy Gilbert, famoso por seu espirro hilário. - Walt Disney recebeu 7 oscars “anões”, em homenagem ao filme. - Primeiro longa metragem animado. Prêmios - Oscar Especial pelas inovações ao gênero cinematrográfico e Trilha Sonora. Imagens
| 15058 ace
  Título Original: The Adventures of Robin Hood Ano/País/Gênero/Duração: 1938 / EUA / Aventura / 102min Direção: Michael Curtiz, William Keighley Produção: Henry Blanke Roteiro:  Michael Curtiz, William Keighley Fotografia: Tony Gaudio e Sol Polito Música: Erich Wolfgang Korngold Elenco: Errol Flynn ... Robin Hood Olivia de Havilland ... Maid Marian Basil Rathbone ... Sir Guy of Gisbourne Claude Rains ... Prince John Patric Knowles ... Will Scarlett Eugene Pallette ... Friar Tuck Alan Hale ... Little John Melville Cooper ... High Sheriff of Nottingham Ian Hunter ... King Richard the Lion-Heart Una O'Connor ... Bess Herbert Mundin ... Much Montagu Love ... Bishop of the Black Canons Leonard Willey ... Sir Essex Robert Noble ... Sir Ralf Kenneth Hunter ... Sir Mortimer   Sinopse Ricardo Coração de Leão (Ian Hunter) é o Rei da Inglaterra, e acaba sendo sequestrado ao retornar das cruzzadas. Com isso, o príncipe John (Claude Rains) quer tomar seu trono. Robin de Locksley (Errol Flynn) por não concordar com as autoridades, que humilham os pobres deixando-os desamparados, passa a agir como um for a da lei para defende-los. Roubando dos ricos para dar aos pobres, torna-se uma lenda. Acaba se apaixonando por Marian (Olivia de Havilland), prometida pelo príncipe ao arrogante Sir Guy (Basil Rathbone).   ASSISTA ONLINE     Imagens
| 15047 ace
Título Original: Dames Ano/País/Gênero/Duração: 1934 / EUA / Comedia Musical / 91min Direção: Ray Enright e Busby Berkeley Produção: Hal B. Wallis Roteiro: Delmer Daves Fotografia: George Barnes Música: Heinz Roemheld Elenco Joan Blondell ...     Mabel Anderson Dick Powell ...     James 'Jimmy' Higgens Ruby Keeler ...     Barbara Hemingway, aka Joan Grey Zasu Pitts ...     Matilda Ounce Hemingway Guy Kibbee    ...     Horace Peter Hemingway Hugh Herbert    ...     Ezra Ounce Arthur Vinton    ...     Bulger, Ounce's Bodyguard Phil Regan    ...     Johnny Harris, Songwriter Arthur Aylesworth    ...     Train Conductor Johnny Arthur    ...     Billings, Ounce's Secretary Leila Bennett    ...     Laura, Matilda's Maid Berton Churchill    ...     Harold Ellsworthy Todd Sinopse Ezra (Hugh Herbert) é um excentrico milionário que deseja fazer uma campanha nacional contra o que ele considera espetáculos escandalosos e quer ter certeza de que sua herança irá para parentes decentes. Ele descobre que Jimmy (Dick Powell), um parente seu, está ensaiando um espetáculo desses com Barbara (Ruby Keeler). Download: Este filme é de  domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria.   Legendas Pesquisar este filme no SUBMARINO   Imagens
| 15046 ace
  Título Original: Bronenosets Potyomkin Ano/País/Gênero/Duração: 1925 / Rússia / Guerra / 74min Direção: Sergei Eisenstein Produção: Jacob Bliokh Roteiro: Nina Agadzhanova e Sergei Eisenstein Fotografia: Vladimir Popov e Eduard Tisse Música: Edmund Meisel   Elenco   Aleksandr Antonov ... Grigory Vakulinchuk - Bolshevik Sailor Vladimir Barsky ... Commander Golikov Grigori Aleksandrov ... Chief Officer Giliarovsky Ivan Bobrov ... Young Sailor Flogged While Sleeping Mikhail Gomorov ... Militant Sailor Aleksandr Levshin ... Petty Officer N. Poltavtseva ... Woman With Pince-nez Konstantin Feldman ... Student Agitator Prokopenko ... Mother Carrying Wounded Boy A. Glauberman ... Wounded Boy Beatrice Vitoldi ... Woman With Baby Carriage   Sinopse   Durante a revolução bolchevista de 1905, marinheiros estão no cruzador Potenkim e se revoltam devido os maus tratos sofridos. A população de Odessa apóia-os, organizando-se em praças públicas em protestos contra o czarismo. As tropas do governo massacram os rebeldes, o que causa mais revolta.   Curiosidades     - A obra mais importante de Serguei Eisenstein. - Feito sob encomenda para comemorar os 20 anos da revolução russa. - No filme Os Intocáveis, Brian de Palma faz uma referência à cena da escadaria de Odessa. - A sequencia da escadaria tem 11 minutos. - O filme é dividido em cinco partes. - Originalmente o filme tinha uma partitura feita pelo compositor Edmund Meisel.   ASSISTA ONLINE         Imagens
| 15043 ace
Título Original: Desirée Ano/País/Gênero/Duração: 1954 / EUA / Drama / 119min Direção: Henry Koster Produção: Julian Blaustein Roteiro:  Annemarie Selinko e Daniel Taradash Fotografia: Milton R. Krasner Música: Alex North     Elenco     Marlon Brando ...     Napoleon Bonaparte Jean Simmons ...     Desiree Clary Merle Oberon ...     Empress Josephine Michael Rennie    ...     Jean-Baptiste Bernadotte Cameron Mitchell    ...     Joseph Bonaparte Elizabeth Sellars    ...     Julie Charlotte Austin    ...     Paulette Bonaparte Cathleen Nesbitt    ...     Mme. Bonaparte Evelyn Varden    ...     Marie Isobel Elsom    ...     Mme. Clary John Hoyt    ...     Talleyrand Alan Napier    ...     Despreaux   Sinopse   Napoleão (Marlon Brando) apaixona-se pela jovem Desiree (Jean Simmons) e deseja se casar com ela. Mas a carreira dele os separa e eles seguem por caminhos diferentes. Ele se torna o maior líder francês e casa-se com Josephine (Mele Oberon) por conveniência. Ela se casa com Bernadotte (Michael Rennie), general de Napoleão. Bernadotte torna-se o herdeiro do rei da Suécia e Desiree poderá se tornar a Rainha da Suécia, e, portanto, seus inimigos.     ASSISTA ONLINE           Imagens  
| 15032 ace
Título Original: True Grit Ano/País/Gênero/Duração: 1969 / EUA / Faroeste / 133min Direção: Henry Hathaway Produção: Hal B. Wallis Roteiro:  Marguerite Roberts Fotografia: Lucien Ballard Música: Elmer Bernstein Elenco John Wayne .... Xerife Reuben J. "Rooster" Cogburn Glen Campbell .... Sargento LaBoef Kim Darby .... Mattie Ross Jeremy Slate .... Emmett Quincy Robert Duvall .... "Lucky" Ned Pepper Dennis Hopper .... Moon Garrett Alfred Ryder .... Goudy Strother Martin .... Coronel G. Stonehill Jeff Corey .... Tom Cheney Ron Soble .... Capitão Boots Finch John Fiedler .... J. Noble Daggett James Westerfield .... Juiz Isaac Parker Donald Woods .... Barlow Sinopse Mattie Roos (Kim Darby), contrata o xerife Reuben (John Wayne) para que ele encontre o assassino de seu pai. Como parte do plano, exige que ela esteja presente na perseguição, para verificar que foi cumprido o acordo. Curiosidades - Único filme em que John Wayne conseguiu um Oscar. - John Wayne dispensou dublês nas cenas mais perigosas. Prêmios - Oscar de Melhor Ator para John Wayne. - Indicação ao Oscar de Melhor Música, e som.     Imagens
| 15019 ace
Nome:  Michel Demitri Shalhoub Nascimento e local: 10/04/1932, Alexandria, Egito Ocupação: ator Nacionalidade: egpsio Casamento: Faten Hamama Filhos: Sohair Ramzi, Tarek Sharif Biografia Michel Demitri Shalhoub, mais conhecido como Omar Sharif, nasceu em 20 de abril de 1932, na Alexandria, Egito, filho de pais judeus de ascendência libanesa. Formou-se na na Universidade do Cairo em matemática e física, chegando a trabalhar nos negócios do pai. Sua carreira artística iniciou-se em 1953, no filme The Balzing Sun, um filme egípcio. Após diversos filmes em seu país, chegou em Hollywood, para estrelar seu primeiro filme em língua inglesa: Lawrence da Arábia, de 1962, desempenhando o papel do xerife Ali. Com o filme ele concorreu ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante e ganhou o Globo de Ouro de Ator Coadjuvante e Revelação Masculina. Seguiram-se o clássico Doutor Jivago, de David Lean e Funny Girl, onde trabalhou ao lado de Barbra Streisand. Omar fala fluentemente inglês, grego, francês, italiano e árabe. Omar se arrependeu de ter feito o papel de Che Guevara em 1969 no filme homônimo. Isso porque, segundo o ator, o filme foi manipulado pela CIA (agência de inteligência americana). Ele chegou a afirmar que o filme foi o maior erro de sua vida. Com uma carreira extensa, o ator ganhou o Globo de Ouro de melhor ator por Dr. Jivago e recentemente, em 2004 o prêmio de Melhor Ator no Festival de Veneza, pelo filme “Uma amizade sem fronteiras”. Filmes •  J'ai oublié de te dire (2009) •  Hassan wa Morcus (2008) •  One Night with the King (2006) •  Kronprinz Rudolf (2006) •  The Ten Commandments (2006) •  Fuoco su di me (2006) •  San Pietro (2005) •  Benji: Off the Leash! (2004) •  Hidalgo (2004) •  Monsieur Ibrahim et les fleurs du Coran (2003) •  Shaka Zulu: The Citadel (2001) •  The Parole Officer (2001) •  Censor (2001) •  The 13th Warrior (1999) •  Heaven Before I Die (1997) •  Gulliver's Travels (1996) •  Catherine the Great (1995) •  Lie Down with Lions (1994) •  Dehk, we leab we gad we hob (1993) •  Mrs. 'Arris Goes to Paris (1992) •  Tengoku no Taizai (1992) •  Beyond Justice (1992) •  588 rue paradis (1992) •  Memories of Midnight (1991) •  Mayrig (1991) •  Al-moaten Masry (1991) •  Viaggio d'amore (1990) •  The Rainbow Thief (1990) •  Le roi de Patagonie (1990) •  Quattro piccole donne (1989) •  Al-aragoz (1989) •  Les pyramides bleues (1988) •  Les possédés (1988) •  Keys to Freedom (1988) •  Grand Larceny (1987) •  Anastasia: The Mystery of Anna (1986) •  Harem (1986) •  Edge of the Wind (1985) •  Vicious Circle (1985) •  Top Secret! (1984) •  La Martingale (1983) •  Ayoub (1983) •  Green Ice (1981) •  Pleasure Palace (1980) •  Oh Heavenly Dog (1980) •  The Baltimore Bullet (1980) •  S+H+E: Security Hazards Expert (1980) •  Bloodline (1979) •  Ashanti (1979) •  Mysteries of the Great Pyramids (1977) •  Ace Up My Sleeve (1976) •  Funny Lady (1975) •  Juggernaut (1974) •  The Tamarind Seed (1974) •  La isla misteriosa (1973) •  Le droit d'aimer (1972) •  Le casse (1971) •  The Horsemen (1971) •  The Last Valley (1970) •  Che! (1969) •  The Appointment (1969) •  Mackenna's Gold (1969) •  Mayerling (1968) •  Funny Girl - Uma garota genial (1968) •  C'era una volta... (1967) •  The Night of the Generals (1967) •  Poppies Are Also Flowers - O ópio também é uma flor (1966) •  Doctor Zhivago - Doutor Jivago (1965) •  La fabuleuse aventure de Marco Polo (1965) •  Genghis Khan (1965) •  El mamalik (1965) •  The Yellow Rolls-Royce - O Rolls-Royce amarelo (1964) •  Behold a Pale Horse (1964) •  The Fall of the Roman Empire (1964) •  Lawrence of Arabia - Laurence da Arábia (1962) •  Ishayat hub (1961) •  Gharam el assiad (1961) •  Hubbi el wahid (1961) •  Nahr el hub (1961) •  Fi baitina rajul (1961) •  Lawet el hub (1960) •  Bidaya wa nihaya (1960) •  Seraa fil Nil (1959) •  Min ajal emraa (1959) •  Fadiha fil Zamalek (1959) •  Maweed maa maghoul (1959) •  Sayedat el kasr (1959) •  Goha (1958) •  Shatie el asrar (1958) •  La anam (1958) •  Ghaltet habibi (1958) •  Ard el salam (1957) •  La châtelaine du Liban (1956)   •  Siraa Fil-Mina (1956) •  Ayyamine el helwa (1955) •  Shaytan al-Sahra (1954) •  Siraa Fil-Wadi (1954)  
| 14861 ace
1. Touro Indomável (1980)   2. O Iluminado (1982)   3. E.T. O Extraterrestre (1982)   4. Era Uma Vez na América (1984)   5.Scarface (1983)   6. Cinema Paradiso (1988)   7. Carruagens de Fogo (1981) 8. De Volta Para o Futuro (1985)   9. Conduzindo Miss Daisy (1989)   10. Curtindo a Vida Adoidado (1986)   Outras menções: Amadeus (1984) Mulheres à Beira de Um Ataque de Nervos (1988) Tootsie (1982) De Volta Para o Futuro 2 ( 1989) Depois de Horas (1985) Veludo Azul (1986) Os Intocáveis (1987)
| 14860 ace
*"Anos atrás, eu tentava suplantar todo mundo, mas deixei de fazer isso, pois percebi que estava destruindo o diálogo. Quando você fica sempre tentando ser o maioral, não está realmente ouvindo nada. isso acaba com a comunicação." * "Acho a televisão muito educativa. Toda as vezes que alguém liga o aparelho, vou para outra sala e leio um livro." * "O matrimônio é a principal causa do divórcio." * "O matrimônio é uma grande instituição. Naturalmente, se você gostar de viver em uma instituição." * "Só há um forma de saber se um homem é honesto... pergunte-o. Se ele disser 'sim', então você sabe que ele é corrupto." * "Eu não freqüento clubes que me aceitem como sócio." * "Há muitas coisas na vida mais importantes que o dinheiro, mas custam tanto..." * "Eu corri atrás de uma garota por dois anos apenas para descobrir que os seus gostos eram exatamente como os meus: Nós dois éramos loucos por garotas." * "Eu não posso dizer que não discordo com você." * "Eu pretendo viver para sempre, ou morrer tentando." * "Eu bebo para fazer as outras pessoas interessantes." * "Eu fui casado por um juiz. Eu deveria ter pedido por um júri". * "Eu não sou vegetariano, mas como animais que são". * "Eu quero ser cremado. Um décimo das minhas cinzas devem ser dadas ao meu agente, assim como está escrito em nosso contrato". * "Case-se comigo e eu nunca mais irei olhar para outro cavalo!" * "Inteligência Militar é uma contradição em termos." * "Estes são os meus princípios. Se você não gosta deles, eu tenho outros." * "Eu nunca esqueço um rosto, mas, no seu caso, vou abrir uma exceção" * "Do momento em que peguei seu livro até o que larguei, eu não consegui parar de rir. Um dia, eu pretendo lê-lo" * "A nossas esposas e namoradas: que nunca se encontrem." * "Inclua-me fora disso." * "Por que eu deveria me importar com a posteridade? Ela nunca fez nada por mim." * "Por trás de cada homem de sucesso há uma mulher, atrás dela está a esposa dele"
| 14800 ace
Título Original: Tarzan and His Mate Ano/País/Gênero/Duração: 1934 / Aventura / EUA/ 104min Direção: Cedric Gibbons, Jack Conway Produção: Bernard H. Hyman Roteiro: James Kevin McGuinness Fotografia: Charles G. Clarke, Clyde De Vinna Música: William Axt, Paul Marquardt, George Richelavie, Fritz Stahlberg Elenco Johnny Weissmuller ... Tarzan Maureen O’Sullivan ... Jane Parker Neil Hamilton ... Harry Holt Paul Cavanagh ... Martin Arlington Forrester Harvey ... Beamish Nathan Curry ... Saidi Everett Brown ... Bearer Ray Corrigan ... Gorilla Yola d'Avril ... Madame Feronde Paul Porcasi ... Monsieur Feronde Desmond Roberts ... Henry Van Ness William Stack ... Tom Pierce Sinopse Harry Holt (Neil Hamilton), o ex-noivo de Jane (Maureen O’Sullivan), retorna à África, juntamente com um contrabandista de marfim, para conseguir marfim e se vingar de Tarzan, que tomou-lhe a noiva. Após vários dias enfrentando perigos, ele reencontra Jane, que fica feliz em lhe ver. Ele tenta lhe convencer a voltar para a civilização, mostrando-lhe artigos que trouxe da Europa, como perfumes, roupas, maquiagem, mas ela prefere ficar ao lado de Tarzan (Johnny Weissmuller). Curiosidades - O filme marca a estréia de Cedric Gibbons na MGM. - Foram utilizados elefantes africanos nas cenas, por serem mais fáceis de manusear. - Betty Roth, esposa do supervisor de animais Louis Roth foi dublê de O’Sullivan em algumas cenas. - Na cena em que Tarzan e Jane nadam nus, O’Sullivan não aparece, e sim Josephine McKim, nadadora. Além disso a cena foi feita de três maneiras: com Jane vestida com duas peças, com uma e totalmente nua. Todas as três versões foram tiradas do filme pela Legião de Decência. - Recentemente as cenas de nu foram descobertas nos cofres da MGM. - O traje de Jane, que era feito com dois pedaços de pano foi substituído por uma peça única, pois mostrava muito o corpo da atriz. Download: Este filme é de domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria.   Legendas Imagens
| 14762 ace
    Ficha   Nome: Ruth Elizabeth Davis Nascimento e local: 05/04/1908, Lowell, EUA Morte: 06/10/1989, Neully-sur-Seine, França, câncer Ocupação: atriz Nacionalidade: Americana Casamentos: Harmon Nelson, Arthur Farnsworth, William Grant Sherry, Gary Merrill Filhos: Barbara Davis Hyman, Michael e Margot (adotados)   Biografia   Bette Davis nasceu na Nova Inglaterra, e sua carreira teve início na Broadway em 1928. Queria ser dançarina, mas queria também ganhar muito dinheiro. Decidiu ser atriz. Dois anos estreava no cinema, na Universal, com “Bad sister” (1931). Depois disso foi pra a Warner, onde estrearia grandes sucessos, dos quais ganhando 2 Oscars em Perig a (1935) e Jezebel (1938). Fez ainda Escravos do desejo (1934), Mulher marcada”, dentre outros. Era extremamente temperamental, tornaram-se públicas suas discussões com Jack Warner sobre salários e roteiros. Saiu da Warner em 1949 e no ano seguinte fez “A malvada”. Durante a década de 60 fez filmes de baixo orçamento, dos quais “O que aconteceu a Baby Jane?”, de 1962, onde ela protagonizou com sua rival (nas telas e na vida) Joan Crawford. . Tornou-se presidente da Academia em 1941 e concorreu a 10 Oscars como melhor atriz. Em 1977 recebeu o American Film Institute pela sua carreira. Bette faleceu em 1989, aos 81 anos, depois de vários derrames cerebrais. Filmes   Wicked Stepmother (1989) The Whales of August - Baleias de Agosto (1987) As Summers Die (1986) (TV) Murder with Mirrors (1985) (TV) Right of Way (1983) (TV) Little Gloria... Happy at Last (1982) (TV) A Piano for Mrs. Cimino (1982) (TV) Family Reunion (1981) (TV) Skyward (1980) (TV) The Watcher in the Woods (1980) White Mama (1980) (TV) The Children of Sanchez (1978) Death on the Nile - Morte sobre o Nilo (1978) Return from Witch Mountain (1978) The Disappearance of Aimee (1976) Burnt Offerings (1976) Hello Mother, Goodbye! (1974) (TV) Scream, Pretty Peggy (1973) (TV) The Judge and Jake Wyler (1972) (TV) Scopone scientifico, Lo (1972) Madame Sin (1972) Bunny O'Hare (1971) Connecting Rooms (1970) The Anniversary - O Aniversário (1968) The Nanny - Nas Garras do Ódio (1965) Hush...Hush, Sweet Charlotte - Com a Maldade na Alma (1964) Where Love Has Gone - Escândalo na Sociedade (1964) Dead Ringer - Alguém morreu no meu lugar (1964) What Ever Happened to Baby Jane? - O que Aconteceu a Baby Jane (1962) Pocketful of Miracles - Dama Por um Dia (1961) The Scapegoat - O Estranho Caso do Conde (1959) John Paul Jones - Ainda não comecei a lutar (1959) Storm Center - O Despertar das tormentas (1956) The Catered Affair - A Festa de Casamento (1956) The Virgin Queen - A Rainha Tirana (1955) The Star - Lágrimas Amargas (1952) Phone Call from a Stranger - Telefonema de um estranho (1952) Another Man's Poison - Mulher maldita (1951) Payment on Demand - Depois da Tormenta (1951) All About Eve - A Malvada (1950) Beyond the Forest - A filha de satanás (1949) June Bride - A Noiva da Primavera (1948) Winter Meeting - Encontro na Primavera (1948) Deception - Que o céu a condene (1946) A Stolen Life - Uma Vida Roubada (1946) The Corn Is Green - O coração não envelhece (1945) Mr. Skeffington - Vaidosa (1944) Old Acquaintance - Uma velha amizade (1943) Watch on the Rhine - Horas de Tormenta (1943) Now, Voyager - Estranha passageira (1942) In This Our Life - Nascida para o Mal (1942) The Man Who Came to Dinner - Satã Jantou lá em Casa (1942) The Little Foxes - Pérfida (1941) The Bride Came C.O.D. - A Noiva Caiu do Céu (1941) Shining Victory - Gloriosa Vitória (1941) The Great Lie - A Grande Mentira (1941) The Letter - A Carta (1940) All This, and Heaven Too- Tudo isto e céu também (1940) If I Forget You (1940) The Private Lives of Elizabeth and Essex - Meu Reino por um amor (1939) The Old Maid - Eu soube amar (1939) Juarez (1939) Dark Victory - Vitória Amarga (1939) The Sisters - As Irmãs (1938) Jezebel (1938) It's Love I'm After - Somos do Amor (1937) That Certain Woman - Cinzas do Passado (1937) Kid Galahad - Talhado para campeão (1937) Marked Woman - A Mulher marcada (1937) Satan Met a Lady - Relíquia Fatal (1936) The Golden Arrow - A Flecha de Arrow (1936) The Petrified Forest - A floresta petrificada (1936) Dangerous - Perigosa (1935) Special Agent - Nas Garras da Lei (1935) Front Page Woman - Miss Reporter (1935) The Girl from 10th Avenue - Quando o amor agarra (1935) Bordertown - A Barreira (1935) Housewife - Dona de casa (1934) Of Human Bondage - Escravos do Desejo (1934) Fog Over Frisco - Névoa de Mistério (1934) Jimmy the Gent - Bancando o cavalheiro (1934) Fashions of 1934 - Modas de 34 (1934) The Big Shakedown - Drogas infernais (1934) Bureau of Missing Persons - Os Desaparecidos (1933) Ex-Lady - Amante do seu marido (1933) The Working Man - Negócios em Família (1933) Parachute Jumper - Em plenas nuvens (1933) Just Around the Corner (1933) 20,000 Years in Sing Sing - Vinte Mil anos em Sing Sing (1932) Three on a Match - Três ainda é Bom (1932) The Cabin in the Cotton - Escravos da Terra (1932) The Dark Horse - Surpresas Convencionais (1932) The Rich Are Always with Us - Erros do Coração (1932) So Big! - No Palco da Vida (1932) The Man Who Played God - O Homem Deus (1932) Hell's House - A Casa Infernal (1932) The Menace - A Ameaça (1932) Way Back Home - A Volta ao Lar (1931) Waterloo Bridge - A Ponte de Waterloo (1931) Seed - Semente (1931) The Bad Sister - A Irmã Má (1931) Mais Bette Davis: Um Magnânimo Vulcão (ASSISTA ONLINE)   Prêmios Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (Oscar) (EUA) Recebeu dez nomeações oficiais na categoria de Melhor Atriz e uma sem estar nos boletins de voto (as regras da Academia permitiam que tal acontecesse na altura). Até 2010, só duas atrizes tiveram tantas nomeações nessa categoria: Katharine Hepburn (12) e Meryl Streep (16, e mais três como atriz (coadjuvante/secundária)). Os filmes por que foi nomeada são: Oscar (Estados Unidos) 1934 - Of Human Bondage (br.: Servidão Humana ou Escravos do Desejo) - O nome de Bette foi inscrito directamente nos boletins de voto. Ficou em terceiro lugar, deixando uma das três nomeadas oficiais com menos votos. 1935 - Dangerous (br.: Perigosa) (venceu) 1938 - Jezebel (br.: Jezebel; pt.: Jezebel, a Insubmissa) (venceu) 1939 - Dark Victory (br.: Vitória Amarga; pt.: Vitória Negra) 1940 - The Letter (br.: A Carta) 1941 - The Little Foxes (br.: Pérfida; pt.: Raposa Matreira) 1942 - Now, Voyager (br.: A Estranha Passageira) 1944 - Mr. Skeffington (br.: Vaidosa) 1950 - All About Eve (br.: A Malvada; pt.: Eva) 1952 - The Star (br.: Lágrimas Amargas) 1962 - What Ever Happened to Baby Jane? (br.: O que Terá Acontecido a Baby Jane?) Bafta (Reino Unido) 1962 - What Ever Happened to Baby Jane? (br.: O que Terá Acontecido a Baby Jane?) - Melhor atriz não britânica César (França) 1986 - Ganhou um Cesar honorário. Festival de Cinema de Cannes (França) 1950 - All About Eve (br.: A Malvada; pt.: Eva) - Melhor atriz (venceu) Festival de Cinema de Veneza (Itália) 1937 - Kid Galahad (br.: Talhado para Campeão) - Copa Volpi de melhor atriz (venceu) Globo de Ouro (Estados Unidos) 1950 - All About Eve (br.: A Malvada; pt.: Eva) - Melhor atriz/ drama 1961 - A Pocketful of Miracles (br.: Dama por um Dia) - Melhor atriz/ musical ou comédia 1962 - What Ever Happened to Baby Jane? (br.: O que Terá Acontecido a Baby Jane?) - melhor atriz/ drama 1974 - Prêmio Cecil B. DeMille pelo conjunto da obra Círculo de Críticos de Nova York (Estados Unidos) 1950 - All About Eve (br.: A Malvada; pt.: Eva) - Melhor atriz (venceu)   Imagens   Vídeos vnr3AMCmJ3A   TTtpDwrKaxo
| 14681 ace
Título Original: Inherit the Wind Ano/País/Gênero/Duração: 1960 / EUA / Drama | Histórico | Romance / 128min Direção: Stanley Kramer Produção: Stanley Kramer     Roteiro: Nedrick Young e Harold Jacob Smith Fotografia: Ernest Laszlo Música: Ernest Gold Elenco Spencer Tracy ...     Henry Drummond Fredric March ...     Matthew Harrison Brady Gene Kelly ...     E. K. Hornbeck Dick York    ...     Bertram T. Cates Donna Anderson    ...     Rachel Brown Harry Morgan    ...     Judge Mel Coffey Claude Akins    ...     Reverend Jeremiah Brown Elliott Reid    ...     Prosecutor Tom Davenport Paul Hartman    ...     Bailiff Horace Meeker Philip Coolidge    ...     Mayor Jason Carter Jimmy Boyd    ...     Howard Noah Beery Jr.    ...     John Stebbins Norman Fell    ...     WGN Radio Technician Gordon Polk    ...     George Sillers Hope Summers    ...     Mrs. Krebs - Righteous Townswoman Sinopse Tennesse, 1925. O professor John Thomas Scopes é julgado por ensinar a teoria darwiniana da evolução em uma escola público. O caso acabou tendo repercussão mundial e o julgamento durou 11 dias, sendo o primeiro a ser transmitido por rádio. Curiosidades - Baseado em um caso real. - O título original vem do livro dos Provérbios, 11:29: "Aquele que perturba a sua casa herdará o vendo". - Gene Kelly inicialmente recusou o papel oferecido. Mas acabou aceitando por trabalhar com Spencer Tracy e Fredric March. - A cena final do juri foi feita em um único take. - O personagem de Henry Drummond é baseado no adovogado Clarence Darrow. Matthew Harrison é baseado em Willliam Jenning Bryan e o professor Bertram Cates em John Thomas Scopes.
| 14652 ace
"Estilo é plagiar a si mesmo". "Quando um ator vem até mim e quer discutir seu personagem, eu digo, 'Está no roteiro'. Se ele disser, 'Mas qual a minha motivação?', eu respondo, 'Seu salário'." "Há algo mais importante que a lógica: é a imaginação." "A televisão é como as torradeiras: carrega-se no botão e sai sempre a mesma coisa." “Nunca vire as costas a um amigo.” “O diálogo deve ser simplesmente um som, entre outros sons, apenas algo que sai da boca de pessoas cujos olhos contam a história em termos visuais.” “Loiras fazem as melhores vítimas. Eles são como neve virgem, que mostra as sangrentas pegadas.” “Sempre faça o público sofrer tanto quanto possível.” "Parece que temos uma compulsão atualmente em enterrar cápsulas do tempo para dar às pessoas do próximo século alguma idéia do que somos. Eu preparei uma das minhas próprias cápsulas do tempo. Coloquei umas amostras de dinamite, pólvora e nitroglicerina. Minha cápsula do tempo vai até o ano 3000. Ela mostrará a eles o que realmente somos." “Mesmo meus fracassos ganham dinheiro e se tornam clássicos um ano depois que os faço.” “Tenho a cura perfeita para curar uma dor de garganta: cortá-la.” “Em filmes assassinatos são sempre muito limpos. Eu vou mostrar como é difícil e confuso matar um homem.” “Eu sou um filantropo: Eu dou às pessoas o que querem. As pessoas adoram estar horrorizadas, apavoradas.” “A duração do filme deve estar directamente relacionado com a resistência da bexiga humana.” “Não há terror em um estrondo, apenas na antecipação dele.” - Em resposta ao seu estilo de suspense “Para mim Psicose foi uma uma grande comédia. Tinha que ser.” “O seu melhor lado? Minha querida, você está sentado sobre ele.” - Para Kim Novak, atriz de Janela Indiscreta. "Este prêmio é significante porque vem de meus companheiros comerciantes da celulóide." "Não há nada tão bom quanto um funeral no mar. É simples, limpo e não muito incriminador." "Não há terror num murro, somente na antecipação dele." "O jornal é muito interessante, mas eu acho que jamais substituirá o livro por ser um apoio de porta muito pobre." "A única forma de me livrar de meus medos é fazer filmes sobre eles." "A duração de um filme deveria estar diretamente relacionada à paciência da bexiga urinária humana." "A televisão é como a invenção da solda caseira. Ela não mudou o hábito das pessoas. Ela apenas as manteve dentro de casa." "A televisão tem feito muito pela psiquiatria ao espalhar informações sobre ela, bem como ao contribuir para a necessidade dela." "Alguns de nossos assassinatos mais esquisitos são domésticos, executados com ternura em lugares simples e caseiros como a mesa da cozinha." "Auto-plagiar-se é estilo." "Ver um assassinato na televisão pode ajudar a tirar gradualmente os antagonismos disso. E se você não tiver nenhum antagonismo, os comerciais lhe darão algum." "Não se deve nunca armar um assassinato. Eles devem acontecer inesperadamente, como na vida."  
| 14646 ace
Título Original: The Mark of Zorro Ano/País/Gênero/Duração: 1920 / EUA / Aventura / 105min Direção: Fred Niblo e Theodore Reed Produção: Douglas Fairbanks Roteiro: Johnston McCulley Fotografia: William C. McGann Música: William Axt Elenco Douglas Fairbanks - Don Diego Vega/Señor Zorro Marguerite De La Motte - Lolita Pulido Noah Beery, Sr. - Sgt. Pedro Gonzales Charles Hill Mailes - Don Carlos Pulido Claire McDowell - Dona Catalina Pulido Robert McKim - Capt. Juan Ramon George Periolat - Gov. Alvarado Walt Whitman - Fray Felipe Sidney De Gray - Don Alejandro Tote Du Crow - Bernardo Noah Beery, Jr. - Boy Sinopse Don Diego Veja (Douglas Fairbanks) é o filho do rancheiro Don Alejandro (Sidney De Gray). Ao notar os maus tratos sofridos pelos pobres ele fantasia-se ventindo uma capa, máscara e espada, e parte para fazer a justiça com as próprias mãos. Curiosidades - Roteiro baseado em The Curse of Capistrano, de Johnston McCulley. ASSISTA ONLINE   Imagens
| 14596 ace
  “Vou empregar todos os meus esforços para que a música popular do Brasil conquiste a América do Norte, o que seria um caminho para a sua consagração em todo o mundo.” (Entrevista dada ao Diário de Notícias cinco dias antes de embarcar para os EUA -1939) “Coloco tempero brasileiro no gosto daquela boa gente (americanos)....Nos meus números não faltam nada: canela, pimenta, dendê, cominho...” “Tenho, às vezes, receio da responsabilidade, mas na hora H, quando eu perguntar ao público ‘o que é que a baiana tem’, sinto que o calor da torcida dos meus amigos que me ouvem agora, me dará ânimo para responder com aquele ‘it’ que vocês sabem.” "Eu desmereço os artistas que dizem que não é preciso ganhar um prêmio para ter seu talento reconhecido. Se eu fosse uma verdadeira atriz (Sou apenas uma intérprete) eu daria tudo de mim para ganhar um Oscar, ainda mais sabendo que a Academia é uma instituição formada por pessoas que realmente entendem do assunto." "Eu escolhi meu anel de casamento pessado e grosso para ele durar para sempre. Mas exatamente por causa disso toda hora que eu e Dave temos uma discussão eu o sinto como uma algema, e no momento de raiva eu o jogo no lixo. Coitado do Dave, ele já comprou três aneis de casamento para mim!" "Nunca segui o que dizem que 'está na moda'. Acho que a mulher deve usar o que lhe cai bem. Por isso criei um estilo apropriado ao meu tipo e ao meu gênero artístico." "Gosto muito dos aplausos de uma plateia, seja esta qual for. Gosto de toda a gente e adoro as reuniões festivas. Vivo de alegria." "Dizem que minhas mãos "falam". Não sei. Mas procuro transmitir o máximo através delas, nos movimentos e expressões rítmicas. E, ao contrário do que comentam, não comecei esse estilo para que os americanos me entendessem. Já no Brasil, quando cantei O Que é Que a Baiana Tem? no filme Banana da Terra, eu usava as mãos como coreografia. Depois, aperfeiçoei mais os gestos para o cinema americano." "Nasci em Portugal, mas me criei no Brasil e, portanto, considero-me brasileira. O local do nascimento não importa, nem sequer o sangue. O que importa é o que os americanos chamam de "environment", a influência do país e dos costumes em que vivemos, se bem que sempre existe um grau de gratidão e fidelidade aos pais que nos geraram. Da minha parte, sou mais carioca, mais sambista de favela, mais carnavalesca do que cantora de fados. O sangue tem uma certa importância, mas só no temperamento, não na maneira de sentir as coisas." "Eu nunca faria outro aborto. Arrependi-me o resto da vida por um que fiz. Acho que Deus me castigou depois, não me deixando completar a gravidez em 1948. Durante anos sonhei com o bebê não nascido e nunca mais pude ter outro filho"   - Carmem Mirando sobre o aborto que fez ainda no Brasil. "Não existe som mais espetacular do que o de uma bateria de escola de samba na época do Carnaval. Sempre mexeu comigo e faz o sangue correr mais rápido e mais quente nas minhas veias. A bateria de grupos de jazz não me toca a mínima." Fonte: Wikiquote
| 14581 ace
Nome: Maria José Macedo Nascimento: 06/05/1916, Capivari, RJ Morte:  08/01/1999, Rio de Janeiro, RJ Ocupação:atriz Nacionalidade: brasileira e poetisa Casamentos: Vitor Zambito Filhos: - Biografia Zezé Macedo, ou melhor, Maria José Macedo nasceu em Capivari, atual cidade fluminense de Silva Jardim (RJ) no dia 6 de maio de 1916. Ainda muito criança já atuava, sua estréia no palco de um teatro foi aos 5 anos de idade, com o papel principal na peça infantil “As Pastorinhas”, mas aos 15 anos desistiu da aventura de atuar, para se casar com o mecânico Alcides Manhães, mas retomou a carreira artística quando seu filho único morreu, apenas com 1 ano de idade. Passando a trabalhar na década de 1940 na Rádio Tamoyo no Rio de Janeiro como secretária de Dias Gomes, a seguir firmou seu tipo cômico nesta mesma rádio, no programa “Lar doce Lar”. Não demorou muito e conseguiu uma chance para recitar poemas aos domingos na rádio. Ainda na sua terra natal, Rio de Janeiro, estreou como profissional no teatro de revistas da Companhia de Walter Pinto. Redigiu e leu no rádio (1944) crônicas sobre a participação brasileira na Segunda Guerra Mundial. Atuou também durante cinco anos na Rádio Nacional. Os papéis cômicos eram o seu forte e foi chamada pela TV Tupi para ser uma criadinha divertida na novela "Eu, a Mulher e os Filhos". Logo não demorou a se tornar uma das principais estrelas do cinema nacional, tendo estreado com "O Petróleo é Nosso", de Watson Macedo, em 1954, onde fazia uma doméstica. Em "De Vento em Popa" (1957), seu filme favorito, ela deixou de ser a empregadinha para usar jóias caríssimas, roupas extravagantes e cantar trechos de ópera, na pele de uma socialite perseguida por Oscarito. Zezé Macedo já havia feito em sua carreira artística personagens diversos. Ela passou a ser considerada por Oscarito a melhor comediantes do Brasil e ganhou do amigo Grande Otelo o apelido de “Charles Chaplin de saias”. Sim, as chanchadas da Atlântida lhe trouxeram fama. Foram 108 participações cinematográficas ao longo de sua carreira, uma de suas últimas aparições na telona foi em "As Sete Vampiras", de Ivan Cardoso. Apesar da maioria de seus personagens ser as mulheres feias e as criadas, ela não deixou de ser o maior mito do cinema nacional. Seu segundo casamento foi com o cantor da Companhia Gomes Leal ,Victor Zambito. Estiveram juntos 38 anos e não tiveram filhos. Zezé dedicou-se ainda à poesia, com quatro livros publicados, um deles, "A Menina do Gato" (1997), que foi o primeiro livro editado pelo Sindicato dos Artistas. Era desde 1965 contratada da Rede Globo onde atuou em diversos programas humorísticos, entre eles: "Os Trapalhões", "Viva o Gordo", "Chico Anysio Show" sendo um de seus papéis mais conhecidos, a "Dona Bela" da "Escolinha do Professor Raymundo", na TV Globo, no qual imortalizou o bordão "Só pensa… naquilo!". Outra personagem muito conhecida era a “Biscoito” do “Chico Anysio Show”. Pequena, franzina, de olhos grandes e expressão debochada, no cinema consagrou-se com personagens como a empregada ignorante, a caipira falastrona e a mulher rejeitada pela carência de atributos físicos. Faleceu no dia 8 de outubro de 1999 aos 85 anos, vítima de uma hemorragia cerebral, seu corpo foi cremado no cemitério São Francisco Xavier, no Rio de Janeiro, e as cinzas jogadas no jardim do prédio onde morava. Filmografia O Escorpião Escarlate (1990) .... governanta Fogo e Paixão (1988) Natal da Portela (1988) O Casamento dos Trapalhões (1988) O Diabo na Cama (1988) .... prostituta As Sete Vampiras (1986) .... Rina O Rei do Rio (1985) Os Bons Tempos Voltaram: Vamos… (1985) .... avó Etéia (1983) .... Etéia A Virgem Camuflada (1979) O Erótico Virgem (1978) Secas e Molhadas (1977) As Eróticas Profissionais (1977) Ele, Ela, Quem? (1977) Sete Mulheres Para Um Homem Só (1976) Gordos e Magros (1976) .... Virgem Maria Pedro Bó, o Caçador de Cangaceiros (1976) Com as Calças na Mão (1975) .... moribunda O Monstro de Santa Teresa (1975) O Padre Que Queria Pecar (1975) As Loucuras de um Sedutor (1975) Robin Hood, O Trapalhão da Floresta (1974) Onanias o Poderoso Machão (1974) Oh Que Delícia de Patrão (1974) As Mulheres Que Fazem Diferente (1974) Tati, A Garota (1973) Salve-se Quem Puder (1973) Os Mansos (1973) Como É Boa Nossa Empregada (1973) .... patroa Mais ou Menos Virgem (1973) Os Monstros de Babaloo (1971) Macunaíma (1969) As Cariocas (1966) Lana - Königin der Amazonen (1964) O Santo Módico (1964) Três Colegas de Batina (1962) Minervina Vem Aí (1960) .... Melita Cala a Boca, Etelvina (1960) .... Pancrácia Virou Bagunça (1960) .... Biluca Dona Xepa (1959) Esse Milhão é Meu (1959) .... Augusta O Homem do Sputnik (1959) .... Cleci O Camelô da Rua Larga (1958) .... Possidônia Aguenta o Rojão (1958) E o Espetáculo Continua (1958) .... Prudência É de Chuá (1958) .... Biluca A Grande Vedete (1958) .... Fifina De Vento em Popa (1957) .... Madame Frou-Frou Treze Cadeiras (1957) Rio Fantasia (1957) Rico Ri à Toa (1957) Maluco por Mulher (1957) Garotas e Samba (1957) .... Inocência Tem Boi na Linha (1957) Quem Sabe, Sabe! (1956) Tira a Mão Daí! (1956) Trabalhou Bem, Genival (1955) Carnaval em Marte (1955) .... Justina Sinfonia Carioca (1955) .... Faustina O Feijão É Nosso (1955) O Petróleo É Nosso (1954)
| 14570 ace
  Título Original: Dr. Jekyll and Mr. Hyde Ano/País/Gênero/Duração: 1931 / EUA / Terror / 96min Direção: Rouben Mamoulian Produção: Rouben Mamoulian Roteiro: Samuel Hffenstein e Percy Heath Fotografia: Karl Struss   Elenco Fredric March ... Dr. Henry Jekyll / Mr. Hyde Miriam Hopkins ... Ivy Pierson Rose Hobart ... Muriel Carew Holmes Herbert ... Dr. Lanyon Halliwell Hobbes ... Brigadier General Carew Edgar Norton ... Poole Tempe Pigott ... Mrs. Hawkins   Sinopse Na Londres do final do século XIX, o Dr Henry Jekyll (Fredic March) acredita que existem dois lados distintos no homem: um bom e um mal. Ele cria uma substância química que é capaz de separar os dois lados, e acaba testando em si próprio, se transformando no monstro Sr. Hyde, capaz de executar os mais hediondos crimes. Perdendo o controle sobre seu lado negativo, ele coloca em risco a vida das pessoas que o cercam, além de sua noiva Muriel (Rose Hobart).   Curiosidades   - Inspirado no livro de Robert Louis Stevenson. - O filme teve outras versões, em 1920 e 1941. - Além dessas, outras baseadas na figura do Dr. Hyde, “Hammer” (1960), “O Monstro de Duas Caras” (1968).   Download: Este filme é de domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria. Legendas     Imagens
| 14534 ace
Por Ricardo Steil   Os primeiros anos Eram vinte e duas horas — quando um choro audível se fez na humilde casa. Uma linda menina nascera — pouco antes do Natal. Mary Elizabeth e Jonas — ela do lar, o cônjuge um agricultor que trabalhava em terras de outrem — jamais poderiam imaginar que aquele pequeno anjo — o sétimo da prole —, seria mais do que uma criança qualquer nascida em Grabtown. Nos braços daquela sofrida mulher — braços que outrora seguraram o primogênito todo deformado após um acidente horrível que lhe tirara a vida aos dois anos, dois meses e quinze dias — naqueles braços estava uma das mais talentosas mulheres a preencherem o espaço que constitui a grande tela e, que anos depois seria definido pelo poeta Jean Cocteau como “o mais belo animal do mundo”. Naquela noite fria — nevava e muito — os pais a cobriram — incluindo a cabeça, visto não ter pelugem alguma. Algo que, também levaria anos para aparecer — com o melhor que tinham — isto é, com uma das poucas mantas. Os irmãos — liberados para entrar no quarto — rodeavam curiosos. E Ava Gardner sentiu fome. Chorou implorando pelo alimento. Depois farta — fechou os olhos pela primeira vez. Como seu aniversário era na véspera do nascimento de Cristo — e por serem muito pobres —, não era possível presentear duas vezes a criança— uma, na verdade, já era algo raro. E a pequena Ava — que recebera este nome em homenagem a tia-paterna que vivia com eles — tinha que se contentar com o que os pais podiam lhe dar: um bolo de chocolate pela passagem da sua data natalícia e um de coco no dia seguinte. A menina do interior gostava de liberdade, de correr livre por entre as plantações de tabaco. Subir em árvores. E mais que tudo, odiava sapatos. Sua alegria era sentir o chão embaixo dos pés, o córrego do rio, a grama. Era temida entre os garotos: craque nas bolinhas de gude, ninguém apostava “a vera” com a pequena dos Gardner. Isto é, alguns forasteiros surgiam vez por outra, como nos filmes, querendo derrotar aquela menina — agora cabeluda. Ava apenas sorria. Abriam a boca na gorda terra para dar início — os amigos, vizinhos e outros, uniam-se sobre o manto da platéia. No fim da tarde, enquanto o sol desaparecia no horizonte, lá iam aqueles com os bolsos vazios e levando consigo a lenda de que “lá pras bandas de Grabtown há uma caipirazinha que é boa de gude”. E era quando a noite surgia que a futura estrela sentia-se feliz. Sempre fora assim: a noite era sua companheira inseparável. Gostava de dormir tarde — gostava das estrelas e da lua cheia, do coaxar dos sapos, dos grilos lá longe. Mas, a verdade é que, por mais clara que sejam as colunas do templo, sempre haverá sombras por trás destes. Eis que um dia as sombras surgem. Jack — um dos irmãos da futura diva —, escondera-se no celeiro de tabaco da família no intuito de fumar. O fósforo que segurava caiu. Resultado: o incêndio destruíra o celeiro e o descaroçador que eram fonte de renda do velho Jonas Gardner. Não houve jeito, vivendo dias difíceis, tiveram que partir para um lugar estranho chamado Teacherage em Brodgen, onde Elizabeth poderia cozinhar para diversas pessoas — muitos professores — e obter algum dinheiro para o sustento da família ao lado do marido. Nesta época, Ava descobrira que possuía outro talento além de ser ótima jogadora de gude: o de passar roupas como ninguém. Os dias estavam melhores para família. Sobrava um dinheirinho. Então, a senhora Gardner podia desfrutar de algo pelo qual se apaixonara: o cinema. Só que havia um porém, ela detestava ir sozinha. E quem era a escolhida para ir com mamãe ver aquelas maravilhosas películas? A peralta Ava — graças a Deus! Era muito, mas muito chão mesmo para chegar na cidade mais próxima: Smithfield. Só que compensava. Lá era outro mundo: havia uma capa escura que recobria as ruas de barro, ao qual dava-se o nome de asfalto. Uns bichos estranhos que andavam mais rápido que os cavalos das redondezas chamados de: automóveis. E claro, o que mais intrigava os membros da família: luz elétrica. Tudo era claro à noite! Então quando voltava para Teacherage, miss Gardner contava aos amigos sobre todas “aquelas coisas estranhas e maravilhosas”. Os dias corriam tranqüilos. A jovem estrela ajudava seu pai e outros na plantação de tabaco. Tudo ia bem... mas, a quebra das bolsas, a depressão, jogou o país na falência. Elizabeth viu-se em apuros: os professores ao qual cozinhava, foram-se todos. Jonas mal conseguia vender alguma coisa. E Bappie — a irmã mais velha —, que estava casada há muitos anos deu a sentença: dera um chute no traseiro do marido que vivia atrás de tudo quanto é rabo de saia e de copos e copos de cerveja. É preciso recordar que naquele tempo, a palavra divórcio era humilhante. Bappie então parte para Nova York, encontrando a metrópole em frangalhos. Passando necessidades, Elizabeth através de uma conhecida descobre que pode conseguir um trabalho similar na cidade de Newport News. Só que não era uma cidade rural, de modo que, o agricultor Jonas tinha que correr a procura de algo que pudesse fazer — logo ele, que mal sabia escrever o nome, tinha que aprender um ofício. E aquela tosse — contínua —, já não deixava mais ninguém dormir em casa. Ava sentiu que algo que ruim estava a caminho — mal chegara na cidade, seu cachorro Prince fugira. E na escola era humilhada por alunos e professores: fosse por seu sotaque de “menina caipira”, fosse porque era filha de um agricultor numa cidade industrial, fosse porque só tinha um casaquinho velho que vestira ao longo de quatro anos e um par de sapatos que lhe importunavam, não por serem gastos, mas por cobrirem seus pés, que não estavam acostumados com paralelepípedos, moradas de alvenaria, o som ensurdecedor de buzinas e risos dos adolescentes. Trabalhando para sustentar a casa, Elizabeth agora viúva, lutava por fazer da pequena Ava uma mulher decente. Criava a filha nos modos vitorianos: teria que casar virgem. Uma amiga disse para a jovem estrela que um garoto estava afim de sair com ela — gostaria de levá-la ao cinema. Seu nome entraria para a história como o primeiro rapaz a sair com Ava Gardner. Eles não se beijaram, nem tocaram as mãos. E nervosa, ela sequer abriu a boca. Resultado Dick Alerton jamais a procurou novamente. Trouxa ele. Aos dezessete, novo encontro: um jovem levara-a num baile. Há uma da manhã estavam ambos na varanda da casa de Ava. Então, um selinho ocorreu — o primeiro beijo da atriz —, uma coisa boba. Um leve tocar de lábios. Mas, quem estava atrás da porta? A matriarca que surgiu do nada, pôs o rapaz para correr, depois disse tanto para a garota que esta correu para seu quarto e esfregava freneticamente as mãos contra os lábios e rosto na esperança de se ver “limpa de toda aquela sujeira”. Sorte dela que tinha amigas mais velhas que lhe explicavam o que ocorria com uma mulher, senão, teria chegado ao casamento pensando ainda como uma criança.   De caipira a starlet Bappie conseguira estabilidade na cidade de Nova York — tinha sua própria seção no departamento de bolsas de uma grande loja. E, arrumara um namorado canadense que fora embora. O rapaz escrevia-lhe direto pedindo uma foto, pois, “estava morrendo de saudades”. No horário do almoço, Bappie resolve eternizar sua imagem no papel. Entra no Tarr Photographic Studios. Talvez fosse coincidência, quem sabe destino — se é que o destino não deixa de ser o acaso com mania de grandeza, como certa vez disse o poeta —, mas a jovem foi atendida por ninguém menos que Larry Tarr — filho do fundador. Conversaram, conversaram e conversaram. Resultado, Larry a pediu em namoro. Bappie de imediato aceitou. A foto nunca foi batida. E jamais o canadense soube que ela se casara dois meses após este encontro. O esposo de Bappie tinha um desejo: construir seu próprio caminho longe da sombra do seu pai. Claro, o dinheiro vindo dos estúdios — junto com o salário de Bappie —, os mantinha razoavelmente bem. Mas, ele queria mais, sonhava em ser “um descobridor de talentos”. De modo que, vivia junto da esposa percorrendo todos os “points” possíveis da cidade de Nova York a procura do tal. Com dezesseis anos, Ava foi visitar a irmã pela primeira vez. Logo o novo cunhado e ela simpatizaram-se. E claro, junto com Bappie, viraram noites e noites na “cidade que nunca dorme”. O momento máximo destes dias foi quando ganhou da irmã um par de luvas brancas — ela nunca colocara aquilo —, e estando num belíssimo clube, com música ao vivo, sentados, a futura estrela olhou para o lado e quem estava ali acompanhado de uma bela garota: Henry Fonda! Sim, era ele! Henry Fonda o grande astro do cinema. Queria um autógrafo, mas, como chegar até ele, quer dizer “ele era um astro, um homem famoso” e ela... Larry e Bappie insistiram tanto que a pequena foi falar com Fonda. Nervosa e graças às luvas, deixou cair papel, caneta, bolsa e luvas no chão. Elegantemente — vendo a situação daquela menina com “sotaque caipira” —, o astro ajudou-a recolher tudo e deu um autógrafo, enquanto sua companhia fazia perguntas a jovem. Quando conseguiu o autografo, vendo-o, de tão nervosa disse apenas a acompanhante de Fonda: “você é uma garota adorável. Deveria ir para Hollywood”, e saiu correndo nervosa. Sentou-se ainda anestesiada com o encontro. E iria ficar mais, quando soube o que o cunhado aprontara: vendo a banda tocar, pensou este, porque ao invés de um monte de caras cantando, não colocar uma bela garota. E quem era a bela garota na mente de Larry: Ava Gardner! O líder do grupo perguntou a Larry se ela cantava. Deveria ser brincadeira, claro que sim, ela era um rouxinol vindo da Carolina do Norte! Os garotos pensaram, porque não, afinal a beleza de miss Gardner destacava-se em meio a todo o clube. “Traga-nos uma gravação demo dela para analisarmos”. Ava não sabia cantar — pelo menos, profissionalmente —, mas, entusiasmou-se com a idéia de tornar-se cantora de uma banda — bem, era melhor do que ser datilógrafa! Quando souberam no colégio que ela tornar-se-ia cantora de uma Big-band, as coisas começaram a mudar para melhor. O cunhado também estava entusiasmado. Procurou uma gravadora onde pudesse eternizar a voz de diva que sabia apenas cantar Amapola. Mas qual a surpresa quando o pianista perguntou onde estava a música. Ela não entendia que ele estava pedindo a partitura. O rapaz disse tudo bem, se ela dissesse pelo menos o tom. Gardner ficou rubra de vergonha, não sabia que as músicas tinham tons como as cores. O rapaz compreensivo sorriu. Seguiram em frente. Depois de algumas tentativas, o disquinho de 78 rotações com a voz de Gardner estava gravado. Este disquinho caiu nas mãos dos garotos que se entusiasmaram — logo, mandariam-lhe o repertório. No colégio a reputação de Ava — antes de menina caipira ao qual todos implicavam — mudara repentinamente, ela era um sucesso! Ava Gardner cantora, excursionando pelos Estados Unidos, sucesso absoluto, uma Ella Fitzgerald! Tudo isso era um sonho na mente da menina... e continuou sendo um sonho, pois, jamais as letras das músicas prometidas vieram parar em suas mãos. O disquinho de 78 rotações também não. Em sua biografia, relata a atriz: “Por coincidência, no entanto, voltei a encontrar aquele bandleader uma outra vez. Ele estava regendo uma orquestra num clube de Los Angeles uns oito ou nove anos depois e eu já era famosa no cinema. Ele foi muito agradável, na verdade ficou muito impressionado com o que tinha acontecido comigo. Logo ele que fora minha esperança um dia de mudar de vida, estava ali arrependido com sua infeliz falta de confiança no rouxinol da Carolina do Norte”. Claro que a jovem ainda poderia mostrar seus dotes como cantora num futuro não muito longe — no hoje, clássico, The Killers —, todavia enquanto este dia não chegava sua vida prosseguia. Larry não desanimou de seu sonho — há sempre pedras no caminho —, e continuava a procurar uma maneira de tornar-se um descobridor de talentos, empresário, qualquer coisa que não fosse somente ficar atrás de um balcão revelando e batendo fotos. O engraçado de tudo é que, justamente o seu talento para fotografias e, que o faria realizar seu sonho de ser um descobridor de talentos. Larry brincando resolveu tirar algumas fotos da cunhada. E estas — obviamente — ficaram tão lindas que resolveu colocá-las no show room da Tarr Photographic Studios que ficava na Quinta Avenida, onde Barney Duhan — que trabalhava de boy para a Loews Inc. que era por sinal ligada a MGM — passava todos os dias. Duhan ficou de queixo caído com a fotografia. Espertinho ligou para o estúdio querendo o telefone da futura diva. Não que ele pudesse fazer algo por sua carreira, mas, iria dizer que sim para quem sabe, conseguir algo mais com a garota. No telefone disse: “Sou Barney Duhan, represento a MGM e, estamos interessados em uma de suas modelos para trabalhar em nossos estúdios. Poderia passar o telefone dela?”. A secretária de Larry — esperta que só — disse que “informações sobre seus clientes eram confidenciais”. De modo que, pôs fim aos sonhos de Barney — que acabou tornando-se um policial. Mas, contou tudo ao patrão que ficou entusiasmado. Ligou para Ava, desesperado: “Querida, querida, você não imagina o que aconteceu, a MGM está querendo você como uma das atrizes deles”. Gardner ainda sobre o efeito de ter sido renegada pela Bigband não deu muita importância. Todavia, oposto ocorreu com Larry que botou toda sua equipe para trabalhar: “Revelem tudo, todos os negativos, não deixem uma foto sequer sobrando nos arquivos!” Reunindo o material, rumou para filial de Nova York. Um teste foi marcado. A pequena de Grabtown fez uma cena. O problema era aquele triste sotaque — naqueles dias, as atrizes não podiam ter sotaque algum. O que fez o diretor então? Mandou o tape totalmente mudo. Após breve análise, enviam um telegrama pedindo o comparecimento da futura diva em Hollywood. Em companhia de sua irmã Bappie, partem. No dia em que assina o contrato para ser uma starlet (figurinista), sua querida mãe descobre ter câncer. E o pior, já não o que se fazer. Vivendo em Hollywood, a pequena Gardner tem que acordar as cinco da manhã, pegar três ônibus para chegar ao estúdio, receber a folha dizendo em que estúdio deverá estar e, passar por toda a série de maquilagem. As pessoas riam do seu sotaque — imitavam-no. Ora, ela era apenas uma caipira. Mas, não fazia mal, precisavam apenas da fotogenia dela. Tamanha fora às implicâncias — e depois de muitas, mas muitas lágrimas —, passa a freqüentar aulas de teoria vocal, locução e interpretação. Certa manhã, ela precisou fazer fotos com outra starlet numa fazenda fake. As outras garotas estavam apavoradas com os bichos. Mas, “a caipirazinha” não. E, o próprio diretor fotográfico ficou espantado quando Ava tirou leite de uma vaca. “Uma starlet que tira leite de vaca, isso é maravilhoso”. Disse. O trabalho de starlet fotográfica era intenso. Faziam mudanças e mudanças em seus cabelos. Ela nunca foi de reclamar. Mas, no dia em que resolveram que era preciso tirar suas sobrancelhas e refaze-las a lápis, a garota ficou furiosa. Fez uma briga tão grande, que mesmo o severo maquiador calou-se. No futuro, Lana Turner ao saber o que ocorrera com a amiga, riu muito: “Queria ter tido sua coragem” — disse. “Eles não deixaram um fio das minhas na época em que era starlet”.   O Primeiro Amor Eles se conheceram logo de cara no primeiro dia em que ela pisou na MGM. Milton Weiss — responsável por apresentá-la ao local —, levou-a no último estúdio, onde estava sendo gravado “Calouros da Broadway”. Tanto Ava quanto Bappie controlaram-se para não gritar, quando viram ali, a poucos metros, ninguém menos que Judy Garland cantando! Deus, não era no cinema, ela tava ali ao vivo, toda aquela voz, toda aquela presença de palco! Mas, os olhos de Gardner se desviaram de Judy quando alguém esbarrou nela. De costas parecia ser Carmem Miranda — famosa àquela altura —, mas, quando aquela “baixinha” voltou-se para pedir desculpas, era Mickey Rooney — o ator mais famoso dos Estados Unidos naquele momento. — Desculpe-me. Machuquei a senhorita? — Não... não... — Senhorita Gardner, este é Mickey Rooney. Mickey esta é Ava Gardner futura estrela da MGM. E assim, foi. Mickey apaixonou-se por Gardner, no mesmo instante. Conseguiu o telefone dela, ligando todo dia as vinte e duas horas. Ava — lembre-se, era uma menina do campo —, de modo que, sendo Rooney um cara famoso ou não, ela não sairia com ele, afinal era um desconhecido: “e uma garota não sai sozinha com um desconhecido”. Todos os dias, Bappie dava ao futuro cunhado uma desculpa diferente. Estava trabalhando, dormindo, fazendo sei lá o que. Só que houve certa noite que Gardner teve que atender o telefone. Era hora de por um fim aquilo: — Agora ouça Mickey, minha irmã Bappie está aqui e não posso deixá-la sozinha. Neste instante somente que ele percebeu que a menina era diferente do tipo de garota que ele estava acostumado a sair. — Quem sabe não a levamos junto, então? E foi assim. Bappie foi velinha por muito, muito tempo. Rooney — conforme biografia da própria atriz —, a respeitou como devia. Após um tempo, veio o pedido de casamento. Gardner sempre vinha com desculpas de que era jovem. Enfim, aceitou. A futura senhora Rooney conheceu sua sogra, deram-se bem. Depois, houve a reunião da família Gardner para conhecer o futuro membro. Nas memórias da atriz, fora aquele um dos momentos mais felizes da sua mãe, que adorava a casa cheia. Mickey sempre fora um ótimo comediante. Todos riram. Elizabeth os abençoou. Mas, havia um pequeno problema: o contrato de ambos os impedia de casar sem a autorização do todo poderoso Louis B. Mayer, dono da MGM. Louis não queria aquele casamento. O que, sua maior estrela, sua maior renda, o queridinho das garotas casando com uma... qual era mesmo o nome daquela garota? Uma tática de Mayer era chorar muito — ele tinha a mania de achar que todos seus funcionários eram filhos e ele o papai. E chorou muito mesmo, no intuito de convencer Rooney. Mas, conforme Ava, seu futuro esposo era um chorão melhor. De modo que, papai Mayer aceitou, mas, o casamento foi digamos, “às escondidas”. Ava esperava o casamento dos seus sonhos, conforme escreveu “queria um marido que chegasse em casa depois do trabalho, ao qual esperasse que eu tivesse feito a janta, lavado à roupa, que quisesse filhos, etc e tal”. Ela queria vivenciar um casamento tão perfeito quanto fora dos seus pais. Só que Mickey era viciado em jogos de azar, gostava de golfe e tinha uma “leve” queda à infidelidade. Foram tantas as brigas e infidelidades, que no dia 21 de maio de 1943 ela pediu o divórcio. Em sua biografia (Minha História, Editora L&PM), Gardner declara: “Embora as pessoas tenham especulado que ser casada com Mickey poderá ter me ajudado a conseguir minha primeira série de pontas nos filmes, a verdade nua e crua é que ser Mrs. Rooney não me empurrou para o estrelato. Mickey jamais tentou me transformar em atriz, nunca me ensinou nada e jamais conseguiu um emprego de atriz para mim”. Todavia, Rooney lhe apresentou grandes figuras do cinema tais como Lana Turner, Judy Garland, Ester Willians, Kathryn Grayson, Elizabeth Taylor e Peter Lawford — que por muitos anos foi seu grande amigo. Os Primeiros Trabalhos Na Grande Tela We Were Dacing (Tu És A Única, 1942), é um marco do cinema — não por suas qualidades —, mas, por ser o último filme de Norma Shearer — indicada cinco vezes ao Oscar — e, ser o primeiro filme a ter Ava realmente aparecendo por alguns segundos: enquanto caminha num saguão do hotel. No mesmo ano, ela interpreta uma secretária em um episódio da série Dr. Gillespie — estrelado por Lionel Barrymore. Barrymore há muito estava doente — ficava boa parte do dia sentado em uma cadeira de rodas — e, como Clark Gable, ia embora às cinco horas da tarde. Para Gardner, aquela seria sua grande chance, visto ter uma fala no filme. Diria sete palavras — suas primeiras palavras no cinema — a saber: “Dr. Gillespie, o próximo paciente já chegou”. A futura diva estava nervosa. Ora, teria de falar seu texto para ninguém, visto Lionel ter ido embora. Foi quando o mesmo surgiu diante de si em sua cadeira de rodas. Alguém disse então ao velho ator: “Sr. Barrymore, já passa das cinco. Creio que o senhor já deveria estar a caminho de casa”. Ele apenas respondeu: “E deixar esta jovem sem ninguém para olhar, ninguém para quem dar o seu texto? Claro que não. Isto não seria gentil”. Meses depois, ela faria outro episódio da série do Dr. Gillespie chamado Three Men in White. Neste Ava era uma beldade bêbada. O filme lhe gerou as primeiras críticas positivas. Conhece Bela Lugosi em 1943, durante as gravações de Ghosts On The Loose, que segundo a atriz fora um dos únicos filmes do início de carreira que tiveram algum impacto sobre ela. Ghosts na verdade é um filme horrível, uma comédia enfadonha que foi feita para ser exibido nas famosas duas sessões — você pagava para ver o filme principal e de brinde assistia um segundo. Só que o mesmo, marcaria e muito a vida de Gardner. Certa noite, em companhia da sua irmã Bappie, as duas caminhavam ao longo de um bairro de Los Angeles, local onde os cinemas somente apresentavam filmes tipo Z. De repente, Bappie fica paralisada e começa a gritar. Ava também. Em um enorme luminoso estava escrito: Ghosts On The Loose Com Ava Gardner A scarlet começava a engatinhar rumo ao sucesso. Por Ricardo Steil   Veja parte 2  
| 14496 ace
  Título Original: Knights of the Round Table Ano/País/Gênero/Duração: 1953 / Reino Unido / Ação Aventura Romance / 115min Direção: Richard Thorpe Produção: Pandro S. Berman Roteiro:  Thomas Malory, Talbot Jennings, Jan Lustig, Noel Langley Fotografia: Stephen Dade e F.A. Young¹ Música: Miklós Rózsa   Elenco   Robert Taylor ... Lancelot Ava Gardner ... Guinevere Mel Ferrer ... Arthur Anne Crawford ... Morgan Le Fay Stanley Baker ... Modred Felix Aylmer ... Merlin Maureen Swanson... Elaine Gabriel Woolf ... Percival Anthony Forwood... Gareth Robert Urquhart ... Gawaine Niall MacGinnis ... Green Knight Ann Hanslip ... Nan Jill Clifford ... Bronwyn Stephen Vercoe ... Agravaine   Sinopse   O lendário Rei Arthur (Mel Ferrer), casado com a bela Guinevere (Ava Gardner), governa Camelot. Com seus aliados luta contra a injustiça e forma com eles os cavaleiros da távola redonda. Seu favorito é Sir Lancelot (Robert Taylor), apaixonado pela esposa de Arthur. Guinevere, dividida entre o amor de seu marido e o de Lancelot, pede que ele se case com sua criada. A feiticeira Morgana trama contra os amantes e prepara-lhes uma armadilha.   Curiosidades   - Foi a primeira fita em cinemascope da MGM. - Da mesma equipe que fez o Ivanhoé. Assista Online (dublado) Szv6PMSdGf0   Canal: http://www.youtube.com/user/leovardoricardo   Imagens
| 14472 ace
Nome:  Arthur Stanley Jefferson Nascimento e local: 16/06/1890, Lancashire, Inglaterra Morte e local: 23/02/1965, Santa Monica, CA, ataque cardíaco Ocupação: ator Nacionalidade: inglesa Casamentos: Lois Nielson, Virginia Ruth Rogers, Vera Ivanova Shuvalova, Virginia Ruth Rogers Filhos: 2 Biografia Stan Laurel nasceu em Lancashire, Inglaterra, em 16 de junho de 1890. Filho de um empresário do teatro, Stan estreou nos palcos aos 16 anos. Após viajar em várias companhias de teatro, entrou para a mais famosa de todas: a Troupe de Fred Karno. Era 1910, e lá conheceu o também inglês Charles Chaplin. Durante a ausência de Chaplin, Stan o substituiu. Ao chegar nos Estados Unidos, para uma participação conheceu Mae Dahlberg, que lhe sugeriu o nome Stan Laurel. Em 1917 Stan estreou nas telas, no filme "Nuts in May", e assinou contrato com a Universal. A primeira vez que trabalhou ao lado de Oliver Hardy foi em "Lucky Dog". A dupla voltaria a se encontrar em "Slipping wives". A união deu certo, e eles passaram a ser conhecidos como O Gordo e o Magro. A dupla ficaria junta até 1951, com o fraco filme "Atoll K". Stan vivia em um apartamento em Santa Monica, quando teve um ataque cardíaco que lhe levou a morte. Tinha 74 anos.  Filmes •  Atoll K - O paraíso dos malandros (1951) •  The Bullfighters - Os toureiros (1945) •  Nothing But Trouble (1944) •  The Big Noise - A bomba (1944) •  The Dancing Masters - Mestres de Baile (1943) •  Jitterbugs - Ladrão que rouba ladrão (1943) •  Air Raid Wardens (1943) •  A-Haunting We Will Go - Dois fantasmas vivos (1942) •  Great Guns - Bucha de canhão (1941) •  Saps at Sea - Marujos improvisados (1940) •  A Chump at Oxford - Dois palermas em Oxford (1940) •  The Flying Deuces - Paixonite aguda (1939) •  Block-Heads - A ceia dos veteranos (1938) •  Swiss Miss - Queijo suíço (1938) •  Way Out West - Dois caipiras ladinos (1937) •  Our Relations - Sossega leão (1936) •  On the Wrong Trek (1936) •  The Bohemian Girl - A princesa boêmia (1936) •  Bonnie Scotland (1935) •  Thicker Than Water (1935) •  The Fixer Uppers (1935) •  Tit for Tat (1935) •  Babes in Toyland / Era uma vez dois valentes (1934) DOWNLOAD •  The Live Ghost (1934) •  Them Thar Hills (1934) •  Going Bye-Bye! (1934) •  Hollywood Party (1934) •  Oliver the Eighth (1934) •  Sons of the Desert - Filhos do deserto (1933) •  Dirty Work (1933) •  Wild Poses (1933) •  Busy Bodies (1933) •  The Midnight Patrol (1933) •  The Devil's Brother (1933) •  Me and My Pal (1933) •  Twice Two (1933) •  Towed in a Hole (1932) •  Their First Mistake (1932) •  Pack Up Your Troubles (1932) •  Scram! (1932) •  County Hospital (1932) •  The Chimp (1932) •  The Music Box (1932) •  Any Old Port! (1932) •  Helpmates (1932) •  Zwei Ritter ohne Furcht und Tadel (1932) •  Beau Hunks (1931) •  One Good Turn (1931) •  Come Clean (1931) •  Pardon Us (1931) •  Our Wife (1931) •  Politiquerías (1931) •  Los calaveras (1931) •  Laughing Gravy (1931) •  The Slippery Pearls (1931) •  Chickens Come Home (1931) •  Be Big! (1931) •  Hinter Schloss und Riegel (1931) •  Les carottiers (1931) •  Los presidiarios (1931) •  Muraglie (1931) •  Sous les verrous (1931) •  Another Fine Mess (1930) •  The Laurel-Hardy Murder Case (1930) •  Hog Wild (1930) •  The Rogue Song (1930) •  Below Zero (1930) •  Brats (1930) •  Blotto (1930) •  Night Owls (1930) •  Der Spuk um Mitternacht (1930) •  Feu mon oncle (1930) •  Ladrones (1930) •  Noche de duendes (1930) •  Radiomanía (1930) •  Tiembla y Titubea (1930) •  Une nuit extravagante (1930) •  Angora Love (1929) •  The Hoose-Gow (1929) •  Bacon Grabbers (1929) •  They Go Boom! (1929) •  Perfect Day (1929) •  Men O'War (1929) •  Berth Marks (1929) •  Double Whoopee - Alegria em dobro (1929) •  Unaccustomed As We Are (1929) •  Big Business (1929) •  That's My Wife (1929) •  Wrong Again (1929) •  Liberty (1929) •  We Faw Down (1928) •  Habeas Corpus (1928) •  Two Tars (1928) •  Early to Bed (1928) •  Should Married Men Go Home? (1928) •  Their Purple Moment (1928) •  You're Darn Tootin' (1928) •  From Soup to Nuts (1928) •  The Finishing Touch (1928) •  Flying Elephants (1928) •  Leave 'Em Laughing (1928) •  Should Tall Men Marry? (1928) •  The Battle of the Century (1927) •  Putting Pants on Philip (1927) •  Do Detectives Think? (1927) •  Hats Off (1927) •  Call of the Cuckoo (1927) •  The Second 100 Years (1927) •  Now I'll Tell One (1927) •  Sailors Beware (1927) •  Sugar Daddies (1927) •  With Love and Hisses (1927) •  Why Girls Love Sailors (1927) •  Love 'Em and Weep (1927) •  Eve's Love Letters (1927) DOWNLOAD •  Slipping Wives (1927) •  Duck Soup (1927) •  Seeing the World (1927) •  45 Minutes from Hollywood (1926) Along Came Auntie (1926) •  On the Front Page (1926) •  Get 'Em Young (1926) •  Half a Man (1925) •  Dr. Pyckle and Mr. Pryde (1925) •  The Sleuth (1925) •  Navy Blue Days (1925) •  The Snow Hawk (1925) •  Pie-Eyed (1925) •  Twins (1925) •  Somewhere in Wrong (1925) •  Cowboys Cry for It (1925) •  West of Hot Dog (1924) •  Monsieur Don't Care (1924) •  Detained (1924) •  Mandarin Mix-Up (1924) •  Short Kilts (1924) •  Wide Open Spaces (1924) •  Rupert of Hee Haw (1924) •  Near Dublin (1924) •  Brothers Under the Chin (1924) •  Zeb vs. Paprika (1924) •  Postage Due (1924) •  Smithy (1924) •  Mother's Joy (1923) •  Scorching Sands (1923) •  The Soilers (1923) •  Save the Ship (1923) •  The Whole Truth (1923) •  Frozen Hearts (1923) •  Roughest Africa (1923) •  A Man About Town (1923) •  Short Orders (1923) •  Oranges and Lemons (1923) •  Gas and Air (1923) •  Kill or Cure (1923) •  Collars and Cuffs (1923) •  Pick and Shovel (1923) •  Under Two Jags (1923) •  White Wings (1923) •  The Noon Whistle (1923) •  The Handy Man (1923) •  When Knights Were Cold (1923) •  The Garage (1923) •  The Pest (1922) •  Mud and Sand - Lama e areia (1922) •  The Weak-End Party (1922) •  The Egg (1922) •  Mixed Nuts (1922) •  The Lucky Dog (1921) •  Hoot Mon! (1919) •  Hustling for Health (1919) •  Do You Love Your Wife? (1919) •  O, It's Great to Be Crazy (1918) •  Frauds and Frenzies (1918) •  Just Rambling Along (1918) •  Bears and Bad Men (1918) •  No Place Like Jail (1918) •  Huns and Hyphens (1918) •  Phoney Photos (1918) •  Who's Zoo? (1918) •  Hickory Hiram (1918) •  Nuts in May (1917)
| 14461 ace
Título Original: Tillie's Puctured Romance Ano/País/Gênero/Duração: 1914 / EUA / Comédia / 74min Direção: Mack Sennett Produção: Mack Sennett Fotografia: Frank D. Williams Elenco Marie Dressler ...     Tillie Charles Chaplin ...     The City Guy Mabel Normand ...     The Other Girl Mack Swain ...     Tillie's Father Charles Bennett    ...     Tillie's Millionaire Uncle Chester Conklin ...     Mr. Whoozis Sinopse: Chaplin interpreta um mal caráter, que aproveita-se da inocência de Dressler para tomar-lhe o dinheiro e aproveitar a vida com a amante (Mabel). O jogo vira quando Mabel, com pena de Dressler, decide unir-se a ela contra o vagabundo. Esse foi o primeiro longa-metragem realizado nos Estados Unidos, antecedendo The Birth of a Nation, de Griffith.  
| 14412 ace
  Altura: 1.52 m Brigas: Natalie sempre teve problemas com a mãe, que a obrigou a trabalhar desde cedo. Depois de crescida, a atriz cortou relações com sua mãe, que se tornou nula depois que a mãe tentou fazer da neta também uma atriz. Casamentos: Robert Wagner (1957-1962 e 1972 até a morte), Richard Gregson (1969-1971) Descendência: seus pais eram russos. Estréia: aos 4 anos, no filme The Moon Is Down. Filhos: Natasha Gregson Wagner e Courtney Wagner. Grandes sucessos: Milagre na rua 34 (clássico natalino), Rebeldes sem causa Homens em sua vida: Warren Beatty, Dennis Hopper, Steve McQueen, Frank Sinatra, Tab Hunter. Irmãs: Lana Wood e Olga Wood. Juventude transviada: dormiu com o diretor Nicholas Ray para conseguir o papel. Durante as filmagens envolveu-se com James Dean. Línguas: inglês e russo. Morte: até hoje considerada misteriosa. Estava em um veleiro com seu marido e um amigo, e as explicações (ela teria ido pegar algo e caiu, afogando-se) não convencem, devido ao medo que ela tinha da água. Nome verdadeiro: Natasha Nikolaevna Gurdin. Oscar: foi indicada por “Rebel Whithout A Cause” (1955), “Splendor In The Grass” (1961), “Love With the Proper Stranger” (1963) Presenças: foram em seu funeral Rock Hudson, Frank Sinatra, Laurence Olivier, Elia Kazan, Gregory Peck, David Niven e Fred Astaire. Rei: Elvis Presley quis casar-se com ela, mas sua mãe não deixou por ela ser jovem demais. Splendor: o nome do iate onde ela estava quando morreu, assim batizado por causa do seu filme “Splendor Grass”. Traumas: quando era criança, quase se afogou durante as filmagens de “The Green Promise”. Depois disso ela ficou com pavor, evitando o mar. Em outra ocasião ela quebrou o pulso, mas a mãe dela não a levou ao hospital. O resultado foi que ela ficou com o pulso deformado. Um fracasso: Scudda Hoo! Scudda Hay!, de 1948, ao lado de Paul Newman. Vivien Leight: sua atriz preferida Westwood Memorial Park, Los Angeles, California, USA: local onde está enterrada.  
| 14238 ace
Quando estava fazendo O Anjo Azul (1930) era tão jovem e burra. Eu pensei que tudo o que estávamos fazendo era horrível e era incômodo eles manterem uma câmara apontada para minha virilha. Eu não sou um mito. Eu não tinha vontade de ser uma atriz de cinema, interpretar outra pessoa, ter que estar constantemente ajeitando os cílios. Isso tudo era incômodo pra mim. (1964) Na Europa não importa se você é um homem ou uma mulher. Nós fazemos amor com quem achamos atraentes. Um país sem bordéis é como uma casa sem bnheiros. Pense mil vezes antes de contar um segredo a um amigo. Eu não sou uma atriz, eu sou uma personalidade. Sexo é bem melhor com uma mulher, mas não se pode viver com uma. A maioria das mulheres deseja mudar o homem, e quando eles mudam, elas deixam de amá-los. Eu nunca levei a minha carreira a sério. Os latinos são tão carinhosos. No Brasil eles jogam flores em você. Na Argentina eles se jogam logo. Minhas pernas não são bonitas, eu só sei o que fazer com elas. (Sobre Liza Minnelli): Eu fico irritada quando as pessoas a comparam à sua mãe Judy Garland. Ela não tem nada a ver com sua mãe. É uma mulher completamente diferente. O diafragma foi a maior invenção desde o pan-cake. Se existe um ser supremo, ele é um louco. (Sobre Rock Hudson): ELe era um dos homens mais gentis e amáveis de Hollywood. E todos os jornalistas deveriam queimar no inferno pelo que publicaram sobre ele após sua morte. Eu amo citações, e é uma alegria encontrar pensamentos que eu possa ler. (Quando a Paramount comprou os direitos do livro Mamãezinha Querida): Estou chocada que a Paramount tenha comprado esse livro imundo e fez aquela cadela filha de Joan Crawford rica com isso. Ninguém merece esse tipo de abate. Pena que Joan não a tivesse deixado onde a encontrou. Agora ela cospe veneno em quem lhe adotou. (Sobre Orson Welles): Quando falo com ele me sinto como uma árvore que foi regada. (Sobre sua preferência por calças): Elas são tão mais confortáveis. (Depois de voltar para a Alemanha Ocidental em 1960): Os alemães e eu já não falamos a mesma língua. Hitler é um idiota. "Quando é que o amor acaba? Se você disse que se encontraria com alguém às 7 horas e chega às 9, e ele ainda não chamou a polícia, o amor acabou mesmo." "Na América o sexo é uma obsessão, noutras partes do mundo é um fato. "Dormir a sós é muito solitário, crianças que o digam. Se possível, durma com alguém que você ama. Vocês recarregarão mutuamente as baterias, e sem custos." "Champanhe dá a impressão de que todo dia é domingo." "O homem médio está mais interessado numa mulher que esteja interessada nele do que numa mulher com belas pernas". "Muitas mulheres não sossegam enquanto não mudam o seu homem. E, quando o conseguem, ele perde a graça"  
| 14217 ace
Título Original: Sabrina Ano/País/Gênero/Duração: 1954 / EUA / Romance / 113min Direção: Billy Wilder Produção: Billy Wilder Roteiro: Billy Wilder Fotografia: Charles Lang Música:Friedrich Hollaender Elenco Humphrey Bogart .... Linus Larrabee Audrey Hepburn .... Sabrina Fairchild William Holden .... David Larrabee Walter Hampden .... Oliver Larrabee John Williams .... Thomas Fairchild Martha Hyer .... Elizabeth Tyson Joan Vohs .... Gretchen Van Horn Marcel Dalio .... Baron St. Fontanel Marcel Hillaire .... o professor Sinopse Eles são irmãos, mas enquanto Linus (Humphrey Bogart) é um empresário de sucesso, David (William Holden) vive como um playboy. David começa a mudar quando se apaixona por Sabrina (Audrey Hepburn), a filha do motorista, retorna de uma viagem a Paris. Para piorar a situação, Linus também se apaixona pela garota, quando tentar impedir que os dois se casem. Curiosidades - Roteiro baseado na peça de Samuel A. Taylor. - Humphrey Bogart substituiu Cary Grant, que estava selecionado para o personagem de Linus. Recebeu $ 300 mil por sua participação. - Audrey Hepburn e Humphrey Bogart não se deram bem durante as filmagens, fazendo com que ela quase fosse substituída por Lauren Bacall. - Refilmagem em 1995. - A maior parte do figurino de Audrey foi feito por Givenchy. Foi a primeira vez que ela trabalhou com ele, que se tornou seu estilista favorito. - Este foi um dos quatro filmes em que Audrey Hepburn fez par com homens com idade de ser seu pai. - O título original seria Sabrina Fair, mas foi modificado para não ter comparação com as histórias da revista Vanity Fair. - Audrey Hepburn e William Holden se apaixonaram durante as filmagens, mas ela terminou o romance por ele não poder ter filhos. - Givennchy achava que estava fornecendo o guarda roupas para Katharine Hepburn, já que nunca tinha ouvido falar em Audrey. - Último filme de Billy Wilder para a Paramount. A peça Sabrina teve 318 apresentações no teatro da Broadway. ASSISTA ONLINE Imagens
| 13907 ace
  FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha   Nascimento e local: 20/01/1920, Rimini, Italia Morte e local: 30/10/1993, Roma, Itália, ataque cardíaco Ocupação: diretor Nacionalidade: italiano Casamento: Giulietta Masina Filhos: -   Biografia   Fellini nasceu em 1920, em Rimini, pequena cidade litorânea da Itália. Começou como jornalista em Florença, na revista de humor "Marc Aurelio", demonstrando ser excelente desenhista e caricaturista. Logo depois, passou a escrever pequenos roteiros e piadas para comediantes. Seus mestres no cinema foram Rossellini, para quem trabalhou em vários projetos (inclusive "Roma, cidade aberta" e "Paisà"), adquirindo conhecimento da mecânica da produção audiovisual, e Lattuada, com quem co-dirigiu seu primeiro filme. A inspiração neo-realista é evidente na primeira fase de suas obras, com muitos personagens populares, de fácil identificação e grande carga emocional. Pouco a pouco, contudo, a imaginação de Fellini foi superando seu compromisso com a realidade. Em "Oito e meio" já estão presentes o sonho, a fantasia e o grotesco, que formariam a matéria-prima de sua carreira. Fellini escrevia roteiros, mas sempre a contragosto. Dizia que era uma pena transformar em palavras o que, na verdade, deveria ser transportado diretamente da sua imaginação para o filme. Gostava de improvisar, de trabalhar com não-atores e de não planejar muito sistematicamente sua rotina de trabalho. Sabia cercar-se de outros grandes talentos, que enriqueciam os filmes e davam um suporte seguro para suas "pirações": Giulietta Masina (atriz), Marcello Mastroianni (ator), Nino Rotta (músico), Tonino Guerra (roteirista). Apesar de, em alguns filmes (principalmente em sua obra-prima "Amarcord" e no feroz "Ensaio de Orquestra") abordar temas políticos, Fellini não se sentia à vontade com cobranças ideológicas: "Minha natureza não é política; e o discurso político me confunde na maioria das vezes. Não o compreendo. Mas confesso isso como uma fraqueza, como uma de minhas carências." Poucos diretores de cinema conseguiram marcar tão claramente seu estilo, a ponto de virar adjetivo. Dizer que tal filme ou tal personagem é "felliniano" significa identificá-lo com a estética ao mesmo tempo barroca e popular de seus trabalhos das décadas de 60 e 70, em que o exagero e a predileção pelo inusitado conduzem, na verdade, a uma reflexão séria - e muitas vezes cruel - sobre o cotidiano de seres humanos frágeis e anônimos. Em seus melhores filmes, como "Os boas vidas", "Julieta dos espíritos", "A doce vida", "Amarcord" e "La nave va", Fellini demonstra que o cinema pode ser absolutamente autoral sem perder sua universalidade. (Biografia feita por Carlos Gerbase)   Filmes   •  La voce della luna - A Voz da Lua (1990) •  Intervista (1987) •  Ginger e Fred (1986) •  E la nave va - O Navio (1983) •  La città delle donne - Cidade das Mulheres (1980) •  Prova d'orchestra - Ensaio de Orquestra (1978) •  Il Casanova di Federico Fellini - Casanova (1976) •  Amarcord (1973) •  Roma de Fellini (1972) •  I clowns - Os Palhaços (TV) (1970) DOWNLOAD •  Fellini - Satyricon (1969) •  Block-notes di un regista (TV) (1969) •  Histoires extraordinaires - Histórias extraordinárias (1968) •  Giulietta degli spiriti - Julieta dos Espíritos (1965) •  8½ - Fellini Oito e Meio (1963) •  Boccacio'70 (1962) •  La dolce vita - A Bela Vida (1960) •  Le notti di Cabiria - Noites de Cabíria (1957) •  Il bidone - A Trapaça (1955) •  La strada - Estrada da Vida (1954) •  L'amore in città -Amores na Cidade (1953) •  I vitelloni - Os boas vidas (1953) •  Lo sceicco bianco - Abismo de um Sonho (1952) •  Luci del varietà - Mulheres e Luzes (1950)     Prêmios Oscar honorário em 1993. Indicação ao Oscar por Casanova di Federico Fellini (1976), Amacord (1973), Satyricon de Fellini (1969), 8 1/2 (1963), A doce vida (1960), Os Boas Vidas (1953), A Estrada da Vida (1954)  
| 13894 ace
Título Original: The Teahouse of the August Moon Ano/País/Gênero/Duração: 1956 / EUA / Comédia / 123min Direção: David Mann Produção: Jack Cummings Roteiro:  John Patrick Fotografia: John Alton Elenco Marlon Brando (Sakini) Glenn Ford (Capitão Fisby) Machiko Kyô (Lotus Blossom) Eddie Albert (Capitão McLean) Paul Ford (Coronel Wainwright Purdy III) Jun Negami (Sr. Seiko) Nijiko Kiyokawa (Srta. Higa Jiga) Harry Morgan (Sargento Gregovich) Mitsuko Sawamura Sinopse Após a 2ª Guerra Mundial, em 1946, Fisby (Glenn Ford) um capitão americano, é enviado para o vilarejo de Okinawa no Japão, para ensinar o modo de vida americano à população local e reabilita-los. Para isto, deve construir uma escola. Os habitantes mostram a ele as suas tradições, tentando convence-lo de que o melhor a fazer é construir uma Casa de Chá. Sakini (Marlon Brando) é um morador local, que o acompanha como intérprete. Curiosidades - Filmado na ilha de Okinawa (sul do Japão). - O ator Louis Calhern interpretava o Cororel Wainweight, mas faleceu após um mês de filmagens, sendo substituído por Paul Ford. Imagens
| 13874 ace
Título Original: Lawrence of Arabia Ano/País/Gênero/Duração: 1962 / EUA / Drama / 222min Direção: David Lean Produção: Sam Spiegel Roteiro: Robert Bolt e Michael Wilson Fotografia: Freddie Young Música: Maurice Jarre Elenco • Peter O'Toole .... T.E. Lawrence ou Lawrence da Arábia • Omar Sharif .... Sherif Ali ibn el Kharish • Alec Guinness .... Príncipe Feisal • Anthony Quinn .... Auda abu Tayi • Claude Rains .... Dryden Sinopse Durante a 1ª Guerra Mundial, T. E. Lawrence é um jovem tenente britânico, que é enviado para o deserto da Arábia. Ele é o elo entre o exército britânico e os árabes. Simpatiza com os costumes locais e decide unir as várias facções árabes para juntos vencerem o Império Turco. Curiosidades - Baseado na biografia de T.E. Lawrence (1888 – 1935), do livro Sete Pilares da Sabedoria. - Foi necessário cortar 35 minutos da versão original, que continha 222 minutos. - O filme não possui atrizes. - Albert Finney foi cogitado para o papel de Lawrence. - Foram encontrados os destroços da sabotagem verdadeira, quando foram filmar as cenas relativas a ela. ASSISTA ONLINE Imagens
| 13859 ace
Nome: Bernard Schwartz Nascimento e local: 03/06/1925, New York Morte: 29/09/2010, Nevada, ataque cardíaco Ocupação: ator Nacionalidade: Americana Casamentos: Janet Leigh, Christine Kaufmann, Leslie Allen, Andrea Savio, Lisa Deutsch, Jill Vandenberg Filhos: Kelly Curtis, Jamie Lee Curtis, Alexandra Kaufmann-Curtis, Allegra Kaufmann-Curtis, Nicholas Curtis, Benjamin Curtis Biografia Tony Curtis nasceu Bernard Schwartz em Nova Iorque, em 3 de junho de 1925. Participou de mais de 100 filmes até hoje, além de séries televisivas. Ele teve uma infância pobre no Bronx, bairro pobre dos Estados Unidos, morando nos fundos da alfaiataria do pai. Além disso, sua mãe e irmãos eram esquizofrênicos, o que fez com que Tony fosse levado para um orfanato aos oito anos. Depois de ter servido a Marinha na 2ª Guerra Mundial, entrou para um curso de teatro, e logo conseguiu, graças à sua beleza, se transformar em um ídolo jovem. Contratado pela Universal, passou a ser conhecido como Tony Curtis. Mas ele não era só belo, tinha talento, e provou isso com sucessos como “A Embriaguez do Sucesso”, “Acorrentados” e “O Homem que Odiava as Mulheres”. Mas ele realmente é reconhecido como parceiro de Marilyn Monroe e Jack Lemmon em Quanto Mais Quente Melhor. Faleceu em sua casa em Nevada em 29 de setembro de 2010. Filmes •  David & Fatima (2008) •  Reflections of Evil (2002) •  Louis & Frank (1998) •  Alien X Factor (1997) •  Hardball (1997) •  Brittle Glory (1997) •  The Immortals (1995) •  A Perry Mason Mystery: The Case of the Grimacing Governor (1994) •  Bandit: Beauty and the Bandit (1994) •  Naked in New York (1993) •  The Mummy Lives (1993) •  Center of the Web (1992) •  Christmas in Connecticut (1992) •  Prime Target (1991) •  Thanksgiving Day (1990) •  Walter & Carlo i Amerika (1989) •  Midnight (1989) •  Tarzan in Manhattan (1989) •  Lobster Man from Mars (1989) •  Charlie (1989) •  Der Passagier - Welcome to Germany (1988) •  Murder in Three Acts (1986) •  Banter (1986) •  Club Life (1986) •  Mafia Princess (1986) •  Balboa (1986) •  Insignificance (1985) •  BrainWaves (1983) •  Where Is Parsifal? (1983) •  Portrait of a Showgirl (1982) •  Othello, el comando negro (1982) •  The Million Dollar Face (1981) •  Inmates: A Love Story (1981) •  The Mirror Crack'd (1980) •  It Rained All Night the Day I Left (1980) •  The Scarlett O'Hara War (1980) •  Little Miss Marker (1980) •  Title Shot (1979) •  Double Take (1979) •  The Users (1978) •  The Bad News Bears Go to Japan (1978) •  The Manitou (1978) •  Sextette (1978) •  Casanova & Co. (1977)   •  The Last Tycoon - O último justiceiro (1976) •  The Big Rip-Off (1975) •  Lepke (1975) •  The Count of Monte-Cristo (1975) •  The Third Girl from the Left (1973) •  Suppose They Gave a War and Nobody Came? (1970) •  You Can't Win 'Em All (1970) •  The Boston Strangler - O Homem que odiava as mulheres (1968) •  La cintura di castità (1968) •  Don't Make Waves (1967) •  Drop Dead Darling (1966) •  Not with My Wife, You Don't! (1966) •  Boeing (707) Boeing (707) (1965) •  The Great Race - A Corrida do século (1965) •  Sex and the Single Girl - Médica, Bonita e solteira (1964) •  Goodbye Charlie (1964) •  Wild and Wonderful (1964) •  Captain Newman, M.D. (1963) •  The List of Adrian Messenger (1963) •  40 Pounds of Trouble (1962) •  Taras Bulba (1962) •  The Outsider (1961) •  The Great Impostor (1961) •  Spartacus (1960) •  The Rat Race (1960) •  Who Was That Lady? (1960) •  Operation Petticoat - Anáguas a bordo (1959) •  Some Like It Hot - Quanto mais quente melhor (1959) •  The Perfect Furlough (1958) •  The Defiant Ones - Acorrentados (1958) •  Kings Go Forth (1958) •  The Vikings - Vikings, os conquistadores (1958) •  The Midnight Story (1957) •  Sweet Smell of Success - A Embriaguez do Sucesso (1957) •  Mister Cory (1957) •  Trapeze - Trapézio (1956) •  The Square Jungle (1955) •  The Rawhide Years (1955) •  The Purple Mask (1955) •  So This Is Paris (1955) •  Six Bridges to Cross (1955) •  The Black Shield of Falworth (1954) •  Johnny Dark (1954) •  Beachhead (1954) •  Forbidden (1953) •  The All American (1953) •  Houdini (1953) •  Son of Ali Baba (1952)   •  No Room for the Groom (1952) •  Flesh and Fury (1952) •  The Prince Who Was a Thief - O Príncipe ladrão (1951) •  Kansas Raiders (1950) •  Winchester '73 (1950) •  Sierra (1950) •  I Was a Shoplifter (1950) •  Francis (1950) •  Johnny Stool Pigeon (1949) •  The Lady Gambles (1949) •  City Across the River (1949) •  How to Smuggle a Hernia Across the Border (1949)
| 13811 ace
Nome: Pauline Marion Levy Nascimento e local: 03/06/1910, Queens, USA Morte: 23/04/1990, Suíça, ataque cardíaco Ocupação: atriz Nacionalidade: Americana Casamentos: Edgar James, Charlie Chaplin, Burgess Meredith e Erich Maria Remarque Filho: não Biografia Paulette Goddard nasceu por volta de 1911 (não há um consenso sobre o ano), e começou a carreira como modelo publicitária, passando a fazer parte do cast das garotas de Ziegfeld (seu primeiro papel era ficar sentada num balanço, segurando um cachorrinho). “Sugar”, como era conhecida pelos amigos, estreou no cinema em “Berth Mark”, curta do Gordo e o magro. Ficaria afastada da carreira por um período em que foi casada com um milionário, mas retornaria em 1932 “Torero a â fuerza”. Foi através de seu casamento com Charles Chaplin que começou a ser realmente notada no meio artístico, apesar de realmente ter talento. Ao lado do marido fez dois filmes, “Tempos modernos” e “O grande ditador”. Como todas as atrizes de sua época, fez os testes para Scarlett do épico E o vento levou, sendo de última hora substituída por Vivien Leigh. Seguiu-se um contrato com a Paramount Pictures, e filmes como The cat and the canary (1939), Reap the Wild Wind (1946) e The Diary of a Chambermaid (1946). Foi indicada como melhor atriz coadjuvante por So proudly we hail! (1943). Após isso, alguns filmes B e Paulette abandonou a carreira, fazendo só mais uma participação, em 1972, no filme The Snoop sisters, para a tv. Paulette morreu em 1990, aos 78 anos, em sua residência na Suíça. Filmes The Snoop Sisters (1972) (TV) Indifferenti, Gli (1964) The Phantom (1961) (TV) The Stranger Came Home (1954) Charge of the Lancers (1954) Paris Model (1953) Sins of Jezebel (1953) Vice Squad (1953) Babes in Bagdad (1952) The Torch (1950) Anna Lucasta (1949) Bride of Vengeance (1949) Hazard (1948) On Our Merry Way - Tudo pode acontecer (1948) An Ideal Husband (1947) Unconquered - Os inconquistáveis (1947) Suddenly, It's Spring (1947) The Diary of a Chambermaid - Segredos de Alcova (1946) Kitty (1945) I Love a Soldier (1944) Standing Room Only (1944) So Proudly We Hail! - Legião Branca (1943) The Crystal Ball (1943) The Forest Rangers (1942) Reap the Wild Wind - Vendaval de Paixões (1942) The Lady Has Plans (1942) Nothing But the Truth - 24 horas sem mentir (1941) Hold Back the Dawn (1941) Pot o' Gold (1941) Second Chorus - Amor da minha vida (1940) orth West Mounted Police - Legião de Heróis (1940) The Great Dictator - O grande ditador (1940) The Ghost Breakers - O castelo sinistro (1940) The Cat and the Canary - O gato e o canário (1939) The Women - As mulheres (1939) Dramatic School - Escola dramática (1938) The Young in Heart - Jovem no Coração (1938) The Bohemian Girl - A princesa boêmia (1936) Modern Times - Tempos modernos (1936) Kid Millions (1934) Roman Scandals - Escândalos romanos (1933) The Bowery - O Bamba da Zona (1933) The Kid from Spain - Meu boi morreu (1932) Girl Grief (1932) Pack Up Your Troubles (1932) Show Business (1932) The Mouthpiece (1932) Ladies of the Big House (1931) The Girl Habit (1931) City Streets (1931) The Locked Door (1929) Berth Marks (1929)     Mais   Paulette Goddard e Chaplin: A História de um Amor Com um Final Feliz Atrizes que Trabalharam ao lado de Chaplin Amor Dentro e Fora das telas   Galeria (Clique na imagem)
| 13810 ace
Título Original: Jecão...Um Fofoqueiro no Céu Ano/País/Gênero/Duração: 1977 / Brasil / Comédia / 105min Direção: Pio Zamuner, Amácio Mazzaropi Produção: Amácio Mazzaropi Roteiro: Pio Zamuner, Amácio Mazzaropi Fotografia: Pio Zamuner Música: Hector Lagna Fietta Elenco Amácio Mazzaropi Jecão Geny Prado           Cesariana Paulo Greven           Martinho Dante Ruy           Chico Fazenda Gilda Valença           Margarida Denise Delvechi           Jaqueline Edgard Franco           Robertão Elizabeth Hartman           freira João Paulo           Frederico Leonor Navarro           Joly Rose Garcia           anjo-da-guarda Armando Paschoalim           São Pedro Sinopse Após ganhar na loteria esportiva, Jecão vai com seu filho para São Paulo, onde receberá o dinheiro. Ele retorna à cidade e os dois são recebidos com muita festa. Chico Fazenda, um fazendeiro da região, assalta Jecão e o mata, para ficar com o dinheiro. Mas o jeca vai parar no céu e tenta convencer o anjo a deixá-lo voltar para ajudar a prender o seu assassino.       Imagens
| 13644 ace
Título Original: Stagecoach Ano/País/Gênero/Duração: 1939 / EUA / Faroeste / 96min Direção: John Ford Produção: John Ford Roteiro: Dudley Nichols Fotografia: Bert Glennon Música: Louis Gruenberg, Richard Hageman, Franke Harling, John Leipold Elenco Claire Trevor ... Dallas John Wayne ... Ringo Kid Andy Devine ... Buck John Carradine ... Hatfield Thomas Mitchell ... Doc Boone Louise Platt ... Lucy Mallory George Bancroft ... Curley Donald Meek ... Peacock Berton Churchill ... Gatewood Tim Holt ... Lieutenant Tom Tyler ... Luke Plummer Sinopse Índios apaches atacam uma caravana com diversos tipos de pessoas (prostituta, médico, trapaceiro, banqueiro) que está em viagem pelo Velho Oeste. Com o perigo, cada um demonstra as peculiaridades de sua personalidade. Curiosidades - Refilmagens em 1966 e 1986. - Orson Welles viu este filme 40 vezes enquanto filmava Cidadão Kane. ASSISTA ONLINE Download: Este filme é de domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria.   Legendas Imagens
| 13599 ace
Ficha Título original: How Green Was My Valley Ano/País/Gênero/Duração: 1941/EUA/Drama/118min Produção: Darryl F. Zanuck Direção: John Ford Roteiro: Philip Dunne Fotografia: Arthur C. Miller Música: Alfred Newman Elenco Walter Pidgeon     Mr. Gruffydd Maureen O'Hara Angharad Anna Lee    ...     Bronwyn Donald Crisp    Mr. Morgan Roddy McDowall Huw John Loder    Ianto Sara Allgood    Mrs. Morgan Barry Fitzgerald    Cyfartha Patric Knowles    Ivor Welsh Singers    Themselves Morton Lowry    Mr. Jonas Arthur Shields    Mr. Parry Ann E. Todd    Ceinwen Frederick Worlock    Dr. Richards Richard Fraser    Davy Sinopse Baseado no Best seller de Richard Llewellyn, o filme conta a história de um homem que relembra sua infância numa mina de carvão. Curiosidades : Este filme tirou a estatueta de melhor filme das mãos de Cidadão Kane. Ganhou Oscar de Melhor Filme, Ator Coadjuvante, Direção, Direção de Arte e Fotografia. Download: Este filme é de  domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria. Legenda Pesquisar este filme no SUBMARINO   Imagens
| 13470 ace
182. Glenn Ford
FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha   Nome: Gwyllyn Samuel Newton Ford Nascimento e local: 01/05/1916, Quebec, CAN Morte: 30/08/2006, Beverly Hills, EUA, AVC Ocupação: ator Nacionalidade: americana Casamentos: Jeanne Baus, Cynthia Hayward,  e Eleanor Powell Filho: Peter Ford   Biografia   Glenn Ford nasceu em Québec em maio de 1916. Por volta de 1935 entrou para uma companhia de teatro. Depois de vários testes frustrados, conseguiu entrar para a FOX, estreando em "Heaven With a Barbed Wire Fence" (1939). Alguns filmes sem importância e ele mudou-se para a Columbia, onde estrelou seus primeiros westerns que, durante um bom tempo, marcariam sua carreira. Depois de servir a Marinha americana, faria um filme pelo qual ficaria marcado: “Gilda”, em 1946, com Rita Hayworth. Seguiram-se sucessos variados, indo de westerns, dramas e comédias e que o tornaram cada vez mais popular. Em 1955, já na MGM, entraria na lista dos 10 atores de maior bilheteria. Na década de 60 continuou trabalhando, mas seu sucesso de bilheteria já não era o mesmo. Fez a série de tv “Sam Cade”, onde conquistou o prêmio Logie, e seguia fazendo alguns filmes, dentre eles “Superman”, de 1978, onde fazia o pai adotivo do homem de aço. Seus últimos anos de vida foram tranqüilos, em um rancho. Faleceu em agosto de 2006, de complicações causadas por um AVC. Filmes Mais DVDs e Livros Final Verdict (1991) Raw Nerve (1991) Border Shootout (1990) Casablanca Express (1989) My Town (1986) Happy Birthday to Me (1981) Fukkatsu no hi (1980) The Gift (1979) Day of the Assassin (1979) Beggarman, Thief (1979) The Sacketts (1979) (TV) The Visitor (1979) Superman (1978) Evening in Byzantium (1978) No Margin for Error (1978) The 3,000 Mile Chase (1977) Midway - A Batalha de Midway (1976) Punch and Jody (1974) The Greatest Gift (1974) The Disappearance of Flight 412 Santee (1973) Jarrett (1973) (TV) The Brotherhood of the Bell (1970) .DOWNLOAD Heaven with a Gun (1969) Smith! (1969) Day of the Evil Gun (1968) The Last Challenge (1967) A Time for Killing (1967) Rage (1966) Paris brûle-t-il? (1966) The Money Trap - Dinheiro é armadilha (1965) The Rounders (1965) Dear Heart (1964) Fate Is the Hunter (1964) Advance to the Rear (1964) Love Is a Ball (1963) The Courtship of Eddie's Father (1963) Experiment in Terror (1962)  Paris brûle-t-il? - Paris está em chamas? (1966) The Four Horsemen of the Apocalypse - Os quatro cavaleiros do Apocalipse (1962) Pocketful of Miracles - Dama por um dia (1961) Cry for Happy (1961) Cimarron (1960) The Gazebo (1959) It Started with a Kiss (1959) Torpedo Run (1958) Imitation General (1958) The Sheepman (1958) Cowboy (1958) Don't Go Near the Water - Não Caia na Água, marujo (1957) 3:10 to Yuma (1957) The Teahouse of the August Moon - Casa de Chá do Luar de Agosto (1956) The Fastest Gun Alive (1956) Jubal (1956) Ransom! (1956) Trial (1955) Interrupted Melody (1955) Blackboard Jungle - Sementes da violência (1955) The Violent Men (1955) The Americano (1955) Human Desire - Desejo Humano (1954) City Story (1954) Appointment in Honduras (1953) The Big Heat - Os Corruptos (1953) Plunder of the Sun (1953) The Man from the Alamo (1953) Time Bomb (1953) Affair in Trinidad - Uma viúva em Trinidad (1952) Young Man with Ideas (1952) The Green Glove (1952) DOWNLOAD The Secret of Convict Lake (1951) Follow the Sun (1951) The Redhead and the Cowboy (1951) The Flying Missile (1950) Convicted (1950) The White Tower (1950) The Doctor and the Girl (1949) Mr. Soft Touch (1949) Lust for Gold - Escravos da Ambição (1949) The Undercover Man (1949) The Return of October (1948) The Loves of Carmen - Os amores de Carmen (1948) The Man from Colorado - O Homem do Colorado (1948) The Mating of Millie (1948) Framed (1947) Gallant Journey (1946) A Stolen Life - Uma vida roubada (1946) Gilda (1946) Destroyer (1943) The Desperadoes (1943) Flight Lieutenant (1942) The Adventures of Martin Eden (1942) Go West, Young Lady (1941) Texas (1941) So Ends Our Night (1941) Blondie Plays Cupid (1940) The Lady in Question - Protegida do Papai (1940) DOWNLOAD Babies for Sale (1940) Men Without Souls (1940) Convicted Woman (1940) My Son Is Guilty (1939) Heaven with a Barbed Wire Fence (1939) Night in Manhattan (1937)   Mais Os Amores de Carmen Lindas Encrencas: As Garotas (1969)   Prêmios Globo de Ouro por Dama por Um Dia (1961). Indicado ao Globo de Ouro por  Don't Go Near the Water (1957) e The Teahouse of the August Moon (1956).   Imagens   Vídeos   Eeeek0sBuw0   Vf9_KFr5o9
| 13428 ace
Título original: Scarface Ano/País/Gênero/Duração: 1983 / EUA / Policial / 170min Direção: Brian de Palma Música: Giorgio Moroder Elenco Al Pacino ... Tony Montana Steven Bauer ... Manny Ribera Michelle Pfeiffer ... Elvira Hancock Mary Elizabeth Mastrantonio ... Gina Montana Robert Loggia ... Frank Lopez Miriam Colon ... Mama Montana F. Murray Abraham ... Omar Suarez Paul Shenar ... Alejandro Sosa Harris Yulin ... Mel Bernstein Ángel Salazar ... Chi Chi Arnaldo Santana ... Ernie Pepe Serna ... Angel Michael P. Moran ... Nick The Pig Al Israel ... Hector The Toad Dennis Holahan ... Jerry The Banker Sinopse: O filme mostra a ascensão e queda de Tony Montana (Al Pacino), que, de refugiado cubano buscando a cidadania americana, se transforma em um grande magnata das drogas em Miami. Ao lado de seu amigo (Steven Bauer), ele começa como atravessador, e posteriormente como chefe de toda uma cadeia de traficantes. Seu mundo começa a ruir quando sua esposa (Michele Pfeir) o abandona, e seu melhor amigo o trai, casando-se com sua irmã ( Mary Elizabeth Mastrantonio), por quem possui desejos quase incestuosos. Curiosidades: Refilmagem do clássico de Howard Hoghes, Scarface, A Vergonha de Uma Nação, de 1932. A palavra fuck é proferida no filme 182 vezes. A banda Blink 182 teria adotado este nome em homenagem ao filme. O filme marca a estréia em telas de Mary Elizabeth Mastrantonio. Chegou a ser censurado em alguns países, graças a violência e palavrões.   Prêmios: Indicações ao Globo de Ouro de Melhor Ator (Al Pacino), Ator Coadjuvante (steven Bauer) e Trilha Sonora. Indicação ao Framboesa de Ouro de Pior Diretor. Assista Online Imagens      
| 13418 ace
'10. Leslie Nielsen 09. Harold Lloyd 08. Cantiflas 07.Oscarito 06. Os Irmãos Marx 05. Mazzaropi 04. O Gordo e o magro 03. Jerry Lewis 02. Buster Keaton 01. Charles Chaplin
| 13409 ace
1. Um Corpo Que Cai (1958)   2. Cantando na Chuva (1952)   3. Rastros de Ódio (1956)   4. Quanto Mais Quente Melhor (1959)   5. Crepúsculo dos Deuses (1950) 6. A Marca da Maldade (1958)   7. Sindicato de Ladrões (1954)   8. Morangos Silvestres (1957)   9. Janela Indiscreta (1954)   10. Os Incompreendidos (1959)
| 13318 ace
    Ficha   Nome: Ruby Katherine Stevens Nascimento e local: 16/07/1907, Brooklyn, EUA Morte: 20/01/1990, Santa Monica, California EUA, ataque cardíaco Ocupação: atriz Nacionalidade: americana Casamentos: Frank Fay e Robert Taylor Filhos: Dion Fay Biografia   Nascida Ruby Stevens, foi a mais nova de cinco irmãos. Ficou órfã de mãe aos dois anos, e pouco depois o pai abandonou a família, indo trabalhar na Zona do Canal do Panamá. Foi criada, alternadamente, por uma família amiga e pela irmã corista, Mildred, no Brooklyn. Entre os oito e onze anos, viajava nas férias com a irmã Mildred em seus shows. Aos 11 anos, foi morar com um casal de origem judaica, sem filhos, os Harold Cohens, de Flatbush, onde experimentou a afeição pela primeira vez. Com a gravidez da Sra. Cohen, porém, foi novamente rejeitada. Deixou a escola aos 13 anos, apesar de a Escola Superior Erasmus Hall, no Brooklyn, a registrar como "diplomada com distinção". Começou a trablhar omitindo sua idade, numa grande loja de departamentos no Brooklyn, e posteriormente trabalhou para a Companhia Telefônica de Nova York. Dividia um flat com Maude Groodie, atriz de vaudeville, amiga dos tempos em que viajava com Mildred. Virou corista aos 15 anos em cabarés de Nova York, contratada por Billy Crisp e Earl Lindsay. Em 1926, um amigo a apresentou a Willard Mack, um produtor e diretor que a contratou para um de seus shows. Participou de The Noose, que teve 197 apresentações no Teatro Hudson, e mudou o seu nome para Bárbara Stanwyck, por sugestão de Willard, que juntou o nome de uma peça (Barbara Fritchie), com o nome da atriz que a interpretava (Jane Stanwick), alterando para depois para Stanwyck. O sucesso foi grande e ali nascia Barbara Stanwyck, mais tarde uma legenda de Hollywood. Em 1927, estrelou Burlesque, como estrela absoluta: 338 apresentações. Os direitos da peça foram comprados pela Paramount para o cinema, tendo o nome mudado para The Dance of Life ("NO Rodopio da Vida") (1929), porém foi substituda por outra atriz, Nancy Carroll. Em 1927 foi para Hollywood e estrelou Broadway Nights ("Noites da Broadway), sem maior representação para sua carreira. Em 1929, estrelou The Locked Door ("Entre Portas Fechadas"), que foi um fracasso na época. O sucesso só veio ao trabalhar com Frank Capra em Ladies of Leisure ("A Flor dos Meus Sonhos"), em 1930. A atriz foi casada duas vezes, a primeira com Frank Fay que, convencido do seu talento como atriz, a levou para Hollywood em 1930 e conseguiu-lhe alguns testes. O casal adotou o menino John Charles Green, que teve seu nome mudado para Dion Anthony Fay. Logo depois o casal se separou, e tiveram uma longa luta judicial pela custódia do menino, que foi conseguida por Bárbara. Dion faleceu em 1961. Com Robert Taylor em 1941. O segundo casamento foi com o ator Robert Taylor, em 1939, e durou 11 anos, até 14 de dezembro de 1950, quando Bárbara prometeu, e cumpriu, nunca mais se casar. Dois de seus papéis mais marcantes e que lhe valeram dois prêmios Emmy de TV foram a matriarca da série de TV Big Valley, na década de 60, e a fazendeira Mary Carson em Pássaros Feridos, produzida em 1983. Teve quatro indicações para o Oscar mas acabou levando apenas um honorário pelo conjunto da sua obra, em 1982. Barbara morreu de insuficiência cardíaca, aos 82 anos, no St. John's Hospital, tendo ao seu lado Nancy Sinatra, sua grande amiga.   Filmes   The Letters (1973) A Taste of Evil (1971) The House That Would Not Die (1970) Roustabout - Carrossel de emoções (1964) Escape to Burma (1955) The Violent Men (1955) Cattle Queen of Montana (1954) Executive Suite (1954) Witness to Murder (1954) Blowing Wild - Sangue da Terra (1953) The Moonlighter (1953) All I Desire (1953) Titanic (1953) Jeopardy (1953) Clash by Night - Só a mulher peca (1952) The Man with a Cloak (1951) To Please a Lady - Agora Sou tua (1950) The Furies (1950) No Man of Her Own (1950) The File on Thelma Jordon - Confissão de Telma (1950) East Side, West Side - Mundos Opostos (1949) The Lady Gambles (1949) Sorry, Wrong Number (1948) B.F.'s Daughter (1948) Cry Wolf (1947) The Other Love (1947) The Two Mrs. Carrolls (1947) California (1946) The Strange Love of Martha Ivers - O tempo não apaga (1946) The Bride Wore Boots (1946) My Reputation (1946) Christmas in Connecticut (1945) Double Indemnity - Pacto de Sangue (1944) Um Sonho em Hollywood (1944) Flesh and Fantasy (1943) Lady of Burlesque - A Morte Dirige o Espetáculo (1943) The Gay Sisters (1942) The Great Man's Lady (1942) Ball of Fire - Bola de Fogo (1941) You Belong to Me (1941) Meet John Doe - Meu Adorável vagabundo (1941) The Lady Eve - As três noites de Eva (1941) Remember the Night - Lembra-te Daquela Noite (1940) Golden Boy - Conflito de duas almas (1939) Union Pacific - Aliança de Aço (1939) The Mad Miss Manton - Quando Elas Teimam (1938) Always Goodbye - Adeus Para Sempre (1938) Breakfast for Two (1937) Stella Dallas (1937) This Is My Affair - A Força do Coração (1937) Internes Can't Take Money - Escravos do Dever (1937) The Plough and the Stars - A Primeira Batalha (1936) Banjo on My Knee - Um Romance no Mississipi (1936) His Brother's Wife - A Mulher do Seu Irmão (1936) The Bride Walks Out (1936) A Message to Garcia - Mensagem a Garcia (1936) Annie Oakley - Na Mira do Coração (1935) Red Salute - Bom Partido para Dois (1935) The Woman in Red - A Dama de Vermelho (1935) The Secret Bride - Casados em Segredo (1934) A Lost Lady - A Mulher Que Achei (1934) Gambling Lady - Paixão de Fogo (1934) Ever in My Heart - Sempre em Meu Coração (1933) Baby Face - Serpentes de Luxo (1933) Ladies They Talk About - Mulheres do Mundo (1933) The Bitter Tea of General Yen - O último chá do general Yen (1933) The Purchase Price - O Preço da Compra (1932) So Big! - No Palco da Vida (1932) Shopworn (1932) Forbidden - Mulher Proibida (1932) The Miracle Woman - A mulher miraculosa (1931) Night Nurse - Triunfos de Mulher (1931) The Slippery Pearls (1931) Ten Cents a Dance (1931) Illicit (1931) Ladies of Leisure - A Flor dos Meus Sonhos (1930) Mexicali Rose (1929) The Locked Door (1929) Broadway Nights (1927)   Mais As Três Noites de Eva (1941) Barbara Stanwyck - Por Buen Camino (em espanhol)     Prêmios   Óscar 1937 – Indicação ao Óscar de Melhor Atriz (principal), pela atuação no filme Stella Dallas ("Stella Dallas, a Mãe Redentora") 1941 – Indicação ao Óscar de Melhor Atriz pela atuação no filme Ball of Fire ("Bola de Fogo") 1944 – Indicação ao Óscar de Melhor Atriz pela atuação no filme Double Indemnity ("Pacto de Sangue") 1948 – Indicação ao Óscar de Melhor Atriz pela atuação no filme Sorry, Wrong Number ("A Vida Por um Fio") 1981 – Recebeu o Óscar Honorário pela grande criatividade e contribuição à arte de interpretação no cinema. Prêmio Emmy 1961 - Vencedora por The Barbara Stanwyck Show 1966 - Vencedora por The Big Valley 1967 – Indicada por The Big Valley 1968 – Indicada por The Big Valley 1983 – Vencedora por The Thorn Birds ("Pássaros Feridos") (part 1) Globo de Ouro 1966 - Indicação de Melhor Atriz de TV em The Big Valley 1967 - Indicação de Melhor Atriz de TV em The Big Valley 1968 - Indicação de Melhor Atriz de TV em The Big Valley 1984 – Venceu em Melhor Atriz (coadjuvante/secundária) em televisão em The Thorn Birds ("Pássaros Feridos") 1986 – Venceu o Prêmio Cecil B. DeMille Outros Prêmios 1967 - Screen Actors Guild - Life Achievement Award 1981 - Film Society of Lincoln Center - Gala Tribute 1981 - Los Angeles Film Critics Association - Career Achievement Award 1987 - American Film Institute - Life Achievement Award   Imagens       Vídeos   qEdh2MmIIVs   mSvzBMK40yg
| 13286 ace
Título Original: The Fixer Ano/País/Gênero/Duração: 1968 / EUA / Drama / 132min Direção: John Frankenheimer Produção: Edward Lewis Roteiro: Bernard Malamud, Dalton Trumbo Fotografia: Marcel Grignon Música: Maurice Jarre Elenco Alan Bates    ...     Yakov Bok Dirk Bogarde ...     Bibikov Georgia Brown    ...     Marfa Golov Hugh Griffith    ...     Lebedev Elizabeth Hartman    ...     Zinaida Ian Holm    ...     Grubeshov David Opatoshu    ...     Latke David Warner    ...     Count Odoevsky Carol White    ...     Raisl George Murcell    ...     Deputy Warden Murray Melvin    ...     Priest Peter Jeffrey    ...     Berezhinsky Michael Goodliffe    ...     Ostrovsky Thomas Heathcote    ...     Proshko Mike Pratt    ...     Father Anastasy Sinopse Yakov Bok (Alan Bates) é um judeu que acaba sendo acusado de ter matado um garoto. Apesar de não assumir o crime e se declarar inocente, ele é preso e torturano na Rússia czarista. Mas um advogado surge e tentará liberta-lo. Curiosidades - Baseado em fatos reais. - O último filme de Danny Green. Imagens
| 13113 ace
  Título original: Der Blaue Engel Ano/País/Gênero/Duração: 1930 / Alemanha / 100min Direção: Josef Von Sternberg Produção: Erich Pommerr Roteiro: Josef Von Sternberg, Robert Liebmann, Karl Vollmoller Fotografia: Guther Rittau Música: Frederick Hollander Elenco Emil Jannings ... Prof. Immanuel Rath Marlene Dietrich Lola Lola Kurt Gerron ... Kiepert Rosa Valetti ... Guste Hans Albers ... Mazeppa Reinhold Bernt Eduard von Winterstein Hans Roth ... Rolf Müller ... Roland Varno ... Carl Balhaus ... Robert Klein-Lörk Charles Puffy ... Wilhelm Diegelmann Gerhard Bienert ... Sinopse Um homem honesto é arruinado por uma paixão por uma dançarina de boate (Dietrich), que o humilha constantemente. Em um dos momentos mais humilhantes, ele chega a ser coroado com chifres e vestido de palhaço. Curiosidades: - O filme tornou-se marca registrada de Marlene Dietrich, cantando com sua voz rouca “Falling in Love Again”. - O filme foi gravado em inglês e alemão.   Download: Este filme é de domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria.       Legendas   Imagens     Vídeo  
| 13087 ace
  Título Original: Dracula Ano/País/Gênero/Duração: 1931 / EUA / Terror / 75min Direção: Tod Browning Produção: E.M. Asher, Tod Browning e Carl Laemmle Jr. Roteiro: Hamilton Deane Fotografia: Karl Freund   Elenco • Bela Lugosi ...Conde Drácula • Helen Chandler...Mina Harker • David Manners...John Harker • Dwight Frye...Renfield • Edward Van Sloan...Abraham Van Helsing • Herbert Bunston...Doutor Jack Seward • Frances Dade...Lucy Weston • Joan Standing...Briggs • Charles K. Gerrard...Martin   Sinopse O advogado Renfield (Dwight Frye) vai até o castelo do Conde Drácula (Bela Lugosi), que fica na Transilvânia, com o intuito de finalizar o contrato de aluguel de uma propriedade do conde. Ele desconhece que o morador é na verdade um vampiro. Renfield é drogado e hipnotizado pelo conde, que o transforma em seu escravo. Drácula embarca para Londres, onde começa a atacar os moradores locais. Ele se aproxima da bela Mina Seward (Helen Chandler), que passa a agir de forma estranha, e ao ser examinada por médicos, estes chegam à conclusão que ela foi atacada por um vampiro. O irmão e o doutor vão atrás do vampiro para que ele não vitime outras pessoas.   Curiosidades - Refilmagem do original Nosferatu, de 1922. - Lon Chaney não pôde participar do filme devido ao câncer. - O filme não tem trilha sonora original. - Outros atores considerados para o papel do Conde Drácula foram Paul Muni, Chester Morris, Ian Keith, John Wray, Joseph Schildkraut, Arthur Edmund Carewe e William Courtney. - Sequencias: Dracula’s Daughter (1936), Son of Dracula (1943),House of Frankenstein (1944), House of Dracula (1948) e Abbott and Costello Meet Frankenstein (1948). - Baseado na obra de Bram Stoker. - O filme tinha uma sequencia na abertura que alertava para o conteúdo de terror. Em 1936 foi retirada e perdida. - Ao ser escalado para o papel, Bela Lugosi não falava a língua inglesa. Ele decorou as falas foneticamente. - Foi gravada também uma versão em espanhol, com atores diferentes. ASSISTA ONLINE       Download: Este filme é de domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria. Legendas   Imagens
| 13087 ace
  A mais jovem: atriz a ganhar o Oscar. Tinha apenas 6 anos. Black: seu segundo marido, o empresário Charles Black morreu aos 86 anos de um problema na medula óssea. Cachos: cada penteado feito por sua mãe Gertrude tinha exatamente 56 cachinhos. Dinheiro: em 1936 a atriz ganhava US$ 50 mil por filme. Estréia: aos 3 anos, no curta “Baby Burlesks”.   Filhos: Linda Susan (1948), Charles Alden (1952) e Lori Alden (1954). Grandes amigos: os políticos Richard Nixon e Ronald Reagan.   Homenagens: as atrizes Shirley Jones e Shirley MacLaine tiveram esses nomes em homenagem a Temple.   Interpretada: Ashley Rose e Emily Hart interpretaram Shirley no filme Child Star: The Shirley Temple Story (2001). Judy Garland: foi sua companheira de estudos na Meglin’s, uma escola destinada aos jovens talentos. Lorax: sua filha Lorax (Lori Black) foi baixista da banda de rock The Melvins. Mastectomia: Shirley foi a primeira atriz a admitir abertamente ter feito uma mastectomia, encorajando outras mulheres a seguirem seu exemplo.   Na calçada da fama: sua estrela fica na 1500 Vine Street.   Our Gang: a atriz fez testes duas vezes para participar da série mas não passou. Política: a atriz tornou-se um membro ativo do Partido Republicano a partir dos anos 60. Ela foi Embaixadora dos EUA na Chescoslováquia. Queda: em 2006 a atriz quebrou o pulso em uma queda em sua casa. Robinson: Bill Robinson era o seu ídolo na infância. Ela trabalhou ao seu lado em quatro filmes. Segurada: aos sete anos, a vida da atriz foi colocada em um seguro com a Lloyd’s of London. No seguro constava que a família não receberia nada se a morte fosse causada por drogas ou embriaguez. The Beatles: sua imagem aparece na manga dos Beatles no album “Sgt Pepper's Lonely Hearts Club Band".   Um autógrafo: Gary Cooper pediu um autógrafo a Shirley quando a conheceu nos sets de filmagens de “Now and Forever”. Vendas: a atriz foi campeã de bilheteria entre 1935 e 38. Seu sorriso e carisma ajudava a vender. Adolescente, acabou por se aposentar.   Wizard Of Oz: fazer o papel de Dorothy, garotinha do Kansas era o sonho de Shirley. Mas ela não pôde fazer o papel por dois motivos: a 20Th Century Fox se recusou a emprestá-la e sua voz também não ajudaria. Judy Garland, inicialmente cotada, ganhou o papel. X: a atriz foi homenageada em desenhos da Walt Disney, Walter Lantz e Warner Bros.   Z: foi a criança mais fotografada no mundo, e estrelou mais de 40 filmes e 50 produções para televisão.
| 12933 ace
Título Original: Gilda Ano/País/Gênero/Duração: 1946 / EUA / Drama noir / 110min Direção: Charles Vidor Produção: Virginia Van Upp Roteiro: Jo Eisinger e Marion Parsonnet Fotografia: Rudolph Maté Elenco • Rita Hayworth .... Gilda • Glenn Ford .... Johnny Farrell / narrador • George Macready .... Ballin Mundson • Joseph Calleia .... Detetive Maurice Obregon • Steven Geray .... Tio Pio • Joe Sawyer .... Casey • Gerald Mohr .... Capitão Delgado • Robert E. Scott .... Gabe Evans • Donald Douglas .... Thomas Langford • Sinopse Jonnny Farrell (Glenn Ford), um vigarista que ganha a vida com jogos de cartas, é salvo de um assalto por Ballin Mundson (George Macready), o dono de um clube noturno em Buenos Aires. Os dois acabam fazendo amizade, e Johnny vai trabalhar no Clube. tornando-se o gerente. Ballin viaja e retorna casado com Gilda (Rita Hayworth), uma mulher misteriosa, e que já tivera um romance tempestuoso com Johnny. O amor novamente surge entre os dois, causando um triângulo perigoso amoroso. Johnny descobre que o Clube na verdade é uma fachada para um Cassino, proibido no país. Curiosidades - Gilda é considerado um dos filmes mais eróticos de todos os tempos, devido às frases dúbias e ao clima sugestivo presente em todas as cenas. - Rita Hayworth a princípio não aceitou interpretar Gilda. Após mudanças no roteiro, que incluíam mais cenas suas, ela aceitou. - Além deste, Rita e Ford trabalharam juntos em O Protegido de Papai (1940), Show Business at War (1943), Os Amores de Carmen (1948), Uma Viúva em Trinidad (1952), Dinheiro é a Armadilha (1965) e That's Action (1977). - O filme não recebeu nenhum prêmio. - Rita Hayworth foi dublada pela cantora Anita Ellis em suas duas canções. - Gilda também é considerado um filme gay. - Frase marcante: Nunca houve uma mulher como Gilda. - A bomba que os americanos soltaram em Atol de Bikini, no Pacífico, foi batizada de Gilda, numa homenagem à personagem. - Quase todas as ações se passam em interiores e à noite. Assista Online Imagens
| 12867 ace
Título Original: Pride and Prejudice Ano/País/Gênero/Duração: 1940 / EUA / Comédia Drama Romance / 117min Direção: Robert Z. Leonard Produção: Hunt Stromberg Roteiro: Aldous Huxley Fotografia: Karl Freund Música: Herbert Stothart Elenco Greer Carson (Elizabeth Bennet) Laurence Olivier (Sr. Darcy) Mary Boland (Sra. Bennet) Edna May Oliver (Lady Catherine de Bourgh) Maureen O'Sullivan (Jane Bennet) Ann Rutherford (Lydia Bennet) Frieda Inescort (Caroline Bingley) Edmund Gwenn (Sr. Bennet) Bruce Lester (Charles Bingley) Edward Ashley (George Wickham) Melville Cooper (Sr. Collins) E.E. Clive (Sir. William Lucas) Sinopse No interior da Inglaterra vive a família Bennet. O casal tem cinco filhas, como são pobres, não tem condições de oferecer um dote. A Sra. Bennet (Mary Boland) quer conseguir um bom casamento para as filhas, e vê surgir uma boa oportunidade quando Mr. Bingley (Bruce Lester), um homem rico, se muda para a casa vizinha. O amigo deste, o Sr. Darcy (Laurence Olivier) também é rico. Jane (Maureen O’Sullivan) e Lizzy (Greer Garson) se envergonham pela atitude de sua mãe e de suas irmãs mais novas, sempre em busca de um homem rico. Curiosidades - Adaptação do livro homônimo de Jane Austen. - Foram utilizadas no filme, as roupas do filme E o Vento Levou, que havia sido lançado no ano anterior. - Clark Gable foi cogitado para o papel de Darcy. - Vivien Leigh recusou o papel de Elizabeth Bennett, deixando o camino aberto para Greer Garson. Prêmios - Oscar de Melhor Direção de Arte. ASSISTA ONLINE: Imagens
| 12802 ace
FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha Nome: Catherine Fabienne Dorléac Nascimento: 22/10/1943, Paris, França Ocupação:atriz Nacionalidade: francesa Casamentos:David Bailey , Roger Vadim Namorados: Marcello Mastroianni , François Truffaut Filhos:Christian Vadim   Biografia   Catherine Fabienne Dorléac, mais conhecida como Catherine Deneuve, nasceu em Paris, em 22 de outrubro de 1943. Filha de Maurice Dorleác, também ator, fez diversas participações em filmes de Roger Vadim, com quem viria a se casar. Chegou ao estrelato com o filme "Os Guarda chuvas do amor", de Jacques Demy. Durante os anos 60 ganhou status de símbolo sexual graças a filmes como A Bela da Tarde (de Luis Buñuel) e Repulsa ao Sexo (de Roman Polanski). Além de Roger Vadim, Catherine foi casada com o fotógrafo David Bailey e teve um romance com Marcello Mastroianni, com quem teve a filha Chiara em 1972. Dentre seus filmes de maior destaque, além de A Bela da Tarde, encontram-se A Sereia do Mississipi, Mayerling, Tristana, Pele de Asno, dentre outros. Nos anos 1980, Deneuve fez trabalhos importantes em O Último Metrô de François Truffaut e Fome de Viver, de Tony Scott. Deneuve sobreviveu como ícone do cinema nos anos 1990, recebendo seu segundo César (o maior prêmio do cinema francês) e uma indicação ao Oscar de melhor atriz pelo filme Indochina, de 1992, que naquele ano ganharia o Oscar de melhor filme estrangeiro da Academia de Hollywood. Seus últimos filmes de sucesso mundial foram Dançando no Escuro, de Lars Von Trier, com a cantora e atriz islandesa Bjork, Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes em 2000 e 8 Mulheres, de 2002, ao lado de algumas das maiores atrizes francesas como Fanny Ardant e Emmanuelle Béart.   Filmes • The Big Picture (2010) • Potiche (2010) • Mères et filles (2009) • Bancs publics (Versailles rive droite) (2009) • Cyprien (2009) • La fille du RER (2009) • Mes stars et moi (2008) • Je veux voir (2008)) • Un conte de Noël (2008) • Frühstück mit einer Unbekannten (2007) (TV) • Persepolis (2007) • Après lui (2007) • Le héros de la famille (2006 • Le concile de pierre (2006) • Palais royal! (2005) • Les temps qui changent (2004) • Rois et reine (2004) • Princesse Marie (2004) (TV) • Um Filme Falado (2003) • Au plus près du paradis (2002) • 8 femmes (2002) • Le petit poucet (2001) • The Musketeer (2001) • Absolument fabuleux (2001) • Je rentre à la maison (2001) • Dancer in the Dark (2000) • Est - Ouest (1999) • Le temps retrouvé, d'après l'oeuvre de Marcel Proust (1999) • Pola X (1999) • Belle maman (1999) • Le vent de la nuit (1999) • Place Vendôme (1998) • Sans titre (1997) • Généalogies d'un crime (1997) • Court toujours: L'inconnu (1996) (TV) • Les voleurs (1996) • O Convento (1995) • Les cent et une nuits de Simon Cinéma (1995) • La partie d'échecs (1994) • Ma saison préférée (1993) • Indochine (1992) • La reine blanche (1991) • Drôle d'endroit pour une rencontre (1988) • Fréquence meurtre (1988) • Agent trouble (1987) • Le lieu du crime (1986) • Speriamo che sia femmina (1986) • Paroles et musique (1984) • Fort Saganne (1984) • Le bon plaisir (1984) • The Hunger (1983) • L'africain (1983) • Le choc (1982) • Hôtel des Amériques (1981) • Le choix des armes (1981) • Je vous aime (1980) • Le dernier métro (1980) • Courage fuyons (1979) • À nous deux (1979) • Ils sont grands, ces petits (1979) • Écoute voir... (1979) • L'argent des autres (1978) • Casotto (1977) • March or Die (1977) • Anima persa (1977) • Si c'était à refaire (1976) • Hustle (1975) • Le sauvage (1975) • L'agression (1975) • Zig zig (1975) • La femme aux bottes rouges (1974) • Fatti di gente perbene (1974) • Touche pas à la femme blanche (1974) • L'événement le plus important depuis que l'homme a marché sur la lune (1973) • Un flic - Expresso para Bordeaux (1972) • Liza (1972) • Ça n'arrive qu'aux autres (1971) • Peau d'âne (1970) • Tristana, uma Paixão mórbida (1970) • Tout peut arriver (1969) • La sirène du Mississipi (1969) • The April Fools - Um dia em duas vidas (1969) • La chamade (1968) • Mayerling (1968) • Manon 70 (1968) • Benjamin ou Les mémoires d'un puceau (1968) • Belle de jour - A bela da tarde (1967) • Les demoiselles de Rochefort - Duas garotas românticas (1967) • Les créatures (1966) • La vie de château (1966) • Le chant du monde (1965) • Das Liebeskarussell (1965) • Repulsion - Repulsa ao sexo (1965) • Les petits chats (1965) • La Costanza della ragione (1964) • Un monsieur de compagnie (1964) • La chasse à l'homme (1964) • Les plus belles escroqueries du monde (1964) • Les parapluies de Cherbourg O guarda chuvas do Amor (1964) • Les vacances portugaises (1963) • Le vice et la vertu (1963) • Les parisiennes (1962) • Et Satan conduit le bal (1962) • Les portes claquent (1960) • L'homme à femmes (1960) • Les collégiennes (1957)   Mais   Prêmios   Oscar Indicação 1993 Melhor Atriz, Indochina BAFTA Indicação 1969 Melhor Atriz, A Bela da Tarde Prêmio César 1981 Melhor Atriz, O Último Metrô 1993 Melhor Atriz, Indochina Indicações 1976 Melhor Atriz, O Selvagem 1982 Melhor Atriz, Hôtel des Amériques 1988 Melhor Atriz, Agent trouble (1987) 1989 Melhor Atriz, Drôle d'endroit pour une rencontre 1994 Melhor Atriz, Minha Estação Preferida 1997 Melhor Atriz, Os Ladrões 1999 Melhor Atriz, Place Vendôme 2006 Melhor Atriz Co-adjuvante, Palais Royal! Festival de Cinema de Veneza 1998 Melhor Atriz, Place Vendôme Imagens     Vídeos  
| 12781 ace
  Ficha Nome: Briggitte Bardot Nascimento e local: 28/09/1934, Paris, França Ocupação: atriz Nacionalidade: Francesa Casamentos: Roger Vadin,Jacques Charrier, Gunter Sachs, Bernard d'Ormale Filho: Nicholas Charrier Biografia Briggitte Bardot, nascida em 1934, causou uma revolução no conceito de sensualidade. Estreou no cinema em Le trou normand (1952), aos 17 anos, seguido de vários filmes sem grande sucesso. Até que estrelou “E Deus criou a mulher” (1956) de Jean Louis Trintignant, considerado por muitos da época como amoral e sendo proibido na América. Acabou por influenciar o modo de ser de milhares de mulheres do mundo. Com uma imagem forte, e cujo sex-appeal se baseava numa sensualidade arrebatadora, ela conseguiu para si todos os flashes. Após esse grande sucesso, ela estrelou, dentre outros, O desprezo (1963) de Jean Luc Godard, Histórias Extraordinárias e Viva Maria. Depois de se aposentar como atriz, criou uma fundação de proteção aos animais ameaçados de extinção, em 1976. Em 1985 ela ganhou um prêmio da Legião de Honra da França. Dentre suas boas ações, destaca-se também a doação de jóias para aparo aos pequenos animaizinhos. Recentemente ela foi condenada a pagar uma multa de 5mil euros, por racismo, no seu livro “Um grito no silêncio”. Nessa obra, publicada em 2003, ela fala mal de árabes, negros e clandestinos, tratando eles como se fossem bárbaros e responsáveis por atos terroristas. Mesmo assim o livro foi o mais vendido do ano. Filmes     Histoire très bonne et très joyeuse de Colinot Trousse-Chemise, L' (1973) Don Juan ou Si Don Juan était une femme... (1973) Pétroleuses, Les (1971) Boulevard du rhum (1971) Novices, Les (1970) Femmes, Les (1969) Ours et la poupée, L' (1969) Shalako (1968) Histoires extraordinaires - Histórias extraordinárias (1968) À coeur joie (1967) Masculin féminin: 15 faits précis (1966) Marie Soleil (1966) Viva Maria! (1965) Une ravissante idiote (1964) Le mépris - O Desprezo (1963) Repos du guerrier, Le (1962) Vie privée (1962) Amours célèbres - Amores célebres (1961) Bride sur le cou, La (1961) Vérité, La - A Verdade (1960) Affaire d'une nuit, L' (1960) Voulez-vous danser avec moi? (1959) Babette s'en va-t-en guerre (1959) Femme et le pantin, La (1959) En cas de malheur (1958) Bijoutiers du clair de lune, Les (1958) Une parisienne (1957) Et Dieu... créa la femme- E Deus Criou a Mulher (1956) Mariée est trop belle, La (1956) En effeuillant la marguerite (1956) Mio figlio Nerone (1956) Cette sacrée gamine (1956) Lumière d'en face, La (1956) Helen of Troy (1956) Grandes manoeuvres, Les (1955) Futures vedettes (1955) Doctor at Sea (1955) Fils de Caroline chérie, Le (1955) Tradita (1954) Si Versailles m'était conté (1954) Un acte d'amour (1953) Portrait de son père, Le (1953) Trou normand, Le (1952) Dents longues, Les (1952) Mais Iniciais BB - Autobiografia de Brigitte Bardot Belas Atrizes Francesas Brigitte Bardot, sobre Marilyn Monroe   Imagens Galeria (Clique na imagem para ver)   Vídeos    
| 12707 ace
Devido ao seu tema, pode ser considerado um filme datado?
| 12694 ace
  André Agassi: seu primeiro marido, de 1997 a 1999. Batismo como: Christa Brooke Camille Shields Corpo: a atriz revelou que foi utilizada uma dublê de corpo para as cenas de nudez de A Lagoa Azul, frustrando alguns fãs. Descendência: inglesa, italiana e alemã. Exploração infantil: sua mãe, Tori, conduzia sua carreira de maneira polêmica, sempre aprovando scripts de teor erótico, como nos filmes Amor Sem Fim (1981) e A Lagoa Azul (1980), realizados antes dos 18 anos da atriz. Filhos: Chris Henchy e Grier Hammond. Grande amigo: Michael Jackson e Brooke andavam muito juntos no início da década de 80, levando a especulações sobre o relacionamento. Segundo Brooke, o envolvimento dos dois resumia-se a mais pura amizade. Homens em sua vida: Michael Bolton, Liam Neeson, John Kennedy Jr., Chris Henchy. Início no Cinema: sua estréia foi aos 12 anos, em “Alice Sweet Alice”, de 1977. Jovem prostituta: aos 13 anos fez o papel de uma prostituta, em Pretty Baby. O filme contém cenas de nudez da atriz, e é considerado polêmico até hoje. Klein: A campanha estrelada por Brooke, das calças Calvin Klein foi considerada um escândalo, pelo alto grau de erotismo. No slogan a frase: "nada fica entre eu e minha Calvin". Tinha apenas 15 anos. Livros: “Quando o Céu Desaba” e “Welcome to your world, baby” (bem-vindo ao seu mundo, bebê). Manequim: começou a desfilar aos 3 anos. Nudez: suas fotos nuas, realizadas pelo fotógrafo Garry Gross, quando ela tinha somente 10 anos, encontram-se  na Manhattan's American Fine Arts Gallery. Os filmes mais conhecidos: A Lagoa Azul (1980), Pretty Baby e Amor Sem Fim (1981). Princeton University: Ela é formada em Literatura Francesa pela Princeton University. Querido marido: está casada atualmente com Chris Henchy, desde 2001, com quem teve duas filhas. Revistas: apareceu em mais de 300 capas de revistas entre 1980 e 1985, dentre elas Cosmopolitan, Elle, Glamour, Harper's Bazaar, Mademoiselle, Seventeen,e Vogue. Sabonete Ivory: ela venceu o concurso para bebês do Sabonete Ivory, quando tinha 11 meses, iniciando assim sua carreira. Time: considerou ela como um dos rostos mais promissores da década de 80. Uma Linda Mulher: Brooke fez os testes para o filme, mas a ainda desconhecida Julia Roberts conseguiu o papel. Virgindade: ela revelou que perdeu aos 22 anos. Winfrey: Ela deu uma entrevista no programa de Ophah Winfrey falando sobre sua depressão pós-parto. Afirmou que pensou em suicídio. Tom Cruise não gostou a criticou por achar que ela estava incentivando o uso de drogas antidepressivas. Y: eleita pela 20th Century's uma das lindas mulheres. Na lista encontram-se também Gloria Swanson, Vivien Leigh, Lauren Bacall, Sophia Loren, Josephine Baker, e Catherine Deneuve (2005). X: a atriz é vegetariana. Z: ganhou cinco People’s Choice Awards.
| 12692 ace
Título Original: The Nutty Professor Ano/País/Gênero/Duração: 1963 / EUA / Comédia / 107min Direção: Jerry Lewis Produção: Ernest D. Glucksman Roteiro: Bill Richmond e Jerry Lewis Fotografia: W. Wallace Kelley Música: Walter Scharf Elenco Jerry Lewis ... Professor Julius Kelp / Buddy Love / Baby Kelp Stella Stevens ... Stella Purdy Del Moore ... Dr. Hamius R. Warfield Kathleen Freeman ... Millie Lemmon Med Flory ... Football Player Norman Alden ... Football Player Howard Morris ... Mr. Elmer Kelp Elvia Allman ... Edwina Kelp Milton Frome ... Dr. M. Sheppard Leevee Sinopse O atrapalhado professor Julius (Jerry Lewis) apaixona-se por uma de suas alunas, mas, desengonçado como é, não consegue conquista-la. Usando sua inteligência, e após ser humilhado por alguns alunos, cria uma fórmula química que o transforma em um homem atraente. Torna-se então Buddy Love, um homem atrativo e inteligente. Ele consegue chamar a atenção de sua amada, Stella Purdy (Stella Stevens), mas as confusões começam quando a fórmula repentinamente se acaba. Curiosidades - Refilmagem em 1996, com Eddie Murphy no papel principal e produzido pelo próprio Jerry Lewis. - Variante de "O Médico e o Monstro" (Dr. Jekyll and Mr. Hyde). - Jerry Lewis se inspirou em seu colega Dean Martin para fazer a caracterização de Buddy Love. Assista Online Imagens
| 12685 ace
Título original: Blood and Sand Ano/País/Gênero/Duração: 1922/EUA/Drama/ Produção: Jesse L. Lasky e Fred Niblo Direção: Fred Niblo e Dorothy Arzner (não creditada) Roteiro: June Mathis e Vicente Blasco Ibáñez Fotografia: Alvin Wyckoff Elenco Rosa Rosanova     ...     Angustias Leo White    ...     Antonio Rosita Marstini    ...     Encarnacion Rudolph Valentino Juan Gallardo Lila Lee    ...         Carmen Charles Belcher    ...     Don Joselito Fred Becker    ...     Don José George Field    ...     El Nacional Jack Winn    ...     Potaje Harry Lamont    ...     Puntillero Gilbert Clayton    ...     Garabato Walter Long    ...     Plumitas Nita Naldi    ...     Doña Sol George Periolat    ...     Marquis of Guevera Sidney De Gray    ...     Dr. Ruiz Dorcas Matthews    Señora Nacional W.E. Lawrence    ...     Fuentes   Sinopse Juan Gallardo, um menino pobre sonha em seguir os passos de seu pai que foi um toureiro, mas que infelizmente morreu abatido pelo touro. Para tanto, abandona a família e muda-se para a Espanha, onde acredita que poderá aprender todas as técnicas. De lá volta 10 anos depois, com relativo sucesso, para casar-se com sua namorada de infância. Sua carreira deslancha e ele se torna o maior toureiro da Espanha. Com o dinheiro, chama a atenção de uma vamp que consegue sua atenção e coração. Sua esposa e amigos tentam em vão afasta-lo dela, mas não conseguem.   Assista Online catnNrUlEHQ     Imagens   Vídeos                        
| 12671 ace
Você pode muito bem amar uma pessoa e ir para cama com outra. Já aconteceu comigo” “Quebro a cara toda hora, mas só me arrependo do que deixei de fazer por preconceito, problema e neurose” “Não morreria por nada deste mundo, porque eu gosto realmente é de viver. Nem de amores eu morreria, porque eu gosto mesmo é de viver de amores” “Eu posso dar para todo mundo, mas não dou para qualquer um” “Cafuné na cabeça, malandro, eu quero até de macaco” “Viver, intensamente, é você chorar, rir, sofrer, participar das coisas, achar a verdade nas coisas que faz. Encontrar em cada gesto da vida o sentido exato para que acredite nele e o sinta intensamente” “Sempre andei sozinha. Me dou bem comigo mesma” “Eu trepo de manhã, de tarde e de noite” “Todos os cafajestes que conheci na vida são uns anjos de pessoas” “Eu durmo com todo mundo! Todo mundo que quer dormir comigo e todo mundo que eu quero dormir” “Só quero que o amor seja simples, honesto, sem os tabus e fantasias que as pessoas lhe dão” “Não sou contra o casamento. Mas, muito mais do que representar ou escrever, ele exige dom”
| 12521 ace
Título Original: La Règle du Jeu Ano/País/Gênero/Duração: 1939 / França / Comédia Drama / 110min Direção: Jean Renoir Roteiro:  Jean Renoir, Carl Koch Fotografia: Jean Bachelet Elenco: Nora Gregor ... Christine de la Cheyniest Paulette Dubost ... Lisette Mila Parély ... Geneviève de Marras Odette Talazac ... Madame de la Plante Claire Gérard ... Madame de la Bruyère Anne Mayen ... Jackie Lise Elina ... Radio-Reporter Marcel Dalio ... Robert de la Cheyniest Julien Carette ... Marceau Roland Toutain ... André Jurieux Gaston Modot ... Edouard Schumacher Jean Renoir ... Octave Pierre Magnier ... Le général Eddy Debray ... Corneille Pierre Nay ... Monsieur de St. Aubin Sinopse Durante um final de semana numa casa de campo, casais de amigos participam de uma caça. Até que os conflitos e traições prejudicam e instala-se um clima de tensão entre os convidados. Curiosidades - O filme é hoje em dia aclamado, mas teve uma recepção morna na época do lançamento. - A cena de caça do filme “Assassinato em Gosford Park” de Robert Altman é uma referência a este filme. - Devido ao insucesso, as cópias tiveram minutos cortados. ASSISTA ONLINE: Imagens
| 12507 ace
Título Original: All Quiet on the Western Front Ano/País/Gênero/Duração: 1930 / EUA / Guerra / 133min Direção: Lewis Milestone Produção: Carl Laemmle Jr. Roteiro:  Erich Maria Remarque, Maxwell Anderson, George Abbott, Del Andrews, C. Gardner Sullivan, Walter Anthony, Lewis Milestone Fotografia: Arthur Edeson Música: Sam Perry e Heinz Roemheld Elenco Louis Wolheim     ...     Kat Katczinsky Lew Ayres ...     Paul Bäumer John Wray    ...     Himmelstoss Arnold Lucy    ...     Professor Kantorek Ben Alexander    ...     Franz Kemmerich Scott Kolk    ...     Leer Owen Davis Jr.    ...     Peter Walter Rogers    ...     Behn William Bakewell    ...     Albert Kropp Russell Gleason    ...     Mueller Richard Alexander    ...     Westhus Harold Goodwin    ...     Detering Slim Summerville    ...     Tjaden G. Pat Collins    ...     Lieutenant Bertinck Beryl Mercer    ...     Mrs. Bäumer - Paul's Mother Sinopse Estudantes alemães se apresentam como volutários para servirem durante a Primeira Guerra Mundial, iludidos com a visao que tem da guerra. Lá eles descobrem que na verdade estão no inferno e que suas vidas jamais serão as mesmas. Curiosidades - Baseado no conto homônimo de Erich Maria Remarque. - Considerado o maior filme anti-guerra de todos os tempos. - ganhou uma versão televisiva entitulada “Adeus à Inocência”. - O filme se divide em quatro partes: treinamento, guerra, retorno para as casas e retorno à guerra. ASSISTA ONLINE Imagens
| 12484 ace
FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha     Nome:  Humphrey DeForest Bogart Nascimento e local:25/12/1899, New York Morte e local: 14/01/1957, Holmby Hills, Hollywood, CA, câncer do esôfago Ocupação: ator Nacionalidade: Americana Casamentos: Helen Menken, Mary Philips, Mayo Methot e Lauren Bacall Filho: Stephen Humphrey Bogart   Biografia       Bogart nasceu em 1899 e iniciou sua carreira no Brooklyn, no início da década de 20, aparecendo em diversas peças sem importância.  Foi atuando na peça “Invitation to a muder” que foi visto pelo produtor Arthur Hopkings que escolheu o ator para estrear no cinema em A floresta petrificada, ao lado da jovem Bette Davis. Com o seujeito durão tornou-se muito influente e popular, transformando-se em um dos maiores mitos de Hollywood. Na verdade, a maneira de falar arrastada e o rosto de pedra foram resultado de um acidente que sofreu durante sua participação na Primeira Guerra Mundial, em que seu lábio superior foi dilacerado. Tornou-se um astro com o clássico Relíquia macabra (1941), de John Huston. Mas seu maior sucesso foi o bem-sucedido Casablanca (1942). Impossível imaginar outro no papel principal de Rick. Em Aventura na Martinica, (1942) conheceu Lauren Bacall, sua terceira esposa. Fez ainda À beira do abismo (46), Paixões em fúria (48), Uma aventura na África (51) e Sabrina (1954), onde contracena com Audrey Hepburn. umphrey faleceu três anos depois, em sua casa, de câncer. Ao lado de Lauren. Filmes   Mais DVDs e Livros The Harder They Fall (1956) The Desperate Hours (1955) The Left Hand of God (1955) We're No Angels (1955) The Barefoot Contessa - A Condessa descalça (1954) Sabrina (1954) The Caine Mutiny (1954) Beat the Devil - O Diabo riu por último (1953) DOWNLOAD Battle Circus (1953) Deadline USA (1952) The African Queen - Uma aventura na África (1951) Sirocco (1951) The Enforcer (Jan1951) In a Lonely Place - No Silêncio da noite (1950) Chain Lightning (1950) Tokyo Joe (1949) Knock on Any Door (1949) Key Largo - Paixões em fúria (1948) The Treasure of the Sierra Madre - O tesouro da Sierra Madre (1948) Dark Passage - Prisioneiro do Passado (1947) The Two Mrs. Carrolls (1947) Dead Reckoning (1947) The Big Sleep - À Beira do Abismo (1946) Conflict (1945) To Have and Have Not - Uma aventura na Martinica (1944) Passage to Marseille (1944) Sahara (1943) Thank Your Lucky Stars (1943) Action in the North Atlantic - Comboio para o leste (1943) Casablanca (1942) Across the Pacific (1942) All Through the Night (1942) The Maltese Falcon - Relíquia macabra (1941) The Wagons Roll at Night (1941) High Sierra - O Último refúgio (1941) They Drive by Night - Dentro da Noite (1940) DOWNLOAD Brother Orchid - Irmão Orquídea (1940) DOWNLOAD It All Came True (1940) DOWNLOAD Virginia City - Caravana de Ouro (1940) DOWNLOAD Invisible Stripes - Homens Marcados (1939) DOWNLOAD The Return of Doctor X - A Volta do Dr. X (1939) DOWNLOAD The Roaring Twenties - Heróis Esquecidos (1939) DOWNLOAD Dark Victory - Vitória amarga (1939) DOWNLOAD You Can't Get Away with Murder - Explorando o crime (1939) DOWNLOAD The Oklahoma Kid - A Lei da Força (1939) DOWNLOAD King of the Underworld - Contra a Lei (1939) DOWNLOAD Angels with Dirty Faces - Anjos de cara suja (1938) DOWNLOAD Racket Busters - Vítimas do Terror (1938) DOWNLOAD The Amazing Dr. Clitterhouse - O Gênio do Crime (1938) DOWNLOAD Men Are Such Fools - Os Homens São uns trouxas (1938) DOWNLOAD Crime School - A Melhor Vitória (1938) DOWNLOAD Stand-In (1937) Dead End - Beco sem saída (1937) DOWNLOAD San Quentin (1937) DOWNLOAD Kid Galahad - Talhado para campeão (1937) DOWNLOAD Marked Woman - A Mulher marcada (1937) DOWNLOAD The Great O'Malley - O Grande O'Malley (1937) DOWNLOAD Black Legion - Legião Negra (1937) DOWNLOAD Bullets or Ballots - Balas ou Votos (1936) DOWNLOAD The Petrified Forest - A Floresta Petrificada (1936) DOWNLOAD Midnight (1934) Three on a Match - Três ainda é Bom (1932) DOWNLOAD The Bad Sister - A Irmã Má (1931) DOWNLOAD A Holy Terros (1931) DOWNLOAD Up the River - Rio Acima (1930) DOWNLOAD   Mais 10 Melhores frases segundo o AFI Bacall e Bogart, uma história de amor Maiores Polêmicas e gafes do Oscar 11 Curiosidades sobre os artistas clássicos Sonhos de Um Sedutor (1972) Bette Davis de A a Z As 50 maiores lendas do cinema, segundo a AFI Algumas frases inesquecíveis do cinema     Prêmios Indicado ao Oscar por A Nave da Revolta (1954) e Casablanca (1942). Ganhou o Oscar por Uma aventura na África (1951)   Imagens   Vídeos WgUBjmL86_k   qMlySgdl54w
| 12462 ace
10. Charles Chaplin e Eric Campbell A primeira dupla de opostos que o cinema já conheceu. Eric só não foi maior (e não falo de altura) por causa do ego de Chaplin, que sempre o deixava como escada para suas performances. Após trabalhar em algumas produções da Broadway, Eric foi chamado por Chaplin para estrelar ao seu lado comédias da Mutual. Foram 08 produções em 2 anos. A dupla foi interrompida pela morte trágica de Eric, em um acidente automobilístico.   09. Bud Spencer e Terence Hill Ok filhotes da eterna Sessão da Tarde. Essa dupla batia ponto nos idos dos anos 80 sempre à tarde dos sábados. Bud foi um campeão de natação que estreou nas telas no clássico Quo Vadis. Mas só foi mesmo observado quando estrelou ao lado de Terence “Meu Nome é Trinity”, em 1971. Terence estreou no também famoso “O Leopardo”, de Visconti. Foram 19 filmes juntos, em que eles estavam sempre metidos em confusões. Enquanto Terence fazia o boa pinta bem humorado, Bud arrematava os inimigos com tapas e bordoadas.   08. Abboutt e Costello Abbott e Costello fizeram sucesso no rádio, cinema e posteriormente na televisão. Antes de se unir a Costello, Abbott trabalhou ao lado de comediantes como  Harry Steppe e Harry Evanson. Costello iniciou no cinema mudo ao lado da dupla “Laurel e Hardy” (O Gordo e o Magro). Os dois apareceram juntos em um programa de rádio, onde continuaram por 2 anos. Em 1940 veio o primeiro contrato com a Universal, que rendeu nada menos do que 30 filmes em 16 anos. Na década de 50 estrearam com sucesso na televisão, com o show “The Abbott and Costello Show”.   07. Jack Lemmon e Walter Matthau Lemmon formou-se em Ciências políticas em Harvard (!!), mas após a Segunda Guerra resolveu seguir a carreira de ator. Matthau iniciou no teatro, e partiu para o cinema, onde ficou conhecido por papéis em comédias leves, muitas das quais estreladas ao lado de Lemmon. A dupla apareceu junta pela primeira vez em “Uma loura por um milhão”, de Billy Wilder. Depois disso foram mais nove filmes.   06. Oscarito e Grande Otelo Nós também temos nossos representantes, claro. O mineirinho Grande Otelo (apelido dado justamente quando atuava em uma peça e colegas apelidaram ele de pequeno Otelo) fez sucesso primeiro no teatro, para depois partir para as telas. Oscarito nasceu numa família circense, e daí para as telas foi um pulo. Oscarito e Grande Otelo estrearam juntos em Noites Cariocas (1936), e a partir daí tornaram-se um dos maiores trunfos do nosso cinema tupiniquim. Foram mais de 10 filmes juntos. 05. John Ford e John Wayne Essa vai para os fãs de westerns. Como lembrar de John Wayne e esquecer que ele e John Ford fizeram juntos 24 filmes? Bom, John Ford não era conhecido como a mais simpática das criaturas. Aliás, era mais conhecido pelas maneiras nada sutis de humilhá-los sempre que podia. Mas o inverso acontecia: eles corriam para atuar sob sua direção, pois o diretor tirava o melhor deles. A dupla com Wayne iniciou em “No tempo das diligências” (1939) e o que se seguiu foi uma grande amizade que nem as divergências políticas aplacou.   04. Ginger Rogers e Fred Astaire Ginger odiava Astaire. Isso porque o dançarino era perfeccionista ao extremo, ensaiando por dia, e por vezes semanas (!!!) os mesmos passos. Mas nada como o sucesso para calar a boca da mágoa, não é verdade? Foram 10 filmes juntos. Filmes que revolucionaram os musicais. Destes, 9 foram feitos em um período de 06 anos. Após 10 anos separados, voltaram para uma despedida em “Ciúme, sinal de amor” (1949).   03. Spencer Tracy e Katharine Hepburn Unidos na vida e na arte, Spencer Tracy e Kath Hepburn estiveram juntos em tela 09 vezes. A química entre os dois era tão grande que ultrapassou os limites do profissionalismo e eles tiveram um romance até a morte dele. Foram comédias, dramas e westers juntos. A despedida foi em “Adivinhe quem vem para o jantar”, com Spencer já doente.   02. Dean Martin e Jerry Lewis Dean era um cantor romântico e charmoso. Jerry sempre esteve ligado à comédia. O que fazer quando uma dupla de opostos se atraem? Eles estrearam juntos fazendo um show para tapar um buraco, depois que um dos astros faltou. A platéia delirou, e logo eram sucesso de crítica e público. Não demorou para surgir um convite para estrelarem um filme. Sucesso imediato. Depois de 17 filmes juntos, a dupla se separou definitivamente nos palcos e na vida.   01. Stan Laurel e Oliver Hardy Sozinhos eles eram apenas dois atores destinados ao limbo. Juntos eram imbatíveis. Stan Laurel trabalhou ao lado de Charles Chaplin  na companhia de teatro de Fred Karno. Ele substituía Chaplin quando este não podia ir a um espetáculo. Veio aos EUA com ele, e também ficou. Oliver cantava desde criança e pensou em ser advogado. Seus primeiros papéis foi como vilão (!!!!). O primeiro filme juntos veio em 1921 em “Lucky Dog”. Após um hiato de 5 anos, voltaram com tudo juntos e a partir daí se tornaram a maior dupla do cinema. Só em um ano chegaram a filmar 13 comédias de sucesso. A dupla não teve problemas em ultrapassar os limites do cinema falado e continuaram fazendo sucesso por muito tempo. Foram 99 filmes juntos.
| 12462 ace
    Apelido: Liz. Mas ela não gosta de ser chamada assim. Beleza: A MGM quis que ela mudasse a cor dos cabelos para louros, afinasse as sobrancelhas e mudasse o desenho de sua boca, para que ficasse mais “americana”, mas a atriz recusou. Casamentos: Nicky Hilton,Michael Wilding, Michael Todd, Eddie Fisher, Richard Burton, John Warner e Larry Fortensky. Descendentes: os filhos Christopher Edward Wilding, Michael Wilding Jr, Liza Todd Burton, Maria Burton (adotada) e  9 netos. Empire Magazine: a considerou a 16ª mais sexy estrela de cinema da história. Filantropia: Liz fez campanhas, desde a década de 80,  de auxílio aos portadores de AIDS. Principalmente depois que sua nora foi vitimada pela doença. Gays: a atriz se dava muito bem com os gays, o que a torna até hoje uma das atrizes mais amadas. Hollywood Walk of Fame 6336 Hollywood Blvd: endereço de sua estrela na calçada da fama. Internação: problemas com drogas, remédios e bebidas, tendo que ser internada diversas vezes para se tratar dos vícios.   Jóias: Liz é uma das maiores colecionadoras de jóias do mundo. Londres: cidade onde nasceu em 27 de fevereiro de 1932. Montgomery Clift: Um de seus melhores amigos. Liz estava com ele, quando sofreu um acidente de carro que deixou o rosto do belo ator desfigurado.    Nome completo: Elizabeth Rosamond Taylor Oscars: Disque butterfield (1960), Quem tem medo de Virginia Wolf? (1966). Perfumes de sua linha: been Passion, White Diamonds, Diamonds and Rubies, Diamonds and Emeralds, Diamonds and Sapphires and Black Pearls. Querida amiga: Liz teve um caso com Eddie Fisher, o marido de Debbie Reynolds, e os dois acabaram se casando. Foi um escândalo na época, já que as duas eram muito amigas. Revista: Apareceu na capa da People Magazines 14 vezes, recorde. Saúde: Quebrou o pé, caiu do cavalo infecção ocular jperna quebrada, pneumonia dupla, mioma e histerectomia, nódulos nas cordas vocais, tumor no cérebro e intestino, cirurgia na coluna  bronquite crônica, contusão do pescoço, pneumonia. Terceira opção: Joan Collins e Audrey Hepburn foram inicialmente indicadas para fazerem Cleópatra. LCom esse filme, Liz ganhou US$ 1 milhão, dando início aos mega cachês. Um motivo para sua demissão após seu primeiro filme: "olhos velhos e não tinha expressão de criança." Tinha apenas 10 anos. Violeta: a cor de seus famosos olhos. Who's Afraid of Virginia Woolf?: um dos 12 filmes que ela fez ao lado de Richard Burton, seu marido e com o qual conquistou o segundo Oscar.  
| 12422 ace
Título original:  Ladri di Biciclette Ano/País/Gênero/Duração: 1948 / Italia / Drama / 88min Direção: Vitorio de Sica Produção:  Giuseppe Amato e Vitorio de Sica Roteiro:    Luigi Bartolini e Cesare Zavattini Fotografia:  Carlo Montuori Música:  Alessandro Cicognini Elenco Lamberto Maggiorani     ...     Antonio Ricci Enzo Staiola    ...     Bruno Ricci Lianella Carell    ...     Maria Ricci Gino Saltamerenda    ...     Baiocco Vittorio Antonucci    ...     The Thief Giulio Chiari    ...     The Beggar Elena Altieri    ...     The Charitable Lady Carlo Jachino    ...     A Beggar Michele Sakara    ...     secretária Emma Druetti         Fausto Guerzoni    ...     Amateur Acto Sinopse Após a Segunda Guerra Mundial, com a Itália está destruída e o povo desesperado, Ricci (Lamberto Maggiorani), casado e com dois filhos, consegue finalmente encontrar um sub-emprego colando cartazes nas ruas.  Só que para permanecer no emprego, ele terá que ter uma bicicleta e conseugue, com muito sacrifício, penhorando bens,  consegue,  com sua esposa Maria (Lianella Carell).  Mas em seu primeiro dia de trabalho, sua bicicleta é roubada. Desesperados, Ricci e seu filho Bruno (Enzo Staiola), buscam recupera-la, para que possam ter uma vida melhor. Curiosidades: O filme faz parte do neo-realismo, movimento que focava nos problemas da guerra. Foram utilizados muitos atores amadores, devido a falta de verbas. Na cena em que Bruno apanha do pai, foi utilizado um recurso pouco usual para fazê-lo chorar, já que ele não conseguia: colocaram cigarros em seu bolso e o acusaram de roubo. O garoto, assustado, chorou e as câmeras captaram seu desespero. Prêmios Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Indicação ao Oscar de Melhor Argumento.   Assista Online Imagens
| 12418 ace
FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha     Nome:  Sebastião Bernardes de Souza Prata Nascimento e local: 18/10/1915, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil Morte e local: 26/11/1993, Paris, França, ataque cardíaco Ocupação: ator Nacionalidade: americano Casamentos: Josephine Helene, Olga, Lúcia Maria Filhos: José Prata, Carlos Sebastião Prata, Mário Luiz Prata e Jaciara Prata Biografia   Sebastião Bernardes de Souza Prata, ou melhor, Grande Otelo, nasceu em Uberlândia (Minas gerais) no dia 18 de outubro de 1915. A vida do grande ator do cinema brasileiro foi marcada por algumas tragédias pessoais e logo tornando-se exemplo de superação. Tendo morrido o seu pai esfaqueado e a companhia da mãe cozinheira, mas infelizmente alcoólatra, o menino Sebastião decide fugir com a trupe de teatro mambembe que chegou a Uberlândia, lá ele é “adotado” pela diretora da companhia, Abigail Parecis. É a senhora Abigail que o leva para São Paulo. Na imensa cidade, mais uma vez o pequeno Sebastião decide fugir indo parar mais uma vez no Juizado de Menores, onde é adotado pelo influente político Antonio de Queiroz e sua esposa D. Eugenia. No novo lar, Sebastião passa a estudar no Colégio Sagrado Coração de Jesus, onde cursou até a terceira série ginasial. Nos anos 20, integrou a Companhia Negra de Revistas, cujo maestro era Pixinguinha. Em 1932, entrou para a Companhia Jardel Jércolis, do pai de Jardel Filho e um dos precussores do teatro de revista. Ganhou o apelido de pequeno Otelo, mas ele preferiu "The Great Otelo", aportuguesando mais tarde por Grande Otelo. No cinema, participou em 1942 do filme It's All True, de Orson Welles. O próprio Orson Welles considerava Otelo o melhor ator do Brasil. Das parcerias que Grande Otelo fez no cinema, a mais notável sem dúvida foi com Oscarito e em seguida com o comediante paulista, Ankito. Otelo reinava em produções da década de 50. Mais tarde em Macunaíma (1969), se imortalizava no papel título. Participou também do filme de Werner Herzog, "Fitzcarraldo", de 1982, filmado na floresta amazônica. Um dos grandes talentos de Grande Otelo foi a composição, sendo a sua mais famosa, “Praça Onze” ao lado cantor Herivelto Martins. De 1938 a 1961 Otelo gravou 8 discos, a maioria de carnaval, onde existiam vitrolas de 78 rotações, suas 26 composições também fizeram história na música popular brasileira. No Cassino da Urca usando smoking, cartola e bengala brilhou ao lado das divas irmãs Dirce e Linda Batista, Carmem Miranda e a afro-americana Josephine Baker, considerada a mais bela mulher negra do século 20. Uma outra tragédia aconteceu em sua vida: sua esposa matou o seu enteado e em seguida se suicidou, deixando-o muito abalado. Morreu, aos 78 anos, em 26 de novembro de 1993, ao desembarcar no aeroporto Charles de Gaulle, em Paris (França), quando se dirigia a Nantes, onde seria homenageado no local Festival dos Três Continentes. O ator cuja atividade principal era o cinema deixou um grande acervo, que começou a ser restaurado em 2004, onde muitos desses objetos foram higienizados, digitalizados e catalogados. Todos esses materiais são: entrevistas, músicas e programas apresentados pelo artista; prêmios e homenagens (troféus, placas, diplomas e certificados) recebidos durante a sua carreira, roteiros de cinema, TV, teatro, rádio, shows, partituras, correspondências, livros, monografias, poemas, fotos, obras de arte, recortes de jornais e revistas. Inclusive disponível para acesso via web através da Fundação Nacional da Arte (FUNARTE). Segundo a Revista Isto É: "nunca haverá um tipo popular e divertido igual a ele. Além de um comediante incomparável, que formou dupla com Oscarito em dezenas de filmes na época áurea das chanchadas e comédias da Praça Tiradentes e do Cassino da Urca, no Rio de Janeiro, era também um ator dramático de autenticidade visceral". Grande Otelo, 1,50 m de altura, negro, olhos esbugalhados e de uma simpatia ímpar é imortalizado em sua obra, em um talento que transcendia os palcos e a tela de cinema. (biografia por Magda Miranda do blog Sala Latina de Cinema)   Filmes   •  Natal da Portela (1988) •  Jardim de Alah (1988) •  Exu-Piá, Coração de Macunaíma (1987) •  Running Out of Luck (1987) •  Brasa Adormecida (1987) •  Jubiabá (1987) •  Nem Tudo é Verdade (1986) •  Quilombo (1984) •  Parahyba Mulher Macho (1983) •  Fitzcarraldo (1982) •  O Homem do Pau-Brasil (1982) •  Asa Branca - Um Sonho Brasileiro (1980) •  A Noite dos Duros (1978) •  Agonia (1978) •  As Aventuras de Robinson Crusoé (1978) •  A Noiva da Cidade (1978) •  Ouro Sangrento (1977) •  Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia (1977) •  A Força do Xangô (1977) •  Ladrões de Cinema (1977) •  O Flagrante (1976) •  Carioca tigre (1976) .... Omero •  Ladrão de Bagdá (1976) •  Tem Alguém na Minha Cama (1976) •  As Aventuras de Um Detetive Português (1975) •  Os Pastores da Noite (1975) •  Deixa, Amorzinho... Deixa (1975) •  O Professor Vai Embora (1974) •  A Transa do Turfe (1974) •  A Estrela Sobe (1974) •  Fogo Morto (1973) (TV) •  O Rei do Baralho (1973) •  O Negrinho do Pastoreio (1973) •  Cassy Jones, o Magnífico Sedutor (1972) •  Meus Filhos (1971) •  O Barão Otelo no Barato dos Bilhões (1971) •  Os Herdeiros (1970) •  Se Meu Dólar Falasse (1970) •  O Donzelo (1970) •  A Família do Barulho (1970) •  Não Aperta, Aparício (1970) •  L'alibi (1969) •  Macunaíma (1969) •  Enfim Sós... Com o Outro (1968) •  Os Marginais (1968) •  A Doce Mulher Amada (1968) •  Massacre no Supermercado (1968) •  Una rosa per tutti (1967) •  Arrastão (1966) •  Em Ritmo Jovem (1966) •  Samba (1965) •  Crônica da Cidade Amada (1964) . •  Quero Essa Mulher Assim Mesmo (1963) •  O Assalto ao Trem Pagador (1962) •  Os Cosmonautas (1962) •  O Homem Que Roubou a Copa do Mundo (1961) •  Um Candango na Belacap (1961) •  Vai Que É Mole (1960) •  Mujeres de fuego (1959) •  Mulheres à Vista (1959) •  Garota Enxuta (1959) •  Pistoleiro Bossa Nova (1959) •  Os três Cangaceiros (1959) •  E o Bicho Não Deu (1958) •  É de Chuá (1958) •  Com Jeito Vai (1957) •  Pé na Tábua (1957) •  Rio Zona Norte (1957) •  A Baronesa Transviada (1957) •  Metido a Bacana (1957) •  Depois Eu Conto (1956) •  De Pernas Pro Ar (1956) •  Nem Sansão Nem Dalila (1955) •  Paixão nas Selvas (1955) •  Matar ou Correr (1954) •  Malandros em Quarta Dimensão (1954) •  A Dupla do Barulho (1953) •  Três Vagabundos (1952) •  Carnaval Atlântida (1952) •  Barnabé Tu És Meu (1952) •  Amei um Bicheiro (1952) •  Aviso aos Navegantes (1950) •  Não É Nada Disso (1950) •  Também Somos Irmãos (1949) •  O Caçula do Barulho (1949) •  Carnaval no Fogo (1949) •  E o Mundo se Diverte (1948) •  Terra Violenta (1948) •  É com Este Que Eu Vou (1948) •  Este Mundo É um Pandeiro (1947) •  Luz dos Meus Olhos (1947) •  Fantasma Por Acaso (1946) •  Segura Esta Mulher (1946) •  O Gol da Vitória (1945) •  Não Adianta Chorar (1945) •  Romance Proibido (1944) •  Berlim na Batucada (1944) •  Caminho do Céu (1943) •  Samba em Berlim (1943) •  Tristezas Não Pagam Dívidas (1943) •  Moleque Tião (1943) •  Astros em Desfile (1942) •  A Sedução do Garimpo (1941) •  Laranja-da-China (1940) •  Céu azul (1940) •  Pega Ladrão (1940) •  Futebol em Família (1939) •  Onde Estás Felicidade? (1939) •  João Ninguém (1936) •  Noites Cariocas (1936)   Mais Zezé Macedo Cantinflas As duplas mais populares do cinema História do Cinema Brasileiro   Prêmios Festival de Brasília Recebeu o Troféu Candango em 1969, na categoria de melhor ator, por Macunaíma. Festival de Gramado Recebeu o Troféu Oscarito em 1990.   Imagens   Vídeos 3wnu8OEYwGY   fUvSc9QkzXw  
| 12375 ace
“Reaja!... Sabe quem são os solitários? Perdedores.” “Sou a favor de tudo o que ajude a passar a noite, sejam orações, calmantes ou uma garrafa de Jack Daniels”. “Você tem que adorar a vida, sabe: Porque a morte é muito chata!” “O ar fresco me faz vomitar. Não consigo tolerar. Prefiro passar a noite inteira perto de três charutos Denobili enfumaçando tuo ao meu redor.” “Posso parecer antiquado, mas acho bom pensar que todas as mulheres deveriam ser tratadas da mesma forma com que eu gostaria que minha esposa, filhas e netas fossem tratadas.” “Acredito em dar à mulher bastante tempo para se decidir com quem ela vai querer passar o resto da vida. O homem não gosta de ser assolado pela claustrofobia feminina”. “Não se preocupe Pombinha, você sempre pode pedir o divórcio”. (à sua filha, quando ela se casou.) Respostas do velho Frank: Qual a melhor coisa a se fazer com o dinheiro? “Gastar! É preciso movimentar o dinheiro.” Como um homem e uma mulher sobrevivem ao divórcio? “Tentem continuar amigos, se puderem.” Para afogar as mágoas, qual é o melhor lugar onde se deve mergulhar? “Certamente não é na água. Água enferruja.” Qual a regra para proteger um amigo? “Não delate nem um delator”. Como sobrevive o fumante num mundo de não fumantes/ “Dizendo: vocês morrem do seu jeito, eu morro do meu.” Como você fica sabendo que escolheu o barbeiro correto? “ Quando você sai da barbearia e ninguém lhe dá um chapéu, então ficou bom”. O que um homem nunca deve fazer na presença de uma mulher? “Bocejar.” O que você faz quando uma mulher chora? “Normalmente choro com ela”. 
| 12363 ace
1. Cidadão Kane (1941)   2. Casablanca (1942)   3. O Boulevard do Crime (1945)   4. Soberba (1942) 5. A Felicidade Não se Compra (1945)   6. Relíquia Macabra (1941)   7. Núpcias de Escândalo (1940)   8. As Vinhas da Ira (1940)   9. Ladrões de Bicicleta (1948)   10. O Terceiro Homem (1949)   Outros destaques: O Grande Ditador (1940) Pacto de Sangue (1944) Os Sapatinhos Vermelhos (1948) Festim Diabólico (1949) Rebecca (1940) Laura (1944) Desencanto (1945) Tarde Demais (1949) Interlúdio (1949)
| 12343 ace
  Ficha Título original: All about Eve Ano/País/Gênero/Duração: 1951/EUA/Drama/138min Produção, Direção e Roteiro: Joseph L. Mankiewicz Fotografia: Milton R. Krasne Elenco Bette Davis ... Margo Anne Baxter ... Eve George Sanders ... Addison DeWitt Celeste Holm ... Karen Gary Merrill ... Bill Simpson Hugh Marlowe ... Lloyd Richards Gregory Ratoff ... Max Fabian Barbara Bates ... Phoebe Marilyn Monroe Miss Casswell Sinopse Até onde alguém pode chegar para alcançar o que deseja? Passar por cima de sentimentos e pessoas. E essa é a história de Eve Harrigton (Anne Baxter). Aparentando fragilidade, esta aproxima-se de Margo Chaning (Bette Davis), atriz de sucesso do teatro. Logo torna-se sua camareira, secretária e melhor amiga. Sua ambição leva-a a tentar de todas as maneiras agradar Margo e conseguir, com isso, sugar o que ela tem de melhor. Com seu jeito delicado consegue abalar o namoro de Margo, quase acabar com o casamento da melhor amiga desta, e finalmente o tão sonhado sucesso. Notas Bette Davis concorreu neste ano ao Oscar, com sua companheira de cena Anne Baxter (uma paródia do próprio filme) e com Gloria Swanson. Nenhuma delas ganhou o prêmio. Mas All about Eve acabou levando 6 Oscars (melhor filme, diretor, roteiro ator coadjuvante, figurino e som) e tornando-se o filme do ano. O papel de Margo foi primeiramente oferecido a Claudette Colbert, que sofreu um acidente e acabou sendo substituída por Bette. Marlente Dietrich e Gertrude Lawrence chegaram a ser cotadas para o papel. Bette ganhou o prêmio de Melhor atriz no festival de Cannes. Assista Online Imagens
| 12296 ace
Título Original: Breakfast at Tiffany's Ano/País/Gênero/Duração: 1961 / EUA / Comédia Romance / 115min Direção: Blake Edwards Produção: Martin Jurow e Richard Shepherd Roteiro: Truman Capote, George Axelrod Fotografia: Franz Planer e Philip H. Lathrop Música: Henry Mancini Elenco • Audrey Hepburn .... Holly Golightly • George Peppard .... Paul "Fred" Varjak • Patricia Neal .... Tooley (sra. Failenson) • Buddy Ebsen .... Doc Golightly • Martin Balsam .... O. J. Berman • José Luis de Villalonga .... José da Silva Pereira • John McGiver .... vendedor da Tiffany's • Alan Reed .... Sally Tomato • Dorothy Whitney .... Mag Wildwood • Beverly Powers .... stripper • Stanley Adams .... Rusty Trawler • Claude Stroud .... Sid Arbuck • Mickey Rooney .... sr. Yunioshi Sinopse Holly (Audrey Hepburn) tem uma história de vida curiosa: casou-se com apenas 14 anos e acabou fugindo do marido para tentar a vida em Hollywood. Já em Nova York, divide seu tempo procurando um marido rico e como garota de programa, servindo também a um mafioso que está preso. Ela conhece Paul Varjak (George Peppard), um jovem escritor, com quem acaba se envolvendo. Curiosidades - Orçamento de $ 2,5 milhões de dólares. - Truman Capote escreveu a personagem de Holly para Marilyn Monroe, e não gostou da escolha de Audrey Hepburn para este papel. - A bissexualidade de Holly, presente no livro, foi totalmente ocultada no filme. - O escritor, no livro, era homossexual e não tinha nenhuma amante que lhe sustentasse. - Moonriver foi escrita especialmente para Audrey Hepburn. - Para as filmagens, a famosa loja Tiffany’s abriu as portas pela primeira vez num dia de domingo. - Audrey ficou muito nervosa, pois na cena em que olha a vitrine da Tiffany’s havia muitas pessoas observando. - A cena em que pega o gato molhado na chuva foi para Audrey a cena mais detestável que ela já fez em toda a sua vida. - Kim Novak foi cotada para o papel de Holly Golightly. - Steve McQueen foi cotado para o papel de Paul. - Audrey recebeu $ 750 mil dólares por sua participação no filme. - O diretor arrependeu-se de ter oferecido o papel de chinês a Mickey Rooney. Prêmios - Oscar de Melhor Trilha Sonora Comédia, Canção original (Moon River). - Indicado ao Oscar de Melhor Atriz (Audrey Hepburn), Roteiro Adaptado, Direção de Arte. - Indicado ao Globo de Ouro de Melhor Filme Comédia e Atriz Comédia (Audrey Hepburn). Assista Online Imagens
| 12262 ace
Título Original: The Mark of Zorro Ano/País/Gênero/Duração: 1940 / EUA / Ação Aventura / 94min Direção: Rouben Mamoulian Produção: Raymond Griffith, Darryl F. Zanuck Roteiro: John Taintor Foote, Garrett Fort, Bess Meredyth Fotografia: Arthur C. Miller Música: Alfred Newman, David Buttolph, Hugo Friedhofer, Cyril J. Mockridge Elenco Tyrone Power .... Don Diego Vega/Zorro Linda Darnell .... Lolita Quintero Basil Rathbone .... Capitán Esteban Pasquale Gale Sondergaard .... Inés Quintero Eugene Pallette .... Frei Felipe J. Edward Bromberg .... Don Luis Quintero Montagu Love .... Don Alejandro Vega Janet Beecher .... Señora Isabella Vega George Regas .... Sargento González Chris-Pin Martin Robert Lowery .... Rodrigo Belle Mitchell .... Maria de López John Bleifer .... Pedro Frank Puglia Eugene Borden .... Oficial do dia Pedro de Cordoba .... Don Miguel Guy D'Ennery .... Don José Sinopse Don Diego (Tyrone Power) é filho de um fazendeiro rico e vai fazer seus estudos na Espanha. Quando retorna ao seu povo, depara-se com a miséria imposta pelo governador Quintero (J. Edward Bromberg). Para defender o povo, ele veste uma capa e máscara negras para que não descubram sua verdadeira identidade. O amor chega, quando ele se apaixona justamente por Lolita (Linda Darnell), sobrinha do governador. Curiosidades - Baseado em “The Curse of Capistrano” de Johnston McCulley, publicada em 1919. - Refilmagem de “A marca do Zorro”, 1920. ASSISTA ONLINE Imagens
| 12254 ace
Título Original: Virginia City Ano/País/Gênero/Duração: 1940 / EUA / Ação | Drama | Histórico | Romance | Faroeste / 121 min Direção: Michael Curtiz Produção: Robert Fellows Roteiro: Robert Buckner Fotografia: Sol Polito Música: Max Steiner   Elenco   Errol Flynn ...     Captain Kerry Bradford Miriam Hopkins ...     Julia Hayne Randolph Scott ...     Captain Vance Irby Humphrey Bogart ...     John Murrell Frank McHugh    ...     Mr. Upjohn Alan Hale    ...     Olaf 'Moose' Swenson Guinn 'Big Boy' Williams    ...     'Marblehead' John Litel    ...     Thomas Marshall Douglass Dumbrille    ...     Major Drewery Moroni Olsen    ...     Dr. Robert Cameron Russell Hicks    ...     John Armistead Dickie Jones    ...     Cobby Gill Frank Wilcox    ...     Union Outpost Soldier Russell Simpson    ...     Frank Gaylord Victor Kilian    ...     Abraham Lincoln George Reeves ...     Maj. Drewery's Union Telegrapher Sinopse Bradford, um capitão nortista, encontra-se preso. Seu carcereiro é um capitão sulista, de nome Irby. Depois que o Bradford escapa, ambos vão travar nas ruas de Virginia City, no condado de Storey, no estado de Nevada, uma luta por recursos para ambas as partes. Download: Este filme é de  domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria.   Legendas      
| 12250 ace
Título Original: The Gold Rush Ano/País/Gênero/Duração: 1925 / EUA / Comédia / 74min Direção: Charles Chaplin Produção: Charles Chaplin Roteiro: Charles Chaplin Fotografia: Rollie Totheroh Música: Charles Chaplin Elenco Charles Chaplin ............... Vagabundo Mack Swain ..................... Jim McKay Georgia Hale …………… Georgia Henry Bergman ............... Hank Curtiss Outros: Betty Morrisey, Malcolm Waite. Lita Grey Sinopse Um pobre vagabundo, seguindo os rastros de outros tantos, segue em busca do ouro no Alasca. No meio de uma tempestade de neve, ele consegue encontrar uma cabana, mas lá tem que disputar espaço com outro homem, um bandido. Jim McKay, outro que está em busca do ouro, surge e acaba salvando a vida do vagabundo, e os dois tornam-se amigos. Jim e Charlie fazem um acordo e o amigo parte em busca do ouro. Enquanto isso o vagabundo conhece Georgia, por quem se interessa, embora ela lhe rejeite: ela é, a princípio, apaixonada por um homem grosseiro, que frequenta o Café, onde ela trabalha. Destaque para a seqüência em que ela promete ir no Reveillon e ele prepara uma ceia, e enquanto a aguarda, acaba dormindo e acontece a famosa dança dos pãezinhos. Outro destaque é a cena em que os dois comem as botas, preparadas por Chaplin como se fosse um grande banquete, e também a ilusão de Jim, que corre atrás de Charlie, pensando que ele é um frango. Ao final, Jim descobre uma mina de ouro, e os dois terminam ricos. Um dos poucos finais felizes do vagabundo. Curiosidades - A produção custou 500.000 dólares, mas acabou rendendo 5.000 milhões, uma cifra considerável. - Em 1942 Chaplin resolveu sonorizar o filme, gravando trechos e cortando partes do filme. Entre as partes cortadas, encontra-se a cena final do filme, em que Charlie beija Georgia. - Foram produzidos 3.129 metros de filme, para serem reduzidos para apenas 2.700 metros. - Lita McMurray (ou Lilita Grey) foi escolhida inicialmente para ser a atriz principal do filme, porém ela e Chaplin acabaram se envolvendo. Ela engravidou e teve que ser substituída por Georgia Hale. - As cenas iniciais foram filmadas no Alasca, porém, as condições eram péssimas, tanto do ponto de vista climático (era terrível ter que filmar em meio a tempestades), quanto financeiras (pois as filmagens, por conta dos atrasos acabavam por sair caríssimas). - Esse filme chegou a receber 2 indicações para o Oscar: Melhor trilha sonora e melhor som gravado. - 2500 vagabundos foram contratados para fazer as cenas da subida do monte. Eles trabalharam em troca de um dia de salário. - Recebeu 2 indicações ao Oscar, nas categorias de Melhor Trilha Sonora e Melhor Som - Gravado. - Em muitos cinemas, a sequência da dança tinha que ser repetida mais algumas vezes, a pedido do público. - As botas e pregos utilizados para a seqüência em que ele e Jim a comem como se fosse um delicioso frango eram na verdade feitos de açúcar cande. O fato de repetir a cena diversas vezes, bem ao gosto chapliniano, fez com que os dois ficassem seriamente doentes, e as filmagens tiveram que ser temporariamente até os dois se recuperarem. - Inicialmente, a cena em que Jim corre atrás do vagabundo pensando que seria um frango, seria gravado por um figurante. Porém, ele não conseguiu de forma alguma passar a idéia de ser o animal, por mais que Chaplin lhe mostrasse como. A solução foi o próprio Charlie interpretar, e a cena ficou perfeita. Assista Online       Imagens
| 12224 ace
FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha     Nome: Henry Jaynes Fonda Nascimento e local: 16/05/1905, Grand Island, NE Morte e local: 12/08/1982, Los Angeles, CA, EUA, ataque cardíaco Ocupação: ator e produtor Nacionalidade: Americana Casamentos: Frances Seymour Brokaw, Afdera Franchetti, Margaret Sullavan, Susan Blanchard, Shirley Mae Adams Filhos: Jane Fonda, Peter Fonda, Amy Fishman   Biografia   Henry Fonda nasceu em Grand Island, filho de Elma Herberta Jaynes e William Brace Fonda, cujos ancestrais foram neerlandeses, sendo o sobrenome Fonda originário da Frísia, uma província no norte dos Países Baixos. Fonda estudou Jornalismo na Universidade de Minnesota, mas abandonou o curso no segundo ano. Em 1925, trabalhava em uma empresa em Omaha quando foi convidado para fazer um papel importante em uma produção amadora da Omaha Community Playhouse. Nessa época ele já impressionava com seus 1m86. Se apaixonou pelo palco e seu primeiro papel profissional foi na peça You and Me, de Philip Barry. Em 1929, já em Manhattan e na University Players Guild, estrelou Devil and the Cheese, ao lado de Margaret Sullavan, que se tornou, dois anos depois, sua primeira esposa. O casamento só durou pouco mais de um ano e ele foi para Hollywood fazer cinema. Sua estréia no cinema americano foi em 1935, repetindo o papel que fizera no teatro na adaptação de The Farmer Takes a Wife, que no Brasil recebeu o título de Amor singelo. Nessa mesma época se torna amigo de outro ator estreante, James Stewart, amizade que durou até a sua morte. Em 1936, Henry se casou com Frances Seymour Brokwaw, uma americana rica e divorciada com quem teve dois filhos, os também atores Jane Fonda e Peter Fonda. O casamento terminou tragicamente em 1950, com o suicídio de Frances após um colapso nervoso. Antes de partir para a Segunda Guerra Mundial como contramestre de terceira classe, ele fez mais de vinte filmes, alguns grandes êxitos de bilheteria e crítica como Jezebel, Jesse James, Ao rufar dos tambores e As vinhas da ira, com o qual concorreu ao Oscar de melhor ator. A volta ao cinema e aos palcos foi em grande estilo, no final da década de 40, com o filme Paixão dos fortes, dirigido por John Ford, e o espetáculo Mister Roberts, com o qual ficou por três anos seguidos nos palcos da Filadélfia e de Nova Iorque, que devido ao grande sucesso foi transposto para o cinema, inicialmente tendo como diretor John Ford, porém, houve desentendimentos entre Fonda e Ford, deixando este a produção; contracenaram com Fonda nesta película Jack Lemmon, James Cagney e William Powell. Nas décadas de 50, 60 e 70 dividiu-se entre os palcos e as telas de cinema, até que no início da década de 70, ao protagonizar o one-man-show Clarence Darrow, em Nova Iorque, desmaiou nos camarins e teve que se internar e colocar um marca-passo no peito. Ele se casou mais três vezes: em dezembro de 1950, com Susan Levine Blanchard, com quem adotou uma menina; em 1957, com a italiana Adera Franchetti e, em 1965, com a aeromoça Shirlee Mae Adams, sua esposa até a morte do ator em agosto de 1982, vitimado por uma doença crônica no coração.   Filmes   •  Summer Solstice (1981) •  On Golden Pond - Num Lago Dourado (1981) •  Gideon's Trumpet (1980) •  The Oldest Living Graduate (1980) •  Meteor (1979) •  Wanda Nevada (1979) •  City on Fire (1979) •  The Swarm (1978) •  Fedora (1978) •  Home to Stay (1978) •  Il grande attacco (1978) •  The Last of the Cowboys (1977) •  Rollercoaster (1977) •  Tentacoli (1977) •  Soldier's Home (1977) •  Midway - A Batalha de Midway (1976) •  Collision Course: Truman vs. MacArthur (1976) •  Mussolini: Ultimo atto (1974) •  Il mio nome è Nessuno (1973) •  Ash Wednesday - Meu corpo em tuas mãos (1973) •  The Alpha Caper (1973) •  Le serpent (1973) •  Sometimes a Great Notion (1971) •  There Was a Crooked Man... - Ninho de Cobras (1970) •  The Cheyenne Social Club (1970) •  C'era una volta il West - Era Uma Vez no Oeste (1968) •  The Boston Strangler - O Homem que odiava as mulheres (1968) •  Yours, Mine and Ours (1968) •  Madigan (1968) •  Firecreek (1968) •  Stranger on the Run (1967) •  Welcome to Hard Times (1967) •  A Big Hand for the Little Lady (1966) •  Battle of the Bulge (1965) •  The Dirty Game (1965) •  In Harm's Way (1965) •  The Rounders (1965) •  Sex and the Single Girl - Médioca, bonita e solteira (1964) DOWNLOAD •  Fail-Safe (1964) •  The Best Man (1964) •  Spencer's Mountain (1963) •  How the West Was Won - A Conquista do Oeste (1962) •  The Longest Day (1962) •  Advise & Consent (1962 •  The Man Who Understood Women (1959) •  Warlock (1959) •  Stage Struck (1958) •  The Tin Star (1957) •  12 Angry Men - 12 Homens e uma sentença (1957) •  The Wrong Man - O Homem Errado (1956) •  War and Peace - Guerra e Paz (1956) • Mister Roberts (1955) •  Fort Apache - Sangue de Herói (1948) •  On Our Merry Way - Nosso alegre caminho (1948) •  Daisy Kenyon - Êxtase de amor (1947) •  The Fugitive (1947) •  The Long Night (1947) •  My Darling Clementine - Paixão dos fortes (1946) •  The Ox-Bow Incident - Consciências Mortas (1943) •  Immortal Sergeant (1943) •  The Big Street - Rua da Ilusão  (1942) •  Tales of Manhattan - Seis destinos (1942) •  The Magnificent Dope (1942) •  The Male Animal - Assim é que elas gostam (1942) •  Rings on Her Fingers (1942) •  You Belong to Me (1941) •  Wild Geese Calling (1941) •  The Lady Eve - As três noites de Eva (1941) •  Chad Hanna - A Tentação do Circo (1940) DOWNLOAD •  The Return of Frank James - O Regresso de Frank James (1940) DOWNLOAD •  Lillian Russell (1940) DOWNLOAD •  The Grapes of Wrath - As Vinhas da ira (1940) DOWNLOAD •  Drums Along the Mohawk - Ao rufar dos Tambores (1939) DOWNLOAD •  Young Mr. Lincoln / A Mocidade de Lincoln (1939) DOWNLOAD •  The Story of Alexander Graham Bell - A Vida de Alexandrer Graham (1939) DOWNLOAD •  Let Us Live (1939) •  Jesse James (1939) DOWNLOAD •  The Mad Miss Manton - Quando Elas Teimam (1938) DOWNLOAD •  Spawn of the North - Lobos do Norte (1938) DOWNLOAD •  Blockade (1938) DOWNLOAD •  Jezebel (1938) DOWNLOAD •  I Met My Love Again - Não Há Amor Como o Primeiro (1938) DOWNLOAD •  That Certain Woman - Cinzas do Passado (1937) DOWNLOAD •  Slim (1937) •  You Only Live Once - Vive-se uma só vez  (1937) DOWNLOAD •  Wings of the Morning - Idílio Cigano (1937) DOWNLOAD •  Spendthrift (1936) •  The Moon's Our Home - Vivendo na Lua (1936) DOWNLOAD •  The Trail of the Lonesome Pine - A Filha do Bosque Maldito (1936) DOWNLOAD •  I Dream Too Much (1935) DOWNLOAD •  Way Down East (1935) •  The Farmer Takes a Wife - Amor Singelo (1935) DOWNLOAD   Mais Prêmios Imagens     Vídeos   KBC1qA-CpT0   joPMuaFa1Ds
| 12202 ace
  Eles 1. Humphrey Bogart (1899–1957) 2. Cary Grant (1904–1986) 3. James Stewart (1908–1997)   4. Marlon Brando (1924–2004)   5. Fred Astaire (1899–1987)   6. Henry Fonda (1905–1982)   7. Clark Gable (1901–1960)   8. James Cagney (1899–1986) 9. Spencer Tracy (1900–1967)   10. Charles Chaplin (1889–1977) 11. Gary Cooper (1901–1961) 12. Gregory Peck (1916–2003) 13. John Wayne (1907–1977) 14. Laurence Olivier (1907–1989) 15. Gene Kelly (1912–1986) 16. Orson Welles (1915–1985) 17. Kirk Douglas (1916) 18. James Dean (1931–1955) 19. Burt Lancaster (1913–1993) 20. Irmãos Marx (entre 1887 e 1901 – entre 1961 e 1979) 21. Buster Keaton (1895–1966) 22. Sidney Poitier (1927) 23. Robert Mitchum (1917–1997) 24. Edward G. Robinson (1893–1973) 25. William Holden (1918–1981) Elas 1. Katharine Hepburn (1907–2003)   2. Bette Davis (1908–1989)   3. Audrey Hepburn (1929–1993)   4. Ingrid Bergman (1915–1982)   5. Greta Garbo (1905–1990)   6. Marilyn Monroe (1926–1962)   7. Elizabeth Taylor (1932)   8. Judy Garland (1922–1969)   9. Marlene Dietrich (1901–1992)   10. Joan Crawford (1905–1977)   11. Barbara Stanwyck (1907–1990) 12. Claudette Colbert (1903–1996) 13. Grace Kelly (1929–1982) 14. Ginger Rogers (1911–1995) 15. Mae West (1893–1980) 16. Vivien Leigh (1913–1967) 17. Lillian Gish (1893–1993) 18. Shirley Temple (1928) 19. Rita Hayworth (1918–1987) 20. Lauren Bacall (1924) 21. Sophia Loren (1934) 22. Jean Harlow (1911–1937) 23. Carole Lombard (1908–1942) 24. Mary Pickford (1892–1979) 25. Ava Gardner (1922–1990) Lista do American Film Institute apresentado no dia 16 de junho de 1999 na CBS pela ex-atriz mirim Shirley Temple.
| 12184 ace
 FICHA   BIOGRAFIA   FILMES  MAIS   PRÊMIOS  IMAGENS   VÍDEOS   COMPRAR  Ficha Nome: Alfred Joseph Hitchcock Nascimento e local: 13/08/1899, Londres, Inglaterra Morte: 29/04/1980, Los Angeles, CA, insuficiência renal Ocupação: diretor Nacionalidade: inglesa Casamento: Alma Reville Filha: Patricia Hitchcock O'Connell Biografia Nascido em 13 de agosto de 1899 em Londres, Alfred Hitchcock seria mais conhecido como o Mestre do Suspense. Hitch também era conhecido pelo modo como tratava seus atores. Para ele, atores eram como gado, e não mereciam nenhum respeito. Filho de verdureiros, recebeu educação católica e começou a trabalhar com publicidade, após a morte de seu pai. Em 1920 conseguiu um emprego na Famous Playres Lasky, da Paramount Pictures, onde fazia os diálogos dos filmes mudos. Observava tudo e começou a fazer roteiros. Em 1925  veio seu primeiro sucesso: The Lodger: A Story of the London Fog, onde iniciaria também uma de suas marcas: a aparição em determinado momento do filme. Casou-se com Alma Reville, com quem teria uma única filha: Patrícia. Mudando-se para os Estados Unidos em 1939, lá realizou seus maiores sucessos: Rebecca, Correspondente de Guerra, Mr. e Mrs. Smith,  Interlúdio, Sabotador, Festin Diabólico, Vertigo, Psicose, Os Pássaros, dentre outros. Dentre suas características como diretor estão, o suspense (onde usava música forte e a surpresa), o voyerismo por parte do espectador, suas aparições nos filmes, preferência pelas louras, de preferência frias. O diretor morreu em 1980, de insuficiência renal, em sua casa em Los Angeles. Filmes •  Family Plot (1976) •  Frenzy (1972) •  Topaz (1969) •  Torn Curtain (1966) •  Marnie - Marnie, Confissões de uma Ladra (1964) •  The Birds - Os Pássaros (1963) •  Charade - Charada (1963) •  Psycho - Psicose (1960) •  North by Northwest - Intriga Internacional (1959) •  Vertigo - Um Corpo que Cai (1958) •  The Wrong Man - O Homem Errado (1956) •  The Man Who Knew Too Much - O Homem que sabia demais (1956) •  The Trouble with Harry (1955) •  To Catch a Thief - Ladrão de Casaca (1955) •  Rear Window - Janela Indiscreta (1954) •  Dial M for Murder - Disque M para Matar (1954) •  I Confess - A tortura do silêncio (1953) •  Strangers on a Train - Pacto Sinistro (1951) •  Stage Fright (1950) •  Under Capricorn - Sob o signo de capricórnio (1949) •  Rope (1948) •  The Paradine Case (1947) •  Notorious - Interlúdio (1946) •  Spellbound - Quando Fala o Coração (1945) •  Lifeboat (1944) •  Aventure malgache (1944) •  Bon Voyage (1944) •  Shadow of a Doubt - A Sombra de uma dúvida (1943) •  Saboteur (1942) •  Suspicion - Suspeita (1941) •  Mr. & Mrs. Smith (1941) •  Foreign Correspondent / Correspondente Estrangeiro (1940) DOWNLOAD •  Rebecca - Rebecca, a Mulher Inesquecível (1940) DOWNLOAD •  Jamaica Inn / Estalagem Maldita (1939) DOWNLOAD •  The Lady Vanishes - A Dama Oculta (1938) DOWNLOAD •  Young and Innocent / Jovem e Inocente (1937) DOWNLOAD •  Sabotage / Sabotagem (1936) DOWNLOAD •  Secret Agent / Agente Secreto (1936) DOWNLOAD •  The 39 Steps - Os 39 degraus (1935) DOWNLOAD •  The Man Who Knew Too Much / O Homem Que Sabia Demais (1934) DOWNLOAD •  Waltzes from Vienna / Valsas de Viena (1934) DOWNLOAD •  Number Seventeen / O Mistério do Número Dezessete (1932) DOWNLOAD •  Rich and Strange / Ricos e Estranhos (1931) DOWNLOAD •  Mary (1931) •  The Skin Game (1931) DOWNLOAD •  Murder! / Assassinato (1930) DOWNLOAD •  Juno e Paycock (1930) DOWNLOAD •  An Elastic Affair (1930) •  Elstree Calling (1930) •  Blackmail / Chantagem e Confissão(1929) DOWNLOAD •  The Manxman / O Ilhéu (1929) DOWNLOAD •  Champagne (1928) DOWNLOAD •  Easy Virtue / Mulher Pública (1928) DOWNLOAD •  The Farmer's Wife / A Mulher do Fazendeiro (1928) DOWNLOAD •  Downhill / Decadência (1927) DOWNLOAD •  The Ring / O Ringue (1927) DOWNLOAD •  The Lodger: A Story of the London Fog / O Hóspede (1927) DOWNLOAD •  The Mountain Eagle (1926) •  The Pleasure Garden (1925) DOWNLOAD •  Number 13 (1922) Mais Blu-Ray para comemorar 50 anos de Psicose 10 parcerias de Diretores e Atores  Alfred Hitchcock homenageado na TCM  Frases de Alfred Hitchcock Prêmios OSCAR Indicação Melhor Filme - Suspeita Melhor Diretor - Rebecca, a Mulher Inesquecível Melhor Diretor - Um Barco e Nove Destinos Melhor Diretor - Quando Fala o Coração Melhor Diretor - Janela Indiscreta Melhor Diretor - Psicose Ganhou Prêmio Irving G. Thalberg Memorial - 1968 GLOBO DE OURO Indicações Melhor Diretor - Frenesi Ganhou Prêmio Cecil B. DeMille - 1972 AMERICAN FILM INSTITUTE Ganhou Prêmio por sua obra cinematográfica DIRECTOR'S GUILD OF AMERICA Ganhou Prêmio por sua obra cinematográfica NATIONAL BOARD OF REVIEW Ganhou Melhor Diretor - Topázio Imagens   Vídeos 
| 12180 ace
Nome:  Spangler Arlington Brugh Nascimento e local: 05/08/1911, Filey, EUA Morte e local:08/06/1969, Santa Monica, EUA, cancer Ocupação: ator Nacionalidade: Americana Casamentos:  Barbara Stanwyck, Ursula Theiss Filhos: Terrancee e Tessa Biografia Robert Taylor fez música e teatro, até que conseguiu um teste na MGM, onde passou a ganhar US$ 35,00 por semana. eu rosto perfeito fotografava muito bem, e ele acabou sendo emprestado à FOX, estreando no filme Handy Ardy, em 1934. seguiram-se filmes de mais sucesso, como Buried Loot e Society Doctor, ambos de 1935. Em 1936, veio Broadway Melody of 1936, um enorme sucesso musical da MGM, que chegava com tudo. Seu salário aumentou para 450 dólares semanais. The magnificent obsession, com Irene Dunne, provocou uma enxurrada de cartas para ele, que já recebia mais cartas que Clark Gable. Atuou ao lado de estrelas como Janet Gaynor, Loretta Young, Bárbara Stanwyck (com quem veio a se casar), Joan Crawford, Jean Harlow, Mirna Loy, Hedy Lammar, Lana Turner e Greta Garbo, a maior estrela da época, com quem fez o enorme sucesso Camille (A dama das camélias). O filme foi um dos maiores sucessos da década de 30, com a Garbo recebendo sua indicação ao Oscar. Seu sucesso continuou durante a década de 40, com sucessos como The wateloo Bridge, A yank at Oxford, Billy the kid e Johnny Eager (com Lana Turner). Durante a guerra ele se alistou na marinha e acabou sendo recusado para o combate pela idade (32 anos), mas ele foi ser instrutor de vôo. Após a guerra voltou ao lado de Katherine Hepburn, e em seguida, de Ava Gardner. a década de 50, após alguns westers e épicos (Ivanhoé e Quo Vadis), ele passou a fazer uma série televisiva, The Detectives, que se tornou um sucesso. Em 1966 fez sua despedida dos filmes, no filme Return of the Gunfighter. Filmes   Mais DVDs e Livros   Where Angels Go, Trouble Follows (1968) The Night Walker (1964) A House Is Not a Home (1964) Miracle of the White Stallions (1963) Party Girl (1958) The Law and Jake Wade (1958) Saddle the Wind (1958) D-Day: The Sixth of June (1956) The Last Hunt (1956) The Adventures of Quentin Durward (1955) Many Rivers to Cross (1955) Rogue Cop (1954) Valley of the Kings (1954) All the Brothers Were Valiant (1953) Ride, Vaquero! (1953) I Love Melvin (1953) Knights of the Round Table - Os cavaleiros da távola redonda (1953) Above and Beyond (1952) Ivanhoe (1952) Quo Vadis (1951) Westward the Women (1951) Devil's Doorway (1950) Conspirator - Traidor (1949) The Bribe (1949) High Wall (1947) Undercurrent - Correntes Ocultas (1946) Bataan (1943) Stand by for Action (1942) Johnny Eager - Estrada proibida (1942) When Ladies Meet - De Mulher para mulher (1941) Billy the Kid (1941) Flight Command (1940) Escape (1940) DOWNLOAD Waterloo Bridge - A Ponte de Waterloo (1940) Remember? (1939) Stand Up and Fight (1939) Three Comrades (1938) A Yank at Oxford - Um ianque em Oxford (1938) Broadway Melody of 1938- Melodias da Broadway 38  (1937) This Is My Affair - A Força do Coração (1937) DOWNLOAD Camille - A dama das camélias (1936) The Gorgeous Hussy - Mulher Sublime (1936) Small Town Girl - Garota do Interior (1936) Broadway Melody of 1936 - Melodia da Broadway de 1936 (1935) DOWNLOAD West Point of the Air (1935) Magnificent Obsession - Sublime Obsessão (1935) La Fiesta de Santa Barbara (1935) Society Doctor (1935) A Wicked Woman (1934) Imagens
| 12133 ace
Título Original: The Sound of Music Ano/País/Gênero/Duração: 1965 / EUA / Musical / 174min Direção: Robert Wise Produção: Robert Wise Roteiro: Howard Lindsay, Russel Crouse Fotografia: Ted D. McCord Música: Irwin Kostal e Richard Rodgers Elenco Julie Andrews .... Maria von Trapp Christopher Plummer .... Capitão Georg von Trapp Eleanor Parker .... Baronesa Elsa Schraeder Richard Haydn .... Max Detweiler Peggy Wood .... Madre Abadessa Charmian Carr .... Liesl von Trapp Nicholas Hammond .... Friedrich von Trapp Heather Menzies .... Louisa von Trapp Duane Chase .... Kurt von Trapp Angela Cartwright .... Brigitta von Trapp Debbie Turner .... Marta von Trapp Kym Karath .... Gretl von Trapp Anna Lee .... Irmã Margaretta Portia Nelson .... Irmã Berthe Ben Wright .... Herr Zeller Daniel Truhitte .... Rolfe Norma Varden .... Frau Schmidt Marni Nixon .... Irmã Sophia Gilchrist Stuart .... Franz Evadne Baker .... Irmã Bernice Doris Lloyd .... Baronesa Ebberfeld Sinopse Maria (Julie Andrews) é uma noviça desobediente que é incubida de cuidar das sete crianças do sério e viúvo capitão Von Trapp (Christopher Plummer). No início as crianças aprontam para que ela, assim como as outras babás, saia de casa, mas com um tempo desenvolvem um laço de amizade. Aos poucos, Maria também vai derretendo também o coração do capitão. Os dois se apaixonam e se casam, passando a constituir uma família de cantores, durante o período do nazismo. Curiosidades - O musical The Sound of Music foi apresentado originalmente na Broadway. - Inspirada na história real da família de cantores Von Trapp, da Áustria. - O filme foi rodado em Slzburgo (Áustria) e na Baviera (Alemanha). - Incialmente, o filme seria dirigido por William Wyler. - Yul Brynner foi cogitado para o papel de Von Trapp. - O primeiro número, em que Julie Andrews dança e canta The Sound Of Music foi o último a ser rodado. - a frente e os fundos da casa do capitão, são de duas residências diferentes. - 4º colocado na lista do AFI dos 25 melhores musicais de todos os tempos. - O filme ficou mais de três anos em cartaz nos cinemas dos Estados Unidos. - O filme salvou os cofres da 20th Century Fox, que andava no prejuízo desde o lançamento de Cleópatra. Prêmios - Oscar de Melhor Filme, Diretor, Montagem, Som e Trilha Sonora. - Indicado ao Oscar de Melhor Atriz (Julie Andrews), Atriz Coadjuvante (Peggy Wood), Fotografia, Direção de Arte e Figurino. - Globo de Ouro de Melhor Filme Comédia e Melhor Atriz comédia (Julie Andrews). - Indicação ao Globo de Ouro de Melhor Diretor e Atriz Coadjuvante (Peggy Wood). Assista Online Imagens
| 12121 ace
  Ficha   Nome: Ernestine Jane Geraldine Russell Nascimento e local: 21/06/1921, Bemidji, MN Falecimento: 28/02/2011 Ocupação: atriz, cantora Nacionalidade: americana Casamentos: Bob Waterfield, Roger Barrett, John Calvin Peoples Filhos: Robert John "Buck", Tommy Kavanaugh, Tracy   Biografia Jane Russell nasceu Ernestine Jane Geraldine Russell em 21 de junho de 1921 em Minneapolis, Minnesota (E.U.A.). Sua mãe era atriz, o que acabou influenciando na escolha de sua filha. Jane foi descoberta por Howard Hughes quando trabalhava como modelo. Ele estava em busca de uma atriz para o filme "The Outlaw". O filme acabou tendo muitos problemas com a censura, o que fez com que Jane definitivamente se tornasse um ícone sexual. No início dos anos 50 ela trabalhou em diversos filmes, como "Kind of Woman" (1951), estrelado por Robert Mitchum e Vincent Price, "Macau" (1952), novamente ao lado de Mitchum e "Os Homens Preferem as Loiras" (1953), ao lado de Marilyn Monroe. A Atriz continuou a atuar nos anos 60, mas seus filmes foram ficando bastante escassos e de qualidade duvidosa. Seu último filme foi "Darker than Ambar", de 1970. Após ele, ela se retirou das telas, passando a trabalhar na televisão e Broadway. Na vida pessoal a atriz foi casada três vezes. Jane Russell foi casado três vezes. A primeiro com o jogador de futebol Bob Waterfield. A ligação durou de 1943 até 1968. Seu segundo marido foi Robert Barrett, que morreu no mesmo ano de seu casamento, 1968. O terceiro e último foi John Calvin Povos, com quem se casou em 1974.   Filmes   Darker Than Amber (1970) • The Born Losers (1967) • Waco (1966) • Johnny Reno (1966) • The Fuzzy Pink Nightgown (1957) • The Revolt of Mamie Stover (1956) • Hot Blood (1956) • Gentlemen Marry Brunettes (1955) • The Tall Men - Nas Garras da Ambição (1955) • Foxfire (1955) • Underwater! (1955) • The French Line (1954) • Gentlemen Prefer Blondes - Os homens preferem as loiras (1953) • Montana Belle (1952) • Son of Paleface (1952) • Macao (1952) • The Las Vegas Story (1952) • Road to Bali - De Tanga e Sarongue (1952) DOWNLOAD • Double Dynamite (1951) • His Kind of Woman - Seu tipo de Mulher (1951) • The Paleface- O valente treme-treme (1948) • Young Widow (1946) • The Outlaw - O Proscrito (1943)   Mais Prêmios Imagens           Vídeos  
| 12050 ace
  Alcunha: Audrey Kathleen Ruston, filha de Joseph Anthony Ruston (banqueiro) e Ella van Heemstra. Bruxelas: cidade onde nasceu na Bélgica, em 4 de maio de 1929. Comunicação: Audrey dominava e falava fluentemente francês, italiano, inglês, neerlandês e espanhol. Desejo: antes de dar a luz a Sean, seu primeiro filho, em 1960, Audrey sofreria diversos abortos. Seu maior desejo era ser mãe. Eliza Doolittle: a atriz foi duramente criticada por aceitar o papel da florista do musical My Fair Lady. A atriz foi dublada no cinema, no papel que originalmente foi interpretado com sucesso por Julie Andrews no teatro. Ferrer: Mel Ferrer foi seu primeiro marido. Foram apresentados por Gregory Peck e tiveram um filho juntos, chamado Sean. Ficaram casados em 1954 a 1968. Givenchy: seu estilista favorito. Holly Golightly: Possivelmente seu papel mais lembrado, que estrelou em Bonequinha de Luxo. Com esse filme, ela recebeu a quarta indicação ao Oscar. Italiano: o psiquiatra italiano Andrea Dotti, que conheceu em um iate, seria seu segundo marido. Os dois se casaram em 1969 e da relação nasceu Luca Dotti, em 1970. Se separaram em 1982. James Hanson: os dois estavam noivos em 1952, mas Audrey desistiu do casamento.  Ela dizia que quando estivesse casada, queria realmente se sentir uma mulher casada, e com ele isso não seria possível. Kennedy: um ano após Marilyn Monroe cantar o famoso "Happy Birthday" para o presidente, Audrey também cantou para Kennedy. Esse acabou sendo o último aniversário comemorado por ele. Linda: eleita pela revista People uma das 50 pessoas mais bonitas do mundo. Em 2010 foi eleita a mais bela de todas as atrizes. Marie Lambert: Escola de Dança frequentada por ela após a Segunda Guerra. Sua professora insistiu que ela não tinha talento para ser bailarina. Ela passou a trabalhar como corista e modelo. No teatro: Audrey estrelou Gigi. As críticas em geral não foram boas, mas serviu de alavanca para a carreira da atriz. One Wild Oat (1951): Primeira aparição no cinema, em que fazia uma participação como uma recepcionista de hotel. Prêmios: é uma das poucas artistas que ganhou todos os principais prêmios de Hollywood: Tony, Oscar, Grammy e Emmy. Queridos bichos: Audrey amava animais, e teve vários gatos e cachorros. Recusado: devido aos traumas sofridos durante a guerra, Audrey recusou fazer o papel de Anne Frank, que lhe foi oferecido no cinema. Segunda Guerra Mundial: Audrey e sua mãe se refugiaram na Holanda. Lá tiveram momentos de privações, chegando a passar fome. Muitos parentes seus foram mortos perto dela. The Audrey Hepburn Story: filme biográfico lançado em 2000, trazendo a atriz Jennifer Love Hewitt no papel principal. UNICEF: em 1987 a atriz se tornaria Embaixatriz da Unicef, viajando por países pobres e levando consolo a milhares de pessoas necessitadas. Vitórias: Oscar por A Princesa e o Plebeu (1954), Tony por Ondine (1954), Grammy de melhor álbum de histórias para crianças (1993), Emmy de Melhor performance individual (1993), Bafta de Melhor atriz por Uma cruz à beira do abismo (1960) e A Princesa e o plebeu (1954), Globo de Ouro de Atriz favorita (1955) e Melhor Atriz (1954). William Wyler: diretor a lhe dar uma chance, no filme de estréia “A Princesa e o Plebeu”. Ela atuou ao lado de Gregory Peck. Ela acabou ganhando o Oscar de Melhor Atriz. X: segundo a crítica, seus melhores papéis foram a Princesa Ann em "A Princesa e o Plebeu", Holly Golightly em "Bonequinha de Luxo" e Eliza Doolittle em "My fair lady". Y: Seus filhos continuam sua obra, com a Fundação Audrey Hepburn, em Nova York, organização não governamental que continua o serviço da atriz e cuida de crianças mais necessitadas do mundo. Z: no outono de 1992, após sentir fortes dores abdominais, foi diagnosticada com um raro câncer conhecido como pseudomixoma peritoneal. Faleceu em 20 de janeiro de 1993, após um período de tratamento.
| 12046 ace
  FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha   Nome: Janos Weissmuller Nascimento e local: 02/06/1904, Freidorf, Banat, Austria Morte e local: 20/01/1984, Acapulco, Mexico Ocupação: ator Nacionalidade: australiana Casamento: Maria Brock Mandell Bauman, Ailene Gates, Beryl Scott, Lupe Velez , Bobbe Arnst e Camilla Louiee Filhos: 3   Biografia   Johnny nasceu no Banat, na Romênia. Sua família mudou-se quando ele ainda era criança de colo para os Estados Unidos. Seu primeiro interesse foi como esportista, desencadeado por uma infância com problemas de saúde. Desde cedo treinando, o futuro ator conquistou cinco medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de 1924 e 28, com a natação. Chegou a estabelecer 67 recordes mundiais, ganhando mais de 50 campeonatos nacionais. Hoje é considerado um dos maiores nadadores de todos os tempos. Em 1934 foi convidado para estrelar a série de filmes Tarzan. Weissmuller aceitou o desafio e se tornou conhecido como o primeiro homem macaco. Seu grito foi utilizado pelos demais, tornando-se sua marca registrada. Estigmatizado por seu personagem, ele tentou seguir carreira artística, mas seus personagens eram sempre no mesmo estilo. Veio Jim das Selvas, uma série feita no final da década de 40. Por volta de 1955 ele já estava envelhecido, e sua imagem cansada. Weissmuller não conseguiu se livrar de Tarzan até o final de seus dias. Aproveitando-se de sua imagem, tornou-se empresário, aposentando-se em 1965, quando se juntou aos atores Jock Mahoney e James Pierce para promover mais uma estréia de Tarzan, dessa vez em série, e com o (então) jovem ator Ron Ely. O ator faleceu de edema pulmonar em sua casa no México. Uma gravação do grito de Tarzan foi colocada durante seu funeral, enquanto o ex-esportista e ator era enterrado.   Filmes   Won Ton Ton, the Dog Who Saved Hollywood (1976) Devil Goddess (1955) Jungle Moon Men (1955) Cannibal Attack (1954) Jungle Man-Eaters (1954)  Killer Ape (1953)  Valley of Head Hunters (1953) Savage Mutiny (1953)  Voodoo Tiger (1952)  Jungle Jim in the Forbidden Land (1952)  Jungle Manhunt (1951)  Fury of the Congo (1951) Jungle Jim in Pygmy Island (1950) Captive Girl (1950) Mark of the Gorilla (1950) The Lost Tribe (1949) Jungle Jim (1948) Tarzan and the Mermaids - Tarzan e as sereias (1948) Tarzan and the Huntress - Tarzan e a caçadora (1947) Swamp Fire (1946) Tarzan and the Leopard Woman - Tarzan e a mulher leopardo (1946) Tarzan and the Amazons - Tarzan e as amazonas (1945) Tarzan's Desert Mystery - Tarzan, o terror do deserto (1943) Tarzan Triumphs - Tarzan, o vencedor (1943) Tarzan's New York Adventure - Tarzan contra o mundo (1942) Tarzan's Secret Treasure - O tesouro de Tarzan (1941) Tarzan Finds a Son! - O filho de Tarzan (1939) DOWNLOAD Tarzan Escapes - A fuga de Tarzan (1936) DOWNLOAD Tarzan and His Mate - A companheira de Tarzan (1934) DOWNLOAD Tarzan the Ape Man - Tarzan, o filho da selva (1932) DOWNLOAD Glorifying the American Girl - A glorificação da beleza (1929)   Mais 13 escândalos que abalaram a Babilônia da celulóide Clark Gable de A a Z Lupe Velez   Prêmios   Imagens   Vídeos   MwHWbsvgQUE   gAKRFV9LuVg
| 11946 ace
Título Original: The Little Princess Ano/País/Gênero/Duração: 1939 / EUA / Infantil Drama / 93min Direção: Walter Lang / William A. Seiter Produção: Gene Markey Roteiro: Walter Ferris e Ethel Hill Fotografia: Arthur C. Miller Música: Charles Maxwell Elenco Shirley Temple ... Sara Crewe Richard Greene ... Geoffrey Hamilton Anita Louise ... Rose Hamilton Ian Hunter ... Reginald Crewe Cesar Romero ... Ram Dass Arthur Treacher ... Hubert 'Bertie' Minchin Mary Nash ... Amanda Minchin Sybil Jason ... Becky Miles Mander ... Lord Wickham Marcia Mae Jones ... Lavinia Beryl Mercer ... r.Victoria Deidre Gale ... Jessie Ira Stevens ... Ermengarde E.E. Clive ... Barrows Eily Malyon ... sra. O'Connell Clyde Cook Keith Hitchcock ... Bobbie Will Stanton Harry Allen Holmes Herbert Evan Thomas Guy Bellis Kenneth Hunter ... General Lionel Braham ... Gordon Sinopse Sara (Shirley Temple) é deixada em uma escola interna. Seu pai morre, e ela, maltratara na escola e inconformada com a notícia, foge para tentar encontra-lo em um algum hospital. Curiosidades - Baseado no livro A Little Princess, de Frances Hodgson Burnett. Download: Este filme é de  domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria. Legendas somente em espanhol     Imagens
| 11938 ace
Título Original: The Scarlet Letter Ano/País/Gênero/Duração: 1926 / EUA / Drama / 115min Direção: Victor Sjöström Produção: Victor Sjöström Roteiro: Nathaniel Hawthorne e Frances Marion Fotografia: Hendrik Sartov     Música: Lisa Anne Miller Elenco Lillian Gish ...     Hester Prynne Lars Hanson    ...     The Reverend Arthur Dimmesdale Henry B. Walthall    ...     Roger Chillingworth Karl Dane    ...     Master Giles William H. Tooker    ...     The Governor Marcelle Corday    ...     Mistress Hibbins Fred Herzog    ...     The Jailer Jules Cowles    ...     The Beadle Mary Hawes    ...     Patience Joyce Coad    ...     Pearl James A. Marcus    ...     A Sea Captain Sinopse Hester Prynne, uma costureira cujo marido está sumido há sete anos envolve-se com outro homem. Ao engravidar é condenada a usar um "A" escarlate em seu vestido. Curiosidades - Refilmagem em 1934 e 1995.       ASSISTA ONLINE   Imagens
| 11865 ace
FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha   Nome: António Maria da Silva Nascimento e local: 15/08/1886, Lisboa , Portugal Morte e local: 03/03/1971, Lisboa, Portugal Ocupação: ator Nacionalidade: português Casamento: Josefina Silva Filhos: Biografia António Maria da Silva nasceu em Lisboa em 15 de Agosto de 1886. De família humilde, começou a trabalhar cedo, trabalhando como caixeiro, bombeiro. Começou a freqüentar grupos de teatro, e estreou em 1910 na peça “O Novo Cristo”, de Tolstoi. Em 1913 viajou com sua companhia pelo Brasil, onde participou de seu primeiro filme. Em 1920 casou-se com Josefina. Seguiu sua carreira no teatro, e começou a carreira no cinema com  "A Canção de Lisboa", de Cottinelli Telmo (1933). Firmou popularidade com dramas e comédias. Dentre as principais : "As Pupilas do Senhor Reitor" (1935), "O Pátio das Cantigas" (1942), "O Costa do Castelo" (1943), "Amor de Perdição" (1943), "Camões" (1946), "O Leão da Estrela" (1947), "Fado" (1948), dentre outros. Morreu aos 84 anos em Lisboa. Filmes   •  Sarilhos de Fraldas (1967) •  Cruzeiro de Férias (1965) (TV) •  Aqui Há Fantasmas (1964) •  O Herói e o Soldado (1961) (TV) •  As Pupilas do Senhor Reitor (1961)   •  O Passarinho da Ribeira (1960) •  Dois Dias no Paraíso (1957) •  Perdeu-se um Marido (1957) •  O Noivo das Caldas (1956) •  O Dinheiro dos Pobres (1956) •  O Comissário de Polícia (1953) •  Os Três da Vida Airada (1952) •  Sonhar É Fácil (1951) •  O Grande Elias (1950) •  Heróis do Mar (1949) •  Fado, História d'uma Cantadeira (1948) •  O Leão da Estrela (1947) •  Os Vizinhos do Rés-do-Chão (1947) •  Três Espelhos (1947) •  Camões (1946) •  A Vizinha do Lado (1945) •  A Menina da Rádio (1944) •  Amor de Perdição (1943) •  O Costa do Castelo (1943) •  Lobos da Serra (1942) •  The Courtyard of the Ballads (1942) •  Feitiço do Império (1940) •  João Ratão (1940) •  The Balcony of the Nightingales (1939) •  Maria Papoila (1937) •  Bocage (1936) •  Las tres gracias (1936) •  As Pupilas do Senhor Reitor (1935) •  Gado Bravo (1934) •  A Song of Lisbon (1933) •  Coração de Gaúcho (1920) •  Convém Martelar (1920) •  Ubirajara (1919) •  606 contra o Espirocheta Palido (1910)   Imagens   Vídeos   pc3KEcUqXEY
| 11809 ace
Título Original: The Sea Hawk Ano/País/Gênero/Duração: 1940 / EUA / Aventura / 127min Direção: Michael Curtiz Produção: Henry Blanke e Hal B. Wallis Roteiro: Howard Koch, Seton I. Miller Fotografia: Sol Polito Música: Erich Wolfgang Korngold Elenco Errol Flynn ...     Captain Geoffrey Thorpe Brenda Marshall    ...     Doña Maria Alvarez de Cordoba Claude Rains    ...     Don José Alvarez de Cordoba Donald Crisp    ...     Admiral Sir John Burleson Flora Robson    ...     Queen Elizabeth Alan Hale    ...     Carl Pitt Henry Daniell    ...     Lord Wolfingham Una O'Connor    ...     Miss Marthe Latham James Stephenson    ...     Abbott Gilbert Roland    ...     Captain Lopez William Lundigan    ...     Danny Logan Julien Mitchell    ...     Oliver Scott Montagu Love    ...     King Phillip II J.M. Kerrigan    ...     Eli Matson David Bruce    ...     Martin Burke Sinopse Geoffrey Thorpe (Errol Flynn), um pirata inglês, pretende saquear navios espanhóis em nome da bandeira inglesa. Ele acaba conhecendo Dona Maria (Brenda Marshall) durante uma das invasões, e acaba se apaixonando. A princípio ela o despreza, mas ele tentará provar que também é um cavalheiro. Curiosidades -  Olivia de Havilland estava escalada para o papel de Maria, mas estava incomodada com papéis de capa e espada, e decidiu não aceitar. Download: Este filme é de  domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria. Legenda     Imagens
| 11783 ace
Ficha Título Original: A Condess of Hong Kong Ano/País/Gênero/Duração: 1967 / Inglaterra / Comédia /120min Direção: Charles Chaplin Produção: Charles Chaplin Roteiro: Charles Chaplin Música:  Charles Chaplin Elenco: Marlon Brando .... Ogden Mears Sophia Loren .... Natascha Sydney Chaplin (2) .... Harvey Tippi Hedren .... Martha Patrick Cargill .... Hudson Michael Medwin .... John Felix Oliver Johnston .... Clark John Paul .... The Captain Angela Scoular .... The Society Girl Margaret Rutherford .... Miss Gaulswallow Peter Bartlett .... Steward Bill Nagy .... Crawford Dilys Laye .... Saleswoman Angela Pringle .... Baroness Jenny Bridges .... Countess Geraldine Chaplin Sinopse Uma condessa (Natasha) viaja para a América, e acaba conhecendo um político americano, e os dois acabam se apaixonando. Só há um pequeno detalhe: ele é casado, e uma separação poderia arruinar toda a sua carreira, e ele tem que decidir o que fazer. Chaplin faz uma pequena ponta no filme. Notas - Segundo Sophia, Marlon Brando demonstrava estar muito ansioso durante as filmagens, tanto que ele iniciou magro e terminou um pouco gordo, pois, para aliviar-se empanturrava-se de sorvetes. - A maior parte dos recursos do filme veio dos bolsos do próprio Chaplin. Não querendo se arriscar nesta empreitada, teria que ter nomes de peso. Foi então que decidiu-se por Sophia Loren e Marlon Brando. - Chaplin escalou ainda dois filhos para o filme: Sydney, que já havia trabalhado com ele em Limelight e Geraldine. - Foi o único filme colorido de Chaplin. - Brando sempre disse que o sonho dele era trabalhar com Chaplin, mas quando teve a oportunidade, descobriram que não se davam. Ele não concordava com o modo de Charplin dirigir, e os dois brigaram bastante durante as filmagens. - Na verdade a história é mais uma retirada do "baú" de idéias de Chaplin. Ele a havia concebido para Edna Purviance, mas acabou desistindo. - Chaplin utilizou-se dos Estúdios de Pinewood, Iver Heath, nos arredores de Londres, para as filmagens.     Imagens  
| 11733 ace
Título Original: Limelight Ano/País/Gênero/Duração: 1952 / EUA / Comédia Drama / 137min Direção: Charles Chaplin Produção: Charles Chaplin Roteiro: Charles Chaplin Fotografia: Rollie Totheroh e Karl Struss Música: Charles Chaplin Elenco: Charles Chaplin .... Calvero Claire Bloom .... Thereza (Terry) Ambrose Nigel Bruce .... Postant Buster Keaton .... Calvero's Partner Sydney Chaplin Filho .... Neville Norman Lloyd .... Bodalink Andre Eglevsky .... Dancer Melissa Hayden .... Dancer Marjorie Bennett .... Mrs. Alsop Wheeler Dryden .... Thereza's Doctor Barry Bernard .... John Redfern Stapleton Kent .... Claudius Mollie Glessing .... Maid Leonard Mudie .... Dr. Blake Loyal Underwood .... Street Musician Geraldine Chaplin   Sinopse   Calvero chega bêbado à velha pensão onde mora. Ao sentir o cheiro de gás, verifica que vem de um dos quartos e que há uma jovem lá. Mesmo sem muitas forças, arromba a porta e retira a jovem de lá. Consegue salva-la. Chama um médico e esse lhe diz que ela precisa de repouso. Leva-a para seu quarto e começa a cuidar de sua saúde. Ela acorda-se, mas permanece em depressão. Ele tenta ergue-la, mas percebem que não pode mais andar. Terry conta a sua história: ela e a irmã trabalhavam em um cabaré, para que pudessem pagar os estudos, mas teve problemas de saúde. Posteriormente contraíu febre reumática, ficando mais de 5 meses no hospital. Teve, então, que abandonar sua carreira. Na verdade, a doença de Terry passa-se mais pelo plano psicológico. Calvero tenta esconde-la, mas a dona da pensão acaba por descobri-la e quer denuncia-la à polícia. Ele a impede, e diz que são somente amigos, mas para que não haja problemas, ela pode dizer tratar-se de marido e mulher. Eles conversam, trocam confidências. Ela volta a andar. Os dois partilham a tristeza: ela da falta de esperanças. Ele, da velhice. Acabam apaixonando-se. Era inevitável, como diria o próprio Calvero mais tarde. Há um jovem rapaz, feito pelo próprio filho de Chaplin, Sydney: para Calvero, o caminho natural para Terry. O rapaz tenta convence-la de que a relação com Calvero não tem futuro, que é insano. Apaixonar-se por um velho? Mas ela o ama. Calvero não crê. Crê que ela tenha gratidão por ele. Há uma oportunidade para os dois. Eles vão para o palco. Calvero novamente vê os aplausos do público. Emociona-se. Tem um ataque do coração. Enquanto morre, Terry dança para o grande público. O espetáculo não deve terminar.   Notas   - O filme é considerado o mais autobiográfico de Chaplin. Ele tinha 63 anos quando o fez, e utilizou muitos fatos e acontecimentos de sua vida como inspiração: o medo da rejeição do público, a morte, a velhice, o amor, o fracasso. Quando ele diz que odeia seu público, mas que precisa dele, expressa um pouco da idéia dos artistas. - Não vemos a comédia neste filme. Ele é, na verdade, um filme dramático, sobre um palhaço. - Segundo o próprio Chaplin, sua personagem foi inspirado em Frank Tinney, que vira atuar na sua primeira viagem aos Estados Unidos. Ele ficou fascinado com o poder que ele exercia sobre seu público. Tempos depois encontrou-o, abandonado por aqueles que o amavam. - A cena em que ele arromba o quarto e salva a vida de Therese foi baseada em fatos reais. Ele namorou uma atriz, chamada Florense Deshon, que acabou por suicidar-se da mesma maneira que Therese tentara (com gás). Só que na vida real, ele não pôde chegar à tempo e salva-la. Florense foi muito importante para Chaplin, mas o curioso é que ele não chega a cita-la em suas memórias. - Segundo Louise Brooks, que também flertou com Chaplin em sua juventude: “Ele foi á noite após noite – lembra a protagonista do famoso filme Loulou, dirigido por Georg W. Pabst em 1929. Só Deus sabe o porquê. Fazia o violinista tocar e lhe dava notas de cinco dólares. E quantos anos mais tarde fez Luzes da Ribalta? Ali estava a cena. Ele era o violinista”. - Segundo a estrela do filme, Therese também foi uma junção de algumas das mulheres mais importantes da vida de Chaplin: sua mãe, Hannah, sua esposa Oona O'neil e sua primeira namorada, Hetty Kelly. Claire Bloom disse que ele chegava a arruma-la e a imitar gestos, dizendo como Hannah se portava, como botava o chale, como andava. - Esse filme foi também uma celebração à sua família. Aqui ele reuniu seu irmão Dryden (que faz o papel do médico), seus dois filhos com Lita (Charles, como um policial da peça e Sydney, que disputa o amor de Therese), seus filhos pequenos com Oona (Michael, Geraldine e Josephine). Edna Purviance também faz uma minúscula aparição. - O destaque vai para o encontro dos dois maiores atores de comédias; Buster Keaton faz uma participação mais que especial. Já esquecido pelo grande público, ele que fez tanto sucesso quando o próprio Chaplin, mas que não soube administrar a própria carreira. Chaplin divide a cena com ele, não diminuindo ou aumentando sua participação. Na intimidade, Geraldine, filha de Chaplin, falou que ele tinha muito ciúme de Keaton, que odiava quando diziam que ele era melhor que o seu vagabundo. No filme, é bonito ver, pela única vez, a celebração desses grandes. - O filho de Chaplin disse que, na cena em que Calvero morre, Keaton ficou balbuciando, com o rosto imóvel: "Isso Charlie. Está perfeito. Está ótimo, Charlie". - O domador de pulgas foi retirado de um filme anterior de Chaplin, chamado The professor, de 1923. Foi um curta, feito para a First National, em que ele não faz o papel de Carlitos. Como sempre, ele não utilizou a idéia, mas guardou-a para um momento mais propício. Assista Online Imagens
| 11719 ace
Título Original: Rebecca Ano/País/Gênero/Duração: 1940 / EUA / Suspense / 130min Direção: Alfred Hitchcock Produção: David O. Selznick Roteiro: Robert E. Sherwood / Joan Harrison Fotografia: George Barnes Música: Franz Waxman Elenco • Laurence Olivier .... George Fortescu Maximilian de Winter • Joan Fontaine .... a segunda esposa de Winter • George Sanders .... Jack Favell • Judith Anderson .... sra. Danvers • Nigel Bruce .... major Giles Lacy • Reginald Denny .... Frank Crawley • C. Aubrey Smith .... coronel Julyan • Gladys Cooper .... Beatrice Lacy • Florence Bates .... sra. Edythe Van Hopper • Melville Cooper .... coronel • Leo G. Carroll .... dr. Baker Sinopse Uma jovem de nome desconhecido é casa com um homem viúvo e muito rico. Ela é assombrada pela primeira esposa do marido, a qual todos amam e veneram. Ao morar na mansão, ela começa a descobrir detalhes da vida do marido, que ela desconhecia. Curiosidades - Este foi o primeiro filme dirigido por Hitchcock nos Estados Unidos. - Único filme do diretor a ganhar o Oscar de Melhor Filme. - Roteiro baseado no romance de Daphne Du Maurier. - Mais de 20 atrizes foram testadas para o papel da esposa do sr. Winter, dentre elaas Vivien Leigh, Anne Baxter. - Laurence Olivier tratava mal Joan Fontaine nos estúdios. Ele gostaria que sua esposa na época, Vivien Leigh, ficasse com o papel. - Este foi o primeiro filme de Joan Fontaine. Prêmios - Oscar de Melhor Filme e Melhor Fotografia em preto-e-branco. - Indicação ao Oscar de Melhor Diretor, ator (Laurence Olivier), Atriz (Joan Fontaine), Atriz Coadjuvante (Judith Anderson), Roteiro, Direção de Arte, Efeitos Especiais, Edição e Trilha Sonora. Assista Online (legendado) Download: Este filme é de domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria.   Legendas   Imagens
| 11691 ace
Título Original: Angel on My Shoulder Ano/País/Gênero/Duração: 1946 / EUA / Comédia Fantasia Romance / 100min Direção: Archie Mayo Produção: Charles R. Rogers Roteiro: Harry Segall Fotografia: James Van Trees Música: Dimitri Tiomkin Elenco Paul Muni ... Eddie Kagle / Judge Frederick Parker Anne Baxter ... Barbara Foster Claude Rains ... Nick Onslow Stevens ... Dr. Matt Higgins George Cleveland ... Albert Erskine Sanford ... Minister Marion Martin ... Mrs. Bentley Hardie Albright ... Smiley Williams James Flavin ... Bellamy Jimmie Dundee ... Gangster Sinopse O Diabo manda um ganster recém assassinado retornar à Terra como um respeitado juiz para compensar a sua vida anterior.   Download: Este filme é de domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria.   Legendas somente em espanhol
| 11607 ace
Título original:    Bonnie and Clyde Ano/País/Gênero/Duração: 1967 / EUA / Direção:   Arthur Penn Produção:    Warren Beatty Elenco Warren Beatty .... Clyde Barrow Faye Dunaway .... Bonnie Parker Michael J. Pollard .... C.W. Moss Gene Hackman .... Buck Barrow Estelle Parsons .... Blanche Denver Pyle .... Frank Hamer Dub Taylor .... Ivan Moss Evans Evans .... Velma Davis Gene Wilder .... Eugene Grizzard Sinopse O casal de bandidos mais famosos de toda a história, Bonnie Parker (Faye Dunaway) e Clyde Barrow (Warren Beatty) vive em constante perigo enquando invadem bancos e cometem assassinatos, no período da Grande Depressão americana. Ele, um ex-presidiário é solto por bom comportamento, e acaba conhecendo Bonnie quando vai roubar o carro da mãe dela. Sentindo-se atraída pelo jovem bandido, ela acaba acompanhando-o em seus assaltos a bancos. Curiosidades: O filme foi bastante influenciado pela nouvelle vague francesa. Causou polêmica, pois alguns acharam exagerada a glorificação de dois bandidos e também pela demonstração de violência nas telas. Pouco antes de ser mandada, a obra era considerada um fiasco e não se acreditava muito em seu sucesso. Mas o filme rendeu 70 milhões de dólares, tornando Warren Beatty um dos poderosos do cinema. Faye Dunaway foi lançada ao estrelato com este filme. 27º dentre os 100 maiores filmes de todos os tempos, segundo a American Film Institute. As filmagens aconteceram nos locais onde os verdadeiros Bonnie e Clyde estiveram. Jane Fonda foi cogitada para o papel de Bonnie, mas não aceitou por estar morando na França. Ann Margret, Carol Lynley e Sue Lyon também foram sondadas. François Truffaut foi convidado para dirigir, mas desistiu da produção. Gene Wilder estreou neste filme. Prêmios: Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Estelle Parsons) e Fotografia. Indicado aos Oscares de Melhor Filme, Diretor, Ator (Warren Beatty), Atriz (Faye Dunaway), Ator Coadjuvante (genne Hackman e Michael J. Pollard), Roteiro Original e Figurino. Indicado ao Globo de Ouro de Melhor Filme, Diretor, Ator (Warren Beatty), Atriz  (Faye Dunaway),  Ator Coadjuvante (Michael J. Pollard), Roteiro e  Revelação Masculina (Michael J. Pollard). Assista Online: Imagens
| 11590 ace
Título Original: Pygmalion Ano/País/Gênero/Duração: 1938 / Inglaterra / Comédia / 95min Direção: Anthony Asquith Produção: Gabriel Pascal Roteiro: George Bernard Shaw Fotografia: Harry Stradling Sr. Música: Arthur Honegger Elenco Leslie Howard ... Professor Henry Higgins Wendy Hiller ... Eliza Doolittle Wilfrid Lawson ... Alfred Doolittle Marie Lohr ... Mrs. Higgins Scott Sunderland ... Colonel George Pickering Jean Cadell ... Mrs. Pearce David Tree ... Freddy Eynsford-Hill Everley Gregg ... Mrs. Eynsford-Hill Leueen MacGrath ... Clara Eynsford Hill Esme Percy ... Count Aristid Karpathy Violet Vanbrugh ... Ambassadress Iris Hoey ... Ysabel Viola Tree ... Perfide Irene Browne ... Duchess Kate Cutler ... senhora idosa Sinopse Eliza (Wendy Hiller) é uma jovem grosseira. O professor Henry Higgins (Leslie Howard), para ganhar uma aposta, se empenha em transforma-la em uma dama da sociedade. Curiosidades - Baseado na peça de Bernard Shaw. - Refilmagem em 1963, como Minha Bela Dama (My Fair Lady). - A história foi levada aos palcos da Broadway com muito sucesso em 1956. - O primeiro filme inglês a utilizar a palavra “sangue” nos diálogos. - Wendy Hiller foi escolhida pessoalmente por Bernard Shaw para fazer a personagem Eliza. - Bernard Shaw escreveu a cena do baile exclusivamente para o filme - Wilfrid Lawson tinha apenas 38 anos quando fez o pai de Eliza Doolittle no filme. - Charles Laughton era a primeira opçãao para o papel do Professor Henry Higgins. - A produção original da Broadway estreou em 1914. Foram encenados um total de 72 espetácculos. - Filme de estréia de Stephen Murray. Prêmios - Oscar de Melhor Roteiro Adaptado. Assista Online Imagens
| 11580 ace
Título Original: The Disorderly Orderly Ano/País/Gênero/Duração: 1964 / EUA / Comédia / 89min Direção: Frank Tashlin Produção: Paul Jones Roteiro: Frank Tashlinmm, Fotografia: W. Wallace Kelley Música:Joseph J. Lilley Elenco Jerry Lewis - Jerome Littlefield Glenda Farrell - Dra. Jean Howard Everett Sloane - Sr. Tuffington Karen Sharpe - Julie Blair Kathleen Freeman - Enfermeira Higgins Del Moore - Dr. Davenport Alice Pearce - Srta. Fuzzibee Susan Oliver- Susan Andrews Jack E. Leonard - Fat Jack Milton Frome Sinopse Jerome (Jerry Lewis) é um enfermeiro, mas, atrapalhado e envolvendo-se nos problemas dos pacientes e sendo afetado pelos males que lhes atinge, acaba desagradando a muitos. ASSISTA ONLINE   Imagens
| 11568 ace
  FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha   Nome: John Eliot Sturges Nascimento e local: 03/01/1910, Illinois, EUA Morte e local: 18/08/1992, San Luis Obispo, EUA, ataque cardíaco Ocupação: diretor Nacionalidade: americana Casamento: Dorothy Lynn Brooks Filhos: - Biografia   John iniciou a carreira em Hollywood como editor, em 1932. Durante a 2a Guerra Mundial dirigiu documentários e filmes de treinamento para o Exército dos Estados Unidos. Sua carreira como diretor teve início em 1946 com "The Man Who Dared", primeiro de seus muitos filmes B. Ao longo de sua carreira desenvolveu uma reputação para o drama e foi agraciado com um Golden Boot Award por sua contribuição aos westerns. De Akira Kurosawa, que lhe confidenciou que amava "The Magnificent Seven", ganhou uma espada samurai, fato que o diretor jamais esqueceu.   Filmes   •  The Eagle Has Landed (1976) •  McQ (1974) •  Valdez, il mezzosangue (1973) •  Joe Kidd (1972) •  Marooned (1969) •  Ice Station Zebra (1968) •  Hour of the Gun (1967) •  The Hallelujah Trail (1965) •  The Satan Bug (1965) •  The Great Escape - Fugindo do inferno (1963) •  A Girl Named Tamiko (1962) •  Sergeants 3 (1962) •  By Love Possessed - O amor tudo vence (1961) •  The Magnificent Seven - Sete homens e um destino (1960) •  Never So Few (1959) •  Last Train from Gun Hill (1959) •  The Old Man and the Sea (1958) •  The Law and Jake Wade (1958) •  Saddle the Wind (1958)   •  Gunfight at the O.K. Corral - Sem lei e sem arma (1957) •  Backlash (1956) •  The Scarlet Coat (1955) •  Underwater! (1955) •  Bad Day at Black Rock - Conspiração do silêncio (1955) •  Escape from Fort Bravo (1953) •  Fast Company (1953) •  Jeopardy (1953) •  The Girl in White (1952) •  It's a Big Country (1951) •  The People Against O'Hara (1951) •  Kind Lady (1951) •  The Magnificent Yankee (1950) •  Right Cross (1950) •  Mystery Street (1950) •  The Capture - A Captura (1950) DOWNLOAD •  The Walking Hills (1949) •  Best Man Wins (1948) •  The Sign of the Ram (1948) •  Thunderbolt (1947)  DOWNLOAD •  Keeper of the Bees (1947) •  For the Love of Rusty (1947) •  Alias Mr. Twilight (1946) •  Shadowed (1946) •  The Man Who Dared (1946)   Mais   Prêmios Recebeu uma nomeação ao Óscar, na categoria de Melhor Realizador, por "Bad day at black rock" (1955). Imagens   Vídeos    
| 11551 ace
1.  James Dean - Assim Caminha a Humanidade (quando Dean morreu num acidente de carro aos 24 anos, 'Giant' ainda estava sendo filmado. na época divulgou-se que ele já havia completado sua participação, mas uma de suas cenas mais importantes, um discurso, estava inaudível e teria que ser refeita. o diretor George Stevens teve que remontar várias cenas, para salvar o filme. o filme foi um grande sucesso e Dean foi indicado ao Oscar por ele) 2.  Heath Ledger - O Mundo Imaginário do Dr.Parnassus (quando Ledger morreu de overdose de remédios aos 28 anos, o diretor Terry Gilliam não havia filmado metade das suas cenas. a solução foi genial: aproveitando o clima onírico do filme, o personagem ganhou outros três intérpretes - Johnny Depp, Colin Farrell e Jude Law -, que se alternavam, sem maiores explicações. o filme ficou ainda melhor e serviu de homenagem ao ator) 3.  Jean Harlow - Saratoga (Jean foi a primeira grande sex symbol do cinema, loira platinada e linda, era uma grande estrela. em 1937, ela começou a filmar esta comédia romântica com Clark Gable. quando estava 90% pronto, ela começou a passar mal e depois de uma semana morreu com apenas 26 anos de idade. versões dizem que sua mãe, adepta de uma religião chamada Ciência Cristã, não permitiu que ela fosse tratada. internada não resistiu e morreu em decorrência de problemas renais, possivelmente causados pelas agressões que sofrera do marido. as cenas que faltavam ser feitas foram filmadas por uma dublê de costas. o filme foi um sucesso) 4.  River Phoenix - Dark Blood (com apenas 23 anos, River já era um grande astro, quando morreu de overdose de drogas variadas, na noite de Halloween. ele estava filmando este suspense, que já tinha 90% das cenas gravadas, mas faltavam várias cenas cruciais do ator. o diretor tentou convencer os produtores de refazer o filme com outro ator, mas o material acabou mesmo nas prateleiras e o filme jamais foi terminado) 5.  Tyrone Power - Salomão e a Rainha de Sabá (Power foi um dos atores mais populares do cinema, nas décadas de 30 e 40. em 1958 vinha de mais filmes de sucesso, quando filmava uma cena de duelo de espadas na Espanha, teve um ataque do coração fulminante, que o matou. o diretor King Vidor foi autorizado a substituir o ator por Yul Brynner e, assim, completar o filme. se você reparar bem nas cenas de duelo, vai notar Tyrone nelas) 6.  Oliver Reed - Gladiador (Reed fez seus melhores filmes na década de 70, mas seus excessos por conta de bebida, o relegaram a pepéis secundários. em 1999 conseguiu um de seus melhores papéis em anos, de 'Proximo' no clássico de Ridley Scott. mas durante as filmagens em Malta, teve um ataque cardíaco fulminante, quando bebia com amigos num bar. a solução do diretor foi utilizar a tecnologia, inserindo a cabeça de Reed no corpo de um dublê, sem que ninguém desse conta da montagem. resultado, 5 Oscars, incluindo melhor filme) 7.  Natalie Wood - Projeto Brainstorm (a bela Natalie fez sucesso no cinema, desde criança. estava filmando este suspense, dirigido pelo gênio dos efeitos especiais Douglas Trumball, apostando que ele daria novo impulso à sua carreira. mas durante o feriado de Ação de Graças, ela saiu numa lancha com o marido, Richard Wagner e o amigo Christopher Walken e, num acidente mal explicado, ela, que não sabia nadar, caiu no lago e morreu afogada. os produtores preferiam ficar com o dinheiro do seguro, mas o diretor batalhou para completá-lo e conseguiu. mas o filme fracassou nas bilheterias) 8.  Marilyn Monroe - Something's Got to Give (Marilyn estava numa fase complicada. cheia de problemas, vários abortos, abuso de remédios e causando problemas nas filmagens. o diretor George Cukor chegou a demiti-la e escalar Lee Remick para seu lugar, mas o ator Dean Martin, que tinha por contrato poder de escolher sua co-estrela, exigiu a diva. antes de voltar ao set, ela morreu devido a uma overdose de barbitúricos e o filme jamais foi completado. dele ficou famosa a cena de Marilyn nua na piscina) 9.  Brandon Lee - O Corvo (o filho de Bruce Lee, quando começava a despontar para o sucesso. numa cena onde seria baleado, foi atingido pelo que deveria ser um tiro de festim,  no estômago e morreu poucas horas mais tarde no hospital. o diretor e a família do ator insistiram em que filme fosse completado e o estúdio acabou concordando. as cenas restantes foram feitas com um dublê e o rosto de Brandon foi inserido digitalmente) 10.  John Candy - Dois Contra o Oeste (o comediante gordinho Candy estava gravando em Durango, México, no começo de 1994, quando teve um ataque cardíaco e morreu. ele já havia completado a maioria de suas cenas, mas o roteiro teve que ser reescrito, para eliminar as cenas que faltavam e as que eram imprescindíveis foram gravadas com dublê de costas. a comédia foi lançada um ano depois, com críticas negativas e fracasso de bilheteria) Retirado do blog Listas de 10
| 11509 ace
Título Original: Down Argentine Way Ano/País/Gênero/Duração: 1940 / EUA / Comédia musical / 88min Direção: Irving Cummings Produção: Darryl F. Zanuck Roteiro: Karl Tunberg e Darrell Ware Fotografia: Ray Rennahan e Leon Shamroy Música: Mack Gordon Elenco Don Ameche ... Ricardo Quintana Betty Grable ... Glenda Crawford Carmen Miranda ... Carmen Miranda Charlotte Greenwood ... Binnie Crawford J. Carrol Naish ... Casiano Henry Stephenson ... Don Diego Quintana Kay Aldridge ... Helen Carson Leonid Kinskey ... Tito Acuna Chris-Pin Martin ... Esteban Robert Conway ... Jimmy Blake Gregory Gaye ... Sebastian, the Headwaiter Bobby Stone ... Panchito Charles Judels ... Dr. Arturo Padilla Sinopse Diego Quintana (Henry Steohenson) vive na Argentina e fica irritado quando descobre que Binnie Crawford (Charlotte Greenwood) deseja comprar um de seus cavalos. Ele incube seu filho Ricardo (Don Ameche) a informar à garota da falta de interesse na venda para qualquer pessoa da família da moça, pois ele tivera um problema com o irmão dela. Ricardo conhece Glenda Crawford (Bettie Grable), e sem saber ela é parente do inimigo do seu pai, lhe oferece o animal para a compra. Curiosidades - Este musical teve como tema a Argentina, mas nenhuma cena foi rodada lá. Foram mandados alguns técnicos para pegarem cenas locais, mas das quase três horas de gravação em Buenos Aires, só acabaram sendo usadas duas cenas rápidas. - Os argentinos ficaram tão revoltados com a história retorcida de seu país que proibiram a exibição. O país é retratado como uma fazenda e sua música como a rumba. - Primeiro filme americano de Carmen Miranda, que faz uma pequena participação como uma cantora brasileira em cartaz com o Bando da Lua. - Destaque também para a dupla de sapateadores Nicholas Brothers. - Alice Faye foi cogitada para o papel de Glenda Crawford, mas estava doente na época das filmagens. - Após a reprovação argentina, foram refeitas, à contragosto, algumas cenas que mostravam os costumes argentinos tal qual eles eram. - Músicas cantadas por Carmen Miranda: South American Way", "Mamãe Eu Quero" e "Bambu Bambu". - Ela chegou a gravar “Touradas em Madri”, mas esta foi deletada. - Devido aos compromissos que tinha em Nova York, a FOX enviou uma equipe de filmagens de Los Angeles para gravar com ela. Prêmios - Indicação ao Oscar de Melhor Fotografia Colorida, Direção de arte e Canção Original (Down Argentine Way). Imagens
| 11444 ace
Nome:  José Mojica Moraes Nascimento e local: 13/03/1936, São Paulo, Brasil Ocupação: diretor, ator, produtor Nacionalidade: brasileira Casamento: Leny Dark Filhos: Crounel Marins, Merisol Marins Biografia Pioneiro no cinema de terror no Brasil, José Mojica Marins, mais conhecido como Zé do Caixão, já fez mais de 30 filmes, dentre comédias, pornochanchadas e aventuras. Fundou aos 17 anos o Estúdio Companhia Cinematográfica Atlas, no Brás. Lá dava aula de cinema e também fazia testes com aranhas e ratos para suas cenas de terror. Realizou filmes amadores em 16mm (mudos) e 35mm (sonoros). Seus filmes chegaram a ser censurados na década de 70. Nos anos 80 ele dedicou-se às pornochanchadas, com "24 horas de Sexo Ardente" (1984), "48 Horas de Sexo Ardente" (1986) e "Dr. Frank na Clínica das Taras" (1987). Foi então que foi reconhecido fora do país, tornando-se um cineasta cult.   Filmes •  FilmeFobia (2008) •  Encarnação do Demônio (2008) •  A Capital dos Mortos (2008) •  Rock Rocket: Doidao (2008) •  5 Mentiras (2006) •  A Marca do Terrir (2005) •  Um Show de Verão (2004) •  A Lasanha Assassina (2002) •  Dr. Bartolomeu e a Clínica do Sexo (2001) •  Tortura Selvagem - A Grade (2001) •  Contos de Horror (1997) •  Ed Mort (1997) •  O Gato de Botas Extraterrestre (1990) •  Dama de Paus (1989) •  As Belas da Billings (1987) •  Horas Fatais (1987) •  A Hora do Medo (1986) •  O Filho do Sexo Explícito (1985) •  A Quinta Dimensão do Sexo (1984) •  Padre Pedro E a Revolta das Crianças (1984) •  O Segredo da Múmia (1982) •  A Encarnação do Demônio (1981) •  Chapeuzinho Vermelho (1980) •  Mundo-mercado do Sexo (1979) •  Estupro (1979) •  A Deusa de Mármore (1978) •  Inferno Carnal (1977) •  O Abismo (1977) •  O Vampiro da Cinemateca (1977) •  A Estranha Hospedaria dos Prazeres (1976) •  As Mulheres do Sexo Violento (1976) •  Fracasso de Um Homem nas Duas Noites de Núpcias (1975) •  O Exorcismo Negro (1974) •  Quando os Deuses Adormecem (1972) •  Sexo E Sangue na Trilha do Tesouro (1972) •  Finis Hominis (1971) •  O Profeta da Fome (1970) •  O Cangaceiro Sem Deus (1969) •  O Estranho Mundo de Zé do Caixão (1968) •  Por Exemplo Butantã (1968) •  Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver (1967) •  O Diabo de Vila Velha (1966) •  À Meia-Noite Levarei Sua Alma (1964) •  Meu Destino em Tuas Mãos (1963) •  Éramos Irmãos (1960) •  Sina de Aventureiro (1958)
| 11442 ace
Título Original: Grand Hotel Ano/País/Gênero/Duração: 1932 / EUA / Romance / 112min Direção: Edmund Goulding Produção: Irving Thalberg Roteiro: Vicki Baum, William A. Drake, Béla Balázs Fotografia: William H. Daniels Música: William Axt, Charles Maxwell Elenco • Greta Garbo .... Grusinskaya • John Barrymore .... Baron Felix von Geigern • Joan Crawford .... Flaemmchen • Wallace Beery .... Preysing • Lionel Barrymore .... Otto Kringelein • Lewis Stone .... Dr. Otternschlag • Jean Hersholt .... Senf • Robert McWade .... Meierheim Sinopse No Grande Hotel há um fluxo constante de pessoas que se hospedam e vão embora em poucos dias. As histórias de seus hóspedes são apresentadas aleatoriamente, como a da dançarina Grusinskaya (Greta Garbo), que não acredita mais no amor e encontra-se sem rumo na vida até que conhece o falido Barão Felix Von Geigern (John Barrymore). O Barão é amigo de Otto Kringelein (Lionel Barrymore) que está para morrer e decide passar os últimos dias de sua vida no mesmo luxuoso hotel onde seu patrão Preysing (Wallace Beery), está hospedado com sua taquigrafa Flaemmchen (Joan Crawford). Curiosidades - Baseado na peça “Menschen in Hotel” de Vicki Baum. - O filme foi uma idéia de Irving Thalberg, que quis juntar no mesmo elenco as maiores estrelas da MGM da época. - Greta Garbo queria seu ex-noivo John Gilbert como seu par no filme, mas o mesmo foi recusado pois já não fazia mais sucesso. - Wallace Beery recusou-se inicialmente a fazer o filme por achar seu personagem antipático. - Muitas cenas de Joan Crawford foram cortadas em alguns Estados americanos, que acharam ousadas demais. - Neste filme é dita a frase mais famosa da carreira de Greta Garbo: “Eu quero ficar sozinha, eu só quero ficar sozinha”, que muitos atribuíram a um pedido da própria atriz, que se aposentou pouco tempo depois. - O cenário do hotel foi todo feito inspirado na Art Decó. - Na estréia estavam presentes Marlene Dietritch, Jean Harlow, Norma Shearer, Douglas Fairbanks Jr. e Clark Gable, dentre outros astros. Greta Garbo não compareceu. - O filme foi refilmado em 1945 sob o título “Um fim de semana no Waldorf” (Week-End the Waldorff), tendo Ginger Rogers no elenco. Num luxuoso hotel de Berlim, o anfitrião Dr. Otternschlag (Lewis Stone) acha que nada acontece ali. Até o dia em que aparecem o aristocrata arruinado Baron Felix von Ok, o Prêmios - Oscar de Melhor Filme. Assista Online Imagens
| 11435 ace
Título Original: War and Peace Ano/País/Gênero/Duração: 1956 / EUA Itália  / Drama Guerra / 208min Direção: King Vidor Produção: Dino De Laurentis, Carlo Ponti Roteiro:  Bridget Boland / Robert Westerby / King Vidor / Mario Camerini / Ennio De Concini / Ivo Perilli / Gian Gaspare Napolitano / Mario Soldati Fotografia: Jack Cardiff Música: Nino Rota Elenco Audrey Hepburn .... Natasha Rostov Henry Fonda .... Pierre Bezukhov Mel Ferrer .... príncipe Andrei Bolkonsky Vittorio Gassman .... Anatole Herbert Lom .... Napoleão Oskar Homolka .... general Kutuzov Anita Ekberg .... Helene Helmut Dantine .... Dolokhov Tullio Carminati .... príncipe Vasili Kuragine Barry Jones .... conde Rostov Sinopse Natasha (Audrey Hepburn) pertence à família Rostov, aristocratas do início do século 19. Ela é apaixonada por Pierre Bezukhov (Henry Fonda), mas ele acaba se casando, sem amor, com sua prima Helene (Anita Ekberg ). Mas logo ele é traído por Helene, e depois abandonado após um duelo. Natasha acaba conhecendo o príncipe Andrei Bolkonsky (Mel Ferrer), por quem se sente atraída. Para afastar o casal, o pai de Andrei faz com que ele viaje para uma missão diplomática. Demora mais algum tempo até que ela reencontre Pierre. Curiosidades - Audrey Hepburn recebu $ 300 mil para fazer o filme. - Mel Ferrer e Audrey Hepburn estavam casados à época do filme. - Baseado no romance de Leon Tolstoy. ASSISTA ONLINE Imagens
| 11415 ace
"Você aprendeu as duas coisas mais importantes da vida, nunca sacanear seus amigos, e sempre manter a boca fechada." "Quando você faz um drama, você passa o dia todo batendo com o martelo num cara até a morte, ou o quê? Ou, você tem que dar uma mordida na cara de alguém. Por outro lado, numa comédia, você berra com Billy Crystal por uma hora, depois vai pra casa." "Não há nada mais irônico ou contraditório do que a vida em si." "Há uma certa combinação de anarquia e disciplina na forma como eu trabalho." "Os personagens que eu interpreto são reais. Eles são reais, portanto possuem o direito de serem retratados tanto quanto qualquer outro personagem." "Uma das coisas sobre atuar é que isso te permite viver a vida de outras pessoas sem ter que pagar o preço." "É importante não demonstrar. As pessoas não tentam mostrar seus sentimentos, elas tentam escondê-los." "Você terá tempo para descansar quando você estiver morto."  "Eu não gosto de assistir meus próprios filmes, eu durmo em meus próprios filmes." "Não voltarei mais a colocar os meus pés na França. Desaconselharei meus amigos a vir para cá. Não dou a mínima para o Festival de Cinema de Cannes, e devolverei o mais rápido possível o título de Legião de Honra à embaixada francesa."     - sobre sua prisão na França sob a acusação de participar de uma rede internacional de prostituição  Fonte: Wiquote Anúncios Google Robert Deniro - Oferta www.ShoppingUOL.com.br      Robert Deniro: Compare e ache os menores preços aqui! Robert De Niro - Em Até 18x www.MercadoLivre.com.br      Tudo o Que Você Procura Está no MercadoLivre! Ótimos Preços.
| 11369 ace
Título Original: Psycho Ano/País/Gênero/Duração: 1960 / EUA / Suspense / 109min Direção: Alfred Hitchcock Produção: Alfred Hitchcock Roteiro:  Robert Bloch, Joseph Stefano Fotografia: John L. Russell Música:Bernard Herrmann Elenco Anthony Perkins ...     Norman Bates Vera Miles ...     Lila Crane John Gavin ...     Sam Loomis Martin Balsam    ...     Milton Arbogast John McIntire    ...     Deputy Sheriff Al Chambers Simon Oakland    ...     Dr. Fred Richmond Vaughn Taylor    ...     George Lowery Frank Albertson    ...     Tom Cassidy Lurene Tuttle    ...     Mrs. Chambers Patricia Hitchcock    ...     Caroline John Anderson    ...     California Charlie Mort Mills    ...     Highway Patrol Officer Janet Leigh ...     Marion Crane Sinopse Marion (Janet Leigh), uma secretária de imobiliária. Ela rouba uma quantia do seu chefe para que possa aproveitar com seu amante. Ela foge e tem que passar a noite em um motel que pertence a Norman Bates (Anthony Perkins), um homem que guarda um corpo no sótão. O que ela não sabe, é que o local guarda segredos. Curiosidades - Considerado o melhor thriller de todos os tempos pelo AFI (American Film Institute). - Baseado no livro de Robert Bloch. - O filme traz a famosa cena do assassinato no chuveiro. - O sangue utilizado na cena do chuveiro era na verdade calda de chocolate. - O barulho das facadas foram feitas com a faca sendo encravadas em melões. - Pela primeira vez na história do cinema foi utilizado um vaso sanitário. - Orçamento de $ 800.000 dólares. - Faturamento de $ 40 milhões de dólares. - Hitchcock optou por filmar em preto e branco por achar que as cenas de violência fotografariam melhor assim. - Refilmagem em 1998, dirigida por Gus Van sant. - Para preservar o segredo do filme, não era permitido entrar no cinema após ter dado início à sessão. - A canção do compositor Bernard Hermann está entre as mais marcantes do cinema. - Janet Leigh escreveu um livro sobre os bastidores do filme, entitulado “Behind the Scenes of Psycho”. - Foi feita uma continuação da história com Psicose II, lançado em 1980 e dirigido por Richard Franklin. Do elenco original foram utilizados Anthony Perkins e Vera Miles. - Anthony Perkins dirigiu Psicose III em 1986. - Norman Bates foi inspirado em um assassino real, que viveu na década de 50 e ficou conhecido como assassino canibal. O assassino também inspirou os personagens dos filmes “O Massacre da Serra Elétrica” (1973) e “O Silêncio dos Inocentes” (1991). Prêmios - Indicação ao Oscar de Melhor Diretor, Atriz Coadjuvante (Janet Leigh), Fotografia e Direção de Arte. - Globo de Ouro de Melhor Atriz Coadjuvante (Janet Leigh). Assista Online Imagens
| 11323 ace
Título Original: Splendor in the Grass Ano/País/Gênero/Duração: 1961 / EUA / Drama Romance / 124min Direção: Elia Kazan Produção: Elia Kazan Roteiro:  William Inge Fotografia: Boris Kaufman Música: David Amram Elenco •    Natalie Wood .... Wilma Dean 'Deanie' Loomis •    Warren Beatty .... Bud Stamper •    Pat Hingle .... Ace Stamper •    Audrey Christie .... sra. Loomis •    Barbara Loden .... Ginny Stamper •    Zohra Lampert .... Angelina •    Fred Stewart .... Del Loomis •    Joanna Roos .... sra. Stamper •    John McGovern ....Doc Smiley •    Jan Norris .... Juanita Howard •    Martine Bartlett .... srta. Metcalf •    Sandy Dennis .... Kay Sinopse Durante a década de 20, Bud “Warren Beatty” e Deanie (Natalie Wood) são jovens estudantes que vivem no Kansas. Os dois estão apaixonados, mas sofrem por causa da repressão sexual que impera em sua época. Curiosidades - Jane Fonda e Lee Remick foram cogitadas para o papel de Deanie. - Dennis Hopper foi cogitado para o papel de Bud. Prêmios - Oscar de Melhor Roteiro Original. - Indicado ao Oscar de Melhor Atriz (Natalie Wood). - Indicado ao Globo de Ouro de Melhor Filme Drama, Ator (Warren Beatty) e Atriz Drama (Natalie Wood). Assista Online
| 11315 ace
  FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha Nome: Frederick Martin MacMurray Nascimento e local: 30/08/1908, Kankakee, IL Morte: 06/11/1991, Santa Monica, CA, Pneumonia Ocupação: ator Nacionalidade: Americano Casamentos:  Lillian Lamont, June Haver Filhos: Kathryn e Laurie Biografia   Fredrick Martin MacMurray nasceu em Kankakee em 30 de agosto de 1908. Iniciou a carreira como músico, tocando saxofone em uma orquestra. Em 1930 gravou uma música para a Orquestra de Gus Arnheim, participando como vocalista.  Iniciou a carreira no cinema fazendo comédias romanticas. Em 1934 assinou contrato com a Paramount Pictures após fazer algumas aparições na Broadway. No auge da carreira, trabalhou ao lado de grandes diretores como Billy Wilder, Preston Sturges e os atores Barbara Stanwyck, Humphrey Bogart e Marlene Dietrich. Esteve ao lado de Claudette Colbert em sete filmes. Participou de grandes clássicos dramáticos como "Pacto de Sangue" de Billy Wilder em 1944. Nos anos 60 ficou popular com a série de TV "A Escuna do Diabo", que ficou durante 12 anos no ar, e um de seus filmes mais famosos é também dessa época, " Se Meu Apartamento Falasse", ao lado de Jack Lemmon e Shirley McLaine. Era casado com a atriz June Haven com quem teve uma filha. Faleceu de leucemia em 1991 aos 83 anos.   Filmes   Why Leave Home? (1929) Tiger Rose (1929) Grand Old Girl (1935) DOWNLOAD The Gilded Lily - O Lírio Dourado (1935) DOWNLOAD Car 99 - Pistas Secretas (1935) DOWNLOAD Men Without Names (1935) Alice Adams - A mulher que soube amar (1935) DOWNLOAD Hands Across the Table -Corações unidos (1935) DOWNLOAD The Bride Comes Home - Roubada no Altar (1935) DOWNLOAD The Trail of the Lonesome Pine - A Filha do Bosque Maldito (1936) DOWNLOAD Thirteen Hours by Air (1936) DOWNLOAD The Princess Comes Across - A Princesa do Brooklin (1936) DOWNLOAD The Texas Rangers - A Legião dos Atiradores (1936) DOWNLOAD Champagne Waltz (1937) Maid of Salem - A Donzela de Salem (1937) DOWNLOAD Swing High, Swing Low - Tudo Começou no Trópico (1937) DOWNLOAD Exclusive (1937) True Confession - Confissão de mulher (1937) DOWNLOAD Cocoanut Grove (1938) Men with Wings (1938) Sing You Sinners (1938) DOWNLOAD Cafe Society - Os Milionários Divertem-se (1939) DOWNLOAD Invitation to Happiness - Convite à Felicidade (1939) DOWNLOAD Honeymoon in Bali - Solteira por capricho (1939) DOWNLOAD Remember the Night - Lembra-te Daquela Noite (1940) DOWNLOAD Little Old New York / Na Antiga Nova York (1940) DOWNLOAD Too Many Husbands - Bigamia  (1940) DOWNLOAD Rangers of Fortune (1940) Virginia (1941) One Night in Lisbon (1941) Dive Bomber - Demônios do Céu (1941) New York Town (1941) The Lady Is Willing (1942) Take a Letter, Darling (1942) The Forest Rangers (1942) Star Spangled Rhythm (1942) Flight for Freedom (1943) No Time for Love (1943) Above Suspicion - Os insuspeitos (1943) Standing Room Only (1944) And the Angels Sing (1944) Double Indemnity - Pacto de sangue (1944) Practically Yours (1944) Where We Go from Here? (1945) Captain Eddie (1945) Murder, He Says (1945) Pardon My Past (1945) Smoky (1946) Suddenly, It's Spring (1947) The Egg and I - O ovo e eu (1947) Singapore - Singapura (1947) On Our Merry Way - Nosso Alegre Caminho (1948) The Miracle of the Bells (1948) An Innocent Affair (1948) Family Honeymoon (1949) Father was a Fullback - Papai era um craque (1949) Borderline (1950) Never a Dull Moment (1950) A Millionaire for Christy (1951) Callaway Went Thataway (1951) Fair Wind to Java (1953) The Moonlighter (1953) The Caine Mutiny (1954) Pushover (1954) Woman's World (1954) The Far Horizons (1955) The Rains of Ranchipur - As chuvas de Ranchipur (1955) At Gunpoint (1955) There's Always Tomorrow (1956) Gun for a Coward (1957) Quantez (1957) Day of the Bad Man (1958) Good Day for a Hanging (1959) The Shaggy Dog (1959) Face of a Fugitive (1959) The Oregon Trail (1959) The Apartment - Se meu apartamento falasse (1960) The Absent-Minded Professor (1961) Bon Voyage! (1962) Son of Flubber (1963) Kisses for My President (1964) Follow Me, Boys! (1966) The Happiest Millionaire - Quando o coração não envelhece (1967) Charley and the Angel (1973) The Swarm (1978)     Prêmios indicado ao Globo de Ouro por The Absent Minded Professor (1961).   Imagens       Vídeos   _nQ-Kk6WBIo
| 11291 ace
  Ficha Nome: Edna Mae Durbin Nascimento e local: 04/12/1921, Manitoba, Canadá Morte: 30/03/2013, França, causas naturais Ocupação: atriz e cantora Nacionalidade: Canadense Casamentos: Vaughn Paul, Felix Jackson, Charles Henri David Filhos: Jessica Louise Jackson Biografia Nascida em 1921, em Winnipeg, no Canadá, Deanna Durbin mudou-se com a sua família, com apenas 1 ano, para os Estados Unidos. O talento precoce da jovem cantora logo foi descoberto por Jack Sherrill, que lhe vê durante um recital. Acaba sendo contratada pela MGM em 1935, aos 14 anos. Lá ela começa a conviver com outros jovens atores da “Grande família”, como era conhecida a MGM: Mickey Rooney, Fred Bartolomew, Jackie Cooper, e Judy Garland. Deanna foi dispensada pela MGM depois do filme Every Sunday, que fez ao lado de Judy Garland, pois os Estúdios queriam investir em uma só atriz cantora adolescente. Melhor para a Universal, que a contratou e viu seu primeiro filme pela companhia, “three Smart Girls”, ser considerado um sucesso imediato. A atriz passou a divulgar seu trabalho em programas de rádios, como o de Eddie Cantor. Seu segundo filme, “Onde hundred Men and a Girl” veio consolidar seu sucesso. Em 1937 ela já tinha suas mãos gravadas no Grauman’s Chinês Theater. Dois anos depois recebia um Oscar honorário, por sua contribuição aos jovens. Novos filmes se seguiram, como The Amazing Mrs. Holliday, Hers to Hold e His Butler’s sister. Em 1949, depois de 25 filmes, a atriz afastou-se da vida pública, após se casar pela terceira vez com Charles David (com quem ficou casada durante 48 anos até a morte dele, em 1999). Mesmo com diversas propostas, jamais quis voltar à vida pública. Deanna viveu tranquilamente, em Paris, no seu doce anonimato até sua morte. Filmes For the Love of Mary - Fugindo do amor (1948) Up in Central Park - Um sonho desfeito (1948) Something in the Wind - Deliciosa mentira (1947) I'll Be Yours (1947) Because of Him - Por causa dele (1946) Lady on a Train - A dama desconhecida (1945) Can't Help Singing - Vivo para cantar (1944) Christmas Holiday - Férias de Natal (1944) His Butler's Sister - A Irmã do Mordomo (1943) Hers to Hold - Laços Eternos (1943) The Amazing Mrs. Holliday - Sempre Tua (1943) It Started with Eve - Um Raio de Sol (1941) Nice Girl? - Noiva por um dia (1941) Spring Parade - A Parada da Primavera (1940) It's a Date - Rival Sublime (1940) DOWNLOAD First Love - Primeiro Amor (1939) Three Smart Girls Grow Up - Meninas Endiabradas (1939) That Certain Age - Idade Perigosa (1938) Mad About Music - Louca por Música (1938) One Hundred Men and a Girl - Cem homens e uma menina (1937) Three Smart Girls - Três pequenas do barulho (1936) Every Sunday (1936) Mais Top Atrizes cantoras Atrizes clássicas ainda vivas   Prêmios Oscar Juvenil (1939)   Imagens         Vídeos    
| 11197 ace
Título Original: On the Waterfront Ano/País/Gênero/Duração: 1954 / EUA / Drama / 108min Direção: Elia Kazan Produção: Sam Spiegel Roteiro: Budd Schulberg Fotografia: Boris Kaufman Música: Leonard Bernstein Elenco • Marlon Brando .... Terry Malloy • Eva Marie-Saint .... Edie Doyle • Karl Malden .... padre Barry • Lee J. Cobb .... Johnny Friendly • Rod Steiger .... Charley Malloy • Pat Henning .... Timothy "Kayo" J. Dugan • Leif Erickson .... Glover • James Westerfield .... Big Mac • Tony Galento .... Truck • Tami Mauriello .... Tullio • John F. Hamilton .... Joey "Pop" Doyle • John Heldabrand .... Mutt • Rudy Bond .... Moose • Don Blackman .... Luke • Arthur Keegan .... Jimmy • Abe Simon .... Barney • Martin Balsam .... Gilette • Fred Gwynne .... Slim • Thomas Handley .... Tommy Collins • Anne Hegira .... sra. Collins Sinopse Johnny Friendly (Lee J. Cobb) é o presidente do sindicato dos estivadores de New Jersey, e seu braço direito é Charley Malloy (Rod Steiger), um advogado. Os dois cobram valores por fora, utilizando-os ilicitamente e em apostas nas lutas de boxe. Enquanto seus próximos tem regalias, os outros lutam diariamente, enquanto a lei do silêncio impera entre os trabalhadores que temem revelias. Terry Malloy (Marlon Brando), irmão de Charley é um ex-boxeador que não foi campeão por perder a luta a mando de seu irmão. Charley é usado por Johnny e Charley para atrair Joey Doyle (John F. Hamilton) para uma emboscada que o levam à morte. A irmã de Joey, Edie Doyle (Eva Marie Saint) revolta-se. Ao conhecer Edie, Charley começa a questionar suas atitudes. Curiosidades - Baseado em Crime on the Waterfront, de Malcolm Johnson publicado no New York Sun. - Darryl F. Zanuck recusou o roteiro na 20th Century Fox. - Arthur Miller assumiu o roteiro, mas acabou desistindo. - Frank Sinatra foi cogitado para o papel de Terry malloy. - Salário de Marlon Nrando: $ 100 mil dólares. - Grace Kelly foi cogitada para o papel de Edie Doyle, mas preferiu fazer Janela Indiscreta. - O filme marca a estréia de Eva Marie Saint, Pat Hingle, Martin Balsam e Fred Gwynne. - O Oscar ganho por Brando neste filme foi roubado. Mas ele conseguiu recuperá-lo numa casa de leilões de Londres. Prêmios - Oscar de Melhor Filme, Diretor, Ator (Marlon Brando), Atriz Coadjuvante (Eva Marie Saint), Direção de Arte - Preto e Branco, Fotografia - Preto e Branco, Edição e Roteiro. - Indicação ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante (Karl Malden, Lee J. Cobb e Rod Steiger) e Trilha Sonora. - Globo de Ouro de Melhor Filme - Drama, Diretor, Ator - Drama (Marlon Brando) e Fotografia - Preto e Branco. Assista Online Imagens
| 11165 ace
Ficha Título original: Singin' in the Rain Ano/País/Gênero/Duração:  1952/EUA/Musical/103min Produção: Arthur Freed e Roger Edens Direção: Stanley Donen e Gene Kelly Roteiro: Adolph Green e Betty Comden Fotografia: Harold Rosson Música: Stanley Donen Elenco Gene Kelly ...     Don Lockwood Donald O'Connor Cosmo Brown Debbie Reynolds Kathy Selden Jean Hagen    ...     Lina Lamont Millard Mitchell    R.F. Simpson Cyd Charisse ...     dançarina Douglas Fowley    Roscoe Dexter Rita Moreno ...     Zelda Zanders Sinopse Feita em homenagem a todos os musicais realizados anteriormente, Cantando na chuva relata de forma bem humorada a transição do cinema mudo para o cinema falado. Um grande filme falado seria rodado, e os famosos atores do cinema mudo, Don Lockwood (Gene Kelly) e Lina Lamont (Jean Hagen) serão os protagonistas. Só há um probleminha: Lina tem uma voz horrível, e não consegue falar nem se virar com o microfone. Don acaba conhecendo Kathy Selden (Debbie Reynolds), uma corista aspirante a atriz. Ele logo tem a idéia de coloca-la dublando Lina. Notas A música “Singing the Rain” foi feita por Nacio Herb Brown para o filme “The Hollywood Revue of 1929” e fez muito sucesso desde então. Muitos o consideram o melhor musical até hoje. Curiosamente, quem cantou na cena em que Debbie Reynolds dubla a atriz Lina Lamont  é a atriz Jean Hagen, que faz a Lina. ASSISTA ONLINE Imagens
| 11145 ace
Título Original: It's a Wonderful Life Ano/País/Gênero/Duração: 1946 / EUA / Romance Fantasia / 130min Direção: Frank Capra Produção: Frank Capra Roteiro: Philip Van Doren Stern, Frances Goodrich Fotografia: Joseph F. Biroc e Joseph Walker Música: Dimitri Tiomkin Elenco James Stewart ... George Bailey Donna Reed ... Mary Hatch Lionel Barrymore ... Mr. Potter Thomas Mitchell ... Uncle Billy Henry Travers ... Clarence Beulah Bondi ... Mrs. Bailey Frank Faylen ... Ernie Ward Bond ... Bert Gloria Grahame ... Violet H.B. Warner ... Mr. Gower Frank Albertson ... Sam Wainwright Todd Karns ... Harry Bailey Samuel S. Hinds ... Pa Bailey Mary Treen ... Cousin Tilly Virginia Patton ... Ruth Dakin Sinopse George Bailey (James Stewart) tinha o sonho de conhecer o mundo, mas nunca pode fazer isso por trabalhar como banqueiro, para ajudar a todos ao seu redor. Ele é uma boa pessoa, mas , deprimido, pensa em se matar na véspera de natal, mas acaba sendo salvo por um anjo. Clarence, o anjo, tenta lhe mostrar como seria o mundo sem sua presença. Curiosidades - James Stewart não aceitou o projeto do filme, pois tinha acabado de retornar da guerra. Lionel Barrymore o convenceu a pegar o papel. - A “neve” era uma mistura de sopa, água e um componente químico. Foram precisos 2 meses para construir os sets de filmagens, considerados um dos maiores já feitos até aquele momento. ASSISTA ONLINE Imagens
| 11089 ace
Título Original: You Were Never Lovelier Ano/País/Gênero/Duração: 1942 / EUA / Musical / 97min Direção: William A. Seiter Produção: Louis F. Edelman Roteiro:  Carlos A. Olivari  e Sixto Pondal Ríos Fotografia: Ted Tetzlaff Música:Leigh Harline Elenco Fred Astaire .... Robert "Bob" Davis Rita Hayworth .... Maria Acuña Adolphe Menjou .... Eduardo Acuña Isobel Elsom .... Maria Castro Leslie Brooks .... Cecy Acuña Adele Mara .... Lita Acuña Xavier Cugat .... Ele mesmo Sinopse Em Buenos Aires, Bob Davis (Fred Astaire), um dançarino americano, procura emprego. Seu amigo Xavier Cugat (como ele mesmo) lhe convida para ele dançar em um casamento de uma filha de Eduardo Acuña (Adolphe Menjou), dono de uma boate. Pela tradição da família, a próxima a casar-se já que a mais velha está se casando, é Maria (Rita Hayworth), mas esta escolhe demais os seus pretendentes. O pai decide escolher seu pretendente, mas ela acaba se apaixonando por Bob. Curiosidades - Título em Portugal: Ao Compasso do amor. - Composições de Jerome Kern. - O filme faz parte da política da boa vizinhança estabelecida pelos Estados Unidos, visando conquistar o público latino. - Apesar de ser ambientado em Buenos Aires, todas as cenas foram realizadas em estúdios. - Rita foi dublada por Nan Wynn. - A música “On the beam” foi escrita para o filme mas não foi utilizada. - O número musical "You Were Never Lovelier" foi cortado após a exibição inicial. - Fred Astaire e Rita ensaiaram a maioria das danças em uma funerária. - Tudo indica que Fidel Castro, aos 15 anos, fez uma pequena ponta no filme. - O filme preferido de Rita Hayworth, dentre os feitos por ela. ASSISTA ONLINE Imagens
| 11083 ace
Título Original: The Little Colonel Ano/País/Gênero/Duração: 1935 / EUA / Infantil Musical / 80min Direção: David Butler Produção: Buddy G. DeSylva Roteiro: William M. Conselman, Anne Fellows Johnston Fotografia: Arthur C. Miller Música: Cyril J. Mockridge Elenco Shirley Temple ... Lloyd Sherman Lionel Barrymore ... Col. Lloyd Evelyn Venable ... Elizabeth Lloyd Sherman John Lodge ... Jack Sherman Sidney Blackmer ... Swazey Alden 'Stephen' Chase ... Hull William Burress ... Dr. Scott Frank Darien ... Nebler Robert Warwick ... Col. Gray Hattie McDaniel ... Becky ('Mom Beck') Porter Geneva Williams ... Maria Avonnie Jackson ... May Lily Nyanza Potts ... Henry Clay Bill Robinson ... Walker Sinopse A jovem Elizabeth Lloyd (Evelyn Venable) foge de casa para se casar com Jack Sherman (John Lodge), deixando seu pai, um reformado Coronel com raiva. Ele jura nunca mais falar com a filha. Após alguns anos ele conhece sua neta Lloyd (Shirley Temple), que o cativa e faz com que seu coração amoleça e ele faça as pazes com sua filha. Download: Este filme é de domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria. Legendas somente em espanhol Imagens
| 11061 ace
Título Original: Freaks Ano/País/Gênero/Duração: 1932 / EUA / Drama Terror / 62min Direção: Tod Browning Produção: Tod Browning e Dwain Esper Roteiro: Al Boasberg, Willis Goldbeck, Leon Gordon, Edgar Allan Woolf Fotografia: Merritt B. Gerstad Música: Richard Wagner Elenco Wallace Ford ... Phroso Leila Hyams ... Venus Olga Baclanova ... Cleopatra Roscoe Ates ... Roscoe Henry Victor ... Hercules Harry Earles ... Hans Daisy Earles ... Frieda Rose Dione ... Madame Tetrallini Daisy Hilton ... Siamese Twin Violet Hilton ... Siamese Twin Schlitze ... Himself Josephine Joseph ... Half Woman-Half Man Johnny Eck ... Half Boy Frances O'Connor ... Armless Girl Peter Robinson ... Human Skeleton Sinopse Várias atrações bizarras são apresentadas no circo. Dentre elas o anão Hans (Harry Earles), que é apaixonado e rejeitado pela trapezista Cleópatra (Olga Baclanova). Mas ela descobre que ele herdou uma fortuna, e planeja casar-se com ele para logo depois assassina-lo e ficar com seu dinheiro. Curiosidades - O filme causou repugnância do público, tão logo foi lançado, pois exibia pessoas deformadas. Uma mulher chegou a acusar o filme de ter-lhe provocado um aborto. - Devido às crítica, o filme teve um corte de 30 minutos. Essas partes foram perdidas. - O filme esteve fora de circulação até os anos 60. - O diretor Tod Browning disse que passou todo o período da produção do filme tendo pesadelos. - Inicialmente, o filme foi banido da Austrália. - O elenco original tinha Victor McLaglen como Hércules, Myrna Loy como Cleópatra, e Jean Harlow a Vênus. Mas eles recusaram. ASSISTA ONLINE Imagens
| 11052 ace
Título Original: 2 Angry Men Ano/País/Gênero/Duração: 1957 / EUA / Drama / 96min Direção: Sidney Lumet Produção: Henry Fonda, Reginald Rose Roteiro: Reginald Rose Fotografia: Boris Kaufman Música: Kenyon Hopkins Elenco Henry Fonda (Jurado) Lee J. Cobb (Jurado) Ed Begley (Jurado) E.G. Marshall (Jurado) Jack Warden (Jurado) Martin Balsam (Jurado) John Fiedler (Jurado) Jack Klugman (Jurado) Ed Binns (Jurado) Joseph Sweeney (Jurado) George Voskovec (Jurado) Robert Webber (Jurado) Sinopse No tribunal, doze jurados julgam se um homem é ou não culpado de matar seu pai. Caso seja condenado, ele será condenado à morte. Dos doze, onze tem certeza de sua culpa, enquanto um deles está indeciso quanto a sua inocência. Ele decide analisar o caso e enfrenta seus colegas, que querem logo acabar com o julgamento. Curiosidades - O filme se passa quase todo dentro de uma única locação, uma sala de tribunal. - Não há mulheres no elenco. - Os jurados são identificados pelo número e não por seus nomes. Prêmios - Indicado ao Oscar de Melhor Diretor, Filme e Roteiro Adaptado. - Indicação ao Globo de Ouro de Melhor Filme Drama, Ator Drama (Henry Fonda), Diretor e Ator Coadjuvante (Lee J. Cobb). ASSISTA ONLINE Imagens
| 11037 ace
Título Original: Tarzan`s New York Adventure Ano/País/Gênero/Duração: 1942 / EUA / Aventura / 70min Direção: Richard Thorpe Produção: Frederick Stephani Roteiro:  William R. Lipman e Myles Connolly Fotografia: Sidney Wagner Música: David Snell, Sol Levy Elenco Johnny Weissmuller ... Tarzan Maureen O’Sullivan ... Jane Parker Johnny Sheffield ... Boy Virginia Grey ... Connie Beach Charles Bickford ... Buck Rand Paul Kelly ... Jimmie Shields, Pilot Chill Wills ... Manchester Montford Cy Kendall ... Col. Ralph Sergeant Russell Hicks ... Judge Abbotson Howard C. Hickman ... Blake Norton Charles Lane ... Gould Beaton Miles Mander ... Portmaster Wade Boteler ... First Police Sergeant Bill Cartledge ... Messenger with Cablegram Hobart Cavanaugh ... Hotel Desk Clerk Sinopse Buck Rand (Charles Bickford), um dono de circo, seqüestra Boy (Johnny Sheffield) para que ele sirva de atração em seu circo. Tarzan (Johnny Weissmuller) e Jane (Maureen O'Sullivan) o segue até Nova York, onde irão lutar pela custódia do garoto. Mas Tarzan, não acostumado com a civilização, não entende esses métodos, e acaba agredindo pessoas e sendo preso. Depois que escapa ele resgata Boy do circo. Curiosidades - Ao invés da tradicional selva, o cenário deste filme é a cidade de Nova York. - Último filme de Maureen O’Sullivan como Jane. - Johnny Weissmuller estava cada vez mais gordo nas telas. Além disso Tarzan fala mais neste filme e está mais terno do que nos outros filmes. - Este foi o primeiro filme exibido gratuitamente para os militares no exterior. Uma cópia de 16mm foi enviado para a Islândia e mostrado em 10 de maio de 1942. Imagens
| 11034 ace
  FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha   Nome: Ernest Frederick McIntyre Bickel Nascimento e local: 31/08/1897, Racine, WI Morte e local: 14/04/1975, Los Angeles, CA, câncer Ocupação: ator Nacionalidade: americana Casamentos: Ellis Baker, Florence Eldridge Filhos: Anthony, Penelope   Biografia   Fredric freqüentou a escola primária de Winslow Elementary School, e depois o secundário na Racine High School e, finalmente, a Universidade do Wisconsin, onde foi membro da fraternidade Delta Alpha Phi. Começou sua vida profissional como bancário, mas uma apendicectomia de emergência o fez reavaliar sua vida e, em 1920, começou a trabalhar como figurante de filmes em Nova Iorque, enquanto adotou uma forma abreviada do nome de solteira de sua mãe: Marcher. Estreou na Broadway  em 1926 e, ao final da década de 1920, assinou um contrato como ator com a Paramount Pictures. March ganhou uma indicação para o Oscar de 1930, por sua atuação em The Royal Family of Broadway, no qual fez um papel baseado em John Barrymore. Ganhou a estatueta de melhor ator em 1932 por Dr. Jekyll and Mr. Hyde, e novamente em 1946 por The Best Years of Our Lives. Na cerimônia de entrega dos prémios de 1954, March foi o anfitrião, durante o 26ª Academy Awards. Foi um dos poucos atores que resistiram em assinar contratos de longo prazo com os estúdios, o que lhe permitiu trabalhar independentemente e escolher os papéis que lhe eram oferecidos, ao tempo em que evitava a imposição deles. Ao tempo em que atuava no cinema manteve também sua carreira na Broadway, e sua produção de filmes não foi tão prolífica quanto a de outros atores. Entretanto, March ganhou duas vezes o Prêmio Tony de Melhor Ator: em 1947, na peça Years Ago, escrita por Ruth Gordon; e em 1957, pela produção da Broadway de Eugene O'Neill - Long Day's Journey Into Night. Amigo do dramaturgo Arthur Miller, ele foi o favorito do escritor para estrelar "Willy Loman", personagem principal de Death of a Salesman (A Morte do Caixeiro-Viajante), vencedora do Prêmio Pulitzer de 1949. O diretor Elia Kazan, porém, preferiu lançar Lee J. Cobb como Willy Loman, e Arthur Kennedy no papel do filho Biff Loman. March veio depois a estrelar o papel na versão cinematográfica de 1951 da Columbia Pictures, dirigida por Laslo Benedek. Talvez o maior papel de sua vida madura tenha ocorrido em Inherit the Wind (1960), em que atuou ao lado de Spencer Tracy. Quando submeteu-se a uma cirurgia para câncer na próstata, em 1972, parecia que sua carreira havia se encerrado, mas conseguiu ainda um grande desempenho em The Iceman Cometh, como um complicado barman irlandês, chamado Harry Hope. Ironicamente o filme foi co-estrelado por Robert Ryan, que estava entrando na fase terminal de um câncer de pulmão - sendo esta a última obra dos dois atores. Fredric March morreu em Los Angeles, California, na idade de 77 anos, de câncer. Foi casado com a atriz Florence Eldridge, desde 1927 até sua morte. Tiveram 2 filhos, adotados. Durante sua vida, junto à esposa, eram filiados ao Partido Democrático e foram defensores das políticas liberais. Seu apoio ao lado Republicano durante a Guerra Civil Espanhola (Segunda República Espanhola) é algo controverso. March tem uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood, no número 1616 da Vine Street.   Filmes   The Iceman Cometh (1973) ...tick... tick... tick... (1970) Hombre (1967) Seven Days in May - Sete dias de maio (1964) The Young Doctors (1961) Inherit the Wind - O vento será tua herança (1960) Middle of the Night (1959) The Man in the Gray Flannel Suit - O homem do terno cinzento (1956) Alexander the Great (1956)    The Desperate Hours (1955) The Bridges at Toko-Ri - As pontes de Toko-Ri (1954) Executive Suite (1954) Man on a Tightrope - Salto mortal (1953) Death of a Salesman (1951) It's a Big Country (1951) "The Ford Theatre Hour" (1948)    Christopher Columbus (1949) An Act of Murder (1948)    Another Part of the Forest (1948) The Best Years of Our Lives - Os melhores anos de nossas vidas (1946) Tomorrow, the World! (1944) The Adventures of Mark Twain - As aventuras de Mark Twain (1944) I Married a Witch - Casei-me com uma feiticeira (1942) Bedtime Story (1941) One Foot in Heaven (1941) So Ends Our Night (1941) Victory - Fugidos do Mundo (1940) DOWNLOAD Susan and God - Uma mulher original (1940) DOWNLOAD Trade Winds - Romance duma fugitiva (1938)  DOWNLOAD There Goes My Heart - Perdeu-se uma Milionária (1938) DOWNLOAD The Buccaneer - O Corsário Lafitte (1938) DOWNLOAD Nothing Sacred - Nada é sagrado (1937) A Star Is Born - Nasce uma estrela  (1937) DOWNLOAD Anthony Adverse - Adversidade (1936) DOWNLOAD Mary of Scotland - Maria Stuart (1936) DOWNLOAD The Road to Glory - A Grande Ofensiva (1936) DOWNLOAD The Dark Angel - O Anjo das Trevas (1935) DOWNLOAD Anna Karenina (1935) DOWNLOAD Les misérables - Os Miseráveis (1935) DOWNLOAD We Live Again - Tornamos a Viver (1934) DOWNLOAD The Barretts of Wimpole Street - A Familia Barrett (1934) DOWNLOAD The Affairs of Cellini - As Aventuras de Cellini (1934)  DOWNLOAD Death Takes a Holiday - Morte em Férias (1934) DOWNLOAD Good Dame (1934)    All of Me - Toda Tua (1934) DOWNLOAD Design for Living - Sócios no amor (1933) DOWNLOAD The Eagle and the Hawk - Os dragões da noite (1933) DOWNLOAD Tonight Is Ours - Esta Noite é Nossa (1933) DOWNLOAD The Sign of the Cross - O sinal da cruz (1932) DOWNLOAD Merrily We Go to Hell - Quando a mulher se opõe (1932) DOWNLOAD Strangers in Love (1932) DOWNLOAD Smilin' Through - O Amor que não morreu (1932) DOWNLOAD Dr. Jekyll and Mr. Hyde - O médico e o monstro (1931)  DOWNLOAD My Sin (1931) DOWNLOAD Night Angel (1931) Honor Among Lovers (1931) DOWNLOAD The Royal Family of Broadway - A Família Real da Broadway (1930) DOWNLOAD Laughter (1930) DOWNLOAD Manslaughter - Homicida (1930) DOWNLOAD True to the Navy - A Noiva da Esquadra (1930) DOWNLOAD Ladies Love Brutes - As Mulheres Amam os Brutos (1930) DOWNLOAD Paramount on Parade - Paramount em grande gala (1930) DOWNLOAD Sarah and Son (1930) DOWNLOAD The Marriage Playground (1929) DOWNLOAD Footlights and Fools (1929) Jealousy (1929) Paris Bound (1929) The Studio Murder Mystery (1929) DOWNLOAD The Wild Party - Louca Orgia (1929) DOWNLOAD The Dummy (1929)   Mais Maiores vencedores do Oscar (homens) Quo Vadis (1951)   Prêmios Ganhou o Oscar por Os Melhores Anos de Nossas Vidas (1946) e Dr. Jekyll and Mr. Hyde (1931). Indicado ao Oscar por Death of a Salesman (1951), Nasce uma Estrela (1937) e The Royal Family of Broadway (1930). Imagens       Vídeos     LyGYGmuupT4
| 11005 ace
Título Original: Love Affair Ano/País/Gênero/Duração: 1939 / EUA / Romance / 88min Direção: Leo McCarey Produção: Leo McCarey Roteiro: Leo McCarey, Delmer Daves, Donald Ogden Stewart Fotografia: Rudolph Maté Música: Buddy DeSylva, Harold Arlen, Roy Webb Elenco Irene Dunne ... Terry Charles Boyer... Michel Maria Ouspenskaya ... Grandmother Lee Bowman ... Kenneth Bradley Astrid Allwyn ... Lois Clarke Maurice Moscovitch ... Maurice Cobert Sinopse Terry (Irene Dunne), uma mulher inteligente e Michel (Charles Boyer), um playboy, se conhecem durante um cruzeiro e logo se apaixonam apesar de suas diferenças. Mas os dois já estão comprometidos com outras pessoas e combinam de se encontrar dali há algum tempo, depois que já tiverem terminado tudo com seus respectivos pares. A história de amor deles será interrompida por problemas ocorridos durante o tempo em que estiveram separados. Curiosidades - Refilmado 20 anos mais tarde, com produção do mesmo diretor e o título “Tarde Demais para Esquecer). - Champanhe rosa virou moda nos restaurantes, devido o filme. - Este é o filme favorito de Irene Dunne e Charles Boyer. Prêmios - Indicação ao Oscar de Melhor Imagem, Atriz (Irenne Dunne), Atriz Coadjuvante, Roteiro, Som e Direção de Arte. Assista Online (legendado) Download: Este filme é de domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria. Legendas
| 11003 ace
  Título original: Houdini Ano/País/Gênero/Duração:  1953 / EUA / Biografia / 106min Direção: George Marshall Produção: Frank Freeman Jr, George Pal Roteiro:  Harold Kellock, Philip Yordan Fotografia: Ernest Laszlo Música: Roy Webb Elenco Tony Curtis ...     Harry Houdini Janet Leigh ...     Bess Houdini Torin Thatcher    ...     Otto Angela Clarke    ...     Mrs. Weiss Ian Wolfe    ...     Malue Sig Ruman    ...     Schultz Michael Pate    ...     Dooley Connie Gilchrist    Mrs. Shultz Malcolm Lee Beggs    British jail warden Frank Orth    ...     Mr. Hunter Barry Bernard    ...     Insp. Marlick Douglas Spencer    ...     Simms Sinopse O filme conta a história do mais famoso mágico de todos os tempos, Houdini. Conhece uma garota com quem se casa e os dois passam a se apresentar em teatros de terceira categoria. Por insistência da esposa, passa a trabalhar como ferreiro, mas ao participar de um concurso, ganha uma passagem de ida e volta para a Europa. Troca as passagens por duas de ida e viaja com sua esposa. Lá aprende e começa a fazer fama ao conseguir sair vivo de uma prisão de segurança máxima. Ele retorna aos Estados Unidos e segue em uma carreira de sucesso, ausentando-se durante dois anos, após a morte de sua mãe. Notas - O filme peca ao mostrar de forma errônea a maneira como Houdini morreu. No filme ele morre nos braços da esposa, após tentar fazer um número onde entraria em um tonel de água. Na verdade o mágico morreu algumas semanas após levar dois socos de um estudante e seu apêndice estourar. O garoto tinha ouvido falar que Houdini suportaria qualquer golpe. - Tony Curtis e Janet Leigh  na época também formavam um casal na vida real.       Imagens  
| 11002 ace
Título Original: Show Boat Ano/País/Gênero/Duração: 1951 / EUA / Drama Musical Romance / 107min Direção: George Sidney Produção: Arthur Freed Roteiro:  John Lee Mahin Fotografia: Charles Rosher Música: Adolph Deutsch Elenco Kathryn Grayson ...     Magnolia Hawks Ava Gardner ...     Julie LaVerne Howard Keel    ...     Gaylord Ravenal Joe E. Brown    ...     Cap'n Andy Hawks Marge Champion    ...     Ellie May Shipley Gower Champion    ...     Frank Schultz Robert Sterling    ...     Steve Baker Agnes Moorehead ...     Parthy Hawks Leif Erickson    ...     Pete (as Lief Erickson) William Warfield    ...     Joe Sinopse O navio apresenta um espetáculo itinerante no Cotton Blossom. Magnólia (Kathryn Grason) apaixona-se por um jogador, mas eles acabam se separando. Anos mais tarde se reencontram. Enquanto isso, Julie (Ava Garner) e seu marido são obrigados a saírem do musical por elaser afro-descendente e o marido branco. Curiosidades - Annette Warren dublou Ava Gardner no filme, mas no álbum as músicas foram lançadas com a voz de Ava. - O diretor George Sidney foi obrigado a largar as filmagens durante algum tempo por motivo de doença. - Judy Garland era a primeira opção para o papel de Julie, mas ela já tinha terminado seu contrato com a MGM e não pode ser usada. - Lena Horne e Dinah Shore foram também cogitadas para o papel de Julie. - A MGM queria Nelson Eddy e Jeanette MacDonald nos papéis de Gaylord e Magnólia. - O barco construído para o filme se tornou uma atração num parque de diversão em 1973, e a MGM posteriormente vendeu muitos de seus adereços em um leição. O barco foi destruído em 1995. - Walter Huston e Ethel Barrymore estavam cogitados para o papel do capitão e de Parthy. - Primeiro filme exibido em uma rede de televisão em 1972. Prêmios - Indicado ao Oscar de Melhor Fotografia e Adaptação musical. Imagens
| 10978 ace
"Hoje, quando me pedem autografo, dizem que é para mãe." "Eu gosto que me amem como eu sou". "Eu faço três coisas muito bem: trabalhar, ser estúpido e crianças." "No amor temos que ousar tudo, senão não é realmente amor." "Tenho mais medo da vida do que da morte." "Você pode até não acreditar em Deus, mas na hora do problema... aí você reza para ele." “Ter filhos; eis o segredo para chegar, e bem aos 60 anos.”
| 10938 ace
Nome:  Joseph Yule, Jr. Nascimento e local: 23/09/1920, Brooklyn, NY Ocupação: ator, cantor e dançarino Nacionalidade: Estados Unidos Casamentos: Ava Gardner, Betty Jane Rase, Martha Vickers, Elaine Devry, Barbara Ann, Marge Lane, Carolyn Hockett, Jan Chamberlin Filhos: Tim Rooney, Teddy Rooney, Mickey Rooney Jr., Kyle Rooney, Jimmy Rooney, Kimmy Rooney, Kelly Rooney, Kerry Rooney, Jonelle Rooney Biografia Dono de uma das carreiras mais duradouras do cinema, Mickey Rooney estreou ainda criança e fez até hoje  quase 350 filmes. Praticamente esquecido hoje em dia, esse ator foi um dos que mais levantavam a bilheteria dos filmes da MGM, durante a década de 40. Nascido Joe Yule Jr., Mickey Rooney praticamente nasceu no teatro. Seus pais eram atores da vaudeville e ele, aos 2 anos de idade, estreou cantando, dançando e representando. Seu primeiro papel no cinema foi em “Not to be trusted”, de 1926, no papel de um anão. Ao longo de sua carreira fez 130 filmes, dos quais, 10 curtas na série Mickey McGuire (década de 20) e 15 episódios da série Andy Hardy, da qual era protagonista. Foi através desta série que ficaram conhecidas atrizes como Judy Garland, Lana Turner, Ann Rockeford, dentre outras. Seu primeiro grande papel é considerado “A Midsummer Night’s Dream”(Sonho de uma noite de verão) , de 1935. Em 1938 Mickey ganhou um Oscar especial, juntamente com Deanna Durbin, como ator juvenil. Mesmo já idoso, Mickey continua na ativa, indo todos os anos à cerimônia do Oscar. Filmes Saddle Up with Dick Wrangler & Injun Joe (2009) Gerald (2009) Now Here (2009) Driving Me Crazy (2009 Bamboo Shark (2009) A Miser Brothers' Christmas (2008) Lost Stallions: The Journey Home (2008) Wreck the Halls (2008) Behind the Director's Son's Cut (2007) A Christmas Too Many (2007) The Greatest Show Ever (2007) (TV) The Yesterday Pool (2007) Night at the Museum (2006) To Kill a Mockumentary (2006) The Thirsting (2006) The Happy Elf (2005) Strike the Tent (2005) Illusion Infinity (2004) Paradise (2003) Topa Topa Bluffs (2002) Lady and the Tramp II: Scamp's Adventure (2001) Phantom of the Megaplex (2000) Internet Love (2000) The First of May (1999) Holy Hollywood (1999) Babe: Pig in the City (1998) Michael Kael contre la World News Company (1998) Animals with the Tollkeeper (1998) The Face on the Barroom Floor (1998) Killing Midnight (1997) Boys Will Be Boys (1997) (TV) Kings of the Court (1997) (V) Brothers' Destiny (1995) (TV) Revenge of the Red Baron (1994) Making Waves (1994) Outlaws: The Legend of O.B. Taggart (1994) The Legend of Wolf Mountain (1992) .... Pat Jensen Maximum Force (1992) Sweet Justice (1992) Die Abenteuer von Pico und Columbus (1992) Vida láctea, La (1992) Silent Night, Deadly Night 5: The Toy Maker (1991) The Gambler Returns: The Luck of the Draw (1991) (TV) My Heroes Have Always Been Cowboys (1991) Home for Christmas (1990) (TV) Erik the Viking (1989) Little Nemo: Adventures in Slumberland (1989) Bluegrass (1988) (TV) Little Spies (1986) (TV) Lightning, the White Stallion (1986) The Return of Mickey Spillane's Mike Hammer (1986) The Care Bears Movie (1985) It Came Upon the Midnight Clear (1984) Bill: On His Own (1983) (TV) The Emperor of Peru (1982) Bill (1981) (TV) The Fox and the Hound (1981) Leave 'em Laughing (1981) Creole (1981) My Kidnapper, My Love (1980) (TV) O'Malley (1980) (TV) The Black Stallion (1979) Arabian Adventure (1979) Rudolph and Frosty's Christmas in July (1979) (TV) Donovan's Kid (1979) (TV) The Magic of Lassie (1978) Pete's Dragon (1977) The Domino Principle (1977) Find the Lady (1976) Bons baisers de Hong Kong (1975) Juego sucio en Panamá (1975) The Year Without a Santa Claus (1974) (TV) Journey Back to Oz (1974) Thunder County (1974) Rachel's Man (1974) The Godmothers (1973) Pulp (1972) Richard (1972) Fol-de-Rol (1972) (TV) Evil Roy Slade (1972) (TV) The Manipulator (1971) Santa Claus Is Comin' to Town (1970) (TV) Cockeyed Cowboys of Calico County (1970) 80 Steps to Jonah (1969) The Comic (1969) The Extraordinary Seaman (1969) Skidoo (1968) Vienna (1968) Ready and Willing (1967) (TV) Ambush Bay (1966) Arcidiavolo, L' (1966) How to Stuff a Wild Bikini (1965) Twenty-Four Hours to Kill (1965) It's a Mad Mad Mad Mad World - Deu a louca no mundo (1963) Requiem for a Heavyweight - Requiém por um lutador (1962) Everything's Ducky - Dois marujos e um pato (1961) Breakfast at Tiffany's - Bonequinha de Luxo (1961) King of the Roaring 20's - The Story of Arnold Rothstein - As cartas marcaram sua vida (1961) The Private Lives of Adam and Eve - A vida íntima de Adão e Eva (1960) Platinum High School - Ilha das víboras (1960) The Big Operator (1959) The Last Mile (1959) Andy Hardy Comes Home - A volta de Andy Hardy (1958) A Nice Little Bank That Should Be Robbed (1958) Baby Face Nelson (1957) Pinocchio (1957) (TV) Operation Mad Ball (1957) Mr. Broadway (1957) (TV) . Magnificent Roughnecks (1956) Francis in the Haunted House (1956) The Bold and the Brave (1956) The Twinkle in God's Eye (1955) The Bridges at Toko-Ri - As pontes do rio Toko-Ri (1954) The Atomic Kid (1954) Drive a Crooked Road (1954) A Slight Case of Larceny (1953) All Ashore (1953) Off Limits (1953) Sound Off (1952) The Strip (1951) My Outlaw Brother (1951) He's a Cockeyed Wonder (1950) The Fireball (1950) Quicksand (1950) The Big Wheel (1949) Words and Music (1948) Summer Holiday - Idílio para todos (1948) Killer McCoy (1947) Love Laughs at Andy Hardy - A paixão de Andy Hardy (1946) National Velvet - A mocidade é assim mesmo (1944) Andy Hardy's Blonde Trouble - Andy Hardy prefere as loiras (1944) Girl Crazy (1943) The Human Comedy (1943) Andy Hardy's Double Life - A dupla vida de Andy Hardy (1942) A Yank at Eton (1942) The Courtship of Andy Hardy - O idílio de Andy Hardy (1942) Personalities (1942 Babes on Broadway (1941) Life Begins for Andy Hardy (1941) Men of Boys Town (1941) Andy Hardy's Private Secretary - A secretária de Andy Hardy (1941) Strike Up the Band (1940) Andy Hardy Meets Debutante (1940) Young Tom Edison (1940) Andy Hardy's Dilemma: A Lesson in Mathematics... and Other Things - O Dilema de Andy Hardy (1940) Babes in Arms (1939) Judge Hardy and Son - Andy Hardy banca o Sherlock (1939) Andy Hardy Gets Spring Fever - Andy Hardy é o tal (1939) The Hardys Ride High - Andy Hardy Milionário (1939) Out West with the Hardys - Andy Hardy Cowboy (1938) Stablemates (1938) Boys Town - De braços abertos (1938) Love Finds Andy Hardy (1938) Lord Jeff (1938) Hold That Kiss (1938) Judge Hardy's Children - Amor de Criançola (1938) Love Is a Headache (1938) You're Only Young Once - Aproveite a mocidade (1937) Thoroughbreds Don't Cry (1937) Live, Love and Learn (1937) Hoosier Schoolboy (1937) Slave Ship (1937) Captains Courageous - Marujo intrépido (1937) A Family Affair - Uma questão de família (1937) Down the Stretch (1936) The Devil Is a Sissy - O Diabo é um Poltrão (1936) Little Lord Fauntleroy - O Pequeno Lord (1936) Riffraff (1936) Ah, Wilderness! (1935) Rendezvous (1935) A Midsummer Night's Dream - Sonhos de uma noite de verão (1935) The Healer (1935) Reckless (1935) West Point of the Air (1935) The County Chairman (1935) Death on the Diamond (1934) Chained - Acorrentada  (1934) Hide-Out (1934) Blind Date (1934) The Lost Jungle (1934) Half a Sinner (1934) Mickey's Medicine Man (1934) Love Birds (1934) Manhattan Melodrama - Vencidos pela Lei (1934) Upperworld (1934) I Like It That Way (1934) Mickey's Rescue (1934) The Lost Jungle (1934) Beloved (1934) Mickey's Minstrels (1934) Mickey's Covered Wagon (1933) The World Changes (1933) The Chief (1933) Mickey's Tent Show (1933) Mickey's Touchdown (1933) Broadway to Hollywood - Da Broadway a Hollywood (1933) The Big Chance (1933) Mickey's Disguises (1933) Mickey's Big Broadcast (1933) The Life of Jimmy Dolan (1933) The Big Cage (1933) Mickey's Race (1933) Mickey's Ape Man (1933) Officer Thirteen (1932) Mickey's Charity (1932) My Pal, the King (1932) Fast Companions (1932) Mickey's Golden Rule (1932) Mickey's Big Business (1932) High Speed (1932) Mickey's Holiday (1932) Sin's Pay Day (1932) Mickey's Travels (1932) The Beast of the City (1932) Mickey's Busy Day (1932) Mickey's Sideline (1931) Mickey's Helping Hand (1931) Mickey's Thrill Hunters (1931) Mickey's Wildcats (1931) Mickey's Diplomacy (1931) Mickey's Rebellion (1931) Mickey's Crusaders (1931) The Farmer (1931) Mickey's Stampede (1931) Mickey's Bargain (1930) Africa (1930) Mickey's Musketeers (1930) Mickey's Winners (1930) Mickey's Merry Men (1930) Mickey the Romeo (1930) Mickey's Warriors (1930) Mickey's Whirlwinds (1930) Mickey's Luck (1930) Mickey's Master Mind (1930) Mickey's Champs (1930) Ozzie of the Circus (1929) Mickey's Strategy (1929) Amature Nite (1929) Mickey's Big Moment (1929) Mickey's Mix-Up (1929) Oil's Well (1929) Mickey's Surprise (1929) Mickey's Midnite Follies (1929) Mickey's Initiation (1929) Mickey's Northwest Mounted (1929) Mickey's Brown Derby (1929) Mickey's Last Chance (1929) Mickey's Menagerie (1929) Mickey's Explorers (1929) Mickey's Great Idea (1929) Mickey's Big Game Hunt (1928) Mickey's Athletes (1928) Mickey the Detective (1928) Mickey's Rivals (1928)  Mickey's Movies (1928) Mickey's Babies (1928) Mickey's Triumph (1928) Mickey in Love (1928) Mickey's Wild West (1928) Mickey's Little Eva (1928) Mickey's Nine (1928) Mickey in School (1928) Mickey's Parade (1928) Mickey's Battle (1927) Mickey's Eleven (1927) Mickey's Pals (1927) Mickey's Circus (1927) Orchids and Ermine (1927) DOWNLOAD Not to Be Trusted (1926)
| 10934 ace
Título original: Jezebel Ano/País/Gênero/Duração: 1938/EUA/Drama/104min Produção: William Wyler Direção: William Wyler Roteiro: Owen Davis Fotografia: Ernest Haller Música: Max Steiner   Elenco   Bette Davis ... Julie Henry Fonda ... Preston Dillard George Brent ... Buck Cantrell Margaret Lindsay Amy Donald Crisp ... Dr. Livingstone Fay Bainter ... Belle Richard Cromwell Ted Henry O'Neill ... General Bogardus Spring Byington ..Mrs. Kendrick John Litel ... Jean La Cour Gordon Oliver ... Dick Allen Janet Shaw ... Molly Allen Theresa Harris ... Zette Margaret Early ... Stephanie Kendrick Irving Pichel ... Huger Eddie Anderson Gros Bat Matthew Beard Ti Bat Lew Payton ... Cato Georges Renavent De Lautruc     Sinopse Julie (Bette Davis), uma teimosa jovem aristocrata gasta seu tempo a contrariar sua família e a escandalizar a sociedade de Nova Orleans quando veste vermelho ao invés de branco em um baile local. Preston (Henry Fonda) fica ao seu lado, mas irrita-se com Julie e parte para Nova Iorque. Após um ano ele volta casado, e depara-se com um surto de febre amarela. Julie decide provocar uma crise no casal e acaba provocando ciúmes também em seu novo pretendente.   Curiosidades O filme é baseado na obra de Owen Davis Senior. O orçamento foi avaliado em US$ 1,25 milhão. Esse foi o primeiro dos três filmes em que Bette Davis e o diretor William Wyler trabalharam juntos (os outros foram A carta e Pérfida).   Assista Online           Download: Este filme é de domínio público. Obs. Este site não incentiva a pirataria.   Legendas     Imagens
| 10909 ace
A carregar... Marcas Famosas Descontos de até 70% nas Melhores Marcas www.Privalia.com CD Musica Classica Pesquise CD Musica Classica antes de de Comprar. Preço Baixo é no iG! iGshopping.iG.com.br Home Theater? Home Theater com Frete Grátis Você só Encontra Aqui Compare! HomeTheater.Ask.com Limpe seu nome: R$40,00 Sem pagar suas dívidas. Em 15 dias Sistema 100% dentro da lei. www.semrestricao.site.br.com   Ficha     Nome: Ingrid Bergman Nascimento e local: 29/08/1916, Stocolmo, Suécia Morte: 29/08/1982, Londres, ENG, câncer Ocupação: atriz Nacionalidade: Sueca Casamentos: Aron Petter Lindström, Roberto Rossellini Filhos: Pia Lindström, Roberto Ingmar Rossellini, Isotta Rossellini e Isabella Rossellini   Biografia   Filha de pai sueco e mãe alemã, Ingrid Bergman estudou na Escola de Arte Dramática de Estocolmo. Estreou em 1932, em “Lanskamp”. Depois de estrelar 9 filmes, em 1939 já famosa em seu país, foi levada para Hollywood por David Selznick, que a queria num remake de “Intermezzo”, co-protagonizado por Leslie Howard. O seu tipo elegante, a fazia versátil para interpretar os diversos papéis, indo desde mulheres simples (O médico e o monstro), heroínas (Joana D’arc) a princesas (Anastácia). Ao longo da carreira arrebatou 3 Oscars com “À meia luz” (1944), Anastácia (1956) e “Assassinato no Orient Express” (1974). Mas o papel que mais a fez conhecida foi mesmo em Casablanca, romance ambientado na cidade homônima, em que dividiu a cena com o não menos aclamado humphrey bogard. A história do amor impossível que rendeu uma das cenas mais inesquecíveis do cinema: o final, na névoa do aeroporto. Dentre seus maiores sucessos, além dos já citados Casablanca e Anastácia, podemos também citar “Por quem os sinos dobram” com o qual foi indicada ao Oscar. Trabalhou com Hitchcock em dois filmes, “Quando fala o coração” e “Interlúdio”. Com o diretor italiano Luchino Visconte fez a comédia “Nós as mulheres”. Ao filmar “Sonata de Outono” (1978) já sofria do mal que lhe acometeria: câncer, aos 67 anos, na data de seu aniversário.   Filmes     Höstsonaten - Sonata de Outono (1978) A Matter of Time (1976) Murder on the Orient Express - Assassinato no Expresso Oriente (1974) From the Mixed-Up Files of Mrs. Basil E. Frankweiler (1973) A Walk in the Spring Rain (1970) Stimulantia (1967) The Human Voice (1966) The Yellow Rolls-Royce - O Rolls-Royce amarelo (1964) Cactus Flower - Flor do Cacto (1964) The Visit (1964) Hedda Gabler (1963) Auguste (1961) Goodbye Again (1961) Twenty-Four Hours in a Woman's Life (1961) The Inn of the Sixth Happiness - A Morada da Sexta Felicidade (1958) Indiscreet - Indiscreta (1958) Anastasia - Anastacia, a princesa esquecida (1956) Elena et les hommes (1956) Giovanna d'Arco al rogo (1954) Paura, La (1954) Viaggio in Italia (1954) Europa '51 (1952) Stromboli (1950) Under Capricorn - Sob o signo de capricórnio (1949) Joan of Arc - Joana D'Arc (1948) Arch of Triumph (1948) Notorious - Interlúdio (1946) American Creed (1946) The Bells of St. Mary's - Os sinos de Santa Maria (1945) Saratoga Trunk - Mulher exótica (1945) Spellbound - Quando Fala o Coração (1945) Gaslight - À Meia Luz (1944) For Whom the Bell Tolls - Por quem os sinos dobram (1943) Casablanca (1942) Dr. Jekyll and Mr. Hyde - O Médico e o Monstro (1941) Rage in Heaven (1941) Adam Had Four Sons (1941) Juninatten - Noite de Tentação (1940) Intermezzo: A Love Story (1939) Kvinnas ansikte, En (1938) Die Vier Gesellen (1938) Dollar (1938) Intermezzo (1936) På solsidan (1936) Valborgsmässoafton (1935) Swedenhielms (1935) Bränningar (1935) Munkbrogreven (1935) Landskamp (1932)   Mais Frases de Ingrid Bergman Ingrid Bergman e Roberto Rossellinni, um Romance à Italiana     Prêmios Recebeu 6 indicações ao Óscar da Academia para Melhor Atriz (principal), por suas atuações em "Por Quem os Sinos Dobram" (1943), "À Meia Luz" (1944), "Os Sinos de Santa Maria" (1945), "Joana D'Arc" (1948), "Anastacia, a Princesa Esquecida" (1956) e "Sonata de Outono" (1978). Venceu em 1944 e 1956. Ganhou o Óscar da Academia para Melhor Atriz (coadjuvante/secundária), por sua atuação em "Assassinato no Orient Express" (1974). Recebeu 2 indicações ao Golden Globe Award para Melhor Atriz (filme dramático), por suas atuações em "À Meia Luz" (1944) e "Os Sinos de Santa Maria" (1945). Venceu em 1944 e 1945. Recebeu 2 indicações ao Golden Globe Award para Melhor Atriz (filme dramático), por suas atuações em "Anastacia, a Princesa Esquecida" (1956) e "Sonata de Outono" (1978). Venceu em 1956. Recebeu uma indicação ao Golden Globe Award para Melhor Atriz (comédia ou musical) em cinema, por sua atuação em "Flor de Cacto" (1969). Ganhou o Golden Globe Award para Melhor Atriz (minissérie ou filme) em televisão, por sua atuação em "A Woman Called Gloria" (1982). Recebeu uma indicação ao BAFTA, na categoria de Melhor Atriz Estrangeira, por sua atuação em "A Morada da Sexta Felicidade" (1959). Ganhou o BAFTA de Melhor Atriz (coadjuvante/secundária), por sua atuação em "Assassinato no Orient Express" (1974). Ganhou um César honorário em 1976. Imagens Galeria (Clique na imagem)   Vídeos
| 10897 ace
10 de junho de 1969. No seu último aniversário, Judy Garland estava sozinha.
| 10881 ace
FICHA BIOGRAFIA FILMES MAIS PRÊMIOS IMAGENS VÍDEOS COMPRAR   Ficha   Nome:  Harry Lillis Crosby Nascimento e local:03/05/1903, Tacoma, EU